"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."
Domingo, 2 de Outubro de 2016
A Câmara do Porto está bem entregue

Rui Moreira ab.jpg

A concelhia do PS-Porto aprovou por unanimidade e aclamação o apoio à recandidatura do actual presidente da Câmara do Porto, o independente Rui Moreira, às eleições autárquicas de 2017. "De forma transparente e limpa, o que dizemos é que gostamos e estamos contentes com o que está a ser feito, que nos revemos no trabalho deste executivo e que queremos dar continuidade ao acordo pós-eleitoral concretizado nas autárquicas de 2013", afirmou Tiago Barbosa Ribeiro no final da reunião da comissão política concelhia de sexta-feira passada. O socialista realçou que esta decisão do PS é "inequívoca" e que seria "estranho" que o partido de "um momento para o outro" anulasse e esquecesse o "bom" trabalho que está a ser feito na cidade do Porto e fizesse oposição àquilo para o qual também contribui.

 

  Comentários no Facebook

«João Baptista Vasconcelos Magalhaes» >> Só significa que falta à Comissão Política do PS gente com perfil para ser candidato à Camara do Porto. Não admira!... Vai ser um erro que o partido, como partido (e não aquela gente que se encosta sempre aos vencedores) vai pagar caro!

«David Afonso» >> Discordo totalmente: 1. A matriz ideológica do Rui Moreira não é socialista; 2. Seria preferível dar a oportunidade à cidade de escutar e avaliar as propostas do PS, mesmo que tal significasse uma derrota eleitoral; 3. Dadas as circunstâncias, o PSD, que certamente também gostaria de apoiar Rui Moreira, apresentará em alternativa um candidato descartável, apenas para cumprir calendário; 4. Para o bom funcionamento da máquina democrática é essencial uma oposição eficiente e atenta e, neste cenário, apenas a CDU irá assumir esta despesa, o que é claramente insuficiente e empobrecedor da vida política local. Não sei o que diga de um partido que se recusa a ir a jogo e de abrir mão de um património político autárquico como aquele que detinha historicamente no Porto, que prefere a vitória fácil ao debate clarificador. Em democracias consolidadas, adversários políticos e ideológicos devem assumir abertamente as suas próprias posições e sujeitá-las ao escrutínio dos eleitores, sem que tal prejudique entendimentos pós-eleitorais. Tal como aconteceu no mandato anterior e com assinalável sucesso. Esta estratégia do cuco, de por os ovos em ninho político alheio não me convence. Eu estou fora.

«Jorge De Freitas Monteiro» >> Um apoio previsível e justificado. Apesar de alguns passos em falso, sobretudo desde que deixou de poder contar com Azeredo Lopes, Rui Moreira tem sido globalmente um bom presidente da CMP.

«Jorge Oliveira E Sousa» >> Bravo, Lá para os lados de Baião alguém se torce... Já não arranjam candidatos!

«José Paulo Matos» >> Bravo. O interesse da população acima dos partidos. Força Porto.

«Jorge Veiga» >> Não votando no Porto, neste momento eu apoiaria o RM. Apesar de não concordar com a sementeira dos parquimetros, um só ponto contra, ainda mantém um excelente trabalho à frente da CMP.

«Pedro Baptista» >> Então o PS-Porto decidiu, por unanimidade e aclamação, apoiar a recandidatura do Dr. Rui Moreira, à Câmara do Porto, que ainda há três anos, considerava uma candidatura de "direita"? Ao que chega o oportunismo e conveniência meramente pessoais, de quem tem medo de ir a votos e sonha ter, na lista dos outros, um lugar que não consegue ter a partir da sua própria lista. O oportunismo chama-se Manuel Pizarro e os votantes da Comissão Política do PS, tirando a meia-dúzia de desgraçados que sonham continuar a ter lá para a Câmara os lugarejos de assessores, portam-se como paus mandados ou zeros à esquerda se preferirem... Já estava no fundo, mas no PS-Porto, ainda assim, tudo se pode atolar ainda mais. A que estado vergonhoso chegou o PS-Porto, um partido que sempre disputou as eleições e durante tantos anos foi hegemónico... Vergado unicamente à cobardia e oportunismo rastejante de um recém-chegado ao partido que, ao contrário do que propala, nem sequer tem nenhum acordo que lhe garanta seja que lugar for.

«Alfredo Fontinha» >> Pedro, estás longe e por isso dizes um grande disparate. Falas pelo que dizem e do que falas não falas verdade. Ontem o PS não votou o apoio à recandidatura de Rui Moreira, O PS aprovou um voto de confiança, deu uma carta de conforto ao presidente da Concelhia, Tiago Barbosa Ribeiro, para negociar um possível acordo com Rui Moreira. Só isso, nada mais...

«Pedro Baptista» >> Alfredo Fontinha, tu até és presidente da Mesa da Comissão Política Concelhia, por isso sabes do que falas. Eu, na verdade, estou longe e nem foi pelos jornais, em letra de imprensa, que tive a notícia. Mas sendo com o detalhe que me forneces, vens dizer que, depois disto, o PS fica com condições para apresentar uma candidatura, caso não haja acordo, que não haverá, porque o presidente Rui Moreira já disse repetidamente que não haverá, como o Pizarro, o Tiago e todos vós estais fartos de saber? Alguém chegará com a neociência o ponto de pensar que candidatura do Rui Moreira deixará de ser independente com "acordos" pré-eleitorais com partidos? O PS ficará com condições de apresentar um candidatura só porque não chegou a um acordo que procurou para apoiar Rui Moreira? Claro que não! Nem terá condições, nem ninguém quererá, porque a banhada ultrpssari tudo. Se A Comissão Política procurou enredar o Pizarro ou o Tiago, acabou ela enredada por eles, porque, quando reiterarem que não haverá acordo, que estais fartos de saber que não haverá, porque o Independente não quer nem poderia querer sob pena de deixar de o ser, sereis obrigados a comer a introdução na lista em lugar elegíveis do Pizarro, do Tiago e de mais alguém, individualmente, não em representação partidária, por convite discricionário do cabeça de lista e não por acordo nenhum, por Rui Moreira os poder considerar vereadores válidos e não por serem do PS, como ele disse em público mais de uma dezena de vezes: "Não farei qualquer acordo, mas não abdico de convidar para a minha lista os que considero melhores". Nada mais! E sabeis isto, muito bem, porque é público repetidamente. Portanto, meu caro Fontinha, o disparate está desse lado, porque vai dar ao mesmo, é precisamente a mesma coisa que escrevi. Foram à lã e vieram tosquiados.

«João Carvalho» >> Tenho que reconhecer que a Cidade melhorou nos aspectos mais importantes por isso o PS só tem que dar seguimento a um bom acordo que não deixe o partido na mão dos parceiros que saiba negociar é essa a minha expectativa!!!!!

«David Ribeiro» >> Rui Moreira já disse várias vezes "Não farei qualquer acordo, mas não abdico de convidar para a minha lista os que considero melhores", pelo que unicamente poderá ser negociado os nomes dos socialistas a incluir como independentes na lista do actual Presidente da Câmara. E isto não é acordo pré-eleitoral, por mais voltas que se dê ao texto.

 

  Orientação estratégica do PS-Porto para as Autárquicas2017

1. O Partido Socialista (PS) tem actualmente um acordo político com o independente Rui Moreira na cidade do Porto. Este acordo foi concretizado após as eleições autárquicas de 2013 que Rui Moreira venceu e nas quais o PS ficou em segundo lugar. O acordo foi celebrado em torno de um conjunto de prioridades políticas que foram publicamente apresentadas à cidade e ratificadas pelos órgãos do PS Porto. Com esse acordo e o trabalho que dele resultou, envolvendo vários eleitos do PS nos diferentes órgãos municipais, o PS demonstrou que coloca sempre os interesses da cidade em primeiro lugar.
2. Ao longo deste mandato, o PS tem vindo a honrar de forma escrupulosa e leal o acordo que celebrou e que foi reforçado com a orientação política sufragada internamente pelos militantes do PS em 2013, sob a liderança de Manuel Pizarro, e em 2015, sob a liderança de Tiago Barbosa Ribeiro. Nesse sentido, como é público, a actual direcção da Concelhia PS Porto garantiu expressamente o apoio ao acordo em vigor e o envolvimento atempado das suas estruturas, em especial da Comissão Política Concelhia, numa decisão em relação às eleições autárquicas de 2017 que respeitasse o diálogo e a calendarização propostos globalmente pelo Secretariado Nacional do PS e pela Federação Distrital do Porto do PS.
3. A avaliação política de um mandato não se esgota num único momento/reunião e por isso o PS Porto tem vindo a efectuar diversas sessões de balanço e reflexão sobre os resultados do trabalho autárquico no Porto. São disso exemplo as sessões anuais de prestação de contas dos nossos vereadores com pelouros, Manuel Correia Fernandes e Manuel Pizarro, sempre em espaços públicos e abertas a toda a população, mas também as várias reuniões, Comissões Políticas temáticas e plenários de militantes, fortemente participados, que a Concelhia do PS Porto promoveu desde que iniciou funções.
4. A avaliação do mandato até à data é inequivocamente positiva e honra os melhores pergaminhos de uma cidade plural e liderante sob a presidência de Rui Moreira, para a qual nos orgulhámos de poder dar o nosso contributo. Esse papel tem sido aprofundado de forma mais visível e directa pelo trabalho dos nossos vereadores com os pelouros que lhes estão atribuídos - Habitação e Acção Social, e Urbanismo -, mas o reconhecimento acompanha todo o executivo e exprime uma visão de cidade alinhada com as expectativas e preocupações dos socialistas portuenses.
5. Simultaneamente, na medida em que a nossa acção política não se esgota naturalmente no trabalho autárquico, o PS Porto tem vindo a manter um elevado dinamismo de acções, debates, campanhas e posições públicas, nas quais reconhecemos e acompanhamos o papel da Câmara Municipal do Porto e procuramos manter uma iniciativa centrada nos interesses da cidade. São disso exemplo o papel da TAP e do aeroporto do Porto, os fundos comunitários, os transportes metropolitanos e as Águas, entre muitos outros temas.

6. Perante a avaliação política deste mandato e do trabalho realizado, as expectativas da cidade e o calendário das eleições autárquicas, o Secretariado do PS Porto, respeitando e valorizando todas as suas estruturas, propõe à Comissão Política Concelhia do PS Porto a formalização do diálogo necessário por parte do Presidente do PS Porto com o Presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, tendo em vista a continuidade do actual acordo político nas eleições autárquicas de 2017, decisão que comunicará ao Secretariado Nacional do PS e à Federação Distrital do Porto do PS.
Comissão Política Concelhia do PS Porto
Porto, 30 de Setembro de 2016
(Texto aprovado por unanimidade na Comissão Política Concelhia do Porto)



Publicado por Tovi às 07:56
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Maio 2022
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9


22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Posts recentes

António Costa em visita à...

Receitas de petróleo da R...

As inconfidências de Marc...

2ª Conferência de “Valdai...

Alargamento da NATO... si...

Covid ou Guerra... venha ...

Tondela 2 - 2 Boavista

João Rendeiro encontrado ...

Finlândia vai pedir adesã...

As últimas da invasão rus...

Todos muito jeitosos... a...

A Guerra traz sempre a fo...

Dia da Vitória... na Rúss...

Cynocephalus... ou "Cabeç...

Rinat Akhmetov... o dono ...

Boavista 1 - 1 Vitória de...

Ao 71.º dia é assim que e...

Diálogo e Diplomacia... é...

Criação de "task force" p...

Retirada de civis da side...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus