"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Quinta-feira, 20 de Julho de 2017
Novas regras na venda de animais de companhia

caes_e_gatos.jpg
Foi ontem aprovada na Assembleia da República, com a abstenção do CDS, o projecto de lei do PAN que vai não só regular a compra e venda de animais de companhia, mas também proibir o anúncio online de compra e venda de animais selvagens.
O texto legal prevê que as transacções de animais de companhia passem a obrigar a uma “declaração de cedência ou contrato de compra e venda do animal e respectiva factura”, ou, se for o caso, um “documento comprovativo de doação”. A transacção passa também a implicar o comprovativo de identificação electrónica e uma declaração do médico-veterinário, “que ateste que o animal se encontra de boa saúde e apto a ser vendido”. O diploma proíbe ainda a publicitação e venda online de animais selvagens. O projecto de lei que regula estas duas matérias prevê multas entre os 200 euros e os 3.740 euros para casos de incumprimento. Ainda no domínio dos animais de companhia, o parlamento aprovou, com a abstenção do PSD, um projecto de resolução do PAN que recomenda ao Governo que “proceda à publicação do despacho a fixar a data da constituição da obrigação de identificação de gatos”, dando cumprimento ao disposto na lei.

 

   Comunicado do Clube Português de Canicultura

Como é do conhecimento dos associados e dos canicultores em geral, o Clube Português de Canicultura tem vindo a acompanhar nos últimos anos a produção legislativa relacionada com a área da canicultura organizada.
Assim, tem vindo a intervir por si ou através da Plataforma Sociedade e Animais de que é fundador, na defesa do Livro de Origens, dos cães de raça, e dos seus criadores e utilizadores desportivos.
Tem sido dado conhecimento aos canicultores através de comunicados da Plataforma Sociedade e Animais, das várias diligências efectuadas junto dos Partidos com assento parlamentar, no sentido de sensibilizar os mesmos, para as implicações de algumas propostas legislativas que comportam impactos negativos, que se pretende impedir ou minorar.
A mais recente proposta de Lei de iniciativa do PAN, comportava vários aspectos que porventura se justificava regular, de que se realça a obrigatoriedade de fazer constar o LOP nos anúncios de venda de cães de raça, criando algumas obrigações para os anunciantes, quer sejam criadores quer sejam intermediários, visando moralizar o comércio on line, onde de forma recorrente surgem conflitos e publicidade enganosa.
Contudo, aquela proposta, por desconhecimento da realidade cinológica do país, revelou também aspectos prejudiciais e lesivos para o universo dos canicultores, levando o CPC a propor redacções alternativas e sugestões a outros partidos, de molde a alterar o texto inicial do projecto de lei, propondo mesmo, alterações e melhorias do normativo em vigor.
É da maior importância que os canicultores acompanhem estes projectos de lei que regularmente o PAN apresenta na Assembleia da República e que em muitos dos casos não contemplam os interesses da canicultura organizada e que a pretexto de regular algumas áreas, criam dificuldades aos agentes da cinofilía ou mesmo impedem que possam prosseguir a sua missão de selecção e melhoramento animal, pondo consequentemente em perigo a existência do Livro de Origens Português.
A referida proposta inicial do PAN (Projecto-Lei n.º 359/XIII/2ª) com vista a “Regular a compra e venda de animais de companhia e a compra e venda de animais de companhia, em estabelecimentos comerciais e através da internet” e a versão do “Texto Final apresentado pela Comissão de Agricultura e Mar” relativo ao referido Projecto de Lei poderão ser consultados através dos links disponibilizados, podendo constatar-se as diferenças a que a primeira versão se viu sujeita, devido à intervenção do Clube Português de Canicultura, e ao apoio de alguns partidos, nomeadamente do CDS, PSD e PCP.
Resumindo as questões mais relevantes que afectariam a canicultura e que se viram modificadas ou retiradas, por intervenção e contrapropostas do CPC, como segue:
Vinha proposta uma definição de criação comercial que atribuía automaticamente a actividade comercial a quem criasse e cedesse a título oneroso uma só cria, independentemente do espaço temporal em que tal ocorresse.
Assim bastaria vender um cachorro em toda a vida do criador para lhe ser atribuída a actividade profissional de criador comercial, quer fizesse disso profissão ou não.
Esta proposta por ser totalmente absurda, por não ponderar quantidades significativas vendidas, nem delimitar as vendas ao exercício fiscal, sobrepondo-se mesmo à vontade do cidadão na livre escolha da actividade que quer exercer, veio a ser alterada para um conceito correcto do ponto de vista jurídico, que respeite os direitos dos cidadãos.
A proposta de obrigatoriedade de Prestação de Garantia Acessória a prestar pelo vendedor, pelo seu exagero e consequências que podia acarretar, veio também a ser retirada. A versão proposta podia nalguns casos impor um ónus ao vendedor totalmente desproporcionado, podendo prolongar-se pelo período temporal da vida do animal com custos muito superiores ao próprio valor deste. A lei já estabelece os direitos e garantias gerais de que o comprador beneficia e a responsabilidade contratual é aferida caso a caso, razão pela qual, foi entendido retirar da proposta de lei a referida prestação acessória.
A proposta que condicionava a importação de animais a países que possuíssem normas de bem-estar equivalentes às que vigorassem em Portugal, também foi alterada, passando só a estar condicionada às normas de sanidade equivalentes, que são as que estão em vigor actualmente. De outro modo os canicultores ficariam impedidos de importar cães de países terceiros à UE, traduzindo-se isso numa restrição ao livre comércio internacional, prejudicando a melhoria de reprodutores e a selecção genética dos efectivos nacionais e criando constrangimentos insuperáveis em todas as áreas cinotécnicas desportivas.
Aproveitando a proposta de alterações à norma sobre Sanções acessórias, chamou-se à atenção de duas alíneas que constam no diploma em vigor e que violam os direitos fundamentais dos cidadãos, nas quais se estabelece:- a interdição do exercício de profissão ou actividade que dependa de título ou autorização ou homologação de entidade pública e a privação do direito a subsídio outorgado por entidades ou serviços públicos.
Pelas razões suscitadas foram as mesmas alteradas, por forma a condicionar as sanções às profissões e actividades reguladas no presente diploma e não quaisquer outras.
O trabalho desenvolvido no âmbito desta alteração legislativa levou o CPC a contribuir com inúmeras propostas alternativas para a correcção de erros notórios que prejudicariam a canicultura organizada, indo mesmo mais além, tentando corrigir algumas normas em vigor que carecem de melhorias, o que nem sempre foi conseguido, ainda assim, julgamos que o saldo foi francamente positivo e estamos convictos de ter prestado um serviço meritório à canicultura nacional.



Publicado por Tovi às 13:49
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 18 de Julho de 2017
Eu... nas Exposições Caninas Internacionais de LIsboa

ECI LIsboa 2017 Jul2017 aa.jpg
Um momento interessante, captado em foto pelo meu querido amigo José Rodrigues, onde estou com toda a atenção nas minhas tarefas de Comissário de Ringue num dos julgamentos das Exposições Caninas Internacionais de Lisboa deste ano e que se realizaram no Hipódromo do Campo Grande no último fim-de-semana.

 

   Comentários no Facebook

«Jose Riobom» - ...estás com ar de estadista.... ainda vais lá chegar....[Emoji wink;-)]

«Rafael Maciel Oliveira» - Já estás com ar de candidato?

«Luis Leal Pipa Brasil II» - Abraço David Ribeiro !

«Helena Serra» - Beijinhos David Ribeiro 😗😉

«Maria Helena Costa Ferreira» - Classe!

«Paula Botelho» - Não envelheces amigo.... Saudades!!!!!



Publicado por Tovi às 11:30
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 16 de Julho de 2017
130ª Exposição Canina Internacional de Lisboa

130 ECI LIsboa.jpg



Publicado por Tovi às 12:17
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 15 de Julho de 2017
129ª Exposição Canina Internacional de Lisboa

129 ECI Lisboa.jpg



Publicado por Tovi às 12:14
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 28 de Maio de 2017
Fúria de Duques Negros venceu a Taça de Mondioring

Mondioring 2017 ab.jpg

Ontem e hoje realizou-se no Estádio do Grupo Desportivo de Serzedelo (Guimarães) a Taça de Portugal de Mondioring 2017, prova final do Campeonato Nacional do Clube Português de Canicultura e selectiva para o Campeonato do Mundo. O grande vencedor desta prova (grau III) foi uma cadela “Pastor Belga Malinois” – Fúria de Duques Negros – de Celso Alves / CaneUtile.



Publicado por Tovi às 23:08
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 27 de Maio de 2017
Taça de Portugal de Mondioring

…este ano em Guimarães 

Mondioring 2017 aa.jpg



Publicado por Tovi às 11:51
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 30 de Abril de 2017
Castanheiros na Terra Fria

Vinhais Castanheiro 30Abr2017 ad.jpg

Tivemos hoje uma manhã fria e com chuviscos, alguma neve até, condições algo desagradáveis para a realização do Concurso Canino da Raça Cão de Gado Transmontano, que tem lugar anualmente na Moimenta, integrado na Feira Franca desta linda aldeia no limite norte do Parque Natural de Montesinho. Depois de um retemperador almoço na Casa da Corujeira, em Vinhais, e tendo deixado de chover, fomos dar um passeio – o Tour dos Castanheiros Milenares – onde fiquei deslumbrado com os dois soberbos exemplares de Castanea sativa Miller que se podem ver nas fotos que aqui publico. O maior destes exemplares tem uma altura total de 14 metros, um perímetro à altura de 1,3m de 12,8 metros e um diâmetro médio da copa de 17 metros.

 

   Parque Natural de Montesinho

mapa-Montesinho.jpg
“A riqueza natural e paisagística do maciço montanhoso Montesinho - Coroa e os valiosos elementos culturais das comunidades humanas que ali se estabeleceram justificam que urgentemente se iniciem ações com vista à salvaguarda do património e à animação sócio-cultural das populações”. Constitui este parágrafo o início do preâmbulo do Decreto-Lei nº 355/79, de 30 de agosto, que classificou a parte norte dos concelhos de Bragança e Vinhais como Parque Natural. Este estatuto justifica-se, tal como se pode ler no texto, face aos valores naturais, paisagísticos e humanos da região, à recetividade das autarquias locais para a salvaguarda do património dos seus territórios e às potencialidades de recreio e desporto ao ar livre que a região possui. Com a publicação do Decreto-Lei n.º 19/93, de 23 de janeiro, que criou o novo quadro de classificação das áreas protegidas nacionais, impôs-se a reclassificação do Parque Natural de Montesinho segundo os critérios aí estabelecidos. O preâmbulo do Decreto Regulamentar n.º 5-A/97 de 4 de abril, justifica essa reclassificação com a existência na área do Parque Natural de Montesinho de populações e comunidades animais representativas da fauna ibérica e europeia ainda em relativa abundância e estabilidade, incluindo muitas das espécies ameaçadas da fauna portuguesa, bem como uma vegetação natural de grande importância a nível nacional e mundial, que associadas à reduzida pressão humana verificada em quase todo o seu território permite que grande parte dos processos ecológicos evoluam em padrões muito próximos dos naturais. Referindo que todos estes valores, exemplares em termos de conservação da Natureza, justificam a aplicação de medidas de proteção adequadas a uma zona que constitui património nacional e europeu.

O que é um Parque Natural
Caracterização: Superfície - 74 229 ha
Localização: Situado no extremo nordeste português, o Parque Natural de Montesinho ocupa um quadrilátero bem encaixado na Sanábria espanhola, englobando as áreas das serras de Montesinho e Coroa, abrangendo a parte setentrional dos concelhos de Bragança e Vinhais, fazendo fronteira a nascente e a poente com Espanha.
Está confinado pelos meridianos 6º 30' 53'' e 7º 12' 9'' de longitude oeste de Greenwich, respetivamente a este e a oeste. A sul está limitado pelo paralelo 41º 43' 47'' de latitude norte e a norte pelo paralelo 41º 59' 24'' de latitude N.

Região Norte, Alto Trás-os-Montes, Distrito de Bragança, concelhos de: (*Só parte do território dentro da Área Protegida)
Bragança - freguesias: Aveleda, Babe*, Baçal*, Bragança (Sé), Carragosa, Castrelos*, Castro de Avelãs*, Deilão, Donai*, Espinhosela, França, Gimonde*, Gondesende*, Meixedo*, Parâmio, Quintanilha*, Rabal, Rio de Onor, S. Julião de Palácios*;
Vinhais - freguesias: Edral*, Fresulfe, Mofreita, Moimenta, Montouto, Paçó, Pinheiro Novo, Quirás, Santa Cruz, Santalha, Sobreiró de Baixo*, Soeira*, Travanca, Tuízelo*, Vila Verde*, Vila de Lomba*, Vilar de Ossos, Vilar Seco da Lomba, Vinhais*.
Esta área é constituída por uma sucessão de elevações arredondadas e vales profundamente encaixados, com altitudes que variam entre os 438 m e os 1481 m. Situado na terra fria transmontana, os xistos são as rochas dominantes, mas podem ainda ser encontrados granitos, rochas ultrabásicas e pequenas manchas calcárias.
A enorme diversidade da vegetação pode ser observada em percursos de poucos quilómetros, encontrando-se carvalhais, soutos, sardoais, bosques ripícolas, giestais, urzais, estevais, lameiros, etc.. Os carvalhais situados no Parque, dominados pelo carvalho-negral Quercus pyrenaica fazem parte de um continuum que se prolonga até à serra da Nogueira, constituindo uma das maiores e mais importantes manchas desta espécie. A flora é muito variada, devido à grande variabilidade geológica e climática que caracteriza esta zona, sendo de destacar as plantas que ocorrem em solos derivados de rochas ultrabásicas, onde se encontram espécies que no mundo apenas aqui podem ser observadas.
Em termos faunísticos, observa-se uma elevada diversidade biológica, resultante da diversidade de habitats que ocorrem nesta área de montanha. Com mais de 110 espécies de aves nidificantes, é uma área importante para as aves de rapina, como a águia-real (Aquila chrysaetus, existindo 3-4 casais desta espécie, correspondendo, aproximadamente, a 10% da população portuguesa. Estão referenciadas para o Parque Natural de Montesinho 70% das espécies de Mamíferos terrestres ocorrentes em Portugal, apresentando cerca de 10% destas espécies estatuto de ameaçado no Livro Vermelho dos Vertebrados Portugueses. É de destacar a presença de uma das mais importantes populações de lobo-ibérico Canis lupus. Em relação aos répteis e anfíbios, podem ser observados nesta área 50% dos endemismos Ibéricos existentes em Portugal continental.
O Parque Natural de Montesinho possui um rico património sociocultural com práticas quotidianas vindas de usos e costumes ancestrais, embora já marcadas pelas crescentes mobilidades das gentes e pelas inovações tecnológicas. As festas, são um exemplo disso, sendo um elo de ligação entre as aldeias e um pretexto para o reencontro de famílias e amigos. Têm especial valor as antiquíssimas "Festas dos Rapazes", realizadas principalmente na zona da Lombada por altura do Natal ou dos Reis, segundo o costume de cada aldeia. Outra das facetas da cultura regional é a música tradicional, que acompanha sempre as festividades e onde se destacam as sonoridades da gaita de foles.
São notáveis ainda os exemplos de arquitetura popular, que utilizando os materiais característicos de cada região, resultam de milhares de anos de aperfeiçoamento e adaptação ao meio ambiente. Há também aspetos exclusivamente funcionais na arquitetura popular dignos de destaque, como os pombais, os moinhos e as forjas do povo.



Publicado por Tovi às 23:07
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 29 de Abril de 2017
Monográfica do Cão de Gado Transmontano

Cão de Gado Bragança 29Abr2017 aa.jpg

Cá estão eles, alguns dos exemplares da raça Cão de Gado Transmontano, prontinhos para a Exposição Monográfica deste ano, hoje de manhã, em Bragança. Da parte de tarde, na Moimenta, teve lugar um muito participado Concurso Canino de Podengos.



Publicado por Tovi às 23:28
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 28 de Abril de 2017
Lá vou eu a caminho de Moimenta

Moimenta Abril2017 aa.jpg



Publicado por Tovi às 12:02
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 26 de Abril de 2017
Rottweiler ataca gravemente uma criança

728px-Train-Your-Rottweiler-Puppy-With-Simple-Comm

Uma criança de quatro anos foi ontem atacada por um cão de raça potencialmente perigosa, tendo sido transportada para o hospital em "estado muito grave". Segundo a PSP, o alerta foi dado pelas 10 horas de terça-feira depois de um grupo de pessoas ter sido atacado por um cão de raça Rottweiler na Rua Padre Manuel Bernardes, em Leça do Balio, Matosinhos. Segundo fonte oficial da autarquia, o animal tinha chip e estava legalizado, mas no momento do ataque o cão andaria na via pública sem trela e sem açaime, acompanhado do dono que, após o ataque, fugiu com o animal. À hora que escrevo este texto (15h35 de 25Abr2017) o cão que atacou a criança está recolhido no canil municipal e o dono está detido pela PSP.

De tempos em tempos lá voltamos a falar sobre os acidentes graves provocados por cães considerados “potencialmente perigosos”. A legislação vigente, de que uns gostam e outros não, estipula várias medidas obrigatórias para os detentores de cães das seguintes raças ou seus cruzamentos: Fila brasileiro, Pit bull terrier, Dogue argentino, Staordshire Bull Terrier, Rottweiller, Tosa Inu e Staordshire Terrier Americano. As condições legais para a sua posse são: O detentor destes cães tem de ser maior de 16 anos; É obrigatório ter uma licença especial, obtida anualmente, na junta de freguesia da área de residência; Para ter a licença é preciso que o animal tenha a vacina anti-rábica, estar identificado com um microchip e ter seguro de responsabilidade civil para o animal (capital mínimo de 50.000 Euros); O dono tem ainda de entregar o registo criminal e um termo de responsabilidade onde se declara conhecer a legislação, ter medidas de segurança no alojamento e historial de agressividade do animal. Condições de circulação: Os cães potencialmente perigosos ou perigosos (quando já feriram alguém ou têm carácter agressivo) só podem andar na rua conduzidos por maiores de 16 anos; O uso de açaime é obrigatório; É obrigatório circular na via pública com trela curta, até um metro, fixa a coleira ou peitoral.

 

   Comentários no Facebook

«Nuno Granja» - Quando inventarem uma app que detecte um dono mau com um cão bom para download gratis, podem ter estes cães, até lá proibição total e quanto outras raças, tolerância zero relativamente ao uso de trela. À tribo "quanto maios conheço as pessoas mais gosto dos animais" sugiro que vão para o FaceCao interagir com canídeos em vez de comentarem aqui. Post escrito pelo pai de uma menina que aos 4 anos foi perseguida por 3 cães, felizmente correu bem (excepto para um dos cães), mas podia ter corrido muito mal.

«Fernando Silva» - Já se falou de tudo, já se culpou o cão, a criança o dono, enfim. Como pai de duas crianças, proprietário de cães e treinador com mais de 30 anos de experiência, tenho uma opinião sobre o assunto: A única conclusão que tiro, é que cada vez mais Rotweillers, Pit Bulls, Dogues Argentinos, pastores Alemães, Serras da Estrela e tantos outros cães e raças catalogados ou não como "potencialmente perigosos" estão em más mãos. Temos em grande parte dos donos destas raças ou cães um perfil que não engana e acho que alguns não deviam sequer ter cão. O nestes casos o cão é muitas vezes uma extensão do carro todo "Kitado", das tatuagens até a pescoço, ou do gosto em ser observado e apontado na rua. Sim, porque parece que gostam de ver as pessoas a mudar de passeio ou a agarrar as mãos dos miúdos e a apontarem o cão e a raça em questão. Gostam e têm vaidade nisso. Mas são normalmente descuidados no treino, socialização e maneio dos seus cães. São estes que fazem com que estas notícias apareçam. Depois da lei polêmica dos cães das raças potencialmente perigosas aparecer, Depois de todo o alarido á volta da mesma. Depois da comunicação social usar todos os ataques destes cães, empolgando as notícias deixando sempres raça ou cão Ainda mais denegrida. Pergunto porque tanta gente ainda compra estes cães e se passeia com eles em lugares públicos. Se gostam tanto de cães porque não vão ao canil buscar um cão com aspecto diferente, porque não procuram outras raças? Ei gosto de ter um cão que suscite interesse nas pessoas por outro ponto de vista, o de ser amistoso, querido, fofinho e que provoque um sorriso na cara das pessoas. Que me permita soltá-lo na serra ou na praia e que as pessoas não se desviem dele ou me façam reparos por estar solto. Gostam que sejam educados, bem socializados com cães e pessoas. Os meus cães são assim.

«Filipe Vilhena» - Relativamente a este caso do Rottweiller q atacou 4 pessoas entre elas uma criança vou ser muito objetivo na minha analise...: 23 anos a treinar caes... mais de 10 Rotts de clientes... atualmente tenho 1 rott (o pacifico Boss mas que não deixa de ter o seu feitio que eu conheço e controlo / treino...!!!!)...! Conclusão: nem é aquilo q a comunicação quer q seja... nem aquilo q as associações de animais dizem q é...!!! É uma raça q geneticamente tem uma grande tendência para a proteção e consequente agressão, não há que o negar... e se por vezes tiverem donos que são autenticos assassinos temos uma mistura explosiva...!! Podemos ter rottweillers com diferentes comportamentos consoante o tipo de dono: 1- com donos "gunas" podem ser uma arma mortal... 2- com donos "inexperientes" podem ser imprevisiveis... 3- com donos "experientes" são cães vigilantes mas controlados.... Sinceramente neste caso acho que o cão foi fiel à "merda" de dono que tem..... e 0% culpado do que se passou... Ao contrario do q diziam as primeiras noticias, o cão não atacou deliberadamente (a comunicação social gosta do cão q ataca deliberadamente !!!) pois antes dos ataques houve uma discussão entre o pai da criança e o "artista" (dono do cão)... o desgraçado do cão agiu em defesa do dono, infelizmente com as consequencias conhecidas.... O cão não sabe nem percebe que tem um dono que é um perfeito idiota.... um chavalo de vinte e poucos anos que gosta daquele prazer de ter uma arma que o torna no super homem.....!!!! Analisem a postura dele... agride o pai da criança.... foge e deixa o cão em casa... volta ao local do crime com roupa diferente... e o cão é q é o culpado????? Se um gajo mata outro com uma pistola, esta tb vai ser abatida e a principal culpado pelo assassinato...??

«Carla Alves» - A tal merda que continuo a dizer... CULPA DO OTÁRIO DO DONO... MAIS 1 QUE VAI SER ABATIDO... PELA MERDA DE IRRESPONDABILIDADE DO DONO... também gosto de soltar os meus caes... em locais em que nao coloque ninguem em risco… (também não tenho caes que ataquem… vai tudo pela educação... treino... e MERDA do dono) Preparem se a polícia vai andar a caça da multa nos próximos dias

«Ana Sottomayor» - Tem tanta ou mais culpa o pai da criança que o dono do cão. Em vez de ter chamado a policia e pegado na filha e se afastado, não, decidiu entrar em confronto directo com dono do cão, com a filha no meio.

«David Ribeiro» - Dizer que "tem tanta ou mais culpa o pai da criança que o dono do cão" é negar aos cidadãos o direito à indignação. A lei e a moral cívica obrigavam o dono do cão a saber andar com um cão na rua, o que não aconteceu.

«Ana Sottomayor» - Ninguem disse que não David, no entanto não é de todo de uma pessoa inteligente entrar em confronto com a filha no meio. Se tivesse apenas chamado a policia isto não teria acontecido.

«David Ribeiro» - Não há desculpa para a atitude do dono do cão e embora me custe a aceitar o que muito provavelmente vai acontecer ao animal, a verdade é que espero que a Justiça tenha mão pesada para com este irresponsável cidadão.

«João Pereira» - David Ribeiro, tal como disse a Ana, a Justica poderia ter sido aplicada, sem k houvesse danos... Infelizmente este pai, tb tem culpa, nunca tirando a culpa ao dono do cao k nao cumpriu a lei... poderia e devia ter sido tudo resolvido doutra forma...!!! E a culpa é dos adultos presentes na cena... Pai e dono...!!!

«David Ribeiro» - Meu caro João Pereira, o pai da criança foi imprudente, seguramente, mas nunca poderá ser culpado do que aconteceu. Permita-me a seguinte comparação: Se um individuo durante um assalto fizer frente a um criminoso que está armado e este disparar e ferir terceiros, só quem disparou é que será legalmente considerado culpado.

«João Pereira» - Sem duvida, mas a questao legal tá resolvida... No caso dos assaltos, tamos todos devidamente instruidos pela sociedade, para adotar certos e determinados comportamentos... É nesse aspeto k o pai tem culpa... nao adotou os comportamentos corretos, e potenciou um desastre...!!! Tamos de acordo qto ao culpado, só nao estamos qto a negligencia do pai da criança...!!!

«Rottweiler Clube de Portugal» - O Rottweiler Clube de Portugal, vem por esta via lamentar mais um incidente com a raça Rottweiler, mostrando-se totalmente solidário com a vitima e respectiva família. O RCP, de forma categórica, condena os detentores de Rottweilers que por negligencia e desrespeito colocam em causa a vida de terceiros. Apenas uma criação responsável e selectividade de futuros detentores de Rottweiler, contribuirá para a minimização desta triste realidade em torno da raça.
NOTA: Se vai adquirir um Rottweiler consulte previamente o Rottweiler Clube de Portugal e os seus criadores.

 

   Porto Canal em 25Abr2017 às 22h15

Uma criança de nove anos foi hoje atacada por um cão em Arouca, mas "encontra-se estável" no Hospital de São João, no Porto, para onde foi transportada, disse à Agência Lusa fonte hospitalar. Em declarações à Lusa, o comandante dos Bombeiros de Arouca, José Gonçalves, referiu que foram chamados cerca das 16:15 para transportar uma criança do Serviço de Urgência Básico de Arouca para o Hospital de São João. Segundo o mesmo responsável, o menino terá sido atacado por um cão "arraçado de Serra da Estrela", que pertenceria à família da vítima, residente na freguesia de Moldes, no concelho de Arouca. "O cão arrancou uma orelha ao miúdo e fez-lhe um corte num ombro e num braço com os dentes", disse José Gonçalves.

 

   Sol em 26Abr2017 às 17h22

Uma criança, de três anos, foi atacada esta quarta-feira por um cão de Fila de São Miguel na Gafanha da Encarnação, em Ílhavo. O ataque aconteceu durante a hora de almoço na casa do avô, numa altura em que a criança estaria junto ao animal. O menor terá tentado entrar na casota do cão e acabou por ser atacado. O menino ficou gravemente ferido na face, tendo sido transportado para o hospital de Coimbra, onde está atualmente internado para ser submetido a uma cirurgia. O animal em causa, que nunca causou qualquer tipo de problemas, foi levado para o canil de Aveiro, no qual será abatido nos próximos 15 dias.



Publicado por Tovi às 08:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 14 de Março de 2017
Para quem gosta de cães

A “Dança com Cães”, conhecida oficialmente na Fédération Cynologique Internationale (FCI) e no The Kennel Club (Reino Unido) como “Freestyle”, é um desporto canino onde o dono dança com o seu cão, ao som de uma música e com uma coreografia ensaiada. Tecnicamente falando o dono realiza movimentos sincronizados com o seu cão que criam a ilusão de que estão dançando. O cão fica atento o tempo todo à música e aos gestos do seu dono e assim excuta os movimentos com precisão, sendo que há alguns movimentos obrigatórios, como por exemplo a passagem por baixo das pernas do humano e noutra altura do exercício saltar por cima dele.

Este vídeo é da equipa italiana concorrente ao CRUFTS deste ano, o mais importante evento canino mundial e que se realiza anualmente em Birmingham, no Reino Unido.



Publicado por Tovi às 09:27
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Sábado, 11 de Março de 2017
No Porto é assim... e muito bem

17098312_10155146016662320_8363406065062921574_n.j



Publicado por Tovi às 21:45
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017
Apresentação dos Juízes de "Porto Dog Show 2017"

ECI Norte 2017 af.jpg

ECI Norte 2017 ag.jpg



Publicado por Tovi às 09:57
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 17 de Janeiro de 2017
As minhas queridas comissárias...

...que tanto me ajudaram na cerimónia oficial de Apresentação dos Juízes das Exposições Caninas Internacionais do Norte, na Exponor, neste último fim-de-semana.
Que mais havia eu de querer para ser feliz? Obrigado, minhas queridas

ECI Norte 2017 ab.jpg



Publicado por Tovi às 11:06
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 15 de Janeiro de 2017
85ª Exposição Canina Internacional do Norte

ECI Norte 2017 BIS domingo aa.jpg



Publicado por Tovi às 22:44
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9


23
24
25
26
27
28

29
30
31


Posts recentes

Novas regras na venda de ...

Eu... nas Exposições Cani...

130ª Exposição Canina Int...

129ª Exposição Canina Int...

Fúria de Duques Negros ve...

Taça de Portugal de Mondi...

Castanheiros na Terra Fri...

Monográfica do Cão de Gad...

Lá vou eu a caminho de Mo...

Rottweiler ataca gravemen...

Para quem gosta de cães

No Porto é assim... e mui...

Apresentação dos Juízes d...

As minhas queridas comiss...

85ª Exposição Canina Inte...

84ª Exposição Canina Inte...

Hoje no Porto: mínima 10º...

Displasia da anca no cão

Morreu Manuel Loureiro Bo...

Fort Simon - Fortress Hil...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus