"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Quarta-feira, 26 de Abril de 2017
Rottweiler ataca gravemente uma criança

728px-Train-Your-Rottweiler-Puppy-With-Simple-Comm

Uma criança de quatro anos foi ontem atacada por um cão de raça potencialmente perigosa, tendo sido transportada para o hospital em "estado muito grave". Segundo a PSP, o alerta foi dado pelas 10 horas de terça-feira depois de um grupo de pessoas ter sido atacado por um cão de raça Rottweiler na Rua Padre Manuel Bernardes, em Leça do Balio, Matosinhos. Segundo fonte oficial da autarquia, o animal tinha chip e estava legalizado, mas no momento do ataque o cão andaria na via pública sem trela e sem açaime, acompanhado do dono que, após o ataque, fugiu com o animal. À hora que escrevo este texto (15h35 de 25Abr2017) o cão que atacou a criança está recolhido no canil municipal e o dono está detido pela PSP.

De tempos em tempos lá voltamos a falar sobre os acidentes graves provocados por cães considerados “potencialmente perigosos”. A legislação vigente, de que uns gostam e outros não, estipula várias medidas obrigatórias para os detentores de cães das seguintes raças ou seus cruzamentos: Fila brasileiro, Pit bull terrier, Dogue argentino, Staordshire Bull Terrier, Rottweiller, Tosa Inu e Staordshire Terrier Americano. As condições legais para a sua posse são: O detentor destes cães tem de ser maior de 16 anos; É obrigatório ter uma licença especial, obtida anualmente, na junta de freguesia da área de residência; Para ter a licença é preciso que o animal tenha a vacina anti-rábica, estar identificado com um microchip e ter seguro de responsabilidade civil para o animal (capital mínimo de 50.000 Euros); O dono tem ainda de entregar o registo criminal e um termo de responsabilidade onde se declara conhecer a legislação, ter medidas de segurança no alojamento e historial de agressividade do animal. Condições de circulação: Os cães potencialmente perigosos ou perigosos (quando já feriram alguém ou têm carácter agressivo) só podem andar na rua conduzidos por maiores de 16 anos; O uso de açaime é obrigatório; É obrigatório circular na via pública com trela curta, até um metro, fixa a coleira ou peitoral.

 

   Comentários no Facebook

«Nuno Granja» - Quando inventarem uma app que detecte um dono mau com um cão bom para download gratis, podem ter estes cães, até lá proibição total e quanto outras raças, tolerância zero relativamente ao uso de trela. À tribo "quanto maios conheço as pessoas mais gosto dos animais" sugiro que vão para o FaceCao interagir com canídeos em vez de comentarem aqui. Post escrito pelo pai de uma menina que aos 4 anos foi perseguida por 3 cães, felizmente correu bem (excepto para um dos cães), mas podia ter corrido muito mal.

«Fernando Silva» - Já se falou de tudo, já se culpou o cão, a criança o dono, enfim. Como pai de duas crianças, proprietário de cães e treinador com mais de 30 anos de experiência, tenho uma opinião sobre o assunto: A única conclusão que tiro, é que cada vez mais Rotweillers, Pit Bulls, Dogues Argentinos, pastores Alemães, Serras da Estrela e tantos outros cães e raças catalogados ou não como "potencialmente perigosos" estão em más mãos. Temos em grande parte dos donos destas raças ou cães um perfil que não engana e acho que alguns não deviam sequer ter cão. O nestes casos o cão é muitas vezes uma extensão do carro todo "Kitado", das tatuagens até a pescoço, ou do gosto em ser observado e apontado na rua. Sim, porque parece que gostam de ver as pessoas a mudar de passeio ou a agarrar as mãos dos miúdos e a apontarem o cão e a raça em questão. Gostam e têm vaidade nisso. Mas são normalmente descuidados no treino, socialização e maneio dos seus cães. São estes que fazem com que estas notícias apareçam. Depois da lei polêmica dos cães das raças potencialmente perigosas aparecer, Depois de todo o alarido á volta da mesma. Depois da comunicação social usar todos os ataques destes cães, empolgando as notícias deixando sempres raça ou cão Ainda mais denegrida. Pergunto porque tanta gente ainda compra estes cães e se passeia com eles em lugares públicos. Se gostam tanto de cães porque não vão ao canil buscar um cão com aspecto diferente, porque não procuram outras raças? Ei gosto de ter um cão que suscite interesse nas pessoas por outro ponto de vista, o de ser amistoso, querido, fofinho e que provoque um sorriso na cara das pessoas. Que me permita soltá-lo na serra ou na praia e que as pessoas não se desviem dele ou me façam reparos por estar solto. Gostam que sejam educados, bem socializados com cães e pessoas. Os meus cães são assim.

«Filipe Vilhena» - Relativamente a este caso do Rottweiller q atacou 4 pessoas entre elas uma criança vou ser muito objetivo na minha analise...: 23 anos a treinar caes... mais de 10 Rotts de clientes... atualmente tenho 1 rott (o pacifico Boss mas que não deixa de ter o seu feitio que eu conheço e controlo / treino...!!!!)...! Conclusão: nem é aquilo q a comunicação quer q seja... nem aquilo q as associações de animais dizem q é...!!! É uma raça q geneticamente tem uma grande tendência para a proteção e consequente agressão, não há que o negar... e se por vezes tiverem donos que são autenticos assassinos temos uma mistura explosiva...!! Podemos ter rottweillers com diferentes comportamentos consoante o tipo de dono: 1- com donos "gunas" podem ser uma arma mortal... 2- com donos "inexperientes" podem ser imprevisiveis... 3- com donos "experientes" são cães vigilantes mas controlados.... Sinceramente neste caso acho que o cão foi fiel à "merda" de dono que tem..... e 0% culpado do que se passou... Ao contrario do q diziam as primeiras noticias, o cão não atacou deliberadamente (a comunicação social gosta do cão q ataca deliberadamente !!!) pois antes dos ataques houve uma discussão entre o pai da criança e o "artista" (dono do cão)... o desgraçado do cão agiu em defesa do dono, infelizmente com as consequencias conhecidas.... O cão não sabe nem percebe que tem um dono que é um perfeito idiota.... um chavalo de vinte e poucos anos que gosta daquele prazer de ter uma arma que o torna no super homem.....!!!! Analisem a postura dele... agride o pai da criança.... foge e deixa o cão em casa... volta ao local do crime com roupa diferente... e o cão é q é o culpado????? Se um gajo mata outro com uma pistola, esta tb vai ser abatida e a principal culpado pelo assassinato...??

«Carla Alves» - A tal merda que continuo a dizer... CULPA DO OTÁRIO DO DONO... MAIS 1 QUE VAI SER ABATIDO... PELA MERDA DE IRRESPONDABILIDADE DO DONO... também gosto de soltar os meus caes... em locais em que nao coloque ninguem em risco… (também não tenho caes que ataquem… vai tudo pela educação... treino... e MERDA do dono) Preparem se a polícia vai andar a caça da multa nos próximos dias

«Ana Sottomayor» - Tem tanta ou mais culpa o pai da criança que o dono do cão. Em vez de ter chamado a policia e pegado na filha e se afastado, não, decidiu entrar em confronto directo com dono do cão, com a filha no meio.

«David Ribeiro» - Dizer que "tem tanta ou mais culpa o pai da criança que o dono do cão" é negar aos cidadãos o direito à indignação. A lei e a moral cívica obrigavam o dono do cão a saber andar com um cão na rua, o que não aconteceu.

«Ana Sottomayor» - Ninguem disse que não David, no entanto não é de todo de uma pessoa inteligente entrar em confronto com a filha no meio. Se tivesse apenas chamado a policia isto não teria acontecido.

«David Ribeiro» - Não há desculpa para a atitude do dono do cão e embora me custe a aceitar o que muito provavelmente vai acontecer ao animal, a verdade é que espero que a Justiça tenha mão pesada para com este irresponsável cidadão.

«João Pereira» - David Ribeiro, tal como disse a Ana, a Justica poderia ter sido aplicada, sem k houvesse danos... Infelizmente este pai, tb tem culpa, nunca tirando a culpa ao dono do cao k nao cumpriu a lei... poderia e devia ter sido tudo resolvido doutra forma...!!! E a culpa é dos adultos presentes na cena... Pai e dono...!!!

«David Ribeiro» - Meu caro João Pereira, o pai da criança foi imprudente, seguramente, mas nunca poderá ser culpado do que aconteceu. Permita-me a seguinte comparação: Se um individuo durante um assalto fizer frente a um criminoso que está armado e este disparar e ferir terceiros, só quem disparou é que será legalmente considerado culpado.

«João Pereira» - Sem duvida, mas a questao legal tá resolvida... No caso dos assaltos, tamos todos devidamente instruidos pela sociedade, para adotar certos e determinados comportamentos... É nesse aspeto k o pai tem culpa... nao adotou os comportamentos corretos, e potenciou um desastre...!!! Tamos de acordo qto ao culpado, só nao estamos qto a negligencia do pai da criança...!!!

«Rottweiler Clube de Portugal» - O Rottweiler Clube de Portugal, vem por esta via lamentar mais um incidente com a raça Rottweiler, mostrando-se totalmente solidário com a vitima e respectiva família. O RCP, de forma categórica, condena os detentores de Rottweilers que por negligencia e desrespeito colocam em causa a vida de terceiros. Apenas uma criação responsável e selectividade de futuros detentores de Rottweiler, contribuirá para a minimização desta triste realidade em torno da raça.
NOTA: Se vai adquirir um Rottweiler consulte previamente o Rottweiler Clube de Portugal e os seus criadores.

 

   Porto Canal em 25Abr2017 às 22h15

Uma criança de nove anos foi hoje atacada por um cão em Arouca, mas "encontra-se estável" no Hospital de São João, no Porto, para onde foi transportada, disse à Agência Lusa fonte hospitalar. Em declarações à Lusa, o comandante dos Bombeiros de Arouca, José Gonçalves, referiu que foram chamados cerca das 16:15 para transportar uma criança do Serviço de Urgência Básico de Arouca para o Hospital de São João. Segundo o mesmo responsável, o menino terá sido atacado por um cão "arraçado de Serra da Estrela", que pertenceria à família da vítima, residente na freguesia de Moldes, no concelho de Arouca. "O cão arrancou uma orelha ao miúdo e fez-lhe um corte num ombro e num braço com os dentes", disse José Gonçalves.

 

   Sol em 26Abr2017 às 17h22

Uma criança, de três anos, foi atacada esta quarta-feira por um cão de Fila de São Miguel na Gafanha da Encarnação, em Ílhavo. O ataque aconteceu durante a hora de almoço na casa do avô, numa altura em que a criança estaria junto ao animal. O menor terá tentado entrar na casota do cão e acabou por ser atacado. O menino ficou gravemente ferido na face, tendo sido transportado para o hospital de Coimbra, onde está atualmente internado para ser submetido a uma cirurgia. O animal em causa, que nunca causou qualquer tipo de problemas, foi levado para o canil de Aveiro, no qual será abatido nos próximos 15 dias.



Publicado por Tovi às 08:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 8 de Abril de 2017
Acidente em fábrica de pirotecnia em Lamego

Explosão%20em%20fábrica%20de%20pirotecnia%20em%2

Mais uma vez, infelizmente, um acidente grave nas fábricas de pirotecnia do Norte. Foi na passada terça-feira, poucos minutos antes das 18 horas, que terríveis e ainda inexplicáveis explosões destruíram completamente uma fábrica de pirotecnia em Avões, freguesia de Penajóia, concelho de Lamego, mantando oito pessoas: o proprietário, uma sua filha, três genros e uma sobrinha, mais dois empregados. Na altura em que escrevo este texto (20h30 de 6Abr) ainda só se recolheram seis corpos, continuando as buscas no local para se encontrar os restos mortais de outros dois.
Nos últimos 12 anos, morreram 22 trabalhadores em acidentes em fábricas de fogo de artifício em Portugal. Muitas vezes as condições de segurança até existem, pois são obrigatórias para a legalização da actividade, mas as muitas encomendas nesta época do ano provocam pressas que fazem “esquecer” todas as normas. Não sei se foi o caso, mas é muito provável que tenha sido.

 

   Cronologia dos principais acidentes em pirotecnias

4 de Abril de 2017: Seis mortos e duas pessoas desaparecidas numa explosão numa fábrica de pirotecnia em Avões, Lamego.
9 de Março de 2017: Um morto numa explosão numa fábrica de pirotecnia em Mancelos, concelho de Amarante.
23 de Janeiro de 2014: Um homem de 42 anos morreu num paiol de uma fábrica de pirotecnia de Rio de Mouros, concelho de Penafiel.
12 de Agosto de 2010: Um morto num paiol da freguesia de Mancelos, concelho de Amarante.
30 Julho de 2010: Um morto numa fábrica de pirotecnia, em Amares.
4 de Maio de 2010: Um morto e dois feridos graves morrem num acidente numa fábrica em Canidelo, Vila do Conde.
17 de Fevereiro de 2010: Dois trabalhadores morrem em oficina de pirotecnia da Póvoa de Lanhoso.
7 de Agosto de 2008: Explosão numa oficina de Ponte de Lima causa ferimentos em oito trabalhadores, um dos quais acabou por falecer nove dias depois.
26 de Setembro de 2006: Morre um dos quatro feridos numa explosão numa fábrica de pirotecnia de Vila do Conde.
8 de Junho de 2006: O filho do dono de uma oficina da freguesia de Calde, Viseu, morre numa explosão que causou outros dois feridos.
30 de Junho de 2005: Explosão numa oficina de Nespereira Alta, S. Pedro do Sul, provoca três mortos e um ferido grave.
30 de Março de 2005: Morre uma funcionária numa explosão numa fábrica de S. Vicente de Ponte, Vila Verde.
31 de Janeiro de 2005: Explosão do paiol de uma fábrica de pirotecnia em S. Paio de Antas, Esposende, mata um trabalhador.



Publicado por Tovi às 08:28
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2017
Tragédia em Itália

Itália avalanche 19Jan2017 aa.jpg

  8h16 de hoje

Uma fonte das autoridades italianas avançou esta quinta-feira que "várias pessoas", um número para já indeterminado, morreram soterradas num hotel que foi atingido por uma avalanche na sequência de quatro sismos no centro montanhoso de Itália, na região de Abruzzo, na quarta-feira.

  11h59 de hoje

"O hotel está quase totalmente destruído. Chamamos as pessoas mas não se ouve qualquer resposta ou vozes. Continuamos a escavar para tentar encontrar sobreviventes”, refere Antonio Crocetta, membro de uma equipa de montanha envolvida nas operações de salvamento das cerca de 30 pessoas que se pensa estarem dentro do Hotel Rigopiano, numa estância de esqui na região italiana de Abruzzo, soterrado por uma avalanche. “Nós não temos conseguido fazer muito”, acrescentou nas declarações prestadas por telefone à agência Reuters. “O que resta do hotel está em risco de colapso”.

  18h00 de 20Jan2017

Para sete pessoas, incluindo duas crianças, o pesadelo teve final feliz. Abrigadas num canto da cozinha do hotel Rigopiano, reduzido a escombros após uma avalancha, foram encontradas 42 horas depois da tragédia pelas equipas de resgate, que tentam salvar outras três. Poucos acreditavam que fosse possível sobreviver. Abrigado num recanto, onde lhes foi possível manter uma pequena fogueira, o grupo composto por sete pessoas, entre as quais duas crianças, foi a boa notícia que já quase ninguém esperava (inicialmente foi divulgado que seriam oito pessoas, mas um balanço posterior corrigiu a informação). Após uma madrugada muito dura, em que, sob condições extremas de frio e dificuldades de acesso, 135 elementos das equipas de socorro insistiram em rebuscar nos escombros, chamando e revolvendo os destroços, na esperança de encontrar vida, o primeiro sinal de esperança surgiu em forma de fumo negro.

  10h35 de 21Jan2017

Os bombeiros anunciaram hoje ter retirado, do que resta do hotel soterrado pela neve, duas mulheres e um homem por volta das 3 horas (2 horas em Portugal continental). Dois dos dez sobreviventes continuam, contudo, retidos no interior do hotel coberto por uma montanha de neve, dois dias depois da tragédia, os quais conseguem ver através de uma sonda telescópica. As equipas de resgate procuram também incansavelmente 15 desaparecidos dos quais não vislumbraram ainda sinais de vida. Hoje, no decorrer das buscas, descobriram também o corpo sem vida de uma mulher. A vítima junta-se a outras duas, encontradas anteriormente, elevando para três o número de mortos. Na sexta-feira, os socorristas conseguiram retirar dos escombros com vida e de boa saúde uma mulher e quatro crianças, todos encaminhados para um hospital. Um menino de sete anos e a mãe foram salvos ao fim da manhã de sexta-feira da amálgama de neve e escombros do hotel Rigopiano, situado na encosta de uma montanha da região dos Abruzos. Foram as roupas de inverno e os fatos de ski que permitiram aos sobreviventes resistir sob os escombros e a neve, explicaram à imprensa os médicos do hospital de Pescara, na costa adriática, para onde foram transportados. As equipas de socorro referiram também o efeito "iglu", que isolou da neve quem ficou retido no hotel. Um primeiro grupo de seis sobreviventes foi localizado ao fim da manhã de sexta-feira numa bolsa de ar. Outras quatro pessoas foram em seguida encontradas, durante a tarde, noutro ponto.

  09h10 de 26Jan2017

As autoridades italianas decretaram o fim das buscas nas ruínas do hotel Rigopiano, atingido por uma avalanche na semana passada, após a recuperação dos últimos cadáveres que aumentaram para 29 o número de mortossendo que 11 pessoas conseguiram sobreviver à tragédia, entre os quais nove que foram retirados do hotel destruído pela avalanche.



Publicado por Tovi às 10:43
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 4 de Dezembro de 2016
A queda do avião da Chapecoense

A queda do avião da Chapecoense Nov2016.jpgAinda não está terminada a investigação ao acidente do voo da LaMia que transportava para a Colômbia a equipa brasileira de futebol do Chapecoense, na madrugada da passada terça-feira, causando a morte a 71 pessoas (22 jogadores, 22 dirigentes, membros da equipa técnica e convidados, 22 jornalistas e nove tripulantes), tendo sobrevivido três jogadores, dois tripulantes e um jornalista, mas já estão perfeitamente apurados os azares e más decisões que contribuíram para a queda deste avião.

 

   JN 12Dez2016

Autoridades confirmam que avião da Chapecoense não tinha combustível quando caiu
Ao que já foi apurado, o avião pilotado pelo boliviano Miguel Quiroga, que tinha partido da Bolívia em direção a Medellin, Colômbia, seguia no limite da capacidade de combustível, com autonomia para percorrer três mil quilómetros, quando o voo era de 2.985 quilómetros. Nas gravações de áudio - entretanto tornadas públicas - entre o piloto da aeronave e a torre de controlo de Bogotá, o profissional só alertou para uma situação de emergência às 21.45 horas, ou seja, quinze minutos antes da suposta hora de chegada. Uma atitude "negligente", na opinião do diretor da Aviação Civil da Colômbia, Alfredo Bocanegra. Por isso mesmo, especialistas em segurança aérea acreditam que o piloto do LaMia tenha, de forma "irresponsável", adiado o procedimento até ao último momento, de forma a evitar penalizações, comuns em casos de falha de combustível.

Falta de autonomia
A aeronave em que seguia a equipa da Chapecoense tem autonomia para 4.22 horas de voo, o equivalente a três mil quilómetros à velocidade de cruzeiro de 801 km/h. Calculando a rota entre Santa Cruz de la Sierra e Medellín, o voo deveria percorrer 2985 quilómetros, calcando, assim, o limite da autonomia. Quando caiu em Cerro Gordo, a 30 quilómetros de Medellín, no município de La Unión, o avião já tinha percorrido quatro horas e 15 minutos, restando-lhe apenas 15 minutos de reserva. De acordo com códigos internacionais de segurança, os pilotos devem ter no mínimo 30 minutos de combustível além do necessário o que, ao tudo indica, não aconteceu.

Prioridade de aterragem de outro avião
À falta de autonomia, o piloto de aviação comercial e especialista Carlos Camacho junta outro fator para a tragédia: um avião da VivaColombia pediu prioridade de aterragem "como medida preventiva", imediatamente antes do avião da LaMia. Seguindo o procedimento padrão, o piloto Miguel Quiroga voou em círculos enquanto aguardava pela pista, mas já era tarde. O avião perdeu altitude e acabou por cair. Este imprevisto poderá ter encurtado a margem de erro que, por si só, já era curta.

Velocidade do avião da LaMia
Para o especialista em aviação civil Lito Sousa, que falou à "Folha de São Paulo", a velocidade da aeronave, 263 quilómetros por hora, era mais reduzida do que a habitual num voo regular, sendo apenas justificada numa grande aproximação a uma pista de aterragem, o que não era o caso, visto que, na altura do acidente, o aeroporto de Medellín ainda estava a 30 quilómetros de distância.

A companhia aérea fez quatro voos no limite do combustível em seis meses
A falta de autonomia do avião acidentado, apontada como a causa provável da tragédia, já tinha ocorrido quatro vezes nos últimos seis meses, sendo que, nesses casos, as viagens superaram o tempo de autonomia do avião.

Miguel Quiroga já tinha feito o trajeto inverso com tempos de duração superiores
Entre agosto e novembro deste ano, Quiroga já tinha feito três vezes o trajeto inverso ao de esta terça-feira, ou seja, entre Medellín e Santa Cruz de la Sierra. Segundo o Diário Catarinense, que transcreve os dados do "Flightradar" - site especializado em tráfego aéreo -, em todas as viagens, o tempo de duração foi igual ou superior ao que a companhia informou nos seus planos de voo como limite de autonomia do avião.

Funcionária do aeroporto alertou tripulação para falta de combustível antes da descolagem
Uma funcionária da Administração de Aeroportos e Serviços Auxiliares de Navegação Aérea da Bolívia (Aasana) analisou o plano de voo e alertou a tripulação do avião da LaMia para o facto de o combustível ser insuficiente, ao perceber que o tempo de voo entre Santa Cruz de la Sierra (Bolívia) e o aeroporto de Medellín (Colômbia) era igual ao da autonomia de combustível do avião, 4.22 horas. Em resposta ao alerta e ao pedido de elaboração de plano alternativo, um representante da LaMia disse que havia falado com o piloto do avião e que conseguiriam fazer o trajeto em menos tempo. A funcionária, que tinha poderes para impedir o voo, foi afastada do cargo, informa a brasileira "Globo".

Piloto era dono da companhia
Além de piloto do avião, Miguel Quiroga era um dos dois sócios da microcompanhia aérea LaMia, que tinha apenas 15 funcionários, entre parentes e amigos, avança a "BBC". A empresa venezuelana tem outros aviões, mas este era o único que poderia voar, visto que os restantes se encontravam em reparações técnicas.

Filho do copiloto diz que avião não reabasteceu por causa de atraso
A LaMia não está autorizada a voar no Brasil, pelo que a Académica Chapecoense viajou num voo comercial de S. Paulo, no Brasil, para Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, de onde seguiriam, em "charter", para a Colômbia. Em entrevista ao site boliviano "El Deber", Bruno Gómez, de 18 anos, filho do copiloto Ovar Goytia, disse que o plano inicial era que o avião parasse na cidade de Cobija, norte da Bolívia, para reabastecer antes de seguir para Medellín. Mas um atraso no voo comercial que transportou a equipa de futebol de São Paulo até à Bolívia terá ditado a decisão de abastecer completamente o avião, evitando, assim, escalas até ao destino, dado que o aeroporto de Cobija não tem iluminação capaz de permitir aterragens noturnas.

Escolha da companhia aérea
A direção da Chapecoense reforçou na manhã desta quinta-feira que os critérios para a escolha da LaMia foram absolutamente técnicos, entre eles "a qualidade da aeronave, a mesma utilizada pela família real britânica, com todas as condições de segurança e conforto necessárias para viagens de curta e média distância." O representante do clube, Andrei Copetti, explicou ainda que o contacto inicial para a viagem do clube partiu da própria companhia aérea, experiente no transporte de equipas de futebol. "Eles procuraram-nos e ofereceram os seus serviços, e depois analisamos o custo benefício", explicou à imprensa brasileira. 



Publicado por Tovi às 09:00
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 18 de Novembro de 2016
Presos sete militares dos Comandos

Comandos aa.jpg

No dia de ontem foram enviados para o Estabelecimento Prisional Militar, em Tomar, um Tenente Coronel (director da prova), um Capitão (médico) e cinco instrutores (três tenentes e dois sargentos), todos detidos no âmbito dos inquéritos aos trágicos acontecimentos do 127º Curso de Comandos em que os militares Hugo Abreu e Dylan Silva perderam a vida.

 

  COMUNICADO Nº 40/2016 - 7Nov2016

EXÉRCITO PORTUGUÊS - DETENÇÃO DE MILITARES

Informa-se que, em 17 de novembro de 2016, a Polícia Judiciária Militar apresentou ao Comando do Exército mandados de detenção relativamente a sete militares, no âmbito do processo de inquérito instaurado pelo Ministério Público na sequência dos factos ocorridos durante o 127º Curso de Comandos.
Informa-se ainda que a apresentação dos mandados ao Comando do Exército decorre do previsto na lei quanto à detenção de militares no ativo e na efetividade de serviço.
Informa-se, por último, que Sua Excelência o Ministro da Defesa Nacional continua a acompanhar o assunto, em estreita ligação com Sua Excelência o General Chefe do Estado-Maior do Exército.

 

  Nota para a Comunicação Social - 17Nov2016

PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA

Gabinete da Procuradora-Geral da República

Curso de Comandos - Detenções

No âmbito do inquérito, dirigido pelo Ministério Público, onde se investigam as circunstâncias do treino que levaram à morte de alunos do curso de Comandos, estão em curso diligências, tendo sido emitidos mandados de detenção relativamente ao diretor da prova, ao médico e a cinco instrutores.
Estes militares são suspeitos da prática de crimes de abuso de autoridade por ofensa à integridade física (art.º 93.º do Código de Justiça Militar). Na sequência das detenções serão presentes ao juiz de Instrução Criminal para aplicação de medidas de coação.
Para além dos sete visados pelos mandados de detenção, o processo tem dois outros arguidos constituídos, também estes militares.
As investigações prosseguem, estando causa em factos susceptíveis de integrarem os já referidos crimes de abuso de autoridade por ofensa à integridade física (art.º 93.º do Código de Justiça de Militar) bem como de crimes de omissão de auxílio (art.º 200.º do Código Penal).
Nesta investigação, que corre termos no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, o Ministério Público é coadjuvado pela Polícia Judiciária Militar.

 

 Despacho do Ministério Público

Cândida Vilar, procuradora titular do caso das mortes no 127.º curso dos Comandos, considera que os militares indiciados trataram “os instruendos como pessoas descartáveis”. No documento é referido que face aos indícios da prática dos crimes de abuso de autoridade por ofensa à integridade física, “à personalidade dos suspeitos, movidos por ódio patológico, irracional contra os instruendos, que consideram inferiores por ainda não fazerem parte do Grupo de Comandos, cuja supremacia apregoam, à gravidade e natureza dos ilícitos”, o Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa entende que existe “perigos de continuação da atividade criminosa e de perturbação do inquérito”.

 

  Declarações do Ministro da Defesa

Azeredo Lopes reagiu à inédita detenção de sete militares dos Comandos, reafirmando a sua determinação em que a investigação do Ministério Público seja levada até às últimas consequências. “Não concebo que pudesse ser de outra forma”, disse o ministro, sublinhando não estar “a presumir rigorosamente nada”.

 

  21h00 – Campus da Justiça em Lisboa

Os cinco oficiais e dois sargentos dos comandos que foram detidos pela Polícia Judiciária Militar por suspeitas de abuso de autoridade, que levou à morte de Dylan Silva e Hugo Abreu, ficarão em liberdade a aguardar a acusação. A decisão é da juíza de instrução, depois de a procuradora Cândida Vilar, do DIAP de Lisboa, não ter pedido prisão preventiva para qualquer dos arguidos.



Publicado por Tovi às 07:52
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 8 de Novembro de 2016
Acidente grave... no Porto

CAM00665-1.jpg

Um acidente grave, ainda não eram oito da manhã de hoje, no cruzamento da rua do Rosário com a rua do Breyner, no Porto.

Mais umas fotos...

Acidente rua do Rosário - rua do Brayner 8Nov2016Acidente rua do Rosário - rua do Brayner 8Nov2016



Publicado por Tovi às 08:37
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 2 de Novembro de 2016
Relatório do acidente com o C-130 da FAP

Azeredo-Lopes-ministro-da-Defesa-2016.jpgO relatório de averiguações da Força Aérea Portuguesa ao acidente com um avião C-130 na Base Aérea do Montijo, que a 11 e Julho deste ano causou três mortos, diz expressamente que o acidente "ocorreu devido à impossibilidade da tripulação em controlar eficazmente a aeronave no decurso de uma manobra que visava treinar a interrupção da respetiva corrida de descolagem -- manobra designada de «aborto à descolagem»" e por isso a FAP considerou o acidente como ERRO HUMANO. Mas o ministro da tutela, Azeredo Lopes, já afirmou, e muito bem, que “não posso falar em erro humano, posso falar quando muito num fator humano envolvido no acidente mas em que daí não resulta um qualquer juízo de censura perante o que aconteceu. Estamos a testar situações limite e, nessas situações, a hipótese de não correr bem é uma hipótese que tem que se considerar como natural". Uma forma simples e clarividente de acabar com a mania das culpas serem sempre do “electricista” ou da “senhora da limpeza”.



Publicado por Tovi às 07:59
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 10 de Setembro de 2016
Militar morre em exercício no curso de Comandos

Exército Comandos.jpg

No passado dia 4 deste mês e de acordo com uma nota do Exército português, faleceu um militar que frequentava o 127º Curso de Comandos, após ter-se sentido “indisposto durante uma prova de tiro (tiro reactivo)” tendo sido de imediato assistido pelo médico que acompanhava a instrução e que lhe diagnosticou “um golpe de calor”. Três outros militares encontram-se no Hospital das Forças Armadas, dois deles no serviço de Medicina, sendo a sua situação clínica estável, não levantando cuidados de maior. O terceiro militar está na Unidade de Tratamentos Intensivos diagnosticado com “golpe de calor”. Um quarto foi transferido do Hospital do Barreiro para o Curry Cabral, em Lisboa, devido a complicações hepáticas. Na última quinta-feira o Chefe do Estado-Maior do Exército, general Rovisco Duarte, comunicou ao ministro da Defesa, Azeredo Lopes, a decisão de suspender os cursos de comandos até conclusão do inquérito técnico às causas dos acidentes, face à quantidade e gravidade dos acontecimentos que tem marcado a formação, tendo este membro do Governo divulgado publicamente esta resolução.

E em face disto tudo eu cá tenho muita dificuldade em entender a "qualidade" do médico militar que demora tanto tempo (mais de cinco horas) a mandar para um hospital instruendos em situação tão crítica.

 

  Comentários no Facebook

«Jose Riobom» >> Este sitio do FB começa a fazer concorrência desleal à crónica policial do" Você na TV "... só falta o Goucha e os "especialistas".... VIVA A DENÚNCIA SOCIAL.... FIM AOS DESAVERGONHADOS QUE POR AÍ PULULAM !!! - ...só para quem entende as minhas ironias....

«Raul Vaz Osorio» >> Claro, a culpa tinha que ser do médico 😛

«Jose Riobom» >> ....é sempre.... nem que não seja.. [Emoji wink;-)]

«Mario Ferreira Dos Reis» >> Raul, os medicos militares que conheci no meu tempo de militar nao me inspiravam confiança nenhuma ... So faziam o que hierarquia lhes dizia para fazer. Parece-me tambem que saiam das escolas médicas e iam directamente para o exercito sem fazerem o tempo de internos nos hospitais universitarios e nem todos os medicos estao ao mesmo nivel de formaçAo e capacidades profissionais. Eu acho que o David aqui tem razao que o rapaz nao teve uma assistencia atempada nao teve nao.

«Raul Vaz Osorio» >> Eu não sei se teve ou não. Não tenho elementos para avaliar isso. Tirar conclusões, a menos que se tenha acesso a informação que não está disponível ao público, parece-me francamente imprudente. Dou o desconto da silly season.

«David Ribeiro» >> Seguramente que não sou eu que dirá quem são os "culpados", mas diga-me lá, Raul Vaz Osorio, se para si que até é médico, lhe parece razoável que se demore tanto tempo a decidir enviar para um hospital alguém com sintomas de um grave golpe de calor.

«Raul Vaz Osorio» >> David, se há coisa que aprendi na vida é que, no que diz respeito a notícias sobre questões médicas, a única certeza que se pode ter é que o que lá vem não é verdade. A partir daí, podemos começar a tentar perceber.

«David Ribeiro» >> Então vamos lá começar a tentar perceber, esquecendo se isto já foi ou não noticiado... Detetar "golpe de calor" é elementar, não é?... Seis horas para evacuação é muito, não é?... Qualquer profissional de saúde sabe a gravidade de temperatura corporal muito elevada por tempo demasiado, não sabe?

«Raul Vaz Osorio» >> Não é assim. Até é algo difícil de diagnosticar, porque não tem um quadro típico, porque é essencialmente um diagnóstico de exclusão, porque é habitualmente um diagnóstico feito em velhos. Mas como disse, não tenho quaisquer elementos concretos que me permitam avaliar. Se me der uma cronologia razoavelmente rigorosa, posso começar a tentar formar uma opinião.

«Jose Riobom» >> Oh amigo... essa dos velhos é p'ra mim ? [Emoji wink;-)]

«Jorge Veiga» >> Jose Riobom acho que é!!! Kkkkk

 

 11h13 – Notícia de última hora

O militar dos Comandos transferido para Hospital Curry Cabral devido a problemas hepáticos morreu esta manhã, acaba de informar o Ministro da Defesa, Azeredo Lopes.



Publicado por Tovi às 09:21
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 9 de Setembro de 2016
Acidente de comboio português na Galiza

Galiza acidente de comboio português 9Set2016 aa.

Um comboio português procedente de Vigo e com destino ao Porto descarrilou nas imediações da estação espanhola de Porriño cerca das 8h30 de hoje (hora portuguesa), havendo neste momento (11h00 horas em Portugal) quatro mortos (entre estes o maquinista português) e vários feridos confirmados.

 

 14h17 (hora de Portugal)

Segundo informa a edição online do jornal “Faro de Vigo” as vítimas mortais deste acidente são o maquinista (José Arnaldo Moreira, português de 45 anos), o revisor (espanhol), um turista Norte-Americano e um jovem de 23 anos da cidade de Vigo, que deu entrada em estado muito grave no hospital Álvaro Cunqueiro, acabando por falecer. Os feridos são 48, sete dos quais com gravidade. Neste momento os bombeiros ainda trabalhavam na frente da locomotiva para desencarcerarem o maquinista. Os técnicos já acederam à “caixa negra” que irá permitir fazer luz sobre o sucedido. O presidente de Comboios de Portugal, Manuel Queiró, destacou numa sua declaração à comunicação social que "nada indica que o acidente fosse por uma falha humana". Segundo os primeiros dados o comboio descarrilou por um problema nas vias e chocou contra um poste de electricidade metálico, ficando um vagão tombado sobre a via e outros dois semi-voltados.



Publicado por Tovi às 11:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 26 de Julho de 2016
Tragédia de Custóias

...faz hoje 52 anos

Custóias acidente comboio 1966 aa.jpg

 

  Comentários no Facebook

«Jovita Fonseca» >> Num dia quente... como o de hoje!

«David Ribeiro» >> (in TrainLogistic.com) – 26Julho1964 - Desastre Ferroviário de Custóias - Na Linha do Porto à Póvoa e Famalicão, a unidade de cauda de uma composição formada por automotoras da Série 9300 dos Caminhos de Ferro Portugueses desengata-se do resto da composição, descarrilando e colidindo com um pontão. Este acidente foi provocado pelo excesso de peso devido a sobrelotação, embora também se aponte um possível excesso de velocidade como causa. Deste acidente resultaram entre 91 a 102 vítimas mortais.

«Jorge Veiga» >> Ainda me lembro de se falar disso...

«Jose Riobom» >> Pois... um dia negro na vida dos habitantes desde o Porto até à Póvoa de Varzim...

«Adao Fernando Batista Bastos» >> Nesse acidente ficaram feridos o meu irmão mais velho - Álvaro - e a namorada, Elisa; tinham ido até à praia na Póvoa Ficaram felizmente com poucas lesões, ainda que a Elisa internada alguns dias. Vieram a casar, passaram por Moçambique, têm 4 filhos, já há bisnetos... todos a viver em terras galegas há mais de 30 anos.!

«Duarte Leal» >> A minha mãe era Enfermeira e estava de serviço nesse dia. Foi muito complicado para os hospitais por falta de capacidade de resposta a um acidente com tantas vítimas. O Hospital de São João, construído havia pouco tempo, ainda não funcionava em pleno - longe disso - e, ao que parece, a urgência teve de abrir à pressa para ajudar no esforço. Os meios de emergência à época eram escassos, e o local de muito difícil acesso.



Publicado por Tovi às 08:58
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 13 de Junho de 2016
Criança em estado grave após ataque de pitbull

INEM aa.jpg

Estes ACIDENTES são sempre muito graves e necessitamos urgentemente de iniciar uma discussão pública e séria sobre a detenção dos chamados “cães potencialmente perigosos”. É óbvio que a maior parte das vezes os donos não têm as necessárias condições para manterem como “pet” um cão deste tipo, ou então são irresponsáveis e deverão por isso ser severamente punidos. E eu até estou à vontade para dizer isto, pois gosto destes cães a que genericamente chamam de “pitbull”.

  Notícia do JN

 

  Comentários no Facebook

«Rui Moreira» >> Creio que agora temos de fazer exames psicológicos ao pitbull para saber se tem culpa, ou se foi inadvertidamente. E, depois, se a criança sobreviver, proceder a uma acareação entre os dois. Está tudo doido... Ninguém tem condições para ter animais destes.

«Gonçalo Graça Moura» >> o problema é ao contrário, com a legislação absurda que temos estes cães passaram a ser criados quase exclusivamente no bas-fond pelo que ninguém sabe qual o grau de consanguinidade ou que linhas usadas, e, por causa da mesma lei, impede-se a correcta sociabilização destes animais e promove a estigmatização dos donos, só estranho é não haver muitos mais acidentes.

«David Ribeiro» >> No que toca aos chamados “pitbull” a Organização Canina Internacional FCI (Fédération Cynologique Internationale) só reconhece como “raça” as seguintes: Bull Terrier (GB), Miniature Bull Terrier (GB), Staffordshire Bull Terrier (GB) e American Staffordshire Terrier (USA). E estas muito pouco ou nada têm a ver com os "pitbull" que para aí andam.

«Gonçalo Graça Moura» >> e na maior parte dos casos das identificações como "pit bull" a única coisa que têm em comum é o terem quatro patas e cauda (como se identifica uma raça que não tem identidade morfológica?)...

«Raul Vaz Osorio» >> Para mim, e aprendi isto logo no meu primeiro ano a exercer Medicina, a regra é: crianças pequenas e cães grandes não se podem misturar. O caso que me ensinou esta máxima foi o de uma menina de 4 anos mordida pelo pastor alemão da casa na cabeça, cão que nada tinha de perigoso e nunca tinha feito mal a uma mosca. Morreu, mas não sem antes nos ter brindado com o seu encanto e com um sorriso triste nos ter pedido para não deixarmos isso acontecer. Teria hoje a mesma idade que a minha filha mais velha.

«Carlinhos da Sé» >> Esta notícia que o David Ribeiro aqui partilha daria, como diz o Povo, "pano para mangas"... Há muitos anos ouvi um velho amigo (veterinário) já falecido dizer que para ter um cão, os potenciais donos deveriam passar por um ensinamento tipo carta de condução... Depois passavam, ou chumbavam.

«Fatima Gabriel» >> Há uns 2 meses fui à dependência bancária onde tenho 2 tostões. De seguida entra um cliente um cão de porte grande.... com trela e quer o cão quer o dono com ar de civilizados de tal modo que, eu que tenho medo de cães, fiquei tranquila. Não passaram 10' sai um cliente acompanhado de 2 funcionarios e um poderoso cão (pareceu-me pastor alemão). Ambos os cães se cumprimentaram de forma sonora e nada amistosa, contrastando com a passividade dos donos e bancários. Claro refilei - Mas venho eu ao banco tratar de assuntos e levo com uma situação destas?????..... Escusado será dizer que um pedido de desculpa da entidade bancária zero e ainda fui a única personagem má deste insólito filme. E esta hem !!!!! como dizia o saudoso Fernando Pessa

«David Ribeiro» >> Há muitos anos que lido com cães… e com gente que tem cães, sendo que ainda hoje me irrita solenemente aqueles donos que têm prazer em ver o seu cão, seja ele de pequeno ou grande porte, a “fazerem-se” a outros cães. Qual será o prazer de ver um cão a tentar morder outro?... Parece-me frustrações de quem nunca teve corpinho para andar à estalada, quanto mais a entrar num arraial de porrada.

«Maria Manuela Cameira Cardita» >>Totalmente de acordo consigo, David Ribeiro!

«Nuno Granja» >> A minha filha (4 anos) foi atacada por 3 cães num parque público, nenhum era de raça perigosa e como pai foi a a situação mais complicada que passei. Neste momento estou em modo tolerância zero, com os cães e com os donos.

«Fatima Gabriel» >> Totalmente de acordo

«David Ribeiro» >> Infelizmente, caro Nuno Granja, há que ter “tolerância zero” com um grande número de donos de cães… E também já era tempo de se fiscalizar nas zonas públicas toda a regulamentação nacional que há sobre o "ter cão".

«Ricardo Castro Ribeiro» >> Em primeiro lugar, e partindo do princípio que é um Pitt.Bull (Raça proíbida de criar e na lista das raças perigosas), e como refere a peça jornalística, ficou com os donos após visita da GNR. Ora se ficou, é porque tem tudo em ordem no que se refere a papeis, vacinas, seguro, e o Registo Criminal do Proprietário limpo. Partindo daqui, não se pode opinar mais nada. Os cães, sejam de que raça forem, têm de ser educados, tratados com critério e estimados. Se de raça, com consciência de onde o comprou, as linhas de sangue, as doenças e problemas da raça. Não se pode opinar porque se desconheçe o que se passou. A criança não era da casa. O que se terá passado? Falar do que não se sabe é que não, e tirar conclusões, muito menos. Lamento muito pela criança. Ela é única inocente neste caso seguramente, mesmo que tenha feito algo ao cão (com dois anos não poderia fazer muito) Os adultos têm as responsabilidades todas. Já agora como complemento. A FCI, não é a única no Mundo a reconhecer raças e a definir estalões. A raça Pit-Bull Terrier está proibida, e portanto não existe, Porém, nos EUA, a raça Pitt-bull Terrier continua a existir, a ter estalão e a competir, no âmbito do United Kennel Club, do American Dog Breeder Association e All American Dog Registry. No caso do AMerican Kennel Club, o estalão é o do American Staffordshire Terrier. Os Amstaffs inclusivamente, competem nas exposições das outras Associações.

«Marta Brito» >> "...terá arranhado com as patas a menina de dois anos, num momento de distracção dos adultos, quando a criança corria na sua direcção. Terá ficado ferida numa orelha, tendo sido suturada. Além dos bombeiros, estiveram no local militares da GNR, que tomaram conta da ocorrência. O cão estava na casa dos proprietários, que eram amigos da mãe da criança. Aconteceu tudo em espaço privado", referiu fonte da GNR citada pela Lusa. Fonte da GNR adiantou ao JN que o cão ficou entregue à família e será agora alvo de exame por parte do veterinário municipal, para decidir as medidas a adotar. Se a menina fosse contra a bicicleta do menino... e se tivesse magoado numa orelha... Cambada de jornalistas atrasados mentais!!!!!! Gostava de ter um desses jornalistas imbecis aqui... para ele me chamar de pit!!!!!!

«Isabel Oliveira» >> comunicação social e a pior escumalha que existe fazem tudo por sensação sem apurar as verdadeiras razões. criticam julgam e ate matam

«Maria Madalena Paixão Marques» >> Mas o cão não atacou ninguém, arranhou com as unhas, a criança é pequena e teve que ser suturada numa orelha, não é o cão que está mal, são os adultos que deixaram que uma criança de 2 anos estivesse sem supervisão ao pé de um cão, que independentemente de ser pitbull ou caniche não deve estar sem supervisão ao pé de uma criança tão pequena.

«Ricardo Castro Ribeiro» >> A ética e cuidados jornalísticos estão cada vez mais ausentes. Reparem no titulo. Se entrarem agora na página, o titulo mudou. Uma vergonha a fase que o Jornalismo Português está a passar (espero que seja só uma fase)

«Maria Madalena Paixão Marques» >> Uma fase Ricardo, só se for para pior ...

«José Camilo» >> Não há jornalismo em Portugal. Isso acabou e a democracia também. Estou a falar daquela, da outra, da que eu fiz parte e os grandes magnatas ainda não se tinham interessado por notícias e publicidade nos campos de futebol.



Publicado por Tovi às 08:56
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 3 de Novembro de 2015
Porque caiu o avião da Metrojet?

Metrojet acidente 31Out2015 ae.jpg

Segundo fontes da companhia russa Metrojet tudo leva a acreditar que não foram causas técnicas ou erro do piloto que provocou o acidente, havendo fortes possibilidades da eventual deflagração de uma bomba.

 

  Comentários no Facebook

«Zé Carlos» >> Estão a deixar esses loucos do Estado Islâmico crescerem. Daqui a pouco ninguém tem mão neles.

«David Ribeiro» >> Os resultados das análises às caixas negras ainda não são do conhecimento público, permitindo para já todo o tipo de especulações. Por outro lado é ensurdecedor o silêncio dos israelitas sobre este acidente, sabendo todos nós que Israel tem toda esta zona perfeitamente monitorizada por mar, terra e ar.

 

  Al Jazeera 3Nov2015 8h43 GMT

Segundo as últimas notícias vinculadas pela Al Jazeera e pela NBC News um satélite de infravermelhos dos EUA detectou um flash de calor no momento em que o avião de passageiros russo caiu na península de Sinai, no Egipto, podendo ter sido algum tipo de explosão no próprio avião, ou num tanque de combustível ou mesmo uma bomba. As imagens de satélite descartam um ataque de mísseis superfície-ar.

Metrojet acidente 31Out2015 Al Jazeera3Nov2015 ab.

 

  Al Jazeera 7Nov2015 19h52 GMT

Metrojet acidente 31Out2015 AlJazeera 7Nov2015 aa.



Publicado por Tovi às 07:57
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 1 de Novembro de 2015
Avião da "Metrojet" despenhou-se no Egipto

Metrojet acidente 31Out2015 ac.jpg

Morreram todos os 224 passageiros e tripulantes do Airbus A321-200 da companhia russa “Metrojet” que se despenhou ontem nas montanhas da Península do Sinai, 23 minutos depois de ter levantado voo do popular resort egípcio de Sharm el-Sheikh com destino a São Petersburgo. O Estado Islâmico já reivindicou ter abatido o avião russo com um míssil, mas quer as autoridades egípcias quer as russas dizem ser muito pouco provável e tudo leva a crer ter-se tratado de uma falha técnica. Mas para já, e porque o seguro morreu de velho, as companhias Emirates, Lufthansa e Air France já suspenderam os seus voos sobre a Península do Sinai até à conclusão dos inquéritos que se irão realizar.

 

  Comentários no Facebook

«Joaquim Leal» >> A ser abatido só se foi por método de bagagem. Os bezerros não têm aquela "artilharia". Isso é mais para os lados da Ucrânia. ;P

«Fernando Duarte» >> os bezerros nem têm misseis para atingir aviões a essa altitude nem têm acesso a bagagens no Egipto, depois dos atentados que houve là, em particular em Sharm el cheik

«Carlinhos da Sé» >> Ó Leal, os "bezerros" podem até nem ter, mas não duvides que os bois da "CIA", que por ali andam, têm. Eu gostava de vos ver chamar "bezerros" cara a cara, não é por nada...

«David Ribeiro» >> Até ao momento tudo leva a crer ter sido por falha técnica este acidente aéreo na Península do Sinai, o mais mortífero da história da aviação russa, mas a notícia que os EUA estão a aumentar em quase 100 milhões de dólares a ajuda à oposição Síria, elevando o montante total para aproximadamente 500 milhões de US$ desde 2012, permite todo o tipo de especulações.

«Albertino Amaral» >> E porque não um pouco de "bluff", para criar medo?

«Francisco Santos» >> O avião já ia a 740 km/h e passou para 172 km/h num minuto… Também suspeito de quebra instantânea em voo.

Metrojet acidente 31Out2015 ad.jpg



Publicado por Tovi às 08:01
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 15 de Maio de 2015
Simulacro Anémona 2015

Simulacro Anémona 2015 c.jpg

Decorreu ontem o Simulacro Anémona 2015, um exercício de combate à poluição no mar, com acções na monobóia da Galp Energia, ao largo de Leixões, no porto de Leixões e praias de Matosinhos. Neste exercício simulou-se a contenção e a recolha de 750m3 de petróleo bruto tipo Sarir, derramado na sequência de uma falha estrutural no sistema de descarga do navio que fazia a trasfega através da monobóia, a limpeza de praia e do porto. Cerca de 420 pessoas estiveram directamente envolvidas na acção, com o apoio de navios e lanchas de combate à poluição do mar, meios aéreos para identificação e seguimento do poluente, recuperadores, barreiras, tanques portáteis, equipamento ligeiro de limpeza de praias, viaturas pesadas e ligeiras, tractores e equipamento de protecção individual.



Publicado por Tovi às 08:11
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 24 de Março de 2015
Acidente aéreo nos Alpes franceses

Avião acidente nos Alpes franceses 24Mar2015 b.jp

Primeira imagem divulgada por um jornal francês do local onde de despenhou hoje um Airbus A320 da companhia low cost alemã Germanwings com 150 pessoas a bordo.

Avião acidente nos Alpes franceses 24Mar2015 c.jp



Publicado por Tovi às 17:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9


27

28
29
30
31


Posts recentes

Rottweiler ataca gravemen...

Acidente em fábrica de pi...

Tragédia em Itália

A queda do avião da Chape...

Presos sete militares dos...

Acidente grave... no Port...

Relatório do acidente com...

Militar morre em exercíci...

Acidente de comboio portu...

Tragédia de Custóias

Criança em estado grave a...

Porque caiu o avião da Me...

Avião da "Metrojet" despe...

Simulacro Anémona 2015

Acidente aéreo nos Alpes ...

Catástrofe do Boeing da M...

As casas devolutas no Por...

Naufrágio de Barco de Pes...

Terrível acidente ferrovi...

Cargueiro encalhou em pra...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus