"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Quinta-feira, 1 de Setembro de 2022
As aventuras de Pollie... de António Luís Costa

IMG_20220831_163921.jpg

A minha neta Alice, nove anos levados da breca, está cá em casa a passar uns dias... e trouxe para leitura vários livros que os pais lhe compraram na Feira do Livro do Porto. E está contentíssima pois dois deles - "Pollie aventura-se na noite..." e "Pollie tem um dia inesquecível... no Porto" de António Luís Costa e ilustrações de Sara Costa - são os seus primeiros livros assinados pelo autor. E eu já os li... aventuras de Pollie, uma pequena gatinha que vive na zona dos Clérigos, rodeada pela sua família que a adora.

 


Conceição Ribeiro
A Alice é uma menina muito especial 🥰 adoro a sua neta 😍
Alice com Conceição Ribeiro.jpg
Eliana FernandesParabéns  por ter uma neta com tamanho bom gosto!
Isilda MontenegroBoas leituras... Que mantenha o entusiasmo 👌
Nani Teixeira da Luz
Se gosta de ler em pequena, duvido que perca o entusiasmo. Eu comecei logo na 1a classe e continuo cada vez a gostar e a ler mais. Dependência total
M Helena S FreitasSó posso felicitar os pais que incentivam as leituras. Parabéns!



Publicado por Tovi às 08:14
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Quarta-feira, 3 de Agosto de 2022
E tanta gente com fome no Mundo

Captura de ecrã 2022-08-01 145959.jpg

Dizem que cada foguete de um lança-foguetes múltiplos Himars (M142 - High Mobility Artillery Rocket System) custa cerca de 100 mil dólares. 

  Para desgraça do povo ucraniano o andar da carruagem não augura nada de bom. E os danos colaterais deste conflito já se sente no bolso dos europeus. Quanto mais tarde se sentarem á mesa das negociações pior para todos. Diálogo, diálogo, diálogo. O diálogo, mesmo com os maiores facínoras, é preferível á guerra. Reparem que se ontem saiu do porto de Odessa um navio com cereais foi porque houve DIÁLOGO. Foi pouco ainda, mas foi muito importante.

 

   Himars - M142
Captura de ecrã 2022-08-01 213804.jpg

 

  "O Fim do Homem Soviético" de Svetlana Aleksievitch, pág. 291
296432850_10221731734390478_9052210105302766693_n.



Publicado por Tovi às 08:37
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Domingo, 31 de Julho de 2022
O Fim do Homem Soviético

Leitura deste Verão

Captura de ecrã 2022-07-25 170025.jpg

Svetlana Aleksievitch (Autor)
Prémio Nobel da Literatura 2015
Volvidas mais de duas décadas sobre a desagregação da URSS, que permitiu aos russos descobrir o mundo e ao mundo descobrir os russos, e após um breve período de enamoramento, o final feliz tão aguardado pela história mundial tem vindo a ser sucessivamente adiado. O mundo parece voltar ao tempo da Guerra Fria. Enquanto no Ocidente ainda se recorda a era Gorbatchov com alguma simpatia, na Rússia há quem procure esquecer esse período e o designe a Catástrofe Russa. E, desde então, emergiu uma nova geração de russos, que anseia pela grandiosidade de outros tempos, ao mesmo tempo que exalta Estaline como um grande homem. Com uma acuidade e uma atenção únicas, Svetlana Aleksievitch reinventa neste magnífico requiem uma forma polifónica singular, dando voz a centenas de testemunhas, os humilhados e ofendidos, os desiludidos, o homem e a mulher pós-soviéticos, para assim manter viva a memória da tragédia da URSS e narrar a pequena história que está por trás de uma grande utopia.

 

  Há muito que o procurava em livrarias e alfarrabistas, mas estava esgotado. Então lembrei-me de ir à Biblioteca Municipal Almeida Garrett, nos jardins do Palácio de Cristal. Tem um serviço de "empréstimo domiciliário" que é espetacular. Vou ficar cliente.
Ana Furtado - Sou a maior fã e utilizadora  
Guerra Júlio - Sou cliente assíduo do espaço 
Alda Goncalves - Somos 'clientes' assíduos. Visitantes regulares e beneméritos pontuais. Quando mudamos de casa, como não havia espaço para tudo levamos alguns livros para a BMAG. Assim sabemos que vão ser úteis a alguém e estão disponíveis para todos. 



Publicado por Tovi às 08:04
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 1 de Março de 2022
Morreu o Padre Mário da Lixa

Captura de ecrã 2022-02-24 203431.jpg

Requiescat in Pace

Conheci o Padre Mário no meu tempo de aluno no Liceu Alexandre Herculano na década de sessenta do século passado. Embora nunca tenha sido meu professor, recordo com saudade as interessantes conversas que tivemos. A última vez que nos encontramos foi na apresentação do seu livro "EVANGELHO DE JESUS, Segundo Maria, mãe de João Marcos, e Maria Madalena" no Café-Bar "La Bohème", na rua Galeria de Paris, próximo da Torre dos Clérigos, no Porto.
Dedicatória que teve a simpatia de colocar neste seu livro:
Para David,
O menino jovem de Nova Sintra, onde tanto conversamos.
Com emoção!
Mário de Oliveira
24/3/2012


Publicado por Tovi às 07:46
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 18 de Janeiro de 2022
Porto: da Outra Cidade... de Helder Pacheco

Porto da Outra Cidade_1.jpg

Uma querida Amiga fez-me chegar ontem por correio o livro de Helder Pacheco “PORTO: da Outra Cidade” (Campo das Letras Editores, Porto Dez1997). Vou-me deliciar na leitura desta obra… “boas razões para compreender o Porto, o seu território, cultura e identidade”.



Publicado por Tovi às 07:43
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Sexta-feira, 20 de Agosto de 2021
Morreu o General Carlos Azeredo

azaredo-dalmata.png

Requiescat in Pace

Morreu o General Carlos Azeredo, o militar de Abril que intercalava a dura luta política com o passeio do seu dálmata.
A cerimónia fúnebre do General Carlos Azeredo terá lugar hoje (20 de agosto) com Missa de Corpo Presente, às 13h na Igreja de Cristo Rei, no Porto, seguindo depois para o Cemitério de Santa Cruz em Lamego, onde pelas 16h se farão Honras Militares.
 

General de Cavalaria, oriundo da Nobreza de Entre Douro e Minho, Monárquico, participou ativamente no 25 de Abril de 1974. A 20 de fevereiro de 1975 foi o 96.º e último Governador Civil do Distrito Autónomo do Funchal. Foi Comandante da Região Militar do Norte e Chefe da Casa Militar do Presidente Mário Soares. Foi candidato à Presidência da Câmara Municipal do Porto nas eleições autárquicas de 1997 à frente de uma coligação entre o PSD e o CDS-PP, tendo sido derrotado por Fernando Gomes. Condecorado com a Medalha Militar de Ouro de Serviços Distintos com Palma e com a Medalha Militar de 1.ª Classe da Cruz de Guerra. A 10 de junho de 1991 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis e a 13 de fevereiro de 1996 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo. Editou um livro sobre a sua vida "Trabalhos e Dias de Um Soldado do Império". Publicou o livro "Invasão do Norte: 1809: a campanha do general Silveira contra o marechal Soult (Tribuna da História), 2004.

 

   No seu livro biográfico "Trabalhos e Dias de Um Soldado do Império" (Livraria Civilização Editora) falando-nos sobre os seus anos da terceira e quarta classes do ensino primário, na Foz do Douro, na Escola Particular da célebre D. Ângela, lembra-nos Carlos Azeredo um dos castigos mais temidos, que consistia em ficar encerrado por algum tempo numa despensa localizada no vão de umas escadas.
carlos azeredo.jpg

 

   
Antero Braga - Um Senhor, um bom amigo, falava comigo com grande amizade. Desde que o conheci tenho por esta personalidade uma admiração enorme que guardo comigo. Descanse meu amigo.
Augusto Saldanha - David Ribeiro tive o prazer de o conhecer fui alfaiate dele apresatado pelo meu amigo e cliente António Sarmento Beires de Muitos contactos que tive com ele já mais esquecerei de quando queria ir ao baile do clube Portuense acompanhar neta para devotar e a farda não lhe servia, a última vez que a tinha vestido foi em Inglaterra acompanhar o dr Mário Soares sendo ele chefe da casa militar, lá teve que o Saldanha costureiro, depois de uma grande discussão resolver o problema na quela altura o baile ainda era de smokin mas os familiares faziam questão que ele fosse com a farda militar, e foi, um Homem que deixa saudades, que Deus o tenha em bom lugar.
Manuel Carvalho - Na invasão de Goa Damao e Dio, esteve seis meses de castigo, juntamente com os militares do seu comando. Salazar nunca aceitou a rendição dos militares Portugueses... Havia uma máxima do Salazar que era a seguinte: só reconheco Heróis vivos ou mortos. Os invasores é que tiveram de enviar os militares para Portugal!



Publicado por Tovi às 07:52
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 10 de Junho de 2021
O Lugar do Vazio, de Gustavo Pimenta

IMG_20210602_110414.jpg


Título: O Lugar do Vazio
Autor: Gustavo Pimenta
Capa: Manuel Rocha (sobre pintura de Minó - óleo sobre tela, 30x40)
Edição: Palimage, uma marca editorial da Terra Ocre
ISBN: 978-989-703-263-9



Publicado por Tovi às 07:10
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 7 de Março de 2021
O Regresso das Ditaduras?

Anotação 2021-03-06 130124.jpg

Já chegou a minha encomenda – O Regresso das Ditaduras? – obra de António Costa Pinto, numa edição de Fundação Francisco Manuel dos Santos, coleção Ensaios da Fundação (Depósito Legal n.º 477707/20).

 


O presente ensaio apresenta e explica o mapa-mundo atual das ditaduras. Disseca os modos de dominação predominantes e salienta como, cada vez mais, os regimes autoritários «se vestem como democracias». Assinala continuidades e mudanças e permite uma premente visão global de autoritarismo político contemporâneo, confirmando-o no polo oposto da governação democrática.



Publicado por Tovi às 07:17
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 16 de Fevereiro de 2021
Contágios... de Jaime Nogueira Pinto

jaime_nogueira_pinto.png

Jaime Nogueira Pinto, nascido no Porto em 1946, tem escrito sobre temas de Ciência Política e História Contemporânea e nesta sua obra «Contágios – 2500 anos de pestes» chamou-nos à atenção para o facto da Covid-19, apesar da Ciência e da Tecnologia, nos mostrar que, de peste em peste, de praga em praga, há comportamentos que se repetem, comportamentos não só dos homens mas também das sociedades. Lê-se bem este livro que nos confronta com a continuidade da natureza humana vivida no fio da navalha ao longo das mudanças políticas, sociais e culturais determinadas pelo tempo e o modo das epidemias.



Publicado por Tovi às 07:01
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2021
Gripe Espanhola ou Pneumónica

gripe espanhola.png
(As máscaras foram um ritual nos dias da Gripe Espanhola)

Bruscamente, na Primavera de 1918, na frente de Batalha da Flandres, no ano final da Grande Guerra, uma nova espécie de gripe mortífera atacou os exércitos dos dois lados – alemães, franceses, ingleses e americanos. O vírus [influenza] terá vindo da América, do Kansas, dum campo militar, mas chamaram-lhe Gripe Espanhola ou Pneumónica. Nos dois anos seguintes, a Pneumónica mataria milhões de pessoas em todo o mundo; mas as tragédias da guerra e as euforias e convulsões dos anos 20 e do que se lhes seguiu diluiriam o lugar da pandemia na memória coletiva do Ocidente. Portugal não escapou à Pneumónica, que, como outras epidemias e pandemias, teve uma primeira fase relativamente moderada, na Primavera-Verão de 1918, e uma segunda, mais violenta e mortífera, no Outono do mesmo ano. Com cerca de 140 mil mortos, Portugal foi, proporcionalmente, dos países mais atingidos da Europa. Só a Itália e a Bulgária tiveram uma letalidade mais alta. Entre as celebridades mortas pela epidemia contam-se o pintor Amadeu de Sousa Cardoso e os santos pastorinhos de Fátima, Francisco e Jacinta. (“Contágios” de Jaime Nogueira Pinto, pag. 194 e seguintes)



Publicado por Tovi às 07:46
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 7 de Fevereiro de 2021
Peste Bubónica na Europa

   A Grande Peste de Londres
Great_plague_of_london-1665.jpg
(Coleta de cadáveres na rua durante a Grande Peste de Londres)

Quando da Peste de Londres [1665-1666] …/… Muitos viam o abandono do Rei como vergonhoso, fugindo da peste [peste bubónica] e deixando o governo da cidade ao Lord Mayor. Mas o Lord Mayor, Sir John Lawrence, não fugiu e pôs em prática uma série de medidas: fechou as escolas, restringiu a frequência de estalagens, tabernas e cafés e limitou a assistência a funerais. (“Contágios” de Jaime Nogueira Pinto – pag. 116)

 

   O insólito surto portuense
Ricardo Jorge.jpg

No fim do século XIX, em 1899, em Portugal, no Porto, deu-se o inesperado último surto da Peste Bubónica na Europa. Ricardo Jorge, director dos serviços hospitalares da cidade, liderou o combate à praga, que matou cerca de centena e meia de pessoas; mas os negacionistas nortenhos obrigaram-no a abandonar a cidade. (“Contágios” de Jaime Nogueira Pinto, pag. 145 e seguintes)



Publicado por Tovi às 07:59
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 31 de Janeiro de 2021
Contágios - 2500 Anos de Pestes

ccccc.jpg
Já chegou… vai ser a minha leitura dos próximos dias.

   Contágios - 2500 Anos de Pestes
2020 - Publicações Dom Quixote
ISBN: 978-972-20-7097-3
Depósito legal n.º 471 210/20
Imagem da capa: "O Triunfo da Morte", pintura a óleo de Pieter Bruegel, o Velho, pintada c. 1562. Está no Museu do Prado em Madrid.

 
E a minha neta Alice (sete anos levados da breca) já me disse: "Avô!... Antes de começares a ler deixa-me dar uma voltinha nesse livro, que o assunto interessa-me."
 
 

Ainda só agora comecei a ler este livro… mas logo no capítulo I – A Mais Maléfica das Deusas, à página 32 o Jaime Nogueira Pinto, sobre “as causas, as culpas e os medos” da primeira pandemia da Era Cristã (Peste de Justiniano – de 541 a 542, tendo matado 40% da população da capital do Império do Oriente que era, ao tempo, de 500 mil habitantes) põe-me a pensar: “Mais sobre a interminável especulação dialética das causas e das culpas pairava o medo.  O medo que acompanha o Homem desde as cavernas, o medo da noite, o medo das trevas, o medo do fogo, o medo das bestas e animais do outro lado do mundo, o medo da morte, o medo da dúvida e da incerteza.”




Terça-feira, 8 de Setembro de 2020
Construir e Brincar – O Palácio da Princesa

250x.jpg
   Estou derreadinho… A minha neta Alice foi no fim-de-semana à Feira do Livro do Porto e entre os muitos livros que os pais lhe compraram trouxe um – “Construir e Brincar – O Palácio da Princesa”, de Lara Ede, edição: Jacarandá Editora, fev2020 - e lá tive que passar toda a manhã na “montagem” do tal palácio… eu, que até sou republicano, filho, neto e bisneto de ilustres republicanos.



Publicado por Tovi às 14:35
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 1 de Setembro de 2020
A Revolução Russa - 100 Anos depois

revoluçao russa.jpg

Estou a ler «A Revolução Russa - 100 Anos depois», de António Louçã, Francisco Louçã, Thaiz Senna, Constantino Piçarra, José Manuel Lopes Cordeiro, Miguel Pérez Suaréz, Fernando Rosas e Rui Bebiano [edição: Parsifal, agosto de 2017]. E um século depois da Revolução Russa parece-me hoje que se frustraram todas as expectativas de solução para os problemas mais elementares da sociedade, tais como PÃO, PAZ e TERRA, aquilo que os sovietes consideravam as necessidades mínimas de um povo. Mas cem anos depois deste extraordinário acontecimento da História da Humanidade - A Revolução Russa – poderemos sem qualquer dúvida constituir este acontecimento um importante ponto de reflecção para as sociedades contemporâneas, provavelmente muito mais do que a Revolução Francesa dos finais do século XVIII.



Publicado por Tovi às 14:00
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 6 de Julho de 2020
Porto - A Entrada para o Mundo, de Neill Lochery

185x262.jpg
Chegou-me hoje pelo correio o livro "Porto, a Entrada para o Mundo", onde o escocês Neill Lochery nos explica porque a Invicta é uma cidade comercial e cultural vibrante que se orgulha das suas raízes históricas e ligações com o mundo. Vou começar a ler… depois conto-vos o que por lá se diz da nossa Cidade.

 

   Sobre o Livro

Uma das cidades mais antigas da Europa, o Porto ficou conhecido em todo o mundo graças ao seu maravilhoso vinho. Elevando-se das íngremes encostas do Douro - o rio do ouro - com pitorescas praças, igrejas e casas com fachadas de azulejos coloridos, o seu antigo nome Portucale está na origem do nome do nosso país: Portugal. Hoje em dia, o Porto é um vibrante centro comercial e cultural, que se orgulha das suas ligações históricas com o mundo exterior. Uma leitura essencial de um dos escritores mais famosos que escreve sobre Portugal, Porto - A Entrada para o Mundo utiliza os belos edifícios e pontos de referência em toda a cidade para conduzir o leitor numa viagem por toda a sua riqueza histórica desde as suas origens até à era moderna.

 

   Sobre o Autor

Neill Lochery é autor de mais de uma dúzia de livros aclamados pela crítica, incluindo Portugal – Saído das Sombras da Revolução de 1974 até ao Presente, bem como Brasil – A Segunda Guerra Mundial e a Construção do Brasil Moderno e o bestseller internacional Lisboa - A Guerra das Sombras na Cidade da Luz 1939-1945. Neill Lochery é Professor de Estudos do Médio Oriente e do Mediterrâneo na University College London. Participa em numerosas palestras por todo o mundo, é comentador regular em assuntos internacionais e tem inúmeras publicações na imprensa internacional, incluindo o Wall Street Journal.



Publicado por Tovi às 14:10
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Dezembro 2022
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Posts recentes

As aventuras de Pollie.....

E tanta gente com fome no...

O Fim do Homem Soviético

Morreu o Padre Mário da L...

Porto: da Outra Cidade......

Morreu o General Carlos A...

O Lugar do Vazio, de Gust...

O Regresso das Ditaduras?...

Contágios... de Jaime Nog...

Gripe Espanhola ou Pneumó...

Peste Bubónica na Europa

Contágios - 2500 Anos de ...

Construir e Brincar – O P...

A Revolução Russa - 100 A...

Porto - A Entrada para o ...

Papillon... de Henri Char...

«Choque do Futuro» de Alv...

A Maldição do Marquês

O Arco de Sant’Ana

Rui Moreira – 4º aniversá...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus