"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."
Domingo, 25 de Maio de 2008
Cultura marginal suburbana (II)

«Berarda» / ViriatoWeb ⇒ Responde-me, Tovi :roll: ...   Se tu mandas alguém, a TUA casa, arranjar-te, por exemplo, o esquentador...     ... achas, realmente, que isso lhe dá o direito de, a seguir, tomar um belo dum banho na tua bela banheira :?: :!:    Aceito que venham tentar a sorte duma vida melhor, não aceito é que a-c-u-l-t-u-r-e-m o legado dos meus antepassados :!: :evil:    E se nós procedessemos como na Suiça, onde para teres a nacionalidade tens de viver uma boa década de bom comportamento na mesma "freguesia" - se mudas, o contador volta a "zeros" - teríamos feito, ou pelo menos tentado, uma pré-escolha dos mais aptos para se integrarem.   E mais, só se deveria dar a nacionalidade à 4ª geração bem comportada - nascesse ou não cá.   Assim, portavam-se mal eram recambiados - como, aliás, fez o Canadá a um bom punhado de Portugueses, nascidos lá, que regressaram aos Açores - por ex. - já sem referências nem família nas ilhas, nem português sabiam falar...     ... e o que é que os nossos queridos governantes fizeram :?: :o :?    Deram-lhes um subsídio de sobrevivência (a denominação é minha, pois destinava-se mesmo a esse fim), para os "piquenos", que - coitados - andavam a assaltar as lojas dos locais; locais esses, que lhes deram umas valentes e bem merecidas coças :!: :twisted:    Mas como isto cá vai de mal a pior :roll: ... quando penso que já não pode piorar mais, constato que estava redondamente enganada :!: :?    E não me venham falar em partidos e inteiros, esses são apenas as moscas a mudarem de poiso.   A trampa é que devia ser reciclada, e dessa fazemos todos parte.

 

 Respondo-te dizendo que a cultura marginal suburbana a que me tenho vindo a referir não tem nada a ver com imigrantes, ou filhos de imigrantes... Eu estou a falar de brancos como nós os dois, filhos de portugueses como nós os dois, que desde há muito nós escorraçamos, primeira para ilhas degradadas, e agora para bairros sociais, onde permitimos que tenha lugar tudo aquilo que não queremos à porta de nossa casa (o tal lixo para debaixo do tapete).

 

«zézen» / ViriatoWeb ⇒ Aqui e em todo o lado: Hà tugas e tugas de merda. Hà imigras e imigras de merda. A qualidade não està na origem, està no ser.

 

Só para quem não sabe o que é "ilha":

Ilha (bairro)
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Dá-se o nome de ilha a um tipo de bairro operário promíscuo surgido na segunda metade do século XIX, na cidade do Porto, em Portugal.
A ilha do Porto é um tipo de habitação operária muito diferente do de outras cidades industriais, como Lisboa ou as cidades industriais britânicas. Trata-se de pequenas habitações de um único andar, com áreas que não excediam os 16 m2, construídas em fileiras sucessivas, muitas vezes costas com costas, nas traseiras das casas da classe média que davam para a rua. As ilhas surgiram inicialmente na zona oriental da cidade, mas rapidamente se estenderam ao centro e aos concelhos limítrofes.
Na segunda metade do século XIX, o Porto vivia um clima de euforia industrial que atraiu à cidade populações rurais, vindas do Minho, de Trás-os-Montes e Alto Douro e da Beira Alta, fugidas da crise rural que ali se vivia. A procura de alojamentos baratos fez então destes aglomerados de construções abarracadas, com uma única entrada, um atractivo negócio, principalmente explorado por pequenos proprietários que, dispondo de pouco capital, viram nas ilhas a garantia de uma rápida recuperação do capital investido e, a curto prazo, lucros significativos.
Segundo um inquérito realizado pela Câmara Municipal do Porto em 1939, havia então na cidade 1.152 ilhas abrigando 45.291 habitantes, ou seja, 17% da sua população total!
Seguindo uma tentativa de higienização da cidade, de forma a prevenir a ocorrência de surtos epidémicos, a partir da década de 1940, as autoridades municipais empenharam-se na demolição progressiva das ilhas do Porto, realojando as famílias em grandes bairros sociais, afastados do centro. Mas, apesar de todos os esforços, as ilhas ainda não foram completamente erradicadas do Porto, e do Grande Porto, nos inícios do século XXI.

 

«Berarda» / ViriatoWeb ⇒Quando aí for, levas-me a ver uma :?: :!: :P


Publicado por Tovi às 19:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Posts recentes

Não sei se será... mas at...

Nem tudo está perdido

Punheta de Bacalhau... e ...

Sem-abrigo no Porto

Garrafeira do supermercad...

Jeanine Áñez na presidênc...

Continental no Porto... b...

Bolívia... e agora?

El Corte Inglés na Boavis...

O dérbi da Invicta

Queda do Muro de Berlim

Sirvam-se...

Hoje, em Paris

"Bem vindo, puto"... diz ...

Orçamento da Câmara do Po...

Vitória de Setúbal 1 – 0 ...

Escócia a caminho da inde...

Pedro Baptista… A Pele do...

Boavista sem derrotas... ...

"Pão por Deus"... em Port...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus