"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Sexta-feira, 14 de Julho de 2017
EMA na cidade do Porto?

EMA 13Jul2017 aa.jpg

Agora estamos na mão da Comissão Europeia… vamos lá ver qual será a escolha.

 

  Comentários no Facebook

«Pedro Baptista» - Então o Porto, como se impunha, triunfou! Onde ficam então as votações dos deputados-palhacitos, todos, incluindo todos os eleitos pelo Porto de todos as secções da partidocracia centralista, a recomendar Lisboa? Onde ficam as palavras do primeiro-ministro de que a candidatura de Lisboa era assunto encerrado? Onde ficam as alarvidades costumadas do nº 2, Santos Silva, que diz que é do Porto, que dizia, mentindo ao país, que havia estudos que impunham a Lísbia a que há muito, como os outros, se vendeu? Onde ficam os silêncios cúmplices dos outros ministros que também dizem ser do Porto, embora só tenham como certificado o assento paroquial e civil? Claro, claro, sabemos muito bem porque ocorreu a cambalhota, sabemos muito bem que foi quando o governo centralista se convenceu a impossibilidade absoluta de ser a candidatura portuguesa a vencer, que abriu para o Porto e depois por aí optou fazendo o flique-flaque... Sabemos bem que se o Porto não for escolhido - que é o mais provável - dirão que foi por causa de ser o Porto. É quase impossível ganhar... Mas quase... é quase... Bem sabemos como o governo sustenta a proposta de Ser o Porto, dando o dito por não dito... Presente envenenado? É evidente! Mas tinha piada se conseguíssemos sobreviver ao veneno e vencer como é, aliás, nosso apanágio... E quanto aos deputadozecos de meia-tigela desta pseudo-democracia de manjedoura: será que vão votar uma moção a apoiar a candidatura do Porto? Aposto que não... Desta vez, sentem-se bem elucidados... E dizem que houve uma revolução há 43 anos e não foram só as moscas que mudaram!



Publicado por Tovi às 07:29
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 13 de Julho de 2017
Ana Lehmann, nova Secretária de Estado da Indústria

Ana Lehmann aa.jpg

Ana Teresa Lehmann, economista e professora associada da Faculdade de Economia do Porto, actualmente presidente da InvestPorto, vai ser a nova secretária de Estado da Indústria substituindo João Vasconcelos. Tenho confiança nesta "mulher do Norte" que, seguramente, não irá trair nem a nossa Região nem a Cidade Invicta.



Publicado por Tovi às 14:48
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 12 de Julho de 2017
Debate parlamentar sobre Estado da Nação

Atão?... Depois de toda a discussão de hoje lá por São Bento alguém me sabe dizer qual é o verdadeiro Estado da Nação? Cá para mim no fim destes debates parlamentares alguém (podia ser o Marcelo) devia fazer um resumo e dizer-nos quais as conclusões, que nisto de entender os políticos há muitos nabos como eu.

   E já agora... fiquem com esta notícia:
12Jul2017.jpg

   Comentários no Facebook

«Joaquim Figueiredo» - O estado da Nação resulta da percepção que cada um tem da melhoria ou não da sua vida. E também sentir se as pessoas andam ou não mais felizes. A minha vida melhorou e sinto que as pessoas andam mais felizes

«Manuel Carvalho» - “Debate do estado da nação conclui que a nação está”, por Renato Carreira – inÉpcia.

«David Ribeiro» - Dito assim até eu percebi, Manuel Carvalho [Emoji wink]



Publicado por Tovi às 23:45
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 10 de Julho de 2017
Três Secretários de Estado demitiram-se

9Jul2017 aaa.jpg

Só agora?...

 


10Jul2017 aa.jpg



Publicado por Tovi às 00:05
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 6 de Julho de 2017
Inauguração da Sede de Campanha de Rui Moreira

6Jul2017 ab.jpg

Hoje ao fim da tarde, na Avenida dos Aliados, foi inaugurada a sede de campanha do movimento O Nosso Partido é o Porto. Foram oradores desta primeira sessão das Conversas à Moda do Porto José António Salcedo e Luís Reis.

 

  Jose Antonio Salcedo

Aqui estão alguns apontamentos que preparei ao longo dos últimos 3 dias, para facilitar a estruturação das ideias na sessão de hoje. Na sessão não li estes apontamentos, claro, mas segui sensivelmente estas ideias:
Sessão: Porto em Crescimento - Que papel pode ter o Município, enquanto agregador e catalisador, nesse crescimento?
Definindo termos:
– Conhecimento é informação que foi digerida e experienciada por nós e que está dentro da nossa cabeça, pronta a ser utilizada em nosso benefício.
– Inovação é o processo pelo qual produzimos valor (económico, cultural ou social) a partir de conhecimento.
Para criar mais valor:
– Aumentar a produtividade, trabalhando de forma mais eficiente.
– Diminuir os custos de contexto e os entraves burocráticos e administrativos que prejudicam a actividade privada e a vida das pessoas.
– Incorporar mais conhecimento nos produtos e serviços produzidos e vendidos, por exemplo através de uma maior especialização, o que permite aumentar os preços de venda e, portanto, as margens. Com mais conhecimento incorporado, criamos mais valor. Mas isto é inovação.
Inovação – a criação de riqueza a partir de conhecimento – é chave.
Pensar inovação:
– Actuar a nível de cidade-região, por uma questão de escala. É necessário dispor de escala para assegurar diversidade de fontes de conhecimento e de circunstâncias que propiciem inovação.
– Esta diversidade é essencial para permitir (1) iniciativas dos mais variados tipos, independentes entre si, (2) áreas de conhecimento diferentes para atracção e/ou amarração de investimentos e/ou talento estrangeiros, (3) fertilização cruzada para desenvolver projectos multidisciplinares ou de maior dimensão, e (4) resiliência do ecossistema a altos e baixos da economia nacional e internacional.
Como é que se desenvolve inovação a nível da cidade-região do Porto? Como se pode desenvolver gradualmente uma cultura de inovação que faça parte natural das atitudes e dos comportamentos das pessoas e das instituições?
Considero que a melhor forma de o conseguir é estimular o desenvolvimento de um “ecossistema de inovação”.
Um ecossistema de inovação envolve:
⁃ Instituições que produzem conhecimento: Ensino primário, secundário e superior (universidades, escolas superiores e politécnicos) e instituições de I&D.
⁃ Educação tem de ser assumida como estratégica, sobretudo agora que as máquinas começam a aprender por si próprias. Nunca foi tão importante ensinar as pessoas a pensar e a aprender por si, desde muito cedo. Nunca foi tão importante estimular as pessoas a “fazer coisas” a partir do que sabem, para serem autónomas na vida.
⁃ Na Educação, deve-se estimular entrosamento de áreas técnicas com áreas humanistas (artes, cultura...), sobretudo a nível do ensino obrigatório, aproveitando a crescente descentralização educativa. O Município tem aqui uma excelente oportunidade de intervenção.
⁃ As universidades e as instituições de I&D devem prestar atenção acrescida à valorização da propriedade intelectual e à valorização económica do conhecimento, promovendo a criação de startups e o seu financiamento.
⁃ As instituições de ensino vocacional e politécnico devem estar em estreita articulação com empresas locais.
⁃ Empresas, de startups/incubadoras a PME e a grandes empresas.
⁃ Detentores de capital – business angels, family offices, VC... - e entidades do sistema financeiro.
⁃ Entidades culturais: Escolas, oficinas, museus, cinemas, teatros...
Como pode o Município estimular o ecossistema de inovação?
⁃ Assumir conhecimento e inovação como estratégicos para a cidade-região, posicionando o Porto como ‘capital’ de conhecimento e inovação e fazendo o seu marketing local, nacional e internacional.
⁃ Reter e atrair talento, empresas e investimentos
⁃ PortoInvest
⁃ Promover acções que aproximem Academias (geradores de conhecimento), Empresas (geradores de valor) e Capital (viabilizadores de inovação).
⁃ Estimular programas e eventos de interesse comum.
⁃ Facilitar a internacionalização de capacidades locais.
⁃ Liderar através do exemplo em inovação, transferência de tecnologia e sectores relacionados. Implementar acções específicas que estimulem actividades nestas áreas.
⁃ Utilizar e expandir redes de cooperação nacionais e internacionais para reforçar estes sectores de actividade.
⁃ Posicionar o Porto como uma cidade importante numa Nova Europa, uma Europa mais aberta, de culturas melhor compreendidas e mais partilhadas, mais criativa, mais empreendedora e mais unida.

 

   Luís Reis

Este gestor, considerado o número 2 da Sonae, disse hoje na primeira sessão das Conversas à Porto, que serviram de inauguração à sede de campanha de Rui Moreira, que a Região Norte contribui de forma decisiva para o valor acrescentado do país. E acrescentou que quando for reeleito presidente da Câmara do Porto não será apenas “o presidente do Porto, mas sim o presidente do Norte” e que isso “é mais importante do que qualquer outro cargo, como o de presidente da Câmara de Lisboa”.



Publicado por Tovi às 23:41
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 5 de Julho de 2017
L’Épicier

Façam, se faz favor, as devidas adaptações aos dias de hoje…

l’épicier aa.jpg
Mole como a sua manteiga, estúpido como os seus macarrões, pateta como os seus chouriços e rançoso como o toucinho que vende, o merceeiro – l’épicier – é o tipo dessa bastarda aristocracia da plebe que se propagou e cresceu tão numerosa, e cuja missão política é unicamente engolir as petas de todas as proclamações, dar consumo às sandices das gazetas dos governos, acreditar no “sistema que felizmente nos rege”, e pôr luminárias nos dias de gala.

(Almeida Garrett, O Arco de Sant’Ana – Porto Editora, pag. 85)



Publicado por Tovi às 09:03
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 4 de Julho de 2017
Assim vão as Forças Armadas

 cm 4juul2017 aa.png

A corrupção na Força Aérea (FA) subiu ao mais alto nível, com doze militares presos, entre os quais um major-general e outros seis oficiais de alta patente. Todos sob suspeita de se terem deixado subornar, ao longo de vários anos, por empresários do setor da restauração que fornecem bens alimentares para cerca de 15 bases da FA de norte a sul.
Ao todo foram feitas 16 detenções esta manhã - quatro dos quais civis, empresários - pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária, em articulação com a 9ª secção do DIAP de Lisboa e com a PJ Militar.
Em causa está a continuação da investigação que levou a outras seis detenções em novembro do ano passado, precisamente pelo mesmo esquema de sobrefaturação das compras de produtos alimentares para as bases aéreas - o que permitiu a esta rede de militares prejudicar o Estado, em proveito próprio, na ordem dos 10 milhões de euros.
Nesta segunda operação foram detidos alguns dos mais altos responsáveis da FA - entre os quais o major general que entre outras altas responsabilidades teve a de comandar a Direção de Abastecimento e Transportes, em Alfragide, junto ao Estado Maior da FA.
Em comunicado, a PJ confirmou entretanto que em causa nesta operação "participaram 130 elementos da Polícia Judiciária e 10 Magistrados do Ministério Público, foram realizadas 36 buscas nas áreas dos distritos de Lisboa, Porto, Santarém, Setúbal, Évora e Faro, das quais 31 domiciliárias e 5 não domiciliárias, tendo sido apreendidos documentos e material relacionado com a atividade criminosa em investigação". A Judiciária detalha que os detidos são suspeitos dos crimes de "corrupção passiva e ativa para ato ilícito, abuso de poder e falsificação de documentos".

E ainda dizem que os corruptos estão todos no futebol

 

  00h20 de 6Jul2017

Os doze militares presos, entre os quais um major-general e outros seis oficiais de alta patente, foram interrogados esta quarta-feira à tarde, no Campus de Justiça de Lisboa. Fiicaram em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Tomar.
Para além destes, também quatro empresários foram ouvidos hoje, suspeitos de um esquema de suborno que durava há vários anos.



Publicado por Tovi às 14:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 3 de Julho de 2017
Assembleia Municipal do Porto

Autárquicas AMPorto 2013.jpg

Nas Autárquicas2013 foi assim para a Assembleia Municipal da Cidade Invicta… mas agora “O Nosso Partido é o Porto” tem que atingir a maioria absoluta.



Publicado por Tovi às 14:36
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 1 de Julho de 2017
Apresentação da Candidatura de Rui Moreira

1Jul2017 ac.jpg

Estive lá… e tirei as faltas.

Quem não foi tem que me enviar no prazo máximo de quarenta e oito horas justificativo comprovativo da impossibilidade de ter estado hoje à tarde, nos Jardins do Palácio de Cristal, na apresentação da candidatura de Rui Moreira à Câmara Municipal do Porto.



Publicado por Tovi às 21:06
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 29 de Junho de 2017
O Arco de Sant’Ana

O-Arco-de-Sant-Ana bbb.jpgNão me recordo do “Rapa Côdeas” (aka Gaspar da Costa), meu professor de Português no liceu Alexandre Herculano, alguma vez me ter mandado ler O Arco de Sant’Ana, mas embora soubesse vagamente qual o enredo deste romance de Almeida Garrett só agora, já sessentão, me deu para o ler e me deliciar com a evocação da vida social e política do burgo portuense, agitada pelos motins dos mesteirais, conduzidos pelo jovem Vasco e apoiados pelo rei D. Pedro, numa luta contra a oligarquia política, encarnada pelo bispo e seus acólitos, em especial Pêro Cão, cobrador de impostos.

E dei comigo a pensar que já está na hora – décimo sétimo ano do século XXI - de nos tornarmos todos MESTEIRAIS cá pela Cidade Invicta. Não estará?

 

  O Arco de Sant’Ana

Porto Editora
Depósito Legal: 321475/11
ISBN: 978-972-0-04980-3



Publicado por Tovi às 12:01
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 26 de Junho de 2017
O Nosso Partido é o Porto

 1Jul2017 aa.jpg
Em 2013, o Porto deu um exemplo ao país, elegendo para governar a cidade um presidente independente, livre e focado no desenvolvimento da cidade e nos portuenses. O Porto ganhou. Vou fazer parte deste movimento, de novo. Dia 1 de julho, a três meses das eleições autárquicas, vou recomeçar uma caminhada. Porque O PORTO É O NOSSO PARTIDO, SEMPRE.



Publicado por Tovi às 09:23
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 25 de Junho de 2017
Floresta Portuguesa

2006002757.jpg
Agora que os trágicos incêndios que assolaram a região Centro estão a acalmar, é altura de reflectir seriamente nestes números:

a) A Floresta Portuguesa ocupa 3,2 milhões de hectares, o que corresponde a 35,4% do território nacional;

b) A propriedade florestal em Portugal é maioritariamente privada, detida praticamente em exclusivo por pequenos proprietários de cariz familiar, com 2,8 milhões de hectares, ou seja, 84,2% da área total;

c) Somente 6,5% da área florestal privada são pertencentes a empresas industriais;

d) Unicamente 2% (a menor percentagem da Europa) são do domínio privado do Estado;

e) O eucalipto é a espécie florestal predominante, com 25,4% da ocupação (equivalente a 812 mil hectares), seguindo-se o sobreiro com 23% (perto de 737 mil hectares) e o pinheiro bravo com 22,3 % (mais de 714 mil hectares de floresta);

f) A dimensão da propriedade florestal tem uma distribuição geográfica muito marcada, sendo que o grande número de prédios se situa no Norte e Centro, onde as explorações chegam a atingir dimensões com menos de um hectare, estimando-se a existência de cerca de meio milhão de proprietários florestais;

g) Apesar do elevado número de proprietários e a pequena dimensão da propriedade florestal os bens produzidos por esta via sustentam uma importante e integrada cadeia industrial, baseada em recursos naturais, suportando por si, um forte sector de exportação (segundo uma estimativa relativa a 2001 a produção económica anual efectiva era de 1,3 milhões de euros, ou seja, 344 euros/ha/ano);

h) Do ponto de vista de transacções para o mercado internacional de produtos florestais e de base florestal, os mais importantes são o papel e cartão, a pasta de papel, a cortiça, a madeira e produtos de resina e mobiliário.

 

   Comentários no Facebook

«Albertino Amaral» - Números interessantes que deveriam merecer a reflexão, o cuidado e a preocupação organizacional do Governo. Afinal, Portugal é uma fazenda, comparado a outras nos EUA ou na Austrália.....

«David Ribeiro» - Curiosamente, e isto é muito importante, somente 6,5% da área florestal privada são pertencentes a empresas industriais, maioritariamente de celuloses... e estas não ardem. Porque será?

«Albertino Amaral» - Será que ali existe uma tecnologia anti-fogo que nós não conhecemos ? Só pode........

«David Ribeiro» - Claro que há... Chama-se PREVENÇÃO. Vejam aqui como é que as empresas florestais sérias (as tais que não ardem) tratam da sua segurança: A AFOCELCA é um agrupamento complementar de empresas do grupo The Navigator Company e do grupo ALTRI que com uma estrutura profissional tem por missão apoiar o combate aos incêndios florestais nas propriedades das empresas agrupadas, em estreita coordenação e colaboração com a Autoridade Nacional de Protecção Civil.

«Mário Santos» - Os concursos para os fundos comunitários são ganhos pelas grandes propriedades (latifúndios) e raramente no Norte (2%) e no Centro do País.

«David Ribeiro» - Já era tempo de cá pelo Norte se apostar no associativismo e deixarem os "quintais". E isto aplica-se à floresta e a outras actividades rurais.



Publicado por Tovi às 08:06
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 24 de Junho de 2017
Um Homem do Norte

V.jpg

   Escreveu Rui Moreira sobre Valente Oliveira

O Professor Luís Valente de Oliveira foi o governante que mais vezes e mais tempo ocupou cargos governativos em Portugal. Foi presidente da Assembleia Municipal do Porto. É uma referência para o PSD. É uma referência de seriedade e competência para o País, para o Norte e para o Porto. Reviu-se no movimento independente que levou à minha eleição há quatro anos e esteve sempre com o Porto, ao lado das causas da cidade em batalhas muito importantes. Deixa o seu partido, ao fim de quatro décadas, para voltar a estar ao lado do que entende ser o interesse da Antiga, Mui Nobre, Sempre Leal e Invicta Cidade do Porto. O Professor Valente de Oliveira é uma inspiração para todos os que defendem os valores sociais, democratas e de liberdade de que o país precisa e de que o Porto sempre foi exemplo. É uma honra voltar a tê-lo como mandatário da recandidatura independente que a 1 de Outubro voltará a ser uma opção de liberdade para os portuenses. E é importante que valores como os que sempre o guiaram sejam escutados. É importante que ele seja escutado. Obrigado Professor.

 

   Comentários no Facebook

«Gonçalo Graça Moura» - Das poucas pessoas que sempre foi séria na política!

«Joaquim Figueiredo» - Um senhooooor

«Maria Manuel Reis» - Excelente escolha !

«Tiago Silva» - Com todo o meu apoio!

«Leal Antonio Gaspar Leal» - Sociais democratas, ainda nao viram o quanto Passos Coelho, está a fazer mal ao partido. Não espanta, politiquices. No PS queimam Pissarro

«Manuel Carvalho» - Sem abdicar da sua raiz política, soube, como sempre, fazer uma escolha em nome de um Porto real. Tivesse-o feito MP, também. Quando o valor supera a norma, surgem posições de pessoas como Valente de Oliveira, outras anulam-se, apenas vendo o feudo partidário e gritando até à exaustão que é em nome do Porto. Uns são, outros tentam parecer.

«Rogerio Parada Figueiredo» - É um homem do Norte com honra caráter e sentido do dever para com sua cidade! As pessoas do norte sabem o significado das palavras: Nobre, Invicta, palavras que definem a cidade do Porto. Palavras estas acima de quaisquer interesses partidários! As pessoas do norte de Portugal sabem muito bém o significado das palavras: irreversível e de honra!

«Eduarda Castro» - As candidaturas independentes esta a causar alguns danos aos Partidos do Poder( P. S. E P.SD) E nestas eleicoes autarcas ocorrem pelo Pais a entrega de cartoes destes Partidos para apoiarem candidaturas independentes. Cada vez mais as pessoas se reconhecem nas diversas candidaturas independentes esvaziando os ditos Partidos Politicos. Alguma coisa vai mal. A identificacao destes Partidos estao a ficar anuladas por falta de coerencia dos seus valores. Chegou a hora destes Partidos reflectirem o que vai mal muito mal. O funcionamento dos mesmos estao a necessitar de uma profunda revisao das suas estruturas que ja estao ultrapassadas. Os seus militantes sentem que aDemocracia falha no seu funcionamento que carece da falta de dialogo e que se inverteu em donos do Partido e de interesses. Nao vejo que seja prejudicial para a Nossa Democracia existirem candidaturas Independentes pelo contrario e um sinal de uma Democracia Viva. Agora os Partidos nao se podem queixar por falta da mesma porque sao afinal os obreiros pele falta da sua Democracia Interna. E sei bem do que falo.

«Maria Helena Costa Ferreira» - Grande!



Publicado por Tovi às 16:23
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 23 de Junho de 2017
Proibido o lançamento de balões no São João

CAM00809-1.jpg

Não sei se é efeito da sangria, mas já me pareceu ver passar uns três ou quatro balões 

 

   Comentários no Facebook

«Jorge Veiga» - Por Campanhã já passaram alguns...(ou passarão???)

«Carla Afonso Leitão» - Campanhã?... n deles

«Jorge Veiga» - alguns = n deles kkkkk

«José Luis Moreira» - Deixóspairar...

«Adao Fernando Batista Bastos» - Pois aqui na Maia tem sido uns atras dos outros!

«Carla Afonso Leitão» - Binte... Ba lá... O estado está a perder uns guitos [Emoji kiki^_^]

«David Ribeiro» - Já ninguém tem respeito pelos decretos do Terreiro do Paço [Emoji wink;-)]

«Jorge Veiga» - leis faceis de fazer. Estou memo a ver os polícias de cabeça virada p´ró ar... Oh Patego, olhó balão!!!!!

«Carla Afonso Leitão» - Assim, de repente não vejo nenhuma farda kkk

«José Luis Moreira» - Andam a ber balões, Carla Afonso Leitão.

«Jorge Veiga» - José Luis Moreira ou andam nus...! [Emoji smile:)]

«David Ribeiro» Está cá a parecer-me que não me vou deitar sem ver um "bófia" a lançar um balão [Emoji smile:-)]

«José Luis Moreira» - ... ou a mandar soprar ó balão?...

«Carla Afonso Leitão» - Cuido que se houber algum bufo bai logo até à estação espacial [Emoji glassesB-)]

«David Ribeiro» - Vi agora um drone a perseguir um balão... está bem equipada a polícia cá da Cidade Invicta [Emoji wink;-)]

«José Luis Moreira» - Bai soprá-lo...

«Carla Afonso Leitão» - AHAHAJAHAJAHA...

«Filipe Ortigão Guimarães» - Devem ser visões. Até porque sangria não é das 27 bebidas oficiais de São João....

«Mário Santos» - Balões, não deu para contar, mas em multas dava mais que o Euromilhões.

«Gonçalo Lavadinho» - Vi alguns

«Albertino Amaral» - Pois é, eu também vi... E agora, quanto a multas ?????



Publicado por Tovi às 23:45
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 22 de Junho de 2017
Os Homens do Presidente

Rui Moreira 20Jun2017 aa.jpg

No comment… sim, mas não vai faltar quem venha já aqui dizer cobras e lagartos.

 

   Comentários no Facebook

«João Cardoso» - Pelo menos sabemos quem são e quanto ganham. Aqui não há amigos do Presidente a trabalharem pro bono e depois serem recompensados com um tacho em qualquer empresa municipal.

«Joaquim Figueiredo» - Conheço o Dr Fernando Paulo. Excelente e dinâmica pessoa

«Manuel Carvalho» - Enquanto houver transparência, competência e amor pelo Porto, então estou tranquilo na minha escolha.

«Ze De Baião» - Cá vai uma cobra, porque os lagartos nunca serão dragões: Ninguém é super homem do Norte. Nenhum homem é superior a todas as forças políticas e à sociedade civil do Porto/Norte, como julga ou pretende fazer crer o presidente de Câmara do Porto. Ignorar todas as forças politicas e toda a sociedade civil em geral fica-lhe muito mal. Foram o conjunto de forças sociais e políticas que reabriram este processo e Rui Moreira julga-se agora o super homem que tudo conseguiu reabrir sozinho. Esse Porto de todos já não existe. Só existe mesmo o Porto de Rui Moreira. E a ser assim, é um Porto pouco ou nada inclusivo. O presidente Rui Moreira está a ter uma visão social e política muito curta ou pretenderá demonstrar a sua prepotência (ou fragilidade) sóciopolítica, ao impor uma decisão e nomeação pessoal que pretende levar à reunião de Câmara "para ratificação política", desconsiderando a proposta de criação de um grupo de trabalho representativo das forças vivas e capazes do Porto, tal como havia sido aprovado por unanimidade na última reunião. Rui Moreira aprovou uma proposta de trabalho e de participação mais alargada e agora impõe a sua prepotência pessoal só porque esta possibilidade foi reaberta pelos vereadores socialistas. Quando assim age um presidente, colocando em risco a qualidade e eficácia da candidatura, não está a defender o melhor possível a Cidade de todos, mas sim e só o seu ego pessoal. Rui Moreira afirma-se contra o centralismo, mas nem sequer consegue ver que o seu egocentrismo e a sua prepotência pode colocar em causa a vitória desta candiatura. A responsabilidade deste processo passa a ser integralmente de Rui Moreira. Se algo falhar a responsabilidade será exclusivamente sua. O PS e os socialistas do Porto devem continuar a fazer tudo para o sucesso desta candidatura, mas os portuenses devem tomar conhecimento do egocentrismo de Rui Moreira, que não consegue compreender que todas as forças políticas e a sociedade civil são de extrema importância.

«Albertino Amaral» - Se o Zé de Baião conhecesse pessoalmente a pessoa de quem tanto fala, e que pelos vistos tanto o incomoda, se consigo tivesse vivido profissionalmente e tivesse tido a possibilidade de observar o seu trabalho, a sua competência, a sua eficácia, a sua transparência, a sua seriedade e honestidade, talvez o Zé de Baião sentisse vergonha dessas atoardas que lança para o ar. Como eu compreendo o seu complexo de inferioridade…

«Mafalda Macedo Pinto» - Pode fazer um resumo José de Baião? A sua verborreia cansa me.

«Maria Helena Costa Ferreira» - Por conhecimento próprio faço minhas as palavras do Albertino Amaral!!! Claro que não ha super homens mas há - e o n/ Presidente é exemplo disso - gente muitíssimo competente, profissional e honesta!

«Ze De Baião» - Claro que há gente muito competente, profissional e honesta. Mas mau seria se não houvesse muitos outros e outras de igual e mesmo superior nível. Mas nenhum homem ou mulher faz tudo sozinho e muito menos faz tudo perfeito. Se assim pensam algo deve estar muito mal. Já agora, há falta de competência feminina a norte? Ou é tudo machista?

«Albertino Amaral» - Não seja ridículo........

«Mafalda Macedo Pinto» - E às vezes da me vontade de fazer lhe perguntas como? E os transexuais tb não contam? Eu nem vou responder a isto q até me faz náuseas

«Ze De Baião» - Cara Mafalda, até um transexual entende a discriminação de género e a história de discriminação da mulher na vida pública e política.

«David Ribeiro» - Pois é, Ze De Baião... a competência não se coaduna com as quotas de paridade.

«Ze De Baião» - Não acredito que não haja mulheres extremamente competentes a norte.

«Maria Manuel Reis» - Zé de Baião: analise os factos com mais imparcialidade... se na verdade, aquilo que escreve está de acordo com o que pensa, a meu ver está na página errada... É pena, que assim seja , pois os seus comentários por vezes são assertivos e a pluralidade de opiniões e bem vinda ...mas quando ultrapassa certos limites torna se extremamente desagradável…

«Ze De Baião» - Desagradável porquê? Não visamos um melhor norte para o norte? O norte nunca se fez com super homens ou super mulheres. Faz-se com todos nós. Com os portuenses e nortenhos em geral. Quem julgar que é superior a todas as forças vivas da sociedade ou até superior a todas as forças políticas, não está consciente de si próprio. Assisto a muita prepotência. A sociedade civil tem sempre mais força que o individualismo.

«Maria Manuel Reis» - Retirando "desagradável porquê? " subscrevo o seu comentário ..

«Manuel Carvalho» - E quando o indivíduo representa, não em gabinete, mas no terreno a vontade do Porto? Deixamos cair porque é um individuo? E ao contrário do que o Zé afirma, a história fez-se com super-homens e super-mulheres, tanto para o bem como para o mal. Recorde a história de Portugal e do mundo. A história não se faz com políticos mas com estadistas. A história faz-se quando a locomotiva sabe o trajecto e o destino, sem desvios, sem assaltos nem mudanças de linhas em obediência a quem quer mudar os destinos. Acabou por não entender mesmo o que se passou no Porto. E que se alastra a outras cidades. O mais doloroso para o regime instalado é que muitos fizeram e fazem da política carreira, mas na distância de um tempo histórico apenas vão perdurar aqueles que souberam ser Porto.



Publicado por Tovi às 09:16
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Posts recentes

Há badalhocos na Ribeira

E depois de 1 de Outubro?

Autárquicas no Porto – Ca...

Autárquicas no Porto – Pa...

Autárquicas no Porto – Bl...

Um acto de CIDADANIA

Em Autárquicas há sempre ...

Autárquicas no Porto – Eu...

Assembleia Constituinte n...

Um Porto moderno e para t...

Habitação para a classe m...

Ainda a tragédia de Pedró...

Uma vergonha… na cidade d...

Aquilo anda mal por Aldoa...

A estratégia de “Cavalo d...

EMA na cidade do Porto?

Ana Lehmann, nova Secretá...

Debate parlamentar sobre ...

Três Secretários de Estad...

Inauguração da Sede de Ca...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus