"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Quinta-feira, 28 de Maio de 2020
Será um vírus que anda aí?

Captura de Ecrã (252).png

   10h35 de hoje - Correio da Manhã

Um jovem, de 25 anos, foi detido esta quarta-feira pela PJ por suspeita de assassinar a colega de universidade em Lisboa. As autoridades continuam a fazer buscas para encontrar o corpo da vítima, de 23 anos. Os pais da jovem deram conta do desaparecimento da filha na passada sexta-feira, dia 22, e o alerta foi dado às autoridades. A família revelou ainda à polícia que o suspeito do crime mantinha uma relação abusiva com a filha. A Polícia Judiciária tenta agora localizar o cadáver depois do suspeito ter confessado que atirou o corpo ao rio Tejo. O CM sabe que o detido tentou o suicídio nas instalações anexas à Polícia Judiciária e foi transferido para o Hospital de São José. O jovem suspeito do crime estava a terminar um mestrado em Psicologia e tinha já realizado vários trabalhos de voluntariado. A estudante era de Elvas mas estudava em Lisboa.

  11h47 de 29mai - Correio da Manhã

As autoridades encontraram, esta quinta-feira, a arma utilizada no crime de Beatriz Lebre. As buscas foram acompanhadas pela CMTV, que mostra o momento em que a Polícia Marítima encontrou o objeto perfurante, uma espécie de estilete, que estava preso numa zona de lodo do rio Tejo. As autoridades continuam as buscas para encontrar o corpo da jovem de 23 anos.

   16h00 de 29mai - Correio da Manhã

Foi encontrado ao início da tarde desta sexta-feira o corpo de Beatriz Lebre no rio Tejo, junto a Santa Apolónia. O corpo foi removido pelas 15h30 e encaminhado para o Instituto de Medicina Legal. O alerta terá sido dado por um popular que informou as autoridades.



Publicado por Tovi às 10:36
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 16 de Maio de 2020
Nova sondagem da Intercampus

Captura de Ecrã (209).png

Conhecida ontem mais uma sondagem da Intercampus (para Correio da Manhã e Jornal de Negócios).
O PS volta a ganhar terreno no mês de maio e seria o grande vencedor das Legislativas, se estas se realizassem atualmente. Esta vantagem aumenta também o fosso para a oposição. A intenção de voto no PSD é de 23,3%, igual ao mês anterior. Destaque ainda para a queda do Bloco de Esquerda, que, ainda que mantenha a terceira posição, desce de 11,9% em abril para 9% este mês. O mesmo acontece com o Chega de André Ventura: cai de 7,8% para 6,8%. A CDU, com 5,9%, tem uma subida ligeira em relação a abril (5,8%). O PAN regista uma descida acentuada, para 3,6%, a mesma percentagem do CDS, que também perde eleitores.



Publicado por Tovi às 07:49
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 19 de Fevereiro de 2020
Inadmissível…

…a ser verdade o que hoje veio a público. 

Captura de Ecrã (2).png

Notícia do Correio da Manhã



Publicado por Tovi às 21:19
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 2 de Janeiro de 2020
Preocupada com o pagamento de salários?...

…não me faças rir, Isabelinha.  

Captura de Ecrã (377).png

 Notícia de hoje do JN

 

  Comentários no Facebook

Hélder Pais - Há muitas formas de ameaça... Esperemos que não venham aí tempos complicados (novamente) ali para os lados da Arroteia.

David Ribeiro - A mim, que não passo de um simples observador das estratégias empresariais e financeiras, já em 2015 me parecia que mais tarde ou mais cedo daria raia a compra de dois terços da Efacec pela empresária angolana Isabel dos Santos. É verdade que a empresa estava em agonia financeira e a filha do ex-presidente angolano apresentou-se como a solução para dar a volta, comprando uma grande parte da empresa aos seus acionistas portugueses, a José de Mello e a Têxtil Manuel Gonçalves, mas… Esperemos que num futuro próximo eu não venha a ter razão.

Jose Riobom - Juro que não percebo os teus comentários... Não és tu o "supremo markteer" do "clube de amigos da especulação imobiliária" que há não muito tempo andou com o séquito "Isabelino" por aí com toda a "pompa e circunstância" ??? Estará na altura do..... QUEM ??? EU ??? Não conhecemos de lado nenhum...!!!

David Ribeiro - Ena pá!... Estava convencido que me conhecias melhor do que parece que me conheces. Aposto, singelo contra dobrado, como não consegues encontrar em lado nenhum qualquer afirmação minha de apoio ao "séquito isabelino". E olha que convivi em Luanda (quando lá trabalhei no Ministério dos Petróleos nos anos de 1985-86) com a Isabelinha e sua mãe, era a filha de José Eduardo dos Santos uma linda e inteligentíssima menina com uns onze ou doze anos.

Mario Ferreira Dos Reis - Lembro que parte inicial da fortuna vem da sua mãe!

David Ribeiro - Conheci pessoalmente Tatiana Kukanova quando ambos trabalhamos em empresas ligadas ao Ministério dos Petróleos (1985-86) em Luanda e ninguém lhe conhecia fortuna pessoal.

 

   Joana Amaral dias no Correio da Manhã

Lembra-se quando a elite portuguesa escarnecia da justiça angola? Claro que se lembra. Foi até ao ano passado, 2019, e António Costa chamava-lhe ‘o irritante’. Lembra-se de como Isabel dos Santos e toda uma corte pútrida jactava pelo nosso país, ostentando riqueza e branqueando dinheiro, enquanto o capital português beijava o chão que pisava e lhe lambia os pés? Lembra pois. Foi até 2019.
Súbito tudo mudou. As autoridades angolanas decretaram o arresto de bens da Princesa (para quem herda e rouba o título ‘empresária’ só pode ser fantasia) e, afinal, deram uma chapadona de luva branca nas autoridades portuguesas. Enfim, a menina do ZéDu construiu um império no petróleo e nos diamantes que passou sempre pelo nosso país, pela NOS, pela banca, pela Efacec. O rei vai nu e para já está totalmente exposta a bajulação e a cumplicidade na corrupção e no nepotismo angolanos por parte dos responsáveis portugueses: das autoridades judiciais à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários e ao Banco de Portugal.
Em Angola, a Era da Impunidade vai acabando e o país está a tentar devolver às populações o que lhes foi roubado. Em Portugal, ninguém parece sequer querer saber porque é que a Sonangol emprestou dinheiro para Isabel dos Santos entrar na Galp.
O Mundo vai mudando. Portugal nem tanto. Que irritante.



Publicado por Tovi às 10:38
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 11 de Maio de 2018
Deve ter-lhe saído no euromilhões

Salgado 12Mai2018.jpg



Publicado por Tovi às 10:48
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017
Autárquicas no Porto – Duas sondagens de hoje

Sondagens evoluão 22Set2017 aa.jpg

(Na imagem estão os resultados eleitorais das duas últimas Autárquicas no Porto e a evolução das sondagens conhecidas para as eleições do próximo dia 1 de Outubro)

O Jornal de Notícias apresenta hoje uma sondagem da Universidade Católica em que Rui Moreira e Manuel Pizarro aparecem separados unicamente por um ponto percentual (34% para o actual Presidente de Câmara do Porto e 33% para o líder da candidatura do PS). As sondagens são meros indicadores (valem o que valem e o dia do voto é que é a verdadeira sondagem, costuma dizer-se) mas um descida tão acentuada da candidatura de Rui Moreira terá que ser o “tocar a rebate” entre os independentes do Porto. Amanhã teremos no Rivoli a apresentação do Manifesto Eleitoral de Rui Moreira… e temos todos que lá estar.

 

E foi agora conhecida uma outra sondagem, da Aximage para o Jornal de Negócios e Correio da Manhã, que coloca Rui Moreira à beira da maioria absoluta.

(Na imagem estão os resultados eleitorais das duas últimas Autárquicas no Porto e a evolução das sondagens conhecidas para as eleições do próximo dia 1 de Outubro, incluindo as duas de hoje)

Sondagens evoluão 22Set2017 ab.jpg

 

  Comentários no Facebook

«Eduardo Vasques de Carvalho» - Face à disparidade, só se pode concluir que uma delas ou ambas, são sondagem feitas por medida. Ou então a demência está instalada no Porto

«Pedro Baptista» - Sondagem Correio da Manhã para o Porto, da AXIMAGEM, a que se tem mostrado mais séria empresa de sondagens: praticamente 40% para Rui Moreira, cerca de 20% para Pizarro, com o PSD a esfumar-se... Por que foi o JN arranjar hoje uma sondagem da empresa que se tem mostrado mais afeta a satisfazer o gosto de quem encomenda, quando nada disso se sente na cidade?

«Antonio Jose Fonseca» - Duas sondagens publicadas no mesmo dia (JN e CM). Verdade verdadinha só mesmo no dia 1 de Outubro.



Publicado por Tovi às 09:38
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 25 de Março de 2017
Banho de Sangue em Barcelos

Bolas!... Isto anda mal cá pelo Norte.

Quem tem gente desta para que é que precisa de jihadistas?

   JN – 24Mar2017 ás 21h38

1PBV5LWX.jpgO autor confesso de quatro pessoas em S. Veríssimo, Barcelos, entre as quais uma grávida, está indiciado por quatro crimes de homicídio qualificado e de um crime de aborto. Segundo fonte da Polícia Judiciária, o detido será ouvido na manhã de sábado no Tribunal de Braga para primeiro interrogatório judicial e aplicação das respetivas medidas de coação. Adelino Briote, de 62 anos, entregou-se às autoridades depois de ter esfaqueado todas as vítimas no pescoço. As vítimas são um casal de 84 anos (ele) e 80 (ela), uma mulher de 62 anos e outra mulher de 37 anos, grávida de sete meses. "Neste caso, como a gravidez era visível, além de que o alegado agressor era vizinho da vítima e como tal saberia perfeitamente do seu estado, penso que em causa estarão um crime de homicídio e um crime de aborto", referiu a fonte da PJ. O quádruplo homicida já teria prometido vingar-se dos vizinhos que testemunharam contra ele ou que se recusaram a depor em seu abono num processo em que foi condenado por violência doméstica. "Já tinha ameaçado que se vingaria", disse o presidente da Junta de Freguesia de S. Veríssimo, João Abreu, aos jornalistas. As agressões à filha e à sogra, com um ferro, registaram-se em março de 2015. Por esse processo, o homem foi condenado numa pena de prisão de três anos e dois meses, suspensa na sua execução, ficando em liberdade. Desde então, e segundo vários testemunhos recolhidos no local do quádruplo homicídio, o homem ameaçou vingar-se quer de quem se recusou a testemunhar em seu abono, quer de quem foi a tribunal dar conta de que presenciou as agressões. O comandante do destacamento da GNR de Barcelos disse que o homem já confessou os crimes. O caso passou, entretanto, para a alçada da Polícia Judiciária (PJ).

   Expresso – 25Mar2017 ás 13h52

O suspeito do quádruplo homicídio em São Veríssimo, Barcelos, vai ficar em prisão preventiva. Este sábado, o homem foi presente ao juiz no Tribunal de Braga. Apesar de já ter confessado a autoria do massacre, agora optou por não responder a qualquer pergunta. Está indiciado por quatro crimes de homicídio.

 

Isto será uma virose que anda aí?...

[Correio da Manhã – 25Mar2017 às 16h27] - Um homem com 50 anos assassinou a mulher à facada, este sábado, em Esmoriz, Ovar. A vítima tinha 51 anos e foi morta num quadro de violência doméstica. Homicida chamou os bombeiros e já foi detido pelas autoridades. O comandante dos bombeiros de Esmoriz, Artur Ferreira, acrescentou que a vítima apresentava "ferimentos nas costas e no abdómen" que levam a crer que a agressão foi feita com uma faca. Depois de cometer o crime, o homicida terá chamado os bombeiros, que, por sua vez, alertaram as autoridades. Os bombeiros ainda tentaram fazer manobras de reanimação, mas a vítima acabou por falecer. O homem entregou-se voluntariamente às autoridades e foi, no entretanto, detido.



Publicado por Tovi às 07:22
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 7 de Fevereiro de 2017
É mesmo… é uma semidescentralização

Eu cá quero é a Regionalização... e ontem já era tarde.

 

  Rui Moreira in Correio da Manhã

Rui Moreira aaa.jpg

A semidescentralização - O Estado propõe-se delegar competências administrativas mas não partilha decisões políticas.

O Governo apresentou uma proposta de descentralização de competências. Só pela vontade política, António Costa andou bem. O Primeiro-Ministro foi autarca e sabe o que isso representa para o País e para o poder local, onde incluo o Município de Lisboa, também ele vítima do centralismo burocrático. Contudo, este impulso, que registo como genuíno, é insuficiente.
Segundo o documento, o Estado propõe-se descentralizar competências em áreas como a Educação. Mas, na verdade, transfere pouco mais do que obrigações. Mesmo que bem acompanhadas pelo envelope financeiro – e veremos se assim é –, o que está proposto é transferir para a esfera municipal tudo aquilo que poderia chamar de "hotelaria". Ou seja, delega competências administrativas mas não partilha decisões políticas.
No caso da Educação, propõe-se que as autarquias, à semelhança do que já acontece na pré-primária e no ensino básico, construam edifícios, os mantenham e limpem, sirvam refeições e forneçam transporte. Sendo evidente que uma autarquia poderá fazer melhor estes serviços, isso não resolve qualquer problema estrutural. Na verdade, pode até criar novos entraves ao desenvolvimento local e regional, se não forem simultaneamente transferidos os recursos financeiros e humanos correspondentes. Sem esses, não será possível suportar novas tarefas e, simultaneamente, manter o nível de serviço público e investimento noutras áreas.
Note-se que não me refiro ao aumento de recursos humanos via novas contratações, mas apenas da sua transferência do Estado para o domínio municipal, sem penalização orçamental e financeira para as autarquias, flexibilizando os absurdos mapas de pessoal determinados com critérios incompreensíveis. Mas a peça mais importante deste puzzle, que é complexo, é a das competências políticas. Porque sem capacidade para intervir na programação curricular e na colocação de professores, a descentralização será sempre pouco mais do que um alijar de responsabilidades. A definição curricular e o mapa docente, não podendo ser competências exclusivas das autarquias, devem poder contar com a contribuição local e estarem também descentralizadas. A não ser assim, o Estado estará a abdicar de competências administrativas, mas não se avançará em matéria de Educação.

 

  Comentários no Facebook

«Pedro Baptista» - O país não precisa de descentralizações que não sejam mais do que o alijar de responsabilidades por parte do centralismo, nas matérias que não rendam para o poder central e, pelo contrário, se lhes afiguram difíceis, porque dão trabalho. O país precisa sim, há mais de um século, é de regionalização, criando polos de planeamento, coordenação administrativa e desenvolvimento, bem como dinâmicas regionais capazes de promoverem a economia nacional e criarem riqueza para todo o país. O PS apresentou-se em 1995 às eleições como o campeão da regionalização mas depois, através de António Guterres, em 1997, negociou secretamente com Marcelo Rebelo de Sousa, o boicote da regionalização em revisão constitucional a troco da viabilização do governo: foi assim que foi inventado o referendo de bloqueio à regionalização. Costa era ministro de Guterres e conhece muito bem a história. E já sabia, na altura, que a poeira que os inimigos do desenvolvimento nacional lançavam para evitar a regionalização que lhes tiraria a posição dominante só por serem capital, se chamava descentralização... Que claro nem é descentralização nenhuma, como mostrou ontem, Rui Moreira em artigo no CM. Apenas entrada dos trabalhos de hotelaria, disse ele, e bem. Não, obrigado!

«Antero Filgueiras» - Muito cuidado com o que está em marcha: uma colossal transferência de poderes para entidades - CCDR - que não estão sujeitas a escrutínio universal e que são "pasto" de gente, cuja honestidade nunca foi a mais apreciável: gente que usa o serviço público para negócios privados.



Publicado por Tovi às 09:48
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 30 de Janeiro de 2017
O Porto não é o Faroeste

Grande Rui Moreira!... Desanca-lhes, que é o que eles merecem.

 

Rui Moreira aaa.jpg

  Rui Moreira in Correio da Manhã

O Porto aprovará o primeiro regulamento para o transporte turístico, que obriga a aplicar normas ambientais.

Os filmes de cowboys, que nos entretinham nas matinés de domingo, são uma boa referência se quisermos pensar nos dilemas do desenvolvimento urbano de hoje. Nessas fitas, pequenas cidades perdidas no deserto eram invadidas por garimpeiros em busca do ouro. Traziam dinheiro e dinâmica aos saloons e aos bordéis do Faroeste e criavam emprego para os homens que, até aí, envelheciam entre copos e poeira. Mas também traziam as pistolas e mais trabalho para o Xerife. No imaginário televisivo americano, encontramos, mais tarde, a série Dallas, onde JR continuava a ostentar o chapéu de cowboy, mas para procurar ouro negro. Como no velho Faroeste, o desenvolvimento, o emprego e a riqueza da indústria petrolífera também trouxeram o reverso da medalha, com a especulação e a disputa. Foi com impulsos como estes que os EUA se transformaram num grande país. Cheio de defeitos, claro está, mas desenvolvido.
Portugal vive agora a descoberta de um filão. O turismo, antes confinado à areia algarvia, entrou nas cidades e transformou-as. Os cafés abandonados, os prédios em ruína e as ruas desertas encheram-se de garimpeiros, que trouxeram reabilitação e emprego. Mas também trouxeram poluição, trânsito e transformações aceleradas.
A questão não está em saber se queremos ou não o desenvolvimento. Descontando um ou outro "Velho do Restelo", ninguém pode defender responsavelmente o regresso ao passado de esvaziamento dos centros históricos e de ruína.
Mas também não podemos deixar de olhar para o fenómeno e usar os meios legais de que dispomos, e que às vezes são escassos, para regular. O Porto aprovará, na próxima terça-feira, o primeiro regulamento para o transporte turístico, que restringe percursos e paragens, obriga à aplicação de normas ambientais e defende a vida quotidiana dos portuenses. Foi um longo e difícil caminho em que a Câmara trabalhou com agentes económicos e associações do setor no sentido de encontrar soluções de sustentabilidade. Para o turismo e para a cidade.
Como autarca e como presidente da Associação de Turismo do Porto, não posso deixar de elogiar estes novos "garimpeiros" que operam no Porto, por terem sabido entender que não há turistas que queiram vir ao Porto para ver autocarros de turismo e tuc-tuc, e que colaboraram no processo, sem preconceitos.



Publicado por Tovi às 14:34
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 13 de Setembro de 2016
É a merda do centralismo...

Até quando?...

 

  Rui Moreira num artigo de opinião no jornal CM

Rui Moreira 11Set2016.jpg

A Direção-Geral da Qualificação dos Trabalhadores em Funções Públicas abriu recentemente uma formação generalista, de nível avançado, em gestão pública. Esta ação possibilita a aquisição de conhecimentos para o exercício de funções técnicas superiores e dirigentes na Administração Pública. Vai na 16ª edição. Este curso "é um caminho paralelo ao do procedimento concursal, tendo em vista o recrutamento de trabalhadores" para postos de trabalho superiores e dirigentes. É o que diz a portaria que o regulamenta.

O curso foi aberto a todos os funcionários públicos, independentemente da sua origem geográfica, e foram constituídas turmas em Lisboa e no Porto, como parece bem a qualquer alma que preconize a descentralização. Mas um olhar atento aos lugares de destino destes formandos, que se transformarão brevemente em dirigentes da função pública, revela outra realidade. É que o inquérito promovido pelos competentes serviços estatais no âmbito deste curso, que mais não é do que um "caminho paralelo" para o recrutamento de dirigentes, já concluiu pelo destino destes formandos.
Em 200 vagas, o distrito de Faro receberá um dirigente. Aveiro, Évora, Leiria e Santarém, dois cada. Coimbra e o Porto, onde uma das turmas está a funcionar, acolherão cinco. E os restantes 181 formandos, onde serão integrados? A resposta a esta questão é desnecessária.
O País habituou-nos e habituou-se ao centralismo. E, agora, que está vacinado, uma crónica como esta parecerá à generalidade dos comentadores do regime, apenas e tão-só, mais um laivo de bairrismo exacerbado do populista presidente da Câmara do Porto.
Com o seu eleitoralismo bacoco, Rui Moreira, necessitando desesperadamente de votos nas próximas autárquicas, incomoda tudo e todos com mais esta questão menor. Como foi e continua a ser menor a questão da TAP. Como era e ainda é a dos Fundos Comunitários.
Bem sei que cada um dos Governos que tomam posse em Portugal elege a descentralização como desígnio da legislatura. Bem sei que o fazem com convicção. Só que, para além dos discursos, cada novo Executivo que toma posse torna-se, no dia seguinte, em mais um servidor da máquina centralista do Estado, rubricando leis, aprovando portarias e emitindo despachos que tornam o País cada vez mais desigual e cada vez mais vacinado.



Publicado por Tovi às 09:45
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 1 de Maio de 2016
Não aceitamos a esmola proposta

Estamos com Rui Moreira nesta luta...

O Porto tinha mais de 160 milhões em projectos e agora os centralistas do Terreiro do Paço só nos querem dar 26,5 milhões dos 25 mil milhões destinados a Portugal.

Vão para o raio que vos parta!...

 

   (in Correio da Manhã)

Rui Moreira na CCDR-N 6SSet2013 b.jpgO Porto diz NÃO

Portugal atravessou um processo de ajustamento orçamental. Não se ajustou, apenas, graças a intervenções de pura austeridade e a uma enorme carga fiscal. Ajustou-se, fundamentalmente, graças a um esforço notável de muitos portugueses.
Quatro anos passados, mudou a governação, mas a expectativa acerca do seu futuro mantém-se: baixos crescimentos do PIB, elevada dívida externa e total dependência dos mercados e do Banco Central Europeu.
A resiliência surpreendente de setores como o do calçado ou do têxtil ou a explosão do turismo de cidade não são, por si só, suficientes para inverter a lógica de dependência. Apesar disso, deveriam ser interessantes pistas para o País. O 5º quadro comunitário de apoio deveria, por isso, ser uma oportunidade para estimular diversos setores industriais a criarem valor aportado ao produto. E não vai ser!
Mas o "Portugal 2020", como lhe chamam, deveria ser também uma oportunidade de regeneração e aumento de competitividade das cidades, porque é através de urbes confortáveis, sustentáveis e interessantes que hoje se faz atração de investimento e se cria valor social e competitividade no mundo global.
No início de 2014, acabado de tomar posse como autarca, tive conhecimento dos documentos preliminares do quinto quadro comunitário de apoio propostos por Portugal à Comissão Europeia. Denunciei que o caminho era preocupante, que prejudicava o desenvolvimento regional e das cidades e que todo o processo estava atrasado. Fui violentamente atacado. Chamaram-me populista e desconhecedor, porque 2015 seria o ano do paraíso na terra, com tantos fundos distribuídos.
Mais de dois anos depois, o dinheiro continua em Bruxelas. E, por cá, o meu pessimismo era, afinal, otimista. É que, dos 25 mil milhões de euros destinados a Portugal, foram-nos agora propostos 26,5 milhões para o desenvolvimento urbano do Porto. Tínhamos mais de 160 milhões em projetos. E para que os números não nos traiam, façamos as contas: por cada mil euros que chegarão a Portugal, apenas um euro e seis cêntimos serão atribuídos ao município do Porto.
Se há dois anos apelei a que Bruxelas e Portugal não assinassem um sinistro quadro comunitário, hoje, coerentemente, recuso-me a assinar com a Comissão de Coordenação Regional a esmola proposta. Digo não. Se não houver uma revisão em alta, o Porto não assinará a sua própria condenação.

 

 Comentários no Facebook

«Pedro Baptista» >> A meu ver, deveremos querer os nossos impostos do lado de cá, tratar diretamente com Bruxelas e um presidente da Região Norte eleito pelo povo, não um lacaio! Por isso e para isso...

«Ramiro Figueiredo» >> Descentralizar e regionalizar. Para os 160 milhões em projectos os centralistas oferecem uns rebuçados de 26.5 milhões - dos 25 mil milhões? Não!.. isto é golpe similar ao da Tap, nós não somos os "parolos"- lá de cima do Movimento Pró-Partido Norte.

«José Paulo Matos» >> Cerrar fileiras, apontar alternativas e lutar pelo que é de direito. Um por todos, todos por um. Força Sr. Presidente...

«David Ribeiro» >> Cada vez mais ensurdecedor o silêncio do PS-Porto sobre este assunto. E depois dizem que querem fazer a “descentralização”… que eu ainda não sei bem se é qualquer coisa parecida com REGIONALIZAÇÃO.

«José Miguel Roquette Marco» >> era o que faltava!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

«Natércia Bragança Fontes» >> Gostava de saber para onde vai o resto do dinheiro.

«Anibal Pereira» >> Voltamos aos dias anteriores a 1974. Tudo que é do Norte e para abater. Estamos com o presidente sempre!!!!

«Maria Elsa Lopes» >> Continuamos com Rui Moreira!!!!!!!!! Só os da capital é que mandam? Ridículo, sempre a mesma coisa.

«Jovita Fonseca» >> Basta ! A política centralista, independentemente da côr, pretende levar avante sempre o mesmo rumo. ..

«Edgar Pinto Meister» >> Só se resolve com uma Regionalização efetiva

«Vanda Salvador» >> É sempre o mesmo: a capital leva-nos tudo a que temos direito. Inveja, só pode ser.



Publicado por Tovi às 07:57
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 14 de Março de 2016
Coesão Territorial

Rui Moreira CM 13Mar2016.jpg

No seu artigo de opinião semanal no Correio da Manhã, Rui Moreira escreveu: “O tema da coesão territorial não é importante para o Porto, para o Algarve ou para os Açores. É importante para o País. E é assim que deve ser tratado. Dar a cada uma das regiões aquilo a que têm direito, mas também a importância política que lhes é devida, é um imperativo nacional, não uma dádiva às regiões.”

O Presidente da Câmara da Invicta, mais do que nunca, está a afirmar-se como um líder regional.

  Força Rui Moreira!... O Porto e o Norte estão contigo.

 

  Comentários no Facebook

«Isabel Simões Veloso» >> ...territorial...

«Jose Riobom» >> Que Deus nos ouça .....já que bem merecemos....!

«André Martins» >> Regionalização ou independência, já há muito tempo que não sou tratado como português e como tal deixei de me sentir português. Sou do Norte, é assim que me sinto e sinto-me bem assim.

«Fernanda Velho» >> Duas personalidades ímpares no país... Não há esforço que resulte nesta atitude espontânea... genuina que surge sem esforço porque os genes estão lá... a RAIZ!!!.



Publicado por Tovi às 08:38
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2016
Centralismo é isto... sem dúvida

Artigo de opinião de Rui Moreira, Presidente da Câmara Municial do Porto, no jornal Correio da Manhã:

mapa_regioes_todas.jpg

Considerando os últimos cinco anos, este indicador económico diz-nos que a Região Norte quase duplicou o seu saldo positivo, agora acima dos cinco mil milhões de euros. A Região Centro, com cerca de 2,5 mil milhões, e o Alentejo, com cerca de mil milhões, também contribuem com saldo positivo. Madeira, Açores e Algarve equilibram contas. Há, contudo, uma região com saldo negativo: a Área Metropolitana de Lisboa, que assegura mais de 15 mil milhões de euros de "prejuízo" na balança comercial de bens transacionáveis. O que torna o país deficitário neste aspeto fulcral para o seu desenvolvimento.

 

    Comentários no Facebook

«Jose Bandeira» >> Está pois identificada a origem do buraco.

«José Camilo» >> Chegou a hora de acabar com isto.

«Jorge Veiga» >> Exporte-se a Região de Lisboa e Vale do Tejo...

«Jose Bandeira» >> Para a Coreia do Norte

«Jovita Fonseca» >> É nessa zona da área metropolitana de Lisboa que está o deficit? Excesso de despesas da máquina de Estado e falta de produção... Então técnicos/economistas dêem as mãos, levantem a voz... porque não podemos continuar a trabalhar, produzir, exportar. Para termos como prémio impostos pesados sobre o rendimento do trabalho!



Publicado por Tovi às 17:25
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 17 de Fevereiro de 2016
Sócrates perde acção judicial contra Correio da Manhã

Sócrates vs Correio da Manhã 16Fev2016 ab.jpg

Soube-se ontem o resultado do “encontro” entre José Sócrates e o Correio da Manhã, tendo este jornal conseguido um redundante vitória sobre o ex-primeiro-ministro.

A desforra está marcada para novas disputas judiciais



Publicado por Tovi às 09:25
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 16 de Fevereiro de 2016
Equívocos sobre a TAP

Tomem lá e embrulhem, FRETEIROS do costume

 

 Rui Moreira na sua crónica no CM

Miragaia 22Jun2013 ab.jpg

--- Equívocos sobre a TAP ---
Nos últimos dias, enquanto tentamos perceber se a TAP é pública ou privada, os freteiros do costume, incentivados a fazerem vénias que misturam com insultos, vão disparando as suas armas. Assim, e para que mentiras repetidas não pareçam verdades, digo o seguinte. Nunca apoiei ou me pronunciei sobre a questão da privatização da TAP pelo anterior Governo. A Câmara do Porto não subsidia ou subsidiou companhias aéreas, ou seja, não paga à Ryanair. Sim, tenho experiência no setor privado, sei que uma empresa que não faz breakeven quando esgota a sua produção é mal gerida. Ainda não comecei a minha campanha eleitoral, mas quando começar, prometo arranjar temas ainda menos consensuais e mais polémicos.



Publicado por Tovi às 15:31
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Julho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Posts recentes

Será um vírus que anda aí...

Nova sondagem da Intercam...

Inadmissível…

Preocupada com o pagament...

Deve ter-lhe saído no eur...

Autárquicas no Porto – Du...

Banho de Sangue em Barcel...

É mesmo… é uma semidescen...

O Porto não é o Faroeste

É a merda do centralismo....

Não aceitamos a esmola pr...

Coesão Territorial

Centralismo é isto... sem...

Sócrates perde acção judi...

Equívocos sobre a TAP

Cheia no Rio Douro

Correio da Manhã e o Segr...

Nunca a Regionalização fe...

Jornais de hoje

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus