"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Domingo, 13 de Outubro de 2019
Albariño... da Galiza

72757436_10215596264847574_759134589099704320_n.jp

Um soberbo Albariño acompanhou os Camarões ao Alho do almoço de hoje. Obrigado grande amigo Juanma Lopez e parabéns pelo teu vinho.



Publicado por Tovi às 19:17
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 23 de Abril de 2018
As gaivotas já são uma praga no Porto

...e na Galiza também

Gaivotas.jpg



Publicado por Tovi às 11:13
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 12 de Fevereiro de 2018
Entrudo Chocalheiro

Este sim é para mim o verdadeiro Carnaval do Norte de Portugal, o Entrudo Chocalheiro, dos Caretos de Trás-os-Montes e Alto Douro.

 

   Joaquim Pimenta in Facebook

caretos.jpg

Pensa-se que a tradição dos Caretos tenha raízes célticas, de um período pré-romano. Provavelmente, está relacionada com a existência dos povos Galaicos (Gallaeci) e Brácaros (Bracari) na Galiza e no norte de Portugal. Carnaval completamente surpreendente, pela cor, movimento, bem como pela gastronomia.



Publicado por Tovi às 14:05
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 26 de Janeiro de 2018
O que dizem os nossos irmãos galegos

lavozdegalicia 26jan2018.jpg

  Carlos Punzón no La Voz de Galicia

El 1 de abril los autobuses no regulares ya no podrán acceder al casco urbano de Oporto. Y desde un mes antes, cada turista que pernocte en la ciudad tendrá que pagar dos euros para contribuir a mantener las infraestructuras públicas. Son dos ejemplos que ayudan a entender cómo el Ayuntamiento de la segunda ciudad más grande de Portugal está poniendo orden a un crecimiento exponencial del turismo surgido de una renovada capacidad de atracción que le ha supuesto además ser reconocida como mejor destino internacional en los años 2014 y 2017.
Pero la captación que está ejerciendo Oporto ni es casual ni es fruto de una moda. Desde inicios de este siglo los poderes públicos portuenses y la iniciativa privada se sentaron para hablar sobre qué infraestructuras querían y cómo las podían acompañar. ¿Resultado? Hoy el puerto de Leixões mueve el doble de las mercancías en contenedor que las que pasan por los cinco puertos de interés general de Galicia juntos. El aeropuerto Sá Carneiro se aproxima a los once millones de pasajeros al año y gestiona casi seis millones más que los tres gallegos sumados, cuando en el 2007 la balanza se inclinaba aún a favor de Galicia.
El alcalde de Oporto, el independiente Rui Moreira, niega que su intención sea la de convertir a su ciudad en el gigante del noroeste peninsular y vencer a las ciudades gallegas. Pero la realidad es que sus dos grandes motores del transporte mantienen un crecimiento constante, incluso en los peores momentos de la crisis, y se alejan cada vez más de las posibilidades que ofrecen las urbes galaicas, ayudando a conformar un epicentro cada vez más incuestionable.
«Sectores privado y público tenemos una estrategia articulada y la verdad es que no perdemos mucho el tiempo en discusiones sobre cómo hacer nuestras infraestructuras», señala Moreira a La Voz en un encuentro para repasar el estado de su ciudad. Para el regidor, Oporto tiene una ventaja sobre las ciudades gallegas: «Nuestro liderazgo en el norte del país es indiscutible, mientras en Galicia siempre ha habido el debate y la pelea entre A Coruña, Vigo y Santiago por las inversiones y los proyectos». Pone así de relieve los efectos de una pugna que desgasta.

Notícia completa aqui



Publicado por Tovi às 14:33
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 26 de Junho de 2016
Batalha de São Mamede

Passaram na sexta-feira 888 anos sobre a data em que aconteceu a Batalha de São Mamede, momento tão bem recordado neste texto do meu amigo Pedro Baptista:

Batalha de São Mamede 24Jun1128 aa.jpg

Portugal tem hoje, dia de São João, o octingentésimo octogésimo oitavo aniversário da sua fundação, a entendê-la, como a nosso ver deve ser entendida, com a Batalha de São Mamede, ocorrida em Guimarães a 24 de Junho de 1128. Foi nesta ocorrência que Afonso Henriques rompeu definitivamente com o domínio galego sobre o Condado Portucalense, prendendo a mãe e todo o seu séquito galeguista. A partir daqui, com o apoio dos senhores do Entre Douro e Minho e alargando o seu domínio a todo o território até Coimbra, Afonso vai assinar “pela providência de Deus, príncipe de todo o Portugal". Esta aventura de um país independente tinha começado a e sua consecução, ao cabo destes 888 anos, tem contornos que, por vezes, parecem indicar ter sido um milagre. Com base nas noções de equilíbrio, simetria, infinitude e eternidade o 888 é um número mítico das numerologias que indica, no oriente, triplamente saúde e prosperidade. Assim seja, embora, sem mitos, não pareça nada.



Publicado por Tovi às 12:00
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 21 de Fevereiro de 2016
O “entalanço” da salsicha fresca

Só Rui Moreira sabia explicar na perfeição todo este imbróglio criado por alguma imprensa portuguesa sobre as declarações do alcaide de Vigo. Ora vejam:

TAP Rui Moreira no CM 21Fev2016 aa.jpg

 

 Já agora... que estas coisas são importantes.

Este gráfico mostra bem quem é quem, no que a aeroportos diz respeito, no Norte de Portugal e na Galiza.

Aeroportos Galiza e Norte Portugal aa.png

 

 Faro de Vigo

La política centralizadora de la Xunta no logró retener al pasaje gallego en Galicia por no ver - o no querer ver - lo que se denunció desde Vigo reiteradamente: que el pasaje del Sur de Galicia se desviaban en masa a Oporto.

 

  Comentários no Facebook

«Gonçalo Moreira» >> Absolutamente nojento o Caballero a dizer que sempre se "portou bem" e por isso Vigo foi comido de cebolada. Pois isso só acontece porque ele tem a mania que devia de ser o centro na Xunta, e nunca percebeu que se tem que articular com Santiago e com a Coruña. Mais um que vive a olhar para o umbigo. Aliás basta ver que (não ajudado pela crise) desde que iniciou o seu mandato em 2007, Vigo quase desapareceu.

«Tiago Vasquez» >> Mostra que a Galiza regionalizada tem dificuldades de união de politicas.

«Gonçalo Moreira» >> Muita verdade. Mas na minha opinião isso passa por terem deixado de ter uma Xunta forte. O Fraga Iribarne tinha essa capacidade aglutinadora que infelizmente se perdeu.



Publicado por Tovi às 09:07
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 12 de Janeiro de 2016
Regionalização vs Municipalismo

Estou a ler o livro A Via Lusófona – Um novo Horizonte para Portugal, de Renato Epifânio [Editores Alexandre Gabriel & Sofia Vaz Ribeiro / Zéfiro; 1ª edição: Abril de 2010; ISBN: 978-989-677-027-3; Depósito Legal: 309 440/10] e numa altura em que a “Regionalização” anda esquecida e se começa a falar de “Municipalismo” é importante ler o texto (pags. 69 e 70) que o autor escreveu em 15 de Dezembro de 2008 e que passo a transcrever (especial agradecimento ao meu amigo Felisberto Ramos que me fez o favor de facultar esta obra):

 

A Via Lusófona de Renato Epifânio.jpg

 Sobre a Galiza e outras “Regiões” Ibéricas

A Galiza é muito mais do que uma “região espanhola”. Tal como a Catalunha e o País Basco não são “regiões espanholas”. São nações. Tendo uma língua e cultura própria, são, de facto, nações. Ainda que nações sem Estado. Como já aqui escrevi, acho que o futuro natural destas nações será a independência. Começando pela Catalunha, passando pelo País Basco…

E a Galiza? Quanto a ela, tenho mais dúvidas. Durante muitos anos, Fraga Iribarne, ex-ministro de Franco, cimentou a inclusão em Espanha. Depois, há um nível de vida que poderia ficar em causa com a independência...

Mas, talvez, esta venha a acontecer, mais tarde. E se assim for, a relação com Portugal será sempre muito particular...

Com Portugal enquanto nação, e não com apenas uma região em particular. Se em Portugal existem regiões, elas não são comparáveis com as referidas “regiões espanholas”. Desde logo pela dimensão – se olharmos para a Península Ibérica e a dividirmos em “regiões” com uma dimensão semelhante, verificamos que Portugal forma uma única…

Daí, de resto, as minhas reservas quanto a regionalização. A União Europeia incentiva-o para, a meu ver, melhor poder reinar…

No actual estado de coisas, a instância “nação” é a melhor barreira de resistência à União Europeia em particular e à Globalização em geral. Isto, como é óbvio, na perspectiva de quem pretende preservar a sua língua e cultura…

Já o municipalismo, no quadro da “nação”, parece-me algo mais fecundo. Até porque os municípios, em livre associação, é quem deveriam formar as “regiões” – naturais, de geometria variável, não desenhadas, a régua e esquadro, pelo Governo…

Tudo isto, como é óbvio, no quadro maior da convergência lusófona – desígnio primacial do MIL – Movimento Internacional Lusófono.



Publicado por Tovi às 09:14
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 9 de Julho de 2015
Galiza na CPLP… porque não?

Galiza na CPLP.jpg

Tem mais razão de ser a Galiza pertencer à CPLP do que a Guiné Equatorial.

 

  Comentários no Facebook

«Joaquim Leal» >> Nem tem comparação quanto "mais razão". Guiné... quê?

«Joao Antonio Camoes» >> de acordo; mas o governo de Lisboa não vai estar; prefere a Guiné Equatorial. quanto à Guiné Equatorial o portal da CPLP diz que o portugues é lingua oficial smile emoticon mas a realidade é que o World Fact Book da CIA não os deixa enganar: Welcome to the CIA Web Site — Central Intelligence Agency

«Xosé Anxo Varela Negreira» >> Lisboa nao quere incomodar a Madrid ...é coisa de Estado .

«Raul Vaz Osorio» >> Eu acho que a Galiza deveria já ser um membro de pleno direito da CPLP. E o governo português, que para não ofender os parceiros se pôs como a Alemanha perdeu a guerra no caso da Guiné Equatorial, escusa agora de tentar vestir as calças!



Publicado por Tovi às 09:34
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 25 de Julho de 2013
Terrível acidente ferroviário na Galiza

{#emotions_dlg.sidemouth} Pelo menos 77 mortos e várias dezenas de feridos no descarrilamento de um comboio em Santiago de Compostela, ao fim do dia de ontem.


«Laura Sarmento» no Facebook >> :(

«Maria Helena Costa Ferreira» no Facebook >> um acidente ferroviário deve ser horroroso!  conheço quem ainda hoje está traumatizado e não anda de combóio!

«Maria Teresa de Villas-Boas» no Facebook >> Lamento muito.

«Zé Zen» no Facebook >> deus estava de férias. Chora-se em Santiago.

«David Ribeiro» no Facbook >> {#emotions_dlg.chat} Um amigo meu, que sabe MUITO sobre comboios, comentou assim o eventual excesso de velocidade no acidente de ontem na Galiza: Sinceramente tenho muitas dúvidas sobre estas alegações e confissões espontâneas. É para mim inconcebível que um comboio deste tipo, que circula a velocidades superiores a 200 km/h, não tenha qualquer tipo de controlo de velocidade automatizada que o impedisse entrar numa curva com velocidade limitada à velocidade que é alegada. Um comboio que circule a 220 km/h galga 61 metros por cada segundo. Uma pequena distracção, abstracção, ou operação levada a cabo pelo maquinista dentro da cabina que leve este a desviar a atenção da via por breves 15 segundos, é o suficiente para que o comboio percorra mais de 900 metros. É distância suficiente para que a distância de frenagem necessária para reduzir a velocidade para 80 km/h já passe muito para além da curva e o comboio a aborde acima dos limites. As causas serão outras e só o inquérito o esclarecerá.   A Espanha gastou nas duas últimas décadas milhares de milhões de euros numa nova rede de alta velocidade. Uma das mais modernas do mundo. Se não equipou todas as suas vias com os sistemas de segurança necessários para velocidades elevadas, mesmo em zonas de transição para vias clássicas, este não é um caso de "excesso de velocidade": é um caso de exceso de irresponsabilidade. Estou curioso em saber os resultados deste inquérito. Se é como os jornais contam, o que duvido, o maquinista que se prepare: o sistema e os ministros nunca são culpados de nada.

«Manuel Ribeiro da Silva» no Facebook >> De facto é muito estranho, assim como muito estranha é, a passividade do sindicato...

«Luis Paiva» no Facebook >> Não sei muito de comboios, mas sou aficionado deste meio de transporte, que sempre preferi a qualquer outro. Tenho um bom currículo de viagens e até uma colecção muito "jeitosa" de miniaturas, respectiva documentação e a competente via férrea. Por outro lado, tenho uma licenciatura em Engenharia (pela FEUP, acrescento) o que me predispõe para analisar todo o tipo de explicações neste âmbito. Já agora, e não conhecendo o sistema em particular, habitualmente este tipo de sistemas não permite "distracções" superiores a 10 seg (e muito menos sei se o condutor pode fazer override ao sistema). Aguardemos, assim, pelo que os peritos irão escrever sobre as causas desta tragédia.

«Fernando Roque» no Fcebook >> Estive em Portugal em Junho e viagei varias vezes nos Alfa Pendular que sao uma maravilha. Fazem normalmente 220km\h mas a velocidade varia com frequencia segundo o que nos indica o ecran luminoso no interior da carruagem.

«David Ribeiro no Facebook >> {#emotions_dlg.chat} Ainda sobre o eventual excesso de velocidade no comboio acidentado ontem na Galiza, Alfonso Rguez Dono escreveu no "La Voz de Galicia" online: La línea donde se produjo el accidente no está dentro del ERTMS (European Rail Traffic Management System), un sistema de gestión del tráfico ferroviario que impide que un tren supere la velocidad máxima establecida o supere señales que indican parada. En el tramo donde tuvo lugar el accidente funcionaba el ASFA (Anuncio de Señales y Frenado Automático) convencional, un sistema que detiene al tren si el agente de conducción no respeta lo indicado en las señales pero que sólo recibe información de la vía en determinados puntos (las balizas), o sea, que solo al pasar por esos puntos controla que el convoy circule según lo establecido. Si no hay balizas, no hay reducción automática de velocidad, y este es el punto más peligroso de la vía, el lugar que tendría que ser mejor controlado. El tren tiene que pasar en un escaso margen de tiempo de 200 km/h a 80 km/h.

«António Alves» no Facebook >> tretas amigo. o asfa digital é sistema mais que suficiente para obrigar à redução de velocidade se for caso disso. não acredite no que lhe dizem os jornais. podem ser especialistas em muita coisa, mas nào em ferrovias ;-) Sobre o ASFA, o sistema de controlo automático de velocidade mais utilizado na rede da RENFE. «Através do sistema de odometria obtém-se a velocidade do comboio que é comparada com a velocidade máxima permitida para o tipo de comboio e nas circunstâncias da via em cada instante. Quando a velocidade do comboio alcança a primeira curva de controlo ( inferior à máxima permitida), o sistema adverte o condutor com avisos acústicos e ópticos, que se mantêm enquanto a situação persistir. No caso de ser ultrapassada a velocidade máxima permitida, são activados os avisos correspondentes a esta nova situação e será aplicado o freio de emergência até à paragem do comboio.»

«David Ribeiro» no Facebook >> Sempre ouvi dizer que um acidente deste tipo nunca se deve a uma só causa. Será que pode haver outros motivos a adicionar a eventual excesso de velocidade, caro António Alves?

«António Alves» no Facebook >>  Não sei sequer se há excesso. Faltam-me muitos dados para tirar qualquer conclusão. A limitação de velocidade a 80, a haver, era permanente ou temporária? Se era permanente estava de certeza absoluta controlada pelo ASFA; se estava porque razão o comboio não a cumpriu automaticamente? se era temporária poderia estar ou não; se não estava controlada o maquinista foi avisado? etc., etc, etc. Andar para aí a tirar conclusão sem dados não me parece avisado. Vou esperar para ver. Mas há algo em que não acredito de todo: que o maquinista seja de tal modo doido a ponto de desligar os sistemas de segurança e andar a acelerar para sua auto recreação. Caro David Ribeiro, é muito provável que seja uma cadeia de pequenos erros e desinformações. É sempre assim. Mas também não descarto problemas na via ou no material. Aquele material Talgo é muito leve e tem um sistema de rodados que dispensa os tradicionais bogies. Cada carruagem tem um único rodado independente e elas assentam umas nas outras. pelo filme que vi parece-me acontecer uma roptura de engates entre a loco e a primeira carruagem e só depois é que acontece o descarrilamento. Enfim, nesta altura do campeonato tudo o que possa ser dito é especulação.



Publicado por Tovi às 07:57
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 5 de Novembro de 2011
Partido da Terra da Galiza

O Secretário-geral do Partido da Terra da Galiza, Joám Evans Pim, visitou-nos hoje na rua de Santa Catarina, no Porto, quando estávamos em campanha de recolha de assinaturas para a legalização do Partido do Norte.


«Zé Zen» in Facebook >> Com estas boas "misturas", o nosso Mouro de serviço, deve estar a rir. :))



Publicado por Tovi às 14:38
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 1 de Julho de 2011
A Região do Noroeste Peninsular

Cá por mim, tudo bem.. Vamos nessa.

{#emotions_dlg.meeting} [JN] - Norte e Galiza deviam criar região do Noroeste Peninsular - À margem da conferência Portugal com Norte, no âmbito das comemorações dos 20 anos da TSF, que decorreu esta sexta-feira na Fundação de Serralves, Alexandre Alves Costa afirmou que a constituição da região do Noroeste Peninsular "é uma discussão que os autarcas do Norte com a Junta da Galixa já andam a assistir há mais de 20 anos".


«Luís Paiva» in Facebook >> A falta de trabalho dos arquitectos pode ser resolvido com a absolutamente necessária recuperação do património nacional, essencialmente o urbano mais que degradado. Isto mexe com imensas áreas, é certo, mas pouco adianta uma fuga para a frente... Outra questão seria uma região Noroeste Peninsular de âmbito económico, o que estaria plenamente de acordo.




Domingo, 17 de Abril de 2011
O Norte de Portugal está a perder turistas Galegos

O Norte de Portugal foi sempre um destino turístico de eleição para os nossos vizinhos galegos, mas o início de cobrança de portagens nas ex-SCUT, com toda a trapalhada criada no sistema de pagamento, tem feito com que sejam as próprias agências de viagens da Galiza a desaconselhar as viagens ao nosso País. Será que estamos tão bem economicamente que até podemos desperdiçar esta fonte de rendimento? Não há ninguém no Terreiro do Paço que consiga perceber que um Norte forte faz um Portugal melhor? Está-se mesmo a ver que temos que acabar com o centralismo e partir urgentemente para a Regionalização.


«Fátima Gabriel» in Facebook >>  Pois atrapalha um pouco mas tb não deve ser só por isso Eles tb não andam no seu melhor



Publicado por Tovi às 10:15
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 18 de Setembro de 2010
Noroeste Peninsular

Está a nascer a macro-região constituida pelo Norte de Portugal, Galiza e Castela, o Noroeste Peninsular ou Sudoeste Europeu, como lhe queiramos chamar.

 [jn.sapo.pt] - Os presidentes da CCDR-Norte e dos governos regionais da Galiza e de Castela e Leão, Carlos Lage, Alberto Nuñez Feijóo e Vicente Herrera, assinaram ontem, sexta-feira, em Valladolid, o memorando de entendimento para a constituição de uma "macro-região", que pretende fomentar a "cooperação tripartida" em vários domínios, desde o desenvolvimento económico à intensificação das parcerias científicas e culturais.


«Carlos Lopes» in Facebook >> Olha o ministro das finanças a pegar no mapa e a qurer cobrar impostos e portagens nas scuts até la Coruñha aos espanioles!



Publicado por Tovi às 08:39
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Dezembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Posts recentes

Albariño... da Galiza

As gaivotas já são uma pr...

Entrudo Chocalheiro

O que dizem os nossos irm...

Batalha de São Mamede

O “entalanço” da salsicha...

Regionalização vs Municip...

Galiza na CPLP… porque nã...

Terrível acidente ferrovi...

Partido da Terra da Galiz...

A Região do Noroeste Peni...

O Norte de Portugal está ...

Noroeste Peninsular

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus