"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Terça-feira, 7 de Março de 2017
Quem fica a perder é o Porto

Concordo plenamente com Adriana Aguiar Branco.  Perde o Porto e perde a Democracia. No meu entender todos os partidos e/ou movimentos deveriam ir a votos e depois se fariam eventuais acordos pós-eleitorais de governação autárquica. Saber o "peso" de cada um dos intervenientes é fundamental para se saber quem é quem na cidade do Porto.

 

   JN de 6Mar2017

imageGV3OMJLL.jpgQuem fica a perder é o Porto
Há quatro anos, apoiei a candidatura de Rui Moreira a presidente da Câmara do Porto. Integrei mesmo, com gosto e convicção, a lista à Assembleia Municipal do movimento independente - O meu partido é o Porto - encabeçada por Daniel Bessa, facto de que não me arrependo. Hoje, continuo a apoiá-lo, porém, como é óbvio, nem Rui Moreira é perfeito e dono da verdade, nem quem o apoia, mormente se tem pensamento próprio, está certamente sempre de acordo com ele. (...) Assim sendo, e por maioria de razão, custa-me a compreender por que motivo os partidos ditos do arco da governação, no que respeita às próximas eleições, aos costumes autárquicos tenham optado por dizer nada ou quase nada. O PP e o seu cada vez menos expressivo grupinho local, a quem nos bastidores e à boca pequena ouvi criticar o "estilo" do presidente e o seu entendimento perfeito com o PS, perdeu a grande oportunidade de se emancipar e mostrar o que vale nas urnas. (…) Fez mal, devia ter seguido o corajoso exemplo da sua líder nacional. Assim está condenado a ser cada vez mais irrelevante. O PS, que, diga-se em abono da verdade, apenas através do esforço de coordenação leal e inteligente do vereador Manuel Pizarro tem conseguido cumprir o acordo pós-eleitoral firmado com o movimento independente, optou por silenciar os críticos e demitiu-se completamente da obrigação que se lhe impunha de ir a jogo, apresentar o seu próprio projeto para a cidade e sufragá-lo nas urnas. (…) Fez mal, pois esperar exercer o poder sem sequer ter ido a votos é querer importar para o Porto uma "engenhoca" do tipo da "geringonça" que governa o país, mas de legitimidade ainda mais duvidosa. O PSD desbaratou uma vez mais a oportunidade de se afirmar como alternativa, ao apresentar um candidato faz-de-conta, que politicamente vale zero e se vai deixar instrumentalizar pelo pior do que resta do PSD do Porto, como se viu na primeira entrevista em que se deu a conhecer e que o assassinou à nascença. Fez mal porque o partido perdeu ainda mais credibilidade e a força que precisava para se reinventar. Honra ao PCP que, corajoso e coerente, apostou forte ao escolher uma mulher para candidata e ademais com vasta experiência política. (…) O pior é que, no final, quem mais vai perder é o Porto, ao ver o debate e reflexão sobre a cidade empobrecidos, porque limitado ao quase pensamento único do movimento independente, o que em democracia é sempre perigoso e redutor. O único vencedor será, pois, e de facto, Rui Moreira, mas a sua folgada vitória não terá o brilho merecido. Ficaremos sempre sem saber qual o peso e o valor em votos daqueles que a ele se atrelaram, e é pena.

Artigo completo aqui.

 

   Comentários no Facebook

«João Pedro Maia» - É um pau de dois bicos... acontece o mesmo no FCP... o melhor? União em torno do Porto.

«Alfredo Oliveira» - Rui Moreira deve levar o seu projecto de independente até ao fim. Foi assim que ganhou as eleições de forma inequívoca. Porto à frente. Acho Manuel Pizarro uma pessoa ambígua e apenas com a função de controlar a governação e prestar contas ao diretório do seu partido de lisboa.

«José Camilo» - Concordo. Já se deveria ter "destacado".

«Mafalda Macedo Pinto» - Não percebo aonde este artigo quer chegar. Quer dizer o q? Q esteve na lista por Daniel Bessa? Ainda apoia afinal quem? Despreza o cds, acha o LÍDER DO PS inseguro e do psd nem percebi. Rui Moreira é humano e tem falhas . É óbvio. O seu texto para mim é ambíguo. Ou eu sou muito pouca esperta. Esclareça-me. Afinal apoia quem? Daniel Bessa saiu de jogo e a meu ver bem. Não se pode servir a gregos e a troianos. Pode clarificar a opinião publica da qual eu faço parte? Apoia quem inequivocamente? Ou é sou tecto para ser lido e não compreendido?

«Maria Helena Costa Ferreira»concordo! também não entendi a "finalidade" deste texto! tirando o facto de ela mencionar ter estado na lista de Daniel Bessa... não compreendo...

«David Ribeiro» - A mim parece-me claro que o texto da Adriana Aguiar Branco reflecte a opinião, que eu partilho, de ser muito mais interessante para o Porto todos os movimentos e/ou partidos irem a votos e só depois de se saber o "peso" de cada um dos intervenientes se fariam eventuais acordos pós-eleitorais de governação autárquica.

«Mafalda Macedo Pinto» - Poderá ser isso mas a ser, não é de todo claro. Para mim, pelo menos.



Publicado por Tovi às 09:37
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 6 de Dezembro de 2016
A CDU votou contra

Os comunistas continuam mais centralistas que os piores centralistas

STCP 6Dez2016.jpg

A Câmara do Porto aprovou hoje o modelo de gestão da STCP que está a ser aprovado pelos seis municípios envolvidos. A empresa passará a ser gerida pelas autarquias, com a presidência da Câmara do Porto.
Trata-se de uma antiga ambição dos municípios que agora será cumprida a partir de janeiro de 2017 e que permitirá, entre outras melhorias, a aquisição de 300 novas viaturas de última geração em matéria de eficiência energética. A aquisição dos novos autocarros será custeada pelo Estado Central. A propriedade da empresa mantém-se na esfera do Estado e, como tal, a dívida histórica da STCP também, pelo que não cairá sobre os municípios.
A passagem da gestão da empresa para as Câmaras Municipais foi conseguida depois de revertida a concessão operada pelo anterior governo. A Câmara do Porto nunca concordou com a forma como a concessão tinha sido operada, por não garantir uma rede suficiente e eficiente na cidade.
A CDU opôs-se à passagem da gestão para os municípios, defendendo que se deveria manter centralizada em Lisboa.
O PSD, através do vereador Ricardo Almeida, defendeu o anterior modelo de concessão.
Manuel Pizarro, vereador do PS frisou as vantagens do modelo agora adotado, no que concordou com Rui Moreira, para quem a situação de Lisboa e do Porto são muito diferentes, já que, em Lisboa, a Carris opera 92% no concelho e no Porto apenas 53% da operação da STCP acontece na cidade.
A proposta foi aprovada com o voto contra de Pedro Carvalho, da CDU, e a abstenção do de Ricardo Almeida, do PSD. Todos os vereadores do PS e independentes votaram a favor.



Publicado por Tovi às 16:56
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 25 de Novembro de 2016
Se as eleições fossem hoje…

Sondagem 25Nov2016.jpg



Publicado por Tovi às 11:18
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 29 de Setembro de 2016
Foi há três anos...

...que os votos dos portuenses mudaram o destino da Cidade Invicta. E mudaram para melhor, como se tem visto.

Autárquicas2013 no Porto.jpg



Publicado por Tovi às 18:01
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 8 de Outubro de 2015
Estatísticas das Legislativas

Legislativas2015 resultados acc.jpg

Para quem gosta de estatísticas… sim, porque com o estudo deste ramo das matemáticas aplicadas poderemos analisar com objectividade os dados numéricos destas últimas Legislativas.



Publicado por Tovi às 08:24
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 5 de Outubro de 2015
“PàF” venceu as Legislativas

Legislativas2015 resultados ab.jpg

Ainda faltam apurar os votos de 24 consulados (quatro mandatos) mas é já clara não só a vitória da coligação PSD/CDS como também a derrota do líder socialista António Costa. Interessante o resultado do BE, liderado pela Catarina Martins.

 

 Curiosidades destas Legislativas… para reflectir

Comparação dos votos numa das secções da Escola Secundária Rodrigues de Freitas; na Freguesia de Cedofeita, Santo Ildefonso e Centro Histórico; no Distrito do Porto; e no total Nacional.

Legislativas2015 resultados Cedofeita Porto Nacion



Publicado por Tovi às 09:45
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 25 de Setembro de 2015
Ai Costa, a vida Costa

Eu sei que sondagens há muitas e para todos os gostos… e também sei que prognósticos só no fim do jogo… mas também sei que António Costa está feito se não conseguir dar a volta ao texto até ao dia do “botar o papelinho”.

 Legislativas2015 sondagens 24Set2015 ab.jpg

(Gráfico com as últimas sondagens conhecidas até ao dia de ontem)



Publicado por Tovi às 09:46
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 19 de Setembro de 2015
As últimas sondagens para as Legislativas

Legislativas2015 sondagens 19Jul2015.jpg

Foram nas últimas horas conhecidas mais sondagens para as Legislativas. Neste gráfico a evolução dos estudos de opinião feitos pela Eurosondagem, Aximage e Católica.

 

 Valores considerados neste gráfico

Legislativas2015 sondagens valores 19Jun2015.jpg



Publicado por Tovi às 08:52
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 9 de Setembro de 2015
Partido Socialista desce 4,7 pontos percentuais

Legislativas2015 sondagens 8Set2015 Aximage.jpg

Evolução das sondagens da Aximage para as Legislativas.

Conhecida que é a última sondagem da Aximage, imagino a festa que vai lá para os lados de São Caetano, à Lapa… e o choro no Largo do Rato.




Sábado, 8 de Agosto de 2015
Evolução das Sondagens para Legislativas2015

Legislativas2015 sondagens 7Ago2015 Eurosondagem.j

Foi conhecido ontem mais um barómetro mensal da Eurosondagem, onde apenas 1,5% de intenções de voto separam agora PS da coligação PSD/CDS, com os socialistas a perderem quatro décimas em relação ao mês passado (agora estão nos 36,3%), e a aliança Portugal à Frente (com 34,8%), a recuperar duas décimas. CDU, PDR e Livre/tempo de Avançar todos perdem duas décimas e só o Bloco de Esquerda consegue um ligeiro aumento (+0,2 pontos percentuais) em relação a Julho.



Publicado por Tovi às 11:28
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 19 de Julho de 2015
Última sondagem da Aximage

Legislativas2015 sondagens 18Jul2015 Aximage.jpg

Esta sondagem, realizada entre os dias 12 e 16 de Julho pela Aximage, torna clara a bipolarização das intenções de voto no PS (38%) e no PSD/CDS-PP (37,8%). À esquerda, a CDU e o BE ficam nos 7,5% e 4%, respectivamente, tornando-se “vítimas” do “centrão”. O PDR de Marinho e Pinto, que no início deste ano chegou aos 4%, desce nesta sondagem para uns residuais 1,4%, ficando ao nível do Livre, de Rui Tavares, que obtém 1,3%.



Publicado por Tovi às 07:51
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 19 de Junho de 2015
PS desce... Coligação PSD/CDS sobe

Sondagem 2015Jun19.jpg

Os socialistas tantos tiros nos pés deram que o resultado está aqui. Já tenho dúvidas que António Costa consiga alterar o rumo das coisas até ao dia de “botar o papelinho”.

E aqui fica a evolução das sondagens para as Legislativas2015

(Trabalho feito cá pelo rapaz  )

Legislativas2015 sondagens 19Jun2015.jpg



Publicado por Tovi às 14:44
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 19 de Maio de 2015
Evolução das sondagens das "Legislativas2015"

Legislativas2015 sondagens Mai2015.jpg

Trabalho feito cá pelo rapaz

 

  Comentários no Facebook

«António Vidal» >> As sondagens vão falhar redondamente, como falharam em Inglaterra, e em França. Os dados históricos em que se baseiam, não são mais válidos, para a colocação dos indecisos, e para a abstenção. Esperemos para ver. Mas estou certo de que vão ser um enorme erro.



Publicado por Tovi às 09:43
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 14 de Abril de 2015
O PS não descola...

...porque será? 

Sondagem 2015Abr13 a.jpg

(Sondagem CM/Aximage, realizada de 4 a 8 deste mês)

 

  Comentários no Facebook

«Guilherme Lickfold» >> pela sondagem, em coligação PSD/CDS = 36,5%

«Raul Vaz Osorio» >> Porque o Costa é um bluff

«Narciso Miranda» >> Descola ou não descola????

«Raul Vaz Osorio» >> Cola

«Adao Fernando Batista Bastos» >> Enquanto a direita cocentra votos no PSD e CDS, a esquerda distribui votos por vários movimentos e partidos. Ou PS/Costa consegue propostas e discursos que mobilizem o centro e esquerda ou será muito dificil vencer um poder cada vez nais alicerçado na demagogia e manipulaçao com ampla cobertura da comunicaçao social. Veja-se por exemplo que nos tres canais de TV com sinal aberto (RTP SIC, TVI) os comentadores com programa regular são, todos, militantes doPSD!

«Amândio Moreira» >> A respeito desta "democracia", algumas perguntas: - Alguém do povo (e morador do local por que se candidata) se pode candidatar, sem fazer parte da partidocracia, para que o povo EFECTIVAMENTE possa votar em quem julgar mais competente para os representar? - Alguém sabe, à priori (mesmo à posteriori) qual é o candidato que o seu voto elege? - Esse candidato (que ninguém sabe quem será) tem algum programa a que se obrigue, para representar o povo do círculo por que é eleito? - O eleito pelo círculo eleitoral é morador e faz a sua vida habitualmente no círculo por que é eleito? - O eleito apresenta alguma medida ( e como pode o povo saber) em prol do povo que representa? - O eleito tem, sequer, direito a falar na assembleia, ou é o porta-voz do grupo parlamentar o único a falar (que apenas representa a partidocracia e nunca o povo)? - Existe verdadeira escolha de quem o povo desejaria para seu representante na assembleia, ou é-lhe, pura e simplesmente, impingida uma "escolha" entre aqueles que fazem parte da partidocracia? - Pode-se fazer parte destas listas, sem, antes, ir dizendo sempre "sim" aos dos degraus superiores das pirâmides partidárias, estando , assim, bem integrado dentro do espírito da partidocracia? Muitas outras questões se poderia colocar, evidentemente. É, realmente, muito interessante esta "democracia". E funciona muito bem, pelo que se tem visto.Em suma, ao menos os termos estão correctos e são literais: coloca-se uma CRUZ (para se ser crucificado) numa URNA (para se ser enterrado). Ao menos, nisso, não há camuflagem.

«David Ribeiro» >> As suas questões são pertinentes, caro Amândio Moreira, mas a verdade é que a nossa Constituição preconiza um sistema político baseado nos partidos e com os deputados a representarem todo o país e não apenas os círculos por que são eleitos. Também sou da opinião que as coisas deveriam mudar… mas a verdade é que poucos são os portugueses a exigirem uma revisão estrutural da nossa lei fundamental. Já para não falar na Regionalização que há anos está prevista constitucionalmente e é o que se sabe.

«Jorge Baldinho» >> Também entendo que deveria haver círculos eleitorais uninominais, por forma a que pudessemos saber efectivamente quem nos representa e em quem votamos. A solução seria um misto de círculos uninominais com círculos eleitorais por lista. Mais do que o David Ribeiro refere, acho que não são os portugueses que não reclamam contra a actual lei eleitoral, o que não há - como é óbvio - é vontade dos partidos em a alterar.

«Amândio Moreira» >> A Constituição é mais rígida que a própria Bíblia. E foi elaborada por deuses ainda mais poderosos e sábios que o próprio Deus, alegado inspirador da Bíblia. O sistema político lá plasmado, é uma DEMO CRACIA (poder do diabo). Uma ditadura "democrática". Está elaborada para bloquear qualquer tentativa de verdadeira democracia. Os partidos regionais, por exemplo, não são permitidos (existem nos outros países, como se sabe).A própria distribuição dos deputados é uma anedota. Lisboa elege 47, o Porto 39 e Portalegre 2, Beja 3, Bragança 3 , Évora 3, Guarda 4 ( e, mesmo assim, quantos viverão efectivamente, lá??). Ou seja, qualquer votação que siga os interesses regionalistas, logo à partida está condenada. Devia ser proporcional à ÁREA e não ao número de eleitores. Só assim permitiria que a população pudesse distribuir-se pelo país, mantendo-se a representatividade. Em termos humanistas, os ideias lá preconizados até são nobres, mas... não são cumpridas. É inconstitucional haver alguém sem alimentação, casa (os sem abrigo são inconstitucionais), assistência médica, educação. As campanhas para angariação de comida não têm sentido porque o estado tem a OBRIGAÇÃO constitucional de garantir isso a toda a população. E, porém, nunca ouvi o Tribunal Constitucional declarar tudo isto inconstitucional. Ou seja, nem sequer ESTA Constituição é cumprida. Só na parte que convém.

«Adao Fernando Batista Bastos» >> Espero sinceramente que o PS/Costa apresentem propostas de revisao do quadro polico atual, nomedamente revisão /refiorma da Lei eleitoral. AJSeguro/PS prometeu mas nunca apresentou proposta, espero que ACosta nao a meta na gaveta! O mesmo quanto à Regionalizaçao, claro.

«Pedro Baptista» >> São as pirronagens dos pirrónicos...

«Amândio Moreira» >> Acresce dizer que eu faço parte dos que conscientemente não votam, enquanto este sistema se mantiver. Ao menos não lhes dou mais 3,74 € por ANO, ao partido em que vote. Pelos votos das últimas eleições,ao "preço" actual, o PSD recebe 8 milhões e 77 mil € e o PS 5 milhões e 859 mil €. Por ANO. Para gastarem entre os "maiorais" como bem entenderem. Toca a manter este sistema, porque, claro, está muito bem (para eles, evidentemente).



Publicado por Tovi às 09:52
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 12 de Março de 2015
Vem aí uma campanha suja?

Legislativas2015 pré-campanha 10Mar2015.jpg

Ok, lavem lá a vossa roupinha que anda cheia de nódoas, mas depois digam-nos também o que pretendem fazer na próxima legislatura. E isto é válido para o PSD, para o CDS e para o PS… e mais para quem tenha a pretensão de fazer sentar alguns deputados no Parlamento. Olhem que os portugueses já estão fartos de passar cheques em branco.

 

  Comentários no Facebook

«Joaquim Leal» >> Os erros dos outros não desculpam os nossos como soa dizer-se. Mas que vai haver muita lavandaria até ás eleições, não tenho dúvidas. Vai ser um regabofe do cacete com dizem os mouros eh eh eh

«Jorge Veiga» >> Pois é, só que dizem e prometem uma coisa e fazem outra.

«Joaquim Leal» >> Em termos de promessas amigo Jorge Veiga, pelo que tenho reparado, o ps leva avanço. Pena é que a plebe já não embarca nisso.

«Ruben Santos» >> É a campanha que os portugueses merecem! Pelo menos 70% dos portugueses voltarão a votar PS,PSD e PP! Como é que isto é possivel???

«David Ribeiro» >> É possível porque as alterntivas ainda não são credíveis. Ando sempre com a maior atenção ao que dizem os potenciais candidatos a lugares no hemiciclo da Assembleia da República e pouco me dizem... ou melhor dizendo, o que me dizem não é o que eu quero ouvir.

«Joaquim Leal» >> Ruben Santos, de facto dá que pensar mas coloco a seguinte questão: Será que o problema não estará mesmo nos que se apresentam como alternativas, tipo pcp ou be que não conseguem convencer ninguém a não ser os próprios? E não vou falar dos que se irão apresentar pela primeira vez a sufrágio que me parecem ser mais que as mães...(também eu gostaria que assim não fosse).

«Ruben Santos» >> PS, PSD e PP não são solução está visto, provado e comprovado. BE e PCP não são alternativas também é óbvio. Isto são só 5 partidos, quantos concorrerão às legislativas? Uns 20 pelo menos? E dizem que não há alternativa? Tudo bem que nos pequenos partidos poderá pôr-se a questão da inexperiência, mas não será melhor um inexperiente sério do que um experimentado corrupto? É que meus amigos em democracia ou nos revemos em quem votamos ou fazemos nós uma alternativa. Se nenhum destes dois acontecer é uma questão de tempo até se cair num golpe de estado.

«Joaquim Leal» >> De acordo, vamos ver se os que se irão agora apresentar têm o palco para poderem apresentar as suas propostas. Fartos como os cidadãos andam do ps, psd e cds, as chamadas "alternadeiras", acredito que qualquer um, seja de direita, esquerda ou nada disso teria certamente uma grande chance de captar o interesse do eleitorado. Não é fácil mas veremos.

«Ruben Santos» >> Joaquim infelizmente os mais velhos (65 pra cima) continuam a acreditar nas televisões e nos jornais e são os que votam mais fielmente. Esses são casos perdidos e votarão nas alternadeiras até ao fim da vida. E com a abstenção que temos de 50% significa que quem vai por a cruzinha está na prática a votar duas vezes. Ou seja, nós vivemos numa democracia do faz de conta. E a culpa é dos portugueses que tiveram democracia quando ainda não estavam preparados para a ter.

«Jorge Veiga» >> Ehhh lá. Eu tenho 65 e não acredito nas TVs e congeneres. E ou me apresentam uma alternativa credivel ou nem me dou ao trabalho de sair de casa. Farto de falsos profetas ando eu!

«Ruben Santos» >> Jorge, em última instância, isso é uma escolha sua e que diz respeito unica e exclusivamente a si. Mas quando metade de uma sociedade não põe lá os pés, essa sociedade não merece ter democracia.

«Jorge Veiga» >> Ruben Santos toda a gente merece a Democracia e a sua permissa é errada. Digamos que em democracia os Governantes têm de merecer a confiança dos eleitores. Quando isto falha há uma falsa democracia, que é o que temos. Votar nesta gente não me interessa e é claro que é pessoal, mas eleger à minha custa e contribuir para o financiamento destes partidos mediocres através do meu voto é que não.

«David Ribeiro» >> A abstenção é também um direito democrático.

«Joaquim Leal» >> David Ribeiro, eu até sou dos que defende o voto obrigatório.

«David Ribeiro» >> Não... Voto obrigatório é contra a liberdade democrática. Tenho o direito de não querer votar, independentemente dos motivos que me poderão levar a isso.

«Joaquim Leal» >> Amigo, quem se dispense em participar nas escolhas perde a autoridade da critica. Limpinho...limpinho.

«Jorge Veiga» >> e já agora Joaquim Leal fica com o direito de se sentir insatisfeito com todos

«David Ribeiro» >> O não querer escolher quem nos governa não me retira o direito a pensar e exprimir as minhas ideias. E olha que eu nunca faltei a "botar o papelinho" na caixinha.

«Joaquim Leal» >> Amigo Jorge Veiga. Desde que me habilitei eleitoralmente nunca falhei um período venatório. Apenas me dispensei ao referendo sobre o aborto porque não fiquei suficientemente esclarecido e por isso não tinha "ideia formada" sobre o assunto. Como dizia inicialmente... nos primórdios tinha a tendência em votar nos mesmos. Mais tarde fruto da experiência e da "filha de putice" abri os olhos e tanto voto á esquerda como á direita. Esta escolha na "diversidade" dá-me um particular gozo. Quando toca a insultar, fiquem longe eh eh eh

«Jorge Veiga» >> Joaquim Leal a democracia é isso mesmo. Cada um faz o que lhe manda a consciencia. Eu tenho uma ideologia politica que prefiro às outras, mas cá em Portugal o partido faz tudo menos defender essa politica. Votar noutras ideologias não é a minha maneira de resolver as coisas, até porque ou estão como o meu partido ou piores. Há ideologias em que nem sequer penso em equacioná-las. Digamos que vistas as coisas e espremendo não temos (para já) ninguém que me represente para eu votar nele.

«David Ribeiro» >> Posso sempre queixar-me de que os escolhidos não souberam governar... É que as ideias podem ser boas e os resultados serem uma merda, como já ficou várias vezes provado neste nosso País.

«Jorge Veiga» >> Dos representados na AR, nenhum me serve. Com o país em descalabro económico e aumentam-se a eles próprios 2,9% sem um único voto contra ou abstenção? Parasitas!

«Ruben Santos» >> Na minha humilde opinião, a abstenção não é um direito democrático porque com abstenção de 100% não há democracia que funcione

«Jorge Veiga» >> Nunca chega aos 100% porque eles votam neles próprios.

«Joaquim Leal» >> Jorge Veiga, fique descansado no que me toca pois nunca queimei os chispes ah ah ah A questão "ideológica" faz cada vez menos sentido nos dias de hoje, exceptuando obviamente nos partidos mais "entricheirados", seja á direita ou á esquerda. A seguir ao 25 de Abril era isso que demarcava os vários protagonistas políticos. Na actualidade vinga o "interesse", sobretudo no plural Jorge Veiga mas o meu amigo é mais vivido e saberá melhor do que eu.

«Jorge Veiga» >> Pois essa dos interesses é que me mata. O único interesse que aceito é o do País. Interesseiros é o que temos... lol

«Manuel Duarte» >> Apareça mas é um não politico que seja honesto e mande com esta cambada pela borda fora.Sem isso nunca sairemos disto!!!

«Ruben Santos» >> O Jorge tocou num ponto importante: o que interessa são os interesses do país. Cada vez estou mais convencido que o 25 de Abril um golpe anti-país. Sabem porquê? Porque com Salazar, por muitos defeitos que ela podesse ter e que tinha, ao menos havia um desígnio para o país. O 25 de Abril não passou de um golpe que aqueles que eram ostensivamente anti-regime poderem ter hipótese de vir a ser alguém (leia-se ricos) na vida, como é o caso do Mário Soares. O contexto mundial era também outro. E portanto, os parolos que andam a proclamar o dia da liberdade como o 25 de Abril são isso mesmo, porque quanto o muito o dia da liberdade é o 25 de Novembro, porque o golpe de 25 de Abril visava instaurar uma ditadura de esquerda, e a prova disso está em alguns termos da constituição. Por isso, olhando para trás é muito simples. No dia 25 de Abril de 1974, o Estado (não o país) português era rico. Em 40 anos, e depois de se ter derretido toneladas de ouro e de se ter recebido 9 milhões de euros por dia em fundos comunitários, como é que estamos? De pobres passamos a remediados, e os que pelo parlamento andaram de remediados a ricos passaram. Adeus e um abraço.

«David Ribeiro» >> Seguramente o Ruben Santos não viveu o fascismos nem faz a menor ideia do que era viver no tempo de Salazar. Não se esqueça que não lhe era permitido dizer qualquer coisa do tipo do que acabou de escrever e isto, por si só, é já suficiente para a ditadura salazarista ser repudiada por quem ama a Liberdade.

«Carlinhos da Sé» >> Este menino Ruben Santos tem tiques fascistas.

«António Lopes» >> Caro Ruben Santos vai-me desculpar mas porra o seu último texto é literalmente um texto de merda. Começou bem neste artigo porra mas descambou por completo!!!!! Arre para fascistas de merda. Não passarão. Peço desculpa aos restantes mas se há coisa que me tira do sério são artigos a defender o indefensável. E não venha aqui apelar ao uso da livre expressão e que se vive em Democracia o que o senhor está é a defender um Regime ditatorial e para esses é aplicável as regras desse mesmo Regime e não as regras da Democracia. Mais uma vez as minhas desculpas aos restantes membros do grupo.

«Jorge Baldinho» >> Eu entendo que um fascista, em democracia, tem o direito de se expressar como qualquer outra pessoa. Ou vamos tirar esse direito a quem defende a ditadura do proletariado, leninistas, trotskistas, stalinistas, maoistas, etc? Não defendem todos eles um regime ditatorial?

«Carlinhos da Sé» >> Em democracia podemos manifestar o nosso desagrado, ou não? Fique o senhor Jorge Baldinho a saber que este senhor Ruben Santos chamou (aqui) miseráveis a um grupo de portugueses que se manifestaram em Canelas, de meninos como ele estou farto.

«Jorge Veiga» >> O Ruben Santos esqueceu-se que os grandes designios do país antes do 25/4 era defender as colónias, manter o ouro guargado no cofre e deixar o Portugal miserável, subdesenvolvido e calado. Vivi 25 anos debaixo daquele (como muitos de vós) e prefiro a democracia. Esta, a que vivemos está descambada não por culpa dela própria, mas pela cambada de gatunos que estão a orbitar à volta dela, governando-se em vez de governar. É isso que tem de ser corrigido, como não sei, mas que é possível é.



Publicado por Tovi às 09:16
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Posts recentes

Eleições Regionais na Mad...

Programa da CDU para as L...

PSD a afundar-se nas sond...

A C.M.Porto salva o Liceu...

Os “malabarismos” da CDU ...

AM aprova orçamento do Po...

O Acesso à Habitação na C...

Rui Moreira vence as Autá...

Autárquicas no Porto – Úl...

Autárquicas no Porto – De...

Marasmo… sabem o que é?

Autárquicas no Porto – Ca...

Autárquicas no Porto – Eu...

Uma vergonha… na cidade d...

Primeira sondagem sobre ...

Quem fica a perder é o Po...

A CDU votou contra

Se as eleições fossem hoj...

Foi há três anos...

Estatísticas das Legislat...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus