"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Domingo, 21 de Junho de 2020
Offshore... essa coisa esquisita

offshore.jpeg

Por cá as offshore são perfeitamente toleradas, ao que eu entendo… mas porquê?... alguém me sabe dizer? Desde já agradecido pelos vossos doutos esclarecimentos.

 

   Comentários no Facebook

Nuno Matos Pereira - É fácil! O comum mortal não sabe o que é uma offshore, e quado sabe, fica sem o graveto! Já outros até agilizam leis para o dinheiro regressar a Portugal... Lavadinho!

Jose Bandeira - O que são as offshores senão máquinas de lavar dinheiro?

Joaquim Figueiredo - Vou abrir as hostilidades. Declaração de princípio, sou anti off shores. A criação de off shores aconteceu porque seria uma forma de captar investimento estrangeiro com alguns benefícios e o cumprimento de algumas regras, entre as quais a criação de emprego. É-lhes atribuído um estatuto fiscal favorável e o dinheiro que circula deve ser limpo. Todos os benefícios foram cumpridos, as regras não. E o dinheiro que circula não é todo limpo. Porque há os expert a saber contornar a lei e bancos a ajudar...

Da Silva Carvalho José - ÁTão Felizménia, tá-se mesmo a bêre, 🤔  É quando o choro pára, eles é dizem off 🤣

David Ribeiro - Segundo dizem Portugal é o terceiro país da União Europeia com mais riqueza em paraísos fiscais, estimando-se este desvio em cerca de 50 mil milhões de euros entre 2001 e 2016. E, ao que parece, poucos portugueses se insurgem com isto… mas eu ainda me recordo de não há muito tempo e a propósito de um mediático processo urbanístico, Rui Moreira ter lembrado aos portuenses que tem “vida, história e negócios” na sua cidade, “bem conhecidos e não dissimulados em offshores”. E quantos empresários e/ou políticos do Norte poderão afirmar o mesmo?

Mario Ferreira Dos Reis - Gostaria de saber o que o IL diz sobre os Off Shore, é que, ou eu não estava atento ou ainda não disseram nada!

David Ribeiro – Não sei o que o IL diz sobre a matéria, Mário Ferreira Dos Santos, mas recentemente o nosso Parlamento aprovou, na generalidade, uma proposta de lei do Governo que transpõe uma diretiva europeia sobre prevenção da utilização do sistema financeiro para branqueamento de capitais ou de financiamento do terrorismo. Esta mesma lei faz igualmente a transposição da diretiva relativa ao combate ao branqueamento de capitais através do direito penal. E este diploma foi aprovado pelo PS, PSD, CDS, BE, PAN e pela deputada não-inscrita Joacine Katar Moreira e teve a abstenção do PCP, PEV e Iniciativa Liberal.

David Ribeiro – E recentemente…
Offshore ajudas Covi-19.jpg

Celestino Neves - Sobre o silêncio dos nossos políticos-administradores de insolvência do País relativamente às 'offshore' ocorre-me apenas uma explicação simples: "quem não 'shora' não mama e eles têm de continuar a mamar... Mas que já vai sendo tempo de darem um pouco de descanso ao úbere da vaca e passarem à 'teta' do boi, lá isso vai!

Jorge Veiga - Não tenho dinheiro suficiente para saber o que é um Off Choras. Por isso remeto a resposta para Lisboa (é mais fácil encontrar quem saiba por % de mil habitantes).

Jose Luis Soares Moreira - Salvemos Portugal dos lobos



Publicado por Tovi às 09:14
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 12 de Junho de 2020
Estátua do Padre António Vieira vandalizada em Lisboa

Lembram-se?... Os Taliban andam por aí. 
Captura de Ecrã (289).png
  Comentários no Facebook

Jose Antonio Salcedo - Sim, a lógica é a mesma: um bando de pobres diabos ignorantes atiçados por manipuladores que deveriam estar na cadeia por muitos anos.

Cristina Machado - O Nigel Farage fez exactamente essa comparação e teve como resultado o seu despedimento imediato e não prorrogação do contrato que tinha para um programa de rádio.

David Ribeiro - Cristina Machado, sorte a minha que não sou avençado por nenhuma comunicação social. 😉

Jose Antonio Salcedo - David Ribeiro, Nem eu! Eu faço essa comparação (comunismo/fascismo) há muitos anos, de forma explicita, justificada e pública.

 

  Ricardo Marques, jornalista no Expresso

A estátua, por maior que seja, é um bicho fácil de caçar. A sua principal fraqueza é estar permanentemente num estado de imobilidade absoluta. E apesar de não emitir qualquer som, capaz por exemplo de alertar outras estátuas em caso de perigo, a estátua comum é capaz de contar a mesma história durante vários séculos.

 

  Wikipédia, a enciclopédia livre

António Vieira (Lisboa, 6 de fevereiro de 1608 — Salvador, 18 de julho de 1697) mais conhecido como Padre António Vieira, foi um religioso, filósofo, escritor e orador português da Companhia de Jesus. Uma das mais influentes personagens do século XVII em termos de política e oratória, destacou-se como missionário em terras brasileiras. Nesta qualidade, defendeu incansavelmente os direitos dos povos indígenas combatendo a sua exploração e escravização e fazendo a sua evangelização. Era por eles chamado "Paiaçu" (Grande Padre/Pai, em tupi). António Vieira defendeu os judeus, a abolição da distinção entre cristãos-novos (judeus convertidos, perseguidos à época pela Inquisição) e cristãos-velhos (os católicos tradicionais), e a abolição da escravatura. Criticou ainda severamente os sacerdotes da sua época e a própria Inquisição.
António Vieira chegou à Bahia, onde em 1619 seu pai passou a trabalhar como escrivão no Tribunal da Relação da Bahia, o que motivou a vinda de toda a família. Em 1614, iniciou os primeiros estudos no Colégio dos Jesuítas de Salvador, onde, principiando com dificuldades, veio a tornar-se um brilhante aluno. Ingressou na Companhia de Jesus como noviço em 5 de maio de 1623. Em 1624, quando na invasão holandesa de Salvador, refugiou-se no interior da capitania, onde se iniciou a sua vocação missionária. Um ano depois tomou os votos de castidade, pobreza e obediência, abandonando o noviciado. Prosseguiu os seus estudos em Teologia, tendo estudado ainda Lógica, Metafísica e Matemática, obtendo o mestrado em Artes. A partir do final de 1626 ou do início 1627, começou a atuar como professor de Retórica em Olinda. Retornou a Salvador para completar seus estudos, onde em 10 de dezembro de 1634, foi ordenando sacerdote. Nesta época já era conhecido pelos seus primeiros sermões, tendo fama de notável pregador. Em 1638, foi nomeado como professor de teologia do Colégio Jesuíta de Salvador. Após a Restauração da Independência (1640), em 1641 regressou a Lisboa iniciando uma carreira diplomática, pois integrava a missão que ia ao Reino prestar obediência ao novo monarca.

 

  Olha-m’ este!... Quem não o conhecer que o compre
104235609_3717244184958597_6202881076079068080_n.j

 

   Internacinal

Colombo, Rainha Vitória, Leopoldo II, Churchill: dos EUA à Nova Zelândia, há estátuas vandalizadas, decapitadas e retiradas.



Publicado por Tovi às 09:23
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 18 de Maio de 2020
Sessão de hoje da Assembleia Municipal do Porto

#mno_casario_vista_gaia.jpg

Tendo em conta que “a cidade do Porto apresenta um forte desequilíbrio entre a procura e a oferta de habitação, não só em quantidade, mas também ao nível das rendas e preços praticados quando comparada com o rendimento médio auferido pelos agregados familiares”, era importantíssima a ordem de trabalhos da sessão de hoje (por videoconferência) da Assembleia Municipal do Porto, cujos dois pontos em discussão foram ambos aprovados por maioria, com abstenção dos deputados do PSD e voto contra dos da CDU, BE e PAN.

Ponto 1 - Deliberação sobre a Aprovação da criação do Programa Municipal "PORTO com SENTIDO”. 

Ponto 2 - Deliberação sobre a Aprovação do 1.º Aditamento ao Contrato Programa entre o Município do Porto e a Porto Vivo, SRU. 

Esta iniciativa da Câmara do Porto, agora aprovada em Assembleia Municipal, visa introduzir no mercado do arrendamento de habitação imóveis de dois tipos: habitações atualmente no mercado de alojamento local ou habitações disponíveis no mercado de compra e venda de imóveis e de arrendamento, com respeito pelos mecanismos concorrenciais e plena salvaguarda do interesse público. Através do "Porto com Sentido", o Município estima um investimento superior a 4,3 milhões de euros até 2022, para um total de mil contratos de arrendamento com duração inicial de três a cinco anos. Este valor resulta da consideração de uma renda média mensal estimada de 549 euros, deduzida da renda mensal estimada recebida pelo Município (ambas com valores de referência de 2020).

 

   Ao serviço de quem está a Lusa?

O presidente da Câmara do Porto apresentou hoje um protesto formal à mesa da Assembleia Municipal pela divulgação antecipada, por alguém, dos resultados de uma votação e de uma versão parcial do debate relativo a uma proposta sobre Alojamento Local.
Com efeito, ainda decorria a Assembleia Municipal de forma privada, realizada, nos termos dos decretos excecionais devido à crise COVID-19, através de meios de teletrabalho, e já a Agência Lusa relatava a posição política de alguns partidos, tomando por boa, inclusivamente, a votação, com base num post de Facebook.
O caráter excecional em que têm decorrido as Assembleia Municipal foi definido pelos líderes de bancada em reunião de líderes.
Além do protesto formal, apresentado pelo Presidente da Câmara, que então se ausentou da reunião, o Município irá avaliar uma exposição à Entidade Reguladora para a Comunicação Social acerca do comportamento parcial da Agência de Notícias.
Apesar de acompanhar os trabalhos da Assembleia Municipal, o Gabinete de Comunicação da Câmara do Porto não divulga os resultados das votações antes do seu final, nem os conteúdos e argumentos políticos lá debatidos, por respeito aos intervenientes.
 

   Comentários no Facebook

Carla Afonso Leitão - A comunicação social está verdadeiramente vendida, isso já se sabia, mas termos a Agência Lusa a dar notícia com base em post de facebook, não é por falta de consulta do oráculo "Polígrafo", ou um acaso de atenção especial dada a um feed de mural particular, é um prolongamento simplex de whistle blower coordenado e pormenorizado, on time, com uma Sessão ainda a decorrer, à revelia da conduta determinada democraticamente pelos líderes de Assembleia Municipal do Porto tendo em conta os procedimentos em ambiente virtual, sem comunicação social para salvaguarda da privacidade dos intervenientes em modo de confinamento. Além de grave, é vergonhoso sem pinga de inocência para quem acha que tudo vale. Quem não atende às pequenas coisas, não pode atender às grandes, algo que os portuenses percebem muito bem.

David Ribeiro - Ainda não sei, mas desconfio, quem colocou o tal post no Facebook... é que a CULPA não é só da Lusa.



Publicado por Tovi às 21:32
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 11 de Maio de 2020
Tragédia numa freguesia de Peniche

Concelhopeniche-050605-freg-atouguia.jpg

A comunicação social dava-nos a conhecer na manhã da passada quinta-feira que um menina de nove anos tinha desaparecido de casa de seu pai, em Atouguia da Baleia, em Peniche. A criança – Valentina – vivia permanentemente com sua mãe no Bombarral mas estaria a passar uma temporada com o seu pai, mais a madrasta e outras três crianças, uma de 12 anos, outra de quatro anos e ainda uma outra com meses. Durante três dias foram feitas buscas infrutíferas numa área de quatro mil hectares pela GNR, Bombeiros e muitos populares, mas no último domingo ficamos a saber que o corpo tinha sido encontrado morto, numa eucaliptal a cerca de seis quilómetros de Atouguia da Baleia, e o pai e a madrasta estavam detidos pela Polícia Judiciária. Em conferência de imprensa, o coordenador do Departamento de Investigação Criminal da PJ de Leiria, Fernando Jordão, referiu que o corpo da criança terá sido levado para uma zona de mato na Serra D'El Rei, em Peniche, onde foi tapado com arbustos. "Estamos a verificar o cenário da morte, mas claro que terá de ter acontecido em algum contexto de violência", disse o responsável, salientando que, "à partida" não terá sido uma morte acidental.

 

   17h00 de hoje

O pai e a madrasta suspeitos da morte da criança de nove anos, em Atouguia da Baleia, Peniche, só deverão ser ouvidos por um juiz de instrução criminal, no Tribunal de Leiria, na terça-feira de manhã. A autópsia da criança já se terá realizado e o relatório preliminar (o relatório final da autópsia ainda deverá demorar mais algum tempo) poder-se-á juntar ao inquérito na terça-feira, podendo ser mais um contributo para confrontar os suspeitos sobre a forma como a criança morreu.

 

  22h00 de hoje

 O resultado preliminar da autópsia de Valentina, encontrada morta em Atouguia da Baleia, no concelho de Peniche, aponta para uma morte violenta, com lesões na cabeça e indícios de asfixia.

 


Captura de Ecrã (201).png
“Fazer tudo isto sobre a tragédia que é o cadáver de uma criança inocente, é um condenável exercício de necrofilia, só ao alcance do pior dos abutres.” – Tem toda a razão o meu amigo que escreveu isto… apesar da dor que todos sentimos perante a brutalidade deste assassínio.

   Comentários no Facebook

 Eduardo Vasques de Carvalho - Sem ser simpatizante do André Ventura, admiro o modo politicamente incorrecto como diz "aquilo" que muitos pensam mas não dizem. A forma como os pseudo democratas se servem do governo para dizerem o politicamente correcto mas actuarem como uma ditadura de esquerda só tem valorizado o CHEGA e com o medo que o povo abra os olhos e por desgaste se virem para o outro extremo, até tentam ilegalizar o direito à liberdade de expressão.

Carla Molinari - Ditadura será sempre ditadura, seja da direita ou da esquerda, e limita as nossas vidas e impõe regras unilaterais. O que interessa ter liberdade de expressão se a liberdade de viver a nossa vida se torna inviável ?

David Ribeiro - O que está em causa neste meu post é o aproveitamento político desta tragédia, apesar da repugnância que este crime gera. Como dizia o meu amigo autor do texto citado: “É a diferença entre o homem moralmente sofisticado e o primitivismo impulsivo. É a diferença entre a civilização e a barbárie. É a opção consciente de não nos pormos no patamar do criminoso.”

 

   11h50 de 13mai2020

O Tribunal de Leiria decretou prisão preventiva para o pai e madrasta de Valentina, a menina de 9 anos encontrada morta em Peniche. Sandro Bernardo está acusado do homicídio qualificado e violência doméstica. Márcia está igualmente acusada de homicídio qualificado. Ambos os arguidos estão ainda acusados do crime de profanação de cadáver.



Publicado por Tovi às 13:57
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 26 de Abril de 2020
Proclamação da Junta de Salvação Nacional

19458818_JDvVI.jpg

Após a vitória das tropas revoltosas, às 01h30 de 26 de Abril de 1974 foi lida a proclamação ao País da JUNTA DE SALVAÇÃO NACIONAL, composta por: General António de Spínola (Exército - presidente); General Francisco da Costa Gomes (Exército); Brigadeiro Jaime Silvério Marques (Exército); General Manuel Diogo Neto (Força Aérea - inicialmente ausente em Moçambique); Coronel Carlos Galvão de Melo (Força Aérea); Capitão-de-mar-e-guerra José Baptista Pinheiro de Azevedo (Marinha); Capitão-de-fragata António Alva Rosa Coutinho (Marinha).

   PROCLAMAÇÃO AO PAÍS LIDA POR SPÍNOLA

Em obediência ao mandato que acaba de lhes ser confiado pelas Forças Armadas, após o triunfo do Movimento em boa hora levado a cabo pela sobrevivência nacional e pelo bem-estar do Povo Português, a Junta de Salvação Nacional, a que presido, constituída por imperativo de assegurar a ordem e de dirigir o País para a definição e consecução de verdadeiros objectivos nacionais, assume perante o mesmo o compromisso de:
- Garantir a sobrevivência da Nação, como Pátria Soberana no seu todo pluricontinental;
- Promover, desde já, a consciencialização dos Portugueses, permitindo plena expressão a todas as correntes de opinião, em ordem a acelerar a constituição das associações cívicas que hão-de polarizar tendências e facilitar a livre eleição, por sufrágio directo, de uma Assembleia Nacional Constituinte e a sequente eleição do Presidente da República;
- Garantir a liberdade de expressão e pensamento;
- Abster-se de qualquer atitude política que possa condicionar a liberdade da eleição e a tarefa da futura Assembleia Constituinte e evitar por todos os meios que outras forças possam interferir no processo que se deseja eminentemente nacional;
- Pautar a sua acção pelas normas elementares da moral e da justiça, assegurando a cada cidadão os direitos fundamentais estatuídos em declarações universais e fazer respeitar a paz cívica, limitando o exercício da autoridade à garantia da liberdade dos cidadãos;
- Respeitar os compromissos internacionais decorrentes dos tratados celebrados;
- Dinamizar as suas tarefas em ordem em que no mais curto prazo o País venha a governar-se por instituições de sua livre escolha;
- Devolver o poder às instituições constitucionais logo que o Presidente da República eleito entre no exercício das suas funções.

 

   Comentários no Facebook

Antonio Freitas - Pergunto se estas intenções foram as que concretizaram

David Ribeiro - Ora aqui está uma interessantíssima reflexão... para mim, que vivi todos estes momentos políticos, era ISTO o verdadeiro 25 de Abril.

Ricardo Fonseca - Os capitães deveriam ter assumido esta presidencia, mas o cunho da disciplina militar não o permitiu. Otelo era o homem perfeito para fazer o papel que Spínola tentou desempenhar.

David Ribeiro - Não, não era, Ricardo Fonseca... Otelo era inábil, politicamente.

David Almeida - David Ribeiro e o Spínola um estadista... sem orientação política!

David Ribeiro - Tem razão, David Almeida.

Ricardo Fonseca - David Ribeiro mas a intenção não era conduzir o país a eleições, a necessidade não era a de manter o país a funcionar até às eleições e depois aí sim dar lugar aos políticos para dirigir o pais?

David Ribeiro - Ricardo Fonseca, a intenção política dos revoltosos era a que estava na proclamação da Junta de Salvação Nacional... mas não era esta a intenção de alguns dos seus membros, como era o caso do General Spínola.

David Ribeiro - Nenhum dos "generais" assumiu publicamente a revolução antes desta ser vitoriosa... e o Movimento dos Capitães estava muito dividido quanto ao "dia seguinte".

António Conceição - Spínola não era estadista algum. Era apenas um narcisista que, como logo notou Marcello Caetano, confundia o mundo com a Guiné. Pouca gente era capaz de alinhar tanto disparate, como ele alinhou em "Portugal e o Futuro". Evidentemente, nenhuma revolução, nenhum regime podia fundar sobre essa colectânea de dislates. Em Junho de 74, chegou a realidade.



Publicado por Tovi às 01:53
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 23 de Abril de 2020
Os desafios do pós-COVID-19

mw-860.jpg

Os desafios do pós-COVID-19 não serão apenas económicos, financeiros ou sociais, serão também políticos. Muito provavelmente vamos ter que alterar a maneira de compreendermos o ambiente, conceber novas instituições que garantam a investigação das grandes incógnitas da ciência virológica, mas também teremos que desencorajar, ou até proibir, o aparecimento de areia na engrenagem das máquinas das nossas vidas. Assim uma das tarefas políticas será a de se perder o medo de exercer controlo sobre os empresários, sejam eles de que áreas forem, compartilhando-se as agências governamentais e universidades com empresas ou laboratórios onde se criem as necessárias inovações tecnológicas. O caso da dependência da China, para o abastecimento de equipamento hospitalar, da esmagadora maioria dos países é qualquer coisa que devemos prevenir no futuro. Mas para tudo isto o que é fundamentalmente necessário?... O fim de políticos e empresários corruptos, uma “raça” que nos tem atormentado e com custos sociais enormes.

  Comentários no Facebook

Jose Riobom - Tudo quimeras, tudo sonhos... para tal desiderato muito sangue teria que correr nas ruas. Não bastaria precaver o futuro sem se apagar completamente o passado. O regime de 25 anos de pena máxima teria que acabar. Os crimes económicos teriam que ser equiparados a crimes de sangue. Os crimes de abuso de funções públicas severissimamente punidos. Passar simplesmente um pano pelo passado. Nunca ..... O futuro que não julgar o passado alguma coisa poderá mudar, para que, como sempre, tudo fique na mesma com os mesmos de sempre. Faça-me um favor não insulte a minha inteligência...

David Ribeiro - Lá está, Jose Riobom... "teremos que desencorajar, ou até proibir, o aparecimento de areia na engrenagem das máquinas das nossas vidas."

Jose Riobom - David Ribeiro mas isso conduzirá a uma ditadura... não tenhas ilusões e necessariamente à pena de prisão perpétua ou até à de morte. Ou haverá dúvidas que estamos perante um genocídio? Um estado que descuida os seus cidadãos em favor de interesses privados é um estado assassino, um estado criminoso. Um estado que descuida os seus cidadãos para valer aos interesses bancários privados é um estado criminoso, um estado assassino, um estado criminoso. Um estado que solta criminosos e detém cidadãos nas ruas é um estado criminoso. Tenho pena, lamento por mim e pelos pobres e pelos que morreram que não haja uma consciência cidadã especializada em direitos do homem que os leve ao tribunal de Haia acusados de genocídio.

David Ribeiro - As proibições não são exclusivo das ditaduras... seja a "proibição" em favor do Povo e é perfeitamente legitimada. O "é proibido proibir" deu mau resultado, apesar de nos parecer (a mim, à época, até pareceu) o máximo da Liberdade.

Nuno Moreira - Das melhores coisas que escreveste! Passa por aí a solução, e este é o momento.

João Pedro Maia - Amanhã é um dia muito importante.

Rogerio Parada Figueiredo - Essa poderá ser a parte mais complicada do problema! Seria bom acordar essa gentinha para a realidade!

 

  COVID-19 - Situação em Portugal e Região Norte

22353 casos confirmados (13382 na Região Norte)
820 mortos (475 na Região Norte)
Dizia eu ontem que no Norte de Portugal estávamos numa tendência de descida no número de mortes por dia… mas hoje voltamos a números elevados, prova provada que não podemos baixar a guarda, até porque deste vírus ainda sabemos pouco.
norte 23abr.jpg



Publicado por Tovi às 08:24
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 14 de Abril de 2020
Mais um disparate da TVI

93839061_2883342271754135_8916048761545818112_n.jp
Foi esta a conclusão a que chegaram uns "intelectuais", daqueles que mandam bitaites nas tv's nacionais, sobre os motivos porque o Norte foi mais castigado pelo COVID-19. Já não há paciência para tanta estupidez.

   Comentários no Facebook

David Ribeiro - Segundo os “intelectuais” que mandam bitaites na TVI sobre este assunto, seguramente que Espanhóis, Italianos, Belgas, Franceses, Holandeses, Britânicos, Suíços e Suecos têm uma “população menos educada, mais pobre, envelhecida e concentrada em lares” do que na Região Norte de Portugal (onde as mortes por milhão de habitantes são de 82,1).
mundo morte p m 13abr.png

Raul Almeida - Isto é a população do Norte. Agora imaginem como será quem escreve e quem permite que se publique uma coisa destas. Há alturas em que percebemos que o país tem problemas infinitamente maiores do que o COVID-19. Para o Covid é previsível que venha a haver cura ou vacina.

António Alves - Há quem ache que o Norte é uma realidade homogénea. Que o interior transmontano ou o Tãmega é igual ao Grande Porto e ao Litoral. Na Itália é precisamente a região mais rica e industrializada, a de Milão, a que tem mais casos. Em Portugal são igualmente os concelhos mais industrializados da Área Metropolitana do Porto e Norte Litoral os mais afectados. E também dos mais ricos do país, em poder de compra per capita - Porto, Matosinhos, Maia, Braga, Gaia -, depois de Lisboa e Oeiras. Como diz o meu amigo Pedro Sousa Chichorro, a falta que o futebol faz a muita gentinha.

Carlos Amadis - Porque é que a televisão está em decadência? Por isto. Para a TVI, a população do Norte é menos educada. No Sul as pessoas são mais educadas e formadas. Os lobbys não querem a Regionalização para poderem continuar a manter o status quo do País. Manter o "stablishment" nas pessoas de forma a intocar a Narrativa de um País a duas velocidades e a dois níveis civilizacionais. O problema não é Lisboa. Lisboa é linda. O problema são os saloios de Lisboa. Eu tenho nojo da Comunicação Social Portuguesa.

Rui Moreira - (...) O “Norte”, esse ponto cardeal que a TVI confunde com o Porto e vice-versa, e que imagina Viana do Castelo como uma freguesia da cidade Invicta e Braga como a sua periferia, não está provado que tenha gente mais mal-educada ou mais bem-educada do que Lisboa, da mesma forma que não se provou ainda que Lisboa tenha mais ou menos estúpidos que a Amadora, como na mesma lógica da TVI, seria apropriado dizer-se. (...)

Ana Alyia - Pela mesma lógica eu não apanho covid sendo que sou educada, não sou tão pobre ainda não sou velha e não vivo em lar. Já estou a imaginar o vírus a fazer uma seleção criteriosa "és educado? Ah ok então vou procurar outro para atacar". Valhamedeus nunca ouvi afirmação tão descabida.

Nuno Botelho - Há uma legitima indignação a respeito da peça de ontem da TVI sobre as razões da incidência do Covid19 no Norte. A própria TVI já veio apressar-se a pedir desculpas, reconhecendo a gravidade do disparate. A grande verdade é que o Norte é a região mais exportadora do país, com forte espírito empreendedor que a leva a sair de portas para fazer negócios e a procurar novos mercados, com um peso relevante da indústria (e não há indústria em tele-trabalho...). Como em Itália, também em Portugal houve um maior número de casos na região mais dinâmica e mais aberta ao mundo. Ao contrário de Lisboa, que centraliza Estado, despesa e funcionários, além de concentrar a quase totalidade das compras e dos fornecimentos públicos, como explica oestudo da Associação Comercial do Porto sobre o tema. O Norte pode não ser a Lombardia, mas Lisboa cai demasiadas vezes na tentação de um certo imperialismo romano.

   Comunicado do Diretor de Informação da TVI, Sérgio Figueiredo

O Jornal das 8 de ontem emitiu uma peça que pretendia explicar os motivos que levam a Região Norte a constituir-se como a parte do território nacional onde a Covid-19 regista um número bastante superior de casos positivos e de óbitos devido à pandemia, face às outras regiões.
Desde o primeiro momento em que o assunto foi internamente discutido, logo na reunião da manhã de preparação do jornal – onde participou o editor habitual do Jornal das segundas-feiras, Miguel Sousa Tavares, o pivot José Alberto Carvalho, eu próprio e outros editores da TVI – a preocupação era legítima e construtiva: porquê e como responder àquelas populações particularmente afetadas?
Do ponto de vista jornalístico é normal que se questionem as razões que, numa só região, e segundo os dados oficiais, se registem 60% de todas as pessoas infetadas e 57% dos óbitos do país devido à doença. E do ponto de vista social consideramos que questionar é o primeiro passo para encontrar as respostas necessárias na resolução do flagelo.
Os nossos procedimentos foram os de sempre: à nossa jornalista destacada para a conferência de imprensa diária da DGS foi pedido que procurasse junto das Autoridades de Saúde uma explicação; o José Alberto Carvalho perguntaria sobre isso ao epidemiologista entrevistado em direto no Jornal (o que aconteceu) e a autora da reportagem recolheu a análise de vários especialistas, dois aceitaram ser entrevistados e entraram na peça.
Apesar de todas as redações que produzem jornalismo estarem a trabalhar em condições terríveis, em que nenhum de nós até hoje tinha vivido, a TVI fez o que estava certo: questionou algo relevante, falou com quem sabe e produziu uma reportagem com uma intenção genuinamente construtiva e socialmente relevante.
Isto não justifica, porém, a construção de uma frase infeliz no ecrã, nem a parte do texto que a suportava. Nomeadamente aquela que, entre as razões demográficas e sociológicas indagadas, sugeria níveis de educação abaixo da media nacional. Essa frase foi por muitos interpretada como uma ofensa às gentes do Norte – o que não era evidentemente o nosso propósito.
Nem é essa a tradição da TVI, que historicamente mantém uma relação de grande proximidade com as populações e de ligação à Região. No caso concreto da Informação, concentramos boa parte dos nossos recursos na redação do Porto e em duas delegações regionais que cobrem acontecimentos diários do litoral ao Interior.
Com a mesma humildade que a todos pedimos desculpas por um erro que somos os primeiros a lamentar, temos a convicção que a TVI não deve a ninguém, em esforço, em tempo de antena, em grandes eventos desportivos e culturais que promovemos ou patrocinamos, a relevância que o Norte merece e justifica na mancha de cobertura informativa que diariamente, semana após semana, anos a fio, aqui lhe temos dedicado e que continuaremos a fazê-lo.
Da mesma forma que um erro grosseiro – que não foi previamente detetado nestas difíceis condições em que a pandemia também coloca ao trabalho dos jornalistas e de uma televisão – não caracteriza todo um Jornal e, menos ainda, uma estação televisiva que todos os dias acorda guiada pela sua mais nobre missão que é servir os portugueses. Sem exceções e sem discriminações de natureza alguma.

 

   Situação em Portugal e Região Norte

17448 casos confirmados (10302 na Região Norte)
567 mortos (321 na Região Norte)
COVID19 PortNorte 14abr.jpg



Publicado por Tovi às 09:33
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 13 de Abril de 2020
Estou farto das fantásticas "curas" para COVID-19


Captura de Ecrã (113).png
   Comentáros no Facebook

Rui Pedro Pena - A ciência já deixou claro que isto só lá vai com vacina (que demorará 1 ano) ou com a imunidade coletiva (e tudo com muitas incertezas)... Para já, parece que se está a fazer bem feito em Portugal porque o SNS está a dar uma resposta EXTRAORDINÁRIA... e a ser capaz de responder eficazmente aos casos graves (não há relatos de falta de ventiladores e camas nos cuidados intensivos para quem delas precisa). Agora, teremos mesmo é que deixar que a doença progrida com suavidade, como está a acontecer, mas não se iluda quem acha que isto é para acabar em 3 ou 4 semanas... e que ela vai ter uma cura milagrosa... Infelizmente o pânico ditou as regras nos primeiros dias/semanas desta crise (isto deve fazer-nos pensar muito sobre a forma como valorizamos a ciência na nossa sociedade)... Esperemos que nos próximos dias/semanas a ciência veja reconhecido o seu papel e todos. lúcida e racionalmente façamos a nossa parte, como cidadãos, cada um no seu trabalho. Há muito que fazer.

Davd Ribeiro - Alguma informação altamente credível – The Lancet

 

 

   Situação em Portugal e Região Norte

16934 casos confirmados (9984 na Região Norte)
535 mortos (303 na Região Norte)
COVID19 13abr.png



Publicado por Tovi às 10:51
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2020
A falta que um bife faz

87630217_10216632058541769_6552655406768848896_n.j

   Comentários no Facebook

Raquel Pacheco - Nunca me manifesto em relacao a nada David Ribeiro, mas realmente as pessoas falam mesmo do que não sabem, (...) sim é apenas medida a hemoglobina q se estiver abaixo de 12,5 gr/dl não é permitido dar sangue para salvaguardar a saúde do dador! Mas, quando falamos devemos falar se soubermos do que falamos: a hemoglobina é composta por ferro, ou seja: a falta de ferro é diretamente proporcional à quantidade de hemoglobina!!!!!!!!!

Carlos Miguel Sousa - Esclarecimento: A noticia é verdadeira, e as informações foram cedidas por ambos os deputados a uma equipa de reportagem da CMTV. Ao David Ribeiro, as minhas desculpas, por ter afirmado que a noticia era falsa.



Publicado por Tovi às 13:52
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 10 de Fevereiro de 2020
Lembram-se da Paula do Lagarteiro?

Captura de Ecrã (394).png

Gostava era de ouvir agora aqueles socialistas portuenses & C.ª que andaram com ela ao colo quando a Paula do Lagarteiro “exigia” voltar para um apartamento num bairro camarário.

   Notícia do JN de ontem

 

   Comentário de Pedro Baptista no Facebook

A vítima-heroína da "esquerda" da ganza do Porto, do BE, do PS e de toda a nacional-putaria, com a Interpol atrás, ao que nos narra o JN! Não há direito da Câmara do Porto não querer sustentar a parasitagem da "esquerda" do chuto. Deveríamos alojá-los e pagar-lhes o charro e a pica do dia a dia, direito humano e social da boa gente, tal como o erário público paga os abastecimentos nos acampamentos de verão que tantos votos rendem a esta gente... Também deveríamos garantir instalações ao que ascenderam na nomenklatura do tráfico, a distribuidores, armazenistas, contabilistas e investidores... Se alguns ideólogos, como o Pizarrote, do Cabaret PS, já andam pelo parlamento europeu, podemos ter a certeza, ou pelo menos a esperança, de que chegarão a deputados de Lisboa e, então, todos poderemos levantar voo...
Alguém tem de dizer a toda esta corja, que NÂO:
A DROGA NÃO É UM DIREITO HUMANO OU SOCIAL, É UMA DESGRAÇA QUE MATA E ESCRAVIZA MILHÕES APENAS PARA PROVEITO DOS MAIORES CRIMINOSOS DA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. A GANZA NÃO É DE ESQUERDA, ANTES PELO CONTRÁRIO!



Publicado por Tovi às 07:14
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 22 de Janeiro de 2020
Rui Moreira está a cumprir o seu programa eleitoral

safe_image.jpg

   Comentários no Facebook

Jorge Oliveira E Sousa - Um Autarca que passou a autista, perfeitamente em perda acentuada de popularidade que não ouve as forças vivas da cidade. Desiludiu-me neste segundo mandato...

Rui Cruz Ribeiro - Votei nele por duas vezes, mas arrependi-me profundamente. Julguei que ia acabar com os cerca de 40% de semáforos desnecessários, que ia proibir a invasão da cidade, pelas centenas de carros de instrução que a tornam num caos absoluto, que ia proibir o trânsito de pesados na VCI, onde os engarrafamentos são enormes e diários.....e que não lhe passava pela cabeça cobrar o estacionamento em inúmeras zonas residenciais, em claro prejuízo dos municipes. Está em queda total.

David Ribeiro - Estou em completo desacordo consigo nesta matéria, caríssimo Rui Cruz Ribeiro. Rui Moreira ainda não se desviou um milímetro do seu programa para a cidade, que foi sufragado nas últimas Autárquicas.

Rui Cruz Ribeiro - Caríssimo David Ribeiro, assiste-lhe todo o direito de discordar completamente do conteúdo do meu comentário, o qual mantenho na íntegra. Sabe, a minha opinião é absolutamente independente e reflecte exactamente o que penso sem ter de agradar a alguém. Para quem nasceu e vive no Porto, deslocando-se diáriamente pela cidade, fácilmente conclui que o Porto perdeu drásticamente a mobilidade que outrora teve e que até foi, (e muito bem) uma das bandeiras do programa do visado, do qual, neste caso, ou desistiu ou se afastou quilómetros. Caro David Ribeiro, os programas para qualquer cidade têm de ser flexíveis e adaptados às novas realidades, por exemplo a degradação arrepiante e em ruína do conjunto de moradias na Rua 5 de Outubro, em frente à BP, uma das principais entradas na cidade, cujo "espectáculo" é vergonhoso, e onde presumívelmente, surgirão um ou mais mamarrachos de gosto nenhum, bem como o lastimoso estado da Casa do Relógio (de arquitectura manuelina), na Av. Brasil. Os meus respeitosos cumprimentos.

Antero Braga - O que me parece apouca as vossas apreciações. Como amigo de ambos não fazem um balanço mais calmo da situação. Hoje na minha modesta opinião é bem mais difícil governar a cidade. Tenho a certeza que ambos estão de acordo. A nossa cidade mudou muito e substancialmente por motivos exógenos. Sejamos mais parte a somar para o nosso êxito (Porto)e não em dividir. Todos temos críticas a fazer ( não existem presidências sem erros ) se assim fosse não tinham morto J. C. . Desculpem meter-me na conversa. Falem pessoalmente e chegam à conclusão ( Somos cidade do Porto) vamos ajudar mostrando problemas mas apresentando soluções no local próprio. Abraço a ambos



Publicado por Tovi às 13:54
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 14 de Dezembro de 2019
Qual Brexit, qual Corbyn, isto é que é tema

Captura de Ecrã (363).png

Roubado à minha querida Amiga Paula Ribeiro de Faria... sim, "roubado" porque não lhe pedi autorização para publicar.



Publicado por Tovi às 09:20
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 7 de Outubro de 2019
Pós-eleições… no Facebook
  • O Facebook devia ter uma aplicação que impedisse os abstencionistas de publicar comentários políticos nos próximos 4 anos.
  • A Luísa Apolónia finalmente foi à vidinha dela.
  • Rio consegue resistir no seu partido pelo simples facto de os seus próprios correligionários lhe terem antecipado uma derrota maior do que a que teve.
  • Marinho e Pinto e Pardal Henriques devem ter ficado sem combustível porque desapareceram.
  • Portugal está super europeu. Liberais e extrema direita no parlamento.
  • O maior partido: a abstenção.
  • A derrota do PSD não é de Rui Rio, mas do PAF e das divisões que os seus apaniguados criaram no partido.

Ai dos vencidos!...
72124823_2576073369111156_1458569287403831296_n.jp




Quarta-feira, 1 de Agosto de 2018
Um incidente na sessão de ontem da AMPorto

Foi assim… mas já era expectável, ou eu não os conhecesse.

 

   Abel Coentrão do jornal Público

Miguel 31Jul2018.jpg

Presidente da Assembleia Municipal acusado de tentar coarctar liberdade de expressão - Munícipe Tatiana Moutinho acabou por conseguir intervir na reunião desta noite, mas foi interrompida quando acusou deputado de racismo.
Vários representantes da oposição na Assembleia Municipal do Porto reagiram com incómodo, e críticas, à forma como o presidente deste órgão, eleito pelo grupo de Rui Moreira, tentou condicionar a intervenção de uma munícipe, no período dedicado ao público. Por causa da discussão gerada por este caso, a reunião que decorreu esta terça-feira à noite prolongou-se, por mais 40 minutos, já para a madrugada de quatra-feira, num debate aceso sobre racismo e sobre liberdade de expressão.
Rui Moreira já não estava na sala quando o episódio se começou a adivinhar. Terminado o período da ordem do dia de uma sessão relativamente calma, e que até começara com um voto de pesar, unânime, pela morte do antigo líder do BE João Semedo, elogiado por todos pela forma recta, frontal e leal com que conduziu o seu percurso político, Miguel Pereira Leite abriu o período do público e chamou a munícipe em causa. Mas, sabendo, de antemão, que Tatiana Moutinho pretendia fazer declarações sobre um deputado da maioria, acusado de racismo por causa de um post do Facebook, tentou impor-lhe condições e balizar a intervenção, em modos que a levaram, inicialmente, a desistir de falar.
Aproveitando o facto de a munícipe se ter identificado como candidata nas listas do Bloco a esta assembleia, num e-mail que esta lhe enviara com questões sobre o caso envolvendo o deputado municipal António Santos Ribeiro, Miguel Pereira Leite chegou a tratá-la, mais do que uma vez, como “sr.ª candidata”. Argumentou, a dado momento, que a cidadã em causa poderia intervir “sobre assuntos de interesse para o município”, mas convidou-a a assumir o lugar de um dos camaradas, numa sessão, para poder fazer uma intervenção “política” sobre a Assembleia Municipal em defesa da qual garantia, como presidente, estar a agir, ao impedir alguém de “insultar qualquer um" dos membros.
Ainda antes de o centrista Raul Almeida, do grupo de Rui Moreira, lhe agradecer o facto de “preservar o estatuto da assembleia”, o líder deste órgão foi interpelado pelo socialista Gustavo Pimenta, que “preocupado, perturbado”, com o que acabara de assistir, o acusou de “exorbitar os seus poderes”, ao tentar condicionar a priori, o teor da intervenção da munícipe. “Não creio que possa ser coarctada a liberdade de se pronunciar”, insistiu, usando uma expressão que viria a ser repetida, minutos depois, pela deputada bloquista Susana Constante Pereira. Que via no episódio “uma preocupante concepção de democracia”.
“O facto de a senhora ter sido candidata não lhe retira direitos. O sr. presidente não esteve bem”, atirou de seguida o comunista Artur Ribeiro, num momento em que Miguel Pereira Leite, depois de insistir na posição inicial, já dizia que a munícipe poderia falar, desde que, insistia, respeitasse a assembleia. Esta voltou a pegar no microfone, mas acabou por ser interrompida e impedida de continuar depois de acusar o deputado António dos Santos Ribeiro – ou David Ribeiro, no Facebook – de racismo e incitamento ao ódio num post sobre romenos, acampados perto de sua casa, que mereceu uma queixa da SOS Racismo.
Espectador atento de tudo isto, em sua própria defesa, o deputado em causa tentou fintar a polémica com uma curta declaração. "Se eu, que até sou adepto do Boavista, disser que um jogador mexicano do FC Porto não joga nada é considerado racismo?" A pergunta não obteve resposta, mas o caso fez o deputado Pedro Baptista levantar-se do “banco” para a intervenção mais exaltada da noite, na qual defendeu o amigo e “grande democrata” e acusou os críticos de preferirem expor o “folclore de preconceitos ideológicos” em vez de se preocuparem com a lixeira que o deputado denunciara e apelarem aos serviços públicos para resolverem o problema.
“Vocês não passam de demagogos e oportunistas”, acusou, inflamado pelo debate, o antigo parlamentar socialista que foi eleito pelo grupo de Rui Moreira e para quem não há problema nenhum em associar a situação em causa a quem a provoca, porque David Ribeiro o faria naturalmente se estivessem em causa “dinamarqueses ou lisboetas”, em vez de romenos, garantiu. A intervenção haveria de merecer, mais tarde, reparos do comunista Artur Ribeiro, que a considerou “absolutamente lamentável” e digna, essa sim, notou, de interrupção por parte de Miguel Pereira Leite.
Perante um estreante deputado substituto do PAN, Ernesto Morais, impressionado com o que ia testemunhando – “a resposta da assembleia não foi digna”, sentenciou – ainda houve tempo para mais algumas trocas azedas de palavras. O deputado bloquista Pedro Lourenço disse-se "envergonhado com a actuação" do líder deste órgão, que tomou a crítica, vinda de quem vinha, "como um elogio". Os apartes entre bancadas ainda continuaram, durante uma outra intervenção de Carla Leitão em defesa de David Ribeiro, e contra quem o acusava, “injustamente”. A sessão acabaria já pelas 00h35 com Miguel Leite Pereira a regozijar-se pelo início das férias. “Em Setembro voltaremos mais tranquilos”, suspirou.



Publicado por Tovi às 15:58
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 22 de Julho de 2018
Ciganos romenos no Porto

FB_IMG_15320918816382602-1.jpg

Não, não sou racista nem xenófobo, mas sou declaradamente contra quem recusa qualquer tipo de ajuda social e prefere continuar a viver da mendicidade, do pequeno furto e a dormir em jardins e espaços públicos, conspurcando os terrenos que são de todos nós e para uso de todos os cidadãos.
No último ano a zona da Rotunda da Boavista, especialmente o triângulo formado pela avenida da França, rua Domingos Sequeira e rua 5 de Outubro, tem sido o "dormitório" de um grupo de 20 a 30 romenos, maioritariamente mulheres e jovens, que criaram um autêntico martírio aos residentes e comerciantes da zona. Às entradas dos prédios deixam lixo, quando podem entram nas garagens e rapinam tudo o que encontram, nos supermercados roubam mais do que compram, e só agora parece haver uma acção concertada das autoridades, municipais e policiais, para tentar resolver este flagelo.
Qual a solução?... não sei nem sei se alguém sabe, mas há que refletir sobre a situação e encontrar rapidamente formas eficazes de proteger os cidadãos destes energúmenos.

 

   Censura do Facebook

O Facebook acaba de censurar este meu último post sobre um trabalho que estou a fazer sobre a comunidade cigana da Roménia na cidade do Porto. Contestei… mas não adiantou nada.

romenos 22Jul2018.jpg

   Comentários no Facebook

FB_IMG_15322733279125614.jpgFB_IMG_15322993580776577.jpg



Publicado por Tovi às 14:36
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Julho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Posts recentes

Offshore... essa coisa es...

Estátua do Padre António ...

Sessão de hoje da Assembl...

Tragédia numa freguesia d...

Proclamação da Junta de S...

Os desafios do pós-COVID-...

Mais um disparate da TVI

Estou farto das fantástic...

A falta que um bife faz

Lembram-se da Paula do La...

Rui Moreira está a cumpri...

Qual Brexit, qual Corbyn,...

Pós-eleições… no Facebook

Um incidente na sessão de...

Ciganos romenos no Porto

Acabou-se para Bruno de C...

O José Riobom é um poeta…...

Uma visão lúcida da crise...

Renato Rodrigues… descobr...

Cães nos autocarros?...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus