"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Domingo, 26 de Março de 2017
Relações tensas entre Angola e Portugal

0917580dc-c0d1-4763-b06b-ca9186beb549-r-NjQweDM0MwSó conheci “in loco” a República Popular de Angola já estava no poder o José Eduardo dos Santos, pois a verdade é que só cheguei a Luanda, para lá trabalhar durante dois anos, pouco tempo antes do 2º Congresso do MPLA, durante o qual “foi analisada a situação política, económica e social do país vivida nos últimos 10 anos de independência”, tendo os congressistas chegado à conclusão “da necessidade do partido elevar a formação política e ideológica dos seus membros e melhorar a capacidade de direcção dos seus quadros”. E nós portugueses, quarenta e um anos depois da independência da Angola, continuamos a ser tratados pelas elites angolanas como se ainda fossemos os “colonizadores”, esquecendo-se aquela gente que é por cá e com a ajuda de alguns (muitos) corruptos “tugas” que eles conseguem não só lavar o dinheiro sujo que ganham à custa do pobre Povo angolano mas também passearem todo a sua opulência pelos locais mais caros cá do sítio. Nesta altura há uma tensão entre os dois Estados, motivada pelo facto do Ministério Público de Portugal ter iniciado um processo judicial contra o actual vice-presidente da Angola, Manuel Domingos Vicente, acusando-o de "corrupção activa, branqueamento de capitais e falsificação de documentos" na época em que foi presidente da Sonangol, empresa angolana do ramo petrolífero. Que se faça Justiça… que ao contrário do que muitos dizem, este jardim-à-beira-mar–plantado ainda é um Estado de Direito.



Publicado por Tovi às 17:06
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 20 de Agosto de 2016
VII Congresso do MPLA

Angola congresso Ago2016 aa.jpg
Em pleno VII Congresso do MPLA, que está a decorrer em Luanda, José Eduardo dos Santos disse: “Não devemos confundir os empresários com os supostos empresários que constituem ilicitamente as suas riquezas, recebendo comissões a troco de serviços que prestam ilegalmente a empresários estrangeiros desonestos, ou que façam essas fortunas à custa de bens desviados do Estado ou mesmo roubados".

Lindo de se ouvir… mas deve ser só para congressista ouvir

 

 Comentários no Facebook

«José Luis Moreira» >> Como soi dizer-se aqui na Galiza..."Manda Carallo!!!"

«Mário Almeida» >> Deve estar a referir-se aos Generais e amigos do seu partido que são o seu garante da manutenção no poder.



Publicado por Tovi às 17:55
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 29 de Março de 2016
O que mais faltará para ser uma ditadura?

Angola 17 ativistas presos Mar2016 aa.jpg

Depois de uma “Luta Armada de Libertação Nacional” de 13 longos anos e uma descolonização atabalhoada, a que se seguiu uma guerra fratricida entre MPLA e UNITA, com início em 1975 e que só terminou em Abril de 2002 com a morte de Jonas Savimbi, o regime angolano chefiado por José Eduardo dos Santos sempre lidou mal com as liberdades fundamentais dos cidadãos. Esta semana Angola condenou 17 activistas do “direito à oposição” a penas de prisão efectiva, que vão de dois anos e três meses a oito anos e meio, por “co-autoria de actos preparatórios para uma rebelião e atentado contra o Presidente da República, por falsificação de documentos e associação criminosa”. Se o regime angolano tratasse mas é de acabar com a pobreza dominante entre uma riqueza chocante, é que fazia bem.

  Penas aplicadas pelo tribunal de primeira instância:
Domingos da Cruz Maninho, oito anos e seis meses de prisão efectiva;
Luaty Beirão, cinco anos e seis meses de prisão efectiva;
Nuno Álvaro Dala, Sedrick de Carvalho, Manuel Chivonde Nito Alves, Inocêncio de Brito, Laurinda Manuel Gouveia, Fernando António Tomás “Nicola”, Mbanza Hamza, Osvaldo Sérgio Correia Caholo, Arante Kivuvu, Albano Evaristo Bingo, Nelson Dibango Santos, Itler Samassuku e José Gomes Hata, quatro anos e seis meses de prisão efectiva;
Rosa Conde e Dito Dalí (Benedito Jeremias), dois anos e três meses de prisão efetiva.

 

  Comentários no Facebook

«Zé Carlos» >> Complicadas as coisas em Angola

«David Ribeiro» >> São e sempre foram Zé Carlos. Em 1985, estava eu a trabalhar no Ministério dos Petróleos em Luanda, o II Congresso Ordinário do MPLA determinava a “necessidade de o Partido elevar a formação política e ideológica dos seus membros e melhorar a capacidade de direcção dos seus quadros” esquecendo-se completamente das necessidades básicas do Povo. Nos meses seguintes a cidade de Luanda era invadida pelos “da mata”, soldados combatentes que vinham ocupar os lugares de polícia da capital e nos lugares de chefia da hierarquia do Estado era exactamente a mesma coisa. Era a altura, na minha opinião de simples “estrangeiro residente”, de se iniciarem as transformações políticas, económicas e sociais necessárias, mas a guerra com a Unita desculpava tudo… e também ainda havia cubanos e soviéticos por lá, o que fazia toda a diferença. Mas a guerra civil acabou e as coisas até pareciam ir levar outro rumo… mas continuou tudo praticamente na mesma: os ricos cada vez mais escandalosamente ricos e os pobres cada vez mais na miséria. Até quando?

«Zé Carlos» >> Pois, uma tragédia nunca vem só e a transferencia de soberania para as ex colónias foi um desastre, para os que lá estavam e para os que tiveream de fugir

«Humberto Moreira» >> Estes anormais cavam a sepultura do proprio regime e crian o seu proprio golpe de estado que os destituirá !



Publicado por Tovi às 10:05
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 15 de Outubro de 2013
O fim da parceria estratégica de Angola com Portugal

{#emotions_dlg.sidemouth} Vamos ficar a perder, sem dúvida  - "O Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, anunciou hoje em Luanda o fim da parceria estratégica com Portugal, durante o discurso sobre o estado da Nação, na Assembleia Nacional de Angola."


«Valdemar Morais» no Facebook >> Também com um ministro daqueles, recordo que na última cimeira da CPLP em Maputo, o Paulo Portas faltou.

«David Ribeiro» no Facebook >> Angola tem graves problemas na implementação da democracia, tem distribuição de riqueza típica de países do terceiro mundo, mas ainda vai dando trabalho a muitos portugueses. Um bom relacionamento de Portugal com esta antiga colónia só nos seria favorável.

«Valdemar Morais» no Facebook >> O problema de Angola, é dos angolanos.

«Rui Lopes A. D'Orey» no Facebook >> Agora que somos nós a ser colonizados por eles, qual é o problema?

«David Ribeiro» no Facebook >> Claro que sim, Valdemar Morais, até porque Angola é um país soberano. Mas "parcerias estratégicas" são necessárias para a economia de um país europeu periférico, com é Portugal. Na minha área profissional de actuação - refrigeração industrial - uma grande parte dos negócios existentes hoje em dia são para obras em território angolano e feitas por técnicos portugueses com equipamentos vendidos por empresas portuguesas.

«Valdemar Morais» no Facebook >> Isto é mais profundo, espero que o PR, como responsável máximo da política externa portuguesa se manifeste.

«David Ribeiro» no Facebook >> Tenho sérias dúvidas que de Belém saia algo de interessante nesta matéria. Mas vamos aguardar.

«Valdemar Morais» no Facebook >> Sabe, amigo David, o grande problema é que os nossos governantes saíram das " jotas " sabem pouco de tudo, mas sobretudo, sabem pouco de PORTUGALIDADE.

«David Ribeiro»  no Facebook >> Sem dúvida, Valdemar... Sem dúvida.

«Raul Vaz Osorio» no Facebook >> Em primeiro lugar, isto é só fogo de vista. As relações entre Portugal e Angola são económicas e financeiras e ninguém vai querer estragar isso. Esta declaração não passa de uma tentativa de pressionar a Justiça portuguesa sobre o caso dos altos dignitários angolanos envolvidos num caso de branqueamento de capitais.

«Valdemar Morais» no Facebook >> Pronto, está resolvido.

«Albertino Amaral» no Facebook >> Oxalá, o Governo não tenha arranjado "lenha para se queimar". A esperteza saloia ainda nos vai ficar mais cara....

«Mario Pinheiro» no Facebook >> Espero ouvir agora o sr Machete aos microfones da Rádio Nacional de Angola

«Raul Vaz Osorio» no Facebook >> Albertino Amaral, esse tipo de abjecta subserviência é precisamente o que este gangster está a tentar explorar. Você é um vertebrado, comporte-se como tal!

«Jose Antonio Salcedo» no Facebook >> Concordo com a perspectiva do Raul - é mais um factor de pressão sobre a Justiça. Dado o fim do regime angolano estar próximo, prevejo que a lavagem de dinheiro roubado em Angola e 'investido' em Portugal até acelere nos próximos dois anos. De qualquer forma, Passos Coelho tem agora a oportunidade ideal para despedir Rui Machete por incompetência.

«Luis Paiva» no Facebook >> O PR não é o "responsável máximo da política externa portuguesa". O responsável é o PM, com a obrigação de manter o PR informado; No fundamental, estou de acordo com Raul Vaz Osorio, sendo que, no caso, há que acrescentar um detalhe - o complexo edipiano de matar o pai... O interesse português no bom relacionamento com as ex-colónias nunca se pode vergar às circunstâncias de(o) momento. Infelizmente, a nossa política externa nunca foi exemplar e, desde o 25A, têm sido bem mais os oportunistas que os estadistas...

«Albertino Amaral» no Fcebook >> Raul Vaz Osório, permita-me que lhe solicite o favor de ser um pouco mais explicito no comentário acima, onde por sinal mencionou o meu nome. É só uma explicação que lhe peço. Obrigado

«Fernando Duarte» no Facebook >> TODOS PARA ANGOLA, JÁ E EM FORÇA!

«Raul Vaz Osorio» no Facebook >> Albertino o seu comentário exprime "medo das consequências" face à inqualificável declaração do cleptocrata Santos. Não há que ter medo de nada, nem de lenha para se queimar nem do preço da "esperteza". A dignidade não tem preço e quem tem espinha não se verga a ventos destes. Era isso que eu queria dizer :)

«Fernando Kosta» no Facebook >> E que tal nacionalizar os bens angolanos em Portugal?

«Albertino Amaral» no Facebook >> Caro Raul Vaz Osorio, desde já obrigado pela receptividade ao meu pedido de esclarecimento. Pois bem, o que me fez colocar-lhe a questão, porque em boa verdade não tenho o prazer sequer de o conhecer, foi a forma rude como abordou o meu comentário, sobretudo na recomendação sobre o meu comportamento. Fique pois Vexa. a saber, que dificilmente alguém me dá lições de postura, ou sequer de moralidade. Por outro lado, subserviência foi característica que nunca assumi com ninguém e muito menos abjecta. Finalmente, permita-me que lhe diga o quanto lamento que o senhor ou outros, só agora tenham tido essa sensibilidade para se pronunciar sobre o Presidente de Angola, só porque ele assumiu uma postura que está relacionado com uma qualquer bestialidade cometida pelo nosso Ministro dos Negócios Estrangeiros, que melhor teria feito se estivesse calado, ou seja, se não se "armasse em chico esperto ". Nada tenho a favor ou contra Angola, nem sequer qualquer ínfima ligação, se por acaso lhe interessa saber a minha cor, mas não posso esquecer quantos angolanos estão neste momento em Portugal e sobretudo quantos portugueses estão neste momento em Angola, porque esses é que poderão sofrer na pele as consequências destas atitudes. Por outro lado, o momento que Portugal atravessa não é favorável a essa arrogância e prepotência que o Raul Osorio está a demonstrar. Resta-me dizer-lhe que pelo que li, vi e ouvi durante o dia de hoje, só o senhor foi excepção no que concerne à preocupação nas relações futuras entre Portugal e Angola. Por fim, deixe-me esclarecê-lo que eu, Albertino Amaral, já estou totalmente isento de qualquer medo, isto é, já não tenho medo de nada nem de ninguém, face a tudo pelo que já passei e estou a passar como tantos Portugueses. Fique bem e aceite os meus cumprimentos.

«Vítor Teixeira» no Facebook >> que se entendam são todos brancos, apesar dos tons de pele.

«David Ribeiro» no Facebook >> {#emotions_dlg.star} "A pressão feita pelo Presidente angolano deveria, em tese, ter uma resposta firme. Mas Portugal já não consegue. Não tem ânimo. Nem nisto se põe de acordo. Está podre. (...) Andámos de mão estendida - agora humilhemo-nos!", escreve Henrique Monteiro no seu blogue.

«Jorge Veiga» no Facebook >> Não arrebita nem com uma caixa de viagra de uma vez. e depois que querem: Maus politicos dá má politica!



Publicado por Tovi às 12:53
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 13 de Setembro de 2011
Para quando eleições presidenciais justas em Angola?

Há pouco mais de dois anos (Agosto de 2009), quando Hillary Clinton visitou Luanda, foi dito por esta Secretária de Estado dos EUA para a política internacional que eram necessárias eleições presidenciais justas e sem atraso em Angola. Tanto quanto me parece tudo se mantem na mesma, a nível político, nesta nossa antiga colónia e alguns problemas de ordem pública na capital já evidenciam a vontade de alguns sectores da sociedade angolana em alterar a situação. José Eduardo dos Santos que ponha os olhinhos no que se está a passar em regimes ditatoriais do Norte de África… Cautela e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém.




Segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2010
Eleições em Angola

Hummmm!... Será desta?...

 [jn.sapo.pt] - José Eduardo dos Santos reiterou que as eleições gerais, já com a nova Constituição em vigor, vão ter lugar em 2012, coincidindo com o fim da actual legislatura.


«XôZé» in ViriatoWeb ► Aprecio o teu sentido de humor. Desta, o quê?... Li algures que o governo do homem (sim ele agora para além de presidir, passa também a governar formalmente), é constituído por oitenta e tal elementos, entre ministros, vice-ministros, secretários de estado, etc. & tal o que juntando aos tais oitenta e tal por cento de deputados no ajuntamento local, que se esperará do próximo acto eleitoral? Vai ser uma razia ainda maior e ele perpetuar-se-á no poder. O homem não brinca em serviço, páh!



Publicado por Tovi às 18:26
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9



28
29
30


Posts recentes

Relações tensas entre Ang...

VII Congresso do MPLA

O que mais faltará para s...

O fim da parceria estraté...

Para quando eleições pres...

Eleições em Angola

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus