"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Quarta-feira, 2 de Março de 2022
Ao sétimo dia continua a ofensiva russa na Ucrânia

274665801_10217047196850677_8138173251786505536_n.

Seguramente e sem qualquer dúvida a PAZ é desejada e terá que ser rapidamente alcançada… mas o facto de as tropas russas terem encontrado uma heroica resistência ucraniana, leva-me a crer que acabarão por avançar em força e sem qualquer respeito pela população civil. Até a China já iniciou a retirada dos seus cidadãos do território ucraniano e Xi Jinping não se costuma enganar nas suas análises políticas. Esperemos que todas as sanções impostas pelo Ocidente venham a provocar um afundamento rápido da economia russa e fazer “tremer” o Governo de Putin.

 

  O dia de ontem
09h36 de 01mar2022 - O presidente ucraniano vai participar na sessão desta terça-feira do Parlamento Europeu, por videoconferência, que tem como um dos pontos de debate a assistência macroeconómica à Ucrânia. A sessão tem início previsto para as 12 horas de Bruxelas, menos uma hora em Lisboa. Em Bruxelas, em frente ao Parlamento Europeu, está prevista para a tarde (15h30 locais) uma concentração de apoio à Ucrânia, que terá a participação da presidente do Parlamento Europeu, Roberta Metsola, e dos eurodeputados.
09h43 de 01mar2022 - O ministro russo da Defesa, Sergey Shoygu, garantiu hoje que a Rússia vai continuar as suas operações na Ucrânia "até atingir os seus objetivos", avança a agência de notícias russa Interfax.
10h38 de 01mar2022A invasão da Ucrânia pela Rússia já causou uma vaga de mais de 660 mil refugiados, indicou esta terça-feira o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), alertando que os números estão a aumentar de forma “exponencial”.
13h21 de 01mar2022
Kiev continua a resistir aos ataques da Rússia, mas uma coluna de carros militares (centenas de veículos blindados, tanques, artilharia rebocada e veículos de apoio logístico) aproxima-se da capital ucraniana. Os veículos já ocupam cerca de 65 quilómetros de estrada. Ainda assim, ao sexto dia de guerra, os russos ainda não controlam a cidade.
15h23 de 01mar2022Uma torre de televisão com 300 metros em Kiev acaba de ser atingida pelas tropas russas. Segundo uma jornalista ucraniana, não há sinal de televisão neste momento na capital ucraniana. Meia hora mais tarde o 
governador de Kiev veio dizer que esta torre de televisão foi atingida "por dois mísseis". Além de danos na torre, o governador da capital ucraniana diz que também a "subestação transformadora, que fornece eletricidade à torre, bem como o hardware da própria torre estão danificados".
18h07 de 01mar2022O ministro do interior da Ucrânia disse que as tropas russas já entraram em Kherson, a norte da Crimeia, mas que a cidade continua sob controlo ucraniano.

 


Captura de ecrã 2022-03-02 093649.jpgForam lançados mais rockets sobre a economia russa: MasterCard e Visa bloqueiam várias operações financeiras na Rússia; Jaguar Land Rover suspende vendas na Rússia; Ford também suspende operações na Rússia; BMW trava produção e exportação de viaturas para a Rússia; Empresa Suíça que administra Nord Stream 2 pede falência; Apple suspende vendas na Rússia.

 


1024 (1).jpgJoe Biden anunciou esta noite, no discurso do Estado da União, perante as duas câmaras do Congresso dos EUA, o encerramento do espaço aéreo norte-americano a todos aviões russos, e prometeu continuar a liderar uma ampla coligação internacional em resposta à invasão da Ucrânia pela Rússia, num confronto apresentado como de democracias contra tirania. O alvo de Biden foi Putin, a quem se referiu como o “ditador russo”, mas também toda a elite russa que sustentou e apoiou Putin ao longo dos anos. “Vamos atrás de vocês”, prometeu o presidente norte-americano. “Esta noite, digo aos oligarcas russos e líderes corruptos, que sacaram biliões de dólares graças a este regime violento: acabou!"

 

  09h16 de 02mar2022O grupo siderúrgico russo Severstal anunciou a suspensão das entregas na Europa após as sanções impostas pela União Europeia (UE) contra o seu principal acionista russo Alexei Mordashov, em retaliação à invasão da Ucrânia pela Rússia. "Suspendemos as entregas na UE no quadro das sanções impostas a um acionista [da companhia]. Estamos a direcionar os fluxos de matérias-primas para mercados globais alternativos", afirmou a Severstal num comunicado citado pelas agências de notícias russas. Segundo o Grupo, as entregas para a Europa são de cerca de 2,5 milhões de toneladas de aço por ano e representam cerca de um terço do faturamento total da empresa.
  09h50 de 02mar2022O governador de Kiev, Vitaliy Klychko, diz que as forças russas estão "cada vez mais perto" do centro da capital
"Estamos a preparar-nos e vamos defender Kiev. Kiev está de pé e não cairá", afirmou.
  11h12 de 02mar2022O gigante alemão da logística, a DHL, anunciou hoje que deixou de fazer entregas para a Rússia e Bielorrússia, juntando-se a uma lista cada vez maior de empresas que estão a cessar operações nos dois países.
  11h22 de 02mar2022 - Imagens aéreas de Energodar [cidade com 63,5 km2 de área e uma população estimada em cerca de 153 mil habitantes, onde está localizada a Central Nuclear de Zaporizhzhia, a maior da Europa] mostram dezenas de civis a ocupar as estradas da cidade para impedir a entrada das tropas russas. Além da população, foram também colocados camiões do lixo e formadas trincheiras para impedir o avanço dos tanques.
  12h41 de 02mar2022 - A União Europeia excluiu sete bancos russos do SWIFT, sistema bancário internacional, anunciou esta quarta-feira a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, após publicação no Jornal Oficial da UE. 
Estes bancos, entre os quais se encontra o segundo maior da Rússia (VTB), têm agora dez dias para liquidar as suas operações no SWIFT. Os restantes são: Bank Otrkitie, Novikombank, Promsvyazbank, Bank Rossiya, Sovcombank e VEB. Segundo apurou a Reuters junto de fonte da UE, estes bancos foram escolhidos pelas suas ligações ao Estado russo. "À velocidade da luz, a UE adotou pesadas sanções contra o sistema financeiro da Rússia, as suas indústrias de alta tecnologia e a elite corrupta. A decisão de hoje de desconectar os principais bancos russos da rede SWIFT enviará mais um sinal muito claro a Putin e ao Kremlin", justificou Von der Leyen.
  17h00 de 02mar2022
A Assembleia-geral das Nações Unidas votou esta quarta-feira contra a invasão russa na Ucrânia. Ao todo 141 países votaram a favor, 35 abstiveram-se e apenas cinco votaram contra. Os votos contra pertencem à Federação Russa, Eritreia, Coreia do Norte, Bielorrússia e Síria. Entre as abstenções destaca-se a presença da China, Índia, Angola, Moçambique, Vietnam, Iraque e África do Sul.
  19h02 de 02mar2022
As Forças Armadas suecas anunciaram que quatro caças russos violaram o espaço aéreo do país esta quarta-feira. A Suécia tem sido um dos alvos da Rússia durante toda esta crise que, juntamente com a Finlândia, recebeu ameaças por parte do Kremlin caso decida juntar-se à NATO.
  19h03 de 02mar2022A Rússia informou que aguarda uma delegação ucraniana na quinta-feira de manhã, na Bielorrússia, para nova ronda de negociações com vista a um cessar-fogo, e Kiev anunciou que os negociadores vão a caminho. A Presidência ucraniana confirmou que uma delegação estava a caminho do local escolhido para esta nova ronda de conversações, a segunda desde o início da crise. "Esperamos que eles estejam aqui amanhã (quinta-feira) de manhã", disse o negociador russo, Vladimir Medinsky, numa comunicação transmitida pela televisão pública russa. O local escolhido para as negociações situa-se na região de Bialowieza, localidade polaca próxima da fronteira com a Bielorrússia e que dá nome a uma floresta que abrange os dois países e que foi escolhida por ambas as partes.Na agenda de trabalhos para este segundo encontro de negociações russo-ucranianas está a possibilidade de um cessar-fogo, pedido pela Ucrânia, enquanto continuam os bombardeamentos das forças russas em várias cidades.



Publicado por Tovi às 07:21
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Segunda-feira, 28 de Fevereiro de 2022
E é assim que estamos no conflito Rússia - Ucrânia

Captura de ecrã 2022-02-27 174532.jpg
  PELA PAZ, CONTRA A INVASÃO
(Em frente ao Consulado da Rússia no Porto - 27fev2022)
Eu estive lá!

 

  JN, 17h24 de 27fev2022
Captura de ecrã 2022-02-27 175005.jpg

 

  Seguramente que a invasão russa à Ucrânia já provocou mortes, muitas mortes mesmo, mas não podemos esquecer a TRAGÉDIA dos mais de 368 mil refugiados (de acordo com um novo balanço da agência das Nações Unidas para os refugiados - ACNUR) , na sua esmagadora maioria mulheres e crianças.
Captura de ecrã 2022-02-27 103009.jpg

 

  Outras da série "Rússia invadiu Ucrânia"
Captura de ecrã 2022-02-27 205553.jpg
275049868_10221048780917068_8992894358569615171_n.


  Ontem foi assim
19h21 - Imagens de satélite mostram tropas russas a cerca de 60 quilómetros de Kiev, segundo informação avançada pela agência Reuters.
21h18 - As forças russas entraram e tomaram o controlo da cidade de Berdyansk, avança o autarca local, Oleksandr Svidlo. Berdyansk, que tem uma pequena base naval, tem uma população de cerca de 100.000 habitantes. “Há poucas horas, testemunhámos como os soldados armados com artilharia pesada entraram na cidade e começaram a avançar pela nossa cidade natal. Assim que soube do ocorrido, tentei informar todos os residentes da cidade para que tenham a oportunidade de se refugiarem em abrigos", escreveu o autarca, no Facebook.
22h12 - O aeroporto internacional Nikolaev foi atingido, de acordo com informação do presidente da administração estatal regional de Nikolaev, Vitaly Kim.
23h42 - 
O Estado-Maior General das Forças Armadas da Ucrânia afirma que "a Rússia continua a bombardear praticamente em todas as direções. A guarnição de aviação em Vasylkiv está a defender-se heroicamente, resistindo a bombardeamentos maciços e ataques inimigos. Os soldados da Força Aérea repelem com bravura o agressor noutras cidades e guarnições militares".

 

  A partir de 1 de março de 2022, e até segunda ordem, a Federação Cinológica Russa (RKF) não será autorizada a realizar - no Território Russo - qualquer evento em que sejam atribuídos títulos ou prémios da FCI (shows CACIB, provas CACIT, competições CACIAG, etc.).
275050255_10161760310317627_3079348443464663448_n.
O Clube Português de Canicultura une-se à comunidade internacional no seu completo repúdio pelo terrível conflito que neste momento ocorre na Ucrânia após a invasão do exército russo, que está em curso. (...) A Direção do CPC une-se de imediato ao movimento internacional de apoio aos canicultores ucranianos, de forma concreta e real, apoiando em pleno a iniciativa solidária que foi oficialmente anunciada hoje pelo Comité da FCI.
274856543_10159015226928531_7489495341867634114_n.

 

  Será em Gomel, na Bielorrússia que as delegações de Zelensky e de Putin vão estar frente a frente para NEGOCIAR A PAZ, ainda que a madrugada desta segunda-feira (28fev2022) tenha sido marcada por violentos combates em Kiev, Kharkiv, Kherson e Chernihiv.
FMqTNoHX0AINQBQ.jpg
  08h40 de 28fev2022 - A delegação ucraniana já chegou ao local da fronteira onde vai decorrer a reunião com os representantes russos, avança o gabinete oficial da presidência da Ucrânia. A delegação da Ucrânia vai exigir um cessar-fogo "imediato" e a retirada das tropas russas. Na imagem chegada da delegação ucraniana à fronteira com a Bielorrússia, com o ministro da Defesa Oleksii Reznikov (segundo a contar da esquerda).
900.jpg
  10h41 de 28fev2022 - O dono do Chelsea, Roman Abramovich, um dos oligarcas russos mais próximos de Vladimir Putin, está na Bielorrússia a pedido da Ucrânia para participar nas conversações de paz, avança o The Jerusalem Post. 
  17h07 de 28fev2022
As delegações ucraniana e russa terminaram as conversações que realizaram ao longo do dia desta segunda-feira na Bielorrússia e admitiram um novo encontro “em breve”. "As partes estabeleceram uma série de prioridades e questões que requerem determinadas decisões" antes de uma segunda ronda de conversações, disse Mikhailo Podoliak, um dos negociadores ucranianos, citado pela agência AFP. O seu homólogo russo, Vladimir Medinsky, disse que o novo encontro terá lugar "em breve" na fronteira entre a Polónia e a Bielorrússia.

 

  O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, assinou esta segunda-feira o pedido formal de adesão à União Europeia. "Este é um momento histórico!", pode ler-se na publicação partilhada pela página da presidência ucraniana.
FMsf3LIWYAgLMg1.jpg

 

  O ministro ucraniano do Interior, Denys Monastyrsky afirmou à BBC que a situação na capital ucraniana é "séria, mas estável". O governante revelou que todos os dias a Rússia envia cada vez mais soldados, mas que as forças ucranianas têm feito todos os esforços para bloquear o seu avanço e mantê-los afastados de Kiev. "Sim, de fato, a cada dia o inimigo envia mais e mais forças. Mas nossas gloriosas forças armadas estão basicamente a destruir tudo o que chega a Kiev. Kiev continua a ser o local da principal ofensiva", revelou. Perante as câmaras da televisão britânica, Monastyrsky revelou que as autoridades ucranianas estão a preparar-se para "todos os cenários", incluindo em Kiev. (Na foto um T-90M russo a arder)
17h51 28fev2022.jpg

 

  Apelando à solidariedade dos portuenses e em conjunto com todas as juntas de freguesia e uniões de freguesias, que prontamente se disponibilizaram para se assumirem como pontos de recolha, o Município do Porto irá lançar a campanha, denominada “SOMOS TODOS UCRÂNIA”, de recolha de bens – essencialmente roupa quente, calçado, bens alimentares não perecíveis, medicamentos ou produtos de higiene – para fazer chegar à fronteira da Polónia com a Ucrânia.
Captura de ecrã 2022-02-28 210516.jpg



Publicado por Tovi às 07:46
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 20 de Abril de 2015
Crise humanitária no Mediterrâneo

Migrantes no Mediterrâneo 19Abr2015.jpg

Como irá acabar esta tragédia?... As constantes guerras no Médio Oriente e a continuação de degradantes condições de vida em vários países do Norte de África estão a provocar migrações para a Europa que irão ter repercussões que ainda não conseguimos ajuizar verdadeiramente. Não é de todo possível levantarmos muralhas à volta da Europa e assobiarmos para o lado e fingirmos que não vemos a entrada diária de centenas de pessoas à espera de uma melhor condição de vida no “el dourado” europeu também não é solução. Um verdadeiro e profícuo debate internacional é necessário… antes que seja tarde.

 

  Comentários no Facebook

«Carlinhos da Sé» >> Tuda esta situação é resultante da ingerência dos países (ditos) desenvolvidos, começou quando os americanos decidiram invandir o Iraque.

«Pedro Baptista» >> Pois, e com o assalto à Líbia. Se quiserem mais explicações perguntem ao Pacheco Pereira que ele é que fazia a apologia disso...

«Domingos Carneiro S» >> Tudo começou já bem antes, no Afeganistão...

«José Camilo» >> Para mim, começou ainda antes de todas as asneiras americanas e outras, com os estados de índole religiosa. Incluindo o do vaticano evidentemente.

«Carlinhos da Sé» >> Fica a ideia que há interesse que morram aos milhares, com tanta tecnologia ao dispor não detetam esta gente antes de se fazerem ao mar porquê? E o organismo a que preside António Guterres? É só para andar a passear os colunáveis?

«José Camilo» >> Claro.

«Joaquim Leal» >> Muito triste e sobretudo grave. Será que é desta? Naufrágio: União Europeia reúne-se de urgência

«David Ribeiro» >> Segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), dirigido por António Guterres, o ano de 2011, em que mais de 1.500 pessoas perderam a vida nas águas do Mediterrâneo, tinha sido o mais mortífero para os clandestinos vindos de quase toda a Àfrica, ou sírios e líbios que fogem à guerra, desafiando a sorte e o destino para tentar chegar à Europa, através da Grécia e Itália. Mas em 2014 foi estimado que as perdas de vida tenham atingido os 3.500 e neste ano de 2015 (de Janero a meados de Abril) já morreram 1.650 pessoas. Uma verdadeira tragédia.

«Joaquim Leal» >>Ainda sobre este tema, um excelente texto do Luis Pedro Nunes. Curto mas grosso. "No Níger falei com pessoas dispostas a dar o salto para a Europa. E há dez meses o Boko Haram ainda não era o que é hoje e estava confinado à Nigéria. Há um pormenor que faz tida a diferença quando se vê aquelas barcaças cheias de gente. É que só quem tem algumas posses (umas vacas, por exemplo) pode pensar em emigrar para a Europa. Quem nada tem está condenado a não poder sonhar. Vender o pouco que tem e tentar chegar ao Mediterrâneo é a maior das aventuras. O mar é um detalhe, dizem-lhes. Um número incalculável é morto antes, é vítimas das máfias, é roubado pelos próprios “passadores”. Os que chegam aos barcos são sobreviventes. Os que tocam chão europeu não só conseguiram ultrapassar a odisseia marítima. Aquela foi apenas uma etapa de uma viagem que começou meses antes. Mas há um detalhe que importa ter em conta. É que cada um daqueles homens e mulheres vai ser recambiado para a sua terra mas de forma diferente. Quando chegarem não só já não têm nem as vacas os meios de subsistência que tinham antes como agora têm um ódio aos europeus que não lhes abriram as portas depois de um sofrimento tamanho. E estão prontos para engrossar as fileiras do extremismo. Esta não é uma questão simples que se resolve no meio do mar..."

«David Ribeiro» >> Migrações ilegais no Mediterrâneo

Imigração ilegal no Mediterrâneo Abr2015 b.jpg

«Carlinhos da Sé» >> Se controlassem o tráfico de armas só pontualmente aconteciam tragédias destas.

«David Ribeiro» >> Há naquele Mar Mediterrâneo um grande contrabando, não só de seres humanos, mas também de armas, estupefacientes e inclusive de petróleo. Para onde vai o “ouro negro” produzido nas refinarias que o Estado Islâmico ocupa e que mantêm em laboração? A Europa só se lembra de Santa Bárbara quando troveja e se não houver muitas mortes a coisa fica simplesmente por uns euritos para sustentar os campos de apoio aos migrantes resgatados ao mar ou chegados às ilhas mediterrânicas e não se fala mais nisso. O problema está no Norte de África e na África subsariana, onde vários países passam por crises políticas, sociais e económicas para as quais ou fomos nós que contribuímos ou fazemos vista grossa.

«Carlinhos da Sé» >> Os primeiros responsáveis por tudo o que está a acontecer a estes povos são os países europeus que os colonizaram.

«Joaquim Leal» >> Lá vou eu ter que discordar do Carlinhos da Sé mas prometo que não vou ser mauzinho. A colonização teve os seus erros, alguns graves mas segundo as minhas contas, julgo que esta há muitos anos ou séculos terminou. Estes povos, pelos menos os que foram colonizados já tiveram tempo mais do que suficiente para se organizarem, penso. O problema relativamente ao chamado mundo ocidentalizado terá mais a ver na actualidade com os recursos (petróleo e minérios) que por ali há e que convém manter por "perto". Por isso se derrubam regimes de acordo com a conveniência. O sistema das próprias sociedades dos países africanos, seja por razões étnicas como religiosas também não ajudam á estabilização social e económica destes. Concordo que se deve ajudar esta gente. A jusante ainda será possível acolher muitos milhares na europa, acho que ainda haverá espaço mas há um limite. Imaginemos como será a europa daqui a um século e picos, depois quem cá estiver foge para onde?...A montante é que não vejo a solução para travar esta migração.

«David Ribeiro» >> Não há dúvida que ainda continuas com um déficit de entendimento do mal das colonizações, Joaquim Leal ;-)

«Carlinhos da Sé» >> Olá Joaquim Leal, bom dia. Eu escrevi "os primeiros", se quem colonizou instruisse a realidade dos países era outra, mas a política era precisamente a contrária. Abraço.

«Joaquim Leal» >> De acordo amigo. Abraço. Apenas por curiosidade. Para além do enorme esforço que a Itália está a fazer lamenta-se a indiferença da generalidade dos países europeus perante este drama. Abro apenas excepção á Suécia e espante-se, á tão criticada (por outros motivos) Alemanha com programas muito meritórios em termos alojamento e integração como há dias vi numa reportagem televisiva. No que me toca enquanto tuga é de facto lamentar este alheamento mas pode ser que os povos migratórios se venham a lembrar ainda de pensar na travessia por Marrocos, logo aqui á minha frente. Aí é que cai o Carmo e a Trindade, esperem...

«Carlinhos da Sé» >> Ó Joaquim Leal, deseje melhor sorte aos infelizes... É que se eles se lembrarem de "atracar" no Algarve o governo arranja forma de ganhar dinheiro com eles. Logo de inicio era mais um corte nas reformas para ajudar os desgraçados.

«Joaquim Leal» >> Sinceramente nem quero pensar vê-los aqui a entrar por Quarteira e Vilamoura adentro. Ia ser bonito, ia

«Carlinhos da Sé» >> Com os ingleses em Gibraltar não arriscam, é uma zona super-vigiada.

«Joaquim Leal» >> Em Marrocos a coisa também foi reforçada por causa de Ceuta e Melilla espanholas mas a costa marroquina é muito vasta. Vamos esperar para ver.

«Carlinhos da Sé» >> Ó Joaquim Leal, quando começarem a entrar arranja uns quantos que saibam curtir peles de carneiro... Montamos aqui uma fabriqueta de sacos artesanais, a turistada compra tudo.



Publicado por Tovi às 08:13
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Junho 2022
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Posts recentes

Ao sétimo dia continua a ...

E é assim que estamos no ...

Crise humanitária no Medi...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus