"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Segunda-feira, 29 de Julho de 2013
Bacalhau com Grão da Ramirez

 

Esta conserva da Ramirez - Bacalhau com Grão (Meia Desfeita) - é uma delícia. Já provaram?


«Mila Prozac» no Facebook >> Ainda não... mas obrigada pela dica!

«David Ribeiro» no Facebook >> É mesmo muito boa esta conserva e tem um preço muito simpático (cerca de 1,80 euros no Continente). Já tinha comprado há umas semanas mas só ontem provei.

«Jorge Veiga» no Facebook >> tenho de experimentar...

«Zé Carlos» no Facebook >> David Ribeiro, caso não conheça, tem de provar as conservas de atum de Santa Catarina dos Açores. Uma delícia

«David Ribeiro» no Facbook >>  Eu conheço as Conservas Santa Catarina, Zé Carlos. Costumo comprá-las n'A Favorita do Bolhão (no Porto), onde há sempre uma grande e boa variedade de conservas.

«Jorge Veiga» no Facebook >> Adoro as Ovas de Sardinha de uma conserveira do Algarve (não sei o nome). São óptimas! Compro-as na Chinesinha da Sá da Bandeira.

«David Ribeiro» no Facebook >> A Propeixe (de Matosinhos) tem uma variedade muito jeitosa de conservas de ovas. - Ovas de Sardinhas em Azeite da Propeixe

«Jorge Veiga» no Facebook >> Algumas conservas de ovas de sardinha ou cavala têm no tempero cravinho e eu não gosto do paladar, mas é pessoal.




Quinta-feira, 18 de Abril de 2013
Ovas de Sardinhas em Azeite da Propeixe

Ena pá!... Que maravilhosas são estas conservas de Ovas de Sardinha em Azeite, um produto artesanal da Propeixe.

{#emotions_dlg.star} Ovas de sardinha da Propeixe - A Propeixe é um produto de fabrico artesanal. A Propeixe é uma organização de produtores sediada em Matosinhos, cuja missão é a gestão da maior frota de pelágicos do país. Desde a sua fundação em 1985, a sua preocupação é valorizar o produto da pesca dos seus associados, que globalmente capturam mais de trinta por cento da produção nacional das espécies capturadas pela arte do cerco. Nesse âmbito, a Propeixe enveredou pela verticalização da sua actividade, dando início ao processo de transformação e conservação do pescado, provenientes das suas capturas. Sendo a qualidade o lema da Propeixe, o pescado é rigorosamente seleccionado, desde a captura, até à sua transformação em conserva. O método de produção é o pré-cozido artesanal, fruto dos conhecimentos e práticas ancestrais, que conferem ao produto uma qualidade e textura únicas. Todas as espécies e com especial predominância a sardinha, são expressamente congeladas no período em que registam os teores de gordura e paladar adequados, devidamente seleccionadas e acondicionadas, sendo de imediato ultracongeladas, o que permite preservar as propriedades organológicas e nutricionais e o seu sabor característico, garantindo um produto de alta qualidade e de grande longevidade.



Publicado por Tovi às 19:44
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 9 de Novembro de 2012
1º Festival Gastronómico de Conservas de Matosinhos

   A não perder... {#emotions_dlg.smile}




Domingo, 26 de Agosto de 2012
Mulher morta por cão de raça perigosa

"Animal, raçado de leão da rodésia e pitbull" - Já era tempo de se punir exemplarmente quem "cria" cães sem consciência do que está a fazer.

{#emotions_dlg.meeting} [JN] - Um cão de raça perigosa atacou e matou, esta sexta-feira à noite, uma mulher de 46 anos, na Rua do Sul, em Matosinhos. O animal, raçado de leão da rodésia e pitbull, abocanhou o pescoço da vítima, depois desta ter-lhe negado um pão que tinha na mão. Cristina Afonso estava desempregada e vivia com a mãe acamada e o filho de 20 anos (que era o proprietário do cão) na casa n.º 44 daquela rua. O ataque do cão, com pouco mais de um ano de idade e chamado Ibiza, terá atingido a artéria carótida e teve morte imediata. (...) "Quando eu cheguei, ela já estava morta", conta a filha da vítima, à porta da casa onde ocorreu a tragédia: "Sei que ela estava a sair do quarto da minha avó e vinha a comer um pão. O cão fez-se ao pão, a minha mãe fez-lhe frente e ele atacou-a". (...) "O cão tinha o vício de rosnar, mas obedecia muito bem a mim e ao meu irmão. Também não fazia mal à minha avó, mas não obedecia à minha mãe", lembra.


«Fernando Duarte» in Facebook >> o problema não é o cão, é o dono, espero que o dono desse cão já esteja atrás das grades.  recordas-te a conversa que tivemos há poucos dias, justamente sobre cães perigosos ou potencialmente perigosos, e sobre o facto de um cão "Serra da Estrela" ser considerado "potencialmente perigoso" No Decreto-Lei n.º 315/2009 o legislador prevê, no artigo 3° alínea c),  que certos cães, pelas suas características, possam ser considerados potencialmente perigosos, e como medida cautelar obriga os seus donos a tomar as mesmas medidas de segurança que existem para os cães perigosos, ou seja : Vedações com, pelo menos, 2 m de altura em material resistente, que separem o alojamento destes animais da via ou espaços públicos ou de habitações vizinhas; Seguro de responsabilidade civil de acordo com a legislação; e são obrigados a ter microchip desde 1 Julho de 2004. Decreto-Lei n° 313/2003, de 17 de Dezembro. """c) «Animal potencialmente perigoso» qualquer animal que, devido às características da espécie, ao comportamento agressivo, ao tamanho ou à potência de mandíbula, possa causar lesão ou morte a pessoas ou outros animais """

«Fernando Gomes» in Facebook >> Pela alínea c), todos são potencialmente perigosos!

«Fernando Duarte» in Facebook >> não é bem assim, a alínea c) fala de do comportamento agressivo, do tamanho ou da potência de mandíbula ou mesmo do comportamento agressivo e que isso possa causar lesão a pessoas...

«Fernando Gomes» in Facebook >> Qualquer cão tem potencia de mandíbula suficiente para esmagar uma carótida. mesmo um chihuahua! Mas eu não me importo que as pessoas seja mortas pelos cães porque ainda há dias vi, em direto na televisão, um conjunto de parvalhões convencidos que têm sangue azul, a divertirem-se a torturar um touro numa arena fechada onde o pobre não pode escapar. Que os cães vinguem os touros!!!

«João Garcês» in Facebook >> O problema aqui não são os cães, mas sim os humanos. Quem legislou não percebe nada disto, é um pacóvio de secretária que deve ter um medo danado de cães. Um cão age como um cão, comporta-se como um cão, e nada mais... O Homem ainda não se sabe comportar como um Homem, é demasiado complicado. No dia em que isso acontecer os problemas ficam resolvidos. A Vereadora da Câmara do Porto parece ser uma senhora que percebe do assunto dadas as declarações dela. Aquilo era um ambiente demasiado explosivo e demasiado pequeno e o cão não saía de casa, pelo que ao animal teve que conquistar o seu lugar. Um cão age como um cão e nada mais... não se empola a questão para abafar outras....

«Zé Zen» in Facebook >> Uma pequenissima precisão para os que eventualmente possam desconhecer: O" leão da Rodésia", é uma raça de cão tão pacifico como qualquer Rafeiro alentejano ou cão de fila português. Tive um "Bouvier Bernois" extremamente meigo que, um dia perante um gesto infeliz de um amigo meu (forte palmada nas minhas costas), o cão quase o abocanhou pelo pescoço. Se eu não o tivesse mandado parar, provavelmente o meu amigo estaria a bater tijolo.

«Fernando Gomes» in Facebook >> Voltando ao primeiro post do David Ribeiro (somos todos gente dos cães), não em parece fácil punir quem faz estes cruzamentos inter rácicos despropositados mas, por outro lado, parece-me relativamente fácil educar os adquirentes deste tipo de cães. Quem quer um cão "cruzado" de Pitbull, está claramente a pedir sarilhos e acabará sempre por tê-los por mais voltas que queiram dar. Educar as pessoas para educarem os cães e serem criteriosas na escolha das raças não é tão difícil assim.

«João Garcês» in Facebook >> Zé Zen Um Bouvier meigo? ...somente a aparência... é o cão de guarda de excelência dos Suícos. Tem sangue de Mastim. Eu tenho um Leão da Rodésia cruzado com Cadela D'Água e de meigo não tem nada. Eu para ele sou o máximo, e para os meus filhos também. Agora para estranhos, pessoas com gestos infelizes, e outros cães não, mas eu sou responsável.  Fernando - os cruzamentos acontecem por acaso; têm  surgido por exemplo bastantes Serras da Estrela com Pastor Alemão. São cães mais bonitos, mais inteligentes, mais versáteis, mas de facto mais agressivos, mas esses cruzamentos são feitos ao acaso, mas mesmo que não sejam... qual o problema? é bom para a canicultura... existe maior variabilidade. Os animais nunca podem ser responsabilizados, porque se assim fossem,  ou seja, se incorressem no crime de responsabilidade civil tb eram obrigados a pagar impostos e a ter direitos e obrigações constitucionais, não é assim... então terão de ser sempre os Humanos a serem responsabilizados. Criem legislação adequada. Agora bater no que não se pode defender e condenar o inocente isso não... é fácil punir o cão e pronto... e já agora... o que vão fazer às alforrecas da Caparica? elas são acusadas de queimar uma criança e do fecho de três praias... isso é grave... isto é rídiculo.




Sexta-feira, 17 de Agosto de 2012
Sardinhas de conserva e vinho tinto da Beira Interior

Ontem ao lanche abri uma latita de conserva de Sardinhas de Matosinhos Picantes em Azeite com Picles, um interessante produto artesanal da Propeixe, e para acompanhar experimentei um vinho tinto da região de Castelo Branco, o Adega do Alto Tejo Selecção 2009, um excelente DOP Beira Interior feito pelo enólogo António Selas da Adega do Alto Tejo, com uvas das castas Trincadeira e Touriga Nacional, e cuja colheita foi feita manualmente para caixas de 20 kg, desengace total e escolha manual dos bagos em mesas vibradoras, seguindo-se maceração e fermentação em lagares de inox, com controlo de temperatura e estágio de 8 meses em cubas de inox e 5 meses em garrafa antes do início da comercialização. Apresentava aroma forte e agradável a frutos vermelhos, bastante redondo na boca e com final persistente.

Este lanchinho de fim-de-tarde foi uma perfeita harmonização entre sardinhas pescadas por barcos de cerco no mar de Matosinhos e transformadas em conserva pelo método artesanal “pré-cozido”, com um vinho do coração da região delimitada a norte pela Serra da Gardunha e a sul pelo rio Tejo, uma zona com características micro climáticas e solos muito especiais.


«Vitor Ferreira» in Facebook >> Eh pah agora fizeste-me recordar aquelas latas de conserva que era preciso uma chave para abrir... Como o tempo passa...

«Fernando Duarte» in Facebook >> ontem ao lanche... fui ao McDonalds



Publicado por Tovi às 07:26
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 28 de Junho de 2012
Sardinhas do Continente de Matosinhos

(Autor da imagem: Melro Azul)

Miseráveis as sardinhas que comprei no passado sábado, véspera de São João, no Continente de Matosinhos. Custaram-me 5,99€/Kg mas não foi este o problema. Das três dúzias que trouxe para casa, quatro delas nem foram para as brasas, pois estavam mais moídas que lá sei o quê. Depois de grelhadas ainda se deitaram fora mais três ou quatro e as restantes estavam, com muito boa vontade, “boas”, quando deveriam ser no mínimo “muito boas”, já para não exigir “excelentes”, pois não nos podemos esquecer que estamos em Matosinhos, um porto de pesca famoso pelas suas sardinhas.


«Luís Lopes» in Facebook >> Acontece que essa devem vir de Vigo congeladas! Para a próxima compra na lota!

«Alexandra Magalhães» in Facebook >> As de cá de casa, vieram da lota e não conseguimos comer... aliás, o mais estranho disto tudo é que nem cheiravam a sardinha... :(

«David Ribeiro» in Facebook >> Já enviei para os serviços de atendimento de reclamações do Continente este texto. Aguardemos a resposta.

«João Baptista Vasconcelos Magalhães» in Facebook >> Meu amigo. Faça como eu: vá ao Tito. No Tito2 até há parque.

«Ana Cristina Leonardo» in Facebook >> quem vive em Matosinhos e compra sardinha no Continente, merece tudo... :)

«Zé Zen» in Facebook >> O que é que esperavas do Continente. O alberto da Madeira é que tem razão. :))

«Casa Angola Internacional SA» in Facebook >> Opte pela lota e pelo comercio tradicional!

«Zé Zen» in Facebook >> PIM !

«Joaquim Leal» in Facebook >> As melhores sardinhas ainda são as pescadas ao largo do Algarve, destacando-se neste caso, Portimão. Não estou a fazer publicidade, capiche? :P

«Loja Do Pecado Guimarães» in Facebook >> biba a sardinha de lata, rsrsrsrs, em oleo vegetal com piri piri

«Fátima Sousa» in Facebook >> Pois eu comi otimas sardinhas num tasco perto de minha casa...




Quinta-feira, 14 de Junho de 2012
Sardinhas Assadas

{#emotions_dlg.serious} Este ano ainda não comi sardinhas das boas... das gordas... das que pingam no pão.


«Joaquim Leal» in Facebook >> Já comi...

«Isabel Oliveira» in Facebook >> pois não, realmente anda tudo traficado!

«Mila Prozac» in Facebook >> Nem eu, que sou da terra delas... :(

«Aida Carvalho» in Facebook >> Hummmmmm que boas:)

«Luis Alexandre» in Facebook >> nem podias, ainda não as há

«David Ribeiro» in Facebook >> Segundo me disse um amigo pescador de Matosinhos, este ano a sardinha ainda não tem gordura, anda muito seca e isso deve-se às águas do mar andarem menos frias do que o usual.

«Mila Prozac» in Facebook >> pero que las hay ... hay :)

«Carmen Ribeiro» in Facebook >> Eu ja comi e ainda nao estao no ponto!!! falta a pinga no pao :)

«Luis Alexandre» in Facebook >> O ano passado a sardinha do "pingo" entrou muito tarde e este ano vai pelo mesmo caminho, vou com alguma regularidade a Peniche e é o que me dizem

«João Baptista Vasconcelos Magalhaes» in Facebook >> Amigo: só encontro uma dessas casas que têm as sardinhas que vêm directamente da fonte: no Tito 1 ou II, em Matosinhos (este com parque). Aqui encontro as tais sardinhas do tal gosto; e já chegaram.

«Conservas Nero» in Facebook >> Ainda é cedo para sardinhas gordas, só se forem do sul do país onde o peixe começa a ganha gordura por esta altura mas há sempre quem tenha congeladas da época passada.

«David Ribeiro» in Facebook >> Eu sou cliente da Marisqueira Serpa Pinto (Rua de Serpa Pinto), do Restaurante Fontanário ou do Rei da Sardinha Assada (estes dois últimos na Rua de São Pedro) todos em Matosinhos. Mas ainda não comi sardinhas a pingar no pão.

«David Ribeiro» in Facebook >> Meu caro amigo João Baptista... Ao Tito (I ou II) nunca mais vou, desde que há uns anos tive uma grande chatice com uma das empregadas que me tentou "roubar" na conta. A mim só me fazem destas coisas uma vez.

«Elisabete Ferreira» in Facebook >> A secura das sardinhas vem da crise... Nem as sardinhas já podem engordar, tadinhas... O aperto de cinto já chegou aos peixinhos... Fazer o quê?

«Zé Regalado» in Facebook >> Tovi, espera lá mais para Outubro e talvez comas boas sardinhas. Agora são ainda mt secas



Publicado por Tovi às 19:20
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 5 de Abril de 2012
Restaurante O Fontanário

Hoje almocei com amigos no Restaurante O Fontanário em Matosinhos (Rua São Pedro, 17), um espaço simples, sossegado, com bom ambiente e onde se come muito bom peixe e marisco frescos. Veio para a mesa: Ameijoas à Bulhão Pato, Sardinhas Assadas na Brasa, Açorda de Marisco, Robalo do Mar Grelhado, tudo regado com um muito agradável vinho branco da Adega Cooperativa de Borba.


«Fernando Ferraz Alves» in Facebook >> Gabo o (excelente) gosto de preservar as coisas boas da vida: amizade partilhada e regada num magnífico repasto.



Publicado por Tovi às 19:52
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 26 de Julho de 2011
Porto / Gaia / Matosinhos, numa só Cidade!

Eu sei que isto vai contra as ideias conservadoras e bairristas de muitos portuenses, gaienses e matosinhenses... Mas o texto de Augusto Küttner de Magalhães, publicado na passada semana no blog a Baixa do PORTO, é o futuro, não tenham dúvidas.

{#emotions_dlg.meeting} "Porto / Gaia / Matosinhos, numa só Cidade

A ordem seria aleatória, mas se se começar a pensar que o grande continua a ser o que vai dar, e uma vez que todos já entendemos que temos juntas de freguesia de pequeníssima escala, que vão ter que desaparecer, e temos também bastantes cidades que com o passar dos anos ficaram a ser pequenas num mundo global, seria de unir Gaia, Porto e Matosinhos. Mas temos e vivemos com tantos bairrismos e com tantos a adorar ter o "seu/nosso quintal", ser chefe, ficar fechado sobre si mesmo, logo cortar, ou melhor unificar, freguesias e cidades vai ser obra, que ao que parece ninguém quer começar quando tem hipótese de o fazer, só se quer quando se "está de fora"!

Muitas pessoas com muitas competências têm vindo e bem a defender a união numa só cidade do Porto e Gaia. Se começarmos a pensar em unir também Matosinhos, ou seja, as três cidades que estão separadas pelo Douro, que hoje já tem bastantes pontes a uni-las - se bem que ainda não as suficientes, e como nos tempos próximos mais não serão feitas - haverá que "unir" o que hoje é conseguível - e tão necessário - e do outro lado a única "coisa" que divide é a Circunvalação. E até nesta junto ao mar já se pensou em unificar pelo Parque da Cidade, talvez seja de agrupar e logo que possível as três referidas cidades, numa única. Como é evidente, ficar-se-ia por aqui, e não se imaginaria sequer unir o Norte numa só cidade! Nem tanto!

E temos de notar que o Porto, apesar da sua centralidade e de ter muito de bom entre portas, perdeu nos últimos anos muitas pessoas para as periferias, ou seja vive menos gente no Porto, logo em população o Porto já não é a segunda cidade do País. E se sem melindres fosse possível pensar que Gaia, com todas as suas potencialidades, se juntasse ao Porto, que ainda é, esta, a segunda cidade do País - em capacidade produtiva, em Cultura, em Investigação, em prestígio - e Matosinhos também fizesse parte efectiva do mesmo espaço, com algumas características só suas e até com o porto de Leixões, talvez todos viéssemos a muito beneficiar. Claro que se colocam várias questões. Que nome? Quem ficará a presidir? Quantas freguesias se manterão? E muitas mais perguntas na cabeça de muitos irão surgir, até o futuro nome, que como é evidente, não deverá ser só Porto, só Gaia, ou só Matosinhos.

Mas não se perca demasiado tempo com os pormenores, com o acessório  e consigamos dar o exemplo de unidade no Norte neste conjunto de cidades, que ainda vivem de costas e que se se juntarem serão a certeza de uma alteração de pensamento, de existência, de vivência que não só no Norte, mas em todo o País e até nesta Europa, esta tão "agarrada" a vícios antigos, e com tão pouca habilidade e ainda menos vontade de se unir, de ser de facto um bloco que possa ficar ao nível dos EUA, da Rússia, da China, da Índia, do Canadá, do Brasil. Sejamos nós, Gaia, Matosinhos e Porto, a dar o primeiro passo, a ser o exemplo. Já!


«Paulo Pereira» in Facebook >> Eu diria mais, um Norte com Autonomia politica e fiscal. Nós pagamos as nossas contas, Lisboa que pague as deles!!

«Zé Zen» in Facebook >> Estamos em sintonia. Numa época em que a força se faz com alianças, penso que o Sr; Magalhães tem razão. Quanto às ideias de autonomia politica e fiscal, é não querer conhecer a història e organica do paìs. Hà regionalismo que correm o risco de nivelarem por baixo. Podem existir excepções.

«Paulo Pereira» in Facebook >> O maior risco que o país e o Norte correm é o deixar andar, neste caminho de empobrecimento que já dura há demasiado tempo. O Norte não tem de pagar os excessos da capital, que vive à custa das regiões exportadoras como é o Norte e o Centro.

«Zé Zen» in Facebook >> Em Portugal  governo e parlamento são nacionais. Os deputados são deputados da republica e não deputados de bairro. A sociedade portuguesa é Solidària de Norte a Sul, seja para o bem ou para o mal. As regiões "ricas" de hoje, podem ser as menos ricas amanhã. A vida dos povos dà muitas voltas, e não é por isso que por dà cà aquela volta se vira o bico ao prego. A Unidade e a independência do paìs não foi feita com calculadoras digitais. A soberania, lingua e cultura dos povos é mais que politica de bairro ou de contabilista. Viva Portugal Uno e Solidàrio de Norte a Sul.

«Paulo Pereira» in Facebook >> A capital não tem sido nada solidária com o Norte desde há várias décadas. Porque é que o Norte tem de ser solidário com o Sul? O Norte  é a região mais pobre mas que mais exporta, porque a maioria do investimento e da despesa pública são apenas concentrados nessa pequena parcela do país que é a região de Lisboa? O Norte deve exigir a sua Autonomia politica e fiscal, para que não sustentemos a incompetência e os desvarios despesistas da capital.

«Zé Zen» in Facebook >> Caro amigo, permita-me trata-lo assim, o problema de màs politicas não està no facto de o governo estar sediado em lisboa ou Freixo de Espada à Cinta. O problema està talvez em termos maos politicos ou escolha de màs politicas. Podemos dizer tudo o que nos apetecer mas, eles (os politicos) são os politicos que temos, são a "prata da casa", tal como nòs procuram uns melhor que outros fazer o que sabem e podem em consciência. Alguns deles vêm do Porto outros de outras terras mas, todos eles foram eleitos por quem teve tomates para ir votar. Podemos não gostar deles mas, um paìs sem politicos é como um jardim sem flores.

«Paulo Pereira» in Facebook >> O que eu e outros propomos é uma mudança radical no regime politico, porque este regime já vimos que está moribundo e arrasta o país para a pobreza e para o desemprego! Autonomia politica e fiscal para cada região, assim cada um assume as suas responsabilidades e não andamos nós a pagar para os outros gastarem. Queremos o que é nosso, pois já nos basta a divida monstruosa que vários governos incompetentes acumularam.

«Zé Zen» in Facebook >> Hà paìses com muita història em autonomia e regiões e, estão tão entalados como os demais. A història, organização e defesa  de uma sociedade não se faz com imediatismos.

«Paulo Pereira» in Facebook >> Querer a autonomia para o Norte ao fim de 35 anos de autonomias na Madeira e nos Açores é imediatismo? Vamos continuar a ter o regime mais centralista e incompetente da Europa só para não sermos imediatistas?

«David Ribeiro» in Facebook >>  Estes meus dois amigos (Zé Zen e Paulo Pereira) estão divergentes no que toca à Regionalização, mas são dois grandes Portugueses e Democratas, isso vos posso garantir.

«Zé Zen» in Facebook >> Não duvido um sò instante das boas intenções do amigo Paulo Pereira, mas permito-me o luxo de democràticamente discordar da forma.




Domingo, 24 de Julho de 2011
Restaurante Casa do Serrão

  Vou comer um peixinho a Matosinhos... Até já.


«Fernando António Fraga Pimentel» in Facebook >> Bom dia e faz muito bem... Abraço

«Ricardo Moreira» in Facebook >> E que seja um bom almoço!

«David Ribeiro» in Facebook >> {#emotions_dlg.smile} Obrigado amigos... Foi realmente um bom almoço no Restaurante Casa do Serrão (Rua Heróis de França, 517 - Matosinhos): Pataniscas de Polvo (divinais) como entradas; depois um Raia Grelhada no carvão com Legumes Salteados (como já não comia há muito); para sobremesa um Tarte Bracarense (tarte de ovos muito bem feita); tudo regado com uma bela Sangria (feita na casa, nada de "sangria" de pacote). Um excelente almoço de domingo.



Publicado por Tovi às 12:30
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 13 de Setembro de 2010
Protestos no último comício do PS em Matosinhos

O meu amigo Joaquim Leal, a quem eu carinhosamente trato por "meu Mouro de estimação", colocou o seguinte post no meu mural do Facebook:

Óh David, andaste tu metido nesta peixeirada... Contam-me "fontes" insuspeitas que um jardim público foi inaugurado com um comicio que o deixou a precisar de um novo restauro e de que há militantes do PS que não se dão bem com a diferença e o protesto dos moradores. Além das pedradas e insultos, ameaças e coação aos moradores, houve tentativas de invasão do prédio.

«David Ribeiro» in Facebook >> ...e a malta de um único apartamente desses dois prédios só se safou de levar nas trombas porque um piquete da polícia veio colocar-se à porta do edifício. Lá porque o jardim fica junto desses dois prédios os gajos têm a mania que mandam naquilo... É um jardim público, feito e mantido em perfeito estado de conservação pela Câmara de Matosinhos.

«Joaquim Leal» in Facebook >> A malta do norte é tramada. lol

«David Ribeiro» in Facebook >> Mas tu sabes a história toda?... ou queres que eu te conte?... Foi assim:
Quando cheguei ao recinto do comício havia na varanda de um único apartamento dos dois moderníssimos e luxuosos blocos habitacionais que ladeiam o jardim, umas tarjas de pano que diziam: “Já há circo; Faltam os palhaços”. O pessoal não gostou e começaram a mandar bocas. Quando o Sócrates começou o seu discurso os gajos do tal apartamento mudaram as tarjas e ficou lá escrito: “Já há palhaços”. Aí é que foi o caraças e teve que vir a polícia. No final do comício verificou-se nova mudança nas tarjas, ficando só: “Palhaços”. O Presidente da Câmara de Matosinhos, o verdadeiro “dono” do recinto, tinha dito nos dias anteriores que na segunda-feira seguinte ao comício os serviços camarários iriam limpar o espaço verde e reparar a relva que eventualmente ficasse mal tratada, mas perante a má educação dos tais gajos daquele apartamento, já disse que vai tomar medidas. Até gramava que o Município de Matosinhos colocasse naquele recinto uns carrosséis… depois é que eu queria ver.

«Joaquim Leal» in Facebook >> AH AH AH AH... Há gente com imaginação e a profissão de palhaço é muito nobre. ;-)

«Fernando Duarte» in Facebook >> se fosse comigo perdia o amor ao jardim, mandava-o reconstruir noutro lado, e autorizava umas famílias de ciganos a acampar nesse local, e assim os luxuosos habitantes do luxuoso condomínio deixavam de ter circo e palhaços diante das janelas, para ter tourada todos os dias da semana! e por uma vez os ciganos tornavam-se úteis à sociedade

«Joaquim Leal» in Facebook >> Óh Fernando, não esperava isso de ti...

«David Ribeiro» in Facebook >> Meu caro Fernando Duarte... Não sei se vai ser essa a atitude da Câmara de Matosinhos, e muito provavelmente não vai ser, mas que os gajos do tal apartamente estavam a merecer como vizinhos uma meia dúzia dessas famílias tuas "amigas", lá isso estavam. Já agora e em abono da verdade: Havia muita gente desses prédios nas varandas e a seguir o comício em boa ordem... e até a bater palmas. Outra coisa: Vou ver se consigo aqui colocar umas fotos dos tais prédios.

«Fernando Duarte» in Facebook >> a ideia até é boa, e matavam dois coelhos com uma cajada


Dizia Otília Gradim, no seu blog O-pior-e-o-melhor-de-Matosinhos, ainda sobre este assunto: "(...) não posso deixar de dizer que o direito ao protesto é legítimo, mas que o insulto não só não é legítimo como deve ter consequências para quem a ele recorre. Alterar a frase de “circo já há só faltam palhaços” para “já há palhaços” quando chegam os dirigentes políticos nacionais que exercem funções de soberania pela escolha directa do povo português, mais que um protesto, é um insulto."
«Joaquim Leal» in Facebook >> Tendenciosa essa apreciação da Srª Otília. Não estou a ver que os "dizeres" se enquadrem verdadeiramente no "insulto". Mas isto sou eu a comentar que também sou suspeito. ;-)
«Fernando Duarte» in Facebook >> é a isto que tu chamas "condomínio de luxo"???? parece mais os bairros sociais cá do burgo...



Domingo, 5 de Setembro de 2010
Comício da rentrée politica do PS

 

José Sócrates esteve bem no seu discurso da rentrée política do PS, que se realizou ontem em Matosinhos, tendo focado os seguintes pontos:

 A conjuntura actual não está para brincadeiras nem para ambiguidades e por isso não aceita ultimatos de ninguém e apela à responsabilidade de todos os partidos da oposição na discussão do próximo Orçamento de Estado.

 O OE de 2011 vai basear-se na redução do défice e na aplicação das medidas do Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC), com especial atenção para a despesa pública e redução da despesa fiscal.

 O Partido Socialista não alinha em simulacros e fingimentos, pelo que não contem com o PS para crises artificiais, nem para pôr mesquinhos cálculos eleitorais à frente do interesse nacional.

 Não se pode admitir a liberalização do despedimento individual, nem o fim do Serviço Nacional de Saúde (SNS) tendencialmente gratuito. Quem propõe a eliminação da obrigatoriedade do Estado em manter uma rede de escolas públicas, está contra o Estado social.

 O PS é o partido herdeiro da causa republicana da escola pública para todos.


«Luís Alexandre» in Facebook >> ena David estiveste assim tão perto do socras?

«Joaquim Leal» in Facebook >> Aposto que lhe deu um abraço ao que o Sócas retorquiu com um "Óh David, estás porreiro páh?" eh eh eh

«José António Salcedo» in Facebook >> Talvez por essas razões este Governo tem desbaratado riqueza nacional a uma taxa alucinante? Ou facilitado a corrupção e a impunidade de politicos e amigos de politicos com a sua interferência na justica e na comunicação social? Ou promovendo uma sociedade de ignorantes bem comportados pela eliminação de exigência e responsabilidade na educação?

«David Ribeiro» in Facebook >> Talvez… mas não será por culpa dos homens e não das ideias?

«José António Salcedo» in Facebook >> É sempre por responsabilidade - e não culpa - dos homens, David. As ideias não existem de forma independente de quem as tem, gere e implementa. E, em última instância, as ideias são bem menos relevantes do que o resultado da sua implementação. Por exemplo: referir que a conjuntura actual não está para brincadeiras é um acto de hipocrisia, considerando que a despesa pública tem aumentado de forma consistente e que não tem existido coragem - nem competência - para cortar do lado da despesa. É assim uma ideia correcta, que não tem correspondência com a realidade. Irrelevante, portanto. Creio que será essa a diferença principal entre uma governação de qualidade - responsável - e uma sem qualidade - irresponsável -. Na primeira, existe uma excelente correspondência entre ideias apropriadas à resolução dos problemas e a sua implementação. Na segunda, o plano dessas ideias está desligado do plano da sua implementação, pelo que essas ideias constituem uma fantasia, um discurso oco e irresponsável. E todos pagamos o preço dessa irresponsabilidade. Como cidadão, parece-me o actual primeiro ministro serve em primeiro lugar os seus interesses pessoais (tais como (a) expandir a sua base de poder, (b) influenciar e controlar as vozes discordantes em seu redor e (c) garantir imunidade judicial para si e para os seus mais fieis seguidores), em segundo lugar os interesses dos seus mais fieis seguidores (os Varas deste mundo e outros apreciadores de robalos), em terceiro lugar os interesses do seu partido (que, infelizmente e com os anos se transformou num centro de tráfico de influências e numa escola de corrupção) e, num distante quarto lugar, os interesses do país. Devo referir que, nos últimos 20 e tal anos, este tipo de estratégia tem sido seguida pelos principais partidos e não apenas pelo PS. A explosão de entidades públicas que não servem para nada a não ser para gastar o nosso rico dinheirinho (fundações, institutos, para-empresas de consultoria e de serviços, incluindo escritórios de advocacia com advogados de apoio permanente ao regime, empresas municipais, governos civis, autarquias - cidades e freguesias -, apenas pode ser entendida como uma via para pagar fidelidades. Se 90% dessas entidades fosse extinta, o país estaria bem melhor: a despesa diminuiria de forma brutal e viamo-nos livres de muita gente medíocre. Esse é o verdadeiro espelho da mediocridade e da sua amiga irresponsabilidade. Andam as duas de mãos dadas e, em conjunto, alimentam a corrupção. Todos perdemos, sobretudo as gerações futuras. David: Até Julho, a dívida pública desceu 14% na Grécia, 2.0% na Irlanda e 2.5% na Espanha. Em Portugal, aumentou 4%.

«David Ribeiro» in Facebook >> Segundo se lia hoje no Jornal de Notícias metade da população portuguesa - cinco milhões - vivem do Estado, ou porque trabalharam a vida toda e se reformaram (a grande maioria), ou porque são funcionários públicos, ou ainda porque recebem subsídios. Depois destes salarios e prestações sociais está-se mesmo a ver que não sobra muito para o Estado investir.

«José António Salcedo» in Facebook >> Esse é um problem brutal em Portugal, e essa situação tem de ser alterada rapidamente.




Quinta-feira, 31 de Dezembro de 2009
Café Lote Particular da Casa Angola

Segui o conselho da Casa Angola Internacional [ver aqui] e fui hoje à lojinha de Matosinhos (Edifício do Mercado), onde uma simpática senhora me fez o favor de moer na altura Café Lote Particular da Casa Angola. Preparei-o numa cafeteira tipo “Moka” e realmente é excepcional, com aquele sabor típico do “café de saco” antigo e que já dificilmente se encontra.

Bem-haja quem tem o gosto e o prazer de manter vivas tradições tão características do “nosso” Norte.

«Casa Angola Internacional» in Facebook ► Obrigado pelas simpáticas palavras, ficamos particularmente satisfeitos por ter sido bem atendido e gostado do nosso café, curiosamente hoje que a Casa Angola faz 77 anos da sua fundação (1932). Hoje em dia mais de 95% da produção de Café Lote Particular é exportada, especialmente para a Suiça, Luxemburgo, Macau e Alemanha.



Publicado por Tovi às 13:39
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 13 de Dezembro de 2009
Coisas boas da nossa terra

Passei esta semana pel’A Favorita do Bolhão (José Araújo & Cª Lda), um histórico estabelecimento de comércio tradicional da baixa portuense (Rua Fernandes Tomás, 783/785), e comprei um novo produto artesanal da Propeixe (Cooperativa de Produtores de Peixe do Norte CRL – Matosinhos), uns fabulosos patés, em embalagens de 60 gramas, nas variedades Atum, Atum Picante, Cavala, Sardinha, Ovas de Pescada e Trutas com Vinho do Porto.

 São francamente bons e não ficam nada atrás daquilo que se importa… e é um produto Nacional… e do Norte.

«Casa Angola Internacional» in Facebook ► Todos devíamos privilegiar o que é bom e é nosso. Devia ser por instinto, mas infelizmente ainda há a ideia (errada) do que vem de fora é melhor. Se gostar de café e vier para os lados de Matosinhos, não deixe de experimentar o Lote Particular da Casa Angola, certamente uma das lojas de comercio tradicional mais antigas de Matosinhos (remonta a 1932). O lote particular era um lote muito popular na década de 50, especialmente na comunidade piscatória desta cidade, pois permitia um café forte que ajudava os pescadores a ficarem acordados e quentinhos na faina nocturna.

  Está cá a parecer-me que esse Lote Particular da Casa Angola deverá ser óptimo para fazer um “café de saco”, para mim o verdadeiro café, muito melhor que o melhor "expresso"… mas é preciso saber prepará-lo.

«Casa Angola Internacional» in Facebook ► O original era para café de saco (à moda antiga) pois na altura não havia maquinas expresso nem nada que se pareça. Actualmente foi necessário afinar o lote, pois o café de saco caiu em desuso substituído pela cafeteira (moka) e pela maquina expresso. No entanto o "traço" original mantém-se.

«Miguel Félix» in Facebook ► Eis um produto cuja confecção tem tanto saber e "savoir faire" como o "Vinho do Porto".

«Pão De Ló Margaride» in Facebook ►  Discordo da ideia de as pessoas pensarem que o que vem de fora é melhor. Acho que se nota muito uma inversão desse pensamento. Hoje em dia muita gente já dá valor ao que é "nosso".




Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Agosto 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Posts recentes

Presidenciais - Voto ante...

Legionella em Matosinhos,...

Que Justiça seja feita

Etu - Retrosaria & Sirgar...

Vamos institucionalizar o...

Morreu o “Bispo Vermelho”

Estamos em época pré-elei...

Rottweiler ataca gravemen...

Morreu Guilherme Pinto......

Há quem não se venda por ...

WRC Vodafone Rally de Por...

Simulacro Anémona 2015

Senhora da Hora

Exportação de Conservas d...

Hipermercado Continente d...

Bacalhau com Grão da Rami...

Ovas de Sardinhas em Azei...

1º Festival Gastronómico ...

Mulher morta por cão de r...

Sardinhas de conserva e v...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus