"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Sexta-feira, 10 de Agosto de 2018
Socorro a animais no incêndio de Monchique

A associação IRA (Intervenção Resgate Animal) tem vindo a espalhar nas redes sociais o texto que abaixo transcrevo, mas a verdade não é esta, mas sim a que o médico veterinário Nuno Paixão nos diz. Já agora: A imagem não é de Monchique mas sim de uma lixeira a céu aberto numa favela brasileira.

 

   IRA (Intervenção Resgate Animal)

FB_IMG_15340083122175176.jpg

**VERGONHA NACIONAL EM MONCHIQUE**
(FOTO ILUISTRATIVA)
(Noticia VERDADEIRA e relatada por amigos meus que estão no terreno! Nos arrancamos de Viana do Castelo este fim de semana para Monchique).
ANIMAIS PRIVADOS DE RESGATE SÃO DEIXADOS PARA MORRER E NÃO POR FALTA DE RECURSOS
"Um enorme grupo de associações, particulares e médicos veterinários voluntários montaram uma mega operação de intervenção e resgate de animais vítimas de incêndio para a qual tinham as devidas autorizações.
Montaram as tendas e iniciaram o trabalho que depressa deu frutos pois resgataram dezenas de animais entre os quais burros, ovelhas, galinhas, gatos e cães em articulação com as restantes entidades envolvidas.
Tudo corria bem até ao momento em que a segunda comandante operacional nacional da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) Patrícia Gaspar, recusa toda e qualquer ajuda veterinária na zona, e inclusive deu ordens para desmontar a tenda de apoio veterinário.
Qual não é o nosso espanto quando voluntários da Guarda chegam à Vila de Monchique e se deparam com um centro de operações onde impera a confusão. A Protecção Civil foi peremptória e diz que os animais não são prioridade e não passa ninguém. As poucas e reduzidas equipas que se encontram no terreno a resgatar animais fizeram-no sem autorização da Protecção Civil.
O mais caricato e que revela bem as prioridades neste país à beira mar plantado é o facto de o Veterinário Municipal andar no terreno a enterrar cadáveres de animais. Os vivos já nos deixaram claro que não são prioridade.
No centro de operações amontoam-se donativos. Não se permite sequer levar água e alimento aos animais da área afectada quanto mais resgatá-los.
No centro de operações existem alguns cães trazidos pelos donos ou que conseguiram chegar sozinhos ao Centro.
Os cães trazidos pelos donos ficaram no centro de operações porque evacuaram os donos de autocarro e não os permitiram fazer-se acompanhar do seu cão... pior do que isso foi nem sequer terem ficado com os dados dos detentores para que depois se lhes possa fazer chegar o animal. Tantos locais se ofereceram para acolher os animais e ninguém tem o cuidado de identificar os detentores. Os animais são duplas vítimas deste tipo de calamidade. Vitimas do incêndio e vítimas da indiferença!
Achámos que íamos encontrar equipas apoiadas para abeberamento, alimentação e resgate dos animais vítimas de incêndio. Afinal são voluntários preparados para ajudar.
Há veterinários de todo o país interessados em participar em intervenção e resgate animal em caso de incêndio mas para o Estado eles não são uma prioridade.
Sabemos que Joao Ferreira está no terreno e que um veterinário está a tratar de burocracias que lhe permitam entrar em propriedade privada para o resgate de alguns animais pois neste momento só podem resgatar os que conseguirem chegar até eles 😞
A equipa IRA - Intervenção e Resgate Animal está a organizar-se para seguir para o terreno para fazerem aquilo a que se propõem há muitos anos e não aceitam um não como resposta.
E nós também não! Afinal somos portugueses e os animais são nossos! Vamos apoiar o IRA e fazer chegar-lhes todos os donativos que fazem falta no terreno. Entre na página e informe-se acerca dos pormenores."

 

   Médico veterinário Nuno Paixão / ANAFS (Associação Nacional dos Alistados das Formações Sanitárias)

FB_IMG_15340068299341762.jpg

ESCLARECIMENTO IMPORTANTE:
Corre nas redes sociais, uma informação de que a nossa 2.ª Comandante Operacional Nacional, da ANPC, Patrícia Gaspar. foi contraria e antagonista ao salvamento de animais. É MENTIRA, É MENTIRA!!!!
Se houve antagonismo ou repressão de alguns grupos de voluntário, de CERTEZA que não foram de Patrícia Gaspar. Pessoa competente, capaz, eficaz, comunicadora nata e dotada de uma grande sensibilidade humana e sensibilidade para com os animais e seu sofrimento.
A colaboração com a ANAFS, em concreto, foi maravilhosa e sempre cooperante. Houve uma altura que realmente, devido ao afluxo de grande numero de voluntários, foi necessário, por questões organizacionais e de segurança, impor algumas regras, normas e protocolos mas em momento algum o socorro a animais foi proibido.
A ANAFS nunca foi bloqueada, teve acesso a todas as áreas, cumprindo normas de segurança, com cooperação, colaboração e integração nos sistemas que actuavam no momento e no local.
Como em todas as situações desta natureza, há muito a melhorar, óbvio que sim, mas do ponto de vista de socorro animal, esta operação, foi a que maior apoio institucional tivemos. A cooperação, articulação, integração e inter ajuda, entre ANAFS, Sistemas de Protecção Civil e Médica Veteinária Municipal de Monchique, Dra. Ana Silva, foi EXCELENTE.
Espero que este post, seja tão partilhado ou mais do que o post injusto, difamatório e mesmo prejudicial para uma medicina veterinária de catástrofe séria, competente e eficaz que tanto lutamos desde 2007.
Se houve bloqueios aos grupos de voluntários, não digo que não possam ter havido, não foram da responsabilidade da nossa Comandante Operacional Adjunta, Patricia Gaspar, de quem só podemos afirmar que tivemos apoio, compreensão e ajuda institucional.
Obrigado a todos por tudo



Publicado por Tovi às 17:41
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 27 de Janeiro de 2017
Eu sou do Moreirense desde pequenino


Moreirense 3 - 1 Benfica Taça da Liga 27Jan2017.j

  Comentários no Facebook

«Fernando Moreira» - 6 milhões de “mouros” vão hoje aos CTT levantar todo o dinheiro da “Conta Zero CTT”. É que agora o que rende é a “Conta 3-1 CTT” só disponível… em Moreira de Cónegos!

«Victor Costa» - ò David estes Três golos também não seriam inválidos como com o Boavista. Agora já falam dos Arbítros

«David Ribeiro» -
Moreirense 3 - 1 Benfica Taça da Liga 27Jan2017 a

 

O Moreirense venceu a Taça da Liga (Taça CTT) ao derotar no domingo, 29Jan2017, o Sporting de Braga por uma bola a zero, num jogo emocionante que teve lugar no Estádio do Algarve.



Publicado por Tovi às 08:19
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 24 de Setembro de 2012
Incêndio no Retail Park de Portimão

Um acidente desta dimensão não acontece por um só motivo, mas sim pelo somatório de vários incidentes. Esperemos para ver o resultado dos eventuais inquéritos que se irão fazer, pois até me parece impossível que uma estrutura comercial como o Retail Park de Portimão (lojas Decathlon, Aki, Staples, Rádio Popular, DeBorla, Moviflor e Continente) não tenha um simples sistema de sprinklers automático que minimizasse os efeitos do fogo até à chegada dos bombeiros.

{#emotions_dlg.meeting} [Público - 23Set] - O incêndio que deflagrou na madrugada de domingo em Portimão destruiu todas as grandes superfícies do Retail Park daquela cidade. Câmara, sindicato e associação de empresários temem pelo futuro de mais de 300 postos de trabalho. Apenas a zona da restauração, uma oficina de reparação automóvel e uma estação de abastecimento de combustível ficaram intactas. “Tudo o resto foi totalmente destruído”, disse fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS), referindo-se às lojas Decathlon, Aki, Staples, Rádio Popular, DeBorla, Moviflor e Continente. O incêndio deflagrou às 2h36 e estava esta tarde em fase de rescaldo. Para o local foram mobilizados centenas de operacionais (mais de 60 veículos) e elementos da GNR, PSP, Polícia Judiciária e INEM.


«Zé Zen» in Facebook >> "A culpa é do Socrates"

«Fernando Duarte» in Facebook >> não, isto foi coisa do Salazar. ò David, o que é um "sprinkler"? é que eu não vou là com esta cena do "acordo brazuca", não tarda temos de voltar à primeira classe aprender a falar lusobrazuquês

«David Ribeiro» in Facebook >> Pois é, Fernando Duarte... Estudasses!... ;-)

«Zé Zen» in Facebook >> Ter tinha mas, tiraram as "bolhas" de vidro para jogarem ao berlinde. Penso eu de que...

«Diogo Qental» in Facebook >> é mesmo muito estranho...

«Maria Vilar de Almeida» in Facebook >> Antes de continuar... oh Davidzinho, o que é 1 sprinkler?

«Joaquim Leal» in Facebook >> Explica lá David que tens aqui malta inculta eh eh eh

«Maria Vilar de Almeida» in Facebook >> Como sei que não me vais satisfazer a curiosidade - é que não se pode saber tudo! ;-) - vou continuar... o tio Belmiro, o teu patrão, como lhe chamas, joga pelo seguro e mantém todos os colaboradores que se safaram ao churrasco... ai não, o que ardeu foi o cc não foi o Face! KKKKKKKKKKKKKKKK...

«David Ribeiro» in Facbook >> Estudassem!... ;-)

«Joaquim Leal» in Facebook >> Sprinkler = the entire systems of pipes and sprinklers intended for fire suppression within buildings. Em português é assim a modos de chuveiros :)

«Maria Vilar de Almeida» in Facbook >> Mas eu vou fazer de acessora do Davidzinho e passo a  "experlicar" - se se referem a Fire sprinkler system, significa the entire systems of pipes and sprinklers intended for fire suppression within buildings. Mas se se referem a fire sprinkler, a device for fire suppression within buildings. Como só disseram sprinkler... pouf! Tinhas de me passar à frente, Jokas! :-(  Sempre a acelerar no teclado! Isso é que deve ser "treinar nas horas de serviço"! KKKKKKKK...

«Joaquim Leal» in Facbook >> Google... resolve minha cara!

«Zé Carlos» in Facebook >> Não tinham "chuveiros"... LOL... Os algarvios continuam imbatíveis com um pé no 3º mundo!

«Joaquim Leal» in Facebook >> Zé Carlos, o que é que os algarvios têm a ver com o assunto. Aposto que quem construíu aquilo até pode ter sido uma empresa do norte.

«Maria Vilar de Almeida» in Facebook >> Se calhar por isso é que o DiDi está tão caladinho! rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs...

«Zé Carlos» in Facebook >> Fecha-se os olhos a muita coisa no Algarve... mas fico-me por aqui. A falha é imperdoável!

«Joaquim Leal» in Facebook >> Em termos de fiscalização, aí estou de acordo. A obra era "imensa" atraía muitos votos, vai daí, faça-se!

«Maria Vilar de Almeida» in Facebook >> Oh Jokas... até parece que estás a falar, ou melhor, monologar numa PM!

«Joaquim Leal» in Facebook >> Os portimonenses, convém realçar, têm uma das câmaras municipais mais endividadas do país e o "retail" teve um grande "empurrão" da autarquia, Agora compras?...Só na Guia eh eh eh

«David Ribeiro» in Facebook >> A Sonae não é proprietária deste Centro Comercial nem o construiu. É unicamente um "inquilino" com a gestão de um hipermercado.

«Fernando Duarte» in Facebook >> o que é um " retail"?

«David Ribeiro» in Facebook >> Outro que não estudou... ;-)

«Maria Vilar de Almeida» in Facebook >> Desta vez a assistente vai fazer 1 break! ;-)  Inté!

«Fernando Darte» in Facebook >> o break sei o que é, é uma carrinha de 5 lugares, porque com mais chama-se um monospace!

«David Ribeiro» in Facebook >> Afinal estudou... mas faltou à aula de "retail"... ;-)



Publicado por Tovi às 07:00
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 28 de Maio de 2012
GNR liberta idoso holandês acorrentado e com fome

(Desculpem lá a forma fria e dura como vou comentar esta notícia) {#emotions_dlg.sidemouth} Se houvesse um filho da puta que fizesse qualquer coisa deste tipo a um familiar meu, juro-vos que lhe pregava dois tiros nos cornos, nem que tivesse de passar o resto dos meus dias atrás de umas grades.

{#emotions_dlg.meeting} [JN - 25Mai2012] - Um holandês de 72 anos foi encontrado na quarta-feira próximo de Castro Marim, Algarve, acorrentado, debilitado e com sinais de inanição, revelou esta sexta-feira fonte da GNR, que deteve um casal suspeito do sequestro. O idoso foi encontrado por uma patrulha da GNR no sítio de Vista Real, concelho de Castro Marim, numa casa com gradeamentos em todas as janelas e acorrentado a uma cama. Apesar de muito debilitado, o idoso informou as autoridades que os sequestradores - uma alemã de 63 anos e um italiano de 55 - lhe davam comida uma vez por dia e água três vezes e que a situação durava há mais de um ano. (...) Por trás do alegado sequestro estará a tentativa de usurpação dos bens do idoso, nomeadamente vários apartamentos, e de várias dezenas de milhar de euros em sua posse, bem como da sua reforma, em valor superior a 2.500 euros mensais.


«João Baptista Vasconcelos Gimarães» in Facebook >> Estamos mais perto dos australopitecos do que de jesus Cristo.

«Teresa Canavarro» in Facebook >> O Homem não mudou pois não? E que tristeza é perceber!

«Marina Rodrigues» in Facebook >> Sem palavras... e que imagem fica do nosso (outrora) maravilhoso país... estamos mesmo na selva! Para alcatrão há dinheiro mas para a polícia e tribunais não. O excelente casal estará já a esta hora com apresentações semanais na esquadra para poder continuar a ganhar a vida.



Publicado por Tovi às 07:12
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 7 de Novembro de 2011
Cavaco questiona portagens nas SCUT

Alto lá!... O que é que se passa com o nosso Presidente da Repúbica?... Então só agora é que tem dúvidas sobre a introdução de portagens nas SCUT?... Ou será que assinou de cruz quando foi da implementação deste aberrante sistema no Norte Litoral?... Querem ver que há algum lobby algarvio metido nisto?

{#emotions_dlg.meeting} [Expresso] - O Presidente da República, Cavaco Silva pediu esclarecimentos ao Governo sobre diploma que visa introduzir portagens nas  SCUT - "O projeto de diploma em causa deu entrada na Presidência da  República no dia 20 de outubro. A Casa Civil procedeu, de imediato, à sua  análise jurídica e económica. Ontem, dia 2 de novembro, foram solicitados ao  Governo esclarecimentos sobre o diploma, aguardando-se a resposta. Nos termos constitucionais, o Presidente da República dispõe de  40 dias para a decisão de promulgação", lê-se num comunicado divulgado hoje por  Belém na sua página na Internet.


«Paulino Coelho» in Facebook >> David Ribeiro: a coisa é + grave é a portagens na Via do Infante que vai complicar a vida aos amigos, pois ele não paga...!!!

«David Ribeiro» in Facebook >> Meu caro amigo Paulino... Sabe o que lhe digo?... Quem não conhecer o Anibal de Boliqueime que o compre. Cá para mim nem dado.

«Aa Alyia» in Facebook >> comprar David? dado?? poxa kredoooo deus me livre

«Mário Jerónimo» in Facebook >> Se o homem assinasse ...era por que não devia ter assinado. Se pede esclarecimentos... enfim... lá está o desporto favorito de alguns poucos portugueses... TIRO AO CAVACO. Já se devem ter esquecido que o Algarve foi a ultima região do país a ser contemplada com uma via rápida do genero que vai de Lagos a VRSto António???? e por acaso sabem que essa via foi construida no tempo do sr. Gueterres aquando da Expo98 subsidiada pela UE??? por via/força desse evento? Sabem que a A22 que vem de Lisboa ao Algarve só foi finalizada no tempo do sr Gueterres??? Infelizmente para nós Algarvios só fomos contemplados com esse "luxos" depois de todo o país estar servido, e não foi no tempo do Cavaco? Queixem-se ao Estudante de Filosofia. Ah... mas agora ele já não está cá pois não???? Ou será que está? (a telefonar aos amigos).

«Zé Zen» in Facebook >> Praticar tiro ao bolo rei, é desporto são e de utilidade publica.



Publicado por Tovi às 21:51
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 9 de Maio de 2010
Quinta dos Vales

A Quinta dos Vales é um verdadeiro exemplo da perfeita simbiose entre o Vinho, a Arte e a Natureza. Nestes 50 ha localizados perto de Estômbar, concelho de Lagoa, no Algarve, não só podemos provar os maravilhosos “Selectas Branco, Tinto e Rosé”, mas também maravilhar-nos com as perto de 80 esculturas, a maioria das quais feitas em mármore de Estremoz, e umas outras, de grandes dimensões, feitas em fibra de vidro e resina de poliéster. Há ainda para ver um rebanho de veados em estado selvagem, cavalos, gansos, cabras e ovelhas algarvias, porcos vietnamitas, lamas e cangurus, todos eles num ambiente próprio e adaptado ao bem-estar destes animais. Até há por lá uma “piscina” onde tomam banho uns enormes e belos porcos que dizem serem o resultado do cruzamento de Porco Preto Alentejano com Javali Selvagem. Sem dúvida que a Quinta dos Vales é um maravilhoso local para se passar uns dias de férias de qualidade num ambiente natural. Além da “Casa da Quinta” temos ainda ao nosso dispor quatro unidades de casas com dois quartos cada, uma outra casa com quatro quartos e ainda um campo de ténis, piscina e sauna privada. Já agora: Muito bela a escultura de arenito, do início do século XVII, que representa o deus Baco e que se encontra à entrada das Salas de Prova.



Publicado por Tovi às 18:00
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 12 de Março de 2010
Orçamento do Estado para 2010 #2

 É assim mesmo… Quem não se sente não é filho de boa gente.

 [jn.sapo.pt] - Dois deputados do PSD eleitos pelo círculo de Faro recusaram-se hoje, sexta-feira, a votar proposta de Orçamento do Estado (OE), abandonando o plenário em protesto contra a "seca de investimento público" na região do Algarve.


«Joaquim Leal» in Facebook ► lol... quem se mete com o Bota, leva! ;)



Publicado por Tovi às 22:11
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 1 de Março de 2009
Alambique tradicional do Algarve

Aquecimento com lume directo, arrefecimento do destilado através de tubo de cobre mergulhado em água fria corrente, contida em recipiente de madeira e recolha do destilado em cântaro de barro. (Crédito da foto: Blog "Via Algarviana")

Um alambique típico do Algarve é composto de caldeira (ou cucúrbita), cabeça (ou capitel), serpentina e um recipiente onde circula a água que vai refrigerar o sistema.

O combustível mais usado para aquecer a caldeira é a lenha de Azinho.

A cabeça é feita em aço inox e a caldeira em cobre, sendo vulgar encontrarmos um filtro entre estes dois componentes, de carbonato de cálcio se pretendemos atenuar a acidez, ou de carvão natural activado se há aromas a retirar ao destilado.

O sistema de refrigeração pode ser um tubo rectilíneo (sistema usado em Monchique) ou uma serpentina (em uso na serra do Caldeirão), sendo o primeiro sistema óptimo para se efectuar a limpeza (e consequentemente obter aguardentes com menos teor em cobre) e a outra solução a que nos dá a refrigeração mais eficaz e com menor perda de aromas.

Dizem os entendidos que uma forma de tornar mais agradáveis as aguardentes de frutos é adicionar ao fermentado substâncias aromatizantes (bagas de zimbro maduras, casca de laranja, funcho e erva-doce) conseguindo-se assim ocultar defeitos de produção.

Na segunda metade do século XX vulgarizou-se no Algarve o alambique de dupla coluna (sistema de arraste de vapor – entra por uma das colunas que contém massa acabada de destilar e depois passa à massa da outra coluna) permitindo assim não só um processamento mais rápido mas também a destilação de mais do dobro do volume de um alambique tradicional.

Durante a recolha do destilado temos inicialmente a “cabeça” (a rejeitar por conter excesso de composto indesejados), depois o “coração” (a fracção bebível da aguardente, ou seja, 75 a 80% do destilado) e finalmente a “cauda” ou “frouxo” que normalmente se utiliza para adicionar à destilação seguinte.




Sábado, 28 de Fevereiro de 2009
Aguardente de figo

Ora muito bem!... Eu tinha-vos prometido mais uns dados sobre técnicas de fabrico de aguardente de figo e como o prometido é devido, aqui vai:

Ludovina Rodrigues Galego (licenciada em Física e Mestre em Tecnologia Alimentar pela Universidade Nova de Lisboa) e Valentim Ribeiro de Almeida (doutorado em Química pela Universidade Nova de Lisboa) no livro Aguardentes de frutos e licores do Algarve (Edições Colibri, Lisboa 2007) dão-nos a conhecer um conjunto de operações para a produção de aguardentes de frutos e eu vou aqui tentar sintetizar estas técnicas para o caso específico da aguardente de figo.

I) Apanha dos frutos – Os figos são colhidos entre Agosto e Setembro, colocados em esteiras de cana para secagem e posteriormente escolhidos, indo os de menos valor comercial para a destilação.

II) Fermentação – A fermentação do figo é feita adicionando-se ao fruto uma baixa quantidade de água. Também é usual fazerem-se correcções do pH com ácido sulfúrico (baixar o pH para o valor 3) e adição de um fermento (p.ex.: levedura de padeiro), conseguindo-se assim não só uma diminuição de 15 para 8 dias no tempo em que decorrerá a fermentação, mas também evitando-se o desenvolvimento de bactérias responsáveis pela acidificação dos mostos.

III) Destilação – A massa fermentada segue para o alambique onde vai ocorrer a destilação. (Nos próximos dias teremos neste meu blog a descrição das diferentes partes que compõem um alambique e o seu funcionamento).

IV) Envelhecimento – É no contacto com a madeira (de castanheiro ou de carvalho) que aparecem nos destilados os tão desejados aromas terciários (ou “bouquet”), sendo no entanto necessário um controlo correcto de todos os fenómenos que ocorrem durante o envelhecimento (oxigenação, evaporação, transferência de substâncias da madeira para o destilado, formação de novos compostos ou ainda uma eventual reacção de todos os compostos).




Domingo, 22 de Fevereiro de 2009
Aguardentes de figo e alfarroba nos dias de hoje

Em todo o século XIX e na primeira metade do século XX continuaram a surgir várias fábricas de aguardentes em Loulé, Silves, Monchique, S. Brás de Alportel e Tavira, mas nunca foram muito rentáveis e acabavam por fechar.

Por volta de 1950 Salazar cria os famosos “Planos de Fomento” e surgem as primeiras aguardentes de medronho engarrafadas com marca: Valverde, Sanchez e Abilal, entre outras. As mais importantes empresas destiladoras da época foram: Destiladora de Algoz, pertencente ao grupo “Bensaúde” e que processava 200.000 arrobas de figo/ano; e a Cooperativa Agrícola de Santa Catarina da Fonte do Bispo que iniciou a laboração em 1949 com três alambiques de colunas comprados a fabricantes de Torres Novas.

Com a revolução de 25 de Abril de 1974 o sistema produtivo e comercial altera-se profundamente e apesar de várias tentativas para se criar um forte associação de produtores que liderassem a criação de uma Denominação de Origem Protegida (DOP) ou uma Indicação Geográfica Protegida (IGP), todos os projectos fracassam e as dificuldades no sector são enormes. Continuam no entanto em laboração algumas fábricas como a "Baga-Mel", a "Regionalarte" de S. Marcos da Serra, "Guia e Pires" de Alte e D. Carminda de S. Barnabé.



Publicado por Tovi às 07:43
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 21 de Fevereiro de 2009
Aguardentes de figo e de alfarroba no século XVIII

Vou agora falar-vos das técnicas de produção de aguardentes de figo e de alfarroba no século XVIII.

Consultando os estudos realizados em finais do século XVIII por Lacerda Lobo (transmontano natural de Murça) poderemos dizer que a aguardente de figo era feita da seguinte forma: Lançavam-se os frutos num balseiro e sobre eles água a ferver até ficarem cobertos, ficando de infusão dois ou três dias; Depois tiram-se e retalham-se, fazendo seguidamente nova infusão durante 24 ou 36 horas; São depois novamente retirados e espremidos, sendo o líquido resultante da pressão e das duas infusões envasilhado numa pipa; Por volta do quarto ou quinto dia de fermentação vinhosa começam a destilação do líquido. Mas havia também quem pisasse os figos com os pés e praticasse uma única infusão durante oito dias, sendo posteriormente o líquido destilado.

Para o fabrico de aguardente de alfarroba o processo era o seguinte: Pisavam muito bem os cotilédones das alfarrobas; Depois era lançada toda a massa deles numa tina de madeira e juntamente a quantidade de água quente necessária para ficar toda coberta; Seguia-se uma fermentação vinhosa e logo que esta acabava fazia-se a destilação do líquido.

 

«Rafael de Zafra» / AzulJasmim.info ► En España, y en concreto en el sur se hacia un aguardiente de algarrobas, que se usó mucho en la post guerra civil y era similar a este. Popularmente se le llamaba aguardiente de pobre o aguardiente rubio.

«Tovi» / AzulJasmim.info ► A alfarroba (do hebraico antigo al charuv)  é o fruto da alfarrobeira (Ceratonia siliqua).

 

«Carvalho» / Nova Crítica-vinho ► Caro Tovi, Vamos experimentar fazer aguardente de figo e depois mandamos o resultado, esperamos que seja bom, pelo menos para aquecer o corpo. Abraços

«Tovi» / NovaCrítica-vinho ► É pá!... Isso é que vai ser um desafio interessante. Considero-me desde já convidado para a primeira prova dessa aguardente de figo... Eu tenho mais uns dados sobre o fabrico de aguardente de figo. Se necessitar, é só pedir.




Sexta-feira, 20 de Fevereiro de 2009
Fábrica Neto & Fialho em Faro

Continuando a falar de fábricas de aguardente no Algarve (post de 17Fev2009)...

E passado meio século sobre o fim da fábrica das Fontes é criada em Faro a firma Neto & Fialho que inicia a construção de uma grande fábrica de destilação de alfarroba e figo, muito moderna para a época, pois já dispunha de um motor de cinco cavalos e um gerador de vinte e cinco. Em 1881 destilava diariamente 15 toneladas de frutos secos e manteve-se em laboração durante vinte anos.

Consultando os mapas de impostos da época para a produção de álcool e aguardente verifica-se a existência de outras fábricas na zona da capital algarvia, como a Castello de Faro (1893/94 e 1894/95), a Vali & Cª (1893/94) e a Portimão (1894/95).



Publicado por Tovi às 18:19
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 17 de Fevereiro de 2009
Fábrica do Sítio das Fontes

Está profusamente documentado que nos festejos medievais os algarvios bebiam licores (poejo, amoras e murta) e também aguardente de medronho e de figo. No ano de 1577, frei João de S. José, num trabalho sobre procedimentos de reprodução e adubagem dos figueirais, chamava-lhes “principais fazendas do Algarve”, o que demonstra a importância do figo na região.

Em 1750 foi fundada por um homem de negócios da praça de Lisboa, de nacionalidade suíça e de seu nome Izaac Correyoles, a Fábrica do Sítio das Fontes, a primeira fábrica industrial de aguardente estabelecida no país, localizada na margem esquerda do rio Arade, perto da Vila de Estombar, do concelho de Lagoa e que “constava de três grandes caldeiras que levavam mais de seis pipas, três bons armazéns com um lagar de vinho de duas varas, casas de acomodações com um engenho de tirar água”. O processo de fabrico tinha como base o “fazer os figos em pedaços, deita-los em dornas com água suficiente para fermentarem, espremia-os depois numa prensa acabada a fermentação e passava o líquido à caldeira da qual saia destilada aguardente de excelente qualidade em cor, cheiro, sabor substância e clarificação”. Mas passados somente dez anos a falta de qualidade exigida pelos mercados externos ditaram o fim da fábrica, acabando por ser penhorada por dívidas e posteriormente desmantelada.



Publicado por Tovi às 19:10
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 15 de Fevereiro de 2009
O alambique, uma herança dos árabes no Algarve

«DinisGoncalves» / NovaCrítica-vinho ► (...) depois são consideradas como outras aguardentes (medronho, figo,...), e ai o seu processo sinceramente já não sei bem como ocorre.

Eu sei alguma coisa disto… Dêem-me um tempinho para preparar um texto (ou dois, ou três...) baseado no que aprendi com Ludovina Rodrigues Galego e Valentim Ribeiro de Almeida no livro "Aguardentes de frutos e licores do Algarve - História, técnicas de produção e legislação" e ficarão a saber que durante os anos em que os árabes estiveram no Algarve, foram-nos trasmitidos muitos conhecimentos, não só no domínio da agricultura como também nas tecnologias.

 Alambique em cobre

Um dos engenhos que os árabes nos deixaram é o alambique (al ambiq) e cuja invenção é atribuída a Geber (Jabir Ibn Hayyan, 721-815). Há vestígios da utilização do alambique na zona de Silves desde o século X, quando a arte de destilar na Europa só se verificou no século XIII.



Publicado por Tovi às 09:45
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 12 de Abril de 2008
Vinhos do Algarve

«Novato» / ViriatoWeb por que às vezes os links não funcionam, deixo aqui o texto correspondente.

10 Abril 2008 - 00.30h
Quintas do Algarve
In vino veritas
Temos a excelência entre nós. Não damos conta. Há quem não goste. Prefere bajoujar a sua própria mediania. Não se peça desculpa pelo sucesso estrondoso obtido pela Adega de Lagoa no Wine Master Challenge 2008, no Estoril.
Na competição mundial, com mais de três mil vinhos apreciados em prova cega por especialistas de renome, Lagoa obteve a Medalha de Ouro com o Colheita Seleccionada, 2004, Tinto, a de Prata com o Salira Syrah, 2005 e a de Vinho Recomendado: Selecção dos Sócios 60 Anos, 2006, Tinto. É obra! E o êxito tem rosto, nariz, boca, mãos, sensibilidade e conhecimento apurados. Manuel Romão. Profundo conhecedor de vinhos, sabe fazê-los, apreciá-los, divulgá-los. Engenheiro agrónomo, investiu uma vida nos vinhos e na Adega. Nem sempre com o reconhecimento devido. Poucos, no País, têm a sua arte. A modéstia afasta-o dos holofotes. E quem devia não quer beneficiar da sua sabedoria.
Gosto de vinho. Entre a moderação devida e a imoderação sonhada. Não me compete promovê-lo. Mas in vino veritas. Vejo mal o casamento de inconveniência, benzido pelo ministro da Agricultura, entre a comatosa Adega de Lagos, que nem instalações tem, e a viva Adega de Lagoa, que produz qualidade. Enterrar a história desta, uma das mais antigas do País, a troco do mirífico elefante branco Adega do Algarve, é injusto. É mais fácil não resistir a milhões prometidos, de mão beijada, do que esfarrapar-se a promover no exterior, a excelência do que se tem em mãos e que, agora, se quer pisar com os pés…
José Alberto Quaresma, Escritor
Pois é!... Mas será que o Algarve ainda é chão que dá uvas?... Dizem que está a renascer, lentamente mas a renascer… Eu cá espero para ver o resultado de alguns (poucos) projectos que me dizem estarem a ser feitos na região. É que nos últimos anos pouco mais se ouve falar do que da Adega Cooperativa de Lagoa, do Monte da Casteleja (Guillaume Leroux) e da Quinta do Morgado da Torre.


Publicado por Tovi às 19:03
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9


26
27
28
29

30


Posts recentes

Socorro a animais no incê...

Eu sou do Moreirense desd...

Incêndio no Retail Park d...

GNR liberta idoso holandê...

Cavaco questiona portagen...

Quinta dos Vales

Orçamento do Estado para ...

Alambique tradicional do ...

Aguardente de figo

Aguardentes de figo e alf...

Aguardentes de figo e de ...

Fábrica Neto & Fialho em ...

Fábrica do Sítio das Font...

O alambique, uma herança ...

Vinhos do Algarve

Cães Potencialmente Perig...

Melosa, um licor de mel

Aguardente de figo e de m...

Aguardente de figo e de m...

ASAE vs Tradicional

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus