"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Segunda-feira, 22 de Junho de 2020
Nuno Markl em guerra com Rui Moreira

nuno markl.jpg

Diz Nuno Markl, atacando o autarca do Porto depois da proibição do espetáculo de Bruno Nogueira, que por cá “se faz uso demagógico da velha ideia de que a cultura e os artistas são forrobodó supérfluo”. Tá-se mesmo a ver que não faz a mínima ideia do que se tem feito pela Cultura na Cidade Invicta... ou então é parvo.

 

   Nuno Markl no Instagram

E assim, no século XXI, se faz uso demagógico da velha ideia de que a cultura e os artistas são forrobodó supérfluo, acirrando a opinião pública contra eles. De notar que tudo isto podia ser feito de outra maneira: começando por não tomar a equipa do [espetáculo] 'Deixem o Pimba em Paz' como um bando de agressores (eles não estão a fazer nada de ilegal, têm salvaguardadas todas as normas de segurança e estão a contribuir para reativar um setor onde há muita gente a passar mal há muito tempo) e abordando um eventual adiamento de uma maneira civilizada.



Publicado por Tovi às 07:43
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 19 de Junho de 2020
Um São João muito especial... no Porto

Porto S João.jpg

 

   19h15 de hoje

São João Bruno Nogueira.png
O despacho hoje assinado por Rui Moreira, anexa uma informação da Proteção Civil e determina que:
a) Os estabelecimentos de bebidas, sem espaço de dança, que não disponham de CAE que permita a confeção de refeições, como sejam cafés, pastelarias e similares encerram a partir das 19h00 do dia 23 de junho e até às 8h00 do dia 24 de junho;
b) Com fundamento em relatório emitido pelo Serviço Municipal de Proteção Civil do Município do Porto, em anexo, o encerramento das salas de espetáculos e recintos similares, a partir das 19h00 do dia 23 de junho e até às 8h00 do dia 24 de junho;
c) Os estabelecimentos de restauração, que disponham de CAE que permita a confeção de refeições encerram a partir das 23h00 do dia 23 de Junho e até às 8h00 do dia 24 de junho.



Publicado por Tovi às 07:02
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 13 de Junho de 2020
Tabu de Moreira condiciona PS e PSD

Captura de Ecrã (296).png
(Artigo de Miguel Santos Carrapatoso, no Expresso deste fim-de-semana)

 

A ano e meio das próximas Autárquicas já andam todos a fazer contas… e Rui Moreira, muito bem, não lhes fará o favor de desfazer o tabu.



Publicado por Tovi às 17:42
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 11 de Junho de 2020
É triste... mas tem que ser

sem nome (3).png

O presidente da Câmara do Porto juntou os conselheiros que fazem parte dos Conselhos Municipais de Segurança e Economia para debater o desconfinamento na cidade. Do debate saiu a ideia unânime de que não pode haver facilitismo quanto às festas de São João e que, além do cancelamento do programa oficial, também os arraiais particulares e os grandes ajuntamentos devem ser evitados. A reunião juntou as principais instituições da cidade no grande auditório Manoel de Oliveira, no Rivoli, na tarde de terça-feira, entre as quais se contavam as forças de segurança, como PSP, GNR e Polícia Municipal, mas também a proteção civil, os responsáveis pelos transportes, como Metro e STCP, e as autoridades de saúde, além dos diversos agentes económicos e representantes dos partidos. Assim, na noite de São João não haverá transportes, não haverá música nas ruas que estarão a funcionar normalmente, mas como fiscalização e policiamento reforçados. Rui Moreira lembrou contudo que o país não estará, em princípio, em estado de emergência e que não possui poderes para proibir que as pessoas se juntem em casa ou circulem nas ruas. O apelo é, pois, para que as sardinhas sejam comidas em família e que não se estrague, numa noite, o admirável exemplo de civismo que os portuenses têm dado ao país. "Hoje não estamos em estado de emergência e esperamos não estar no dia 23 de junho. Mas sendo assim não podemos impedir as pessoas de circular e não podemos tentar impor medidas que as pessoas não cumprem e que não podemos obrigá-las a cumprir", explicou.

  Sardinhas e festa na noite de São João no Porto só se for em casa e nunca aos "centos"

 

 

   Roubado por aí...
103723358_3282125291822260_4751459371579141158_n.j




Terça-feira, 26 de Maio de 2020
TAP quer condenar o Porto a novo confinamento

#mno_CI_TAP_Maia_08.jpg

Foi conhecido esta semana o plano de voo da TAP para os próximos dois meses, sendo que a maioria dos voos que vão ser retomados partem de Lisboa (11 destinos em junho, 42 em julho), ficando a operação no Porto limitada às ligações para Paris, Luxemburgo e Madeira (Funchal), apenas em julho (com um total de sete frequências). Retomada a 18 de maio, com três voos por semana, em vez de 91, a ponte aérea entre Lisboa e Porto (operada a partir de Lisboa) será aumentada apenas em julho, com um aumento para 21 frequências semanais. A confirmarem-se estas informações, não há dúvida que tudo isto é um insulto ao Norte, região que tem o tecido empresarial que mais exporta e mais contribui para o desenvolvimento do país, parecendo até que a nossa companhia de bandeira “está a tentar impor um confinamento ao Porto e Norte (…) a TAP nunca perdeu o vínculo de ser uma empresa de caráter colonial e a sua estrutura nunca pensou de outra maneira”, como afirmou Rui Moreira na conferência de imprensa de hoje, onde estiveram presentes também o presidente da Entidade de Turismo do Porto e Norte, Luís Pedro Martins, os presidentes das Câmaras da Maia, António da Silva Tiago, de Viana de Castelo, José Maria Costa, e de Vila Real, Rui Santos.

  TAP quer condenar o Porto a novo confinamento

 


O Presidente da República afirmou esta terça-feira à agência Lusa que "acompanha a preocupação manifestada por vários partidos políticos e autarcas relativamente ao plano de retoma de rotas da TAP, em particular no que respeita ao Porto".


O secretário-geral adjunto do PS, José Luís Carneiro, desafiou hoje a TAP a corrigir o plano de rotas aéreas tornado público, considerando que a decisão da Comissão Executiva da transportadora aérea de reduzir voos e destinos “lesa o interesse nacional”. 

 

   19h00 de 27mai2020
100088864_2709707575802421_2665949632999194624_o.j



Publicado por Tovi às 16:56
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 18 de Maio de 2020
Sessão de hoje da Assembleia Municipal do Porto

#mno_casario_vista_gaia.jpg

Tendo em conta que “a cidade do Porto apresenta um forte desequilíbrio entre a procura e a oferta de habitação, não só em quantidade, mas também ao nível das rendas e preços praticados quando comparada com o rendimento médio auferido pelos agregados familiares”, era importantíssima a ordem de trabalhos da sessão de hoje (por videoconferência) da Assembleia Municipal do Porto, cujos dois pontos em discussão foram ambos aprovados por maioria, com abstenção dos deputados do PSD e voto contra dos da CDU, BE e PAN.

Ponto 1 - Deliberação sobre a Aprovação da criação do Programa Municipal "PORTO com SENTIDO”. 

Ponto 2 - Deliberação sobre a Aprovação do 1.º Aditamento ao Contrato Programa entre o Município do Porto e a Porto Vivo, SRU. 

Esta iniciativa da Câmara do Porto, agora aprovada em Assembleia Municipal, visa introduzir no mercado do arrendamento de habitação imóveis de dois tipos: habitações atualmente no mercado de alojamento local ou habitações disponíveis no mercado de compra e venda de imóveis e de arrendamento, com respeito pelos mecanismos concorrenciais e plena salvaguarda do interesse público. Através do "Porto com Sentido", o Município estima um investimento superior a 4,3 milhões de euros até 2022, para um total de mil contratos de arrendamento com duração inicial de três a cinco anos. Este valor resulta da consideração de uma renda média mensal estimada de 549 euros, deduzida da renda mensal estimada recebida pelo Município (ambas com valores de referência de 2020).

 

   Ao serviço de quem está a Lusa?

O presidente da Câmara do Porto apresentou hoje um protesto formal à mesa da Assembleia Municipal pela divulgação antecipada, por alguém, dos resultados de uma votação e de uma versão parcial do debate relativo a uma proposta sobre Alojamento Local.
Com efeito, ainda decorria a Assembleia Municipal de forma privada, realizada, nos termos dos decretos excecionais devido à crise COVID-19, através de meios de teletrabalho, e já a Agência Lusa relatava a posição política de alguns partidos, tomando por boa, inclusivamente, a votação, com base num post de Facebook.
O caráter excecional em que têm decorrido as Assembleia Municipal foi definido pelos líderes de bancada em reunião de líderes.
Além do protesto formal, apresentado pelo Presidente da Câmara, que então se ausentou da reunião, o Município irá avaliar uma exposição à Entidade Reguladora para a Comunicação Social acerca do comportamento parcial da Agência de Notícias.
Apesar de acompanhar os trabalhos da Assembleia Municipal, o Gabinete de Comunicação da Câmara do Porto não divulga os resultados das votações antes do seu final, nem os conteúdos e argumentos políticos lá debatidos, por respeito aos intervenientes.
 

   Comentários no Facebook

Carla Afonso Leitão - A comunicação social está verdadeiramente vendida, isso já se sabia, mas termos a Agência Lusa a dar notícia com base em post de facebook, não é por falta de consulta do oráculo "Polígrafo", ou um acaso de atenção especial dada a um feed de mural particular, é um prolongamento simplex de whistle blower coordenado e pormenorizado, on time, com uma Sessão ainda a decorrer, à revelia da conduta determinada democraticamente pelos líderes de Assembleia Municipal do Porto tendo em conta os procedimentos em ambiente virtual, sem comunicação social para salvaguarda da privacidade dos intervenientes em modo de confinamento. Além de grave, é vergonhoso sem pinga de inocência para quem acha que tudo vale. Quem não atende às pequenas coisas, não pode atender às grandes, algo que os portuenses percebem muito bem.

David Ribeiro - Ainda não sei, mas desconfio, quem colocou o tal post no Facebook... é que a CULPA não é só da Lusa.



Publicado por Tovi às 21:32
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 12 de Maio de 2020
Preparando o “dia seguinte”

#mno_visita_RM_PM_comercio_04.jpg

A pandemia COVID-19 ainda não nos largou, mas já há sinais de um abrandamento, quer no número de contagiados quer de mortes… e temos que começar desde já a trabalhar para o “dia seguinte”, que é exatamente o que o executivo camarário do Porto está a fazer: Criação de um Fundo Municipal de apoio ao investimento e ao desenvolvimento económico, dirigido a startups, microempresas e PME's da cidade; Concessão de benefícios fiscais e isenção do pagamento de taxas municipais a comerciantes e outros agentes económicos; Linha de apoio de emergência às associações da cidade; Implementação pelas empresas municipais Domus Social, SRU, Porto Vivo ou Águas do Porto, de minoração dos efeitos negativos derivados da obrigação de suspensão e encerramento da atividade comercial e das restrições impostas à liberdade de circulação de pessoas e bens.

 

   Dados atualizados ao dia de hoje
mundo 12mai.jpg



Publicado por Tovi às 07:50
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 10 de Maio de 2020
Neste Porto que arregaça as mangas

#mno_visita_RM_PM_comercio_12.jpg

"Ao longo da sua história, as gentes do Porto nunca viraram a cara a luta e sempre ultrapassaram, estoicamente, as mais duras adversidades. Num período em que mais uma vez somos postos à prova, o regresso à nova normalidade faz-se com serenidade, segurança e prudência. Do Mercado Temporário do Bolhão ao comércio de rua da baixa portuense, Rui Moreira viu que há um sorriso rasgado por detrás de cada máscara, que os olhares não deixam mentir, e uma vontade imensa de servir a cidade com a força do trabalho. A amistosa receção dos comerciantes do Bolhão está, por enquanto, substituída por "coteveladas" como forma de cumprimento." (in  "o portal de notícias do Porto.")

 

  COVID-19 - Situação em Portugal e Região Norte

27581 casos confirmados (15952 na Região Norte)
1135 mortos (648 na Região Norte)
norte 10mai.jpg



Publicado por Tovi às 09:53
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 27 de Abril de 2020
Combater o COVID-19 e os seus danos colaterais

O relatório de situação da COVID-19 apresentado diariamente pela Direção Geral de Saúde disse-nos ontem (26abr2020) que no Norte temos 14386 casos confirmados (60,3% do total nacional) e 519 mortes (57,5% do total nacional), continuando a ser a região nortenha a mais sacrificada em Portugal. Já foram ditas algumas barbaridades sobre as razões demográficas e sociológicas destes números, sugerindo alguns “comentadores” níveis de educação dos Nortenhos abaixo da média nacional – não esquecemos uma frase infeliz apresentada no ecrã de uma emissão da TVI – mas a verdade é que no Norte, nomeadamente na cidade do Porto, muito se fez para combater este flagelo. Vejamos o que de mais importante se fez na Cidade Invicta neste combate, com especial incidência nas ações de minimização dos danos colaterais:

image.jpg

a) Isenção, pela empresa municipal Porto Vivo – SRU, do valor total das rendas devidas pelos seus arrendatários comerciais, bem como de espaços destinados a serviços, a título de apoio por perdas derivadas da obrigação de suspensão e encerramento da atividade comercial e das restrições impostas à liberdade de circulação de pessoas e bens, ficando a mesma em vigor por um período alargado, até 30 de junho de 2020.

b) No Queimódromo, a Unilabs, com o apoio da autarquia e da ARS Norte, está a testar perto de 6 mil pessoas, num sistema que foi melhorado, permitindo que os carros, que até ali ficavam em fila na Estrada da Circunvalação, passassem para o interior do parque onde podem aguardar em maior segurança.

c) «Hospital de Campanha Porto.», instalado pela Câmara do Porto no SuperBock Arena - Pavilhão Rosa Mota, com o apoio de diversas entidades e empresas, com capacidade para receber até 320 doentes, servindo sobretudo para aliviar os dois hospitais da cidade no combate à doença COVID-19, que assim se podem dedicar a casos menos leves e mais graves.

d) Criação de uma Linha de Apoio de Emergência às Associações do Porto, no valor de 150.000 euros, que permitirá, de imediato, ajudar as associações a ultrapassar dificuldades de tesouraria que as atingem.

e) Aceitação da doação dos 30 ventiladores para tratamento de doentes com COVID-19, entregues à Câmara do Porto pela Fundação Jack Ma. Os dois centros hospitalares da cidade já têm na sua posse, cada um, 15 equipamentos, oferecidos pelo magnata chinês, que a Forbes identifica como um dos homens de negócios mais importantes do mundo.

f) Rastreio, por iniciativa da Câmara do Porto e com o apoio dos hospitais e centros de saúde e de uma fundação privada que ofereceu à autarquia os kits de teste, de todos os lares de idosos, de pessoas com deficiência e centros de acolhimento de cidadãos sem-abrigo da cidade do Porto (oficiais, informais, legais ou ilegais), incluindo todos os utentes e todos os funcionários destas estruturas.

g) O Município do Porto lançou um microsite – covid19.porto.pt - sobre a COVID-19, que reúne as medidas de âmbito municipal e nacional adotadas no combate à pandemia, e onde também é partilhada informação útil para cidadãos e empresas, de natureza diversa.

h) Num contexto de combate à COVID-19 e dada a "disponibilidade contínua de ambas as associações para ações complementares de prestação de socorro", o Executivo de Rui Moreira vai atribuir 40 mil euros a cada uma das corporações de bombeiros voluntários da cidade - Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Porto e Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários Portuenses.

i) Contratos interadministrativos (190 mil euros), suportados pela autarquia do Porto, visando custear atividades extras das escolas que agora se encontram suspensas, permitindo usar verbas para aquisição de material informático e Internet para alunos que estejam impedidos, por falta de dispositivos, de aceder ao ensino à distância.

j) Porto Solidário - Criado em 2014 (programa proposto por Rui Moreira na campanha eleitoral em 2013) e que concedia ajuda a 2.336 famílias, através da concessão de um apoio mensal à renda ou à prestação bancária, durante 12 meses, vai agora estender o apoio para dois anos, por proposta do vereador Fernando Paulo, investimento num total de cerca de 5,9 milhões de euros, essencial para garantir o direito à habitação às famílias mais carenciadas.



Publicado por Tovi às 02:10
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 14 de Abril de 2020
Mais um disparate da TVI

93839061_2883342271754135_8916048761545818112_n.jp
Foi esta a conclusão a que chegaram uns "intelectuais", daqueles que mandam bitaites nas tv's nacionais, sobre os motivos porque o Norte foi mais castigado pelo COVID-19. Já não há paciência para tanta estupidez.

   Comentários no Facebook

David Ribeiro - Segundo os “intelectuais” que mandam bitaites na TVI sobre este assunto, seguramente que Espanhóis, Italianos, Belgas, Franceses, Holandeses, Britânicos, Suíços e Suecos têm uma “população menos educada, mais pobre, envelhecida e concentrada em lares” do que na Região Norte de Portugal (onde as mortes por milhão de habitantes são de 82,1).
mundo morte p m 13abr.png

Raul Almeida - Isto é a população do Norte. Agora imaginem como será quem escreve e quem permite que se publique uma coisa destas. Há alturas em que percebemos que o país tem problemas infinitamente maiores do que o COVID-19. Para o Covid é previsível que venha a haver cura ou vacina.

António Alves - Há quem ache que o Norte é uma realidade homogénea. Que o interior transmontano ou o Tãmega é igual ao Grande Porto e ao Litoral. Na Itália é precisamente a região mais rica e industrializada, a de Milão, a que tem mais casos. Em Portugal são igualmente os concelhos mais industrializados da Área Metropolitana do Porto e Norte Litoral os mais afectados. E também dos mais ricos do país, em poder de compra per capita - Porto, Matosinhos, Maia, Braga, Gaia -, depois de Lisboa e Oeiras. Como diz o meu amigo Pedro Sousa Chichorro, a falta que o futebol faz a muita gentinha.

Carlos Amadis - Porque é que a televisão está em decadência? Por isto. Para a TVI, a população do Norte é menos educada. No Sul as pessoas são mais educadas e formadas. Os lobbys não querem a Regionalização para poderem continuar a manter o status quo do País. Manter o "stablishment" nas pessoas de forma a intocar a Narrativa de um País a duas velocidades e a dois níveis civilizacionais. O problema não é Lisboa. Lisboa é linda. O problema são os saloios de Lisboa. Eu tenho nojo da Comunicação Social Portuguesa.

Rui Moreira - (...) O “Norte”, esse ponto cardeal que a TVI confunde com o Porto e vice-versa, e que imagina Viana do Castelo como uma freguesia da cidade Invicta e Braga como a sua periferia, não está provado que tenha gente mais mal-educada ou mais bem-educada do que Lisboa, da mesma forma que não se provou ainda que Lisboa tenha mais ou menos estúpidos que a Amadora, como na mesma lógica da TVI, seria apropriado dizer-se. (...)

Ana Alyia - Pela mesma lógica eu não apanho covid sendo que sou educada, não sou tão pobre ainda não sou velha e não vivo em lar. Já estou a imaginar o vírus a fazer uma seleção criteriosa "és educado? Ah ok então vou procurar outro para atacar". Valhamedeus nunca ouvi afirmação tão descabida.

Nuno Botelho - Há uma legitima indignação a respeito da peça de ontem da TVI sobre as razões da incidência do Covid19 no Norte. A própria TVI já veio apressar-se a pedir desculpas, reconhecendo a gravidade do disparate. A grande verdade é que o Norte é a região mais exportadora do país, com forte espírito empreendedor que a leva a sair de portas para fazer negócios e a procurar novos mercados, com um peso relevante da indústria (e não há indústria em tele-trabalho...). Como em Itália, também em Portugal houve um maior número de casos na região mais dinâmica e mais aberta ao mundo. Ao contrário de Lisboa, que centraliza Estado, despesa e funcionários, além de concentrar a quase totalidade das compras e dos fornecimentos públicos, como explica oestudo da Associação Comercial do Porto sobre o tema. O Norte pode não ser a Lombardia, mas Lisboa cai demasiadas vezes na tentação de um certo imperialismo romano.

   Comunicado do Diretor de Informação da TVI, Sérgio Figueiredo

O Jornal das 8 de ontem emitiu uma peça que pretendia explicar os motivos que levam a Região Norte a constituir-se como a parte do território nacional onde a Covid-19 regista um número bastante superior de casos positivos e de óbitos devido à pandemia, face às outras regiões.
Desde o primeiro momento em que o assunto foi internamente discutido, logo na reunião da manhã de preparação do jornal – onde participou o editor habitual do Jornal das segundas-feiras, Miguel Sousa Tavares, o pivot José Alberto Carvalho, eu próprio e outros editores da TVI – a preocupação era legítima e construtiva: porquê e como responder àquelas populações particularmente afetadas?
Do ponto de vista jornalístico é normal que se questionem as razões que, numa só região, e segundo os dados oficiais, se registem 60% de todas as pessoas infetadas e 57% dos óbitos do país devido à doença. E do ponto de vista social consideramos que questionar é o primeiro passo para encontrar as respostas necessárias na resolução do flagelo.
Os nossos procedimentos foram os de sempre: à nossa jornalista destacada para a conferência de imprensa diária da DGS foi pedido que procurasse junto das Autoridades de Saúde uma explicação; o José Alberto Carvalho perguntaria sobre isso ao epidemiologista entrevistado em direto no Jornal (o que aconteceu) e a autora da reportagem recolheu a análise de vários especialistas, dois aceitaram ser entrevistados e entraram na peça.
Apesar de todas as redações que produzem jornalismo estarem a trabalhar em condições terríveis, em que nenhum de nós até hoje tinha vivido, a TVI fez o que estava certo: questionou algo relevante, falou com quem sabe e produziu uma reportagem com uma intenção genuinamente construtiva e socialmente relevante.
Isto não justifica, porém, a construção de uma frase infeliz no ecrã, nem a parte do texto que a suportava. Nomeadamente aquela que, entre as razões demográficas e sociológicas indagadas, sugeria níveis de educação abaixo da media nacional. Essa frase foi por muitos interpretada como uma ofensa às gentes do Norte – o que não era evidentemente o nosso propósito.
Nem é essa a tradição da TVI, que historicamente mantém uma relação de grande proximidade com as populações e de ligação à Região. No caso concreto da Informação, concentramos boa parte dos nossos recursos na redação do Porto e em duas delegações regionais que cobrem acontecimentos diários do litoral ao Interior.
Com a mesma humildade que a todos pedimos desculpas por um erro que somos os primeiros a lamentar, temos a convicção que a TVI não deve a ninguém, em esforço, em tempo de antena, em grandes eventos desportivos e culturais que promovemos ou patrocinamos, a relevância que o Norte merece e justifica na mancha de cobertura informativa que diariamente, semana após semana, anos a fio, aqui lhe temos dedicado e que continuaremos a fazê-lo.
Da mesma forma que um erro grosseiro – que não foi previamente detetado nestas difíceis condições em que a pandemia também coloca ao trabalho dos jornalistas e de uma televisão – não caracteriza todo um Jornal e, menos ainda, uma estação televisiva que todos os dias acorda guiada pela sua mais nobre missão que é servir os portugueses. Sem exceções e sem discriminações de natureza alguma.

 

   Situação em Portugal e Região Norte

17448 casos confirmados (10302 na Região Norte)
567 mortos (321 na Região Norte)
COVID19 PortNorte 14abr.jpg



Publicado por Tovi às 09:33
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 5 de Abril de 2020
O que é o COVID-19... para totós

Roubei ao Augusto Duarte Silva...

Dados úteis sobre o vírus Corona enviados pela Universidade Johns Hopkins. (As minhas desculpas pela tradução apressada do inglês)
* O vírus não é um organismo vivo, mas uma molécula de proteína, coberta por uma camada protetora de gordura que é absorvida pelas células da mucosa ocular, nasal ou bucal, causando o contágio.
* Como o vírus não é um organismo vivo, ele não é morto, mas se decompõe por si próprio. O tempo de desintegração depende da temperatura, humidade e do tipo de material em que se encontra.
* A única coisa que protege o vírus é a fina camada externa de gordura. É por isso que qualquer sabão é o melhor meio de o destruir, porque a espuma de sabão dissolve a gordura. Para isso é preciso esfregar por pelo menos 20 segundos e fazer muita espuma. Ao dissolver a camada de gordura, o vírus desintegra-se.
* O calor derrete a gordura; por isso deve-se usar água acima de 25 graus para lavar as mãos, roupas e tudo mais. A água quente produz mais espuma, o que a torna ainda mais eficaz.
* Álcool ou qualquer líquido com álcool superior a 65% dissolve qualquer gordura, incluindo a camada lipídica externa do vírus, provocando também a sua desintegração.
* Qualquer mistura com 1 parte de hipoclorito (lexivia) e 5 partes de água dissolve a proteína do vírus, destruindo-o.
* O peróxido de hidrogénio (água oxigenada) também é eficaz, depois do sabão, álcool e cloro, porque dissolve as proteínas do vírus, mas é necessário usá-lo puro o que causa lesão da pele.
* Os antibióticos não são eficazes. O vírus não é um organismo vivo como as bactérias; Não se pode matar o que não é um organismo vivo com antibióticos.
* O vinagre não é útil porque não dissolve a camada protetora de gordura do vírus.
* As bebidas alcoólicas não são eficazes. A vodka mais forte só tem 40% de álcool. Para ser eficaz é necessário álcool a 65%.
* Numa superfície porosa como a roupa, o Corona vírus desintegra-se após 3 horas, 4 horas em superfícies de cobre e madeira, 24 horas em papelão, 42 horas em metal e 72 horas no plástico.
* NUNCA agite roupas, lençóis ou roupas usadas ou não utilizadas e não use espanador, pois as moléculas do vírus flutuam no ar por até 3 horas e podem ser aspiradas pelo nariz ou pela boca.
* As moléculas virais permanecem muito estáveis no frio exterior ou artificial produzido pelos aparelhos de ar condicionado. Também precisam de humidade para permanecer estáveis e principalmente de escuridão. Portanto, ambientes secos, quentes e brilhantes o degradam mais rapidamente.
* A luz ultravioleta em qualquer objeto que possa conter vírus, lesa a proteína do vírus. É útil para por exemplo, desinfetar e reutilizar uma máscara.
* O vírus não atravessa uma pele saudável.
* Quanto mais limitado é o espaço onde se encontram as pessoas, maior a concentração do vírus. Quanto mais aberto ou naturalmente ventilado, menor a concentração e menor a possibilidade de contágio.
* Lave as mãos antes e depois de tocar nas membranas mucosas (boca, nariz e olhos), na comida, nas fechaduras, maçanetas, interruptores, controle remoto, telefone celular, relógios, computadores, mesa de trabalho, TV, etc.
* Mantenha também as unhas curtas para que o vírus não se aloje sob as unhas.

 

  Obrigado aos nossos amigos de Xangai e Macau

Captura de Ecrã (85).png

 

   Situação em Portugal e Região Norte

11278 casos confirmados (6530 na Região Norte)
295 mortos (158 na Região Norte)
COVID19 5abr.png



Publicado por Tovi às 07:44
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 1 de Abril de 2020
Hospital de Missão no Porto

Captura de Ecrã (74).png
Uma conjugação de esforços entre a Câmara do Porto, a Secção Regional do Norte da Ordem dos Médicos, a Ordem dos Enfermeiros, o Exército Português e o concessionário do equipamento Super Bock Arena - Pavilhão Rosa Mota.

 

   Situação em Portugal e Região Norte

8251 casos confirmados (4910 na Região Norte)
187 mortos (95 na Região Norte)
COVID19 1abr.png



Publicado por Tovi às 07:39
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 31 de Março de 2020
Cerca sanitária ao Porto... um disparate

Quando ontem ouvi as primeiras notícias sobre uma hipotética “cerca sanitária ao Porto” sempre pensei que, a acontecer, seria no mínimo para o Grande Porto e nunca para a cidade, sendo óbvio que considerando só o município seria um completo disparate.
Captura de Ecrã (70).png

 


Está certo... cada um de nós vale por dois
Captura de Ecrã (71).png

 

 

   Situação em Portugal e Região Norte 

7443 casos confirmados (4452 na Região Norte)
160 mortos (83 na Região Norte)
COVID19 31mar.png
Nas últimas 24 horas a Região Norte registou um acréscimo recorde de 651 casos confirmados de COVID-19, o que se deverá seguramente ao facto de se ter feito muitos mais testes. O número de mortos na Região e neste mesmo período subiu unicamente mais 9 casos, o que é um boa notícia, tendo em conta que nos últimos três dias o aumento andava nos +13, +17 e +11.



Publicado por Tovi às 07:24
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 20 de Março de 2020
Rui Moreira… no Expresso

Captura de Ecrã (36).png

Ultrapassado o pico da crise, algures nos próximos meses, precisaremos de restabelecer a normalidade possível. Como fizemos com a ameaça terrorista, com a qual nos habituámos agora a viver.

Muitos usos e costumes serão alterados: é provável que o aperto de mão e o beijinho deixem de ser coisa vulgar, e é quase inevitável que muitos de nós optem por utilizar máscaras no exterior e nos transportes públicos, o que aliás já era um comportamento vulgar no Extremo-Oriente.

No futuro imediato, a redução na produção não conseguirá recuperar a tempo de compensar o ressurgimento da procura.

A curva ascendente nunca será tão acentuada como foi a curva descendente dos mercados, nestes dias de crise. Surgirão, seguramente, novas oportunidades, novas modas e novos conceitos na distribuição.

É muito possível que, com o medo e depois do medo, e tal como acontece depois de qualquer guerra, surja uma relativa primavera demográfica.

Com a muito provável falência do sistema bancário privado, os cidadãos – e até os pequenos e médios empresários – irão exigir que o Estado, direta ou indiretamente, passe a atuar como agente de crédito. Porque ninguém será capaz de explicar um novo resgate.

Os nacionalismos e os populismos continuarão a fazer o seu caminho. Mas também isso é uma crise que mais cedo ou mais tarde passará. É uma fase, uma moda, um palco de gente excitada.

No dia em que voltarmos a poder sair à rua, já ninguém quererá perder o seu tempo a olhar as goelas infetadas no Facebook.

   Notícia completa aqui



Publicado por Tovi às 10:52
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 13 de Março de 2020
Uma luta pela nossa sobrevivência

DOC.20200312.28429415._23A1573-2-1068x712.jpg

Em conferência de imprensa, o primeiro-ministro português anunciou o encerramento de todos os estabelecimentos de ensino em Portugal. Uma medida que será reavaliada no dia 9 de Abril para projetar o terceiro período do ano letivo.
O primeiro-ministro revelou também que espaços noturnos vão ser fechados e vai ser reduzido em um terço o acesso a restaurantes para haver maior espaçamento entre clientes e será limitado o acesso a centros comerciais e espaços públicos.
Os navios de cruzeiro vão poder aportar em Portugal mas os passageiros não vão poder desembarcar, exceção feita a cidadãos portugueses que estejam de regresso ao território português.
Tal como já tinha sido decretado para a região norte, o Governo anunciou que serão limitadas as visitas a todos os lares de idosos em todo o país, para proteção do maior grupo de risco.
Garantindo que o Conselho de Ministros vai adoptar medidas para as empresas e famílias e que vai tentar ajudar as famílias e profissionais de saúde e segurança, António Costa afirmou que espera que os portugueses deixem a ansiedade de lado.
As novas medidas vão entrar em vigor na próxima segunda-feira, dia 16 de março.

 

   Declaração de Rui Moreira, Presidente da Câmara Municipal do Porto

#mno_corona_virus_comunicado_01.jpg

Caros cidadãos do Porto.
O Mundo Moderno está a enfrentar um desafio que nunca antes enfrentou. Trata-se de uma guerra contra um vírus de que não conhecemos ainda tudo, mas que sabemos ter atingido em Itália uma elevada taxa de mortalidade entre os infectados. E sabemos que é muito contagioso, tendo-se já espalhado por praticamente todo o Planeta.
O Porto teve o paciente zero em Portugal (o primeiro infectado de que houve conhecimento médico), faz parte da Região do País de que é o epicentro e que mais casos de infecção e suspeitos de Covid-19 apresenta.
É também no Porto que está um dos hospitais de referência do País e o que mais tem sido afectado do ponto de vista de serviço. No Porto há aliás dois extraordinários hospitais, ambos dotados dos melhores profissionais de saúde, tanto do ponto de vista técnico como na extraordinária capacidade de dedicação e abnegação.
É para eles a primeira palavra que deixo. São pessoas que literalmente arriscam a sua saúde pela nossa e a quem devemos um enorme respeito e, sobretudo, obediência relativamente àquilo que são os seus conselhos e determinações.
O Governo de Portugal tem tomado as medidas duras que entende deve tomar e, dentro das possibilidades do País, tudo está a fazer para conter a infecção, até ao momento, com relativo sucesso, pois Portugal não é neste momento um dos países europeus onde a situação seja mais grave.
Não sendo ainda muito grave, é potencialmente muito grave e só a nossa determinação colectiva pode ajudar a que seja contida.
Tendo em conta as determinações da Organização Mundial de Saúde, das autoridades europeias e as das autoridades nacionais, não restam dúvidas que a circulação de pessoas e o seu convívio social é o primeiro factor de contágio.
O Governo tomou medidas de contenção a nível nacional. Ao presidente da Câmara do Porto, ao seu Executivo, aos técnicos e responsáveis municipais cabe saber interpretar o sentido da declaração do Senhor Primeiro-Ministro e do Conselho de Ministros e, se possível, contribuir com algo mais para travar a disseminação do vírus.
O Município do Porto tinha já tomado medidas específicas há alguns dias, cancelando eventos culturais e grandes concentrações de pessoas, encerrando alguns serviços que podem ser encerrados, sem pôr em causa o normal funcionamento da cidade.
Contudo, entendemos que chegou agora a altura de ir mais longe, tomando medidas mais severas, sempre com o mesmo sentido de limitar os contágios potenciais. Estas medidas são também tomadas no Porto tendo em conta a realidade que percepcionamos nos nossos gabinetes, na forma como os nossos trabalhadores estão a enfrentar a ameaça e no alarme público que a cidade portuguesa que é o epicentro da crise está a viver.
Assim, decidi hoje, em articulação com os meus serviços, emitir um despacho que tornamos público no nosso site www.porto.pt e que, resumindo, entre muitas outras medidas, determina a paragem de tudo o que pode parar, desincentivando a circulação e o convívio social, reduzindo os contactos que são a fonte de contágio desta doença.
Excepto determinados serviços mínimos municipais, como os da Protecção Civil e outros tipos de resposta fundamentais, enviaremos para casa todos os trabalhadores municipais que possamos dispensar, ficando vinculados ao teletrabalho ou à disponibilidade de contacto telefónico, por forma a assegurarmos a sua permanência na residência.
Estes trabalhadores não estarão nem de férias nem de baixa. Estarão a trabalhar em casa, pelo que manterão todas as suas regalias sociais e vencimento. É também uma forma de resolver o problema criado pelo encerramento das escolas e assegurar que não é motivo para que os seus filhos fiquem desacompanhados ou tenham que ser entregues a um ATL ou aos avós.
Por outro lado, iremos fechar parques públicos e todos os equipamentos municipais que não tínhamos ainda encerrado, mantendo apenas a disponibilidade da distribuição das refeições escolares, num sistema diferente e que assegura melhor a distância social.
A Protecção Civil e os serviços relacionados com abastecimento de água e outros serviços essenciais continuarão a funcionar.
Por outro lado, além do vasto pacote de medidas que podem conhecer no despacho, estamos a trabalhar com as unidades de saúde em vários aspectos em que a Câmara do Porto pode, eventualmente, ser determinante.
Em simultâneo, estamos em contacto com laboratórios privados que se disponibilizaram a montar um sistema de rastreio público que apenas acontecerá se e nas condições que as autoridades de saúde vierem a aprovar. Visa aumentar a percentagem de população testada e, simultaneamente, evitar que muita gente recorra às saturadas unidades de saúde.
Entrei também já em contacto com os nossos parceiros na China, nomeadamente em Macau e Shenzhen, onde ainda recentemente estive e estabeleci contactos ao mais alto nível, nomeadamente com o Mayor de Shenzhen, a mais tecnológica cidade do Mundo.
A ideia é podermos importar de Shenzhen equipamentos essenciais para acudir aos infectados em situação aguda, como é o caso de ventiladores que são produzidos naquela cidade chinesa e com certificado europeu.
Só graças à extraordinária relação que temos com o Governo de Macau, com o seu representante em Portugal, o Senhor Doutor Alexis Tam, e ao facto de o Porto estar geminado quer com Macau quer com Shenzhen é possível esta diligência estar a ser feita. Quero por isso deixar um agradecimento especial ao Senhor Doutor Alexis Tam, mas também ao Mayor de Shenzhen e ao Gabinete dos Assuntos de Hong Kong e Macau.
Naturalmente, toda esta operação está a ser articulada com a administração do Hospital de São João do Porto e com a ARS Norte, a quem já manifestei total disponibilidade do Município para prestar, dentro das suas possibilidade, todo o apoio que lhe for possível.
Quero registar com especial agrado a serenidade e responsabilidade dos nossos trabalhadores. De cada um deles. Mas também das instituições do Porto, que foram prontas, nos últimos dias, em seguir o que o Município do Porto determinou quanto a encerramentos e cancelamentos, adoptando a nossa bitola e acompanhando as nossas preocupações.
Deixo uma última palavra a todos os que me possam escutar. Não facilitem. Sejam responsáveis, convosco mas também com os outros. Os contactos que temos também feito com os agentes económicos do sector da distribuição dão-nos garantias de que não está em causa a falta de suprimentos alimentares e essenciais.
Existe em armazém e existe rede para alimentar as prateleiras dos supermercados. Não há necessidade de ter em casa grandes quantidades de nenhum produto. Ao contrário, isso pode até ser contraproducente para o sistema de distribuição.
Quero, por isso, apelar à responsabilidade individual e assegurar que, quer internamente quer externamente, tudo o que o Município do Porto possa fazer, fará. Mesmo que por isso possa ser criticado.
Meus caros concidadãos,
A situação irá agravar-se nos próximos dias. Está na nossa mão, na vossa mão, atenuar a situação e a propagação da doença.
Se tudo correr bem, haveremos de voltar à normalidade. Coisas que até há dias faziam parte da nossa rotina, e que agora estão proscritas, voltarão a ser normais. A economia, que sofre já um rude golpe, há-de recuperar. Tudo isso sucederá mais depressa se todos soubermos, hoje, respeitar a nossa integridade e a do próximo.
Rui Moreira
13 de Março de 2020



Publicado por Tovi às 07:41
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Setembro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9



29
30


Posts recentes

CDS-Porto apoia Rui Morei...

Greve nos refeitórios das...

E quem paga os prejuízos?

É necessária uma recandid...

Batota!... disse o Profes...

Memória da Revolução Libe...

Revolução Liberal de 1820...

E s c a n d a l o s o ! ....

Um autêntico “Tratado de ...

Conferência JN

As primeiras casa de rend...

O que é necessário fazer ...

Pois é !...

Plano de abertura presenc...

Prestação de contas do an...

Nuno Markl em guerra com ...

Um São João muito especia...

Tabu de Moreira condicion...

É triste... mas tem que s...

TAP quer condenar o Porto...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus