"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Segunda-feira, 6 de Setembro de 2021
As últimas notícias sobre o Afeganistão


Captura de ecrã 2021-09-05 104135.jpg
A China é já (será?...) um país amigo em quem o Afeganistão pode confiar.


Captura de ecrã 2021-09-05 105011.jpg
O Afeganistão poderá ser uma caso histórico de sucesso se as potências mundiais derem aos Talibã uma hipótese em vez de tentarem destruir a sua economia com sanções.

 


Captura de ecrã 2021-09-05 180926.jpg

′′Os afegãos e os iraquianos sofreram durante anos as consequências do que os americanos sofreram em 9/11. Ainda sofrem as consequências desse dia fatídico hoje. Mas quem se lembra de 10/7 (o dia em que os EUA invadiram o Afeganistão em 2001)... Imaginar a dor dos outros é onde começa o nobre ato de luto da sua própria perda." - Hamid Dabashi, professor iraniano de estudos iranianos e literatura comparada na Universidade Columbia, na cidade de Nova York.

 


Captura de ecrã 2021-09-05 183210.jpg
Ahmad Massoud, chefe da NRF, diz que acolhe propostas para um acordo negociado para acabar com os combates com os Talibá no vale de Panjshir.

 

  Al Jazeera, 06set2021 às 06h30
06h30.jpg

 

  Está a ser exibido na RTP1 e RTP3
Captura de ecrã 2021-09-06 105643.jpg

 

  Al Jazeera, 07set2021 às 20h17
Os Talibã já anunciaram um novo Governo para o Afeganistão.
Captura de ecrã 2021-09-07 211438.jpg

 

   BBC World Service, 08set2021 às 18h58
Aqui estão eles... por quanto tempo é que não sabemos.
241641611_10220256540871562_3926201700485341215_n.



Publicado por Tovi às 08:15
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 3 de Setembro de 2021
Os dias seguintes no Afeganistão

  Lusa, 31ago2021 às 15h49
Aqui estão os cinco principais desafios que o novo regime afegão enfrenta.
1. Défice de confiança - Há uma suspeita generalizada entre a população urbana e educada sobre os Talibã e com boas razões. Muitos afegãos ainda se lembram do período 1996-2001, quando o movimento islamita estava no poder e aplicava uma leitura ultrarrigorosa da 'sharia', a lei islâmica. As mulheres não eram autorizadas a trabalhar e as escolas para raparigas foram fechadas, enquanto os opositores políticos foram executados e as minorias étnicas perseguidas. Vinte anos mais tarde, os Talibã dizem que pretendem prosseguir uma política diferente, inclusive em matéria de direitos da mulher. Prometeram também estabelecer um Governo inclusivo, entrando em contacto com o ex-Presidente Hamid Karzai. Enviaram também representantes para falar com a minoria predominantemente xiita Hazara, perseguida pelos Talibã nos anos 1990. Embora o regresso dos Talibã tenha sido acolhido com alívio em algumas zonas rurais do país, onde as pessoas querem, acima de tudo, acabar com a violência, muitos afegãos afirmaram querer primeiro ver as ações adotadas para depois fazer um julgamento. As mulheres permanecem em estado de alerta, na sua maioria enclausuradas em casa, um sinal da desconfiança generalizada. No vale de Panchir, a nordeste de Cabul, foi organizada uma verdadeira resistência em torno de Ahmad Massoud, filho do comandante Ahmed Shah Massou, assassinado em 2001 pela Al-Qaeda.
2. Desastre humanitário e económico - O Afeganistão é um dos países mais pobres do mundo. Após a queda do regime talibã, expulso do poder em 2001, a ajuda estrangeira inundou o país, representando, em 2020, mais de 40% do Produto Interno Bruto (PIB). Mas grande parte desta ajuda foi agora suspensa e os Talibã não têm acesso aos fundos do banco central afegão, a maioria dos quais está no estrangeiro. Washington já indicou que os Talibã não terão acesso aos bens e valores que estão no país, enquanto a Alemanha suspendeu a ajuda financeira total. Portanto, a situação poderá tornar-se num desastre, já que os Talibã terão de encontrar rapidamente dinheiro para pagar os salários dos funcionários públicos e assegurar que as infraestruturas vitais (água, eletricidade, comunicações) continuam a funcionar. As receitas atuais dos Talibã, que provêm principalmente de atividades criminosas, são estimadas pelas Nações Unidas entre 250 milhões e mais de 1,3 mil milhões de euros por ano. Um ganho financeiro que é visto como uma gota no oceano face às necessidades atuais do Afeganistão, segundo os especialistas. Neste contexto, a ONU alertou para uma "catástrofe humanitária" que poderá atingir duramente os afegãos neste inverno.
3. Fuga de cérebros - Para além da crise económica, os Talibã também terão de lidar com outra escassez, igualmente crítica e dramática: a de cérebros. Advogados, funcionários públicos, técnicos e muitos outros afegãos qualificados têm fugido do país em voos de retirada fretados por potências estrangeiras nas últimas semanas. Como sinal da sua preocupação, os Talibã instaram na semana passada os ocidentais a retirar apenas os estrangeiros e não os peritos afegãos, como por exemplo os engenheiros, necessários para a manutenção das infraestruturas do país.
4. Isolamento diplomático - Entre 1996 e 2001, o regime Talibã foi um pária na cena internacional. Desta vez, o movimento islamita parece inclinado a procurar um amplo reconhecimento no estrangeiro, embora a maioria dos países tenha suspendido ou encerrado as missões diplomáticas em Cabul. O grupo tem mantido contactos com várias potências regionais, incluindo Paquistão, Irão, Rússia, China e Qatar, mas nenhum deles reconheceu ainda a nova liderança em Cabul e os EUA advertiram que os Talibã terão "de conquistar" a sua legitimidade.
5. Ameaça terrorista - A tomada de controlo do país pelos Talibã não colocou um ponto final à ameaça terrorista, como ficou demonstrado pelo ataque de 26 de agosto, numa zona próxima do aeroporto de Cabul, reivindicado pela filial local do Estado Islâmico. O Estado Islâmico de Khorasan (ISPK), que segue uma linha sunita radical semelhante à dos Talibã, difere destes últimos em termos de teologia e estratégia. Como sinal da forte inimizade entre ambos, o Estado Islâmico qualificou os Talibã como apóstatas em vários comunicados e não os felicitou após a conquista de Cabul, em 15 de agosto. O desafio para os Talibã é, portanto, complexo: defender a população afegã do mesmo tipo de ataques que os seus próprios combatentes levam a cabo há anos no país.

 

  Al Jazeera, 31ago2021 às 18h15
O novo governo do Afeganistão será anunciado nos próximos dias.
Captura de ecrã 2021-08-31 211638.jpg

 

  Al Jazeera, 31ago2021 às 20h05
Querem uma apostinha como não tarda muito e a Índia reconhece oficialmente o governo Talibã no Afeganistão?... E se assim for quem “perde a corrida” é o Paquistão.

Captura de ecrã 2021-08-31 210902.jpg

Jorge De Freitas Monteiro - Nada é impossível por aquelas paragens mas a Índia foi dos países que mais apoiou a ocupação…
David Ribeiro - Eu também achei estranho os indianos serem os primeiros a fazerem reuniões com os Talibã, Jorge De Freitas Monteiro... mas é capaz de ser uma forma da Índia "passar a perna" ao Paquistão.

 

  Wakil Kohsar da AFP News Agency fotografou os membros da unidade das forças especiais Badri 313 dos Talibã a chegarem ao aeroporto de Cabul a 31 de agosto de 2021, depois da retirada total das tropas dos EUA.
239413035_4413262298711739_2875279702445157946_n.j

 

  AFP News Agency 
Cronologia dos principais acontecimentos no Afeganistão, desde a ocupação soviética até à derrota dos EUA.
240842617_4409902452381057_4284329022427036870_n.j

 

   Zabihullah Mujahid... o "Talibã 2.0".
“We want to build the future, and forget what happened in the past."
dd617b6b9106b65e74de353f3b64e732397a9442.jpg

 

   Al Jazeera, notícia de 08fev2021
E agora como estará o combate à pandemia no Afeganistão?
afeghan covid.jpg
  Situação da pandemia no Afeganistão (dados reportados à Organização Mundial da Saúde de 03jan2020 a 01set2021).
Afeganistão Covid-19 01set2021.jpg

 

   Reuters, 02set2021 às 16h06
O secretário de relações exteriores britânico, Dominic Raab, afirmou hoje, durante uma missão diplomática em Doha, que “a realidade é que não reconheceremos os Talibã em nenhum momento num futuro previsível, mas acho que há um espaço importante para engajamento e diálogo”.
doha.jpg

 

  Al Jazeera, 02set2021 às 19h57
A maior empresa de transferência de dinheiro do mundo vai retomar os seus serviços para o Afeganistão depois de ter suspendido a sua operação há duas semanas, quando os Talibã avançaram em Cabul.
Captura de ecrã 2021-09-02 205707.jpg

 

   JN, 02set2021 às 22h18
Militares portugueses partem para o Kosovo para cooperar com forças de outras nações, no campo Bechtel, um alojamento temporário para a operação de apoio aos cidadãos civis afegãos retirados de Cabul e que aguardam para serem recolocados em vários países de acolhimento.
Captura de ecrã 2021-09-02 224812.jpg



Publicado por Tovi às 07:24
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 29 de Agosto de 2021
O Afeganistão pelos olhos de um militar português

Coronel-Jorge-Torres-no-Afeganistão-768x512.jpg

Num artigo de Ana Tulha publicado no “Notícias Magazine” de 25ago2021, Jorge Torres, coronel do Exército português que no último ano foi o Representante Nacional Sénior na Resolute Support Mission, missão da NATO no Afeganistão que tinha como principais objetivos o treino, aconselhamento e assistência das forças afegãs, começa por realçar que de 2012 (primeira vez em que esteve no Afeganistão) para 2020 notou “uma evolução em termos de capacitação das forças afegãs”. Mas então como se explica que não tenham sequer sido uma posição de resistência? O atual comandante do Regimento de Infantaria 19, em Chaves, não responde diretamente à questão. Destaca, no entanto, vários aspetos que nos podem ajudar a uma leitura mais profunda. Desde logo a viragem que houve em 2014. “Até aí houve um enorme esforço feito pela comunidade internacional, no sentido de garantir que havia um ambiente seguro para que as instituições do país se levantassem e consolidassem. A partir desse ano, a liderança passou para os afegãos e a comunidade internacional passou apenas a apoiar essas estruturas. Além disso, a parte do treino e levantamento do Exército foi considerada consolidada e o trabalho passou a focar-se mais no treino das forças especiais. Depois, é preciso ver que a capacidade de um exército não é só o músculo, há outros vetores não tangíveis que são fundamentais. Um deles é a capacidade de liderança.”

 


afeganistao_mapa-738727.jpg
O Ocidente e especialmente os EUA, devem tirar ilações depois do que aconteceu no Iraque, na Líbia e agora da situação no Afeganistão. Tentar impor um sistema de valores alheio é criar situações explosivas. Há muito que se falava que os representantes do governo do Afeganistão colocavam no bolso parte da assistência internacional ou a enviavam para contas offshore. Mas insistiu-se em “apoiar” um governo corrupto e “equipar” e “treinar” forças da ordem que se borrifavam para aquilo para que tinham sido criadas. E agora?... Tudo vai depender, em primeiro lugar, daquilo que decidirem Rússia e China, bem como Paquistão, Irão, Índia e outros países asiáticos.

 


transferir.jpg
Os Estados Unidos anunciaram ontem (28ago2021) terem realizado um ataque aéreo com drone, na província afegã de Nangarhar [leste], contra membros do grupo jiadista Estado Islâmico da Província de Khorasan (ISIS-K, Daesh-K, ou ISKP na sigla em inglês) no Afeganistão, grupo rebelde que reivindicou o atentado terrorista no aeroporto de Cabul. Parece não ter havido “qualquer vítima civil” mas “matámos o alvo” (dois foram mortos, e um foi ferido), segundo o porta-voz do Comando Central dos Estados Unidos, Bill Urban.

António Conceição - Asneira da grossa. O problema do ocidente (leia-se, dos EUA) tem sido ir para o médio oriente fazer Justiça. É um erro. A nossa estratégia deve ser o fomento das rivalidades islâmicas, deixando que as várias facções se matem fraternalmente umas às outras e se entretenham entre elas. Bombardear o Daesh-K não contribui para esta estratégia. Contribui apenas para enfraquecer este grupo, dando força aos Talibãs. Isto não faz sentido. Só faria, se os talibãs fossem nossos amigos ou aliados. Não são. São nossos inimigos, como o Daesh-K. Portanto, a nossa política sensata é manter equilibrada rivalidade entre esses grupos, sem dar superioridade a nenhum.
David Ribeiro - Como já aqui disse, António Conceição, o Ocidente e especialmente os EUA, ainda não tiraram ilações depois do que aconteceu no Iraque, na Líbia e agora da situação no Afeganistão. Tentar impor um sistema de valores alheio é criar situações explosivas. E não esquecer que na região tudo vai depender, em primeiro lugar, daquilo que decidirem Rússia e China, bem como Paquistão, Irão, Índia e outros países asiáticos.
Chico Gouveia - Já se sabia que os EUA iam sair de lá por terra, mas voltariam pelo ar. Não se esperava é que fosse tão cedo.
Da Mota Veiga Suzette - Já se sabe: guerra gera guerra. Cada vez mais dicicil encontrar um caminho para a paz. A China e os Russos tem um certo interesse neste conflito e esperam conseguir disfarçar uma armadilha para os USA.

 

   Notícias de há momentos... 14h00 de 29ago2021

Segundo a "BBC", uma fonte do Ministério da Saúde confirmou que houve, de facto, uma explosão na área e terá sido causada por um rocket que atingiu uma casa perto do aeroporto. Por sua vez, a agência Reuters avança que os EUA realizaram um ataque aéreo em Cabul. O alvo seria um possível carro-bomba suicida que visava atacar o aeroporto. A "CNN" corrobora esta versão, acrescentando que uma explosão secundária significativa no veículo indicou uma quantidade substancial de material explosivo. Um porta-voz dos talibã também confirmou que o ataque aéreo dos EUA tinha como alvo um bombista-suicida suspeito, que viajava num carro, de acordo com a agência de notícias Associated Press (AP). Posteriormente veio a saber-se que dez pessoas de um bairro de Cabul, incluindo crianças, foram mortas neste ataque de drone dos EUA, tendo Washington afirmado que os combatentes do ISKP eram o alvo.
Al Jazeera 14h30 de 29ago2021 .jpg

 

   Al Jazeera, 07h40 de 30ago2021
Cerca de 500 soldados de infantaria motorizada russa estão a realizar exercícios nas montanhas do Tadjiquistão no contexto de instabilidade no vizinho Afeganistão. Todos os militares envolvidos no exercício vêm da base militar russa no Tadjiquistão, segundo informação do comando do Distrito Militar Central. Este exercício é o terceiro executado pela Rússia perto da fronteira com o Afeganistão neste mês. No mês que vem, um bloco de segurança liderado pela Rússia realizará outro exercício no Quirguistão, que abriga uma base aérea militar russa
size_960_16_9_exercito_russo.jpg



Publicado por Tovi às 07:18
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 15 de Agosto de 2021
Os Talibã chegaram a Cabul

  20h30 15ago2021
Os talibã entraram no palácio presidencial do Afeganistão em Cabul
Captura de ecrã 2021-08-15 213425.jpg

 

  15h00 15ago2021 - Al Jazeera / Reuters
Captura de ecrã 2021-08-15 160555.jpg

 

  10h00 15ago2021 - Em direto no canal televisivo da Al Jazeera. Não vos faz lembrar Saigão em 30 de abril de 1975?
Captura de ecrã 2021-08-15 110258.jpg

 

   Notícias desta manhã - Al Jazeera
Negociadores talibã estão a discutir uma ′′transferência de poder′′ com os funcionários do governo afegão.
Fonte talibã confirmou à Al Jazeera que o grupo entrou em Cabul. ′′Estão pedindo a todos que fiquem tranquilos, que eles vêm com uma mensagem de paz”.
O Afeganistão terá uma ′′transferência pacífica de poder′′ para um governo transitório, diz o ministro do interior afegão Abdul Sattar Mirzakwal.
A liderança talibã disse em comunicado que instruíram as suas forças para não cruzarem os portões de Cabul e tomarem a cidade à força: "As negociações estão em andamento para garantir que o processo de transição seja concluído de forma segura".
Captura de ecrã 2021-08-15 102301.jpg

Adao Fernando Batista Bastos - A verdade escondida? Estranha a passividade do governo afegão!
David Ribeiro - A "passividade" do governo afegão, Adao Fernando Batista Bastos, deve-se á falta de tropas americanas (+ algumas da UE) para os protegerem. O presidente Ahsraf Ghani nunca foi além de um joguete nas mãos dos EUA.
Adao Fernando Batista Bastos - David Ribeiro pois, americanos que dizem deixar os afegãos bem equipados e treinados!
David Ribeiro - Dinheirinho dos impostos de muitos ocidentais foi atirado à corrupção dos batalhões de um pretenso exército. E nas fileiras desse exército haverá certamente também muitos que aguardavam há muito a chegada dos Talibã, meu caro amigo Adao Fernando Batista Bastos.
Serafim Nunes
Há vinte anos atrás fizeram a merda que fizeram. Arrasaram o Iraque com base numa mentira pela qual mereciam ter sido julgados como criminosos de guerra (Bush, Blair, Barroso, Aznar e mais uns quantos); libertaram as forças mais obscuras no Afeganistão e anunciaram uma primavera árabe que fragmentou e desestabilizou ainda mais uma região já de si instável. Pelo caminho mantiveram intocável o principal foco desse obscurantismo, os seus amigos dos petrodolares, com a Arábia Saudita à cabeça, e reforçaram e consolidaram o expansionismo sionista. Ouço agora que a Turquia vai ter de se haver com cerca de um milhão de refugiados afegãos. Que, muito provavelmente, repassará aos europeus. Os quais, muito provavelmente, dirão que não é consigo. Não obstante terem, como se referiu, fortes responsabilidades em todo o sucedido. Pena que o médio oriente não faça fronteira com os USA. Talvez fossem mais prudentes nas suas aventuras. Bardamerda!

 


Armamento americano nas mão dos Talibã.jpg

 


ministro sai do afeganistão.jpg

 


exercito portugues vs afegão.jpg



Publicado por Tovi às 08:31
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 11 de Agosto de 2021
Situação dramática no Afeganistão

f096a8c26891aaee5be1c4394c93a2e5.jpg

Milhares de afegãos que serviram as tropas e diplomatas norte-americanos nestes últimos vinte anos estão em risco de vida com o alastrar da “conquista” Talibã a todas as províncias do Afeganistão. Foi criada a “Operação Refúgio dos Aliados” que pretende retirar do país cerca de 50 mil pessoas, mas até à data unicamente 200 afegãos chegaram de avião na madrugada da última sexta-feira aos Estados Unidos.

 

   Al Jazeera, 21h00 de 10ago2021
10set 21h00.jpg

 

   AFP News Agency, 09h11 de 11ago2021
talibã 11ago9h10.jpg

 

   Lembram-se do que aconteceu no Vietname do Sul, em abril de 1975, quando Gerald Ford mandou as tropas e funcionários dos EUA abandonarem Saigão?... Pois é o mesmo que vai acontecer a muitos afegãos depois de Joe Biden, não se arrependendo da sua decisão de retirar tropas do Afeganistão e uma vez que os talibã mantêm o controlo de 65% do país, ter afirmado hoje “they've got to fight for themselves”.
https___d1e00ek4ebabms.cloudfront.net_production_4


Jorge Veiga - Pois dão-lhes cobertura da USAF. Pois dão-lhes material de guerra. Pois até lhes pagam os ordenados aos militares. Ao menos que lutem pela terra deles.
David Ribeiro - Jorge Veiga... mas o problema está nos vários milhares de civis que trabalharam para os americanos, militares e pessoal diplomático acreditado em Cabul. Vão todos ser executados, incluindo familiares mais próximos, tal-e-qual aconteceu em Saigão.
Jorge Veiga - David Ribeiro… pois eu sei. Que se alistem no exército e ao menos terão uma fusca.
Rui Lima - Vai acontecer o mesmo que aconteceu ás tropas africanas que combateram do nosso lado em Guiné, Angola e Moçambique e ninguém se preocupou nem na altura nem hoje!

 

   Al Jazeera, 18h45 de 11ago2021
11set 23h00.jpg

 

   Al Jazeera, 11h00 de 12ago2021
12ago 14h00.jpg



Publicado por Tovi às 07:53
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 7 de Agosto de 2021
Captura de Zaranj pelos rebeldes Talibã

Captura de ecrã 2021-08-06 215020.jpg

Na tarde de ontem (6ago2021) rebeldes Talibã capturaram a cidade de Zaranj (49.851 habitantes em 2015), capital da província de Nimroz, no sudoeste do Afeganistão, numa ofensiva que não teve resposta das forças governamentais, não sendo ainda claro se as forças de segurança locais fugiram ou desertaram para os Talibã. 

Com a invasão do Afeganistão pelos Estados Unidos em 2001, após os ataques de 11 de setembro em solo americano, os Talibã foram retirados do poder, mas este grupo fundamentalista islâmico tem vindo a conquistar uma série de vitórias no campo de batalha nas últimas semanas, garantindo já o controle de passagens cruciais da fronteira com o Irão, Uzbequistão, Tajiquistão e Paquistão, enquanto as forças estrangeiras lideradas pelos Estados Unidos estão prestes a retirarem-se do Afeganistão após 20 anos no terreno.

 

   Al Jazeera, 13h10 de 07ago2021
Captura de ecrã 2021-08-07 141111.jpg

 

   Al Jazeera, 20h50 de 08ago2021
Captura de ecrã 2021-08-08 235008.jpg

 

   Al Jazeera, 14h55 de 09ago2021
Captura de ecrã 2021-08-09 152043.jpg

 

   Al Jazeera, 10h25 de 10ago2021
Captura de ecrã 2021-08-10 102737.jpg



Publicado por Tovi às 07:50
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 13 de Maio de 2021
Israel e Palestina novamente a ferro e fogo

gaza hoje.jpg

Nova escalada já com 83 mortes, incluindo 17 crianças, e mais de 400 pessoas feridas nos últimos dias, segundo o balanço de hoje do ministro da Saúde da Faixa de Gaza... e está para durar.

 

    Comentários no Facebook

Raul Almeida - A paz é a tranquilidade na ordem justa. São Tomás de Aquino definiu o mais profundo sentido da paz, o único possível e viável. Não haverá paz possível em Israel e na Palestina, enquanto um povo quiser despojar o outro de qualquer tipo de direito sobre a terra em que nasceu, por via da opressão, da perseguição, do estigma, do enxovalho permanente. A violação permanente dos Direitos Humanos, do direito internacional, de todas as convenções, só incita a guerra. Enquanto Jerusalém for alvo de ocupação agressiva e não tiver um estatuto internacional neutro, respeitado pelas três grandes religiões que ali convivem, não haverá paz. Israel deseja ardentemente estes ataques do Hamas e a revolta por desespero do Povo Palestino; é mais uma desculpa para mais ocupação, humilhação e opressão. Os Judeus têm direito à sua pátria, Israel tem direito a existir em paz. Os Palestinos têm exactamente o mesmo direito. Enquanto isto não for tratado com decência e seriedade, teremos ali uma interminável chaga, não havendo agora aliados que intervenham, que se interessem pelo extermínio frio e metódico de um Povo e de uma nação.

António Alves (citando Renato Teixeira) - Israel perdeu o controlo de Lod (Lida), uma cidade de 65 mil habitantes, que alberga o aeroporto Ben Gurion, a principal infra-estrurura de transporte internacional israelita. Não se sabe quanto tempo vai demorar Israel a retomar o controlo desta cidade mista, que além do aeroporto fica apenas a 15 km de Telavive. É a grande novidade da revolta palestiniana, que em nenhum outro momento, em nenhuma das duas primeiras intifadas, obteve tal conquista. De resto, desde 1966 que Israel não declarava nenhum Estado de Emergência nas cidades mistas, sendo que a estupefacção e o dramatismo do campo sionista foi ilustrado pelo próprio Yair Ravivo, presidente da Câmara da cidade: "Perdemos o controle da cidade de Lod". O ministro da guerra, o fanático e carniceiro Benny Gantz, chamou parte do exército que estava nas fronteiras com a Cisjordânia quer para Lod quer para as outras cidades mistas que estão no limiar de replicar a situação, como são os casos Haifa, Akka, Ramlat, Oum al-Faham, Chafa Amro, Kafar Mandat e Arabat Der al-Assad, esta na região de Jalil, na Galileia. Estamos a falar de vilas ocupadas na primeira fase da Nakba, ainda em 1948, cuja população árabe pela primeira vez está a aderir em massa à revolta palestiniana. Em várias destas cidades a resistência palestiniana removeu a bandeira israelita dos edifícios públicos, levaram à debandada dos colonos que se viram sem apoio das forças policiais e do exército israelita que não está a ser capaz de restabelecer o domínio colonial. “O meu carro pegou fogo. Para mim, isso é tudo que sei. A polícia não apareceu. Vimo-nos a lutar sozinhos”, disse um dos colonos. O aeroporto foi encerrado, o tráfego ferroviário entre Lod e Telavive interrompido e há informações que dão conta que Israel está a evacuar de algumas destas cidades os seus colonos. Netanyahu já assumiu a gravidade da situação, afirmando que "os batalhões da guarda de fronteira virão da Judeia e Samaria (Cisjordânia) para cidades mistas esta noite. (...) Ordenei agir com firmeza contra os violadores da lei e da ordem e fortalecer as forças no terreno para restaurar a calma e a ordem em Lod e em todas as regiões de Israel o mais rápido possível”.

Nuno Matos Pereira - Ocupação atroz, onde a ONU nada faz e a comunidade internacional fecha os olhos. Judeus governados por gente bárbara. Vítimas de genocídio na segunda guerra e praticantes do mesmo na atualidade.

Gonçalo Graça Moura - Isso de opinar sem conhecer a história da região ou achar que só começou em 1946, normalmente dá asneira...
Roubado de um mural aqui ao lado:
URGENTE‼EXPLICANDO O CONFLITO ‼
1. Todo ano, durante os 40 dias de Ramadan vários muçulmanos em Israel saem das rezas incitados por discursos religiosos feitos por líderes irresponsáveis, atirando pedras e fazendo protestos violentíssimos.
2 - Esse ano eles perderam de fato a mão e vários 'fiéis' começaram a linchar judeus no meio de Jerusalém e jogar pedra nos policiais do Monte do Templo. A polícia revidou e aí eles começaram a vender a ideia de que os judeus estavam invadido a mesquita. O curioso é que os judeus é que são proibidos pela própria polícia de pisar lá, o lugar mais importante do judaísmo no mundo.
2. Há algumas semanas está acontecendo um processo Civil de uma disputa de propriedades, casas, no bairro de Shimon Hazadik (conhecido por árabes como sheikh jarakh). As casas foram compradas por imigrantes judeus nos anos de 1800. Após a ocupação jordaniana de Jerusalém em 1948, árabes começaram a morar nessas casas. Quando Jerusalém foi reunificada em 1967 e judeus puderam voltar pra suas casas começou a disputa legal de propriedade. As lideranças árabes transformaram a ordem de despejo em um assunto nacionalista e começaram a vender a ideia de que os judeus estavam fazendo uma limpeza étnica em Jerusalém expulsando árabes de suas casas.
3. Hamas tentando ganhar o apoio dos árabes israelenses e dos árabes da Cisjordânia assumiu o papel de "defensor de Jerusalém" contra "limpeza étnica" e "invasão" de Al Aksa lançando mísseis sobre civis de Jerusalém.
4. Israel disse que os genocidas do Hamas cruzaram uma linha vermelha ao atirar mísseis contra civis na capital de Israel, como qualquer país do mundo reagiria, e iniciou bombardeios contra terroristas e instalações de terroristas em Gaza.
5. Hamas disse que se Israel continuasse atacando seus membros iria lançar mísseis sobre civis de Tel Aviv. Em resposta Israel destrói o centro de comando de inteligência do Hamas - um prédio de 13 andares - Usando a tática de "bater no teto" na qual mísseis sem explosivos atingem o alvo para que qualquer inocente no local posso fugir antes do ataque real.
6. Hamas lança centenas de mísseis deliberadamente sobre civis das maiores cidades israelenses, como Tel Aviv. 4 pessoas morrem (poderiam ser centenas, mas as pessoas vão dormir em bunkers e o domo de ferro abate 85% dos mísseis)
7. Israel responde ao ataque horrendo, intencional contra civis inocentes, destruindo mais um prédio de 13 andares do Hamas e atacando membros do grupo genocida incluindo oficiais de alto escalão.
8. Hamas lança um Míssil antitanque contra um carro de civis matando 1 e ferindo 3 gravemente.
9. Israel responde eliminando um membro do mais alto escalão do grupo terrorista Hamas, membros do Hamas lançando mísseis e mais instalações da organização .

 

   07h31 de 14mai2021 - JN
A maior operação israelita em Gaza, desde o início da escalada da guerra, consistiu em 50 rondas de bombardeamentos por terra e ar em 40 minutos, disse o exército de Israel. Um porta-voz militar disse que Israel utilizou esta manhã 160 aviões, artilharia e infantaria durante o ataque ao território palestiniano. Ao mesmo tempo, as milícias palestinianas dispararam 50 foguetes contra Israel durante a madrugada.

   09h57 de 14mai2021 - BBC News / Facebook
Os militares israelitas intensificaram o seu ataque a Gaza, enquanto militantes palestinianos continuam a disparar foguetes contra Israel no quinto dia das hostilidades.

   10h35 de 14mai2021 - Al Jazeera English / Facebook
Médicos no hospital Al-Shifa de Gaza estão a lutar contra a escassez de medicamentos, equipamentos e cortes de energia para salvar pacientes gravemente feridos nos ataques aéreos israelitas.

   23h03 de 14mai2021 - José Maltez / Facebook
O que mais me incomoda nestas imagens de guerra não é apenas a banalidade do mal. É o comentário a torcer por uma das partes em conflito e a desejar que os seus favoritos matem ainda mais. Até alguns pretensos cristãos, assim de fora, desejam a morte dos primitivos cristãos, nestas voltas de uma história que, com este jogo, nunca se resolverá. E tudo provocado por Dreyfus, pelo sionismo e pelo protetorado colonial britânico, como se os visigodos pudessem voltar à Lusitânia, em oposição aos Viriatos que a consideravam sua pátria.



Publicado por Tovi às 10:26
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 9 de Outubro de 2015
Continuam os bombardeamentos russos na Síria

Rússia bombardeia alvos na Síria 08Out2015.jpg

Desde o fim do mês de setembro que caças russos Sukhoi Su-25, Su-24M e Su-34, com o apoio de aviões Su-30, executaram mais de uma centena de ataques cirúrgicos contra postos de comando, campos de treino e arsenais do Estado Islâmico na Síria. Só no dia de ontem (quinta-feira, 8Out2015) a aviação russa atacou 11 campos de treino do grupo terrorista nas províncias de Hama e Raqqa, oito fortificações na província de Homs e depósitos de combustíveis em Khan al-Asal, segundo o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da Rússia, Igor Konashenkov. Nestes ataques foram usadas bombas anti-bunker para destruir construções subterrâneas do Estado Islâmico no noroeste da Síria.

 

  Comentários no Facebook 

«Victor Meirinho» >> E o ocidente toma chá e critica!!!

«Jose Pinto Pais» >> O ocidente crítica… Diz que ele é amigo do chefe

«David Ribeiro» >> E com esta ajuda de Vladimir Putin as tropas de Bashar al-Assad já conseguiram uma grande ofensiva contra grupos opositores ao governo de Damasco, enquanto a NATO está cada vez mais alarmada com a actividade militar russa neste conflito sírio.

«Jose Pinto Pais» >> E cospem para o ar

«David Ribeiro» >> ÚLTIMA HORA - A Al Jazeera acaba de noticiar (9Out2015 8h03 GMT) que o comandante militar iraniano Brigadeiro General Hossein Hamedani foi morto durante a última noite pelo Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL) nos arredores da cidade síria de Aleppo. Esta alta patente do exército do Irão, um aliado incondicional do presidente Bashar al-Assad, prestava aconselhamento militar ao exército sírio.

«André Eirado» >> A eficiência russa põe os americanos de boca aberta

«Jose Riobom» >> .....nunca me passou pela cabeça que um dia estaria de acordo com Putin.....



Publicado por Tovi às 08:07
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 3 de Setembro de 2014
A guerra na Ucrânia está para durar

Nãããããã… Vladimir Putin não vai cair no erro de mandar os seus tanques para Kiev, pelo menos para já. Não é que as forças armadas ucranianas fiéis à “junta fascista” de Petro Poroshenko tivessem capacidade bélica para enfrentar o Grande Urs...o da Rússia, mas Moscovo está mais interessada que “a coisa estoire por dentro”, isto é, os separatistas pró-russos é que vão acabar por destruir a já frágil economia ucraniana. E entretanto e no meio disto tudo morre gente todos os dias… E não são só os rebeldes separatistas pró-russos nem os soldados de Kiev… Morrem ucranianos que nada mais querem da vida senão viver em paz e com dignidade.


«Pedro Baptista» no Facebook >> Quem criou esta situação?

«David Ribeiro» no Facebook >> Os senhores de Bruxelas, da Casa Branca e do Kremlin, uns mais outros menos (vá lá conseguir-se fazer a contabilidade), foram seguramente os que criaram isto tudo. E as últimas notícias [Al Jazeera – 17h25 1Set2014] dizem-nos que tropas regulares de Kiev acabam de abandonar o aeroporto de Luhansk, no leste ucraniano, após violentos combates com alegadamente uma coluna de tanques russos. Este aeroporto era vital para as tropas de Kiev, pois era aqui que estava a base mais importante das tropas pára-quedistas nesta região em conflito.

«Raul Vaz Osorio» no Facebook >> A próxima vez que me apetecer atirar pedras a uma montra, vou assegurar-me de que primeiro escolho bem os "responsáveis" que "criaram as condições" que me impeliram "inevitavelmente" ao acto. Poupem-me!

«Joaquim Leal» no Facebook >> O meu amigo David considera "fascista" o regime vigente na ucrânia. Se não for muito incómodo, consegues definir já agora o russo? Agradecido.

«David Ribeiro» no Facebook >> E onde está dito que eu considero fascista o actual regime de Kiev?... Apesar de Poroshenko ter o apoio de grupos fascistas perfeitamente identificados, nunca escrevi ou disse aquilo que insinuas, amigo Joaquim Leal. O uso de aspas tem o seu significado.

«Diamantino Hugo Pedro» no Facebook >> O Petro Porochenco é de origem Judaica, o que leva alguns Nacinais-Revolucionários (Neo-Nazis para quem gosta de abusar destes termos vindos da primeira metade do século passado) Europeus a acusarem os Ucranianos de Sionistas e colocarem-se, assim, do lado dos Russos. As posições acerca deste tema são engraçadas e sempre cheias de rótulos descabidos.

«Joaquim Leal» no Facebook >> Ok, estava entre "aspas" mas e sobre os russos?

«Diamantino Hugo Pedro» no Facebook >> O Batalhão Azov, que é constituido pelos tais elementos "fascistas" do Sector Direito, mais alguns voluntários Europeus também "fascistas", apesar de lutar contra os separatistas não apoia o actual governo de kiev.

«David Ribeiro» no Facebook >> Sobre os russos, amigo Joaquim Leal, está tudo dito quando lhes chamo o Grande Urso da Rússia.
...e já agora um desenho para melhor se compreender o meu ponto de vista:
 

«Jorge Veiga» no Facebook >> Com o Putin a falar assim grosso, o Durão foi logo mudar de cuecas...

«Mario Jeronimo» no Facebook >> Caro Joaquim Leal... so la vais com um desenho????... oh amigo David Ribeiro... isso nao se faz.

«Pato Duck» no Facebook >> Não falta muito e vamos ter um novo muro de Berlim, em plena Berlim e ninguém faz nada.

«Joaquim Leal» no Facebook >> Uma saída airosa á questão colocada não é David Ribeiro?  Mario Jeronimo, já agora opinião sobre o tema sugetsionado, tens? Sobre esta questão na ucrânia, tenho notado onde o tema é abordado um certo saudosismo dos "gloriosos" tempos da união soviética. Desenganem-se dos "amanhãs cantarão", aquilo por lá continua a ser criminoso mas o "nacional-socialismo" é residual. A russia é agora liderada por um mentecapto corrupto que persegue, manda prender e assassinar quem se lhe opõe como "estais" fartos de saber. Um dia poderá responder em "sede" própria. Haje pelo menos essa esperança.

«David Ribeiro» no Facebook >> Nunca me farás dizer aquilo que eu não quero dizer, amigo Joaquim Leal, principalmente quando a minha opinião sobre determinado assunto não é fundamentalista. Os meus "amores" por russos, ou por outro povo qualquer, têm a ver unicamente com as circunstâncias. Nunca parto para a análise de um assunto já com a trincheira em que vou "lutar" tão definida, como pareces tu fazer.

«Joaquim Leal» no Facebook >> Eu não te obrigo a nada mas é evidente que há muito que cavei a minha trincheira e tento defênde-la. Apenas isso.

«Mario Jeronimo» no Facebook >> Joaquim Leal... so por ironia abordei a questao ... do desenho... posta por aqui... pelo David Ribeiro... que de resto foi na minha modesta opiniao um comentario... pelo menos... desagradavel quanto a um amigo comum que es tu Quim. Quanto aos comentarios de fascistas... bem... o nosso amigo David Ribeiro... tem-nos habituado a este tipo de comentarios e linguagem... tipicamente da esquerda radical... que por este momento nao vou comentar... por respeito... mas nao me provoquem...

«Joaquim Leal» no Facebook >> ah ah ah o David Ribeiro é amigo de longa data daqui e pessoalmente. Jamais levaria a mal qualquer boquinha ou gesto da parte dele. Já o topei há muito.  Está bem, mas nós Mario Jeronimo já somos amigos há muito mais tempo e também sei o que espero de ti LOL carrega, vá

«Mario Jeronimo» no Facebook >> Joaquim Leal... tu queres e estrilho... deixa la o David Ribeiro responder.

«Joaquim Leal» no Facebook >> eh eh eh

«Mario Jeronimo» no Facebook >> De resto... esta tudo bem contigo? Amigo?

«Joaquim Leal» no Facebook >> Vamos indo amigo. Só nos encontramos de anos a anos não é?

«Mario Jeronimo» no Facebook >> Foda-se... os dois em Loule... e nao te encontro... ja pareces o David Ribeiro. Mas esse e so vinho do bom... ainda bebes Quim?

«Joaquim Leal» no Facebook >> Poucochinho

«Mario Jeronimo» no Facebook >> Pois... de e ser como eu... um copito de 0,75 de cada vez...

«Joaquim Leal» no Facebook >> LOOOL

«João Pedro Baltazar Lázaro» no Facebook >> Ainda isto... Este filho da puta é só garganta e medo e chantagem. Sempre quero ver como é que fica a Rússia depois de ele morrer.

«Mario Jeronimo» no Facebook >> So que as "pomadas" que o David Ribeiro... aqui anuncia... bem podia mandar 4 ou 5 .... a pagar a cobranca... que eu/nos levantava/mos nos correios de Loule... so nao sei se chegavam inteiras ao restaurante.

«David Ribeiro» no Facebook >> Quanto aos meus comentários e linguagem serem “tipicamente da esquerda radical” dá-me a certeza que ainda não entendeste quem eu sou, Mario Jeronimo, ou então tenho errado na forma de me exprimir. E quanto às “pomadas” digo-te que não sou de beber tanto como tu – um copito de 0,75 de cada vez – eu sou mais de beber pouco mas MUITO BOM. E mais ainda, eu não produzo nem vendo vinho, pelo que será improvável alguma ver chegar aos correios de Loulé uma encomenda – a pagar à cobrança – de garrafas enviadas por mim.



Publicado por Tovi às 08:20
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 31 de Agosto de 2014
A crise da Ucrânia

Na Idade Média a Ucrânia era uma forte nação eslava – Rus Kievana - tendo sido completamente fragmentada no século XIII, quando foi invadida e governada por uma variedade de povos. Teve alguma prosperidade nos séculos XVII e XVIII quando nela surgiu uma república cossaca - Zaporozhian Sich – mas a sua consolidação como nação só se verificou no século XX, quando integrou a União Soviética. Teve a sua independência como Estado-Nação em 1991. Desde Novembro de 2013 que a Ucrânia vive horas complicadas e de desfecho ainda incerto, quando uma grande parte dos seus habitantes passou a exigir uma maior integração na União Europeia - protestos do Euromaidan – provocando a renúncia do presidente Viktor YanuKovych e eleições em 25 de Maio de 2014 que colocaram no frágil poder Petro Poroshenko, um pró-União Europeia. Em Março deste mesmo ano o parlamento da Crimeia aprova a decisão de "entrar para a Federação Russa, com os direitos de uma entidade da Federação Russa", tendo um posterior referendo aprovado esta decisão. Imediatamente uma agitação popular começou nas regiões leste e sul do país - Donetsk e Lugansk – com milícias locais (supostamente armadas e integradas por tropas russas) a provocarem um verdadeiro estado de guerra. E assim se encontra a Ucrânia, um país com uma superfície de 603.628 Km2 (o maior país totalmente no continente europeu) e uma população estimada de 44.573.205 habitantes, dos quais 77,8% são ucranianos étnicos, e os restantes minorias de russos (17%), bielorrussos e romenos, um país que já foi considerado o “celeiro da Europa”, quando em 2011 foi o terceiro maior exportador de grãos do mundo.


«António Alves» no Facebook >> A Ucrânia actual é uma invenção soviética. Na alta idade média o Rus de Kiev deu origem à grande Rússia. Foi lá que foi escrito o Russkaya Pravda, o primeiro código civil eslavo. Se os americanos e europeus soubessem isso não teriam arranjado o problema que aí está.

«David Ribeiro» no Facebook >> {#emotions_dlg.star} As últimas notícias (by Sabra Ayres / Al Jazeera, 30Ago2014) dizem-nos que em Donetsk cerca de 36 pessoas morrem por dia vítimas dos confrontos entre separatistas rebeldes e soldados ucranianos. Com a NATO e o Governo de Kiev a afirmarem estarem as tropas russas a lutar ao lado dos separatistas pró-Rússia, dizem residentes da zona que “não haverá fim para este conflito até que a Rússia e a América não matem todos nós”. Nos dias de hoje o som de fogo de artilharia pesada pode ser ouvido dia e noite e a cidade (milhão e meio de habitantes) está transformada num estado policial, em que a principal tarefa é tentar sobreviver, principalmente para aqueles que não têm dinheiro ou capacidade para abandonar a região. Estima-se que um total de 2.600 pessoas foram mortas e mais de 300 mil fugiram dos combates desde o passado mês de Abril.

«João Pedro Baltazar Lázaro» no Facebook >> Paz às suas almas... e às das pessoas que lá conheço, cujo destino ignoro, e a quem eu nunca quis mal nenhum.

«Joaquim Leal» no Facebook >> O que é que os russos andam lá a fazer?

«João Pedro Baltazar Lázaro» no Facebook >> MERDA.

«Pedro Baptista» no Facebook >> Morrem? São mortos pelos fascistas de Kiev que não querem reconhecer o direito dos povos a disporem de si próprios e não aceitam o direito à independência que eles próprio usufruíram quando se separaram da Rússia...

«Diamantino Hugo Pedro» no Facebook >> O Pedro Batista também deve apoiar o direito à criação do Estado Africano na Cova da Moura ....Se os Russófonos da Ucrânia não querem ser Ucranianos que vão para a Russia que há lá muito espaço !

« Pedro Baltazar Lázaro» no Facebook >> A sério que não quero envolver-me noutra discussão sobre política. (Lá disse o palavrão outra vez.) Não tenho nem tempo nem energia. Perdi-os todos a desesperar pelos meus amigos ucranianos, tanto pró-russos como pró-Kiev. Entretanto deixo aqui este link para irem todos pensando na situação de outra perspectiva: e se eu disser que os verdadeiros fascistas são o governo do Putin e todos os seus apoiantes? Fourteen Defining Characteristics Of Fascism

«Joaquim Leal» no Facebook >> Realmente apelidar de "fascistas" quem apenas defende o seu território perante uma invasão ao velho estilo soviético criminoso liderada por um mentecapto corrupto...

«Fatima Sousa» no Facebook >> é uma noticia triste

«João Pedro Baltazar Lázaro» no Facebook >> Alguém me explique isto: se a Rússia é um país assim tão fixe e justo, então porque é que há tanta gente DESESPERADA para sair de lá?

«Diamantino Hugo Pedro» no Facebook >> Tenho que reconhecer que o Putin é um gajo que gere as simpatias exteriores de forma suberba. A besta consegue, em poucos meses, passar do fascista que perseguia homossexuais e bandas de Rock para o agora salvador do mundo do maléfico fascismo.É uma comédia...

«Joaquim Leal» no Facebook >> Carrega Diamantino

«Pedro Felgar Couteiro» no Facebook >> As simpatias ao Putin-que-os-pariu diz tanto sobre a decadência de Ocidente... E sempre Hamas merda para apoiarem, ó emprenhadores pelos ouvidos que tudo esquecem e nada relacionam!




Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Outubro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9



25
26
27
28
29
30

31


Posts recentes

As últimas notícias sobre...

Os dias seguintes no Afeg...

O Afeganistão pelos olhos...

Os Talibã chegaram a Cabu...

Situação dramática no Afe...

Captura de Zaranj pelos r...

Israel e Palestina novame...

Continuam os bombardeamen...

A guerra na Ucrânia está ...

A crise da Ucrânia

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus