"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Quinta-feira, 26 de Maio de 2022
Três meses de guerra na Ucrânia... o que vem a seguir?

Ucrânia quem controla o quê 26mai2022 dia 92.jpg

Já se passaram três meses desde que as tropas de Putin invadiram a Ucrânia e tudo aquilo que parecia ir acontecer logo a seguir àqueles últimos dias de fevereiro ainda está para acontecer. Os combates estão agora a intensificarem-se na região de Donbas, no leste da Ucrânia, com as tropas russas a pressionarem o seu avanço em Severodonetsk, onde autoridades locais acusam os russos de estarem a usar táticas de “terra arrasada”. O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky tem afirmado que até 100 soldados ucranianos podem estar morrendo diariamente nos combates e na semana passada a Rússia capturou oficialmente a cidade portuária de Mariupol depois de mais de 1.500 soldados ucranianos se terem rendido na siderúrgica Azovstal. Ao controlar Mariupol, a Rússia criou uma ponte terrestre para a Crimeia, território que anexou da Ucrânia em 2014. Agora o Kremlin controla toda a costa norte do Mar de Azov, pois Mariupol era um importante local de exportação de aço e grãos ucranianos. 
Por outro lado e não menos importante, à medida que a guerra avança, as condições humanitárias em toda a Ucrânia continuam a deteriorar-se, especialmente no sul e no leste, onde há interrupções em larga escala no fornecimento de eletricidade, gás e água. A Organização Mundial da Saúde já alertou para um potencial surto de doenças, incluindo a cólera. Estima-se que mais de 6 milhões de refugiados tenham fugido para países vizinhos e mais de 7 milhões estejam deslocados internamente.
Ucrânia refugiados.jpg

 

 


Captura de ecrã 2022-05-25 142521.jpg
Foi assim que tudo começou... como vai acabar ainda não sabemos, mas nada será como dantes.

 

  Sondagem da Aximage para o JN, DN e TSF - Ver aqui
painel1-01.jpg



Publicado por Tovi às 08:12
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 23 de Abril de 2022
Desempenho dos políticos, do Governo à oposição

painel1-01.jpg
Se não estou em erro esta é a primeira sondagem [Aximage para JN, DN e TSF] sobre "o desempenho dos políticos, do Governo à oposição" conhecida após as Legislativas2022.

 

  JN 23abr2022Primeiro-ministro recupera fôlego na avaliação dos portugueses, neste arranque de legislatura, mas ainda está longe do apoio que conseguia há um ano. Presidente da República beneficia de admiração suplementar entre as mulheres para se manter no topo. Depois da tempestade política do ano velho, a bonança que chega a par da maioria absoluta do ano novo: o primeiro-ministro volta a ter saldo positivo (26 pontos) na avaliação dos portugueses, segundo o barómetro da Aximage para o JN, DN e TSF. O que não muda é a popularidade do presidente da República (mantém um saldo positivo de 46 pontos). Outra coisa que se manterá sem oscilações, aposta a maioria (47%), é o relacionamento de Marcelo e Costa. Os restantes dividem-se entre a previsão de que o ambiente entre os dois vai melhorar (23%) ou piorar (23%). Caso para atirar uma moeda ao ar.
Alguns dados interessantes 
67% - Dois terços dos inquiridos pedem a Marcelo que seja mais exigente com o Governo. Uma percentagem semelhante ao habitual, embora agora uns pontos mais abaixo do que nos últimos dois barómetros do ano passado.
47% - Há apenas um segmento em que vence a ideia de que o presidente não deve ser mais exigente com Costa: entre os socialistas (47%). Na verdade também entre os eleitores do Livre, mas estes têm um peso muito pequeno na amostra.
32% - Os portugueses mais otimistas quanto a uma evolução positiva da relação política entre Marcelo e Costa são os mais jovens (18/34 anos).
58% - Os que mais apostam na degradação do diálogo entre o presidente e o primeiro-ministro são os inquiridos que votam no Chega.
Marta Temido é a ministra mais popular e Fernando Medina o único que parte com um saldo negativo para a nova legislatura, de acordo com o barómetro da Aximage para o JN, DN e TSF. A titular da pasta da Saúde consegue, aliás, um resultado melhor do que o do Governo no seu conjunto, destacando-se, não só do seu colega das Finanças, mas também de Mariana Vieira da Silva (Presidência), Pedro Nuno Santos (Infraestruturas e Habitação) e José Luís Carneiro (Administração Interna).
Parlamento renovado, equilíbrio de forças alterado, mas a mesma conclusão de sempre: nota negativa para a Oposição, de acordo com o barómetro da Aximage para o JN, DN e TSF. Mas há uma novidade significativa: André Ventura é, nesta altura, quem tem mais "votos" como líder da Oposição ao Governo. O vazio de Poder no PSD ajuda a explicar a preponderância do líder do Chega. Rui Rio está de saída, mas ainda não tem substituto nos sociais-democratas. E ainda falta mais de um mês para que os militantes sejam chamados a fazer a sua escolha. Ventura vence em quase todos os segmentos geográficos, de género, de idade e de classe social. A única exceção é a região Norte, onde o mais apontado é Rio.

 

  Nada de surpreendente... ou não tivéssemos a oposição que temos
sondagem 24abr2022  bb.jpg
sondagem 24abr2022.jpg

 

  Comentários no Facebook
João CerqueiraSondagens, tem pouca fiabilidade nos números que apresentam, mas são um bom instrumento de propaganda. E barato.
David RibeiroPois a mim, João Cerqueira, os dados desta sondagem parecem-me muito razoáveis, tendo em conta a contínua "popularidade" do Presidente da República e a muito recente maioria absoluta de António Costa.



Publicado por Tovi às 09:53
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 22 de Abril de 2022
Rússia-Ucrânia... danos colaterais em Portugal e na UE

  Sondagem da Aximage publicada ontem no JN, DN e TSF
Portugueses sentem perda no poder de compra e estão mais pessimistas
image 0.png

image 2.png

image 3.png

 

  Em finais de março deste ano o Banco de Portugal via quatro canais de impacto da guerra na Ucrânia, agravados pelas sanções como resposta ao conflito liderado pela Rússia. O rendimento disponível das famílias vai descer, as empresas vão ter dificuldades em obter produtos (e podem mesmo ter de parar), o comércio entre países está limitado e, acima de tudo, há incerteza. Estes são os quatro canais de impacto da guerra que é travada na Ucrânia por parte da Rússia, intensificados pelas consequências das sanções económicas.

 

  A União Europeia está a pedir a europeus que conduzam menos, desliguem o ar condicionado e trabalhem de casa pelo menos três dias por semana para reduzir a dependência de petróleo e gás natural russo. De acordo com a Comissão Europeia, as medidas - que foram delineadas pela Agência Internacional de Energia - vão permitir a cada família poupar em média cerca de 500€ por ano. Se todos os cidadãos europeus aderirem aos nove pontos do plano "Playing My Part" (em português, "Fazer a Minha Parte"), será possível poupar petróleo suficiente para encher 120 super-tanques e gás natural para aquecer 20 milhões de casas. "Pessoas em toda a Europa ajudaram a Ucrânia, fazendo doações ou ajudando refugiados diretamente, e muitos gostariam de fazer mais. A maioria das famílias também está a enfrentar contas de energia mais altas por causa da crise energética exacerbada pela guerra. Usar menos energia não é apenas uma maneira imediata de os europeus reduzirem as suas contas, mas também ajuda a Ucrânia, reduzindo a necessidade de petróleo e gás russos, ajudando assim a reduzir os fluxos de receita que financiam a invasão", argumentam a UE e AIE em comunicado.


Francisco Bismarck - A internacionalização do petróleo está, como é óbvio, fora de questão.
David Ribeiro - Está cá a parecer-me que a malta do Golfo esfrega as mãos de contente.
Jorge De Freitas Monteiro - David Ribeiro, sim, e também os americanos com o gás

 

  Berlim irá enviar equipamento e armamento pesado para substituir o que países aliados entreguem, pelo seu lado, à Ucrânia. A Eslovénia deverá enviar para a Ucrânia - e depois receber da Alemanha - cerca de 40 carros de combate. A Alemanha está no meio de um debate febril sobre o que o Governo está a fazer para entregar armas à Ucrânia – com o chanceler a ser alvo de críticas dos partidos da sua coligação e de parte do seu partido. Uma notícia do diário de grande circulação Bild dizendo que o chanceler, Olaf Scholz, recebeu da indústria alemã de armas uma lista do que poderia ser entregues à Ucrânia e retirou dela o armamento pesado como tanques e obuses lançou mais achas para a fogueira. De seguida, no entanto, fontes governamentais citadas pela agência DPA diziam que o país está a preparar-se para enviar este armamento pesado a aliados da NATO para substituir material que estes enviem directamente à Ucrânia. A Alemanha evita assim o envio directo de armas pesadas à Ucrânia.

 

  O índice de preços no produtor na Alemanha registou um aumento histórico de 30,9% em março, um recorde desde 1949, quando este indicador começou a ser publicado, disse quarta-feira a agência de estatística alemã Destatis. O ponto mais alto do indicador reflete “as primeiras consequências da guerra na Ucrânia”, acrescentou a fonte. Em fevereiro, o aumento anual tinha sido de 25,9% e em janeiro de 25%.

 

  A Comissão Europeia propôs esta sexta-feira uma alteração ao orçamento da União Europeia (UE) para 2022 - reforço de 99,8 milhões de euros em autorizações e orçamento a ser aumento em 176 milhões de euros em pagamentos - para assegurar o apoio às pessoas que fogem da guerra da Ucrânia, causada pela invasão russa, visando principalmente ajudar os Estados-membros recetores. Tendo em conta as novas verbas comunitárias, bem como as possibilidades de reafectação, “o montante total do financiamento a ser disponibilizado para a migração e gestão de fronteiras é de 400 milhões de euros”, explica Bruxelas. Esta verba total visa, principalmente, “ajudar os Estados-membros mais afetados a fazer face aos primeiros custos de receção e registo de pessoas que fogem da Ucrânia”, adianta a Comissão Europeia. A proposta esta sexta-feira apresentada para alterar o orçamento comunitário deste ano tem agora de ser aprovada pelo Parlamento Europeu e pelos Estados-membros da UE no Conselho.

 

  O ministro do Ambiente português considerou que a dependência da Europa em relação ao gás oriundo da Rússia é um “garrote” à atividade económica, sendo essa subordinação alvo de “chantagens inaceitáveis” e uma “ameaça à segurança”. “A invasão da Ucrânia [por parte da Rússia] mostrou a fragilidade da Europa em relação ao setor energético, a dependência do gás russo é um garrote à nossa atividade económica que é aproveitada, inclusivamente, para chantagens inaceitáveis de um regime ditatorial às democracias europeias, é uma ameaça à segurança da Europa”, disse Duarte Cordeiro.

 

 

Sem dúvida alguma...  
Captura de ecrã 2022-04-22 142321.jpg



Publicado por Tovi às 07:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Sábado, 18 de Dezembro de 2021
Sondagens de hoje... para as Legislativas2022

Foram hoje conhecidas duas sondagens para as Legislativas2022, uma da Aximage (para o JN , DN e TSF) e uma outra da Pitagórica (para TVI e CNN Portugal).
Sondagem 18dez2021.jpg
Pitagórica 18dez2021.jpg

No gráfico seguinte poderão ver todas as sondagens conhecidas nos dois últimos meses, comparando-as com os resultados das eleições Legislativas2019, bem como a média truncada  (eliminando os valores mais altos e mais baixos de cada uma delas) das sondagens deste período.
Sondagens dos últimos dois meses 18dez2021.jpg



Publicado por Tovi às 17:12
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 19 de Julho de 2021
PS a descer... Bloco e Chega quase empatados
Sondagem da Aximage (para JN, TSF e DN) conhecida hoje:
PS – 37,6%
PSD – 25,2%
BE – 7,8%
Chega – 7,7%
I. Liberal – 5,5%
CDU – 4,8%
PAN – 4,6%
CDS – 0,9%
 
   Evolução dos estudos de opinião nos últimos três meses

Sondagem 19jul2021.jpg

  O que ressalta da leitura da evolução dos estudos de opinião dos últimos três meses, comparando com o resultado das Legislativas2019, é o seguinte: PS e PAN com uma tendência de subida; PSD, BE e CDU em ligeira queda; Chega e Iniciativa Liberal em grande ascensão; CDS em grande queda.



Publicado por Tovi às 08:41
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 18 de Julho de 2021
Popularidade de Marcelo e Costa

Sondagem JN 18jul2021.jpg

É um verdadeiro cartão amarelo o que é mostrado, este mês, a Marcelo Rebelo de Sousa. Mas é ainda pior para António Costa, que se aproxima do vermelho. De acordo com o barómetro da Aximage para o JN, DN e TSF, a popularidade dos dois líderes cai a pique e o primeiro-ministro tem agora escassos seis pontos de saldo positivo (diferença entre avaliações positivas e negativas). Este mês, a queda do presidente foi mais acentuada, mas o facto de partir de um patamar muito elevado permite-lhe manter um generoso saldo positivo de 37 pontos.

 

Mais, sobre a sondagem publicada no JN de hoje

   Governo: 81% pedem remodelação, com Cabrita no topo da lista

  Oposição vai de mal a pior com novo recorde negativo



Publicado por Tovi às 09:55
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 6 de Junho de 2021
Últimas sondagens conhecidas

   Barómetro da Aximage para o JN, DN e TS
Avaliação de desempenho 
Primeiro-ministro regista o seu pior resultado de sempre nesta série de barómetros (50%). Presidente da República está bastante mais acima (70%) e, no que toca à confiança, vale agora quatro vezes mais. 
Captura de ecrã 2021-06-05 101118.jpg

Avaliação da Oposição e do Governo
Analisando geograficamente a popularidade do primeiro-ministro, na Área Metropolitana do Porto verifica-se uma queda de 19 pontos. Mas ainda não temos uma oposição forte e credível.
Captura de ecrã 2021-06-05 101508.jpg

    Sondagens conhecidas este fim-de-semana
Eurosondagem (para Porto Canal e Nascer do Sol)
PS - 40,0%; PSD - 27,2%; Chega - 8,4%; BE - 5,5%;
CDU - 5,0%; I.Liberal - 2,7%; CDS - 2,5%; PAN - 2,2%.

Aximagem (para JN e TSF)
PS - 38,9%; PSD - 24,0%; BE - 8,0%; Chega - 7,0%;
I. Liberal - 5,2%; CDU - 5,0%; PAN - 3,7%; CDS - 1,4%; Livre - 0,3%.

O gráfico da evolução das sondagens nos últimos dois meses fica assim…

Sondagens 06jun2021.jpg



Publicado por Tovi às 07:21
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 5 de Abril de 2021
Sondagem da Aximage... para JN, DN e TSF
Sondagem conhecida esta semana, da Aximage para JN, DN e TSF, com trabalho de campo entre 24 e 27 de março.
PS – 39,7%
PSD – 23,6%
BE – 8,6%
Chega – 8,5%
CDU – 6,0%
I. Liberal – 4,8%
PAN – 3,2%
CDS – 1,1%
Livre – 0,8%
 
   Evolução das sondagens nos últimos dois meses

Sondagens 05abr2021.jpg

   O PS que se cuide...
...as coisas não lhe estão favoráveis cá pelas nossas bandas.
sondagem 5abr2021.jpg 



Publicado por Tovi às 13:53
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 1 de Março de 2021
Direita ultrapassa PS graças ao fôlego dos liberais
A sondagem da Aximage conhecida hoje (para JN, DN e TSF - O trabalho de campo decorreu entre 17 e 20fev) dá-nos os seguintes valores:
PS – 37,6%
PSD – 26,5%
BE – 7,7%
Chega – 6,5%
CDU – 5,8%
I.Liberal – 5,7%
PAN – 4,0%
Livre – 1,3%
CDS – 0,8%
 
E a evolução das sondagens nos últimos dois meses fica assim:

Sondagens 01mar2021.jpg



Publicado por Tovi às 10:36
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 28 de Fevereiro de 2021
E é assim que estamos

dn 1.jpg

Esta sondagem foi realizada pela Aximage para o DN, JN e TSF, com o objetivo de avaliar a opinião dos portugueses sobre temas relacionados com a atualidade política. O trabalho de campo decorreu entre os dias 17 e 20 de fevereiro.

 

E a oposição está assim...
oposição.jpg



Publicado por Tovi às 17:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 23 de Fevereiro de 2021
Abrir ou não abrir as escolas, eis a questão

mw-860.jpg
(Com base no artigo de João Diogo Correia no Expresso, em 23fev2021)

  EUA - Uma das bandeiras de Joe Biden após tomar posse como Presidente dos EUA tornou-se, na verdade, uma espécie de batalha. Reabrir as escolas o “mais depressa e com a maior segurança possível” não tem sido tarefa fácil porque a oposição vem de dentro: mais precisamente, dos sindicatos de professores.

  ESPANHA - Os sindicatos espanhóis têm feito alguma pressão pelo fecho das escolas, nomeadamente em regiões onde a covid-19 está mais disseminada. A UGT espanhola (também União Geral de Trabalhadores) afirmou que, embora tendo um compromisso com o ensino presencial, em “momentos críticos" como o atual "deve prevalecer a saúde e a segurança dos alunos e professores”, o que exige, diz a central, uma análise escola a escola.

  REINO UNIDO - À medida que se acumulam evidências de que as crianças mais novas não propagam o vírus com a mesma intensidade, nem sofrem tanto as consequências da covid-19, levantam-se as vozes para que, pelo menos essas, possam ir à escola no Reino Unido. Assim é na Escócia e no País de Gales, em que a reabertura tem sido feita gradualmente. Mas em Inglaterra o regresso ao ensino presencial está marcado apenas para 8 de março, todo de uma vez. E não sem críticas.

  ALEMANHA - Há pouco menos de um ano, a gestão alemã era elogiada, e o país seguia como um dos menos afetados da Europa, nomeadamente ao nível dos serviços de saúde. Uma subida de casos no início do ano e um processo de vacinação, no mínimo, vagaroso deixaram a Alemanha no polo oposto, com um lockdown nacional que vem de novembro de 2020 e que encerrou a maior parte das escolas na pausa natalícia, para não mais as abrir. No caso do ensino, a decisão ficou então nas mãos dos governos estaduais. Mesmo aumentando as restrições para a população, mais de metade dos estados federados da Alemanha decidiram abrir escolas primárias e jardins de infância a partir desta semana. Mas o debate continua e é nacional.

 

    É melhor prevenir do que remediar.
Anotação 2021-02-24 103532.jpg



Publicado por Tovi às 16:17
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 23 de Janeiro de 2021
Sondagens para as Presidenciais2021
Foram ontem conhecidas três sondagens para o ato eleitoral de amanhã.

    Aximage (para o JN, DN e TSF)
Marcelo Rebelo de Sousa – 59,7%
Ana Gomes – 15,4%
André Ventura – 9,7%
João Ferreira – 5,0%
Marisa Matias – 4,3%
Tiago Mayan – 3,3%
Tino de Rans – 1,5%
 
    ISCTE/ICS (para SIC e Expresso)
Marcelo Rebelo de Sousa – 58,0%
Ana Gomes – 14,5%
André Ventura – 12,5%
João Ferreira – 6,0%
Marisa Matias – 6,0%
Tiago Mayan – 2,0%
Tino de Rans – 1,0%
 
   Eurosondagem (para Porto Canal e SOL)
Marcelo Rebelo de Sousa – 61,8%
Ana Gomes – 13,6%
André Ventura – 10,0%
João Ferreira – 4,6%
Marisa Matias – 6,0%
Tiago Mayan – 2,1%
Tino de Rans – 1,7%
 
   Evolução das sondagens nos últimos dois meses

Presidenciais2021 22jan2021.jpg

 

    ´Bora lá todos votar, antes que...
captura-de-ecrc3a3-2012-01-24-c3a0s-19-26-38.png



Publicado por Tovi às 07:26
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 4 de Janeiro de 2021
Há coisas que não entendo

Sondagens 02jan2021 cds.jpg

Estou em crer que muitos dos votantes CDS procuraram agora o “conforto” de um partido populista e muito provavelmente pró-fascista… mas isso não impede, na minha forma de ver a Democracia, que os dirigentes dos democratas cristãos, nacionais, distritais e concelhios, tivessem que dar um murro na mesa e afirmassem de uma forma clara os seus princípios programáticos. É que, salvo raríssimas exceções, não vejo ninguém a traçar de forma clara a linha vermelha de separação do CDS para o Chega.

 

   Expresso, 3jan às 18h37
agora.jpg



Publicado por Tovi às 07:24
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 30 de Novembro de 2020
Barómetro de novembro da Aximage
Resultados do barómetro de novembro da Aximage para o JN e a TSF:
PS recupera (37,2%) e o BE é castigado (7,9%);
PSD está em queda (23,9%) em favor do Chega (7,5%);
Entre os restantes, o maior destaque vai para a contínua subida do PAN (6,5%);
CDU parece inamovível (5,8%), os Liberais descem (2,2%) e o CDS confirma a sua atual irrelevância (1%).
 

As sondagens nunca deverão ser vistas cada uma "de per si", mas sim a evolução das mesmas ao longo do tempo… e a evolução das sondagens nos últimos três meses está como indica o gráfico:

Sondagens 30nov2020.jpg


Estou tentado a acreditar que o CDS andou de cavalo para burro (desculpem-me a brejeirice) ao passar da Assunção Cristas para o Francisco Rodrigues dos Santos. E é pena... o CDS tem no seu seio muita gente importante para a democracia portuguesa.



Publicado por Tovi às 11:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 31 de Outubro de 2020
Avaliação dos portugueses ao PR, Governo e oposição

... no barómetro político da Aximage para o JN e a TSF.
jn 31out 1.jpg



Publicado por Tovi às 10:31
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Julho 2022
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Posts recentes

Três meses de guerra na U...

Desempenho dos políticos,...

Rússia-Ucrânia... danos c...

Sondagens de hoje... para...

PS a descer... Bloco e Ch...

Popularidade de Marcelo e...

Últimas sondagens conheci...

Sondagem da Aximage... pa...

Direita ultrapassa PS gra...

E é assim que estamos

Abrir ou não abrir as esc...

Sondagens para as Preside...

Há coisas que não entendo

Barómetro de novembro da ...

Avaliação dos portugueses...

PS, PSD e CDS em queda… o...

Primeira sondagem pós-Leg...

Autárquicas no Porto – Du...

As últimas sondagens para...

Partido Socialista desce ...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus