"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Sexta-feira, 25 de Março de 2016
Tudo vai mal no combate ao terrorismo na velha Europa

Europa vs Estado Islâmico cartoon.jpg

O jornal belga Le Soir noticia que “les ministres de la Justice et de l’Intérieur ont présenté leur démission“ e embora “le Premier ministre Charles Michel les a refusées” a verdade é que a continuidade de Jan Jambon e Koen Geens no governo está altamente comprometida, tal foi o descalabro a que a polícia e a justiça da Bélgica chegaram na falta de rigor e laxismo na gestão da liberdade condicional de Ibrahim El Bakraoui. Os factos são cruéis, terríveis e brutais: Um homem belga, em liberdade condicional após uma condenação a 10 anos de prisão, atravessou por duas vezes a fronteira síria, foi deportado pelos turcos para a Holanda no passado mês de Julho, escapou a todos os controlos e fez-se explodir no aeroporto de Zaventem na passada terça-feira.

 

  Comentários no Facebook

«Renato Rodrigues» >> Disparou sobre a polícia com uma kalashnikov (arma de guerra) e ao fim de 4 anos é solto... A Bélgica é um país de palhaçada!

«David Ribeiro» >> ...é solto e ninguém quer mais saber dele. Depois queixam-se.

«Jorge Oliveira E Sousa» >> E quantos andarão nas mesmas condições?

«David Ribeiro» >> Sim... Quantos andarão?... É que o perigo está cá dentro, nados e criados na Europa.

«Renato Rodrigues» >> A Bélgica é um país que funciona bastante mal, bastante desorganizado. É sempre motivo de piada para todos os estrangeiros que lá moram, a ineficiência dos serviços públicos Belgas. Sempre estou para ver se alguém propõe a suspensão da Bélgica do espaço Schengen ou algo do género. Eu sou completamente o oposto de securitário, mas um rapaz que dispara uma arma de guerra sobre um polícia não pode sair ao fim de quatro anos!! E a coisa da extradição pela Turquia também tem que se lhe diga, se for verdade. Não entendo sequer porque extraditam um cidadão Belga para a Holanda?! É engraçado que haja estados de sítio em França e propostas para acabar com a privacidade, se a UE nem consegue ter um mínimo controlo das fronteiras externas...

«Ricardo Nuno» >> Mas da Bélgica já se tinham queixado os serviços secretos alemães e ingleses! Aliás o cúmulo foi terem de ser os franceses a dizer aos belgas q eles tinham terroristas em Molenbeek!

«Jorge Oliveira E Sousa» >> Tem de haver uma eficaz Policia Europeia

«Fernando Duarte» >> a culpa foi dos turcos que confundiram a Holanda com a Bélgica

«Jose Bandeira» >> Sugiro a leitura da obra de Gosciny ilustrada por Uderzo "Astérix entre os Belgas"

«David Ribeiro» >> Eu nunca tinha entendido muito bem a expressão “parece qu’és Belga”, muito usada na minha juventude… mas depois de ter trabalhado com eles durante dois anos, deu para perceber [Emoji wink] – Encontrado na NET: «Antigamente, não era raro ouvir alguém rotular outro de belga: "fulano é belga ou meio-belga!" Pretendendo dizer com isso que se tratava de uma pessoa muito pouco fidedigna ou finória, no sentido menos edificante do vocábulo. Qual a raiz da expressão? Desconheço. Apenas posso futurar que talvez isso se relacione com os problemas e os atritos constantes, pelo menos no passado, entre os povos belgas e os seus governos.»

«Fernando Duarte» >> os belgas estiveram recentemente 3 anos sem governo, e isso prova que não precisamos de governo para nada

«David Ribeiro» >> Não tenhas dúvida, amigo Fernando Duarte, que o facto da Bélgica ter estado tanto tempo sem governo central num passado recente contribuiu imenso para este descalabro que se veio a verificar no combate ao terrorismo. Para a gestão política e social dum dado território os governos regionais servem perfeitamente e até o conseguem fazer melhor que um governo central, mas os serviços secretos e controlo do sistema de justiça, nomeadamente o acompanhamento de indivíduos em liberdade condicional, são e devem continuar a ser funções exclusivas dos governos centrais.

«Fernando Duarte» >> é isso mesmo David, o governo central nunca deveria tomar decisões de nível regional, não é um deputado eleito no Algarve que vai decidir se podemos ou não tomar banho no rio Douro ou um deputado eleito em Bragança que vai decidir se em Lisboa o trânsito deve ser condicionado



Publicado por Tovi às 10:07
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 24 de Março de 2016
Nada mais assustador que a ignorância em acção

Molenbeck jeunesse aa.jpg

Anda por aí meio mundo a dizer que a culpa deste terrorismo é das religiões. E já alguém se lembrou que o principal motivo poderá ser a IGNORÂNCIA, um terreno fértil para o fanatismo? Tivéssemos dado a devida atenção aos mais desfavorecidos e não estaríamos nesta terrível situação. É que toda esta gente já nasceu e foi criada dentro da nossa Europa e a política só tem sentido identificando-se com a ética de servir todos os cidadãos, sejam eles os nascidos em berço de ouro ou num dos muitos guetos que fomos criando ao longo dos anos.

 

  Comentáros no Facebook

«Zé De Baião» >> Urge refletir sobre o heroísmo decorrente do terrorismo social (praticado ou consentido pelos políticos): A frase de um jovem, que vive no bairro de Molenbeek e convive diariamente com os nossos emigrantes portugueses, explica quase tudo: "If you don't have a future and if you are socially dead, you may opt for a heroic death. And this is what happens with a number of youngsters here."

«António Magalhães» >> Curioso pois nunca vi portugueses emigrados fazerem-se explodir para aparecerem nas TV's... e muitos também passaram e passam dificuldades e exclusões de vária ordem! É que a integração social começa pelo próprio, e se estes "herois" se sentem excluídos, comecem eles próprios a fazerem qualquer coisinha para se integrarem! Alguém foi buscar pelas orelhas e a pontapé estes jovens "excluídos" aos seus países de origem? E os pais destes "heróis", também foram obrigados? Se querem ser "heróis", uma sugestão: regressem ao deserto ou às terreolas onde abunda merda por todo o lado, convoquem todos os meios de comunicação social e façam-se explodir com toda a pompa e circunstancia! Muito mais excluídos foram os Pais destes meninos armados em coitadinhos e em excluídos e, melhor ou pior lá se foram integrando. Bardamerda para os "coitadinhos dos excluidos" que já metem é nojo!

«Pedro Simões» >> Sao umas vitimas... Se a tese fosse verdadeira, entao teriamos estas situacoes com pessoas de todas as origens, crencas, e bairros... Ca so nao temos disto porque os ignorantes podem votar no Bloco. Senao era a mesma coisa!

«Zé De Baião» >> Caros amigos, já temos descendentes de portugueses inseridos nesta problemática. Por enquanto, sugiro que comecem a pensar sobre o aumento do suicídio por cá e por toda a Europa. Quando começarem a falhar os valores humanos, o suicídio pode converter-se em suicídio conjunto ou mesmo terrorismo.

«António Magalhães» >> O raciocino do Zé é claro: para evitar que estes jovens algum dia se possam sentir excluídos e até possam cometer suicídio, o melhor é fechar as fronteiras e não deixar entrar mais nenhum, tal e qual a Polónia esta a fazer...

«Zé De Baião» >> Errado. O raciocínio é trabalhar para humanizar, socializar e integrar todas as pessoas.

«Ricardo Nuno» >> la vem a conversa dos fofinhos, do moderno, de termos que estar atentos a todas as necessidades etc etc . Foi exactamente este genero de laxismo intelectual e este genero de argumentario que nos trouxe ate aqui. Os que os ajudaram, tb estavam desempregados? os vizinos, os amigos? nao acontece este fenomeno com os polacos, com os ucranianos, com os ciaganos, com os budistas, com os hindus, com os bulgaros, com os romenos... Acontece com estes, acontece com uma parte do islao

«António Magalhães» >> Pergunta ao Zé: Na Europa, todas as jovens mulheres a quem foi imposta a excisão genital, são vitimas ou heroínas, incluídas ou excluídas?

«David Ribeiro» >> Nada minimiza a culpabilidade dos autores destes ataques terroristas, que deverão ser perseguidos, apanhados, julgados e condenados, mas há que evitar que esta “filosofia” alastre entre uma camada jovem fácil de ser arregimentada para estas loucuras. É nisto que temos que mudar a forma de lidar com uma grande parte dos habitantes dos bairros degradados nas periferias das grandes cidades europeias. Reparem que alguns deles sabe-se agora que já tinham prestado contas à justiça por delitos menores, mas não parece ter havido um acompanhamento correcto das situações.



Publicado por Tovi às 09:54
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 23 de Março de 2016
Ataques terroristas em Bruxelas

Bruxelas terrorismo 22Mar2016.jpg
(À esquerda no aeroporto de Zaventem e à direita na estação de metro de Maelbeek)

Ainda não eram nove horas da manhã de ontem, tinha acabado de ir levar a minha neta à escolinha, um amigo meu há muitos anos a residir em Bruxelas dizia no Facebook que tinham rebentado bombas no aeroporto de Zaventem. Liguei-me à NET, primeiro no “La Capitale” e no “Le Soir”, depois na “RTL”, ficando a saber que também na estação de metro de Maelbeek tinha deflagrado um engenho explosivo, havendo já várias mortes a lamentar. E ao longo da manhã fomos conhecendo a verdadeira dimensão de mais um ataque terrorista, desta vez no coração da Europa, uma tentativa ignóbil de fanáticos e extremistas islâmicos para conseguirem por esta via um aproveitamento político-partidário que o imobilismo europeu lhes vem concedendo. No momento em que escrevo este “post” (10 horas de 23Mar) o saldo destes trágicos acontecimentos é de 31 mortos e 250 feridos.

 

 Últimas informações do jornal belga “Le Soir”

Les frères Khalid et Ibrahim El Bakraoui ont été formellement identifiés comme deux des kamikazes, le premier dans le métro, le second à l'aéroport. Le troisième kamikaze n'est pas encore identifié. Une personne, présente à l'aéroport avec une charge explosive, est toujours en fuite. (...) L’ensemble du pays est placé en niveau d'alerte maximum, le niveau 4 et un avis de recherche a été émis à l'égard d'un homme suspecté d'être impliqué dans l'attentat de Zaventem.

 

 Estado Islâmico reivindicou os atentados

Par la grâce d’Allah et Son bienfait, une cellule secrète des soldats du Califat s’est élancée en direction de la Belgique croisée qui n’a cessé de combattre l’Islam et les musulmans. (…) Un nombre de soldat du Califat - portant des ceintures explosives, des bombes et des fusils mitrailleurs et ciblant des lieux choisis avec précision dans la capitale Bruxelles - se sont élancés à l’intérieur de l’aéroport Zaventem de Bruxelles et d’une station métro pour tuer un grand nombre de croisés.

 

 19 portugueses feridos

O Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, acaba de informar que pelo menos 19 cidadãos com passaporte português ficaram feridos no duplo atentado terrorista de ontem na capital da Bélgica. Estima-se em cerca de 50 mil o número de portugueses residentes só na cidade de Bruxelas.



Publicado por Tovi às 10:29
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 19 de Fevereiro de 2016
Acordo entre Reino Unido e Europa

Reino Unido vs Europa Fev2016 aa.jpg

Ao fim do dia de hoje ficamos a saber que após negociação perlongada e difícil o Reino Unido e a União Europeia chegaram a acordo, tendo David Cameron conseguido muitas das reivindicações que sempre defendera, nomeadamente restrições na circulação de migrantes para o Reino Unido e a garantia que os britânicos não terão nunca de pagar por resgates financeiros de países da zona euro. Mas com este acordo o “drama” ainda não acabou, pois a permanência do Reino Unido na União Europeia só ficará decidida no referendo que terá lugar a 23 de Junho deste ano.

 

  Comentários no Facebook

«Jose Bandeira» >> Tal como Rui Moreira foi eleito para defender os interesses do Porto também David Cameron o foi para defender os do Reino Unido. Se os outros são tansos a culpa não é dele. É esta a "Europa Unida" (lembram-se destas placas que chegaram a circular na traseira dos automóveis há muito, muito tempo?) que nos continuam a vender?

«Jovita Fonseca» >> É esta a UE... vai -se já precavendo! E à boa moda British, as normas ficam já definidas.

«Manuela Tavares» >> hitler lutou com unhas e dentes pela subjugaçao da Europa à Alemanha. nao conseguiu mas pelo caminho fez muitos estragos. passados 70 anos, a subdita dele tentou fazer o mesmo, nao com armas mas com uma mais sofisticada que se chama economia e colapsos financeiros. tem vindo a conseguir. mas temo, e bem, que tal como o mentor dela, mais uma vez a alemanha vai perder. e mais uma vez fazendo muitos estragos pelo caminho. nao aprendem. e o resto da europa parece que tb nao. é so deixar passar mais uns 70 anos e algum alemão vai tentar fazer uma merda parecida e o resto dos paises sao aceitar. ninguem sai deste padrão!



Publicado por Tovi às 23:30
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 6 de Fevereiro de 2016
A cidade apocalíptica de Homs

Homs cidade síria Fev2016.jpg

Este é o estado actual da cidade de Homs, a terceira maior cidade da Síria antes da guerra civil, onde chegaram a viver cerca de 1,5 milhões de pessoas e que hoje não é mais do que um pedaço de terra abandonado, onde muitas pessoas foram mortas, muitas mães foram muitas vezes forçadas a entrar em carros e raptadas mesmo em frente dos seus filhos. E os responsáveis são o governo do Presidente sírio Bashar-al-Assad, a quem se deve a morte de 180.879 civis na Síria, ou seja, 95,96% do total das mortes registadas entre março de 2011 e outubro de 2015, os grupos oposicionistas ao governo a quem foram atribuídos 1,42% das mortes e o autoproclamado Estado Islâmico com culpa em 0,91% da mortandade. E com esta guerra na Síria está afectado todo o equilíbrio precário da Europa, com sucessivas vagas de refugiados a procurarem um local de paz onde possam criar os seus filhos. E ninguém pega o touro pelos cornos e resolve esta desgraça. Porquê?...



Publicado por Tovi às 09:35
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 4 de Dezembro de 2015
Os neo-jihadistas vivem entre nós

jihadistas aa.jpg

Os ataques terroristas do passado dia 13 de Novembro em Paris vieram mais uma vez revelar-nos que os neo-jihadistas vivem entre nós, muito pouco têm a ver com a cultura muçulmana e o islão é primordialmente um pretexto para mostrarem à sociedade a sua revolta, sede de violência e desejo de radicalização. Se não tivessem origem magrebina e por isso considerados potencialmente muçulmanos, estes delinquentes com problemas de integração social poderiam facilmente estar em movimentos de extrema-esquerda ou extrema-direita, ou simplesmente num grupo punk qualquer. E é nestes jovens que o Estado Islâmico vai encontrar a sua “carne para canhão”, gente disposta a transformar a sua revolta pessoal em actos sangrentos. Mais tarde ou mais cedo o desejo de um califado jihadista nos territórios sírios e iraquianos irá extinguir-se, muito mais por falta de quem lhes compre o “ouro negro” do que pelas bombas dos aviões russos, franceses ou mesmo dos Estados Unidos da América, mas o vírus da violência está espalhado nos subúrbios das grandes metrópoles europeias e haverá sempre um extremista qualquer que se irá aproveitar da revolta destes jovens.

 

  Comentários no Facebook

«Laura Sarmento» >> concordo 100%

«António Lopes» >> Extrema-esquerda, movimento Punk? Vai-me desculpar caro David Ribeiro mas discordo totalmente nesse ponto. A Extrema-esquerda é demasiado generalista mas mesmo assim a leitura dos mais variados manuais a violência nunca é apregoada de forma tão banal como o ISIS produz. As revoluções de 68 (França), pouco ou nada têm a ver com o ISIS, etc, etc. Sobre o movimento Punk... grupos anarquistas/Punk (nem sempre uma coisa significa outra), o nascimento do Movimento Oi, nasce entre a classe operária inglesa como forma de proteger a Classe trabalhadora e não para destruir de forma violenta tudo o que lhe aparece pela frente. Por favor nunca mas nunca meter na mesma panela ISIS e Movimentos Punk ou Extrema Esquerda. Sobre a Extrema esquerda, Stalin nunca foi comunista, os seus gulags não fazem parte da ideologia comunista e até Lenine escreveu que Stalin não tinha o perfil de. ISIS não é representativo da Religião Muçulmana [wink emoticon]. Sobre o Movimento anarquista, temos um exemplo bem próximo de nós (Guerra civil espanhola 1936-39), em que algumas Igrejas foram queimadas mas numa guerra tudo o que é de mau acontece MAS nunca uma Igreja ou convento tinham sido queimados antes da Guerra Civil espanhola ter o seu início. Culpas? Para mim, a construção de seres-humanos frios, sem ideias e sem sentimentos próprios de um sistema económico baseado unicamente no material, no dinheiro produz tudo isto.

«Laura Sarmento» >> António Lopes, o que eu penso é que o David Ribeiro se quis referir aqui a gente extremista (sobretudo jovens), que estão em momentos extremistas porque sim, que são facilmente formatados porque sim, e que se deixam levar em qualquer onda diferente e extremista porque sim... não tem nada a ver com o teor, com o conteúdo de cada movimento. Tem a ver com revolta, falta de valores, vida oca e desocupada.

«António Lopes» >> O "extremismo" faz parte de uma juventude normal, agora temos é de incutir desde cedo valores como o respeito entre todos e não deixa-los entregues a toda uma máquina destruidora de sonhos, destruidora de Utopias. ISIS é um cancro, cancro esse alimentado pela ignorância. Embora não conheça pessoalmente o caríssimo David Ribeiro tenho a certeza que o texto dele foi escrito com alma e que não deixa de ter uma certa razão (conheço o David unicamente através da sua escrita e tenho pelo seu teor o máximo de respeito). Apenas ligar o Movimento Punk ao ISIS senti-me tentado a demonstrar a minha opinião contrária [smile emoticon]. Um excelente fim de semana a todos. PS: A extrema-esquerda (embora seja um termo muito difuso), é-me próxima [smile emoticon]

«Laura Sarmento» >> o problema que se levanta agora é incutir esses valores numa camada jovem que foi sucessivamente esquecida e habituada a não dar valor nenhum a quem nunca lhes prestou a atenção devida. São descrentes no sistema, num sistema que os esqueceu. Não sei se ainda iremos a tempo.

«António Lopes» >> A pobreza como a grande culpada?

«Laura Sarmento» >> Se calhar, Antonio Lopes, se calhar... ou riqueza a mais sem amor... um bom fim de semana.

«David Ribeiro» >> Provavelmente não me expressei bem… Nunca quis meter no mesmo saco os movimentos de extrema-esquerda, de extrema-direita e os punk, mas que estes jovens das periferias degradadas das grandes cidades são facilmente “recrutados” para seja o que for, terão que concordar que é verdade.

«Gonçalo Graça Moura» >> David, continua a acreditar no pai natal... mostra-me um islâmico "moderado" que condene de facto o jhiadismo... e sim, o islão é tanto uma religião de paz, que numa noite o mafoma só degolou 600 "apóstatas" que se recusaram a converter... e já agora, tirando o Breviq, diz-me um terrorista não-islâmico desde o 11/9. E sim, a maioria dos suicidas tem formação superior, sendo que só no último atentado de Paris é que não eram de classe média-alta...

«David Ribeiro» >> A “carne para canhão” do Estado Islâmico já não é a mesma do 11 de Setembro, assim como Abu Bakr al-Baghdadi não é o Bin Laden.

«Joaquim Leal» >> Assim por acaso lembrei-me do movimento "Black bloc" [tongue emoticon]

«Rogerio Silvestre» >> e também é verdade que esta gente com sede de sangue não conhece o Islão na sua essência, pois a doutrina não permite estes actos, basicamente são jovens e ocos, almas fracas

«Diamantino Hugo Pedro» >> Que bonito que é o politicamente correcto... A doutrina do Islão não permite estes actos, mas o Al-Corão está cheio de versos a justificarem os mesmos....



Publicado por Tovi às 11:45
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 6 de Setembro de 2015
Lembram-se?...

Cimeira das Lages Mar2003.jpg

Foram estes – Blair, Aznar, Bush e Barroso - que em Março de 2003, na Base das Lages nos Açores, declararam guerra ao Iraque, com base numas supostas e nunca encontradas “armas de destruição maciça” e cujos danos colaterais estamos agora a sofrer em grande escala com a crise dos migrantes/refugiados do Mediterrâneo. Convém não esquecer… é que eles e os seus amigos ainda mexem.



Publicado por Tovi às 08:40
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 24 de Agosto de 2015
A crise dos refugiados... chegou à Alemanha

Migrantes e Refugiados na Alemanha Ago2015.jpg

Era inevitável… O constante assobiar para o lado dos políticos da UE perante a tragédia daqueles que chegam à Europa à procura de alguma paz e segurança, só podia dar nisto. E ainda estamos no princípio.

 

  Comentários no Facebook

«Carlinhos da Sé» >> Ai julgavam que era só vender armas e roubar o petróleo? Agora paguem, pena os "states" serem tão longe.



Publicado por Tovi às 11:19
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 22 de Agosto de 2015
Não são migrantes... são Refugiados

Migrantes vs Refugiados Ago2015.jpg

Sim!... Sem dúvida que é mais correcto chamar-lhes Refugiados do que continuarmos a considerar como migrantes esta gente da Síria, Afeganistão, Iraque, Líbia, Eritreia e Somália que todos os dias arriscam a vida no Mediterrâneo para poderem fugir da barbárie.

 

  Comentários no Facebook

«António Lopes» >> Será que não se podia absorver estes seres-humanos? O Interior de Portugal está despovoado, ausente de massa crítica, uma das formas de o repovoar poderia ser com estes refugiados!

«David Ribeiro» >> Convém não esquecer que por definição REFUGIADO é toda a pessoa que, em razão de fundados temores de perseguição devido à sua raça, religião, nacionalidade, associação a determinado grupo social ou opinião política, encontra-se fora de seu país de origem e que, por causa dos ditos temores, não pode ou não quer regressar ao mesmo, ou que devido a grave e generalizada violação de direitos humanos, é obrigado a deixar seu país de nacionalidade para buscar refúgio em outro país.

«Mario Reis» >> Antonio seria lindo fazer isso se tivessemos capacidade, Economica; Sociologica; Voluntariado; etc,etc x n.... Que senao seria espalhar covas da moura pelo pais.

«Joaquim Leal» >> Óh António Lopes, com todo o respeito pelo amigo mas acho que povoar o interior abandonado seria mais eficaz fazendo filhos e que o estado passe em ali investir, sobretudo não retirando serviços essenciais às populações locais. Para fazer um acampamento qualquer sítio dá, até no litoral. Depois esse pormenor da falta de "massa critica" é o que não deve faltar a muitos dos refugiados. wink emoticon

«Mario Reis» >> Eu estou disponível para fazer filhos... encontrem-me fêmeas em ciclo produtivo e pelo menos tento! Pois ter filhos não é assim tão simples...

«Joaquim Leal» >> O Mario Reis quer tudo dado e arregaçado eh eh eh grin emoticon

«David Ribeiro» >> As últimas notícias [Lusa – 18h48 de 22Ago] dizem-nos que várias centenas de refugiados da guerra na Síria romperam este sábado as linhas policiais macedónias na fronteira com a Grécia, tendo obrigado as autoridades deste país balcânico a usarem granadas de ruído para conter aqueles que desejam atravessar a Macedónia, Sérvia e Hungria para chegar ao norte da Europa.

«Joaquim Leal» >> Vi na televisão, foi lindo o que se viu...

«José Costa Pinto» >> Interessante que estes refugiados, a 'fugir à barbarie', como diz o David Ribeiro, não se instalem nos países contíguos, como fazem os refugiados 'clássicos'. Não, querem ir para o norte da Europa, para a Grã-Bretanha ou até para os EUA e Canadá.

«Joaquim Leal» >> Isto vai ser sempre em crescendo. Só acaba quando os países de origem ficarem vazios de pessoas e apenas lá ficarem os criminosos.

«David Ribeiro» >> Estas criaturas que fogem da guerra, ao contrário de muitos que conhecemos num passado recente, não querem viver em campos de refugiados, mas sim trabalhar para sustentar a família e não criarem problemas a povos que já os têm que chegue.

«Joaquim Leal» >> Não me parece que seja apenas pela guerra, a europa é muito atractiva. Os problemas são apenas o fulminante mas estou a calcular que o velho continente vai começar a adornar.

«David Ribeiro» >> Não é pela guerra?... Fazes a mínima ideia, Joaquim Leal, do que será viver nos dias de hoje na Síria?... Estes ainda são aqueles que conseguem ter algum dinheiro para pagarem a travessia, os outros morrem como tordos.

«José Costa Pinto» >> David Ribeiro, você agora fez-me sorrir. E olhe que os tempos não estão para risadas.

«Joaquim Leal» >> Óh amigo David, essa ideia de que são todos Sírios, vai com calma... tongue emoticon

«David Ribeiro» >> Sírios, Líbios, Afegãos, Iraquianos, Eritreus, Somalis... a diferença é mínima.

«Joaquim Leal» >> Eu sei que o mediterrâneo é longo. Preocupo-me é quando chegar a altura em que tenha que ser eu, os meus e os vossos, a ter que atravessar o atlântico. Só temos duas alternativas recomendáveis, EUA ou Austrália. Muito longe mas quero aqui deixar claro que lamento a situação dos refugiados.

«David Ribeiro» >> Não tem comparação, como é evidente, mas os portugueses que já tiveram que fazer as malas e abandonar as suas casas para fugirem á guerra fratricida que se adivinhava nos territórios das antigas colónias, saberão bem o que isto é.

«Joaquim Leal» >> Correcto, uma vez acho que chega. Duas é demais wink emoticon. Nestes últimos dias tenho lido por aqui mentes brilhantes, daquelas que só podem ser das franjas da esquerda ao considerar que Portugal pode estar perante um "oportunidade de ouro" para repovoar o seu interior abandonado. Prefiro que tragam para cá o Saara. tongue emoticon

«David Ribeiro» >> É fundamental que nos deixemos de políticas mais ou menos envergonhadas e a lembrarem atitudes racistas e xenófobas para com todos aqueles que nos aparecem nas praias do Mediterrâneo e tomar medidas como as que foram já preconizadas pelo Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos (ACNUDH): Colocar em prática uma operação de busca e salvamento robusta, proactiva e com bons recursos, levada a cabo por Estados, urgentemente e sem esperas, com uma capacidade semelhante à “Mare Nostrum” (nome dado à operação de resgate no Mediterrâneo da marinha Italiana) e com uma missão clara de salvar vidas; Criar canais suficientes para uma migração segura e regular, incluindo para trabalhadores migrantes com baixas qualificações e indivíduos com necessidade de reunificação familiar e ainda acesso a protecção quando necessário, são alternativas seguras a recorrer a contrabandistas; Fazer compromissos firmes para receber números significativamente grandes de refugiados alocando-os pelos países da UE, para complementar as quotas atuais e numa escala que tenha um impacto real, acompanhado de outros meios legais que levem os refugiados a alcançarem a segurança; Reforçar o apoio aos países que receberam o maior número de chegadas (Itália, Malta e Grécia) e distribuir a responsabilidade de forma mais equitativa em toda a União Europeia para salvar vidas e proteger todos os que necessitam.



Publicado por Tovi às 21:08
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 28 de Julho de 2015
E a Grécia ali tão perto

Imigração ilegal no Mediterrâneo Jul2015 a.jpg

A tragédia continua… mas agora cá pela Europa só se fala de como e quantos euros se vão injectar na República Helénica, fingindo que não imaginamos como poderá vir a ser grave o eventual afastamento dos gregos das estratégias geopolíticas europeias. É que não sei se sabem mas a Grécia é mesmo ali no Mediterrâneo.

 

  Comentários no Facebook

«Fausto Santos» >> E ao de leve quase de forma envergonhada, no muro de 175 kms que está ser construído na Hyungria ao arrepio de todos os valores civilizacionais pelo menos decorrentes dos so called Eurepean Values. Nem uma palavra. Estamos a arriscar um desfecho que não serve a ninguém, a atitude de reagir em detrimento de agir tem sempre custos elevados. É um verdadeiro caos e soluções reais e concrectas, nenhuma.



Publicado por Tovi às 10:39
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 8 de Julho de 2015
Queremos aquilo a que temos direito...

...não queremos esmolas

Rui Moreira fundos comunitários 8Jul2015.jpg

 

 A união faz a força.

Fundos comunitários 8Jul2015 b.jpg



Publicado por Tovi às 13:41
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 6 de Julho de 2015
Grécia - o dia seguinte

Grécia referendo dia seguinta a.jpg

Assim de repente não me lembro de nenhum político português que tivesse tido uma atitude parecida com esta.

 

 O que escreveu Varoufakis no seu blog
“Pouco depois de serem anunciados os resultados do referendo, fui informado de uma certa preferência de alguns participantes do Eurogrupo, e de vários parceiros, pela minha ‘ausência’ das reuniões. Uma ideia que o primeiro-ministro considerou ser potencialmente útil para que conseguisse chegar a um acordo. Por este motivo deixo o Ministério das Finanças hoje”.




Domingo, 5 de Julho de 2015
Grécia - «Nai» ou «Oxi»

Grécia oxi nai 5Jul2015.jpg

O futuro da Europa joga-se hoje no referendo em que os gregos são chamados a dizerem se querem ou não aceitar mais austeridade em troca da ajuda internacional. As últimas duas sondagens sobre o sentido de voto dos gregos davam uma delas 44,8% ao “sim” e 43,4% ao “não” e a outra 43% para o “não” e 42,5% para o “sim”. Os resultados oficiais deverão ser conhecidos por volta das 21h00 na Grécia (19h00 em Lisboa), mas é provável que as televisões avancem com projecções logo depois das 17h00 portuguesas, hora do fecho das urnas.

 16h48 - Bruxelas

Membros da comissão europeia estimam que o «Não» (Oxi) consiga ficar à frente com uma diferença entre 8 a 10 pontos percentuais.

 17h00 – Primeiras projecções

Sim (Nai): 46% - Não (Oxi): 49%

 17h06 – Outra projecção

Sim (Nai): 48,5% - Não (Oxi): 51,5%

 17h17 – Resultado provável

Sim (Nai): entre 46,5 e 50,5% - Não (Oxi): entre 49,5 e 53,5%

 17h47 - Vai vencer o «Oxi»...

...a manter-se a tendência das primeiras projecções. Mas a todos aqueles que já festejam de forma estonteante esta vitória recomendo que se recordem das palavras de Plutarco, historiador e filósofo grego nascido em 45 d.C. e falecido em 120 d.C.: “Uma alegria tumultuosa anuncia uma felicidade medíocre e breve”. E eu, que nem sou grego nem filósofo, só espero que nos próximos dias não haja uma tentativa de estrangular financeiramente a Grécia, pois isso seria um erro catastrófico para a Europa.

 18h00 – Últimas notícias

Os negociadores gregos já estão a fazer as suas malas para voltarem de novo a Bruxelas. Merkel já agendou uma reunião com Hollande para segunda-feira à tarde.

 19h16 – Resultados parciais (37,23% de votos apurados)

Sim (Nai): 38,95% - Não (Oxi): 61,05%

 20h28 – Resultados parciais (62,32% de votos apurados)

Sim (Nai): 38,67% - Não (Oxi): 61,33%

 21h15 - Ainda há votos para contar na Grécia...
...mas já não restam dúvidas que podemos desde já exigir ao novo Primeiro-Ministro que sair das próximas Legislativas em Portugal, seja ele Passos Coelho ou António Costa, a apresentação aos portugueses de um plano de reestruturação da nossa dívida que deverão negociar com os nossos credores, a exemplo do que vai fazer o governo helénico. Se não o fizerem durante a campanha eleitoral que se avizinha, passam a ser uns traidores à Pátria.

 Resultados Finais

Não (Oxi): 61,31%

Sim (Nai): 38,69%

Votos registados: 6.161.140 (62,5%)

Votos nulos e brancos: 5,80%



Publicado por Tovi às 08:35
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 1 de Julho de 2015
Calma!... O céu ainda não caiu sobre a Grécia

Público 1Jul2015.jpg

Oh pá!... Tsipras e Varoufakis estão a provar-nos que não são tansos e que até são capazes de levar a água ao seu moinho nesta “guerra” entre os credores e os gregos. Ainda vamos ver o referendo a ser mandado às urtigas e mais uns dias lá teremos todos numa ilha grega a assinar um novo memorando de entendimento.

Vendo friamente o que se tem passado nos últimos dias e tentando não ser influenciado por eventuais simpatias minhas por quem queira mudar o estado a que esta Europa chegou, o mais provável é que seja dada ao governo de Tsipras uma tábua de salvação, mesmo sem o acordo de todos os credores internacionais da Grécia, isto para evitar um descalabro financeiro na União Europeia de consequências completamente imprevistas. A aposta do governo grego num referendo parece-me ter sido uma clara forma dos senhores do Syriza poderem num futuro próximo “justificar” a inevitável não aplicação das políticas anti-austeridade anunciadas, bem como a necessidade de não abandonarem a zona euro. Os próximos dias dirão se tenho ou não razão.

O que dizem estar o governo grego disposto a aceitar num acordo com os credores: Todas as alterações ao IVA propostas pelos credores, exigindo apenas a manutenção do desconto especial de 30% nas taxas aplicadas às ilhas gregas; A nível das pensões só entrar em vigor em Outubro a subida da idade da reforma para os 67 anos; Atribuição de um "subsídio de solidariedade" para os pensionistas mais pobres; Legislação no outono da reforma laboral; Redução da despesa no sector militar em 200 milhões de euros em 2016 e em 400 milhões no ano seguinte.

Alex Tsipras falou aos gregos esta tarde… e aqui fica o que de mais importante disse ao apelar ao voto no «óxi»: “É inaceitável que numa Europa de solidariedade e respeito mútuo existam imagens destas, com filas junto a bancos”; “As sirenes da desgraça são fortíssimas. O povo está a ser chantageado para dizer sim a tudo”; “O Governo vai permanecer na mesa das negociações até ao fim para conseguir melhores condições para a Grécia”; “Os que dizem que o governo tem um plano secreto para tirar o país da zona do euro mentem”; “Eu nunca esperei que uma Europa democrática não desse tempo, nem espaço para um referendo. A democracia tem que ser respeitada, a vontade dos povos dentro da União Europeia tem que ser respeitada”; “Agradeço de coração a vossa calma nestes momentos difíceis. Esta situação não vai arrastar-se e os depósitos não serão perdidos. Assumo pessoalmente a responsabilidade de encontrar uma solução imediata e peço que todos digam não aos memorandos que destroem a Europa”.



Publicado por Tovi às 09:47
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 27 de Junho de 2015
Grécia vai referendar o acordo de resgate

Grécia e Eurogrupo 27Jun2015 a.jpg

 Aos senhores do Eurogrupo não lhes cabe um feijão no cu



Publicado por Tovi às 16:07
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Posts recentes

Da crise alemã à crise eu...

O Expresso nasceu há 45 a...

A República Catalã venceu...

A EMA foi para… Amesterdã...

Nada será como dantes

Greve geral na Catalunha

Macron é o novo President...

Reino Unido accionou o ar...

Andam a gastar dinheiro e...

As Guerras de 2016

Cautela e caldos de galin...

Em França há medo... de t...

Brexit… Como irá ser?

Há quem não se venda por ...

Nova Lei do Trabalho em F...

Tudo vai mal no combate a...

Nada mais assustador que ...

Ataques terroristas em Br...

Acordo entre Reino Unido ...

A cidade apocalíptica de ...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus