"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2024
Perder uma batalha não é perder a guerra, mas...

424730607_10164139291536679_7382633550237461301_n.  

O Comandante-chefe das Forças Armadas ucranianas, Alexsandr Syrsky, anunciou a decisão de retirar as suas tropas de Avdiivka e entrar em modo defensivo. "Com base na situação operacional em torno de Avdiivka, tomei a decisão de retirar nossas unidades da cidade e partir para a defesa", escreveu nas redes sociais o general, que se tornou o principal comandante do Exército de Kiev, substituindo Valery Zaluzhny.

  Miguel Castelo BrancoApós 2900 dias de bombardeamentos pela artilharia do regime de Maidan, Donestsk passou a primeira noite em paz. Os efeitos da tremenda e inapelável derrota ucraniana já se fazem sentir na capital da novel república. O colapso da última e principal fortaleza foi festejada como um grande feito militar - obra-prima da guerra de movimento, coordenação inter-armas e destemor - mas foi, para tantas centenas de milhares de civis russos, o sinal de mudança decisiva nas suas vidas. Tal como na Crimeia, em 2014, e Mariupol, em 2023, todos percebem que a ocupação e as flagelações acabaram. Esta batalha, sim, foi uma Estalinegrado e o ponto decisivo de viragem da guerra, pelo que é com alguma expectativa que aguardamos as justificações dos nossos Generalfeldmarschälle de estúdio televisivo.

 

  O exército da Ucrânia tinha afirmado que estavam a decorrer fortes batalhas com as forças russas na cidade de Avdiivka, na linha da frente, enquanto o presidente Volodymyr Zelensky embarcava numa mini viagem pela Europa, numa nova tentativa de garantir a tão necessária ajuda. O exército disse na sexta-feira [16fev2024] que suas forças estavam assumindo “novas posições” na cidade oriental, no momento em que o segundo aniversário da guerra encontra a Ucrânia enfrentando desafios no campo de batalha e uma escassez de munições devido a atrasos na assistência militar ocidental. A Rússia tentava capturar a cidade desde outubro e cercou-a por três lados, deixando rotas de reabastecimento limitadas para as forças ucranianas.

  Al Jazeera 18fev2024
2023-10-24T200236Z_1609630773_RC28U3AK90FX_RTRMADPA Rússia afirma ter controle total da cidade ucraniana de Avdiivka após a retirada da Ucrânia, acrescentando que algumas tropas ucranianas ainda estão escondidas numa vasta coqueria da era soviética após uma das batalhas mais intensas desta guerra. A queda de Avdiivka é o maior ganho da Rússia desde a captura da cidade de Bakhmut em maio de 2023 e ocorre quase dois anos depois que o Presidente Vladimir Putin desencadeou uma guerra em grande escala ao ordenar a invasão da Ucrânia. Putin saudou a queda de Avdiivka como uma vitória importante e deu os parabéns às tropas russas. “Medidas estão sendo tomadas para limpar completamente a cidade de militantes e bloquear unidades ucranianas que deixaram a cidade e estão entrincheiradas na fábrica de coque e produtos químicos Avdiivka”, disse o porta-voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov.



Publicado por Tovi às 08:33
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 20 de Outubro de 2023
Na guerra a primeira vítima é a verdade

Captura de ecrã 2023-10-19 095830.png 
[Lusa/CNN Portugal - 21h09 18out2023] - A explosão num hospital de Gaza, cuja responsabilidade resultou numa troca de acusações entre israelitas e movimentos armados palestinianos, causou “algumas dezenas de mortos” e não centenas, adiantou esta quarta-feira à agência France-Presse fonte de um serviço de informação europeu. “Não há 200 nem mesmo 500 mortos, mas sim algumas dezenas, provavelmente entre 10 e 50”, referiu esta fonte que falou à AFP sob condição de anonimato. O mesmo responsável de um serviço de informação europeu também acredita que “Israel provavelmente não fez isso [o ataque]”, segundo as “pistas sérias” de informção disponíveis nesta agência. Já esta quarta-feira, o Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo movimento islamita Hamas, referiu que a explosão causou pelo menos 471 mortos. Israel atribuiu a explosão a um ataque fracassado de foguetes da organização palestiniana Jihad Islâmica, que negou a responsabilidade. “O edifício não foi destruído”, acrescentou esta fonte europeia. E “o hospital provavelmente já tinha sido evacuado anteriormente, como todo um conjunto de hospitais localizados no norte de Gaza”, depois da imposição nesse sentido feita dias antes pelo Exército israelita. A mesma fonte realçou ainda que “não há provas que apoiem” a presença de centenas de pessoas no estacionamento do hospital onde ocorreu o bombardeamento. Os Estados Unidos invocaram esta quarta-feira os seus próprios serviços de informação para apoiar, inclusive através do seu Presidente Joe Biden, em visita a Israel, que o Estado judeu não é o culpado. “Continuamos a recolher informações, mas a nossa posição desta quarta-feira, baseada na análise de imagens aéreas, comunicações intercetadas e informações de acesso aberto, é que Israel não é responsável pela explosão que ocorreu no hospital de Gaza”, destacou Adrienne Watson, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos EUA, através da rede social X (antigo Twitter). Também o Exército israelita insistiu esta quarta-feira que o edifício do hospital não ficou sequer destruído e que terá havido apenas uma pequena explosão no parque de estacionamento adjacente causada por um foguete da Jihad Islâmica, eventualmente por um erro. A explosão no hospital ocorreu no momento em que Israel tem bombardeado incansavelmente Gaza, desde o sangrento ataque surpresa de 07 de outubro do Hamas, que matou 1.400 pessoas em Israel, a maioria delas civis. A resposta israelita causou pelo menos 3.478 mortos no superpovoado território palestiniano, a maioria civis, segundo as autoridades locais.

 

  
naom_6196289520133.jpgMeta, a proprietária do Facebook, introduziu medidas temporárias para limitar “comentários potencialmente indesejados ou mesmo indesejados” em postagens sobre a guerra Israel-Hamas. Disse também que mudará a configuração padrão para pessoas que podem comentar em postagens novas e públicas do Facebook criadas por usuários “na região” para apenas seus amigos e seguidores. A empresa desta rede social acrescentou que desativará a capacidade de ver o primeiro ou dois comentários nas postagens enquanto rola o feed do Facebook.

 
Captura de ecrã 2023-10-19 160341.png
Uma investigação da Al Jazeera não encontrou fundamentos para a alegação do exército israelita de que o ataque de terça-feira ao Hospital Árabe al-Ahli, na Faixa de Gaza, foi causado por um lançamento falhado de um foguete.

  
Captura de ecrã 2023-10-19 163723.pngAs Nações Unidas apelam a uma investigação cuidadosa. Até que investigadores independentes possam avaliar o incidente em pormenor, é pouco provável que o mundo saiba com certeza o que esteve na origem da explosão. Israel apresentou provas que, na sua opinião, demonstram que a explosão foi causada por um erro de disparo do grupo militante Jihad Islâmica e, na quarta-feira, o presidente dos EUA, Joe Biden, apoiou essa explicação, citando os serviços secretos norte-americanos. Um porta-voz do Conselho de Segurança Nacional afirmou mais tarde que a análise de imagens aéreas, das interceções e informações de fonte aberta sugeriam que Israel "não é responsável". Os responsáveis palestinianos e vários líderes árabes acusam, no entanto, Israel de ter atingido o hospital no âmbito dos ataques aéreos em curso em Gaza. A Jihad Islâmica - um grupo rival do Hamas - negou a responsabilidade.


Captura de ecrã 2023-10-19 205134.pngO Departamento de Estado dos EUA, diz não acreditar que uma investigação sobre o atentado bombista mortal a um hospital em Gaza seja "apropriada neste momento". “O governo israelita divulgou muitas evidências para apoiar a sua afirmação de que este foi um ataque de rocket com falha de tiro vindo de dentro de Gaza que infelizmente caiu sobre este hospital e matou o que parecem ser centenas de civis”, disseram aos repórteres. Washington ainda está a conduzir a sua própria avaliação sobre o atentado, ao mesmo tempo em que aconselha as pessoas a não aceitarem as alegações feitas pelo Hamas. Acrescentam que “entendem que” os observadores tratam as reivindicações israelitas com ceticismo, mas não deu mais detalhes. Israel tem uma longa história de negação de ataques - e em alguns casos de divulgação de "evidências" em vídeo - apenas para mais tarde reconhecer o seu papel.



Publicado por Tovi às 07:05
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 8 de Outubro de 2023
Hamas e Israel de novo em guerra

Captura de ecrã 2023-10-07 135213.png

Hamas lançou cinco mil rockets da Faixa de Gaza contra Israel na madrugada de sábado [antes das 6h30 locais de 7out2023 e durante uma hora] dando início à 'Operação Tempestade Al-Aqsa'. Segundo o exército israelita, homens armados atravessaram a fronteira em vários locais, infiltraram-se em diferentes comunidades e fizeram reféns israelitas posteriormente levados para Gaza. Sirenes de ataque aéreo soaram em todo o sul e centro de Israel, com o exército pedindo às pessoas que fiquem perto de abrigos antiaéreos. “Estamos em guerra”, afirma Benjamin Netanyahu.

 
Rui LimaÉ muito foguete...... Vai ser linda a resposta.
David RibeiroEstá cá a parecer-me que a Mossad já teve melhores dias. Israel sempre foi conhecida pelas suas sofisticadas capacidades de inteligência e pela monitorização estreita dos palestinianos e uma ação destas não se faz do pé para a mão.

  Al Jazeera 12h20 (GMT) de 7out2023
Captura de ecrã 2023-10-07 141530.png 

Sara Khairat, correspondente da Al Jazeera, reportando a partir de Jerusalém Oriental ocupada, diz que o governo israelita confirmou que o número de israelitas mortos aumentou para pelo menos 40. O número anterior, informado pelos serviços de emergência, era 22. “Mais de 750 israelitas ficaram feridos” e os números deverão continuar a aumentar.

  Al Jazeerra 13h47 (GMT) de 7out2023
Captura de ecrã 2023-10-07 151129.png
O número de palestinos mortos em Gaza após os ataques de retaliação de Israel aumentou para 198, segundo autoridades de saúde. Mais de 1.600 pessoas também ficaram feridas.

  Jorge VeigaMudando as atenções para outro ponto... Mudar, não muda e entretanto vão morrendo pessoas como nós.

  Al Jazeera 16h09 (GMT) de 7out2023
Captura de ecrã 2023-10-07 173720.png
Os militares israelitas afirmam que os combates continuam em 22 locais perto da fronteira Gaza-Israel. Um ataque israelita a um prédio alto na movimentada cidade de Gaza foi captado durante uma transmissão em direto da Al Jazeera em inglês. Israel diz que soldados e civis israelitas foram feitos prisioneiros, com Netanyahu a dizer: “Estamos em guerra e venceremos”. As autoridades de saúde afirmam que pelo menos 198 palestinos foram mortos em ataques a Gaza, enquanto as autoridades de Israel afirmam que pelo menos 70 israelitas foram mortos nos ataques do Hamas. Analistas dizem que a natureza dos ataques do Hamas a Israel não tem precedentes nos últimos anos e pode transformar o cenário do conflito enraizado. 

 


Captura de ecrã 2023-10-07 204534.png
Que eu me recorde e mesmo nos tempos históricos da afirmação do Estado Judeu, nunca os israelitas foram apanhados desprevenidos e invadidos por seja quem fosse, muito menos por um grupo fundamentalista palestiniano. Algo não correu bem nestes últimos tempos e não devem ser ignorados os planos do governo de Benjamin Netanyahu para reformar o sistema judiciário que mergulhou Israel numa de suas piores crises domésticas. Agora outro galo vai seguramente cantar e a cúpula militar vai deixar de ser “pomba” e voltará a ser “falcão”.

  Albertino AmaralFim da linha para a Palestina. Acabou... palpita-me...

 

  Assim estamos na manhã deste domingo 8out2023
(by Al Jazeera)
Captura de ecrã 2023-10-08 095052.png
O Hezbollah assume a responsabilidade pelos ataques de morteiros do Líbano nas Fazendas Shebaa ocupadas, com Israel a dizer que respondeu com ataques de artilharia.
A escalada ocorre no momento em que crescem os temores de uma invasão terrestre de Gaza, depois que o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, ameaçou transformar o enclave palestino sitiado numa “ilha deserta” após o ataque surpresa do Hamas no sábado.
O último número de mortos é de 313 palestinos e cerca de 300 israelitas.
O Hamas disse que também capturou muitos israelitas e que os reféns estavam espalhados por todas as áreas da Faixa de Gaza.
A operação do Hamas ocorreu na sequência dos ataques generalizados de colonos israelitas, do aumento das tensões no complexo da mesquita de Al-Aqsa, em Jerusalém Oriental ocupada, e de um número recorde de palestinos mortos.

  Albertino AmaralEsta gente nasceu na guerra, viveu em guerra e morrerá vítima da guerra. Nada a fazer sobre este destino...

  Al Jazeera 09h28 (GMT) de 8out2023
tower.jpgA comunicação social egípcia está a noticiar que um policial abriu fogo contra turistas israelitas no Pilar de Pompeu, em Alexandria. O canal de televisão Extra News, que tem laços estreitos com agências de segurança egípcias, citou um oficial de segurança não identificado dizendo que outra pessoa ficou ferida no ataque e que o suposto agressor foi detido. O serviço de resgate Zaka de Israel também relatou duas pessoas mortas em Alexandria, de acordo com a agência de notícias Associated Press.O ataque fatal em Alexandria foi confirmado pelo Ministério das Relações Exteriores de Israel. Da mesma forma, o Ministério do Interior egípcio também confirmou a notícia.

  Al Jazeera 10h00 (GMT) de 8out2023
Captura de ecrã 2023-10-08 111713.png
De acordo com a comunicação social israelita mais combatentes palestinos infiltraram-se na cidade de Magen, no sul de Israel. Grandes tiroteios estão a ocorrer na área, com o exército israelita a usar tanques contra os combatentes. 

  Trágico balanço a meio da tarde de domingo 8out2023
israel-ambulancia-ataque-hamas-7-out-2023-848x477.Os últimos relatórios da comunicação social israelita dizem que pelo menos 659 pessoas foram mortas em Israel. Outras 2.156 pessoas ficaram feridas. O Governo israelita confirmou que mais de uma centena de pessoas foi sequestrada pelas milícias palestinianas na sequência do ataque do grupo islâmico Hamas. De acordo com o Ministério da Saúde da Palestina, o número de palestinianos mortos é agora de mais de 380 e mais de 2.200 feridos.

  Adao Fernando Batista BastosIsto vai acabar mal, pior do que já está.

 

  Quem fala assim não é gago... por mais que nos custe
Captura de ecrã 2023-10-08 155515.pngO Embaixador da Palestina no Reino Unido, Husam Zomlot, diz que espera que os últimos combates sejam um “alerta” para o mundo inteiro, de que o seu povo continuará a lutar pelos seus direitos durante o tempo que for necessário. “O povo palestino não vai a lugar nenhum. O povo palestino tem o direito de se defender”, disse ele à Al Jazeera, acrescentando que lutará “durante 100 anos e por mais 100, se necessário”. Zomlot acrescentou que as nações ocidentais precisam de compreender que dar a Israel uma “carta branca” sobre o direito internacional e que tentar “contornar” a questão palestina não trará a paz. “A ocupação de Israel tem de acabar… e um Estado soberano palestiniano com Jerusalém Oriental como capital deve ser estabelecido. Milhões de refugiados palestinos têm direitos inegociáveis ​​de regressar às suas casas, propriedades, terras”, acrescentou. "Como vamos fazer isso? Simplesmente pela aplicação igualitária do direito internacional.”

  Raul AlmeidaDavid Ribeiro, subscrevo na íntegra.



Publicado por Tovi às 07:51
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 26 de Setembro de 2023
Conflito sem fim à vista



Quinta-feira, 31 de Agosto de 2023
Zelensky a dar um passo maior que a perna

Captura de ecrã 2023-08-29 174410.png

Volodymyr Zelensky revelou que os aliados ocidentais já fizeram saber que deixam de ajudar a Ucrânia na luta contra a invasão de Moscovo caso Kiev transfira as hostilidades para território russo. E o governo ucraniano poderá sozinho custear a guerra que Zelensky está a querer continuar, com drones diariamente a atingirem território russo, ou estará a dar um passo maior que a perna?

  Jose RomãoA Rússia pode atacar alvos civis na Ucrânia quando bem enter, até parece para alguns legítimo essas barbaridades, a Ucrânia ripostar já não parece bem. Na realidade este Mundo está mesmo perdido, a equidade é algo que não existe, principalmente para os que estão alinhados com o politicamente correcto e com os órgãos de informação desonestos, que manipulam, omitem deliberadamente porque estão ao serviço da esquerda retrógrada e da Nova Ordem Mundial‼️😎😎😎

 

Captura de ecrã 2023-08-30 091730.png
(Na imagem vê-se um grande incêndio em Pskov)
Notícias do fim do dia da última terça-feira (29ago2023) diziam-nos que 20 drones ucranianos atingiram a base aérea de Pskov, no noroeste da Rússia, danificando 4 Ilyushin-78, aviões para reabastecimento em voo. Na manhã de quarta-feira (30ago2023) o Ministério da Defesa da Rússia informou que drones foram abatidos nas regiões de Orlov, Bryansk, Ryazan, Kaluga e na região de Moscovo, no que poderá ter sido o maior ataque de drones em território russo desde a invasão em grande escala da Ucrânia no ano passado. Às primeiras horas de quarta-feira (30ago2023) as agências de notícias relataram não só a Rússia ter atacado 4 embarcações ucranianas no Mar Negro, mas também a capital Kiev, com as antiaéreas ucranianas a tentarem repelir drones e mísseis. Fala-se também num ataque ucraniano contra uma brigada da Rússia na Crimeia.
  Albertino Amaral
Pois é. Quer queiramos, quer não, neste caso concreto, atacarmos a casa do invasor, pode refrear um pouco o seu ímpeto besta, de querer assaltar a casa dos outros...

 


Captura de ecrã 2023-08-30 174244.png
A Al Jazeera noticiou ontem (30ago2023) que as forças da Ucrânia avançaram nas frentes sul e leste durante esta 79.ª semana da guerra do país com a Rússia, alcançando o que os especialistas acreditam ser a retaguarda da primeira linha de defesa da Rússia. Mas também enfrentaram um avanço russo no nordeste que criou um dilema sobre onde colocar as tropas disponíveis.

 

  The Guardian 30ago2023
Captura de ecrã 2023-08-30 222313.pngPoucos russos queriam a guerra na Ucrânia, mas também não aceitarão uma derrota russa. (...) Parece que uma grande maioria da elite e dos russos comuns aceitaria um cessar-fogo ao longo das atuais linhas de batalha e não levantaria qualquer desafio se Putin propusesse ou concordasse com tal cessar-fogo e o apresentasse como uma vitória russa suficiente. (...) Muito poucos na população em geral, dizem que a Rússia deveria entregar a Crimeia e o Donbass oriental."

 
Jorge VeigaJá agora o que será que pensam os Ucranianos?
David RibeiroSegundo se vai lendo muitos fogem da guerra, subornando os serviços de recrutamento, outros, normalmente filhos dos senhores todos poderosos de Kiev, vão-se pavoneando por essa Europa fora, muitos outros dizem que o que querem é paz, não sabendo muito bem como isso será possível, e outros ainda fazem juras de morte aos russos. Os da Crimeia e do Donbass são na sua esmagadora maioria pró-russos.
Jorge VeigaDavid Ribeiro Curioso que as medidas tomadas contra as fugas, foram dos russos. E se lá estiveres e fugires, levas um tiro (medida aliás tomada na WW II pelas comissárias políticas da URSS). Só que aquilo que perguntei foi o que pensam os Ucranianos. E esses estão lá e a chumbarem as mentes russas, os aeroportos russos, as pontes russas. Ou será que esses actos foram cometidos pelos que fugiram?
David RibeiroComo acabei de dizer, Jorge Veiga, há na Ucrânia quem continue a fazer "juras de morte aos russos", sejam eles militares ou população civil.
Jorge VeigaDavid Ribeiro ...e com razão.

 

  Estará Zelensky a fazer uma limpeza geral ou só a varrer para debaixo do tapete?
Captura de ecrã 2023-08-31 100203.png[Al Jazeera 08h34(GMT) 31ago2023] - O ministro da Defesa da Ucrânia, Oleksii Reznikov, que tem liderado a guerra do país contra a Rússia juntamente com o presidente Volodymyr Zelensky, poderá ser substituído, de acordo com uma reportagem do meio de comunicação local Ukrainska Pravda. Citando fontes do governo local, o meio de comunicação informou que o substituto de Reznikov poderia ser Rustem Umerov, presidente do fundo imobiliário estatal da Ucrânia. Em Fevereiro, jornalistas e ativistas descobriram que o Ministério da Defesa comprava alimentos para os soldados a preços muito inflacionados, colocando Reznikov sob o radar, enquanto a Ucrânia tenta combater a corrupção.

 


01000000-0aff-0242-5ba0-08db5c7c8c26_cx0_cy2_cw0_w
Dmytro Kuleba, ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, afirmou que criticar a contraofensiva ucraniana é o mesmo que 'cuspir no rosto dos soldados' que tentam 'reconquistar um metro quadrado de território' desde o início da invasão.
E já há comentários para todos os gostos:
- Kuleba está em negação e não teve uma atitude inteligente;
- É 'normal' a 'indignação', tendo em conta o 'esforço extraordinário' empenhado pelas forças de Kiev desde o início da invasão russa;
- Quando Kuleba, disse aos críticos para 'calarem a boca', tinha como destinatários os líderes das forças armadas dos EUA e Reino Unido, mas foi um momento 'deselegante e muito pouco inteligente';
- A
 Ucrânia avançou pouco na frente sul, mas a Rússia não avançou nem um centímetro desde que a contraofensiva começou.
- Avanço da Ucrânia a sul é 'relativo', mas é 'algo para quem não tinha progressos para apresentar'.




Terça-feira, 1 de Agosto de 2023
Portugal 0 - 0 Estados Unidos

  Antes do jogo
1024.jpg[MaisFutebol - 31jul2023] - Em estreia num Mundial feminino em 2023, Portugal chega à terceira e última jornada do grupo E com hipóteses de qualificação para os oitavos de final, mas tem uma missão difícil e exigente pela frente: em Auckland, a partir das 08h00 de hoje (hora de Portugal Continental), as comandadas de Francisco Neto defrontam a atual campeã do mundo, os Estados Unidos. À mesma hora, há duelo entre Países Baixos e Vietname. Nesta altura, os Estados Unidos lideram com quatro pontos, os mesmos dos Países Baixos, mas com vantagem no saldo de golos, o primeiro critério de desempate em caso de igualdade pontual (4-1 das norte-americanas, para 2-1 das neerlandesas). Portugal tem três pontos (2-1 em golos) e o Vietname, ainda sem pontuar (0-5 em golos), está matematicamente afastado da luta pelos oitavos de final. A seleção nacional sabe que a tarefa é difícil pelo adversário que tem pela frente, mas também sabe duas coisas: que só depende de si para um apuramento histórico e que é obrigatório pontuar. Sem olhar a terceiros, basta a Portugal vencer os Estados Unidos para aceder aos oitavos de final. Vencendo às norte-americanas, Portugal até passa no primeiro lugar do grupo se os Países Baixos não baterem o Vietname. Passa em segundo lugar, caso as neerlandesas também vençam. No entanto, há outro cenário que pode dar o apuramento a Portugal. Se os Países Baixos perderem ante o Vietname, à equipa lusa basta o empate frente às norte-americanas. Este cenário colocaria portuguesas e neerlandesas com quatro pontos cada, mas como nesta altura as duas seleções têm exatamente o mesmo saldo e diferença de golos (2-1, um positivo), a derrota colocaria Países Baixos com pior saldo face a Portugal. Aqui, os Estados Unidos passariam em primeiro lugar, seguidos de Portugal.

 

  Depois do jogo
Portugal empatou com os Estados Unidos (0-0), na terceira jornada da fase de grupos do Mundial, dizendo adeus à competição. O apuramento esteve mesmo perto de acontecer. Aos 90'+2' Ana Capeta atirou ao poste e desperdiçou, assim, uma oportunidade soberana de marcar o golo que tanto Portugal precisava para passar aos oitavos de final deste Mundial. Mas as nossas meninas saíram de cabeça levantada com quatro pontos num grupo onde estavam Países Baixos e Estados Unidos.
  P a r a b é n s ! . . .  
Captura de ecrã 2023-08-01 101254.png

 

  Como a Al Jazeera viu a eliminação das nossas meninas
Captura de ecrã 2023-08-01 172256.png

 

  E já que estamos a falar de equipas femininas...
Captura de ecrã 2023-08-01 112244.png

 

  E hoje o BOAVISTA FC está de parabéns!... 120 anos
Captura de ecrã 2023-08-01 103807.png



Publicado por Tovi às 08:08
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 19 de Julho de 2023
E para a PAZ não há nada?

Captura de ecrã 2023-07-18 171712.png

Um novo contrato de centenas de milhares de munições à Rheinmettall, num valor superior a  1,2 mil milhões de euros.

  
Jose Pinto Pais
David Ribeiro já agora ?😉 e dos contratos de compra de Drones ao Irão, não há nada para a Paz ? E da visita do ministro da defesa da Russia as fabricas de armamento também não há nada para a paz ? Ainda bem que a Ucrania continua a ter apoio. 
David RibeiroCaríssimo Jose Pinto Pais... da Rússia já todos sabemos o que aquela malta gasta e quem são os seus "amigos", agora o que é preciso saber é porque nós os europeus estamos a apertar o cinto para apoiar os senhores de Kiev que não merecem confiança nenhuma. A "guerra" por aqueles lados é do interesse dos EUA que nos têm vindo a arrastar para um conflito que nunca mais acaba e que pode ter consequências desastrosas para os europeus.
Jose Pinto PaisDavid Ribeiro meu caro, não diga isso, está a chamar burros a todos os Europeus
David RibeiroJose Pinto Pais o que eu não quero é que os europeus sejam novamente burros, como aconteceu com o Iraque. Lembra-se da famosa reunião entre Bush, Blair, Aznar e Durão nos Açores? Eu, e muitos outros europeus, não esquecemos.
Jose Pinto PaisDavid Ribeiro e Na reconstrução da Alemanha, do Plano Marshal, da entrada na IIWW para salvar a Europa, tudo sempre do interesse dos USA, não foi ? Ingleses, Alemães, Franceses, italianos .... agora , actualmente é tudo fantoches a soldo dos USA ? Ou estão todos do lado da liberdade ?
David RibeiroMas onde está a liberdade na Ucrânia, meu amigo Jose Pinto Pais ?... De março a abril (leia-se Rússia - Ucrânia) venha o diabo e escolha. No "reino" de Volodymyr Zelensky não há liberdade de imprensa, os partidos políticos foram expulsos do parlamento, a corrupção está em todo o lado, até no governo. Um amigo (não digo o nome nem dele nem da empresa porque ele me pediu para não o fazer) enviou da empresa onde tem um alto cargo, quantidades enormes de produtos alimentares para os militares ucranianos, mas o que se veio a constatar foi que depois de serem entregues em Leviv tudo foi vendido aos rebeldes pró-russos do Donbass. 
Jose Pinto PaisDavid Ribeiro 😀 meu caro, vamos lá a ver se eu percebi bem o que escreveu, pelos meses do ano, são iguais, mas do lado de cá são corruptos, não teem liberdade de imprensa .... essas coisas, poderia ter dito ao contrário do Lado da Russia, são um bando de ladrões que saqueram o país, não existem liberdades, os opositores são presos, para fazerem trabalhos sujos, contrataram e financiaram mercenários enquanto lhes deu jeito e estes santinhos, que invadiram a Crimeia a Geogia e outros, com o silêncio do ocidente, incluindo os USA, agora teem o direito de invadir os corruptos fascistas antidemocraticos ucranianos, matarem civis, destruirem infraestruras, mentirem descaradamente nos orgaos sociais (atencao órgãos sociais nao controlados pelo ocidente) e a Europa verga-se aos interesses capitalistas dos USA (que até se governam a vender produtos alimentares revendidos para o Donbass) . Presume-se que a Europa devia olhar para o lado e cuspir para cima perante esta acção humanitária e libertadora por parte da Russia   
David RibeiroÉ exatamente como diz, Jose Pinto Pais , são ambos farinha do mesmo saco. O que a Europa devia há muito deixar de fazer era deixar de ser "patrocinadora" deste conflito. A Rússia não quer invadir a Europa, mas como há no Kremlin gente tola, há que saber negociar, que é a única forma de se chegar à PAZ.
Jose Pinto PaisDavid Ribeiro resumindo e concluindo, na sua opinião Europa nao devia apoiar a Ucrania e devia deixar a Russia prosseguir os seus intentos de anexar a Ucrania. Percebi
David RibeiroNão foi isso que eu disse, Jose Pinto Pais e se isso percebeu foi porque eu não me soube fazer entender. O que nós europeus devíamos promover era negociações, coisa que ninguém quer, preferindo subsidiar um dos lados da barricada.
Jose Pinto PaisDavid Ribeiro presumo que essa seja a vontade da esmagadora maioria dos europeus a paz. Para isso retirada da Russia dos territorios ocupados e pagar a reconstrução da Ucrânia
David RibeiroIsso é uma hipótese, Jose Pinto Pais , mas não é aos "tiros, bombas e murros nas trombas" que se conseguirá. Só em conversações de paz algo será possível atingir. E quem fala de conversações de paz?... não tenho ouvido/lido nada.
Jose Pinto PaisDavid Ribeiro tenha calma que a paz vai chegar, quando o regime de Moscovo cair de podre, e já esteve perto disso. Os grandes gatunos russos que sacaram para si toda a riqueza da Russia, não devem estar muito contentes em ver as suas fortunas a voar e nao vão ser esses que vao financiar o Putin, antes pelo contrário
David Ribeiro
Pois eu tenho receio, Jose Pinto Pais , que após uma hipotética queda de Putin, entre no Kremlin a linha mais dura do tempo soviético.
Jose Pinto Pais
David Ribeiro pior do que esta, não acredito

 

  Al Jazeera - Notícias desta manhã, quarta-feira 19jul2023
Captura de ecrã 2023-07-19 101228.png
A Rússia lançou um ataque aéreo maciço à cidade portuária ucraniana de Odessa, um dos principais portos de exportação de cereais da Ucrânia, pela segunda noite consecutiva. Ataques também foram relatados na capital, Kiev, informou a administração militar da cidade no canal Telegram. Mais de 2.000 pessoas da área perto da base militar de Kirovske, na Crimeia, serão evacuadas temporariamente após um incêndio na base, disse o governador da Crimeia instalado pela Rússia, sem fornecer qualquer motivo para o incêndio. O chefe do Estado-Maior Conjunto dos EUA diz que, embora a contra-ofensiva da Ucrânia contra a Rússia esteja longe de ser um fracasso, "ainda falta muito combate". As Nações Unidas disseram que havia “uma série de ideias sendo lançadas” para ajudar a levar cereais e fertilizantes ucranianos e russos aos mercados globais depois que Moscovo desistiu do acordo de exportação de cereais.
  
Carlos Almeida
A grande maioria dos cereais exportados pelo Mar Negro até agora foram levados para a Europa, e não para países pobres e com fome! Esses continuaram pobres e com fome!
David Ribeiro - [in CNN Portugal às 13h46 de 19jul2023] - B
ulgária, Hungria, Polónia, Roménia e Eslováquia sobre cereais ucranianos: “Solidariedade é importante, mas é preciso proteger os mercados nacionais”. Cinco dos países que compõem a Europa Central querem que a proibição de venda de cereais ucranianos no seu mercado doméstico, permitida por Bruxelas, seja alargada pelo menos até ao fim do ano. Bulgária, Hungria, Polónia, Roménia e Eslováquia defendem que é preciso proteger os mercados nacionais. Esta medida deverá terminar a 15 de setembro deste ano. “Solidariedade com a Ucrânia é importante, mas também queremos proteger os mercados nacionais”, reiterou o ministro da agricultura da Eslováquia.
José Pinto Pais - Não vejo que daí venha mal ao mundo, aliás a ideia de fundo não passa por esses países. 




Quarta-feira, 14 de Junho de 2023
Ninguém pensou nisto...
...quando se implementaram sanções e mais sanções aos senhores do Kremlin.
 
  Artigo de opinião de João Rodrigues dos Santos (Economista e Professor Universitário)
in CNNPortugal em 12jun2023 às 16h56

Captura de ecrã 2023-06-12 225750.png
A relação de “coordenação e cooperação” entre China, Índia e Rússia só se tornará mais robusta. Quem o assegura é o ministro dos Negócios Estrangeiros da China.
Índia e China deverão registar cerca de 50% do crescimento global em 2023. É esta a previsão do Fundo Monetário Internacional. (...) Estes dois países são os principais amigos da Rússia e têm vindo a reforçar a cooperação energética com o Kremlin. Para contornar as sanções, Moscovo tem aumentado consideravelmente a sua relação comercial com Nova Deli e Pequim e exporta agora mais petróleo e gás para a Ásia do que nunca. (...) Os russos conseguiram o feito espantoso de ultrapassar a Arábia Saudita no ranking dos maiores exportadores de petróleo para a China. O quadro é idêntico em relação ao gás. (...) A Coreia do Norte, por exemplo, entrará a breve trecho nesta equação. O presidente chinês veio agora declarar que quer reforçar as relações bilaterais com a Coreia do Norte. Pyongyang não enjeitará o pedido. (...) O Ocidente requer unidade e liderança reforçadas. Os Estados Unidos estão a perder fulgor. A hegemonia norte-americana desvanece a olhos vistos. (...)


Mário Paiva
...e o Paquistão fez-se de morto e recebeu ontem o primeiro carregamento de petróleo russo a bom preço, mesmo com risco de chatearem o patrão... Cada um sabe de si e do que lhe convém, menos os europeus que parecemos estar à espera de instruções p'ra sabermos o que nos é conveniente...
Jose BandeiraA Europa é a grande vítima da globalização e aousadia de Putin é apenas a constatação desse facto. Estás pois a confundir as causas com os efeitos: a Europa está num processo de autodestruição que se acelerou exponencialmente no Século XXI. Quanto aos EUA serão sempre os EUA... a dimensão interna e capacidade de empreendedorismo nascida da vontade dos emigrantes europeus desencantados com a Sempre Velha Europa, que são a base da sua estrutura genética, continuarão a fazer o que sempre fizeram.

 

  
Captura de ecrã 2023-06-14 100029.png
Fiquei um pouco confuso ao ler esta notícia... mas concordo que a Ucrânia "em vez de visar pessoalmente os oligarcas" deverá preferencialmente efetuar "o reforço da legislação em domínios como a concorrência, a corrupção, a transparência dos mercados públicos, a concentração dos media e o branqueamento de capitais". (JN/Agências em 13jun2023 às 16h00)

 


Captura de ecrã 2023-06-14 112410.png
Observadores militares americanos e europeus na Ucrânia descreveram os esforços do Exército da Ucrânia nos últimos dois dias como uma “missão suicida” que violou as regras básicas das táticas militares. “Se você quer conduzir uma ofensiva e tem uma dúzia de brigadas e algumas dezenas de tanques, você os concentra e tenta romper. Os ucranianos estão correndo em cinco direções diferentes”, reclamou um alto oficial europeu. (b

 

É assim que estamos ao 476.º dia do conflito
Captura de ecrã 2023-06-14 213915.png
A Ucrânia relata avanços incrementais contra as forças russas em combates “extremamente ferozes”.
O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, diz que ainda é cedo na contraofensiva da Ucrânia e muito cedo para saber se será um “ponto de viragem na guerra”.
A Ucrânia diz que um ataque de míssil russo durante a noite matou três pessoas em Odesa e três na região de Donetsk, enquanto a Rússia intensifica sua ofensiva.
A Rússia diz ter repelido forças ucranianas nas linhas de frente ao sul de Donetsk, Zaporizhzhia e Donetsk nas últimas 24 horas e alvejado armazéns de armas ucranianos.
A vice-ministra da Defesa ucraniana, Hanna Maliar, disse que as tropas obtiveram um sucesso "parcial" em sua contraofensiva, mas as tropas estão envolvidas em batalhas "extremamente ferozes" com as forças russas.

 

  Há minutos no Tweet
Captura de ecrã 2023-06-14 222855.png



Publicado por Tovi às 07:58
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Quinta-feira, 8 de Junho de 2023
Trabalhar para a PAZ é que era, mas...

347407235_799765961659610_1748004633184784542_n.jp 


Francisco Rocha AntunesEnquanto uns destroem barragens, outros querem que alguém se renda quando é atacado
Isabel Sousa BragaTrabalhar para a paz ou para a saúde não dá dinheiro
David RibeiroPois é, Isabel Sousa Braga... imaginem quanto custa cada um destes "supositórios".
Isabel Sousa BragaDavid Ribeiro custa-nos o couro e o cabelo
Jose Riobom
A Paz, a maior parte das vezes, só se conquista fazendo a guerra. É só olhar o passado milenar da Europa. Uma Europa que nunca será una, em função das suas desigualdades sociais, politicas, rácicas e religiosas. Querer misturar tudo isto num caldeirão e obter uma Europa sem guerras era a prova, provada que um qualquer Deus realmente existe. Durante algum tempo, e sempre em períodos muito limitados, alguns, mas sempre com base em ferozes ditaduras o conseguram. Veja-se, para não citar outros, Tito e a Jugoslávia, hoje como dantes, uma manta de retalhos e ódios insanáveis. Isto não esquecendo a nossa tão festejada "independência" e a "conquista" de Lisboa aos Mouros, que segundo consta não foi obtida numa bela festa com uma grande almoçarada, bem regada pelos excelentes vinhos Ibéricos, seguido por um enorme concerto dos Xutos e Pontapés. Enquanto o dinheiro, o poder e a ganância forem as molas reais, que por todo o mundo fez escola, saído, ensinado e espalhado por esta Europa por esse mundo fora, a Paz, só será possível, em curtos períodos, depois de guerras, até ao dia em que um maluquinho qualquer resolva carregar num botão nuclear, ou um "calhau" aí perdido no Universo resolva acertar nesta bola que roda em volta do Sol.

Ou que a riqueza e a cultura detida por tão poucos em desfavor de milhões, seja melhor distribuida.

 

 

  Rüdiger Rauls in GeoPol.pt - 6jun2023
maxresdefault.jpgTalvez a Ucrânia venha a sofrer em breve o mesmo destino que o Iraque, a Líbia e o Afeganistão. Os EUA retiram-se e deixam para trás um país devastado porque os seus interesses mudaram. Talvez seja por isso que está a demorar tanto tempo a entregar os tanques Abrams, os F-16 e os sistemas Patriot. Precisam de tudo o que lhes resta para se prepararem para o conflito com a China.

Jorge Veiga
Quem deixa os países devastados é a Rússia...
Jorge De Freitas MonteiroJorge Veiga, como no Irak, no Afeganistão, na Líbia, no Vietnam… Para não falar de outros primores como a chamada Operação Condor na América Latina… São mesmo maus os russos.
Jorge Veiga
Jorge De Freitas Monteiro julgo que há mais países, mas esses chegam.

 

  Zhao Huasheng, professor na Fudan University e perito do Russian International Affairs Council (RIAC)
Captura de ecrã 2023-06-08 090950.pngUma definição mais exata da posição da China no conflito Rússia-Ucrânia não é a neutralidade, mas a intervenção construtiva. Ao contrário dos EUA e do Ocidente, com as suas políticas de confronto, a política da China não se baseia na tomada de partido, mas centra-se na obtenção de resultados frutuosos.

  
Francisco Rocha Antunes
Como é possível procurar uma equidistância com a brutalidade de uma invasão que foi condenada pela esmagadora maioria dos países do mundo?
Luis Barata
Uns queridos ...

 

   Al Jazeera 7jun2023
Captura de ecrã 2023-06-07 165840.png
Em seus primeiros comentários públicos sobre a explosão da barragem de Nova Kakhovka, que causou inundações em massa, o presidente russo, Vladimir Putin, acusa a Ucrânia de um “ato bárbaro”. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, que culpou Moscovo pela explosão da barragem, disse que as forças apoiadas pela Rússia estão falhando em seus esforços para evacuar os residentes das áreas ocupadas afetadas, dizendo que o fornecimento de água potável e o reassentamento devem ser priorizados. Cerca de 42.000 pessoas correm o risco de inundações em áreas controladas pela Rússia e pela Ucrânia ao longo do rio Dnipro depois que a barragem foi destruída na terça-feira. Uma autoridade ucraniana disse que a prometida contra-ofensiva de Kiev contra as tropas russas ainda não começou. 

 

  AP Photo/Libkos - in CNN Portugal às 14h41 de 7jun2023
Captura de ecrã 2023-06-07 173530.png
Kherson debaixo de água. Casas destruídas, ruas alagadas, muitos a tentar escapar, outros tantos a tentar salvar os seus animais. O colapso da barragem em Nova Kakhovka está a provocar o caos na cidade e o nível da água continua a subir.

Carlos Almeida
Um crime ucraniano!! Um crime do regime nazi ucraniano! Um crime nazi!
Manuel Rocha
Carlos Almeida ,como sabe?
Carlos AlmeidaManuel Rocha ???? Os russos bombardeiam-se a si próprios??! O regime ucraniano não é nazi??? Onde está a dúvida??!!!
Manuel Rocha
Carlos Almeida ,vê-se perfeitamente que não percebe nada d'órta e faz que nada percebe!Pergunta se os russos se bombardeiam a eles próprios?Tem que fazer esse tipo de perguntas ao putin desde o famigerado submarino kursk,aos assassinatos constantes a jornalistas e opositores russos...Está a falar em nazismo?Curiosíssima essa sua "honestidade" intelectual...Basta tentar perceber quem invade e quem se defende!Basta olhar para as cidades inteiras destruídas de um País soberano e milhares e milhares de mortes que não param de acontecer provocadas pelos invasor assassino tal como faziam os nazis alemães na segunda guerra mundial,percebe-se que apenas o sr. Não tem dúvidas nenhumas.
Carlos Almeida
Manuel Rocha Conversa fiada de nazi ressabiado, com a esperança a ir-se. Os nazis agora na Ucrânia vão ter o mesmo destino que tiveram os nazis alemães, ucranianos, austríacos, finlandeses, letónios, estónios e lituanos na segunda grande guerra. Provocam sempre guerras que inevitavelmente perdem. Do que diz é só isto que se tira… A propaganda e a desinformação nazis não alteram a realidade. Manuel Rocha Não se mace… Não vale a pena…
Manuel RochaCarlos Almeida ,claro que não me maço... O Sr. é que anda amassado com lavagens cerebrais,basta saber que Zelensky é judeu e que a outra figura que o cumprimenta é tudo menos nazi, não confunda Nacionalismo numa guerra em que se defende a sua própria integridade...É só para lhe lembrar se é que sabe... Tanto o nazismo como o comunismo são expressamente proibidos na Ucrânia precisamente pelas mesmas razões.
Carlos AlmeidaManuel Rocha Não diga mentiras!! Para além do mais ridículas, de tão desconformes com a realidade!!! 🤪 O que é proibido na Ucrânia é tudo que não seja nazi!!! Incluindo o partido socialista e o social-democrata!! Mas por que será que os simpatizantes do nazismo lhe querem chamar sempre outra coisa?… Será porque tem mau nome?? Porque perdeu a guerra?? Mas isso não lhes vai valer de nada: vão ter pior nome ainda e perder outra guerra! Ah, o racismo supremacista xenofobico ultranacionalista (vulgo nazismo…) não tem nada a ver com judeus… É contra etnias consideradas inaceitáveis ou inferiores: foram os judeus, ou os ciganos, ou os russos agora, ou os palestinianos… É verdade, há judeus nazis… A mentalidade nazi não tem etnia… persegue etnias!!
Jose Pinto PaisFelizmente existem comunas iluminados que nos ilucidam

 
  Cronologia do dia - quinta-feira 8jun2023 (via jornal Expresso)

08h41 - Proteção temporária de mulheres e crianças da Ucrânia na UE falha em apoios específicos.
08h42 - Mais de 2000 pessoas retiradas devido à destruição de barragem.
08h50 - Três pessoas morreram afogadas depois da destruição da barragem em Kherson.
09h42 - Moscovo reconhece "tentativas positivas para a paz" do papa Francisco.
09h47 - "A retirada (das vítimas das inundações) continua. Sob fogo", denuncia Zelensky.
09h56 - Zelensky visita Kherson. 
10h16 - UE aponta a Rússia como autor "muito provável" da explosão da barragem.
11h48 - Inundações agravam riscos associados a minas.
12h39 - Rússia quer que Tribunal Internacional de Justiça rejeite caso sobre a Crimeia.
12h50 - Explosão da barragem está a mudar geografia de Kherson.
13h24 - Índia não planeia convidar a Ucrânia para a cimeira do G20.
13h29 - Parlamento suíço rejeita apoio de 5,1 milhões de euros à Ucrânia.
img-4974-001.jpgO parlamento suíço rejeitou um projeto de apoio à Ucrânia no valor de 5,1 mil milhões de euros nos próximos 10 anos. A decisão, esta quinta-feira, surge uma semana antes de o Presidente ucraniano discursar por videoconferência para os deputados helvéticos. O plano recebeu 105 votos contra, maioritariamente da direita, e 86 a favor, informou a estação de televisão suíça RTS. Países que no passado compraram armas à Suíça, como a Alemanha, a Dinamarca e a Espanha, pedem ao Governo suíço, desde 2022, autorização para as revender à Ucrânia, mas Berna rejeitou até agora esses pedidos argumentando que as leis que protegem a sua neutralidade histórica proíbem a venda direta ou indireta das suas armas a países em guerra. Apesar da rejeição do plano de ajuda, a Suíça já investiu 1,84 mil milhões de euros na Ucrânia e nos países vizinhos afetados pelo conflito até 2028, recordou o ministro dos Negócios Estrangeiros suíço, Ignazio Cassis.
  
José Manuel Nero
Afinal na Europa, ainda há políticos com bom senso 😃
Antero Filgueiras
José Manuel Nero a como é o quilo desse bom senso?! Esse bom senso é idêntico ao de Putin?
Fernando DuarteNão esquecer que o primeiro partido na Suiça, e que tem a maioria nessa assembleia ( Conselho Nacional) é a UDC de extrema-direita, ou seja a maioria dos suíços votaram na extrema-direita. Enquanto que a maioria dos portugueses votaram no partido socialista. Deve ser por isso que os suíços vivem mal e com ordenados de miséria, por não terem a mesma visão politica que os portugueses!
13h48 - Ataque russo a Kherson provoca mortes e ferimentos entre os civis.
14h30 - 
Rússia acusa Ucrânia pela destruição da barragem.
International_Court_of_Justice_Seal.svg.pngO embaixador russo em Haia, Alexander Shulgin, acusou a Ucrânia de ter destruído a barragem de Karkhovka com "ataques de artilharia", noticia o jornal El Pais. O embaixador, que falava no Tribunal Internacional de Justiça, esta quinta-feira, sobre um outro caso, contestou assim a acusação contra “o Estado terrorista” russo apresentada pela Ucrânia no mesmo tribunal quarta-feira passada.
14h41 - Rússia diz ter refutado ofensiva ucraniana em Zaporijia.
15h49 - Ministro ucraniano da Energia pede mais eletricidade à Europa.
17h56 - Risco de cólera após destruição da barragem.
22h57 - Agência de Energia Atomática vai visitar central de Zaporijia para ver efeitos da destruição da barragem.



Publicado por Tovi às 07:36
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 6 de Junho de 2023
Os horrores da guerra... até quando?

Captura de ecrã 2023-06-06 085430.png

Os militares ucranianos dizem que a Rússia fez explodir a barragem de Kakhovka, na cidade de Nova Kakhovka, na parte controlada pela Rússia da região de Kherson. A administração militar da Ucrânia disse às pessoas para se prepararem para evacuar várias aldeias na margem direita do rio Dnipro devido ao alto risco de inundações.

 

  Al Jazeera às 06h00 GMT de 6jun2023
Captura de ecrã 2023-06-06 134631.png
A Ucrânia e a Rússia acusam-se mutuamente de destruir a barragem de Kakhovka (*) na parte controlada pela Rússia da região de Kherson. A administração militar da Ucrânia disse às pessoas para se prepararem para evacuar várias aldeias na margem direita do rio Dnipro devido ao alto risco de inundações. Enquanto isso, a administração russa instalada na região planeja evacuações de três distritos controlados pelo Kremlin perto do dique da barragem. 

(*) O dique da barragem de Kakhovka, de concreto e terra, tem 16 metros de altura e 3.273 metros de comprimento. Localizada no rio Dnipro é uma das maiores infraestruturas do tipo na Ucrânia. A central hidrelétrica tem uma potência de 334,8 megawattss, segundo a operadora ucraniana Ukrgidroenergo. Construída em 1956, durante o período soviético, a represa hidrelétrica de Kakhovka permite enviar água para o canal da Crimeia do Norte, que começa no sul da Ucrânia e atravessa toda a península da Crimeia, ocupada e anexada por Moscovo desde 2014. Na mesma área fica o reservatório de Kakhovka, um depósito de água artificial formado no rio Dnieper, com 240 km de comprimento e até 23 km de largura.

 

  Cronologia do 468.º dia do conflito (via jornal Expresso)
07h20 - Kiev acusa Rússia de destruir barragem e alerta para inundações.
08h04 - Russos “usam cada metro para o terror”, diz Zelensky sobre barragem de Kakhovka.
08h07 - Destruição da barragem de Kakhovka representa “ameaça de catástrofe ambiental”.
08h08 - Destruição de barragem pode ter “consequências negativas” para central de Zaporíjia.
08h18 - Kuleba acusa Rússia de “crime de guerra hediondo”.
09h28 - 
Russos acusam ucranianos de ataques à central de Kakhovka.
08h33 - Água da barragem de Kakhovka atingirá “nível crítico” em breve.
08h34 - Líderes da UE vão discutir apoio após “ataque sem precedentes” a barragem.
09h33 - 
Mais de 700 pessoas retiradas após destruição de barragem em Kherson.
09h42 - Inundações no Dniepre podem afetar 80 localidades.
08h43 - AIEA diz que cheias em Kakhovka não afetam Zaporíjia de imediato.
09h50 - 
Presidente moldava condena destruição de barragem e disponibiliza apoio.
09h59 - Líder da administração russa na Crimeia garante não existir risco de inundações.
10h12 - Stoltenberg condena “ato ultrajante” russo.
10h37 - Kiev denuncia Rússia como Estado terrorista no tribunal de Haia.
10h50 - Cruz Vermelha alerta que destruição de barragem pode ser crime de guerra. 
11h36 - “Um ato abominável” e “um crime de guerra”, acusa o Reino Unido.
11h54 - Ucrânia pede reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU.
12h17 - Barragem foi sabotada pela Ucrânia, acusa o Kremlin.
13h06 - Barragem atacada é estrutura fundamental no sul da Ucrânia.
14h20 - 
Destruição de barragem leva ofensiva russa a “nível sem precedentes”.
19h19 - Kiev e autoridades separatistas anunciam retirada de milhares de civis das zonas inundadas.

19h21 - Guterres aponta destruição de barragem como "consequência devastadora" da invasão.
19h25 - Agência de Energia Atómica aponta "redução significativa" de água para refrigerar central de Zaporijia.
19h36 - UE mobiliza ajuda através de mecanismo de proteção civil após ataque a barragem.
21h06 - EUA ainda avaliam qual o país responsável por destruição de barragem.
21h11 - Organização Internacional para as Migrações (OIM) envia ajuda para afetados pela destruição da barragem.

 


Captura de ecrã 2023-06-06 172141.png

 

  O Conselho de Segurança, o órgão máximo da Organização das Nações Unidas (ONU), composto por 15 membros, cinco dos quais permanentes e com direito de veto (China, EUA, França, Reino Unido e Rússia), reuniu-se hoje, pelas 21h00 (hora de Portugal Continental), para discutir a destruição da barragem de Kakhovka. "Na noite de 6 de junho, o regime de Kiev cometeu um crime impensável ao explodir a barragem da central hidroelétrica de Kakhovka, resultando numa descarga descontrolada de água no rio Dniepre", disse o embaixador russo junto à ONU, Vasily Nebenzya, nesta reunião do Conselho de Segurança. O diplomata russo acusou as autoridades ucranianas de já terem idealizado no ano passado um ataque contra esta infraestrutura, localizada numa zona sob controlo de tropas russas, e lamentou que o Conselho de Segurança nada tenha feito face a esses alertas. Moscovo enviou uma carta à ONU em outubro do ano passado na qual denunciava "os planos do regime de Kiev para destruir a barragem" e, em particular, a possibilidade de "lançar minas marítimas no rio Dniepre ou um ataque maciço com mísseis". Em declarações aos jornalistas antes do início da reunião, Nebenzya mostrou-se favorável a uma investigação da ONU ao incidente e lembrou que o seu país já tinha tentado, sem sucesso, que as Nações Unidas investigassem a sabotagem do gasoduto Nord Stream. Por sua vez, o embaixador ucraniano junto à ONU, Sergíy Kyslytsya, acusou Moscovo de "detonar uma bomba de destruição ambiental em massa, que levou ao maior desastre causado pelo homem na Europa em décadas". "Este é um ato terrorista contra a infraestrutura crítica ucraniana que visa causar o maior número possível de vítimas civis e destruição. Ao recorrer à tática de terra arrasada ou, neste caso, de terra inundada, os ocupantes russos efetivamente reconheceram que o território capturado não lhes pertence e não são capazes de manter essas terras", disse. Na reunião, os representantes dos Estados Unidos e do Reino Unido junto à ONU abstiveram-se de atribuir o ataque a Moscovo, mas aproveitaram para criticar a invasão russa e as suas consequências.



Publicado por Tovi às 08:53
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 24 de Maio de 2023
Tensão na fronteira da Rússia com a Ucrânia
As coisas estão a ficar complicadas na região de Belgorod.
 
  Al Jazeera na manhã de terça-feira 23mai2023

Captura de ecrã 2023-05-23 102229.png
As forças russas continuaram com uma “operação de contraterrorismo” num distrito fronteiriço um dia depois do que parecia ser uma das maiores incursões transfronteiriças da Ucrânia desde o início da guerra, 15 meses atrás. O governador da região de Belgorod, na Rússia, disse que drones foram abatidos na área por armamento antiaéreo. Há combates em Belgorod, que faz fronteira com a Ucrânia, desde segunda-feira [22mai2022], depois que o que as autoridades russas chamaram de “grupo de sabotagem” ucraniano cruzou a fronteira. A inteligência militar ucraniana foi citada como tendo dito que dois grupos armados da oposição russa - a Legião da Liberdade da Rússia e o Corpo de Voluntários Russos, ambos compostos por cidadãos russos - foram os responsáveis ​​pelo ataque. Vyacheslav Gladkov, o governador regional russo, disse: “A limpeza do território pelo ministério da defesa, juntamente com as agências de aplicação da lei, continua”. Pelo menos oito pessoas ficaram feridas, vários prédios danificados e muitos moradores foram embora, acrescentou.

  Antero FilgueirasComeçou o cerco. Tchau Putin.

 

  Al Jazeera às 14h53 GMT de 23mai2023
Captura de ecrã 2023-05-23 160818.png

Um ataque na fronteira na região russa de Belgorod continuou pelo segundo dia na terça-feira [23mai2023], ferindo 12 pessoas. Enquanto a Rússia culpou grupos armados ucranianos e lançou uma investigação sobre terrorismo, Kiev negou a acusação. No entanto, o Corpo Voluntário Russo (RVC) e a Legião da Liberdade da Rússia assumiram a responsabilidade pelos ataques a prédios administrativos e infraestrutura civil.

 

  Al Jazeera às 18h30 GMT de 23mai2023
Captura de ecrã 2023-05-23 205036.png

Os Estados Unidos estão céticos em relação aos relatos de que armas fornecidas pelos EUA foram usadas num ataque dentro do território russo, disse um porta-voz do Departamento de Estado, acrescentando que Washington não encoraja ou permite ataques dentro da Rússia. Moscovo disse nesta terça-feira que desbaratou e matou dezenas de "nacionalistas ucranianos" que cruzaram a fronteira da Ucrânia para a região de Belgorod, na Rússia, após dois dias de combate, no que parecia ser uma das maiores incursões desse tipo na guerra de 15 meses. Os combates forçaram a Rússia a evacuar cidades ao longo da fronteira com o nordeste da Ucrânia. A Rússia culpou a Ucrânia pelo ataque, o que Kiev negou. Os dois grupos que assumiram a responsabilidade se descrevem como dissidentes russos armados. 

  
Carlos Miguel Sousa
Infelizmente para Putin, os dissidentes russos, serão cada vez mais...
Isabel Sousa Braga
Uns santos
Jorge Rodrigues
Pois… pois…



Publicado por Tovi às 07:23
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 14 de Maio de 2023
Os turcos vão a votos

Captura de ecrã 2023-05-12 114318.png

Uma aliança de oposição de seis partidos escolheu Kemal Kilicdaroglu, líder do Partido Republicano do Povo (CHP), de centro-esquerda, como seu candidato. Enquanto isso, o Partido Justiça e Desenvolvimento (AK) de Recep Tayyip Erdogan adicionou dois partidos conservadores à sua aliança, além de seus dois parceiros nacionalistas de longa data, puxando a coligação ainda mais para a extrema direita.

 

  Andrew Wilks / Al Jazeera - 13mai2023
Captura de ecrã 2023-05-13 100859.png
Neste fim-de-semana, Recep Tayyip Erdogan, o homem que dominou a política turca por duas décadas, está tentando estender seu governo por mais cinco anos. Erdogan está a lutar para garantir um terceiro mandato como presidente, somando-se a seus três mandatos anteriores como primeiro-ministro de 2003 a 2014, em eleições presidenciais e parlamentares que são amplamente consideradas as mais difíceis que ele já enfrentou. O homem de 69 anos vem de uma tradição política conservadora e desenvolveu uma reputação de figura divisiva num país que foi fundado em linhas secularistas na década de 1920 por Mustafa Kemal Ataturk. Erdogan ultrapassou os 15 anos de Ataturk no cargo principal da Turquia há cinco anos, tornando-se o líder mais antigo que o país conheceu. Em 2014, tornou-se o primeiro presidente eleito pelo voto popular, vencendo um referendo que concentrou o poder nas mãos do presidente.


Luis Barata
Já agora, uma opinião, é bom ou mau ou nem por isso?
David RibeiroLuis Barata, não morro de amores por Erdogan, embora lhe aprecie a constante intervenção na geopolítica da região. Quanto ao seu opositor Kilicdaroglu pouco sei.
Luis BarataDavid Ribeiro sabe que Erdogan já reverteu a ideologia de Ataturk... E que concentra poderes e que de democrata terá pouco e cada vez menos, e que já esmagou os opositores e que os "cérebros" estão a desertar ... etc etc
David RibeiroLuis Barata... Erdogan já foi tudo e mais alguma coisa, mas é capaz de ainda conseguir vencer as eleições (esperemos que pelo menos seja de forma limpa). E se as perder que o futuro seja risonho para os turcos e todos os seus vizinhos.
Luis BarataDavid Ribeiro perfeitamente de acordo. Só esperava é que, de novo, se virassem para a Europa e não de costas...

 


Captura de ecrã 2023-05-14 094939.png
Já se vota na Turquia desde as 8h da manhã locais (6h em Portugal Continental) e fecham às 17h (15h por cá). Vai ser interessante acompanhar a forma como mais de 64 milhões de eleitores vão decidir a sobrevivência política, ou não, do atual Chefe de Estado, Tayip Erdogan. Recordamos que a maioria das sondagens antecipa a derrota do atual Presidente, mas não é certo que o líder do Partido Republicano do Povo, Kemal Kiliçdaroglu, apoiado por uma coligação de 6 partidos e por uma formação de esquerda defensora dos direitos da minoria curda, consiga destronar Erdogan, que está há 20 ano no poder. Se nenhum candidato obtiver mais da metade dos votos no primeiro turno, um segundo turno será realizado em 28 de maio. Aguardemos até às nossas 19h, quando os mídia na Turquia poderão relatar resultados parciais.

 

  Al Jazeera - 13h55 de hoje
Captura de ecrã 2023-05-14 143126.png
Eleitores turcos esperaram em longas filas que serpenteavam pelas cidades com milhares de pessoas a comparecerem às urnas para votar nas eleições do país.

  Resultados provisórios serão conhecidos ao fim do dia. Entretanto...
Captura de ecrã 2023-05-14 152958.png
15h00 - As assembleias de voto na Turquia encerram às 17h00 (hora local), mas devido às longas filas de eleitores, a Ordem dos Advogados de Istambul disse que as pessoas que aguardam na fila poderão votar. De acordo com a lei, o chefe da comissão de urnas deve recolher os documentos de identidade de quem ainda estiver na fila e permitir que votem após o horário limite.
15h05 - Como manda a tradição, o presidente Erdogan votou em Istambul – sua cidade, onde nasceu e iniciou sua carreira política – e já voltou para Ankara para acompanhar os resultados.
15h22 - “O processo de votação foi concluído em todo o país de uma forma condizente com a nossa democracia”, disse Erdogan. “Agora, como sempre, é hora de proteger firmemente as urnas. Até que os resultados sejam finalizados, continuaremos a proteger a vontade de nosso povo”.
15h33 - Amer Lafi, jornalista da Al Jazeera, falou com eleitores em Istambul e relata-nos o seguinte: “Aqueles que votaram em Kilicdaroglu disseram-nos que queriam que a situação económica mudasse e que Kilicdaroglu poderia ter a varinha mágica ou a chave para a mudança. Aqueles que votaram em Erdogan disseram que ainda tinham muita fé no homem que liderou a Turquia por mais de 20 anos, e que a crise económica não se limitou à Turquia, mas sim uma crise global que atingiu todas as cidades e países ao redor do mundo. Eles estão confiantes de que Erdogan pode superar esse desafio”. Os turcos sempre dizem que quem ganha em Istambul ganha a eleição, acrescentou Lafi.
15h42 - Nenhum grande incidente de segurança ou irregularidades nas secções eleitorais foi relatado até agora, informou Sami Zeidan, da Al Jazeera. “Infelizmente, em algumas outras partes do país, três pessoas tiveram um ataque cardíaco – um supervisor de votação e dois eleitores – por causa do envolvimento e da tensão que tomou conta deste país”, disse Zeidan.
16h19 - Kilicdaroglu disse num tweet: “Quero chamar nossos heróis da democracia. Nunca deixe as urnas, não importa o que aconteça, até que o relatório final da urna assinado seja entregue. A plena e correta manifestação da vontade do povo depende de sua determinação. Você vai ver, vai valer a pena o seu cansaço.”
16h59 - Resultados preliminares não oficiais mostram Erdogan à frente com 56,67% dos votos, em comparação com o rival Kilicdaroglu com 37,41%.
17h13 - Falando à Al Jazeera em Istambul, o analista político Ali Carkoglu disse que “é muito difícil fazer previsões neste momento. A única coisa que posso [dizer] neste momento é que seus votos [de Erdogan] provavelmente cairão, em termos percentuais. E muito provavelmente, os votos de Kilicdaroglu vão aumentar a partir deste ponto, em termos percentuais, mas ainda não sabemos quanto.” Afirmou também que geralmente os resultados “não mudam drasticamente” quando cerca de 50% dos votos são contados.

 

  Resultados quando estão apurados 57,88% dos votos
57,88.png

  Resultados quando estão apurados 94,66% dos votos
94,66.png

 

  Os Curdos tramaram Erdogan
99,87.png
Reportando de Istambul, Sinem Koseoglu, da Al Jazeera, disse que Erdogan terá que tentar reconquistar o voto curdo que anteriormente o havia perdido antes do colapso do processo de paz. “Depois que o processo de paz com os curdos entrou em colapso, os curdos ficaram ofendidos com o presidente Erdogan. As políticas de segurança do governo após a tentativa de golpe [de 2016] também distanciaram os curdos”, explicou Koseoglu. “Na região sudeste, onde estão as cidades dominadas pelos curdos, os votos foram para o CHP. Erdogan… precisa desses votos”, disse ela, acrescentando que o terceiro candidato Sinan Ogan, que deu um grande salto nas eleições que ninguém esperava, terá que decidir se lidera seu apoio a Erdogan ou Kilicdaroglu. “Até à segunda volta, tudo é negociação”, acrescentou. (Na imagem resultado quando estavam apurados 99,87% dos votos)

 

  Assim se votou na Turquia
Captura de ecrã 2023-05-15 114619.png

 


Captura de ecrã 2023-05-14 232750.png
Turquia vai ter um tira-teimas entre Recep Tayyip Erdoğan e Kemal Kılıçdaroğlu, após um tenso escrutínio este domingo. Após a contagem final, com os resultados definitivos anunciados só na tarde desta segunda-feira, nenhum dos candidatos chegou à barreira dos 50%. A segunda volta está marcada para o dia 28 de maio.



Publicado por Tovi às 07:49
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 26 de Março de 2023
A China pode ser a tábua de salvação da Rússia

Captura de ecrã 2023-03-24 221133.png
Apesar das declarações da China de que se reservava o direito de ajudar militarmente a Rússia, até agora ofereceu a Moscovo apenas cobertura diplomática. Rússia e China emitiram uma declaração conjunta sobre a Ucrânia, na qual Putin apoiou a posição "objetiva e imparcial" de Xi Jinping e apoiou a China como um potencial pacificador na crise da Ucrânia. O governo chinês emitiu no mês passado uma posição de 12 pontos sobre a guerra na Ucrânia, que apoiava elementos das abordagens russa e ocidental. Por exemplo, opôs-se às sanções, que foram impostas pelo Ocidente, mas também se opôs à escalada nuclear, que as autoridades russas ameaçaram em várias ocasiões. As suas declarações nesta semana alertaram contra as hostilidades atingindo “uma fase incontrolável”, o que poderia ser interpretado como um alerta de confronto nuclear.

 

  O vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, Dmitri Medvedev, diz precisar de criar "um cordão sanitário" na fronteira russa... E trabalhar para a PAZ?... Quando é que se sentam a uma mesa de negociações?
Captura de ecrã 2023-03-24 222634.png
  Adao Fernando Batista Bastosesse fulano é um pulha...

 

  
Captura de ecrã 2023-03-24 225443.pngOs combates na frente de Avdiivka, na região ucraniana de Donetsk, intensificaram-se bastante nas últimas semanas, instando as autoridades os cerca de 2.000 civis que ainda ali permaneciam a abandonar urgentemente a zona, indicou na sexta-feira [24mar2023] a ONU. Segundo o Gabinete da ONU para a Coordenação das Questões Humanitárias (OCHA), "aqueles que ficaram naquela área [numa das linhas da frente do leste da Ucrânia] vivem em condições difíceis, com bombardeamentos contínuos a destruírem casas, hospitais e escolas". "A cidade tem acesso insuficiente a água, não há fornecimento de eletricidade ou gás, a assistência médica foi dizimada e o abastecimento de bens alimentares interrompido", resumiu o OCHA, num comunicado.

 

  Não restam dúvidas que os Direitos Humanos andam pela rua da amargura no conflito Rússia-Ucrânia... e nisto não há inocentes, quer de um ou do outro lado da barricada.
338229683_610690590923192_6801605267596215027_n.jp
  
Albertino AmaralDireitos Humanos numa guerra, é sempre difícil cumprir...
Fatima Salcedo
Quem invadiu quem? E quem ataca alvos civis? Tudo isso também conta.

 

  Reuters/CM - hoje às 15h37

Captura de ecrã 2023-03-26 155117.png

Uma explosão causada por um drone fez hoje dois feridos na cidade russa de Kireyevsk, a 220km de Moscovo, na região de Tula. Incidente fez uma cratera no centro da localidade e danos em três edifícios residenciais.
  
Jose Antonio M Macedo
Muito bem. Penso que esses ataques estão totalmente dentro do legalidade internacional, uma vez que a Ucrânia tem o direito de se autodefender.
Luis Miguel Moreira
Se calhar foi um drone russo descontrolado
Fatima SalcedoQuantas crateras tem a Ucrânia causada por mísseis e drones russos?
Jose RomãoNas notícias publicadas, em todas elas é desconhecido a origem do drone. Preocupante é a Rússia estar a enviar armas nuclear para a Bielorrússia, o sequestro de crianças Ucranianas, os ataques diários de que é alvo o povo Ucraniano, a execução de civis Ucranianos por parte dos militares Russos e principalmente as consequências para toda a Europa caso Putin tenha sucesso neste conflito criado por ele contra a Ucrânia. Mas infelizmente, parece que estão mais interessados em arranjar motivos para justificar as atrocidades cometidas pelos Russos contra os Ucranianos do que verem a realidade dos factos‼️😎😎😎
Teresa Mtv
Jose Romão e bem verdade é triste
Tiago SilvaÉ preciso mais desses! Parabéns às forças ucranianas!

 

  Al Jazeera - 26mar2023 às 15h26 GMT
caption.jpgAs tensões estão a aumentar num proeminente complexo de um mosteiro ortodoxo em Kiev chamado Kyiv-Pechersk Lavra, onde os monges estão a enfrentar um despejo para o final deste mês. É o local mais referenciado na ortodoxia ucraniana. mas o governo ucraniano acusa os monges de ligações com Moscovo, embora eles afirmem ter rompido os laços com a Igreja Ortodoxa Russa após a invasão da Ucrânia em grande escala pelas tropas do Kremlin. Representantes da Igreja dizem que este é um pretexto para uma contínua repressão do governo à instituição, que tem laços históricos com Moscovo.
  
Jorge Veiga
Têm laços históricos ou não têm laços históricos?
Paulo TeixeiraTu e a defesa dos russos...
David Ribeiro - Eu não defendo os senhores atualmente no poder no Kremlin, Paulo Teixeira, mas também não embarco nas trapalhadas dos senhores de Kiev.


  E é assim que estamos... parece que ninguém quer a PAZ
Captura de ecrã 2023-03-26 194537.png

Fatima SalcedoNao é bem assim… neste momento não há condições para a paz… a Rússia invadiu a Ucrânia… tem que recuar para ser possível qq negociação.
Jose BandeiraA Polónia já se disponibilizou para ajudar a Ucrânia a conseguir a única Paz possível pois sabe que se não for na Ucrânia será no seu território que se desenrolarão as próximas "negociações".
Raul Vaz Osorio
Não é verdade. O que ninguém quer é que a Rússia tire benefício dele. Porque isso apenas significa que iria repetir a gracinha noutras paragens.
Mário Paiva - ...
338171741_1385587878864102_250669164984704993_n.jp
Helder FerreiraNunca duvidei que os EUA tão desejosos de um Guerra Mundial... E como sempre o MEXILHÃO - EUROPA - é o que está a acontecer actualmente... Se queremos paz não devemos fomentar a guerra, fornecendo armas aos ucranianos....



Publicado por Tovi às 07:15
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 7 de Março de 2023
Bakhmut é um dos principais alvos de Moscovo

Captura de ecrã 2023-03-05 100532.png 
(Notícia da Al Jazeera aqui)

Uma vitória russa em Bakhmut, com uma população pré-guerra de cerca de 70.000 habitantes, daria ao Kremlin o primeiro grande prémio numa dispendiosa ofensiva de inverno, depois de ter convocado centenas de milhares de reservistas no ano passado e seria um trampolim para concluir a captura da região industrial de Donbass, um dos objetivos mais importantes de Moscovo. Mas do outro lado da barricada a Ucrânia diz que a cidade tem pouco valor estratégico e as muitas baixas sofridas pela Rússia ao tentar tomar Bakhmut podem moldar o curso do conflito.

 

  Bakhmut nos dias de hoje
gente a.png

 

  Como terminará a guerra na Ucrânia?
Captura de ecrã 2023-03-05 153731.png
(Notícia da Al Jazeera aqui)
Embora cada conflito seja único e tenda a desafiar a história, uma derrota clara de qualquer um dos lados nesta guerra é improvável. Um cenário mais provável é uma luta prolongada deixando ambos os lados exaustos, mas sem vontade de admitir a derrota, resultando num conflito congelado ou numa eventual trégua incómoda. A probabilidade de um fim rápido das hostilidades é remota.

 

  Trump resolve a guerra na Ucrânia "em menos de um dia"
Captura de ecrã 2023-03-05 164710.png"Com Bush, eles [Rússia] invadiram a Geórgia. Com Obama, tomaram a Crimeia, com Biden estão a tentar levar tudo... e ele nem vai saber que eles levaram", declarou Donald Trump na Conferência da Ação Política dos Conservadores (CPAC, na sigla em inglês). O antigo presidente norte-americano criticou o apoio financeiro e militar dado pelos EUA a Kiev, salientando que se "dava muito bem" com Vladimir Putin. E prometeu até resolver o conflito em menos de um dia, mesmo antes de regressar à Casa Branca com as presidenciais de 2024. "Antes mesmo de chegar à Sala Oval, terei a desastrosa guerra entre a Rússia e a Ucrânia resolvida - será resolvida rapidamente. E não vai demorar mais do que um dia. Sei exatamente o que dizer a cada um deles", afirmou Trump.


Joaquim Figueiredo - Que esperar de um louco?
David Ribeiro - Sem dúvida, Joaquim Figueiredo... mas ainda há pelos EUA quem goste deste estilo.
Joaquim Figueiredo
David Ribeiro infelizmente... lá como cá, os bárbaros gostam de barbárie...
Francisco Rocha Antunes - Aqui está finalmente quem o entende, David
David Ribeiro - Não sei se o percebi, Francisco Rocha Antunes, seguramente por defeito meu, mas olhe que não morro de amores nem por Donald Trump nem pela sua forma de fazer política.
Francisco Rocha AntunesDavid Ribeiro alguém que acha que a guerra acaba sem luta, instantâneamente
David RibeiroFrancisco Rocha Antunes, vindo de quem vem tudo é mirabolante... mas há por lá muita gente que gosta de ouvir estas promessas, embora eu creia que a sua popularidade já foi muito maior.
Paulo Teixeira
Até mesmo um ideota diz alguma coisa de jeito sobre as invasões russas e o papel dos democratas
Jose BandeiraBullshit!
Jorge VeigaComo se eles ligassem muito ao que ele diz...kkk
Isabel Gentil QuinaEu estou preocupada com 🇵🇹  Sem comentários xx  A guerra 🥺🥺 não vamos ser nós a resolver…. E a UE está em maus lençóis



Publicado por Tovi às 07:03
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 28 de Fevereiro de 2023
A "neutralidade" de África no conflito Rússia-Ucrânia

Captura de ecrã 2023-02-26 102427.jpg

Um ano atrás, seria difícil imaginar a África do Sul – que adotou uma postura publicamente “neutra” em relação à guerra na Ucrânia – optando por sediar exercícios navais trinacionais na costa de Durban. “[A posição de] neutralidade pode custar caro”, disse o presidente sul-africano Cyril Ramaphosa em entrevista à Bloomberg no ano passado. “E felizmente não estamos sozinhos nisto tudo, há muitos outros que escolheram o mesmo caminho. O benefício disso tudo é que podemos conversar com os dois lados.” (Ver aqui: Al Jazeera b

 

A PAZ dá dinheiro?
Carlos Miguel Sousa
Francisco Bismarck Às economias de guerra, não, mas às que assentam em economias sociais, pelo menos não lhes retira.
David RibeiroDoze pontos da proposta de Pequim para se caminhar para a PAZ no conflito Rússia-Ucrânia: O respeito pela soberania dos países; O abandono da mentalidade da Guerra Fria; O fim das hostilidades; O regresso das conversações de paz; A resolução da crise humanitária; A proteção dos civis e dos prisioneiros de guerra; A salvaguarda das centrais nucleares; A redução dos riscos estratégicos; O encorajamento às exportações de cereais; O fim das sanções unilaterais; A manutenção da estabilidade das cadeias de abastecimento; A promoção da reconstrução pós-conflito.
Jorge LiraDavid Ribeiro as propostas de Pequim são o básico do bom senso. Mas caem no primeiro ponto: esse primeiro ponto não é resolúvel com Putin no poder e sem que os concordem com Putin. E gostaria de saber, no futuro, se a China considera Taiwan um país soberano. Mas isso são outros futuros conflitos.
Luis BarataNow... Pequin will rule!?...
David RibeiroJá que ninguém se chega à frente para a PAZ, porque não, Luis Barata?
Luis BarataDavid Ribeiro pois... ainda que paz podre... Pode ser... Só que ninguém quer ficar por baixo, só por cima.
David RibeiroO Irão declarou no domingo à noite [26fev2023] que apoia a proposta de paz da China para a Ucrânia, que aponta como prioridades o "diálogo e as negociações" e que foi recebida com ceticismo pelo Ocidente.

 

  Sanções à China
Captura de ecrã 2023-02-28 163536.jpg
Estas declarações foram do secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, esta terça-feira [28fev2023], nas quais esclarece que, caso a China tome essa decisão, será um problema grave para o relacionamento de Pequim com os países de todo o mundo. (Ver notícia aqui)
Será que os EUA vão "atacar" a EDP e outras empresas portuguesas que são detidas por maioria de capital chinês?
  Joaquim Figueiredo
Lá vai o governo português ter de nacionalizar a EDP...



Publicado por Tovi às 08:00
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Março 2024
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Posts recentes

Perder uma batalha não é ...

Na guerra a primeira víti...

Hamas e Israel de novo em...

Conflito sem fim à vista

Zelensky a dar um passo m...

Portugal 0 - 0 Estados Un...

E para a PAZ não há nada?

Ninguém pensou nisto...

Trabalhar para a PAZ é qu...

Os horrores da guerra... ...

Tensão na fronteira da Rú...

Os turcos vão a votos

A China pode ser a tábua ...

Bakhmut é um dos principa...

A "neutralidade" de Áfric...

Como Putin se tornou à p...

Um é considerado pró-Puti...

Contraofensiva ucraniana

Visita da AIEA à central ...

Brincadeiras perigosas......

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus