"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."
Terça-feira, 4 de Julho de 2017
Assim vão as Forças Armadas

 cm 4juul2017 aa.png

A corrupção na Força Aérea (FA) subiu ao mais alto nível, com doze militares presos, entre os quais um major-general e outros seis oficiais de alta patente. Todos sob suspeita de se terem deixado subornar, ao longo de vários anos, por empresários do setor da restauração que fornecem bens alimentares para cerca de 15 bases da FA de norte a sul.
Ao todo foram feitas 16 detenções esta manhã - quatro dos quais civis, empresários - pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária, em articulação com a 9ª secção do DIAP de Lisboa e com a PJ Militar.
Em causa está a continuação da investigação que levou a outras seis detenções em novembro do ano passado, precisamente pelo mesmo esquema de sobrefaturação das compras de produtos alimentares para as bases aéreas - o que permitiu a esta rede de militares prejudicar o Estado, em proveito próprio, na ordem dos 10 milhões de euros.
Nesta segunda operação foram detidos alguns dos mais altos responsáveis da FA - entre os quais o major general que entre outras altas responsabilidades teve a de comandar a Direção de Abastecimento e Transportes, em Alfragide, junto ao Estado Maior da FA.
Em comunicado, a PJ confirmou entretanto que em causa nesta operação "participaram 130 elementos da Polícia Judiciária e 10 Magistrados do Ministério Público, foram realizadas 36 buscas nas áreas dos distritos de Lisboa, Porto, Santarém, Setúbal, Évora e Faro, das quais 31 domiciliárias e 5 não domiciliárias, tendo sido apreendidos documentos e material relacionado com a atividade criminosa em investigação". A Judiciária detalha que os detidos são suspeitos dos crimes de "corrupção passiva e ativa para ato ilícito, abuso de poder e falsificação de documentos".

E ainda dizem que os corruptos estão todos no futebol

 

  00h20 de 6Jul2017

Os doze militares presos, entre os quais um major-general e outros seis oficiais de alta patente, foram interrogados esta quarta-feira à tarde, no Campus de Justiça de Lisboa. Fiicaram em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Tomar.
Para além destes, também quatro empresários foram ouvidos hoje, suspeitos de um esquema de suborno que durava há vários anos.



Publicado por Tovi às 14:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9

17

27
28
29

30
31


Posts recentes

Continuam os incêndios na...

Ainda a tragédia de Pedró...

Uma vergonha… na cidade d...

Aquilo anda mal por Aldoa...

Quinta da Aveleda

A estratégia de “Cavalo d...

Novas regras na venda de ...

O que faz falta... é um p...

Eu... nas Exposições Cani...

130ª Exposição Canina Int...

129ª Exposição Canina Int...

EMA na cidade do Porto?

Ana Lehmann, nova Secretá...

Debate parlamentar sobre ...

Mossul libertada

Três Secretários de Estad...

A Regionalização… segundo...

Porto... terra de Liberda...

Porto... terra de Liberda...

Inauguração da Sede de Ca...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus