"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
Ficar fechado em casa… é do caraças

486990a-ws8-125s-1.jpg

Já vos aconteceu ficarem trancados em casa por ter avariado o fecho da porta?... pois foi o que me aconteceu esta noite e se não fosse o vigilante do prédio ter uma rebarbadora, ainda agora estava preso no apartamento.

 

   Comentários no Facebook

«Zé Regalado» - A mim ia-me acontecendo o contrário, ficar "fechado" fora de casa. É que a minha fechadura não abre por fora, se a chave estiver metida por dentro na totalidade. Salvou-me o plano B

«Jorge Veiga» - pela janela!

«José de Matos» - Telhado com ele. [Emoji smile:)]

«Zé Carlos» - Já me aconteceu faz muito anos atrás e como na altura força e saúde não me faltavam meti o.pé à porta com uma violência tal que a fechadura cedeu

«José Camilo» - ainda há cartões de crédito ou débito. Sempre servem para alguma coisa...

«David Ribeiro» - Não servem neste caso, amigo Camilo... o trinco estava bloqueado e só cortando-o com a rebarbadora foi possível abrir a porta. Tentei todas as indicações que um bom e simpático técnico de fechaduras me foi dando por telefone e acabei por proceder ao corte, solução final. Uma porta blindada com uma sofisticada fechadura, quando avaria é o caraças.

«José Camilo» - Sendo assim... paga-se a dinheiro! [Emoji wink;)]

«Quirino» - Porque não perguntaste a um ladrão?

«David Ribeiro» - Atenção que o bloqueio do trinco pode ter tido origem numa tentativa de arrombamento, foi o que me disse o técnico.

«David Ribeiro» - Agora imaginem como é que se faz chegar uma rebarbadora ao interior de um apartamento àquelas horas e num oitavo andar. Se não tivesse um amigo como vizinho dois andares acima de mim, lá teria eu que chamar os bombeiros. E dependurada numa corda lá chegou a rebarbadora á minha varanda.



Publicado por Tovi às 09:37
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Paços de Ferreira 1 – 2 Boavista

14J- Paços de Ferreira 1 x 2 Boavista.jpg

Na Capital do Móvel, em jogo da 15ª jornada da Liga NOS 2017/18, o Paços de Ferreira adiantou-se cedo no marcador, logo aos quatro minutos, por Mabil, mas o Boavista reagiu e deu a volta ao marcador na segunda etapa, com golos de Mateus, aos 62’, e de Rossi, aos 75’.

Força Boavista!...



Publicado por Tovi às 10:22
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017
Portugal e a descentralização administrativa

Estão aqui escritas algumas coisas interessantes sobre a Regionalização e a Descentralização.

 

   Carlos Esperança, no Facebook

1935619_1191686954000_4631714_n.jpgA regionalização do País, prevista na CRP, desde 1976, foi inviabilizada pelo referendo de 8 de novembro de 1998, resultante da maquiavélica proposta de Marcelo Rebelo de Sousa, então líder do PSD, e de um exótico mapa de 9 regiões, apresentado pelo PM, António Guterres.
O desinteresse do eleitorado, com menos de 50% de participação, tornou inconsequente a decisão, mas a dimensão do repúdio, superior a 60%, quer da regionalização, quer do mapa proposto, contra <35% de votos a favor, trucidou a Regionalização do Continente.
É possível que o exemplo do poder autocrático e os desmandos da Região Autónoma da Madeira, onde se temia que um único partido e o mesmo soba se eternizassem, tornasse o eleitorado receoso da Regionalização, que era, e é, imprescindível. Aliás, na Madeira, só o referido soba foi substituído.
Com a regionalização adiada para as calendas gregas, pretende este Governo promover a descentralização, mas o primeiro anúncio foi claramente infeliz. A deslocação para o Porto do INFARMED – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P., sem ponderação nem justificação técnica, ameaça uma descentralização que precisa de ser explicada e aceite pelos portugueses.
Atribuir mais verbas e competências às autarquias parece uma boa ideia, mas a reduzida dimensão e a falta de massa crítica de muitas delas podem converter num sorvedoiro de dinheiros públicos e de discricionariedade uma legião de caciques que se limitem a criar postos de emprego enquanto a inexorável desertificação do interior se intensifica.
Não se pode descentralizar sem se saber para onde e por que razão. É impossível manter 308 Municípios e 3.092 Freguesias onde é exagerada a dimensão dos aparelhos político-administrativos, aquém dos das regiões autónomas. Corre-se o risco de atomizar o País, em vez de o modernizar, de criar empregos públicos e fomentar o caciquismo, em vez de relançar a economia rural, desenvolver a cidadania e promover a participação cívica.
Para pior, já basta assim.
Depois de um referendo, é politicamente insustentável uma decisão que o contrarie, sem o repetir, a menos que se assuma a regionalização, nos programas eleitorais, decisão que os partidos devem ponderar. A decisão pode e deve ser concertada entre partidos, como objetivo nacional, para 5 ou 4 regiões (Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve ou Alentejo/Algarve.



Publicado por Tovi às 08:32
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017
Uma família… uma grande família

aa.jpg

Com este Governo não vou a Ministro nem a Secretário de Estado… não tenho por lá nem sequer um primo afastado



Publicado por Tovi às 07:36
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017
Estes norte-coreanos são loucos

Coreia do Norte bb.jpg

Só podia ser… Como é que num país onde a maioria do povo passa fome se conseguia atingir o propalado poder bélico-nuclear?



Publicado por Tovi às 10:29
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017
AM aprova orçamento do Porto para 2018

#mno_dinheiro_moedas_01.jpgA Assembleia Municipal do Porto aprovou, ontem à noite, o orçamento para 2018, no valor de 257,4 milhões de euros. Os documentos previsionais de gestão para o próximo ano foram aprovados com 22 votos a favor, 6 contra e 17 abstenções.
Num debate em que intervieram todos os grupos municipais, a maioria da oposição classificou este orçamento como de "continuidade". Em representação do PS, Pedro Braga Carvalho explicou que o seu partido se absteve na votação porque o orçamento não traz nada de novo ou substancialmente diferente. CDU e BE votaram contra. A deputada do BE Susana Constante Pereira considerou o orçamento "poucochinho" para o Porto; o deputado comunista Rui Sá sustentou que não responde às necessidades das populações. Por seu turno, o social-democrata Luís Osório criticou o aumento da receita corrente e da despesa. Nas questões ambientais, a eleita pelo PAN, Bebiana Cunha, congratulou o Executivo de Rui Moreira pela sua preocupação pela sustentabilidade. Perante as críticas, o deputado do movimento "Rui Moreira: Porto, o Nosso Partido" André Noronha explicou que este orçamento é o "orçamento da formiga", de quem tem as contas em dia.
Coesão e Acção Social ou Economia e Desenvolvimento Social, bem como Cultura, são eixos considerados fundamentais num orçamento que, sob os princípios da sustentabilidade, se traduz em mais receita, mais investimento e numa aposta nos recursos humanos da polícia e dos bombeiros. Depois de quatro anos de forte redução de dívida e lançamento de projectos-âncora para a cidade, o Executivo prevê para 2018 mais 14,1 milhões de euros de investimento municipal. Só em habitação social, o investimento previsto é de 26,8 milhões de euros.



Publicado por Tovi às 15:12
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017
Aldrabices… na Raríssimas

Raríssimas aa.jpg

Já é tempo dos autores destas merdas (desculpem a brejeirice) pagarem com cadeia efectiva os seus actos, a provarem-se no local devido, obviamente.

 

   Comentários no Facebook

«Jorge Veiga»...e são tantos nestas circunstâncias...

«Tono Canelas» - Mais cás mães, "cala-te boca"...

«Joaquim Pinto da Silva» - A concentração destes e de outros projectos na capital favorece a corrupção. Não a provoca por si mesma, mas que a facilita, não tenho dúvidas. Todos se conhecem, todos convivem, diariamente...

«Elisabete Loureiro» - Mais um capítulo da novela "Caridadezinha"! Nojo de gentalha! 🤢

«Maria Macedo» - Maçã podre.

«Tono Canelas» - Numa macieira "podre" que produz à brava...

«David Ribeiro»Segundo as últimas notícias a Polícia Judiciária (PJ) já está a investigar a gestão financeira da associação sem fins lucrativos Raríssimas, uma instituição cujo objetivo é apoiar cidadãos portadores de doenças raras e deficiências mentais. Paula Brito da Costa é a presidente da instituição solidária que vive de subsídios do Estado e de outro tipo de donativos.

«Gustavo Martins» - Dos crimes mais imorais e hediondos que eu possa imaginar. Usar a boa fé dos doadores, usurpar fundos públicos, tudo em prejuízo dos supostos beneficiários, que são doentes crónicos, alguns em estado miserável. E o pior de tudo: descredibilização das instituições de caridade aos olhos da população geral. Numa sociedade justa, e a comprovar-se as acusações, essa “senhora” (com p) nunca mais saía à rua.

 

   Raríssimas… por João Fazenda

Raríssimas por João Fazenda.jpg



Publicado por Tovi às 08:42
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 10 de Dezembro de 2017
Aí Marcelo… quem não te conhecer que te compre

Marcelo 10DEz2017.jpg

Marcelo Rebelo de Sousa já deu um golpe mortal à Regionalização quando alterou a Constituição (juntamente com o socialista Guterres) e agora vem dizer que “o processo de descentralização exige uma convergência que vá além da maioria parlamentar que apoia o Governo”.



Publicado por Tovi às 12:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 9 de Dezembro de 2017
Boavista 1 – 3 Sporting

14J- Boavista 1 x 3 Sporting cc.jpg
(Péssimo comportamento das claques leoninas ao atiraram potes de fumo para o relvado, obrigando o árbitro a atrasar o início do encontro)

O Sporting venceu no Bessa o Boavista, por três bolas a uma, num jogo da 14ª jornada da Liga NOS 2017/18 com uma primeira parte equilibrada, em que os Panteras conseguiram controlar os Leões. Mesmo depois do 0-2 o Boavista fez o seu jogo, chegando ao golo que o ia relançar mas o terceiro do Sporting deitou por terra as suas possibilidades.



Publicado por Tovi às 22:45
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 8 de Dezembro de 2017
Este ano vai ser assim...

...e a culpa é do Trump.

Se fosse hoje 01.jpg

 

  Comentários no Facebook

«Gonçalo Graça Moura» - Já é assim há décadas, caso não tenhas reparado...

«Fernando Kosta» - Culpa porquê? Não entendo o ódio aos judeus. Estes não assassinam cristãos, não dizem que querem subjugar o mundo, não rebentam com bombas, não invadem a europa. Quantos prémio-nobel judeus existem? E quantos muçulmanos/palestinianos? Quem já esteve na Terra Santa passeou livremente em todos os lugares menos naqueles controlados pelos palestinianos. Liberdade? Pensem porra!

«David Ribeiro» - Da minha parte e em consciência não há anti-semitismo, nem ódio a Israel, nem morro de amores pela forma explosiva das populações palestinianas se expressarem na rua. O que me dói é constatar que quando há uma réstia de esperança de encontrar um acordo de paz para a região há sempre alguém, e sempre os mesmos, a estragarem a coisa.

«Gonçalo Graça Moura»Pois são, os árabes...

«Jorge Saraiva» - E esses mesmos são...?

«David Ribeiro» - Umas vezes são uns e outras vezes são outros, mas desta vez inequivocamente foi Trump e os Israelitas que despoletaram a confusão.

«Gonçalo Graça Moura» - Nada, tanto como o Putin há seis meses atrás...

«Jorge Saraiva» - Quer dizer, indispuseram os senhores

 

   14h30 de hoje, o "dia da ira"

Milhares de palestinianos saíram às ruas nesta sexta-feira em Jerusalém, na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, protestando contra a decisão do Presidente dos Estados Unidos de reconhecer Jerusalém como capital de Israel — uma mudança que inflamou a Palestina e todo o Médio Oriente. Segundo a televisão Al Jazira, que cita as autoridades da Cisjordânia (onde há protestos em Hebron, Nablus, Jenin, Tulkarem e Jericó), mais de 50 palestinianos ficaram feridos nos confrontos desta sexta-feira e 16 deles foram hospitalizados. Israel reforçou a presenta de tropas nas ruas dos territórios. O Ministério da Saúde palestiniano, citado pela Reuters, diz que uma das pessoas que foi atingida por soldados junto à fronteira da Faixa de Gaza acabou por morrer. O jornalista Hoda Abdel-Hamid, que está em Ramallah (a sede do governo da Autoridade Palestiniana), disse que os confrontos estavam a dissipar-se, depois de "várias horas de confrontos entre jovens palestinianos e o Exército israelita".

 

   17h10 de hoje, o "dia da ira"

Um comunicado serviço de imprensa do exército israelita acaba de informar que o sistema de defesa de mísseis Iron Dome interceptou um míssil alegadamente disparado da Faixa de Gaza no sul de Israel.

 

   Comentários no Facebook

«Gonçalo Graça Moura» - E ainda há quem defenda os palestinianos...

«Jorge Veiga» - ...e houve quem votasse no Trumpas...

«David Ribeiro» - Pois é!... Os Estados Unidos da América o único país do mundo a reconhecer a Cidade Santa como capital do Estado israelita, quando a comunidade internacional nunca reconheceu Jerusalém como capital de Israel, nem a anexação da parte oriental da cidade, conquistada em 1967.



Publicado por Tovi às 09:38
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 7 de Dezembro de 2017
Lá vem nova Intifada

skynews-trump-jerusalem_4175809.jpg
6Dez2017 - O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou que os Estados Unidos reconhecem Jerusalém como a capital do Estado de Israel e que o processo de mudança da embaixada de Telavive para a cidade vai começar a ser preparado de imediato.

O líder do movimento palestiniano Hamas, Ismail Haniyeh, como era mais que previsível já apelou à realização de uma nova Intifada na sequência de mais uma Trumpada, sendo esta atitude de Donald Trump ainda de consequências inimagináveis para a região do Médio Oriente.

 

   Comentários no Facebook

«Gonçalo Graça Moura» - Finalmente um presidente com eles no sitio para fazer o que todos prometeram há décadas mas nenhum fez! E aproveita a aproximação da A. Saudita a Israel para o fazer... é raposa velha e está certo!

«David Ribeiro» - O conflito entre Hamas e Israel estava "adormecido" mas poderá ser agora reactivado e "matar" uma paz que se adivinhava. O problema da zona tinha deixado de ser os palestinianos e estava nas lutas entre sunitas e xiitas, mas poderá ser tudo alterado... e para pior.

«Gonçalo Graça Moura» - Adormecido? Ainda há dois dias foi morto mais um israelita num ataque com faca... o que não é é relatado pela nossa imprensa porque não dá para demonizar Israel.

«Gonçalo Folhadela Moreira» - Obviamente que lhe falta a melhor das qualidades, que, quando verdadeiramente tida, inclui quase todas as outras ... a sabedoria ...

«Gonçalo Graça Moura» - Compensa por cumprir o programa para que foi eleito.



Publicado por Tovi às 10:02
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 6 de Dezembro de 2017
Travado plano para matar Theresa May

May.jpg

   Comentários no Facebook

«Gonçalo Graça Moura» - O que é estranho porque é das poucas conservadoras pró-islamistas...

«David Ribeiro» - ...e ainda mais estranho quando o terrorismo jihadista nunca, ao que me recordo, praticou actos violentos contra figuras públicas.

«Rodrigues Pereira» - Manobra eleitoral desesperada, David [Emoji wink;-)]

«Gonçalo Graça Moura» - Parece um bocado óbvia demais...

«David Ribeiro» - Houve um tempo em que para o MI5 tudo era culpa do IRA... agora será dos jihadistas?

«Gonçalo Graça Moura» - Não sei, mas que se põem a jeito põem...

«Raul Vaz Osorio» - Pois, uma destas na altura em que May meteu mais uma vez os pés pelas mãos com a negociação do Brexit no que respeita à fronteira com a Irlanda, cheira mesmo a esturro. "Estão a ver? O Brexit só pode ser bom, os terroristas islâmicos estão contra!". Primário, mas isso também os eleitores que votaram sim o são, na sua imensa maioria.



Publicado por Tovi às 14:31
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 5 de Dezembro de 2017
O Acesso à Habitação na Cidade do Porto

#mno_mesa_assembleia_municipal_04.jpg

A sessão extraordinária de ontem da Assembleia Municipal do Porto versou um assunto da máxima importância – O Acesso à Habitação na Cidade do Porto – solicitada pela CDU e posteriormente também com apresentação de propostas por parte do BE, tendo sido estas últimas liminarmente rejeitadas por serem tão sem nexo. As matérias apresentadas pela CDU tinham algumas delas muita razão de ser e por isso foram votadas favoravelmente por uma esmagadora maioria dos deputados municipais.

Para vossa reflexão deixo aqui algumas das informações prestadas pelo edil portuense:
A Câmara do Porto está, de uma forma transversal, fortemente empenhada neste tema e na resolução dos principais problemas que hoje encerra. Incluímos no nosso programa de governo local o tema habitação, em particular da habitação para a classe média, num eixo mais vasto a que chamamos “sustentabilidade” e que envolve os pelouros do urbanismo, espaço público, habitação económica, mas que se cruza também com o ambiente e com a mobilidade.
O Estado foi abandonando a sua política de habitação social, deixando praticamente sem investimento e sem apoio, não apenas os seus próprios inquilinos, como também as autarquias que estavam (e estão) a fazer avultados investimentos nos seus bairros sociais municipais.
De apoios que rondavam os 50% de investimento nesta área, as autarquias passaram a dispor de zero, o que é inaceitável e representa uma demissão do Estado central relativamente aquela que é uma das suas funções primordiais.
O resultado está à vista. No Porto há bairros pertencentes ao IHRU que se degradam e não conhecem reabilitação, paredes meias com a habitação municipal que se vai renovando e reabilitando, mantendo rendas mais baixas.

 

   Site oficial da Câmara Municipal do Porto

Assembleia Municipal exorta Governo a criar programa capaz de mitigar problemas na Habitação - 05-12-2017
A Assembleia Municipal do Porto exorta o Governo a apresentar um novo programa de financiamento de construção e reabilitação de habitações económicas e sociais, que inclua a componente dos espaços exteriores. 
Em reunião extraordinária realizada na segunda-feira à noite, convocada pela CDU para debater o acesso à habitação no Porto, os partidos foram unânimes em considerar a habitação um "problema da maior importância" que é preciso resolver "com urgência".
Para o deputado da CDU Artur Ribeiro, a situação constitui uma "enorme gravidade", sendo dever de todos procurar soluções. Na sua ótica, o turismo trouxe "inúmeros" benefícios à cidade, mas transformou também a reabilitação de prédios privados em espaços destinados a turistas.
Preocupado com a "especulação imobiliária", Artur Ribeiro vincou que não é competência da Câmara garantir o direito à habitação consagrado na Constituição, mas é seu dever garantir condições dignas a quem vive nas casas que fazem parte do seu património, mediante a reabilitação dos bairros e zonas adjacentes e construção de equipamentos sociais e de estacionamento.
Em resposta, o presidente da Câmara, Rui Moreira, lembrou que tem apostado numa política de habitação coerente. Recordou o investimento de 53 milhões de euros da autarquia neste domínio, nos últimos quatro anos, e assinalou o "contraste evidente" que hoje existe "entre o parque habitacional detido pelo Município e aquele que é detido pelo Estado central". O Executivo do Porto pretende continuar a intervenção nos bairros camarários, acudindo a novas prioridades, tais como o investimento no espaço público envolvente ou a conceção de "novas residências mais adequadas aos cidadãos seniores". Para o setor estão previstos, no orçamento de 2018, perto de 22,7 milhões de euros. 
Rui Moreira assinalou que, infelizmente, a habitação social há muito que passou de uma solução temporária para permanente. A Câmara disponibiliza anualmente entre 300 a 350 casas, mas são cerca de mil as famílias em lista de espera. A muita procura "já não resulta apenas de situações de declarada carência social", mas também por "não existir no mercado habitação disponível a um preço que seja compatível com o rendimento" das famílias.
O autarca sumariou a estratégia do seu Executivo, atenta também à classe média, e mencionou, a propósito, a sua intervenção na sessão pública de apresentação das propostas do Governo para o setor. Para a Autarquia, justifica-se a "promoção de habitação nas suas várias dimensões, que não apenas na sua forma social". Nesse sentido, é necessário um quadro legal "amigo da autonomia local, que lhe dê capacidade de intervir ao nível dos incentivos fiscais necessários e na edificabilidade".
Já a deputada do BE Susana Pereira afirmou que o "negócio está a matar a cidade". "Na Baixa há mais visitantes e turistas, mas muito menos habitantes", ressalvou. Na sua opinião, se a situação não se inverter o Porto tornar-se-á mais pequeno.
Apesar de fazer uma avaliação positiva do trabalho e investimento feito na Habitação, Patrícia Ferreira, do PS, entendeu que é necessário melhorar a gestão do parque habitacional municipal, repensar o centro histórico, requalificar as ilhas e desenvolver programas de apoio ao arrendamento.
A socialista afirmou que quase não há mercado de arrendamento no Porto, e salientou que a Câmara deve clarificar a estratégia nesta área.
Por seu lado, o deputado social-democrata Alberto Araújo considerou ser "muito cedo" para realizar uma assembleia dedicada a este tema.
Por seu turno, a deputada do PAN, Bebiana Cunha, advogou que se deve "ir mais além e sair do paradigma da habitação social para a habitação condigna para todas as pessoas". Defendeu também a aposta "na recuperação de edifícios", quer municipais quer privados, "premiando nos impostos municipais aqueles que o fizerem e fazendo acordos para rendas controladas".


Publicado por Tovi às 17:32
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 4 de Dezembro de 2017
Cães que muito ladram não mordem

Coreia do Norte aa.jpg

Apesar da Coreia do Norte ter lançado um novo míssil balístico intercontinental na última semana, com uma altitude do voo no ponto máximo de 4.475 quilómetros e 950 quilómetros de faixa de voo, durando 53 minutos e que caiu na zona económica exclusiva do Japão a 250 km da cidade de Aomori, os riscos de uma guerra de facto ainda são pequenos, mesmo com todas as retóricas de Kim Jong-un e Donald Trump. Eu ainda não acreditar que o regime de Pyongyang já possua tecnologia suficiente para equipar um míssil com uma ogiva nuclear, mesmo de tamanho reduzido, mas seguramente o armamento norte-coreano já representa uma ameaça real para a Coreia do Sul e para o Japão. Mais uma vez o presidente chinês Xi Jinping tem a faca e o queijo na mão, pois como todos bem sabemos a Coreia do Norte continua altamente dependente do petróleo fornecido pela China.



Publicado por Tovi às 14:30
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 3 de Dezembro de 2017
Míssil norte-coreano Hwasong-15

Missil Norte Coreano Hwasong-15.jpg

No passado mês de Novembro a Coreia do Norte efectuou o lançamento de um míssil balístico Hwasong-15, projéctil que demonstrou capacidades impressionantes em comparação com seu antecessor, o Hwasong-14, considerando os especialistas que o alcance máximo do míssil recém-elaborado se situa entre 10.500 e 13.000 kms, uma ameaça não só para os países do leste asiático mas também para uma grande parte do território dos EUA. Analisando com cuidado as imagens e os comunicados oficiais do regime de Kim Jong-un vê-se que o camião de 18 rodas que transporta o míssil parece ser de fabrico nacional, o que demonstra que o país conseguiu autonomia na produção dessas máquinas sofisticadas. Os anteriores veículos eram de oito eixos - WS-52100 - adquiridos à China para uso industrial. Porém em 2012, uma vez que os WS-52100 apareceram no desfile militar em Pyongyang como plataformas móveis, o governo de Pequim cessou as exportações desses veículos à Coreia do Norte. É também de tecnologia mais sofisticada o sistema de propulsão deste novo míssil, dotado de asas e motores auxiliares, com dois estágios e medindo de 20 a 22 metros de comprimento e um ou dois metros de diâmetro, sendo seguramente capaz de levar uma ogiva nuclear superpesada. As imagens divulgadas do lançamento do míssil comprovam que o motor possui duas câmaras de combustão e carece de mecanismos auxiliares para mudar de direcção, o que representa um nível muito avançado de tecnologia.

 

Começam amanhã e duram até ao dia 8 de Dezembro os «Vigilant Ace», exercícios conjuntos de Washington e Seul, que contarão com a participação de mais de 1.200 militares dos EUA, 230 aviões, incluindo caças F-22 Raptor e F-35. A diplomacia norte-coreana já qualificou esta demonstração de força como um "prelúdio para a guerra nuclear".
vigilant ace 2017 aa.jpg



Publicado por Tovi às 14:56
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Posts recentes

Ficar fechado em casa… é ...

Paços de Ferreira 1 – 2 B...

Portugal e a descentraliz...

Uma família… uma grande f...

Estes norte-coreanos são ...

AM aprova orçamento do Po...

Aldrabices… na Raríssimas

Aí Marcelo… quem não te c...

Boavista 1 – 3 Sporting

Este ano vai ser assim...

Lá vem nova Intifada

Travado plano para matar ...

O Acesso à Habitação na C...

Cães que muito ladram não...

Míssil norte-coreano Hwas...

Chaves 0 – 0 Boavista

Já é Natal no Porto

Quando a solução é a font...

Morreu Belmiro de Azevedo

Inauguração da estátua de...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus