"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Sexta-feira, 26 de Agosto de 2022
Eleições Gerais em Angola

Captura de ecrã 2022-08-23 142206.jpg

Angola foi a votos na última quarta-feira [24ago2022] para escolher um novo Presidente da República e os 220 novos representantes na Assembleia Nacional. Estas foram as quartas eleições do pós-guerra em Angola e o quinto processo eleitoral desde 1992, ano em que foi introduzido este exercício democrático, e a primeira vez em que angolanos residentes no estrangeiro puderam votar. 

 

  00h50 de 25ago2022 - Comissão Nacional Eleitoral 
Resultados provisórios quando estão apurados 33,16% do total dos votos
MPLA - 60,65%  /  UNITA - 33,85%  /  PRS - 1,45%  /  FNLA - 1,28%
PHA - 1,05%  /  CASE-CE - 0,75%  /  APN - 0,51%  /  P-NJANGO - 0,48%

 

  11h00 de 25ago2022 - Comissão Nacional Eleitoral 
Resultados provisórios quando estão apurados 86,41% do total dos votos
MPLA - 52,08%  /  UNITA - 42,98%  /  PRS - 1,18%  / FNLA - 1,07%
PHA - 1,02%  / CASA-CE - 0,73%  /  APN - 0,48%  /  P-NJANGO - 0,42%
Resultados provisórios em Luanda com 77,12% dos votos apurados
UNITA - 62,93%  /  MPLA - 33,06% 

 

  20h45 de 25ago2022 - Comissão Nacional Eleitoral
Quando faltam apenas 2,7% das mesas por apurar, o MPLA mantém-se à frente da contagem de votos com 51,07%, que lhe permite eleger 124 deputados, seguido da UNITA (oposição) com 44,05%, o equivalente a 90 deputados. De acordo com a segunda e última actualização do dia de hoje, feita pelo porta-voz da Comissão Nacional Eleitoral (CNE), Lucas Quilundo, o PRS, FNLA e PHA conseguem eleger dois deputados cada, enquanto CASA-CE, APN e P-JANGO sem hipótese de eleger deputados.  

 

  12h40 de 26ago2022 - Agência Lusa
O Movimento Popular para a Libertação de Angola (MPLA, no poder) perdeu um milhão de votos nas eleições de quarta-feira face a 2017, enquanto a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) obteve quase um milhão a maisSegundo os dados da Comissão Nacional Eleitoral (CNE), quando estão escrutinados 97,03% dos votos, o MPLA (no poder desde 1975) obteve 3.162.801 votos, menos um milhão que em 2017, quando obteve 4.115.302 votos. Já a UNITA teve uma grande subida, elegendo deputados em 17 das 18 províncias e obtendo uma vitória histórica na de Luanda, a maior do país, conseguindo até ao momento 2.727.885 votos enquanto em 2017 teve 1.800.860 boletins favoráveis. Além desta mudança de votação, há um registo de uma menor afluência. Menos 700 mil angolanos acorreram às urnas nas eleições gerais de quarta-feira apesar de o universo eleitoral ter aumentado mais de 55%, passando de 9,22 milhões para 14,4 milhões de eleitores. Em 2022, com um caderno eleitoral substancialmente superior, verificou-se uma abstenção de 56% quando, em 2017, data da primeira eleição de João Lourenço, a abstenção foi apenas de 23,5%.

 

  19h10 de 26ago2022 - UNITA não reconhece resultados das eleições
A UNITA anunciou esta sexta-feira que não reconhece os resultados das eleições do dia 24 de agosto, que deram a vitória ao MPLA em Angola. "Não existe a menor dúvida em afirmar, com toda a segurança, que o MPLA não ganhou as eleições do dia 24 de agosto", afirmou Adalberto Costa Júnior em conferência de imprensa. "A UNITA não reconhece os resultados provisórios divulgados pela CNE." Costa Júnior referiu que a UNITA criou um escrutínio paralelo "para proteger o voto do povo do assalto daqueles que ainda não entenderam o conceito de democracia", e que os dados do partido são significativamente diferentes dos da Comissão Nacional Eleitoral de Angola. "As discrepâncias dos mandatos atribuídos à UNITA pela CNE são brutais", afirmou o líder do maior partido da oposição. Costa Júnior deu vários exemplos das alegadas diferenças do número de votos atribuídos à UNITA, incluindo na região de Luanda. Segundo o líder político, as atas síntese na posse da UNITA revelam que o partido obteve 1.417.447 votos na região da capital, o que corresponde a 70% dos votos. Estes dados contrariam os da CNE, que revelam que o partido fundado por Jonas Savimbi obteve 1.230.217 votos, cerca de 137 mil votos a menos, o que corresponde a 62,59% do total dos votos no círculo eleitoral de Luanda.

 

  Resultados Oficiais - CNE 29ago2022
Votaram 44,82% dos 14,4 milhões de eleitores, com 1,67% de votos brancos e 1,15% de votos nulos.
MPLA - 51,17% - 3.209.429 votos - 124 deputados.
UNITA - 43,95% - 2.756.786 votos - 90 deputados.
PRS - 1,14% - 71.351 votos (1,14%) - 2 deputados.
FNLA - 1,06% - 66.337 votos - 2 deputados.
PHA - 1,02% - 63.749 votos - 2 deputados.
CASA-CE - 0,76% - 47.446 votos - 0 deputados.
APN - 0,48% - 30.199 votos - 0 deputados.
P-NJANGO - 0,42% - 26.867 votos - 0 deputados.
O plenário da CNE proclamou assim Presidente da República de Angola João Lourenço, cabeça de lista pelo MPLA, e vice-presidente Esperança da Costa, segunda da mesma lista.



Publicado por Tovi às 08:00
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Setembro 2023
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9



28
29
30


Posts recentes

Eleições Gerais em Angola

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus