"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Domingo, 17 de Maio de 2020
Xicos-espertos a aproveitarem-se da pandemia

Captura de Ecrã (214).png

V e r g o n h a ! . . . 

Esta têxtil de Lousada – Belisedas - não é uma empresa de vão de escada, tem como clientes Massimo Dutti, Uterque, Cop Copine, Rich & Royal, Chloe e Zara, e seguramente terá quem os assessoria na área económica e jurídica, pelo que uma eventual desculpa de “ainda nada recebi” é inaceitável.



Publicado por Tovi às 07:14
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 15 de Maio de 2020
A segunda fase do desconfinamento

norte 14mai.jpg
mundo 14mai.jpg

O Norte continua a ser em Portugal a região mais flagelada pelo COVID-19, embora o número de mortes apresente já uma evolução menos agressiva do que a que se verificou nas primeiras cinco semanas da pandemia. E por tudo isto é importante saber quais as decisões que o Governo irá tomar sobre a segunda fase do desconfinamento, após a reunião que teve lugar ontem no Infarmed com a presença do Presidente da República, do primeiro-ministro, de representantes de partidos e dos parceiros sociais, mais diversos especialistas, onde se analisou a situação epidemiológica.

À saída desta reunião Jerónimo de Sousa falou de um “misto de incerteza e confiança …/… Tendo em conta os internamentos e os recuperados, nota-se uma tendência positiva por parte da ciência que demonstra que é possível aplicar medidas de confinamento como aquelas que recentemente aconteceram …/… temos um longo caminho a percorrer”. E pediu um “reforço do Sistema Nacional de Saúde que deu resposta e continua a dar resposta, seja no plano orçamental, seja no plano de conseguir mais profissionais”. No plano da indústria, solicitou um “reforço das medidas de higiene e segurança dos locais de trabalho …/… É preciso retomar a atividade com a normalidade, mas acompanhada de proteção especial a quem trabalha e a quem se desloca para o trabalho”.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, declarou após a reunião no Infarmed que "O desconfinamento em Portugal, começado a partir do dia 03 de maio, foi um desconfinamento muito contido. Os portugueses foram sensíveis àquilo que lhes foi pedido de fazerem a abertura por pequenos passos, portanto, a grande maioria continuou a ser muito contida. O que quer dizer que não temos muitos dados que permitam retirar conclusões firmes".



Publicado por Tovi às 07:59
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 12 de Maio de 2020
Preparando o “dia seguinte”

#mno_visita_RM_PM_comercio_04.jpg

A pandemia COVID-19 ainda não nos largou, mas já há sinais de um abrandamento, quer no número de contagiados quer de mortes… e temos que começar desde já a trabalhar para o “dia seguinte”, que é exatamente o que o executivo camarário do Porto está a fazer: Criação de um Fundo Municipal de apoio ao investimento e ao desenvolvimento económico, dirigido a startups, microempresas e PME's da cidade; Concessão de benefícios fiscais e isenção do pagamento de taxas municipais a comerciantes e outros agentes económicos; Linha de apoio de emergência às associações da cidade; Implementação pelas empresas municipais Domus Social, SRU, Porto Vivo ou Águas do Porto, de minoração dos efeitos negativos derivados da obrigação de suspensão e encerramento da atividade comercial e das restrições impostas à liberdade de circulação de pessoas e bens.

 

   Dados atualizados ao dia de hoje
mundo 12mai.jpg



Publicado por Tovi às 07:50
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 10 de Maio de 2020
Neste Porto que arregaça as mangas

#mno_visita_RM_PM_comercio_12.jpg

"Ao longo da sua história, as gentes do Porto nunca viraram a cara a luta e sempre ultrapassaram, estoicamente, as mais duras adversidades. Num período em que mais uma vez somos postos à prova, o regresso à nova normalidade faz-se com serenidade, segurança e prudência. Do Mercado Temporário do Bolhão ao comércio de rua da baixa portuense, Rui Moreira viu que há um sorriso rasgado por detrás de cada máscara, que os olhares não deixam mentir, e uma vontade imensa de servir a cidade com a força do trabalho. A amistosa receção dos comerciantes do Bolhão está, por enquanto, substituída por "coteveladas" como forma de cumprimento." (in  "o portal de notícias do Porto.")

 

  COVID-19 - Situação em Portugal e Região Norte

27581 casos confirmados (15952 na Região Norte)
1135 mortos (648 na Região Norte)
norte 10mai.jpg



Publicado por Tovi às 09:53
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 9 de Maio de 2020
A propósito de "Propósito"

Salcedo novo.png
Artigo escrito pelo meu amigo José António Salcedo para a nova revista da Porto Business School, NORTE.AR, que intitulou: A propósito de "Propósito". Neste artigo debruça-se sobre possíveis propósitos de vida num contexto pós-pandemia.

    A propósito de “Propósito” 



Publicado por Tovi às 07:40
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 7 de Maio de 2020
Segurança Social a "rebentar pelas costuras"

sc.jpg

Felizmente nos últimos dois meses não se registou em Portugal o colapso do sistema nacional de saúde, mas vendo o que está a acontecer esta semana o mesmo não se pode dizer da Segurança Social. O próprio primeiro-ministro já se viu obrigado a defender na praça pública a ministra do Trabalho: “cento e oitenta e sete anos seria o tempo que a Segurança Social levaria a processar os pedidos de apoio extraordinário que chegaram em mês e meio se o fizesse ao ritmo do tempo pré-pandemia”, mas sendo fácil de acreditar que tem havido uma enorme “pressão extraordinária” sobre a máquina do Estado, não nos podemos esquecer que uma das funções de qualquer executivo ministerial é prever as situações e antecipadamente minimizar os efeitos negativos de uma maior carga de trabalho.



Publicado por Tovi às 10:13
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 6 de Maio de 2020
O Estado vai ser a salvação

covid-1.jpg

Sem querer ser alarmista, mas tentando ser o mais racional possível, estou em crer que os danos colaterais da pandemia deste novo coronavírus que nos tem atormentado, acabarão por empobrecer uma considerável parte dos portugueses. Ouvimos todos os dias falar de empresas a pedirem ajuda, seja por meio do lay-off ou mesmo por empréstimos a fundo perdido, sindicatos a exigirem subsídios de desemprego a quem está sem trabalho, e todos terão razão para “estenderem a mão de pedinte” a um Estado que num passado recente alguns gostavam de ver “menos Estado”, mas que nas horas de aflição terá que ser a salvação. Haja no Governo da Nação (este ou outro que lhe venha a suceder) quem tenha “tininho” nestes próximos amargos tempos que se avizinham… e já agora, que a oposição não seja tonta.

 

 Previsões de Bruxelas apontam para queda do PIB de 6,8% em Portugal

As primeiras projeções da Comissão Europeia, já tendo em conta o impacto económico do coronavírus, estimam para Portugal no ano de 2020, uma recessão de 6,8%, um valor negativo, mas ainda assim menos grave do que as previsões do Fundo Monetário Internacional, que já tinha antecipado uma contração de 7,5% na zona Euro e de 7,1% no conjunto da União. A Comissão Europeia acredita que Portugal pode recuperar 5% já em 2021.



Publicado por Tovi às 09:39
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 5 de Maio de 2020
Donald Trump e a origem do surto do novo coronavírus

95613708_3205861619447069_688192264924561408_n.jpg

O presidente dos Estados Unidos da Amérca afirmou recentemente que viu provas que lhe dão "um alto grau de confiança" de que o covid-19 foi produzido num instituto de virologia em Wuhan, na China, mas recusou-se a entrar em pormenores. No entanto esta declaração contradiz aquilo que terá sido apurado pelos serviços secretos americanos, cujo diretor, algumas horas antes desta declaração de Trump, anunciou esta a ser feito um "exame rigoroso" sobre o que esteve na origem do surto de coronavírus, acrescentando que ainda não existem conclusões. Outras fontes, citadas pela estação de televisão CNN, garantem não haver qualquer teoria comprovada sobre o facto de a pandemia ter tido origem num acidente de laboratório ou através de animais. Ainda assim, questionado sobre se tem informações se o surto é de origem laboratorial, Donald Trump disse: "Sim, eu tenho." Mas sobre o grau de fiabilidade dessa informação, respondeu: "Não lhe posso dizer isso. Não tenho permissão para lhe dizer isso."

 

   COVID-19 - Dados da WHO ao dia de ontem
mundo 4mai.jpg

  COVID-19 - Situação em Portugal e na Região Norte em 5mai2020

25702 casos confirmados (15199 na Região Norte)
1074 mortos (613 na Região Norte)

De acordo com a Direção-Geral da Saúde (DGS), registaram-se na Região Norte nas últimas 24 horas mais 4 mortes, o número mais baixo das últimas semanas, sendo preciso recuar a 21 de março para encontrar um valor inferior. Mas a má notícia é que o boletim epidemiológico da DGS indica que houve, pela primeira vez, um óbito abaixo dos 30 anos. Até agora, todas as vítimas mortais da pandemia no país tinham mais de 40, sendo que a esmagadora maioria (87%) tinha mais de 70.
norte 5mai.jpg



Publicado por Tovi às 10:32
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 4 de Maio de 2020
Plano de desconfinamento a partir de 4 de Maio

95265391_10157808782623183_2403219031734616064_o.j

 

   Muito bem...
Captura de Ecrã (169).png



Publicado por Tovi às 07:42
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 3 de Maio de 2020
COVID-19 - a doença que nunca mais nos larga

A doença COVID-19 é causada pelo vírus SARS-CoV-2 (em Inglês: Severe acute respiratory syndrome coronavirus 2), altamente contagioso entre seres humanos e cujas primeiras infeções conhecidas foram na cidade chinesa de Wuhan, na província de Hubei, no mês de dezembro de 2019.

   Mortes por milhão de habitantes (em países com grande incidência)
mundo 2mai.jpg

  Situação na Região Norte de Portugal
norte 2mai.jpg

 

   Sondagem da Pitagórica

Após ser conhecida hoje uma sondagem da Pitagórica (para JN e TSF) a evolução das intenções de voto fica assim:
Captura de Ecrã (180).png



Publicado por Tovi às 07:13
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 1 de Maio de 2020
Em tempos de COVID-19... assim se higieniza o Porto

pa.jpg

Caro Filipe Araújo, digníssimo Vice-presidente da Câmara Municipal do Porto… queira fazer o favor de transmitir a todo o pessoal da Porto Ambiente o nosso MUITO OBRIGADO.

  Visão, 1mai2020 - Como se desinfeta uma cidade como o Porto em tempos de pandemia em 19 imagens



Publicado por Tovi às 11:55
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 30 de Abril de 2020
Protejam-se...

Boavista máscara.jpg
   O protótipo já está pronto... agora há que fazer o estudo de mercado para depois avançar com o fabrico da coisa.

 

 

   Se tudo nos correr bem...
Captura de Ecrã (166).png



Publicado por Tovi às 09:44
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 29 de Abril de 2020
Corrida europeia à reabertura do turismo

Fala-se numa provável “corrida europeia” à reabertura do turismo e estando a economia portuguesa à espera dos turistas, como de pão-para-a-boca, teremos no entanto todos que ser muito cautelosos e responsáveis, não deixando as decisões unicamente para os políticos e associações laborais, mas chamando também à discussão a comunidade científica, nomeadamente os ligados à virologia.

E já agora: Acho bem o que disse António Costa…
Captura de Ecrã (160).png



Publicado por Tovi às 07:31
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 28 de Abril de 2020
Lei de Bases da Proteção Civil

Já se fala em Declaração de Calamidade... vejam o que diz a Lei sobre esta matéria:

sem nome.png

Lei de Bases da Proteção Civil
4ª versão - a mais recente (Lei n.º 80/2015, de 03ago)

Artigo 3.º - Definições de acidente grave e de catástrofe
1 - Acidente grave é um acontecimento inusitado com efeitos relativamente limitados no tempo e no espaço, suscetível de atingir as pessoas e outros seres vivos, os bens ou o ambiente.

2 - Catástrofe é o acidente grave ou a série de acidentes graves suscetíveis de provocarem elevados prejuízos materiais e, eventualmente, vítimas, afetando intensamente as condições de vida e o tecido socioeconómico em áreas ou na totalidade do território nacional.

Artigo 8.º - Alerta, contingência e calamidade
1 - Sem prejuízo do caráter permanente da atividade de proteção civil, os órgãos competentes podem, consoante a natureza dos acontecimentos a prevenir ou a enfrentar e a gravidade e extensão dos seus efeitos atuais ou expectáveis: a) Declarar a situação de alerta; b) Declarar a situação de contingência; c) Declarar a situação de calamidade.

(…)
4 - A declaração de situação de alerta, de situação de contingência e de situação de calamidade pode reportar-se a qualquer parcela do território, adotando um âmbito inframunicipal, municipal, supramunicipal, regional ou nacional.

Artigo 9.º - Pressupostos das situações de alerta, contingência e calamidade
1 - A situação de alerta pode ser declarada quando, face à ocorrência ou iminência de ocorrência de algum ou alguns dos acontecimentos referidos no artigo 3.º, é reconhecida a necessidade de adotar medidas preventivas e ou medidas especiais de reação.

2 - A situação de contingência pode ser declarada quando, face à ocorrência ou iminência de ocorrência de algum ou alguns dos acontecimentos referidos no artigo 3.º, é reconhecida a necessidade de adotar medidas preventivas e ou medidas especiais de reação não mobilizáveis no âmbito municipal.
3 - A situação de calamidade pode ser declarada quando, face à ocorrência ou perigo de ocorrência de algum ou alguns dos acontecimentos referidos no artigo 3.º, e à sua previsível intensidade, é reconhecida a necessidade de adotar medidas de caráter excecional destinadas a prevenir, reagir ou repor a normalidade das condições de vida nas áreas atingidas pelos seus efeitos.

Artigo 13.º - Competência para declaração de alerta
1 - Cabe ao presidente da câmara municipal declarar a situação de alerta de âmbito municipal.

2 - Cabe à entidade responsável pela área da proteção civil, ou à respetiva entidade nas regiões autónomas, declarar a situação de alerta, no todo ou em parte do seu âmbito territorial de competência, precedida da audição, sempre que possível, dos presidentes das câmaras municipais dos municípios abrangidos.

Artigo 14.º - Ato e âmbito material de declaração de alerta
1 - O ato que declara a situação de alerta reveste a forma de despacho e menciona expressamente: a) A natureza do acontecimento que originou a situação declarada; b) O âmbito temporal e territorial; c) Os procedimentos adequados à coordenação técnica e operacional dos serviços e agentes de proteção civil, bem como dos recursos a utilizar; d) As medidas preventivas a adotar adequadas ao acontecimento que originou a situação declarada.

2 - A declaração da situação de alerta determina o acionamento das estruturas de coordenação institucional territorialmente competentes, as quais asseguram a articulação de todos os agentes, entidades e instituições envolvidos nas operações de proteção e socorro.
3 - A declaração da situação de alerta determina ainda o acionamento das estruturas de coordenação política territorialmente competentes, as quais avaliam a necessidade de ativação do plano de emergência de proteção civil do respetivo nível territorial.
4 - A declaração da situação de alerta determina uma obrigação especial de colaboração dos meios de comunicação social, em particular das rádios e das televisões, bem como das operadoras móveis de telecomunicações, com as estruturas de coordenação referidas nos n.os 2 e 3, visando a divulgação das informações relevantes relativas à situação.

Artigo 16.º - Competência para declaração de contingência
A declaração da situação de contingência cabe à entidade responsável pela área da proteção civil no seu âmbito territorial de competência, precedida da audição, sempre que possível, dos presidentes das câmaras municipais dos municípios abrangidos.

Artigo 19.º - Competência para a declaração de calamidade
A declaração da situação de calamidade é da competência do Governo e reveste a forma de resolução do Conselho de Ministros.



Publicado por Tovi às 08:25
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 27 de Abril de 2020
Combater o COVID-19 e os seus danos colaterais

O relatório de situação da COVID-19 apresentado diariamente pela Direção Geral de Saúde disse-nos ontem (26abr2020) que no Norte temos 14386 casos confirmados (60,3% do total nacional) e 519 mortes (57,5% do total nacional), continuando a ser a região nortenha a mais sacrificada em Portugal. Já foram ditas algumas barbaridades sobre as razões demográficas e sociológicas destes números, sugerindo alguns “comentadores” níveis de educação dos Nortenhos abaixo da média nacional – não esquecemos uma frase infeliz apresentada no ecrã de uma emissão da TVI – mas a verdade é que no Norte, nomeadamente na cidade do Porto, muito se fez para combater este flagelo. Vejamos o que de mais importante se fez na Cidade Invicta neste combate, com especial incidência nas ações de minimização dos danos colaterais:

image.jpg

a) Isenção, pela empresa municipal Porto Vivo – SRU, do valor total das rendas devidas pelos seus arrendatários comerciais, bem como de espaços destinados a serviços, a título de apoio por perdas derivadas da obrigação de suspensão e encerramento da atividade comercial e das restrições impostas à liberdade de circulação de pessoas e bens, ficando a mesma em vigor por um período alargado, até 30 de junho de 2020.

b) No Queimódromo, a Unilabs, com o apoio da autarquia e da ARS Norte, está a testar perto de 6 mil pessoas, num sistema que foi melhorado, permitindo que os carros, que até ali ficavam em fila na Estrada da Circunvalação, passassem para o interior do parque onde podem aguardar em maior segurança.

c) «Hospital de Campanha Porto.», instalado pela Câmara do Porto no SuperBock Arena - Pavilhão Rosa Mota, com o apoio de diversas entidades e empresas, com capacidade para receber até 320 doentes, servindo sobretudo para aliviar os dois hospitais da cidade no combate à doença COVID-19, que assim se podem dedicar a casos menos leves e mais graves.

d) Criação de uma Linha de Apoio de Emergência às Associações do Porto, no valor de 150.000 euros, que permitirá, de imediato, ajudar as associações a ultrapassar dificuldades de tesouraria que as atingem.

e) Aceitação da doação dos 30 ventiladores para tratamento de doentes com COVID-19, entregues à Câmara do Porto pela Fundação Jack Ma. Os dois centros hospitalares da cidade já têm na sua posse, cada um, 15 equipamentos, oferecidos pelo magnata chinês, que a Forbes identifica como um dos homens de negócios mais importantes do mundo.

f) Rastreio, por iniciativa da Câmara do Porto e com o apoio dos hospitais e centros de saúde e de uma fundação privada que ofereceu à autarquia os kits de teste, de todos os lares de idosos, de pessoas com deficiência e centros de acolhimento de cidadãos sem-abrigo da cidade do Porto (oficiais, informais, legais ou ilegais), incluindo todos os utentes e todos os funcionários destas estruturas.

g) O Município do Porto lançou um microsite – covid19.porto.pt - sobre a COVID-19, que reúne as medidas de âmbito municipal e nacional adotadas no combate à pandemia, e onde também é partilhada informação útil para cidadãos e empresas, de natureza diversa.

h) Num contexto de combate à COVID-19 e dada a "disponibilidade contínua de ambas as associações para ações complementares de prestação de socorro", o Executivo de Rui Moreira vai atribuir 40 mil euros a cada uma das corporações de bombeiros voluntários da cidade - Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Porto e Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários Portuenses.

i) Contratos interadministrativos (190 mil euros), suportados pela autarquia do Porto, visando custear atividades extras das escolas que agora se encontram suspensas, permitindo usar verbas para aquisição de material informático e Internet para alunos que estejam impedidos, por falta de dispositivos, de aceder ao ensino à distância.

j) Porto Solidário - Criado em 2014 (programa proposto por Rui Moreira na campanha eleitoral em 2013) e que concedia ajuda a 2.336 famílias, através da concessão de um apoio mensal à renda ou à prestação bancária, durante 12 meses, vai agora estender o apoio para dois anos, por proposta do vereador Fernando Paulo, investimento num total de cerca de 5,9 milhões de euros, essencial para garantir o direito à habitação às famílias mais carenciadas.



Publicado por Tovi às 02:10
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Julho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Posts recentes

COVID-19 em Portugal... a...

Assim vai o COVID-19 por ...

Nuno Markl em guerra com ...

Mural de Vhils no Hospita...

Um São João muito especia...

Põe já a máscara!...

Ataques terroristas no no...

É triste... mas tem que s...

Desconfinar... mas com cu...

COVID-19 - Câmaras dão tu...

Terceira Fase de Desconfi...

COVID-19 não é uma doença...

A pandemia terminará em P...

The New York Times de hoj...

Devemos-lhes um grande OB...

Xicos-espertos a aproveit...

A segunda fase do desconf...

Preparando o “dia seguint...

Neste Porto que arregaça ...

A propósito de "Propósito...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus