"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Segunda-feira, 5 de Julho de 2021
Autárquicas na Invicta - Aqui Há Porto

JN 01jul2021.jpg

Numa opção perfeitamente legítima e até compreensível o Movimento Independente de Rui Moreira – Aqui Há Porto - optou por se apresentar às próximas Autárquicas com a mesma equipa sufragada pelos portuenses em 2017 e assim manter os sete primeiros nomes para o executivo camarário, equipa que no meu entender tão bem levou a cabo o seu trabalho. Já para a Assembleia Municipal preferiram um “refrescamento”, agora com uma forte representação de partidos políticos (CDS, Iniciativa Liberal, MPT e Nós, Cidadãos) em detrimento dos “independentes”. Continuo a estar completamente de acordo com Rui Moreira quando em 2013 nos garantiu que nas suas listas "só cabe o Porto, mas cabe o Porto todo”, mas… O tempo o dirá.

 



Publicado por Tovi às 08:04
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2021
Remodelar o Governo... quando e como?

remodelar.jpg
Enquanto não tivermos uma oposição válida e credível, não estou a ver quando e como remodelar.

O meu amigo Raul Almeida dizia, em janeiro deste ano, no seu artigo de opinião no Observador: “A história diz-nos que só com um PSD forte e um CDS simultaneamente forte, se reforma o país. Como ponto de partida, é preciso que cada um saiba primeiro onde está, só depois se poderá pensar em estar à altura da missão.”  E cá para mim o Raul tem carradas de razão.



Publicado por Tovi às 07:36
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 28 de Janeiro de 2021
Grande abanão na direção do CDS

cds.jpg
Filipe Lobo D’Ávila, vice-presidente do CDS, apresentou a demissão da comissão executiva do partido, deixando Francisco Rodrigues dos Santos mais isolado na direção. Com Lobo D’Ávila saíram também Raúl Almeida e Isabel Menéres Campos, também da direção do partido.



Publicado por Tovi às 12:04
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 4 de Janeiro de 2021
Há coisas que não entendo

Sondagens 02jan2021 cds.jpg

Estou em crer que muitos dos votantes CDS procuraram agora o “conforto” de um partido populista e muito provavelmente pró-fascista… mas isso não impede, na minha forma de ver a Democracia, que os dirigentes dos democratas cristãos, nacionais, distritais e concelhios, tivessem que dar um murro na mesa e afirmassem de uma forma clara os seus princípios programáticos. É que, salvo raríssimas exceções, não vejo ninguém a traçar de forma clara a linha vermelha de separação do CDS para o Chega.

 

   Expresso, 3jan às 18h37
agora.jpg



Publicado por Tovi às 07:24
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 13 de Dezembro de 2020
Conselho Nacional do CDS

Anotação 2020-12-13 100741.jpg

Neste Conselho Nacional do CDS o "André Ventura foi o elefante dentro da sala", conforme lhe chamou Cecília Meireles. E de tudo o que li deste Conselho Nacional dos centristas não há dúvida que o caldo está entornado entre a direção do CDS e o seu grupo parlamentar.

   Expresso, 8h30 de 13dez2020

 

   O que se disse sobre as Presidenciais
Anotação 2020-12-13 100607.jpg



Publicado por Tovi às 10:08
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 30 de Novembro de 2020
Barómetro de novembro da Aximage
Resultados do barómetro de novembro da Aximage para o JN e a TSF:
PS recupera (37,2%) e o BE é castigado (7,9%);
PSD está em queda (23,9%) em favor do Chega (7,5%);
Entre os restantes, o maior destaque vai para a contínua subida do PAN (6,5%);
CDU parece inamovível (5,8%), os Liberais descem (2,2%) e o CDS confirma a sua atual irrelevância (1%).
 

As sondagens nunca deverão ser vistas cada uma "de per si", mas sim a evolução das mesmas ao longo do tempo… e a evolução das sondagens nos últimos três meses está como indica o gráfico:

Sondagens 30nov2020.jpg


Estou tentado a acreditar que o CDS andou de cavalo para burro (desculpem-me a brejeirice) ao passar da Assunção Cristas para o Francisco Rodrigues dos Santos. E é pena... o CDS tem no seu seio muita gente importante para a democracia portuguesa.



Publicado por Tovi às 11:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 25 de Setembro de 2020
CDS-Porto apoia Rui Moreira para novo mandato

expresso 24set.jpg

   Expresso, 18h40 de 24set2020

"O CDS Porto orgulha-se do apoio a este projeto político, que nasceu com Rui Moreira, e do qual, como referido, fez parte desde a primeira hora. Continua a rever-se nele como sendo a solução que melhor serve os interesses da cidade, pelo que esta concelhia apoiará uma nova candidatura de Rui Moreira caso esta se venha a verificar", justificou esta quinta-feira a comissão política do partido em comunicado. A estrutura centrista recorda que apoiou o movimento independente que Rui Moreira encabeçou em 2013, fazendo parte da solução de governo da cidade que "tão bons resultados tem sentido". "O CDS Porto honra os seus compromissos", acrescenta no comunicado.



Publicado por Tovi às 09:39
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 16 de Maio de 2020
Nova sondagem da Intercampus

Captura de Ecrã (209).png

Conhecida ontem mais uma sondagem da Intercampus (para Correio da Manhã e Jornal de Negócios).
O PS volta a ganhar terreno no mês de maio e seria o grande vencedor das Legislativas, se estas se realizassem atualmente. Esta vantagem aumenta também o fosso para a oposição. A intenção de voto no PSD é de 23,3%, igual ao mês anterior. Destaque ainda para a queda do Bloco de Esquerda, que, ainda que mantenha a terceira posição, desce de 11,9% em abril para 9% este mês. O mesmo acontece com o Chega de André Ventura: cai de 7,8% para 6,8%. A CDU, com 5,9%, tem uma subida ligeira em relação a abril (5,8%). O PAN regista uma descida acentuada, para 3,6%, a mesma percentagem do CDS, que também perde eleitores.



Publicado por Tovi às 07:49
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 4 de Fevereiro de 2020
“Equívocos e mal entendidos”… no CDS

  Expresso, 1fev2020

Nota da direção do Expresso sobre Abel Matos Santos e a direção do CDS

Depois do comunicado público da Comissão Executiva do CDS emitida esta sexta-feira à noite [31jan2020], cumpre à direção do Expresso afirmar o seguinte:
- Um membro da nova direção do partido, Abel Matos Santos, escreveu na sua página pública do Facebook, onde tem por norma publicar as suas posições políticas, frases como esta (datada de 2012): “Porque será que defendem Sousa Mendes, que foi um agiota dos judeus?”. A frase tinha como contexto uma notícia do “Público” titulada “Embaixador de Israel diz que Portugal tem uma «nódoa» que os judeus não esquecem”.
- O mesmo Abel Matos Santos escreveu, no mesmo sítio, em 2015, “Viva Salazar! E ele vive mesmo! Façam o que fizerem, mudem o nome da ponte que ele fez, apaguem nomes de ruas, mintam sobre ele, façam o que fizerem nunca conseguirão apagar a sua memória e o seu vasto legado! Foi sem dúvida alguma um dos maiores e melhores portugueses de sempre!”. O contexto era, na sua própria página do Facebook, um link de uma notícia da TSF com o seguinte título: “O que fazer com a memória de um ditador?”.
- No seu comunicado desta sexta-feira, a direção do CDS diz que estas declarações são “equívocos e mal entendidos”, afirma que as declarações foram “repristinadas apenas com o firme propósito de prejudicar todo o CDS” e acusa o Expresso de querer “colar” o que diz ser “um rótulo ignóbil”.
- Face a isto, à direção do Expresso cabe apenas deixar claro o seguinte:
As frases que o Expresso reproduziu do Facebook de Abel Matos Santos constam da notícia do Expresso com rigorosa exatidão e com o contexto exato em que foram publicadas. De resto, o contexto sobre Aristides de Sousa Mendes, Salazar e a PIDE não muda de ano para ano, são bases fundadoras da nossa Democracia.
O Expresso confrontou Abel Matos Santos antes de publicar a notícia, na quarta-feira, que confirmou a veracidade e o sentido das suas publicações. Uma hora mais tarde, o mesmo dirigente do CDS recuou nessas declarações e declarou que o que escreveu no Facebook teve “o seu momento e o seu contexto”. Esta sexta-feira, adicionalmente, decidiu ocultar essas publicações originais.
O Expresso não cola rótulos – e não comenta adjetivos que sejam dirigidos contra si. Mas não aceita manipulações que ponham em causa a sua objetividade e seriedade, assim como dos seus jornalistas, muito menos que lhe sejam coladas intenções que não sejam a de dizer a verdade.

 

  TSF, hoje ás 18h49

Abel Matos Santos apresenta demissão do CDS

A demissão do vogal da comissão executiva do CDS acontece depois de terem sido conhecidas declarações elogiosas a Salazar e as críticas que fez ao cônsul Aristides de Sousa Mendes.



Publicado por Tovi às 07:20
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 26 de Janeiro de 2020
28º Congresso do CDS

28091054-scaled_770x433_acf_cropped-1.jpg

Durante o “antes de” deste 28º Congresso do CDS acompanhei com interesse e curiosidade o que muito se disse e acreditando eu que era necessário e fundamental para uma direita democrática portuguesa uma rutura com o passado recente, então o melhor colocado para assumir a liderança era, no meu entender, Filipe Lobo d’Ávila. João de Almeida não me parecia conseguir (ou não querer) separar-se de um passado recente, muito ligado à demissionária Assunção Cristas. Francisco Rodrigues dos Santos surpreendeu-me ao afirmar que “não vamos ser o Bloco de Esquerda da Direita”. Todos os outros, admito que por insuficiente atenção minha, não me disseram nada de novo e digno de registo.
E já na madrugada deste domingo ficamos a saber o resultado das votações nas Moções de Estratégia: A submetida por Francisco Rodrigues dos Santos, líder da Juventude Popular, recolheu 671 votos (46,6%). A segunda mais votada foi a de João Almeida, com 562 votos (38,9%). Filipe Lobo d’Ávila viu o seu texto quedar-se pelo terceiro lugar, com 209 votos (14,45%).
E estando eu não só convencido que há atualmente um eleitorado de direita que se sente órfão, mas também continuando a não desejar que em Portugal esteja a emergir uma direita trauliteira e fascizante, considero que a vitória do “Chicão” não foi uma boa escolha, mas obviamente só o tempo o dirá.

 

   O que pensa o novo líder do CDS

"Os eleitores infligiram uma pesada derrota ao CDS [nas Legislativas de outubro de 2019]. Os resultados comprometem-nos com uma ponderação lúcida e serena, que procure domar os ímpetos, extrair conclusões enxutas e repor os índices de confiança".

"O CDS pode fazer o pino, uma cambalhota e um malabarismo no trapézio que, aos olhos dos portugueses, a perceção é que o CDS é um partido de direita. O CDS é um partido de direita, ponto final".

"Se nos atirarmos primeiro para a direita, que é lá que os nossos eleitores têm morada, nós conquistamos o povo para depois irmos à conquista do centro e podermos crescer porque temos o exército connosco, e é ao centro que nós nos encontramos com os nossos adversários e podemos catapultar o CDS para novos horizontes eleitorais".

[Entendimentos com o Chega?] "[desde que não represente uma] violação das traves mestras nem das linhas vermelhas que são o ADN do partido".

"O CDS deve focar-se em si para se reposicionar novamente, preencher um espaço que sempre foi o seu, [e não se] preocupar com os partidos do lado".



Publicado por Tovi às 09:56
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 19 de Janeiro de 2020
Rui Rio vence as diretas no PSD

8EE04443-9804-492B-B68A-E2294D473CF1.jpg

O presidente do PSD, Rui Rio, e o antigo líder parlamentar Luís Montenegro voltaram a ir a votos no dia de ontem, em eleições diretas, para escolher quem vai ocupar a cadeira do poder na São Caetano à Lapa. E numa inédita segunda volta, em que o tom da campanha endureceu bastante, a vitória foi de Rui Rio com 53%.

 

  Comentários no Facebook

Raul Almeida - A vitória de Rui Rio no PSD é legitima e merece cumprimentos institucionais. Sou daquele CDS que não segue, ou apoia, candidatos ou candidatos a candidatos do PSD. O PSD sabe resolver o seu destino sem ajudas externas, tal como o CDS. Merece respeito nestes momentos. A escolha de Rui Rio para a presidência tem um significado político inequívoco. Teremos o PSD mais consolidado do que nunca no espaço do centro-esquerda, o que é uma opção legítima dos seus militantes. Politicamente e sociologicamente, o espaço entre a nova esquerda moderada e liberal do PSD e a direita populista do Chega fica por ocupar. Há na sociedade portuguesa uma faixa de eleitorado muito significativa e consolidada que é da direita social e moderada e que hoje fica sem casa e sem conforto. O Congresso do CDS na próxima semana decidirá se o partido vai mostrar que é capaz de mostrar a credibilidade necessária para ocupar este espaço, ou se quer ser um mega Iniciativa Liberal ou um proto-Chega.

Paulo Jorge Texeira - O centro direita a morrer, mas lentamente. Não nos livramos do PREC.

David Ribeiro - Rui Rio ganhou a liderança do PSD mas há quem ainda considere por resolver se o partido é de centro-esquerda ou centro direita… como se isso fosse importante para os portugueses, que muito bem sabem que está entre o PS e o CDS.



Publicado por Tovi às 00:01
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 7 de Outubro de 2019
Pós-eleições… no Facebook
  • O Facebook devia ter uma aplicação que impedisse os abstencionistas de publicar comentários políticos nos próximos 4 anos.
  • A Luísa Apolónia finalmente foi à vidinha dela.
  • Rio consegue resistir no seu partido pelo simples facto de os seus próprios correligionários lhe terem antecipado uma derrota maior do que a que teve.
  • Marinho e Pinto e Pardal Henriques devem ter ficado sem combustível porque desapareceram.
  • Portugal está super europeu. Liberais e extrema direita no parlamento.
  • O maior partido: a abstenção.
  • A derrota do PSD não é de Rui Rio, mas do PAF e das divisões que os seus apaniguados criaram no partido.

Ai dos vencidos!...
72124823_2576073369111156_1458569287403831296_n.jp




Quinta-feira, 3 de Outubro de 2019
Morreu Freitas do Amaral

Requiescat in Pace

freitas-do-amaral1916d322_base.jpg


Freitas do Amaral teve uma longa e intensa vida política, com cerca de cinco décadas de intervenção pública: foi fundador e primeiro presidente do CDS, fez parte de governos da Aliança Democrática, entre 1979 e 1983, e foi primeiro-ministro interino após a morte de Sá Carneiro. Foi também candidato nas históricas presidenciais de 1986, contra Mário Soares, e, já neste século, foi ministro dos Negócios Estrangeiro num governo PS (2005-2006) como independente, após ter saído do CDS em 1992.
Nascido em 21 de Julho de 1941, na Póvoa de Varzim, Diogo Freitas do Amaral passou a infância entre Guimarães (de onde era natural o pai) e a Póvoa de Varzim (a terra da mãe), mas os primeiros anos foram muito marcados pela morte dos dois irmãos mais velhos, ainda crianças. Queria ser engenheiro, mas, sem jeito para Matemática, deixou-se convencer por dois tios que estudaram Direito e lhe “falavam das suas aulas com os professores Marcello Caetano e Galvão Teles”, contou em entrevista à Sábado em 2017. Acabou por se formar em Direito da Universidade de Lisboa. Obteve o grau de Doutor em Direito (Direito público) em 1967 e ensinou na faculdade até 1998. 
Na apresentação do seu terceiro livro de memórias políticas, intitulado Mais 35 anos de democracia - um percurso singular, em junho passado, Freitas revelou que o que mais o marcou na vida foi a sua “militância democrata-cristã”, “com a preocupação de ajudar os outros”. Na ocasião, o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa descreveu-o como “um dos quatro pais líderes dos partidos estruturantes da democracia portuguesa”, juntamente com Mário Soares, Francisco Sá Carneiro e Álvaro Cunhal.

 

  Comentário no Facebook de Rodrigues Pereira

" Yes, I did it my way ! " ***
Ao Professor Doutor Diogo Freitas do Amaral
Não. Não irei falar do político, do co-fundador (e a que custo) da nossa Democracia, do insigne jurista e professor, do único português a ocupar o cargo de Presidente da A. G. das Nações Unidas, etc, etc ...
Vou falar de mim... e do homem.
1994. Bairro Alto, Lisboa. Uma noite de Domingo. Estava a jantar, sozinho, num restaurantezinho italiano, que hoje já não existe. Entretido com a revista do Expresso, já que nessa altura ainda não havia telemóveis para nos infernizarem as refeições.
Com o restaurante meio vazio, não me foi difícil aperceber-me da entrada da família Freitas do Amaral, au complet. A mulher, Maria José, as duas filhas e os dois filhos.
Tinha combatido contra ele nas presidenciais de 1986, com Mário Soares. As tais que levaram Álvaro Cunhal a exortar os seus militantes a cobrir os olhos, mas a votar em Soares...
Nunca tive com Freitas do Amaral qualquer contacto, mas sempre o respeitei como um homem livre e livre-pensador, sem ideias pré-concebidas.
E nessa noite, naquele restaurantezinho meio vazio, apercebi-me de que, naquela mesa de família, havia um zum-zum quase conspirativo, acreditando eu que seria o alvo. Ora enquanto mero e insignificante apoiante de Soares nas presidenciais, já ocorridas há bastantes anos, não me parecia credível que daí viesse o contexto da "conspiração".
Continuei, por isso, a minha solitária manducação, acompanhado da - na altura - a melhor sangria de Lisboa e arredores. E o tempo foi passando, clientes foram saindo, restando eu e a referida família.
A certa altura, o Professor levanta-se e - espanto meu - aborda-me : - «Dá-me licença que me sente ? Gostava de falar consigo ... »
Levantei-me - surpreendido - e quase que mecanicamente, cumprimentei-o e disse "concerteza".
"Sabe - disse-me - a minha filha reconheceu-o da televisão, daquele programa que fez com a Manuela Moura Guedes sobre a SIDA. Eu também vi. E como achei a sua prestação muito boa e nada percebo do assunto, gostava - se me permitir - de, acerca dele, conversar consigo... "
E conversamos...
A certa altura, pede desculpa, vai ter com a mulher e entrega-lhe a chave do carro.
"Assim, ficamos mais à vontade ..."
E ali ficamos, sob o olhar cúmplice do dono do restaurante, a conversar sobre a SIDA e o VIH, durante, seguramente, mais de duas horas. Eu, com a minha amêndoa amarga, ele com sucessivas águas das Pedras.
No final, ainda me ofereci para o levar a casa - ele vivia na Quinta da Marinha, em Cascais - e eu estava a 200 metros de casa. "Era o que faltava ! Apanho um táxi." E lá fomos os dois, até ao Camões, como se dois velhos amigos se tratasse.
Voltei a revê-lo - e a conversar - muitas vezes aos almoços tardios de Domingo, no restaurante do Golf da Quinta da Marinha (onde, um belo dia, ía matando o nosso Ministro dos Negócios Estrangeiros, com uma bola que me saiu com um slice estranho) . Comíamos ambos uma extraordinária salada de pato fumado, que ainda hoje me está no paladar ...
Na primeira conversa, disse-me para deixar cair o "Professor" e o tratar apenas por Diogo. Nunca consegui !
Foi, de facto, um Professor eminente, latu sensu !
Vou ter saudades, Senhor Professor Doutor Diogo Freitas do Amaral !
MRP, 4 de Outubro de 2019
PS 1 - Uns tempos depois de Soares ter ganho as presidenciais, Mário Soares, numa conversa no Hotel Infante de Sagres, confessou-me : " Oh Rodrigues Pereira : a Presidência também teria ficado muito bem entregue ao Freitas do Amaral ... "
PS 2 - *** - As últimas palavras de Freitas do Amaral, aquando da apresentação do seu último livro, citando uma canção de Frank Sinatra. Não podia estar mais de acordo...



Publicado por Tovi às 13:44
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 23 de Setembro de 2019
Eleições Regionais na Madeira

Distribuicao-partidaria-madeira-FN.jpg

Vitória só teve o PSD, mas com o sabor amargo de ter perdido a maioria absoluta. BE foi à vida, CDU e CDS levaram um grande tombo (CDU de dois deputados para um; CDS de sete deputados para dois) e o PS teve uma subida considerável mas que soube a pouco. No meio disto tudo o CDS pode-se gabar de ser por ele que tem que passar o Governo da Madeira… e a “oposição” nem com geringonças lá vai.



Publicado por Tovi às 09:13
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 21 de Julho de 2019
PSD a afundar-se nas sondagens

Captura de Ecrã (169).png

Comparando o resultado das últimas Legislativas com a evolução dos estudos de opinião conhecidos nestes últimos três meses, verifica-se uma clara subida do PS e do PAN (+5,19 e +2,61 pontos percentuais, respetivamente) e uma descida abrupta do PSD (-7,06%). A coligação CDU e o CDS descem também (-1,45% e -1,30%, respetivamente). Independentemente de se concordar ou não com a política da “Geringonça” a verdade é que é sempre desejável uma oposição forte e credível… mas pelo andar da carruagem ainda não é desta que os sociais-democratas encontraram quem os leve a manter um braço de ferro com António Costa e a sua equipa.



Publicado por Tovi às 10:05
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Setembro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9


20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


Posts recentes

Autárquicas na Invicta - ...

Remodelar o Governo... qu...

Grande abanão na direção ...

Há coisas que não entendo

Conselho Nacional do CDS

Barómetro de novembro da ...

CDS-Porto apoia Rui Morei...

Nova sondagem da Intercam...

“Equívocos e mal entendid...

28º Congresso do CDS

Rui Rio vence as diretas ...

Pós-eleições… no Facebook

Morreu Freitas do Amaral

Eleições Regionais na Mad...

PSD a afundar-se nas sond...

A C.M.Porto salva o Liceu...

Ouvir Portugal... no Port...

Carlos Almendra candidato...

A quem servir a carapuça

Queriam "jobs for the boy...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus