"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Sexta-feira, 20 de Maio de 2022
Receitas de petróleo da Rússia disparam 50% este ano

noticia_0000012561-711x400.jpg

As receitas de petróleo da Rússia dispararam 50% este ano, isto apesar das sanções aprovadas pelos Estados Unidos da América e pelo Reino Unido. Apesar da sua vontade de reduzir a dependência do petróleo russo, a União Europeia manteve-se como o principal mercado das exportações russas em abril, pesando 43% no total. Moscovo ganhou 20 mil milhões de dólares por mês este ano com a venda de crude e de produtos refinados, a um ritmo de oito milhões de barris por dia, segundo dados da Agência Internacional de Energia (IEA), citadas pela “Bloomberg”.

 

mw-860.jpg

Dias depois de ter proposto um embargo a todo o tipo de petróleo russo, na sequência da invasão militar da Ucrânia, a União Europeia aponta que “o investimento total necessário para garantir a segurança do aprovisionamento de petróleo deverá ascender a entre 1,5 e dois mil milhões de euros”. Bruxelas admite que “a dependência dos combustíveis fósseis russos estende-se também ao petróleo bruto e aos produtos petrolíferos”, mas “enquanto na maioria dos casos o mercado mundial permite uma substituição rápida e eficaz, alguns Estados-membros dependem mais do petróleo russo”. 

 

 

Captura de ecrã 2022-05-20 102147.jpg

As negociações entre os 27 Estados-membros da União Europeia (UE) para a implementação de um novo pacote de sanções contra a Rússia estão num impasse, com o chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, a admitir dificuldades em garantir o apoio da Hungria à proposta de embargo do petróleo russo. O sexto pacote de sanções proposto pela Comissão Europeia há duas semanas prevê a eliminação total e gradual da importação do petróleo russo até ao final do ano, tendo em vista a redução da dependência energética europeia em relação a Moscovo. Mas a Hungria tem vindo a manifestar-se contra esta medida, mesmo com a possibilidade de um ano suplementar de transição para o país - e para a Eslováquia, ambos países que não têm acesso ao mar, podendo apenas receber petróleo através de oleodutos e da Rússia, o que, alegam, põe em causa a segurança energética dos seus países. Face a esta intransigência de Budapeste, a Comissão Europeia estará a negociar com o governo de Viktor Órban um programa de investimento comunitário para ajudar a reduzir a dependência energética do país em relação à Rússia. Bruxelas espera, desta forma, conseguir ultrapassar o veto húngaro à proposta de embargo ao petróleo russo “nos próximos dias”, abrindo assim caminho para a aprovação do sexto pacote de sanções contra Moscovo.

 

Captura de ecrã 2022-05-20 162526.jpg

A Gasum, empresa de energia estatal finlandesa, informou hoje que a Rússia cortará os fluxos de gás natural para a Finlândia no dia de amanhã, sábado 21mai2022. No entanto a Gasum continuará a fornecer gás natural aos clientes finlandeses através do gasoduto Balticconnector que liga a Finlândia à Estónia.

 

1-China.jpg

A China está a aumentar discretamente as compras de petróleo da Rússia a preços de saldos, de acordo com dados de embarque e comerciantes de petróleo citados pela “Reuters”, preenchendo o vazio deixado pelos compradores ocidentais que se afastaram dos negócios com a Rússia desde a invasão da Ucrânia em fevereiro. A China, que é o maior importador de petróleo do mundo, decidiu apostar na energia vinda de Moscovo um mês depois de inicialmente reduzir os abastecimentos russos, por receios de parecer apoiar abertamente a Rússia  e potencialmente expor as suas gigantes petrolíferas estatais a sanções. As importações marítimas de petróleo russo da China aumentaram para um valor recorde de 1,1 milhões de barris por dia (bpd) em maio, acima dos 750 mil bpd no primeiro trimestre e 800 mil bpd em 2021, de acordo com uma estimativa da Vortexa Analytics.



Publicado por Tovi às 07:43
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 13 de Abril de 2022
As Guerras do pós-Guerra Fria

depositphotos_279056420-stock-illustration-ares-th
Sou um apaixonado pela História Pós-Guerra Fria (da queda do Muro de Berlim [9nov1989] aos dias de hoje) e nestas três décadas foi-nos prometido PAZ, com liberdade, democracia e direitos humanos, mas muitas guerras houve e uma guerra nunca é bonita.

 

  Conflitos armados no pós-Guerra Fria (in Wikipédia)
Guerra Civil Angolana (1975-2002) – MPLA x UNITA.
Conflito Hmong (1975-2007) – Exército Popular do Laos x Rebeldes de etnia Hmong.
Conflito de Cabinda (1975–presente) – Angola x FLEC.
Guerra Cambojana-Vietnamita (1977-1991) – Vietnam x Khmer Vermelho.
Guerra de Nagorno-Karabakh (1988-1994) – República de Nagorno-Karabakh x República do Azerbaijão.
Guerra do Golfo (1990-1991) – USA+Arábia Saudita+Reino Unido+França+Egito x Iraque.
Guerra da Bósnia (1992-1995) – Bósnia e Herzegovina+NATO x Croácia x Repúblicas ex-Jugoslávia.
Primeira Guerra da Chechênia (1994-1996) – Rússia x Chechênia.
Operação Traíra (1991) – Brasil+Colombia x FARC.
Guerra de Cenepa (1995) – Equador x Peru.
Primeira Guerra do Congo (1996-1997) - Mobutu Sese Seko x Laurent-Désiré Kabila.
Guerra do Kosovo (1996-1999) – Jugoslávia+Rússia x Kosovo+NATO.
Guerra Civil na República do Congo (1997-1999) – Entre dois candidatos presidenciais terminando com uma invasão das forças angolanas e instalação de Denis Sassou Nguesso no poder.
Guerra Eritreia-Etiópia (1998-2000) – Eritreia x Etiópia.
Segunda Guerra do Congo (1998-2003) – Forças alinhadas com os Hútus x Forças alinhadas com os Tutsis.
Guerra de Kargil (1999) – Índia x Paquistão.
Guerra do Kosovo (1999) – NATO x Jugoslávia.
Segunda Guerra da Chechênia (1999-2000) – Rússia x Chechênia.
Guerra do Afeganistão (2001-2021) – EUA x Talibã.
Guerra do Iraque (2003-2011) – EUA x Iraque.
Guerra Civil Iraquiana (2011-2017) – Entre diversos grupos iraquianos e jihadistas.
Segunda Guerra do Líbano (2006) – Israel x Hezbollah.
Guerra Russo-Georgiana (2008) – Rússia x Geórgia.
Operação Chumbo Fundido (2008-2009) – Israel x Hamas.
Operação Odisseia ao Amanhecer (2011) – Conselho Nacional de Transição (Líbia) x Líbia de Kadhafi.
Guerra Civil Síria (2011-presente) – Jihadistas x Síria.
Operação Margem Protetora (2014) – Israel x Faixa de Gaza.
Guerra em Donbass (2014-presente) – Ucrânia x Repúblicas de Donetsk e Lugansk.
Guerra Civil Iemenita (2015-presente) – Forças leais a Abd Rabbuh Hadi x Comitê Revolucionário do Iêmen.
Conflito no sul da Arábia Saudita (2015-presente) – Arábia Saudita x Houthis.
Insurgência na Tunísia (2015-presente) – Tunísia x Estado Islâmico do Iraque e do Levante.
Rebelião curda na Turquia (1978-presente) – Turquia x Grupos Rebeldes Curdos.
Confrontos de Kasese (2016) – Reino de Rwenzururu x Uganda.
Confrontos de Kasai-Central (2016-presente) – Milícia Kamwina Isapu x República Democrática do Congo.
Crise Separatista nos Câmarões (2016-presente) – Camarões x Ambazônia.
Guerra no Alto Carabaque (2020) – Azerbaijão x República de Nagorno-Karabakh.
Guerra do Tigré (202-presente) – Etiópia x Tigré.
Invasão da Ucrânia pela Rússia (2022-presente) – Rússia x Ucrânia.


Da Mota Veiga Suzette - Verdade! E agora esta Guerra Russia - Ucrânia já dentro da Europa! Não se sabe como e quando vai acabar. O Putin vai dificilmente admitir que foi um erro. Por isso está intensificar a guerra para obrigar a Ucrânia a ceder ao plano russo e impedir a aproximação a União Europeia. Não sei imaginar a continuação. Entretanto os paises nordicos querem fazer parte da Nato, porque só a Nato pode dissuadir os Russos. ....mas não sabemos o plano B do Putin!
David Ribeiro - O alargamento da NATO ou da União Europeia a novos países não me dá nenhuma tranquilidade, Da Mota Veiga Suzette. O caso da Hungria, membro de pleno direito quer da UE quer da Aliança Atlântica, ou muito me engano ou vai trazer-nos graves dissabores.
Da Mota Veiga Suzette - Verdade! Só espero que o pior não acontece! (Guerra generalizada, uma disordem completa e empobrecimento dos povos! Sem pensar no perigo nuclear.) Já alarguei a horta para ser o mais possível independente e autosuficiente. Mas preciso de alimentar 15 cães adultos, 10 kg de boa ração por dia! Importado da França. Esta não pode faltar! Caso pior posso cozinhar alimentação dos cães em panelas de exército,15 kg por dia! Melhor não pensar demais! Wait and see!
Luis Barata - Mais de 20 delas totalmente promovidas, instigadas, sustentadas e protagonizadas pela Rússia. É sistemático.
Mário Santos
Muitas batalhas e guerras, mas prefiro a batalha intelectual p. ex: entre Fukuyama (“The End of History and the Last Man”), e Huntington (“The Clash of Civilizations”). O militarismo e as rivalidades culturais continuam superando a lógica econômica. A Grande Ilusão Capitalista está novamente sob ataque em Kiev (2ª globalização). Após 4 anos da publicação da "The Great Illusion" de Norman Angell rebenta a I GM (fim da 1ª globalização), esperemos que amanhã haja um Keynes...

 


Стартовый_комплекс_космодрFalando durante uma visita às instalações de lançamento espacial Vostochny, no extremo leste da Rússia, Vladimir Putin acusou a Ucrânia de ser uma “testa de ferro anti Rússia” onde “brotos de nacionalismo e neonazismo estão a ser cultivados”. Putin acrescentou que Moscovo “não tem outra escolha” a não ser agir contra o seu vizinho. A Ucrânia e os seus aliados ocidentais rejeitaram tais alegações como uma cobertura para a agressão.

 


277784110_338545014971430_4502667354839678904_n.jpAutoridades ucranianas acusaram hackers russos de tentarem lançar um ataque cibernético destrutivo na rede elétrica do país. O grupo, apelidado pelos serviços de segurança de “Sandworm” e anteriormente ligado a ataques cibernéticos destrutivos atribuídos à Rússia, implantou malware destrutivo e de limpeza de dados em computadores que controlam subestações de alta tensão na Ucrânia, disse a Equipe de Resposta a Emergências de Computadores da Ucrânia (CERT-UA) numa declaração no seu site. “A organização sofreu duas ondas de ataques. O compromisso inicial ocorreu em fevereiro de 2022. A desconexão das subestações elétricas e o desligar da infraestrutura da empresa estavam programados para sexta-feira à noite, 8 de abril de 2022”, disse o comunicado do CERT-UA. As autoridades conseguiram impedir que o ataque ocorresse, acrescentou. A declaração não disse qual o fornecedor de energia ucraniano que foi alvo. A Rússia negou consistentemente as acusações de que lançou ataques cibernéticos à Ucrânia.

  No que toca a informação aldrabada Moscovo e Kiev estão bem uns para os outros.
278330150_10221230502699999_6800525639948807213_n.

 

  Com sete metros de comprimento e três de altura, “Slava Ukranini” é o nome da obra do artista MrKas, junto ao metro da Lapa, na Alameda Capitães de Abril, no Porto.
mural-ucrania-perto-da-lapa-1-1024x688.jpg

 

  É o que dizem... falta confirmar
278423222_10221234448198634_5745270018553575209_n.
  O Ministério da Defesa da Ucrânia diz que não tem informações sobre a rendição de uma brigada de fuzileiros navais ucranianos em Mariupol que foi relatada anteriormente por Moscovo. "Não tenho informações", disse Oleksandr Motuzyanyk à agência de notícias Reuters em resposta a um pedido de comentário.

 


Ucrânia quem controla o quê 13abr2022.jpg
Quem acompanha a comunicação social fora deste nosso jardim à beira-mar plantado já deve ter reparado num certo “descontrolo” nas mais recentes afirmações do staff de Volodymyr Zelensky, o que denota não estar a correr muito bem o comando da defesa do território ucraniano perante um crescer da ofensiva das tropas invasoras de Putin. Por outro lado, o Kremlin cada vez mais “fala grosso” e a China todos os dias “inclina-se” mais para o lado de Moscovo. Espero estar redondamente enganado… mas as coisas estão negras no leste e sul da Ucrânia.

Paulo Pereira - O que me parece é que o Zelensky não quer nenhum acordo com a Rússia mas parece que se perder Mariupol acaba por ser forçado a um acordo. Por isso prefere que todos os ucranianos morram em Mariupol do que se rendam
David Ribeiro - Paulo Pereira, espero que Zelensky nunca tenha lido a mensagem que Salazar enviou em dezembro de 1961 ao general Vassalo e Silva, governador do Estado Português da Índia: "Não prevejo possibilidade de tréguas nem prisioneiros portugueses, como não haverá navios rendidos, pois sinto que apenas pode haver soldados e marinheiros vitoriosos ou mortos ..."
Carlos Miguel Sousa
David Ribeiro, pensei exactamente nisso.
Chico GouveiaO plano de Putin não prevê a paz. Putin quer anexar a Ucrânia á Rússia. Anda a dizê-lo desde a anexação da Crimeia. Só quem anda muito distraído, não acompanha a História, e fala de cartilha, não entende que a paz não é possível. Só para em Kiev. E se não conseguir Kiev pela força das armas, bombardeia-a nuclearmente. Apontem.
Paulo PereiraChico Gouveia não sou astrólogo como você.. Vai ser bonito então nao haver negociações e termos uma guerra na Europa por 10 ou 20 anos.
Chico GouveiaPaulo Pereira Não. A guerra termina este ano. Em Janeiro de 2023 a China quer o assunto resolvido quando iniciar a implementação da sua rota da seda. Putin tem até ao fim do ano para tomar Kiev. Vai fazê-lo de qualquer maneira. Já agora: rendição não faz parte do código de guerra russo. Rendição faz parte dos códigos militares ocidentais como termo de uma guerra: vitória de um lado e rendição do outro. No russo é vitória e aniquilamento do inimigo.
Paulo PereiraChico Gouveia é muita astrólogia para mim...
Jorge Veiga - se calhar prefere todos mortos do que escravos para sempre, como tem acontecido com o poder russo.
Paulo Pereira - Jorge Veiga, quem são os escravos na Rússia?
Jorge Veiga - Paulo Pereira, a maioria do povo.
Jorge De Freitas Monteiro - Jorge Veiga, essa é uma das frases mais infelizes de sempre. Os que se ajoelham perante um poder maior poderão sempre no futuro revoltar-se e levantar-se. Os mortos nunca mais se levantam.
Jorge VeigaJorge De Freitas Monteiro, essa é a tua opinião. E esse raciocínio também é infeliz, porque há muita gente que não gosta de estar de joelhos.
Jorge De Freitas MonteiroJorge Veiga, ninguém gosta, mas enquanto há vida há esperança; preferia estar morto? Regra geral quem afirma esses disparates é quem está bem seguro em casa no sofá e não quem tem realmente que optar entre uma coisa e outra.
Jorge Veiga
Jorge De Freitas Monteiro, estás num país com ditadura? Boa sorte para andares vergado.
Paulo Pereira - Jorge Veiga, que exagero... Ainda até à pouco tempo os russos podiam sair do país livremente
Jorge Veiga
Paulo Pereira, Acha? E quem sou eu para desmentir. Se entendes que é um povo livre, porque até pode viajar, estará como nós no tempo do Salazar. É que também podíamos sair do país.
Domingos CunhaComo diria a múmia do filme "A "Ucrânia" é apenas o princípio..."
Paulo PereiraHá astrólogos por aqui ... e videntes. Não tenho essas capacidades
David Ribeiro - Não, não são astrólogos nem videntes, Paulo Pereira. Mas dizem o que gostariam que acontecesse como fosse uma premonição.
Paulo Pereira
David Ribeiro a malta prefere adivinhar o futuro do que analisar o presente... A chamada conversa da treta



Publicado por Tovi às 07:35
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Quarta-feira, 6 de Abril de 2022
Novas sanções à Rússia

277519197_10219442057905652_5298508228563743468_n.

A União Europeia está a preparar novas sanções à Rússia, condenado assim com a maior veemência as atrocidades que terão sido cometidas pelas forças armadas de Putin em várias cidades ucranianas que foram recentemente libertadas. 

 

  Al Jazeera - 5abr2022
Captura de ecrã 2022-04-05 104808.jpgO governo ucraniano exigiu novas e paralizantes sanções por parte das potências ocidentais sobre o que chamou de "massacre" de Bucha.
A União Europeia provavelmente adotará novas sanções contra a Rússia na quarta-feira, disse o ministro de Assuntos Europeus da França, Clement Beaune. Isto ocorre após relatos de assassinatos de civis no norte da Ucrânia por forças russas, o que a Rússia negou. “As novas sanções provavelmente serão adotadas amanhã”, disse Beaune à rádio RFI, acrescentando que a UE também deve agir rapidamente sobre as importações de gás e carvão da Rússia. 
Os EUA impediram o governo russo de pagar aos detentores de sua dívida soberana mais de 600 milhões de US$ das reservas mantidas em bancos americanos, num movimento destinado a aumentar a pressão sobre Moscovo e obrigar o Kremlin a decidir se usará os dólares que tem para pagar a sua 
dívida ou para outros fins, como por exemplo o seu esforço de guerra, disse um porta-voz do Departamento do Tesouro dos EUA. 
O mayor de Kiev pediu aos políticos europeus que cortem todos os laços comerciais com Moscovo, dizendo que todos os pagamentos à Rússia alimentarão o que ele chamou de “genocídio de ucranianos”.

 

  Agência Lusa - 5abr2022
95272716_European-Commission-President-Ursula-von-A Comissão Europeia propôs esta terça-feira novas medidas restritivas “mais amplas e mais severas” para a economia russa, após as alegadas execuções de civis cometidas pelas tropas russas, nomeadamente em Bucha, na Ucrânia. Segundo Ursula von der Leyen, as novas sanções – que terão de ter aval dos Estados-membros – incluem “uma proibição de importação de carvão proveniente da Rússia, no valor de quatro mil milhões de euros por ano”, com vista a “cortar outra importante fonte de receitas para a Rússia”. Foi também revelado que a UE está já a “trabalhar em sanções adicionais, incluindo sobre importações de petróleo, e a refletir sobre algumas das ideias apresentadas pelos Estados-membros, tais como impostos ou canais de pagamento específicos, tais como uma conta caucionada”. A Rússia é responsável por cerca de 45% das importações de gás da UE, bem como por cerca de 25% das importações de petróleo e por 45% das importações de carvão europeias.

 

  
1024.jpgDez funcionários da embaixada russa em Lisboa têm duas semanas para deixar Portugal. João Gomes Cravinho, Ministro dos Negócios Estrangeiros, notificou na tarde de ontem [5abr2022] "o Embaixador da Federação Russa”, considerando que as atividades destes dez funcionários “são contrárias à segurança nacional”. “São funcionários com acreditação diplomática junto da missão russa em Lisboa, são funcionários que estavam a trabalhar de uma forma que punha em causa interesses de segurança nacional e, portanto, naturalmente que tomámos a decisão adequada, que é dizer que tinham de sair do país”, declarou Cravinho, à chegada a uma reunião de ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO no dia de hoje.
  
O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Grécia, citado pela Tass, informou que o país irá expulsar 12 diplomatas russos, declarados como personas non-gratas. O governo helénico junta-se assim a outros países da União Europeia, como Portugal, Itália, Espanha, Dinamarca e Suécia, na adoção desta medida.
  O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Alexander Grushko, afirmou esta quarta-feira que o país deseja manter as relações diplomáticas com o Ocidente, isto apesar das recentes expulsões de diplomatas russos decretadas por vários países da União Europeia. A propósito desta medida, Grushko disse que os países que a tomam "estão a prejudicar os próprios interesses". Citado pela Tass, o governante russo avisou também que a UE "irá pagar pela chantagem energética", e avisou o Ocidente para não "brincar" em torno do exclave de Kaliningrado.
  
O Ministério das Relações Exteriores do governo holandês, numa declaração em carta ao Parlamento, disse que atualmente está a impedir que 14 iates deixem o país devido a sanções à Rússia, incluindo 12 que estavam em construção para proprietários russos.
  
O governo da Nova Zelândia vai introduzir uma tarifa de 35% sobre todas as importações da Rússia e proibirá a exportação de produtos industriais, como equipamentos de telecomunicações e motores para o território russo.
  
Os EUA anunciaram um novo lote de 18 indivíduos abrangidas pelas sanções. Neste grupo de pessoas, destacam-se os nome de Dmitry Medvedev, ex-presidente e primeiro-ministro e atual vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, e do atual primeiro-ministro do país, Mikhail Mishustin. A Reuters, citando o Departamento do Tesouro dos EUA, avança que o atual ministro da Justiça da Rússia, Konstantin Chuychenko, também passará a constar da lista de sancionados.
  
À semelhança dos EUA, o Reino Unido também irá impor o bloqueio total ao Sberbank, bem como o Banco de Crédito do Moscovo, avança a Reuters, citando fonte governamental. O Reino Unido anunciou também que irá proibir a importação de carvão russo, medida que a União Europeia também iria tomar. No entanto, devido a questões técnicas levantadas por vários Estados, o bloco dos 27 adiou um potencial acordo para amanhã.

 


transferir.jpgHoje e amanhã reúnem-se no quartel-general da NATO em Bruxelas os ministros dos Negócios Estrangeiros dos países membros, com a presidência do secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte, Jens Stoltenberg. “Desde a invasão, os aliados aumentaram o seu apoio. Espero que, quando nos encontremos hoje e amanhã, os ministros discutam como podemos ajudar ainda mais a Ucrânia. Os aliados estão a fornecer armas antitanque, antiaéreas e sistemas de defesa aérea, mas também vários tipos de sistemas avançados de armamento”, disse Stoltenberg, que vincou que a totalidade do apoio é “significativa”. “Neste conceito, precisamos de abordar as consequências securitárias das agressivas ações russas, o equilíbrio de poder mundial em mudança, as consequências securitárias de uma China muito mais forte, e os desafios que Rússia e China estão a impor juntos a uma ordem internacional de valores democráticos baseada em regras. Definiremos a estratégia sobre como líder com terrorismo ciber e híbrido, bem como as consequências das alterações climáticas para a segurança”, acrescentou.

  
Sanções, sanções e mais sanções. Mas... "Mil milhões de euros pode parecer muito, mas mil milhões de euros é o que pagamos a Putin todos os dias pela energia que nos fornece. Desde o início da guerra, demos-lhe 35 mil milhões de euros" (Josep Borrell, responsável pela diplomacia na União Europeia).
Captura de ecrã 2022-04-07 095729.jpg

 

  5.ª feira - 07abr2022
image.jpgA Assembleia Geral das Nações Unidas acaba de votar a suspensão da Rússia de Conselho de Direitos Humanos da ONU, durante uma sessão em Nova Iorque. Antes da votação, o embaixador da Ucrânia na ONU, Sergiy Kyslytsya, acusou a Rússia de abusos “horríveis”, levantando a questão de supostos assassinatos de civis na cidade de Bucha. O representante da Rússia, Gennady Kuzmin, condenou a votação da moção apresentada pelos Estados Unidos - 93 países votaram a favor (entre os quais Portugal), 24 países votaram contra (Argélia, Bielorrússia, Bolívia, Burundi, Cuba, Congo, Coreia do Norte, Eritreia, Etiópia, República Centro-Africana, Gabão, Irão, Cazaquistão, Laos, Quirguistão, Mali, Nicarágua, Rússia, Síria, Tajiquistão, Zimbabué, Uzbequistão, Vietname e China) e 58 países abstiveram-se (entre os quais Brasil, Índia e África do Sul). Apenas 175 dos 193 países-membros da ONU participaram da votação.

 

  Nos últimos três dias o panorama de tropas no terreno alterou-se substancialmente na região nordeste de Kiev.
De dia 04 para dia 06abr2022.jpg



Publicado por Tovi às 07:42
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Terça-feira, 29 de Março de 2022
Nova ronda de negociações entre Rússia e Ucrânia

277548818_10223679315068906_4413917342766600475_n.
Arranca hoje na Turquia mais uma ronda de negociações presenciais russo-ucranianas e deverão estender-se até quarta-feira. O facto de Erdogan ter sido, desde o início, um dos mediadores de quem as duas partes desconfiam menos e também pelo facto da Turquia ser membro da NATO, é importante e poderá revelar alguma coisa. Veremos.

O avião que transportava membros da delegação russa aterrou em Istambul a meio da tarde de ontem, para mais uma ronda de negociações, programadas para hoje e amanhã (28 e 29mar2022) em modelo presencial. O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse que a Ucrânia poderá aceitar declarar neutralidade – e, eventualmente, aceitar um compromisso para as áreas reclamadas por separatistas no leste do país – bem como oferecer garantias de segurança à Rússia para garantir a paz “sem demora”. O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, anunciou neste mesmo dia de segunda-feira que se reunirá tanto com a delegação ucraniana como com a russa antes de estas iniciarem hoje uma nova ronda de negociações no Palácio Dolmabahce de Istambul. É capaz de sair fumo branco destas negociações... e quem vai ficar bem na fotografia é Erdogan.

 

  O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, dirigiu-se às delegações ucraniana e russa, que retomam hoje as conversações de paz em Istambul. "Uma paz justa não terá um derrotado. O conflito continua a não beneficiar ninguém", disse o presidente turco, antes do arranque das negociações. No seu discurso, Erdogan sublinhou também o papel da Turquia, considerando que o seu país tem mostrado "uma posição justa" em todas as frentes desde o início da guerra. O presidente turco lembrou as partes que chegou o momento de as negociações "terem resultados concretos", pedindo um "imediato cessar-fogo". Erdogan disse ainda que os eventuais progressos alcançados em Istambul podem abrir caminho ao encontro entre os presidentes Volodymyr Zelensky e Vladimir Putin, que a Turquia está também disponível para acolher. "Ambos são amigos de valor", sublinhou o presidente turco.

  oligarca russo Roman Abramovich está presente nas negociações entre a Rússia e a Ucrânia, que decorrem esta terça-feira, em Istambul. Foi filmado e fotografado por vários órgãos de comunicação no local, sentado ao lado de Ibrahim Kalin, porta-voz de Erdogan, enquanto escuta a tradução das declarações do presidente turco. De referir que esta não é a primeira vez que o dono do Chelsea participa nestas reuniões. De acordo com o Wall Street Journal, Abramovich esteve numa ronda de negociações, que teve lugar em Kiev, no início do mês. O oligarca russo foi um dos que sofreu graves sanções económicas em consequência da invasão à Ucrânia, muito devido à sua ligação a Moscovo e Vladimir Putin, que o levaram a colocar o Chelsea à venda.

 

  
Captura de ecrã 2022-03-29 135009.jpgO encontro entre as delegações da Ucrânia e da Rússia em Istambul já terminou [12h30 TMG], confirmou a embaixada ucraniana na Turquia e também Ankara. As negociações de paz duraram cerca de quatro horas, com algumas pausas, e ainda não é claro se serão retomadas na quarta-feira. A Ucrânia já apresentou a sua proposta final à Rússia sobre o que entende por neutralidade e aguarda agora uma resposta, segundo indicou um dos negociadores ucranianos, Oleksander Chaly, que falou aos jornalistas no final do encontro que decorreu em Istambul, ao lado do conselheiro presidencial Mykhailo Podolak. De acordo com a fonte ucraniana, se as garantias de segurança funcionarem, Kiev aceita o estatuto neutral. Este estatuto obrigará a que a Ucrânia não adira à NATO ou outras alianças militares e que não haja bases militares estrangeiras no país Kiev diz que para haver um acordo final com a Rússia tem de haver paz em toda a Ucrânia e ainda que os termos do acordo com Moscovo vão estar sujeitos a referendoA situação na Crimeia não foi excluída, com a Ucrânia a propor consultas com a Rússia sobre o estatuto da região, que foi anexada por Moscovo em 2014, durante os próximos 15 anosQuanto às garantias de segurança, além da Turquia ser apontada como o principal aliado neste capítulo, também Israel, Polónia e Canadá podem estar entre os países que assegurarão as condições necessárias de segurança ao abrigo de um novo sistema. A Ucrânia adiantou ainda que houve desenvolvimentos suficientes para que Volodymyr Zelensky e Vladimir Putin se possam reunir presencialmente. O negociador e alto responsável do Kremlin, Vladimir Medinsky, confirmou que as conversações foram construtivas, que vão agora olhar para as propostas ucranianas e apresentá-las a PutinNo entanto, para que os dois presidentes se encontrem será necessário um acordo assinado entre os ministros dos Negócios Estrangeiros Sergei Lavrov e Dmytro Kuleba. O vice-ministro russo da Defesa, Alexander Fomin, anunciou que as tropas russas vão "reduzir radicalmente" as atividades militares em Kiev e Chernihiv, na sequência das negociações de paz. Fomin pediu também à Ucrânia para cumprir as Convenções de Genebra sobre prisioneiros de guerra.
  
Carlos Miguel Sousa - Oxalá esta gente se entenda.
David Ribeiro - Já parece haver uma ténue luz ao fundo do túnel... e o Erdogan a ficar bem na fotografia.
Carlos Miguel SousaO Erdogan, posiciona-se sempre como a principal potência regional. E tem sido inteligente nessa estratégia.

 

  As negociações de paz entre as delegações da Ucrânia e da Rússia que se encontram em Istambul não prosseguem amanhã, adiantou o ministério turco dos Negócios Estrangeiros, dando o encontro de hoje como concluído.

 

-------------------------      -------------------------

 


5b973878a31033b41c02ae18.jpegNuma altura em que não é clara a posição da China relativamente ao apoio militar à Rússia na guerra com a Ucrânia, o ministro russo dos Negócios Estrangeiros disse ontem [2.ª feira, 28mar2022] que as relações entre os dois países nunca estiveram tão fortes. O tema não foi, no entanto, aprofundado por Sergei Lavrov, que respondia aos jornalistas sobre como a Rússia estava a reagir às sanções internacionais, sabendo-se desde já que Pequim recusou aplicar sanções económicas a Moscovo. "As nossas relações com a China estão mais fortes do que nunca. A nossa parceria estratégica privilegiada com a Índia está a crescer. Também temos laços com a maior parte do Médio Oriente, com os países latinos e africanos", apontou Lavrov.

 

  João Fernando Ramos, enviado especial da CNN Portugal a Lviv
O “Obelix” da Ucrânia
1024.jpg
Conheci hoje o Iaroslav.
Estava sentado na entrada da aldeia de Nova Camianka, junto a uma proteção muito musculada da sede do poder local. A aldeia fica a uns quarenta quilómetros de Lviv, perdida no meio da imensidão dos campos desta região. Chegámos lá por uma estrada de terra, depois de termos contornado uma barreira cheia de sacos de areia e de blocos de betão, mas sem ninguém de guarda.
As pessoas ficam muito desconfiadas com a chegada de estrangeiros. Ninguém fala inglês e só o nosso tradutor consegue quebrar o medo com a insistência de que somos portugueses e que vimos por bem.
Só restam os velhos, algumas mulheres e muitas crianças. Estão aqui no colo dos avós, muito mais seguras do que nas cidades. Quem vive ali acredita nisso. Não lhes disse nada em contrário, mas não me tranquiliza deixar o meu novo amigo Iaroslav, mesmo com os seus 180 quilos, com a missão de defender aquela terra de caçadeira em punho e, se necessário, a correr russos à paulada. Este país tem um contraste imenso entre as cidades e o campo. O desenvolvimento tarda em chegar aqui e esta guerra vai ainda causar mais problemas para quem ainda resiste. Os tratores são da primeira geração de máquinas agrícolas. O transporte de estrumes e adubos é feito ainda de burro e as bicicletas servem para novos e velhos se aventurarem naqueles caminhos poeirentos com sacos e pertences.
A conversa com Iaroslav foi deliciosa, mesmo com uma tradução muito incompleta pelo meio. Acabámos sentados numa mesa com eles a partilharem o melhor que tinham, ao ritmo de copinhos de vodka ucraniano. Falta quase tudo aqui e estas pessoas vivem do que a terra dá - mesmo assim partilham. Iaroslav contou os dias e as noites em que partiram brigadas da aldeia com sopa e agasalhos para os milhares de refugiados que passavam por ali. Ele optou por ficar, com a aldeia, mas também com a família. Na mesa juntaram-se a senhora Iaroslav e a filha.  Entraram logo naquela conversa com gestos e sorrisos que nos afastou a todos do temor de um qualquer ataque surpresa.
Brindámos à paz, à Ucrânia e a Portugal.
Não sei se o vou voltar a ver, mas ficará nas doces memórias de uns dias terríveis como o nosso Obelix, que não desiste, mesmo quando só tem as mãos para lutar.



Publicado por Tovi às 08:07
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 27 de Março de 2022
Qual é a estratégia da China na Ucrânia?


mw-860.jpgAs negociações continuam, mas os resultados são praticamente nulos… e diz quem acompanha esta crise provocada pela invasão da Ucrânia pelas tropas de Putin que o importante e que ainda teremos que aguardar é para onde vai a China cair, pois será o que influenciará o destino da guerra. Eu também sou desta opinião.


Pingus Vinicus - A China tem uma paixão pela Rússia…
Jorge De Freitas Monteiro - A China cai sempre para o seu próprio lado. O que neste caso significa ter interesse numa solução pacífica da qual a Rússia não saia enfraquecida nem os US reforçados.
David Ribeiro - ...o que no atual estado da coisa é o mesmo que cair para o lado russo.
Jorge De Freitas Monteiro - David Ribeiro, provavelmente. Aliás é interessante ver o tom utilizado por diplomatas e altos funcionários chineses nas suas contas no Tweeter. Sabendo-se que os chineses não dizem nada só por dizer é muito significativo. Mais um factor que a informação a que temos direito omite cuidadosamente.
David Ribeiro - Mas os chineses são exímios em dar “uma no cravo e outra na ferradura”, conforme lhes convenha. Na semana passada, durante uma conversa telefónica entre Xi Jinping e Joe Biden, o presidente chinês disse que os interesses económicos da China estão com o Ocidente e não com a Rússia. Xi é uma puta velha (pardon my french).
Jorge De Freitas Monteiro - David Ribeiro, justamente, caem sempre para o seu próprio lado
Chico Gouveia - A estratégia da China é a dos tomates: colabora mas não entra.
Da Mota Veiga Suzette - A China é tradicionalment amigo da Russia mas lembra-se do grande mercado que significa a Europa e USA para escoar os seus produtos. Assim, a China disse: esta guerra não é bom par ninguém!

 

 


18304358_905.jpgLendo tudo o que se escreveu sobre as reuniões dos últimos dias em Bruxelas – NATO, União Europeia e G7 – estou convencido, mais do que nunca, que a União Europeia não pode de forma alguma aceitar a covarde invasão da Ucrânia pelas tropas de Putin, mas também não se pode tornar num “Estado vassalo” dos Estados Unidos da América, mas sim um seu par. É certo que nunca se teve em atenção a capacidade estratégica e militar dos 27 Estados-membros da UE, um espaço com 450 milhões de habitantes, mas é forçoso avançar para forças armadas conjuntas, com sistema de transporte estratégico, informação estratégica, capacidade de projeção de forças e capacidade naval. E a NATO, qual será o seu futuro? Não será que com trinta países, com interesses muito diferentes, no caso de um conflito o comando e controlo será muito complicado?

 


Map_of_Central_Asia(pt).pngCercada pela Rússia, China, Irão, Afeganistão e Mar Cáspio, a região da Ásia Central – que inclui Quirguistão, Cazaquistão, Tajiquistão, Turquemenistão e Uzbequistão – é muito suscetível à volatilidade em termos de mudanças geopolíticas e de segurança. Após o colapso da União Soviética estes países permaneceram na órbita russa e embora muitos tentassem adotar políticas externas multivetoriais, as suas dependências de Moscovo permaneceram fortes. Mas o atual conflito de Rússia com a Ucrânia pode alterar o jogo político e mudar a dinâmica regional. É que não há dúvida que a forma como a Ásia Central vê a atual governação de Putin alterou-se substancialmente. Enquanto antes a Rússia era vista como uma fonte de estabilidade, agora parece que se tornou uma fraqueza para a estabilidade regional, soberania e integridade territorial. As coisas já não são o que eram nesta região da Ásia Central.
  
Xavier Cortez - Um dos comentários mais inteligentes que vi ultimamente. Os tão podem tornar-se um problema sério para a Rússia. Pela via do islamismo.

 

  Expliquem-me, se souberem e me quiserem ser úteis, qual o interesse prático das reuniões do Conselho de Segurança da ONU se os membros permanentes que o integram, dispõe cada um deles de um direito de veto, como estipula a Carta das Nações Unidas.

image1170x530cropped.jpg

O Artigo 27 das Nações Unidas afirma:
Cada membro do Conselho de Segurança terá um voto.
Decisões do Conselho de Segurança sobre questões processuais, serão tomadas pelo voto afirmativo de nove membros.
Decisões do Conselho de Segurança em todos os outros assuntos serão tomadas pelo voto afirmativo de nove membros, incluindo os votos afirmativos dos membros permanentes, desde que, nas decisões previstas no Capítulo VI, parágrafo 3 do Artigo 52, uma reunião deverá ser realizada pela abstenção do voto.
Embora o "poder de veto" não seja mencionado explicitamente na Carta da ONU, as decisões do Conselho de Segurança exige "os votos dos membros permanentes", significa que qualquer um desses membros permanentes podem impedir a adoção de qualquer assunto adicional sobre alguma resolução. Por essa razão, o "poder de veto" também é um princípio unânime das grandes potências.
  Mário Santos - A Alemanha, Brasil, Índia e Japão (aliança G4) em setembro de 2021 propõem a reforma "urgente" do Conselho de Segurança da ONU, com vista a torná-lo mais legítimo, eficaz e representativo (claro que querem entrar no Conselho). Também Guterres defendeu a reforma do Conselho de Segurança em particular o Artº 27º (o tal "veto" do P5). Agora as contas da ONU e quem as paga (quer estar no tal conselho...)
 
  Não será um “flik-flak à retaguarda” por parte de Vladimir Putin, mas um dos seus generais já afirmou que as forças russas na Ucrânia mudaram o foco numa ofensiva terrestre voltada para a capital, Kiev, para uma prioridade a que Moscovo chama de “libertação” da contestada região de Donbass. Ainda é cedo para se saber o que isto significará em toda esta situação da invasão russa da Ucrânia, mas os fracos progressos das tropas de Putin (ver mapa com a evolução no terreno de 6mar para 27mar2022) sugerem uma nova fase da guerra.

De dia 06 para dia 27mar2022.jpg

 

  Eu não fui hoje a esta manif na Praça D João l. Mas vi agora estas fotos e curiosamente nem uma bandeira ucraniana. E não houve nem uma crítica a Putin, disse-me quem lá esteve. Esta malta, do CPPC e PCP… quem não os conhecer que os compre.
Captura de ecrã 2022-03-27 221510.jpg
  Raul AlmeidaO PC criou há muitos anos uma série de organizações satélites, falsamente independentes, com diversas finalidades, enquadradas pelo interesse maior da defesa e protecção do comunismo de inspiração soviética. Utilizando uma dessa pseudo-organizações, o Conselho para a paz, cooperação e segurança, que se diz empenhada na promoção de paz sempre obediente a Moscovo, fizeram hoje um encontro "pela paz", onde sintomaticamente não se viu uma única bandeira da Ucrânia, nação actualmente mais fustigada pela guerra. O revisionismo, a profunda cara de pau, a sempre presente e profundamente entranhada herança de Stalin, fazem do PC algo que nos envergonha a todos, enquanto sociedade. Queriam o Rivoli e o patrocínio da Câmara para esta palhaçada aviltante. Era o que mais faltava!!! Esteve muitíssimo bem, Rui Moreira na recusa, interpretando a expressão democrática dos votos na Autarquia e impedindo uma mancha ignóbil num espaço nobre da Cidade.



Publicado por Tovi às 09:42
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 25 de Março de 2022
NATO, União Europeia e G7 reuniram-se em Bruxelas

Captura de ecrã 2022-03-24 214538.jpg

  Diplomacia em acção no dia de ontem

  • NATO emitiu um comunicado em que assumiu estar“preocupada” com a entrada da China no conflito que opõe a Rússia à Ucrânia. “Pedimos a todos os Estados, incluindo a China, para seguir a ordem internacional incluindo os princípios de soberania e integridade territorial”. Os 30 países da NATO apelaram mesmo a Pequim que se “abstenha” de apoiar “o esforço de guerra da Rússia”. E deixaram um recado à Rússia: “Qualquer uso de arma biológica ou química seria inaceitável e teria consequências severas”.
  • A declaração conjunta do Grupo dos Sete, que reúne os sete países mais industrializados do mundo, foi no mesmo sentido da NATO. Os líderes da Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido dizem mesmo que “não vão poupar esforços” para responsabilizar o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e seus apoiantes – incluindo o presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko. O seu apelo vai para as forças russas que abram “caminhos seguros” na Ucrânia para permitir ajuda humanitária a Mariupol e a outras cidades cercadas. E pedem às autoridades bielorrussas para que “evitem uma nova escalada e se abstenham de usar as suas forças militares contra a Ucrânia”.
  • No final das reuniões, o presidente norte americano Joe Biden disse apoiar a saída da Rússia do grupo das maiores economias mundiais (G20). E quer pelo menos que a Ucrânia possa assistir às reuniões. O presidente deu mais detalhes sobre a conversa com Xi Jinping, homólogo chinês, na passada sexta-feira. “Tive uma conversa muito honesta com ele. Disse-lhe claramente que apoiar a Rússia teria consequências”. Joe Biden chamou “bruto” a Vladimir Putin. “A coisa mais importante [das sanções] é mantermo-nos unidos”, tendo como objetivo que o “mundo se continue a focar” no seguinte: “Que tipo bruto é este” e por que motivo é que “todas as vidas inocentes se perderam” e “o que está a passar” na Ucrânia.
  • Também o primeiro ministro britânico, Boris Johnson aproveitou a sua intervenção pública para alertar para consequências “muito, muito severas”, caso o Presidente russo usasse armas químicas ou nucleares contra a Ucrânia. “Se Putin se fosse envolver com alguma coisa desse género, as consequências seriam muito, muito severas. Vou ter de ter alguma ambiguidade na resposta, mas acho que seria catastrófico para ele. Acho q ele compreende isso. Seria um profundo e desastroso erro para Putin”, disse. Apesar da insistência dos jornalistas Johnson não indicou se, nesse cenário, haveria intervenção da NATO.
  • O líder francês, Emmanuel Macron, na sua vez, disse que a NATO procura não dar à Rússia um “pretexto” para atacar o Ocidente. “Não queremos fazer nada que possa provocar a escalada da tensão”, justificou o Presidente. “Não vamos lutar contra a Rússia”, assegurou o líder que tem mantido várias conversas telefónicas com o seu homólogo russo, embora sem grande sucesso para a paz.
  • O chanceler alemão Olaf Scholz, por seu turno, afirmou que “as tropas russas têm de sair da Ucrânia”. “Isto é necessário para atingir uma solução sustentável para o conflito entre a Rússia e a Ucrânia”, disse. Scholz apelou também ao Presidente Vladimir Putin que “aceite um cessar-fogo e permita corredores humanitários, para proteger os civis”. A Alemanha doou mais 370 milhões de euros em humanitária à Ucrânia.
  • Em Portugal, a partir do Porto, Marcelo Rebelo de Sousa não deixou de dar a sua opinião numa visita oficial. Aos jornalistas, o Presidente português disse considerar que o presidente russo, Vladimir Putin, cometeu um erro ao pensar que perante a sua decisão de tomar o território ucraniano iria conseguir dividir a União Europeia e a própria NATO. “É evidente que falharam. “A NATO e a UE continuam unidas”, referiu, independentemente da ideologia de cada país e apenas pela “paz e pelo respeito do direito internacional, da soberania dos estados, dos direitos das pessoas”, acrescentou.
  • Já da Rússia a informação que chegou foi que o Kremlin considera que “exatamente um mês depois do início da operação militar especial na Ucrânia” a vida “está a voltar ao normal” nos territórios “já libertos dos nacionalistas” ucranianos. “Está a correr como planeado e os objetivos delineados serão alcançados”, declarou a porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros russos, Maria Zakharova, que espera que Kiev “reconheça a necessidade de uma solução pacífica”.
  • Um total de 140 países da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) votou a favor de uma resolução que pede ajuda humanitária imediata para a Ucrânia, ajudando a proteger os civis. A resolução também critica a Rússia por ter criado uma situação “dramática” humanitária. Apenas cinco países votaram contra: Bielorrússia, Coreia do Norte, Eritreia, Rússia e Síria, enquanto 38 abstiveram-se, incluindo a China, Cuba e a Índia.

 

  
onu.jpgÉ já a segunda vez que em sessões da Assembleia-Geral da ONU uma esmagadora maioria de membros isolam e condenam a “operação militar especial”, como Putin chama à invasão da Ucrânia pelas suas tropas. Mas continua a preocupar-me a posição neutra da China (abstenção) em tudo o que se refere a criticar a Rússia.
  Agência Lusa - O Presidente chinês, Xi Jinping, disse hoje [6.ª feira, 25mar2022], numa conversa por telefone com o homólogo britânico, Boris Johnson, que a comunidade internacional deve “criar as condições certas” para resolver o conflito na Ucrânia e “promover negociações de paz com sinceridade”. “A comunidade internacional deve promover as negociações de paz com sinceridade. Devem ser criadas as condições necessárias para resolver este assunto. Devemos fazer tudo o possível para que a paz retorne à Ucrânia”, disse Xi, segundo a imprensa local. O Presidente chinês afirmou que o seu país já está a desempenhar “um papel construtivo” nesse sentido. Xi disse ainda que a China está "pronta para o diálogo" com o Reino Unido, desde que este seja "franco, aberto e inclusivo", afirmando esperar que Londres seja "justa e objetiva" ao lidar com Pequim. A conversa ocorre uma semana depois de Xi ter falado, por videoconferência, com o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Xi instou então Washington a trabalhar em conjunto para "equilibrar as tensões" e "alcançar a paz global". 

 

  Reunião de ontem do Conselho da Europa
1024.jpgVolodymyr Zelensky diz que Portugal é dos países que têm mostrado mais reservas em apoiar a Ucrânia. Num discurso feito por videoconferência durante a reunião do Conselho Europeu, o presidente ucraniano comentou a postura dos 27 estados-membros perante o conflito e mencionou que Portugal tem algumas dúvidas em apoiar decisões a favor da Ucrânia. "A Bulgária está connosco, e acredito que a Grécia estará. A Alemanha está um pouco atrasada. Portugal? Bem... está quase. A Croácia está connosco; Suécia - o azul e o amarelo - estão sempre juntos", afirmou o presidente ucraniano.

 


Erdogan.jpgA emissora turca NTV, citando o presidente Erdogan, disse ter havido progresso em vários pontos-chave nas negociações entra a Ucrânia e a Rússia. Ancara, que goza de boas relações com Moscovo e Kiev, vem tentando posicionar-se como mediadora entre os dois lados. Mas por outro lado o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, disse hoje que as negociações com a Rússia para acabar com o conflito são "muito difíceis" e prometeu que Kiev não recuará em suas exigências. “A delegação ucraniana assumiu uma posição forte e não abre mão de suas demandas. Insistimos, em primeiro lugar, num cessar-fogo, garantias de segurança e integridade territorial da Ucrânia”, disse Kuleba. Enquanto isso, a agência de notícias russa Interfax citou o negociador russo Vladimir Medinsky dizendo que os dois lados estavam a fazer pouco progresso em questões importantes. Medinsky também disse que Moscovo acredita que Kiev está a tentar estender as negociações.

 

  Publicado pela Embaixada da Rússia na França (@AmbRusFrance)… mas posteriormente eliminado.
FOoIDZ-XsAABPsO.jpg

 

  Reforço da presença militar da NATO no leste europeu
NATO 25mar2022.jpg



Publicado por Tovi às 07:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 21 de Março de 2022
Polónia quer "missão de paz" em Kiev


20161207_Cooperação-União-Europeia-e-NATO.jpgDisse o vice-primeiro-ministro polaco, Jaroslaw Kaczynski, durante uma recente visita a Kiev: “A NATO deve enviar uma missão de paz para a Ucrânia, protegida pelas Forças Armadas, para prestar ajuda humanitária e pacificadora. Esta missão não pode ser uma missão desarmada. Ela deve procurar fornecer ajuda humanitária e pacificadora à Ucrânia”. Uma missão de paz para a Ucrânia não deixa de ter razão de ser, mas o que Jaroslaw Kaczynski defendeu parece não estar a equacionar devidamente a mais que previsível resposta das forças militares de Putin. Na próxima quinta-feira (24mar2022) terá lugar em Bruxelas uma cimeira extraordinária da NATO sobre a guerra na Ucrânia, onde estarão presentes os chefes de Estado e de Governo da União Europeia (UE) e também o presidente norte-americano, Joe Biden. Neste mesmo dia e também em Bruxelas, reúne-se não só a NATO, mas também o grupo de países mais industrializados do mundo (G7 - Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido) e ainda os chefes de Estado e de Governo da União Europeia, todos com a situação na Ucrânia como tema principal. Iremos ver o que destas três reuniões sairá.

 


20mar2022.jpg
O que Putin está a fazer à Ucrânia é uma monstruosidade altamente condenável e fora de tudo que o Mundo democrático e civilizado pode aceitar… mas Zelensky não fica muito bem nesta “fotografia”, até porque o maior dos partidos suspensos é a Plataforma de Oposição, que tem 43 das 450 cadeiras no parlamento do país.
  
Jorge De Freitas Monteiro - Na realidade não proibiu partidos “pro russos“ como é afirmado. Os partidos “pro russos“ já tinham sido ilegalizados há muito. Proibiu a oposição. O que provavelmente diz mais sobre a crescente oposição interna a Zelensky do que sobre a qualidade da democracia ucraniana, que já não era exemplar nos rankings internacionais.
  David RibeiroContextualizando... era esta a composição do Parlamento da Ucrânia depois das eleições de 2019.
Ucrânia parlamento desde 2019.jpg
  Jorge Veiga - sendo pró Rússia, porque cargas de água devem continuar a actividade numa situação de guerra? A democracia tem de ser suspensa...
  
Jorge De Freitas Monteiro - Jorge Veiga, democracia é uma maneira de dizer. O insuspeito The Economist classifica a Ucrânia como um regime híbrido, uma coisa a meio caminho entre a democracia e um regime autoritário.
democracias.jpg

 

  Sete preocupações da China com a guerra de Putin
(Filipe Santos Costa na CNNPortugal - 21mar2021)
A China continua a fazer um exercício de contorcionismo entre o apoio estratégico à Rússia, sem condenar a guerra de Putin, e a defesa dos princípios da ONU sobre soberania e integridade territorial. Sob pressão do Ocidente, onde estão os principais parceiros comerciais da China, há muitos cálculos por detrás da cautela de Xi Jinping. Pressionado pelos EUA e pela União Europeia, os principais parceiros comerciais da China, e com pedidos de ajuda da Rússia, o aliado estratégico, eis as principais questões que Xi terá de colocar na balança: 1. Situação militar; 2. Geopolítica; 3. Sanções económicas; 4. Instabilidade na Rússia; 5. 
Soberania e integridade: a questão de Taiwan; 6. Relacionamento bilateral; 7. Dano reputacional.

 

  O ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano, Dmytro Kuleba, apela à China “para desempenhar um papel importante” na guerra.
Captura de ecrã 2022-03-21 190318.jpg

 

  O número de cidadãos ucranianos que fugiram do país devido à invasão russa já deverá andar perto dos 3 milhões e quatrocentos mil.
Dia 26 21mar2022 ref.jpg

 




Publicado por Tovi às 07:58
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 18 de Março de 2022
Cerco a Kiev... o avanço russo vai lento

Cerco a Kiev 17mar2022.jpg

Estamos a entrar na quarta semana de guerra e o avanço russo vai lento. A noroeste de Kiev, uma coluna russa com quilómetros aproxima-se. Em Irpin (a 5 kms de Bucha na direção do centro da capital) trava-se uma batalha feroz, onde os ucranianos têm sido bem-sucedidos na missão de travar o inimigo. Do outro lado, a coluna que deverá cercar a cidade pelo leste tem feito avanços pouco significativos.

 

  Quem controla o quê na Ucrânia (de 6mar para 18mar2022)
De dia 06 para dia 18mar2022.jpg



Dia 23 18mar2022 ref.jpg
O Mundo, mais dia menos dia, vai ter que "fazer contas" com a Polónia... é que o seu esforço em receber tantos refugiados tem custos, que deverão ser distribuídos por todos aqueles que condenam a invasão da Ucrânia pelas tropas de Putin.
  Não sei se estas "sanções" à Polónia chegaram a ser aplicadas [a notícia é de janeiro deste ano], mas é capaz de ser a altura da União Europeia "esquecer" estas coisas.
Captura de ecrã 2022-03-18 104008.jpg
  ...e já agora: Eu não morro de amores pelos senhores do atual poder polaco.

 


Captura de ecrã 2022-03-18 162048.jpg
Milhares de pessoas nas ruas de Moscovo, estádios cheios e bandeiras ao alto. No 23.º dia de guerra na Ucrânia, com bombardeamentos em Kiev, a Rússia festeja o oitavo ano da assinatura do Tratado sobre a Anexação da República da Crimeia à Rússia.

 


Captura de ecrã 2022-03-18 085853.jpgEm conversa telefónica de quase duas horas no dia de hoje, Xi Jinping disse a Joe Biden que os Estados Unidos devem "assumir responsabilidades internacionais" no conflito na Ucrânia. "Como membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU e duas das maiores economias mundiais, devemos, não apenas liderar as relações entre China e Estados Unidos pelo caminho correto, mas também assumir responsabilidades internacionais e fazer esforços pela paz e tranquilidade", disse o presidente chinês na videochamada. De acordo com a agência estatal chinesa CCTV, citada pela agência Reuters, o presidente chinês referiu ao homólogo norte-americano que são os Estados Unidos quem deve guiar as relações bilaterais no rumo certo.

 

  Sondagem da Aximage para o JN, DN e TSF
Sondagem JN Guerra Rússia Ucrânia 1.png
Sondagem JN Guerra Rússia Ucrânia 2.png
Sondagem JN Guerra Rússia Ucrânia 3.png



Publicado por Tovi às 07:56
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 8 de Março de 2022
Evacuação de civis de cinco cidades ucranianas

corredores 8mar2022.jpg
Na imagem os corredores humanitários propostos pela Rússia

Até ao dia de ontem já se registavam mais de 1,7 milhões de refugiados ucranianos. Hoje, às 9 horas na Ucrânia (07h00 TMG), entrou em vigor um cessar-fogo proposto pela Rússia. Iremos ver ao longo do dia se encontrarão passagem segura os muitos civis que pretendem abandonar o terror dos combates em cinco cidades ucranianas: Kiev, Sumy, Kharkiv, Cherniguiv e Mariupol.

 

  08h10 de 08mar2022 - Fonte do Ministério da Defesa russo, citada pela agência Interfax, garante que os combates em Chernihiv, Sumy, Kharkiv, Mariupol e Kiev pararam, e que foram abertos corredores humanitários a partir destas cidades.
  08h24 de 08mar2022Evacuação em Sumy já começouO primeiro grupo de civis já foi retirado da cidade, de acordo com fonte do governo regional. Entre as pessoas que deixaram a cidade durante o cessar-fogo desta manhã estão residentes e cerca de 1.000 estudantes estrangeiros.
  08h36 de 08mar2022Depois de Sumy, também Irpin começou a retirar os seus cidadãos, depois do cessar-fogo desta manhã para permitir a criação de um corredor humanitário. Irpin, nos arredores de Kiev, tem sido palco de intensos combates, inclusive durante a retirada de cidadãos. Aguarda-se ainda a confirmação das autoridades ucranianas sobre os corredores humanitários em Cherhihiv, Kharkiv e Mariupol.
  08h52 de 08mar2022"Se a guerra continuar, começaremos a ver pessoas sem recursos e sem conexões. Será uma situação mais complexa de gerir para os países europeus daqui para frente, e será preciso haver ainda mais solidariedade de todos na Europa e fora dela", disse o alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados, Filippo Grandi, em conferência de imprensa nesta terça-feira. Filippo Grandi lembrou que as guerras nos Balcãs, na Bósnia e no Kosovo, também causaram um grande fluxo de refugiados, "cerca de dois ou três milhões, mas num período de oito anos". "Em várias regiões do mundo vemos coisas destas, mas na Europa é a primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial", lembrou.
  10h12 de 08mar2022O governo da Ucrânia diz que 30 autocarros estão a caminho de Mariupol para retirar civis através dos corredores humanitários que foram autorizados esta manhã.
  11h16 de 08mar2022
O presidente chinês, Xi Jinping, pede "contenção máxima" da situação da Ucrânia, que descreveu como preocupante, de modo a evitar que fique fora de controlo, segundo a emissora estatal chinesa CCTV. Xi Jinging participou numa videoconferência com o presidente francês Emmanuel Macron e o chanceler alemão Olaf Schoz, dizendo que os três países devem apoiar conjuntamente as negociações de paz.


    
image.jpgO edifício da Embaixada da Rússia em Lisboa esteve na noite de segunda-feira iluminada com as cores da bandeira da Ucrânia, na sequência de uma manifestação contra a invasão russa do território ucraniano. Um dos jovens manifestantes, solicitando o anonimato, afirmou que estavam ali unidos pela liberdade e que enfrentaram o frio da noite chuvosa para pôr em marcha a "ação de guerrilha" contra o que disse ser "um grito contra a ocupação selvagem da Ucrânia pela Rússia". Nesta mesma segunda-feira [07mar2022] o grupo da Iniciativa Liberal (IL) na Assembleia Municipal de Lisboa propôs a alteração do nome da rua Visconde de Santarém, morada da embaixada russa na capital portuguesa, em Arroios, para que passe a ter a designação de Rua da Ucrânia.

 


EU-NATO flags.jpgO ministro português dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, reagiu hoje às ameaças russas contra o Ocidente, particularmente a inclusão de Portugal na lista de países hostis: "No que diz respeito às ameaças da Rússia e do seu presidente Putin, em diferentes áreas, a resposta é muito simples: essas ameaças não nos amedrontam nem intimidam. Decidimos as nossas posições em concertação, quer no quadro das Nações Unidas quer no quadro da União Europeia e da NATO".
  
David RibeiroNo que se refere à agressão da Rússia à Ucrânia, os membros da NATO e da União Europeia nunca estiveram tão bem alinhados na condenação desta bárbara atitude do Governo de Putin. Portugal, como não podia deixar de ser, está em perfeita sintonia com a NATO e UE… se vai doer?... claro que vai, mas TODOS temos que continuar a defender que "o futuro da Ucrânia aos ucranianos pertence" e só a eles.


  16h28 de 08mar2022
Joe Biden, presidente dos Estados Unidos, anunciou que o pais vai proibir todas as importações de petróleo da Rússia"Este é um passo para infligir uma dor ainda maior a Vladimr Putin", disse Joe Biden.
  16h29 de 08mar2022
Reino Unido anunciou, esta terça-feira, que vai acabar com a importação de petróleo e produtos petrolíferos russos até ao final do anoDe acordo com a agência Reuters, o governo britânico diz que esta transição vai dar ao mercado, aos negócios e à cadeia de fornecimento "mais do que tempo suficiente" para substituir as importações da Rússia, que são apenas 8%. "As empresas devem utilizar este ano para garantir uma transição suava de forma a que os consumidores não sejam afetados". O Reino Unido vai, desde já, começar a trabalhar com novos fornecedores de petróleo, avança o mesmo comunicado. Quanto ao gás natural, do qual só dependem da Rússia em 4%, também já estão a procurar outras opções. 



Publicado por Tovi às 08:38
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Segunda-feira, 7 de Março de 2022
A China e a invasão da Ucrânia pela Rússia

7b259c70-7556-11e9-933d-71f872cf659b_image_hires_0

O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, Wang Yi, afirmou numa entrevista coletiva à margem da reunião anual do parlamento chinês, que a China está disposta a promover conversações entre a Rússia e a Ucrânia e avançou que a Cruz Vermelha chinesa irá prestar assistência humanitária na Ucrânia. O ministro assegurou também que a China tem sempre sido "objetiva e justa", a solução deve focar-se na estabilidade da região a longo prazo e o diálogo "deve persistir". Abordando as relações da China com a Rússia, o ministro afirma que continuam "sólidas" e que devem permanecer "livres" de interferências externas, e garantiu que as perspetivas de cooperação são "alargadas".
Curiosamente o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, afirmou hoje [segunda-feira, 07mar2022] que “nenhum país terá um impacto maior na conclusão desta terrível guerra na Ucrânia do que a China”. Morrison apelou ao governo chinês para agir de acordo com as suas declarações de promoção da paz mundial e se junte ao esforço para impedir a invasão da Ucrânia pela Rússia, alertando que o mundo corre o risco de ser remodelado por um "arco de autocracia".
  Azeredo Lopes, ex-ministro da Defesa e atual comentador CNNPortugal, falou sobre a importância da China se disponibilizar para mediar o conflito entre Rússia e Ucrânia, dizendo que, apesar das iniciativas "louváveis" de tentativa de interferência de outros países, nomeadamente de Israel ou Turquia, só a China poderá ser eventualmente bem-sucedida porque é "a última boia de salvação que a Rússia pode ter". "A Rússia tem uma fronteira de quatro mil quilómetros com a China, absolutamente descomunal, com várias situações conflituais com reivindicações recíprocas de parcelas territoriais", recorda Azeredo Lopes. Mas a China é também "a última boia de salvação que a Rússia pode vir a ter quando "as contramedidas económicas e financeiras que temos vindo a adotar forem cada vez mais eficientes", assinala o ex-ministro.
 
 
  

Captura de ecrã 2022-03-07 103941.jpgVejam este artigo de Michael R. Gordon, publicado em 23fev2022 no The Wall Street Journal - Crise na Ucrânia dá início a nova luta de superpotências entre EUA, Rússia e China… e Pequim e Moscovo têm agora uma mão mais forte no confronto com o Ocidente do que durante a Guerra Fria.

 

  Nesta ínvasão da Ucrânia pela Rússia estou claramente contra Putin e a favor do Povo ucraniano… mas o Batalhão de Azov ainda me faz comichões nas meninges.

1200px-AZOV_logo.svg (1).png

O Batalhão de Azov (em ucraniano: Полк Азов) é uma organização paramilitar, atualmente ligada ao Ministério do Interior da Ucrânia, criado em 2014 durante os protestos da Euromaidan (também chamada de Primavera Ucraniana). Ela é uma unidade militar de infantaria voluntária de extrema-direita, são ultranacionalistas acusados de abrigar a ideologia neonazista e supremacia branca, além de ter envolvimento em vários casos de abusos de direitos humanos e crimes de guerra na Guerra civil no leste da Ucrânia, principalmente em casos de torturas, estupros, saques, limpeza étnica e perseguição de minorias como homossexuais, judeus e russos. O Batalhão de Azov é muito mais que uma milícia, tem seu próprio partido político, duas editoras, acampamentos de verão para crianças e uma força de vigilância conhecida como Milícia Nacional (Natsionalni Druzhyny), que patrulha as ruas das cidades ucranianas ao lado da polícia. Ao contrário de seus pares ideológicos nos EUA e na Europa, também possui uma ala militar com pelo menos duas bases de treino e um vasto arsenal de armas, de drones e veículos blindados a peças de artilharia. (in Wikipédia)

 

  Fiquei agora a saber que no período “antes da ordem do dia” da reunião de hoje do Executivo Municipal do Porto, discutiu-se a eventual conjugação de posições sobre as moções a CONDENAR A INVASÃO RUSSA. Mas perante a intransigência da Vereadora comunista, sustentada numa argumentação desfasada da realidade e meramente ideológica, e da retórica bloquista sobre o Lebensraum, não foi possível uma posição comum.
  Rosário Queirós
Lebensraum? A que propósito?
 David Ribeiro
Sobre a sua dúvida, Rosário Queirós, aqui fica uma parte de um texto publicado no "Delito de Opinião" em 01mar2022: «Há dias vi um excerto televisivo no qual a deputada Mariana Mortágua algo sumarizava as causas desta crise ao invectivar o governo ucraniano de "corrupto" e "neonazi" .../... Nas vésperas da invasão russa Mortágua nega a possibilidade dessa ocorrência, atribuindo os alvitres dessa possibilidade a mera propaganda ocidental e aos discursos de alguns líderes (Biden, Johnson) - tamanho o seu aprisionamento a um visão anti-"ocidental", de facto avessa às democracias liberais. O vigor das suas certezas ali proclamadas são um evidente, enorme e até acabrunhante sinal de incompetência para aquela mera tarefa de "comentário político" sobre a actualidade internacional. Mortágua torna-se ali ridícula. Mas não será decerto por isso afastada daquele palanque de propaganda político-partidária. .../... Critica Putin e seus anseios. Mas algo justifica a sua política devido a uma contextualização (a la carte) do processo daquela região, uma típica historicização que se pretende legitimadora. Invoca a condição "humilhada" da Rússia e a sua necessidade de um "Espaço Vital". Isto é tão boçal que custa a crer - pois é a pura recuperação do argumentário da Alemanha nazi, a questão da "humilhação" com o tratado de Versailles e a necessidade de abranger um Espaço Vital (a apropriação nazi do Lebensraum de Ratzel). Chegámos a isto, em Mortágua a repulsa pelas imperfeitas democracias liberais é tamanha que "compreende" o seu agressor imediato através de termos, ideais, com esta genealogia. E temos então a tão "respeitada" e tão "competente" deputada da "esquerda" tão "identitarista" (e nisso "multicultural") a valorizar a necessidade do Lebensraum.»

 

  Mais uma da série "Rússia invadiu Ucrânia"
275376312_8435077469839527_675464086161621351_n.jp

 

 

  13h01 de 07mar2022 - A União Europeia está a preparar novas sanções à Rússia, face à "imprudência" do Kremlin para com os civis, anunciou a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, antes de um encontro com o primeiro-ministro italiano Mario Draghi. "Já tínhamos três pacotes de sanções contundentes, mas agora temos de garantir que não haja brechas e que o efeito das sanções seja maximizado. As sanções em vigor são realmente mordazes. Vemos as turbulências descendentes na economia russa”, apontou, assumindo ainda que a UE "tem de livrar-se da dependência do gás, petróleo e carvão russos".
  13h28 de 07mar2022
O Kremlin fez saber, esta segunda-feira, que pode parar as operações militares na Ucrânia, se forem cumpridas certas exigências, como o reconhecimento da Crimeia enquanto território russo e de Lugansk e Donetsk enquanto estados independentesSegundo Dmitry Pescov, porta-voz do Kremlin, o vizinhos ucranianos terão ainda de mudar a Constituição do país, para garantir que não poderá entrar em qualquer bloco de países (como a NATO). Enquanto estes critérios não forem cumpridos, vai continuar a "desmilitarização" da Ucrânia. Pescov sublinhou ainda que a Rússia não tem qualquer outro interesse no território da Ucrânia.
  14h00 de 07mar2022A delegação ucraniana já está na Bielorrússia para a terceira ronda de negociações com a Rússia, indicou o conselheiro presidencial Mykhailo Podolak, que adiantou ainda que as mesmas estão previstas arrancar às 16h00 de Kiev (14h00 TMG). Mykhailo Podolak diz que a delegação ucraniana é constituída pelos mesmos elementos que participaram na ronda anterior.
  17h28 de 07mar2022
Alemanha e Hungria não apoiam sanções à energia russaA energia da Rússia é de “importância essencial” para a vida quotidiana das pessoas, justifica o chanceler alemão. Já o ministro das Finanças da Hungria diz que sancionar a energia russa faria com que os húngaros pagassem o preço da guerra.
  17h57 de 07mar2022Terceira ronda negocial entre russos e ucranianos já terminou. A informação foi avançada pela AFP, que cita a embaixada russa na Bielorrússia, onde foi realizado o encontro. De acordo com um negociador ucraniano, houve "pequenos avanços" no que diz respeito aos corredores humanitários.
  18h01 de 07mar2022O Presidente da República convocou o Conselho de Estado para a próxima segunda-feira, pelas 15h00, no Palácio da Cidadela em Cascais, com um único ponto da ordem de trabalhos: a situação na Ucrânia.



Publicado por Tovi às 09:00
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 6 de Março de 2022
E ao décimo primeiro dia estamos assim

Captura de ecrã 2022-03-05 124922.jpg

Comecei a escrever esta publicação ao som de "WAR", com letra de Norman Whitfield e Barrett Strong escrita em 1969, que inicialmente foi gravada pelo quinteto The Temptations e por Edwin Starr. Em meados da década de 1980, o cantor e compositor americano Bruce Springsteen cantou WAR como um protesto contra a política externa agressiva do governo Reagan na América Central. Inicialmente tocada ao vivo, a versão de WAR de Springsteen foi lançada como single e alcançou o top 10 dos EUA.

    War! What is it good for? Absolutely nothing
War! What is it good for? Absolutely nothing
War is something that I despise
For it means the destruction of innocent lives
For it means tears in thousands of mothers’ eyes
When their sons go out to fight to give their lives
War! What is it good for? Absolutely nothing
Say it again
War! What is it good for? Absolutely nothing
War! It’s nothing but a heartbreaker
War! Friend only to the undertaker
War is the enemy of all mankind
The thought of war blows my mind
Handed down from generation to generation
Induction destruction… Who wants to die, in a
War! What is it good for? Absolutely nothing
Say it again
War! What is it good for? Absolutely nothing
War has shattered many young men’s dreams
Made them disabled bitter and mean
Life is too precious to be fighting wars each day
War can’t give life it can only take it away
War! It’s nothing but a heartbreaker
War! Friend only to the undertaker
Peace love and understanding
There must be some place for these things today
They say we must fight to keep our freedom
But Lord there’s gotta be a better way
That’s better than
War! What is it good for? Absolutely nothing
Say it again
War! What is it good for? Absolutely nothing
 
 

new_russian_czar_and_new_chinese_emperor__stephff.No ano passado, 16% das importações de petróleo da China vieram da Rússia, segundo estatísticas oficiais. A Rússia é mesmo a segundo maior fornecedora para a China depois da Arábia Saudita. Cerca de 5% do gás natural da China também veio da Rússia no ano passado. Já a Rússia compra cerca de 70% dos seus semicondutores à China, segundo o Peterson Institute for International Economics. Também importa computadores, smartphones e componentes automóveis à China. A Xiaomi, por exemplo, está entre as marcas de smartphones mais populares na Rússia. Mas depois da economia russa ter recebido “um grande estaladão” com as sanções de todo o mundo, Pequim ainda não se apressou a ajudar a Rússia. A única coisa que se ouviu de Guo Shuqing, presidente da Comissão Reguladora de Bancos e Seguros da China, foi que “o país não participará das sanções”, mas também não ofereceu qualquer assistência.
Não há qualquer dúvida que, como se diz na minha terra, Xi Jinping é uma puta velha (pardon my french).
  
O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, Wang Yi, disse ao secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, que a China se opõe a quaisquer ações que "lancem mais achas para a fogueira" na UcrâniaWang pediu negociações para resolver a crise na Ucrânia, bem como conversas sobre a criação de um mecanismo de segurança europeu "equilibrado", de acordo com um comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês. Num telefonema realizado no sábado [05mar2022], o diplomata chinês disse ainda que os EUA e a Europa devem prestar atenção ao impacto negativo que a expansão da NATO para o leste tem para a segurança da Rússia. A China, por enquanto, tem evitado condenar a invasão russa da Ucrânia, tendo expressado oposição às sanções unilaterais impostas a Moscovo pelos Estados Unidos, UE e outros países ocidentais.
 
 
  Ontem... na Rotunda da Boavista, no Porto
274945848_113813141238675_3259977822733771425_n.jp
 
  Eu sou pacifista, mas recuso-me ser derrotista perante a ameaça real que está a nascer em Moscovo. E em consciência defendo ser esta a altura da União Europeia se sobrepor a uma longa hegemonia dos EUA na NATO. E sendo verdade que não podemos derrotar a Rússia nesta altura, temos que DETER as ameaças expansionistas de Putin.

Captura de ecrã 2022-03-05 225814.jpg

  Boris Johnson apresentou ontem [sábado, 05mar2022] um plano de seis pontos para travar a invasão da Rússia na UcrâniaUma aliança humanitária internacional para a Ucrânia; Um apoio à autodefesa da Ucrânia; Maximização da pressão económica sobre Moscovo; Caminhos diplomáticos para o abrandamento das investidas russas com o envolvimento total do governo da Ucrânia; Segurança mais forte na área euro-atlântica; Fim da “normalização” das atividades russas na Ucrânia.

 
 
  01h28 de 06mar2022Ao início deste domingo Kiev está cercada pelas tropas russas, as sirenes voltam a soar e os ucranianos preparam a defesa da capital com sacos de areia e ouriços checos (obstáculo anti veículos) nas ruas. Há também a informação que uma ponte foi destruída pelas forças ucranianas para impedir o avanço das tropas russas em direção à capital.
  05h30 de 06mar2022
As tropas russas não lançaram nenhuma grande operação ofensiva contra Kiev, Kharkiv ou Mykolayiv nas últimas 24 horas, adianta o Institute for The Study of War. De acordo com a análise do think tank norte-americano, as forças russas poderão ter entrado numa possível breve pausa operacional.  em território russo, o governo e os supermercados chegaram a acordo para a restrição da quantidade de alimentos que cada cliente pode adquirir. Uma medida para tentar combater o açambarcamento, numa altura em que os russos temem  o impacto que as sanções do ocidente possam ter na economia do país. O exército ucraniano acredita que forças russas querem tomar central hidroelétrica de Kaniv, enquanto o reagrupamento de tropas inimigas continua. A informação foi revelada no relatório diário publicado pelo Estado-Maior das forças armadas da Ucrânia. 
  07h01 de 06mar2022Os serviços de emergência da Ucrânia relatam um bombardeamento russo que atingiu uma zona residencial na região de Zhytomyr, a cerca de 140 quilómetros a noroeste de Kiev. Cerca de 30 casas particulares foram destruídas no ataque na cidade de Ovruch, disse o serviço de emergência estatal ucraniano, numa atualização na conta oficial do Telegram. Já num ataque separado em Korosten, uma cidade ao sul de Ovruch, uma pessoa morreu e duas ficaram feridas num ataque com um míssil durante a noite, segundo a agência. Dez casas particulares foram destruídas e um prédio foi incendiado. Cinco crianças foram resgatadas da cave.
  08h12 de 06mar2022A Câmara Municipal de Mariupol anunciou que vai haver uma nova tentativa de evacuação da cidade hoje às 12:00 horas locais (10:00 em Lisboa). O objetivo é retirar cerca de 400 mil habitantes. A notícia está a ser avançada pela agência Reuters.  Essa evacuação vai ser feita através do corredor humanitário. Vamos ver se, desta vez, o cessar-fogo temporário acordado entre a Rússia e a Ucrânia é cumprido. De acordo com a autarquia, o cessar-fogo deve manter-se entre as 10h00 e as 21h00 locais (entre as 08h00 e as 19h00 TMG). A evacuação das cidades de Mariupol e Volnovakha programadas para sábado foram suspensas passado poucas horas. As autoridades ucranianas acusaram as tropas russas de não cumprirem com o cessar-fogo em toda a rota do corredor humanitário. Por sua vez, os russos acusaram os "nacionalistas" ucranianos de impedirem os civis de sair.
  08h26 de 06mar2022Sem eletricidade, sem água, sem forma de recolher os mortos. "A situação é muito complicada em Mariupol". Vadym Boichenko, autarca de Mariupol, descreve uma situação desesperada na cidade que continua cercada pelas forças russas.
  12h01 de 06mar2022
No final da chamada telefónica com o presidente da Turquia, este domingo, Vladimir Putin afirmou que "as operações militares na Ucrânia só vão terminar se as exigências da Rússia forem atendidas". "Qualquer tentativa de intervir no processo de negociação vai falhar", revela o Kremlin, citado pela Reuters. Com uma terceira ronda de negociações agendada para segunda-feira, o presidente da Rússia espera que o lado ucraniano assuma "uma abordagem mais construtiva e tenham noção da realidade". Putin voltou a dizer que as operações militares estão a decorrer conforme planeado.
  12h39 de 06mar2022 - O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, instou o seu colega russo, Vladimir Putin, a declarar um cessar-fogo na Ucrânia, abrir corredores humanitários e assinar um acordo de paz, disse o seu gabinete. Num comunicado após um telefonema de uma hora, a presidência turca disse que Erdogan disse a Putin que a Turquia estava pronta para contribuir para uma resolução pacífica do conflito, acrescentando que um cessar-fogo aliviaria as preocupações sobre a situação humanitária.
  13h39 de 06mar2022 - Evacuação de Mariupol foi interrompida pela segunda vez. A evacuação de cerca de 200 mil civis desta cidade do sul da Ucrânia estava programada para começar ao meio-dia (horário local), durante um cessar-fogo, mas foi interrompida por causa de um ataque em execução. “Não pode haver ‘corredores verdes’ porque apenas o cérebro doente dos russos decide quando começar a atirar e em quem”, disse o conselheiro do Ministério do Interior ucraniano, Anton Gerashchenko. Do lado dos separatistas pró-Rússia a culpa é atribuída às forças ucranianas por não observarem o cessar-fogo limitado. Uma primeira tentativa de evacuar civis de Mariupol e da cidade vizinha de Volnovakha já tinha falhado no sábado.
  14h23 de 06mar2022 - As tropas russas destruíram este domingo o aeroporto da cidade de Vinnytsia, localizada a cerca de 200 quilómetros da capital ucraniana Kiev, revelou o presidente Volodymyr Zelensky, num vídeo divulgado na rede social Twitter. O ataque com mísseis destruíu "completamente" aquele aeroporto, disse Zelensky, citado pela Reuters. Antes das declarações do presidente, as autoridades ucranianas fizeram saber que os serviços de emergência estavam a trabalhar na resolução de incêndios que deflagraram no aeroporto na sequência do ataque com mísseis. Ainda não há indicações quanto ao número de vítimas resultantes deste ataque.
  15h44 de 06mar2022
Em Kiev, russos e ucranianos preparam-se para aquela que poderá ser a batalha decisiva da guerra. Os dois lados estão a divulgar vídeos onde mostram que as suas forças estão prontas para combater e vencer. O presidente Zelensky falou no sábado ao país para encorajar a resistência. Na capital ucraniana há filas imensas de homens que querem voluntariar-se para as forças armadas, e muitos civis que preparam a defesa daquela região. 
 
 
  Porto, Vila Nova de Gaia e Matosinhos decidiram unir esforços para dar uma resposta concertada e de grande escala à crise de novos refugiados que a invasão da Ucrânia está a desencadear, através da campanha "Somos Todos Ucrânia". A cerimónia de assinatura de protocolo com os três presidentes de câmara e as demais entidades envolvidas decorreu, hoje, na Casa do Roseiral. Esta resposta humanitária procura, acima de tudo, organizar todas as manifestações de apoio, em particular na oferta de bens, serviços, emprego e acolhimento.
275286891_4644404605687605_3386052181615842196_n.j


Publicado por Tovi às 00:50
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 4 de Março de 2022
O pior está para vir

  Vladimir Putin e Emmanuel Macron estiveram numa conversa telefónica de hora e meia no dia de ontem [03mar2022] e da conversa o presidente francês concluiu que “o pior está para vir”, na ofensiva russa em território ucraniano.

 


central nuclear.jpg
Esta madrugada a Central Nuclear de Zaporizhzhia esteve em chamas após um ataque russo. O diretor da Agência Internacional de Energia Atómica (IAEA), Rafael Mariano Grossi, garantiu na manhã de hoje [04mar2022] que os seis reatores de Zaporizhzhia "não foram afetados" pelo ataque à central, pelo que não houve fuga de material radioativo. "É importante dizer que todos os sistemas de segurança dos seis reatores da central não foram de todo afetados. Não houve fuga de material radioativo", afirmou o responsável da IAEA, em conferência de imprensa, após o alegado ataque das tropas russas à maior central nuclear da Europa. Grossi disse que apenas o "edifício adjacente" da central foi atingido, mas que, "naturalmente", a situação "continua a ser extremamente tensa e desafiadora devido às circunstâncias". Segundo fontes do parlamento ucraniano a Central Nuclear está agora controlada pelos russos. Do outro lado da “barricada” um porta-voz do ministro russo da defesa, citado pela Interfax, culpa "sabotadores ucranianos" pelo ataque à Central Nuclear de Zaporizhzhia, dizendo que a Ucrânia perdeu o controlo dos "mercenários estrangeiros". 

 

   A brincar se vão dizendo verdades
249432190.jpgPara quem já andou praticamente dois anos de máscaras Covid passar a usar as de proteção de contaminação radioativa não deve ser muito difícil.

 

  Mais uma da série "Rússia invadiu Ucrânia"
275057375_5581090128573645_5997371291025171963_n.j

 

  13h36 de 04mar2022Várias explosões seguidas foram ouvidas em Kiev, testemunhou um jornalista da Reuters no local, tendo sido acionadas as sirenes de alerta de ataque aéreo na cidade. A origem das explosões é ainda desconhecida, segundo a mesma agência de notícias.
  15h47 de 04mar2022Vladimir Putin falou esta sexta-feira ao telefone com o chanceler alemão Olaf Schokz, garantindo que a Rússia está aberta ao diálogo com a Ucrânia, apresentando um "mas". 
Segundo o presidente russo, Kiev deve cumprir "todas as exigências" de Moscovo, disse Putin, citado pela agência Interfax. Na conversa entre os dois líderes mundiais, Putin disse ainda a Scholz que espera que a Ucrânia assuma "uma posição construtiva" na próxima ronda de negociações.
  16h21 de 04mar2022Volodymyr Zelensky conversou esta sexta-feira com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen. O presidente ucraniano adianta que a candidatura da Ucrânia à União Europeia (UE) e os acontecimentos da última madrugada na central nuclear de Zaporizhzhia estiveram em discussão. “Falei com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen. Informei-a sobre as agressões de terrorismo nuclear. Prevenir é o nosso esforço comum. Discutimos o fortalecimento das sanções contra a Rússia. O problema da candidatura da Ucrânia à União Europeia também esteve na agenda”, pode ler-se na publicação de Zelensky no Twitter.
  16h30 de 04mar2022O Conselho de Segurança das Nações Unidas vai reunir-se agora (11h30 em Nova Iorque). Em causa está o ataque à central nuclear de Zaporizhzhia. O Conselho de Segurança das Nações Unidas é composto por cinco membros permanentes e dez não-permanentes. Os membros permanentes são a República Popular da China, Estados Unidos da América, Reino Unido, França e Federação Russa. Neste momento (mandatos de 1jan2022 a 31dez2023) os membros não-permanentes são Gana, Gabão, Emirados Árabes Unidos (EAU), Albânia, Brasil, Índia, Irlanda, Quénia, México e Noruega.
  17h35 de 04mar2022
O ministro dos Negócios Estrangeiros afirmou que União Europeia, Estados Unidos, Reino Unido e Canadá alinharam-se nas sanções a impor à Rússia. De acordo com Augusto Santos Silva, que falou depois de uma reunião em Bruxelas, um ponto muito presente é a “necessidade de cuidar da implementação completa das sanções”, avaliando o efeito das mesmas. “É uma fase muito importante, não podemos multiplicar-nos em sanções sem cuidar que elas estão completamente implementadas no terreno”, afirmou. O responsável falou de uma evolução “muito negativa” no terreno, e admite que foram discutidas novas medidas de “isolamento da Rússia nas organizações internacionais”.
  18h00 de 04mar2022
Um enviado chinês à reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU apelou, mais uma vez, ao diálogo entre a Rússia e a Ucrânia para chegarem a um entendimento político. "A comunidade internacional deve manter a cabeça fria e racional", afirmou. Aproveitou ainda para saudar o entendimento entre os dois países no que toca aos corredores humanitários.
  18h37 de 04mar2022Milhares de refugiados estão a sair da Ucrânia com os seus animais de estimação, no meio de temperaturas negativas. Na Roménia, estão a ser recebidos com ambulâncias veterinárias e condições para cuidar de muitos cães e gatos apanhados pela guerra.
  20h54 de 04mar2022
Cidade de Trostyanets [cerca de 20 mil habitantes] capturada pelos russosA notícia foi confirmada pelo governador da região de Sumy, Dmytro Zhyvytskyy, que anunciou também que as tropas russas controlam a estação de ambulâncias e não estão a deixar as equipas médicas tratar outros pacientes para além de crianças. Zhyvytskyy acrescentou que todas as lojas foram saqueadas e que ninguém na cidade consegue arranjar comida.



Publicado por Tovi às 10:26
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 23 de Fevereiro de 2022
Sanções à Rússia... e a China aqui tão perto

Captura de ecrã 2022-02-22 175916.jpg

  No final da reunião desta terça-feira [22fev2022] dos ministros dos Negócios Estrangeiros dos 27 Estados-membros da União Europeia, em Paris, Josep Borrell confirmou que as sanções terão três grandes alvos: os decisores políticos responsáveis pelo reconhecimento das regiões separatistas ucranianas pró-Rússia como independentes, quem está e estará envolvido na invasão da Ucrânia e os bancos que financiam a política bélica de Moscovo.

  O presidente dos EUA, Joe Biden, anunciou também na terça-feira [22fev2022] o que chamou de "primeira parcela" de sanções contra a Rússia, incluindo medidas para privar o país de financiamento. “Estamos a implementar sanções à dívida soberana da Rússia. Isso significa que cortamos ao governo da Rússia o financiamento ocidental”, disse Biden, acrescentando que as medidas também teriam como alvo as instituições financeiras e “elites” russas.

  Claro que estas sanções vão doer forte na Rússia... mas não vão mandar Putin para os cuidados intensivos.

 


Captura de ecrã 2022-02-23 091228.jpgA relação China-Rússia poderá parecer estranha pelos padrões históricos, mas cada vez mais estou convencido que é a China que vai ser o fiel da balança na geoestratégia do leste europeu. Embora Xi Jinping concorde com Putin que a NATO é uma relíquia da Guerra Fria e que já não tem razão para existir, a verdade é que o Presidente da República Popular da China tem as suas próprias preocupações domésticas, o que o obriga a manter uma relação de diálogo com a União Europeia e também com os EUA. Mas também não esqueçamos que ainda recentemente China e Rússia assinaram um acordo de petróleo e gás no valor de 117,5 mil milhões de dólares, consolidando assim o seu relacionamento económico, reduzindo a dependência financeira da Rússia em relação à Europa. Vamos ver nas próximas semanas como as coisas evoluirão… e que não desate tudo à batatada.

 

  Não mudaram nada...
Não há dúvidas que “uma árvore não faz a floresta” e eu conheço comunistas que são inteligentes, cultos, humanistas e verdadeiros democratas, mas continuo a não entender as afirmações desta “floresta”. Se eles me explicassem… é que eu, bem explicadinho, entendo tudo.
Captura de ecrã 2022-02-23 095918.jpg

 

  Do melhor que tenho visto
luggage-check-airport-flat-vector-2448032.jpg

 

  CNNPortugal às 16h19 de 23fev2022
Captura de ecrã 2022-02-23 183402.jpg

 

  O governo ucraniano continua a anunciar o serviço militar obrigatório para todos os homens em idade de combate enquanto Moscovo está hoje [23fev20202] a retirar pessoal e equipamentos da sua embaixada em Kiev.
Embaixada da Rússia na Ucrânia.jpg



Publicado por Tovi às 07:00
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Segunda-feira, 21 de Fevereiro de 2022
O que dizem os dois lados da barricada

  Isto é o que se lê numa página do Facebook controlada pelo estado de Rússia

Captura de ecrã 2022-02-21 154640.jpg

Desde o início a Rússia fez tudo para resolver as divergências em Donbass pacificamente, disse o presidente russo, Vladimir Putin, durante a reunião do Conselho de Segurança Nacional, hoje, segunda-feira [21fev2022]. Se a Ucrânia for aceita na NATO, as ameaças para o Estado russo aumentarão em múltiplas vezes, segundo o presidente russo. Por sua vez, o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, disse nesta sessão que as palavras do presidente ucraniano, Vladimir Zelensky, sobre a intenção de devolver à Ucrânia o status de Estado nuclear, é uma declaração "excecionalmente perigosa".

 

  Do “outro lado da barricada” [Bruxelas 21fev2022 – REUTERS]

1440x810_cmsv2_1ba513a4-6f99-53ab-8232-f5f1211b113

Josep Borrell, chefe da política externa da União Europeia (UE), disse no dia de hoje que a União Europeia não vai ainda impor sanções à Rússia, rejeitando assim um pedido de Kiev para tomar tais medidas agora para evitar uma guerra, em vez de esperar até uma possível invasão.

 

 Notícia do fim da tarde de hoje, 21fev2022
Captura de ecrã 2022-02-21 204810.jpg
"De facto” as províncias separatistas da Ucrânia - autodeclaradas Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk - já eram independentes… só falta(va) o “de jure”.
  Comunicado da ONU
Captura de ecrã 2022-02-22 084539.jpg
  Reunião de emergência do Conselho de Segurança sobre a Ucrânia
A China, único aliado potencial da Rússia com assento permanente no Conselho de Segurança, apelou a que se encontre “uma solução pacífica”. Pela voz do seu representante permanente nas Nações Unidas, Zhang Jun, a China pediu “contenção” a todas as partes. Numa curta declaração, o embaixador resumiu a situação atualmente vivida na Ucrânia como resultante de “várias questões complexas”.
Captura de ecrã 2022-02-22 085445.jpg
  O presidente norte-americano vai assinar uma ordem executiva impondo sanções às regiões de Donetsk e Lugansk, na Ucrânia, anunciou esta segunda-feira ao início da noite a Casa Branca.
img_900x560$2022_02_18_22_12_47_422400.jpg



Publicado por Tovi às 16:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 11 de Janeiro de 2022
A China e as medidas anti-pandémicas

Captura de ecrã 2022-01-08 112234.jpg

  A jornalista e escritora Ana Cristina Pereira Leonardo não permitiu a partilha deste seu post no Facebook… mas eu roubei-o.

 


Nuno Matos Pereira - Não sei o que quer dizer este seu post! Mas a pergunta é directa!O David Ribeiro acha que a vacinação deveria ser obrigatória?
David Ribeiro - Sim, tendo em consideração todas os dados conhecidos, quer a nível nacional como internacional, bem como a informação vinculada pela comunidade científica, sou da opinião que a vacinação deveria ser obrigatória, obviamente com todas as ressalvas que a ciência recomenda.
Nuno Matos Pereira - Ok! Obrigado pela sua resposta, sincera! Gosto de quem tem certezas absolutas. Mas digo-lhe que a ciência só evolui se for posta em causa!
David Ribeiro - Eu não tenho certezas absolutas, muito menos na área da ciência que muito pouco domino, e também acredito que há evolução em todo o saber.
Nuno Matos Pereira - Eu também não tenho certezas absolutas, também não sou especialista em ciências médicas! Tenho uma opinião muito própria sobre esta vacinação! Pessoas abaixo dos 30 anos, nem no pico da pandemia houve casos significantes! Pessoas que já tiveram a doença, grave ou sem sintomas, deveriam ser informadas para fazer testes serológicos e verificar o seu grau de imunidade! Pessoas que são alérgicas a compostos das vacinas deveriam se informar com os médicos! Vacinação em massa é uma completa loucura, principalmente em crianças... E poderia continuar, mas acho que dá para perceber o meu ponto de vista.
David Ribeiro - Entendo o que acaba de dizer, Nuno Matos Pereira ... mas não se esqueça que muitas das maleitas que atingiram a humanidade foram eliminadas com enormes campanhas de vacinação. Eu sou do tempo que para frequentar o liceu era necessário apresentar o boletim de vacinas.
Nuno Matos Pereira - David Ribeiro a gripe espanhola matou 1/3 da população mundial, ninguém se vacinou, e foi por esses que se criou imunidade de grupo! Devemos sempre olhar para o copo meio vazio.
David Ribeiro - O preço de não ter havido vacina para a Pneumónica foi o enorme número de mortes que provocou. Já agora, Nuno Matos Pereira... O livro "Contágios - 2500 anos de pestes" de Jaime Nogueira Pinto (Dom Quixote - agosto2020) é uma boa informação como têm vivido e morrido as pessoas e as sociedades em tempo de peste.
Mario Ferreira Dos Reis - A vacinação é obrigatória em muitas situações. Não se pode ir para muitos países de África sem a vacina da Febre Amarela. Não se pode trabalhar em muitos sítios sem a vacina do Tétano. A erradicação da Varíola deve-se em muito da sua obrigatoriedade. As vacinas que são ministradas no ex serviço militar obrigatório eram obrigatórias. Quando íamos para a Escola o boletim de vacinas em dia era obrigatório para o procedimento de matrícula. É até estupida esta situação de que atenta contra a nossa liberdade que num caso de saúde pública como este não seja obrigatório, com tantas coisas obrigatórias. A começar pelo sinto de segurança no automóvel. Por causa da liberdade dos que não se querem vacinar é que temos todas estas restrições, que também nos atingem. Ou seja, o direito à liberdade de uma minoria afecta a todos os outros com menos liberdade. Só esta premissa justifica uma obrigatoriedade.



Publicado por Tovi às 09:03
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Junho 2022
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9



26
27
28
29
30


Posts recentes

Receitas de petróleo da R...

As Guerras do pós-Guerra ...

Novas sanções à Rússia

Nova ronda de negociações...

Qual é a estratégia da Ch...

NATO, União Europeia e G7...

Polónia quer "missão de p...

Cerco a Kiev... o avanço ...

Evacuação de civis de cin...

A China e a invasão da Uc...

E ao décimo primeiro dia ...

O pior está para vir

Sanções à Rússia... e a C...

O que dizem os dois lados...

A China e as medidas anti...

E assim vai o Afeganistão...

Dos talibã aos talibã – a...

O Afeganistão pelos olhos...

O “negócio” dos opiáceos ...

A Nova Rota da Seda

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus