"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Sábado, 20 de Novembro de 2021
Um presente envenenado

Captura de ecrã 2021-11-17 222021.jpg

O Município do Porto encomendou um estudo à Universidade do Minho sobre o processo de descentralização, que conclui que a transferência de competências do Estado Central para as autarquias é desajustada face ao custo real das tarefas a assumir.

 

  Primeira página do JN de 21nov2021
"Nem na ditadura este país era tão centralista", diz Pinto da Costa... e tem carradas de razão.
Captura de ecrã 2021-11-21 111654.jpg



Publicado por Tovi às 07:18
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 17 de Novembro de 2021
Começou ontem o julgamento do Processo Selminho

image.jpg

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, começou ontem a ser julgado no Tribunal de São João Novo, no âmbito do processo Selminho, onde é acusado de prevaricação, por favorecer a imobiliária da família, da qual era sócio, em detrimento do município. Segundo a comunicação social presente na sala de audiências Rui Moreira insistiu durante a manhã perante o Tribunal, que nunca teve intenção de beneficiar a imobiliária da sua família e que a sua intervenção em todo o processo Selminho se limitou a assinar uma procuração forense, sob conselho do seu chefe de gabinete, e meses depois uma declaração de impedimentos. De resto, todo o processo foi conduzido pelo advogado externo contratado pelo seu antecessor, em sintonia com os serviços jurídicos e os serviços de urbanismo da Câmara, e que "nunca" deu qualquer instrução seja em que sentido for.

 

  Jornais de hoje
Captura de ecrã 2021-11-17 083955.jpgCaptura de ecrã 2021-11-17 083348.jpg

[Expresso, 16nov2021 às 20h50] - Antigos eleitos da CDU e BE da Câmara do Porto afirmaram, no Tribunal de São João Novo, que acordo entre a autarquia e a imobiliária da família Moreira no sentido de devolver capacidade construtiva a terreno na escarpa da Arrábida ou eventual indemnização, se a pretensão não fosse acolhida no PDM, inverteu o posicionamento de uma década de litigância.

 

  Segunda sessão do julgamento
 [JN às 12h12 de hoje] - O advogado Pedro Neves de Sousa, que foi mandatado pela polémica procuração que desencadeou o caso Selminho, garantiu, esta quarta-feira, em tribunal, que não sabia que a empresa era de Rui Moreira ou dos seus familiares e que o processo "foi tratado como todos os outros". 
O advogado que conduziu o processo Selminho explicou que apenas lidava com chefias intermédias e que, "provavelmente", pode dizer que nunca esteve numa reunião de trabalho com Rui Moreira, nem com o autarca que o antecedeu, Rui Rio. Pedro Neves de Sousa revelou que, em 2011, antes de Moreira ter tomado posse como presidente da Autarquia do Porto, os serviços de contencioso da câmara lhe tinham solicitado o adiamento da instância, pois havia a possibilidade de atender às pretensões da Selminho em sede de revisão do PDM, que se esperava estar concluído em 2012. O tempo passou e, em setembro de 2012, o advogado foi informado de que a Selminho pretende prosseguir com o processo. Nessa altura, apercebe-se de que já havia pouco tempo para reagir e preparou uma contestação à pretensão da empresa, "da forma que melhor entendeu defender a Câmara do Porto", declarou. Em novembro de 2013, as partes foram convocadas pelo tribunal para uma audiência prévia. Segundo Pedro Neves de Sousa, uma alteração do código processual civil introduziu a possibilidade de as partes chegarem a acordo nessa audiência prévia. Ora, a procuração passada por Rui Rio em 2011 apenas conferia poderes gerais ao advogado. Assim, pediu nova procuração aos serviços jurídicos da Câmara, agora com poderes especiais, para estar presente na audiência. O documento viria a ser assinado por Rui Moreia em novembro de 2013.
 [Observador às 19h15 de hoje] - Azeredo Lopes, chefe de gabinete de Rui Moreira entre 2013 e 2015, e ex-ministro da Defesa, foi a primeira testemunha a ser ouvida na tarde deste segundo dia de julgamento. Começou por admitir conhecer “muito bem” o arguido Rui Moreira, adiantando que numa primeira fase, além de ser chefe de gabinete, prestava ainda aconselhamento jurídico à autarquia durante dois meses. “Na fase da transição, ainda antes de entrar em funções, reuni-me com o anterior chefe de gabinete que me deu conta dos dossiês mais importantes que estavam a decorrer no contencioso. Quando chego à câmara considero crucial fazer uma avaliação de risco, onde a câmara devia estar mais ou menos preocupada para evitar eventuais condenações ou situações menos agradáveis que tivesse de alguma responsabilidade”. Azeredo Lopes garante que só soube da ligação de Rui Moreira com a empresa Selminho apenas no momento da assinatura da procuração forense pelo presidente. “Sendo um caso que estava há bastante tempo dentro da câmara, a minha convicção é que toda a gente sabia. Estava absolutamente convencido que era impossível não saber (…) O Porto é uma cidade bastante pequena, não estamos a falar de uma pessoa anónima nem de uma família anónima. Não me pareceu concebível que ninguém soubesse na câmara que a Selminho não estava ligada à família do Dr. Rui Moreira”. O antigo chefe de gabinete recorda o dia em que Moreira entrou no seu gabinete com uma procuração nas mãos. “Entrou no meu gabinete e disse que tinha uma procuração para assinar porque diziam que muito urgente, mas que tinha lá o nome de uma empresa da sua família. Não me passava pela cabeça que, ao fim de não sei quantos anos, quem elaborou procuração não soubesse ainda o que era ou de quem era a Selminho”, refere o antigo chefe de gabinete. “A interpretação que dei é que eles [serviços jurídicos] entendem que é necessário que assines para evitar que a câmara deixe de estar representada em tribunal. Se não assinares isto pode até ser interpretado contra ti. Foi basicamente isso que transmiti ao presidente”, acrescenta Azeredo Lopes, revelando desconhecer, no entanto, a “natureza da procuração”. “Desconhecia que era uma procuração com poderes especiais e que tinha sido pedida especificamente para aquele efeito [negociação], não sendo válida a procuração passada pelo anterior presidente, Rui Rio". Ouvido minutos depois de Azeredo Lopes, o então diretor municipal do departamento jurídico do município, entre fins de setembro de 2013 e 11 de dezembro de 2013, afirmou desconhecer “em absoluto” a procuração em causa. “Desconheço em absoluto essa procuração. Se ela é de 28 de novembro [de 2013] como é referido, eu ainda estava em funções e não conheço essa procuração. O departamento jurídico e contencioso devia estar envolvido neste processo e não foi”, declarou Miguel Queirós. Pedro Neves de Sousa, advogado que colabora com da autarquia do Porto desde 2009, e a quem Rui Moreira passou uma procuração forense, em 2013, para representar a câmara em tribunal num processo com a Selminho, começou por ser questionado pelo procurador do Ministério Público sobre a relação que tem com Rui Moreira. “Cumprimentamo-nos, mas não temos relação pessoal. Conheço o sr. presidente pessoalmente, mas não consigo localizar no tempo o dia em que estive com ele (…) Antes de ele ser eleito, não me recordo de termos sido apresentados”, adianta, afirmando ainda desconhecer todos os irmãos do autarca. “Se os vir, não os conheço, nem de vista”. O advogado explica com detalhe que trabalha numa sociedade que tem um contrato de prestação de serviços com a autarquia do Porto, desde 2009 até ao presente, mas salienta que não mantém contacto com o presidente de câmara, mas que “responde a chefias intermédias”, neste caso à divisão jurídica de contencioso. “Em processos judiciais, respondia à chefe de divisão municipal de contencioso, inicialmente Sofia Lobo e, mais tarde, Anabela Monteiro”. Pedro Neves de Sousa recorda que em janeiro de 2011 recebeu uma ação por parte do departamento jurídico e obteve informação de que “deveria suspender a instância” — na prática, interromper o ‘dossier Selminho’ — no Tribunal Administrativo e Fiscal, uma vez que “estariam em curso negociações entre a Selminho e o município”, tendo na origem dessas mesmas negociações a possibilidade de “revisão do Plano Diretor Municipal”. “Foi uma situação absolutamente anormal, pois não seria necessário contestar a ação”, enfatiza, acrescentando que essa informação foi-lhe passada pela chefe de divisão, Sofia Lobo. “Não sabia que a Selminho pertencia à família do sr. presidente”, garante, acrescendo só ter tido conhecimento da ligação da imobiliária a Rui Moreira em 2014. Antes disso, em setembro de 2012, o advogado foi informado de que a Selminho pretendia prosseguir com o processo. Nessa altura, preparou uma contestação à pretensão da empresa, convicto de que estaria a fazer “o melhor para defender os interesses do município”. Pedro Neves de Sousa refuta completamente a acusação apontada pelo Ministério Público de que tenha agido cumprindo instruções do autarca do Porto. “Não posso ser mais claro do que isto, nunca falei com o dr. Rui Moreira antes, durante ou depois sobre este processo, nem sobre outros (…) Teria sido muito grave se tivesse recebido instruções por parte do dr. Rui Moreira, não sou advogado do dr. Rui Moreira, sou advogado do município.” Na mesma linha, o advogado garante: “Da minha parte, nunca senti que houvesse algum tipo de pressão nem que a posição do município tivesse sido alterada pela ligação do presidente à Selminho”. Sem “nunca” contactar diretamente o serviço do urbanismo da câmara, depois de Rui Moreira tomar posse, Pedro Neves de Sousa garante que “não houve alteração de procedimentos” relativamente ao processo. “O modus operandi depois de 2013 manteve-se exatamente o mesmo.” Até então, a procuração que mandatava poderes gerais estava com o nome de Rui Rio. “Não era necessário juntar uma nova procuração. Um novo mandato não implica a caducidade de uma procuração”, sustenta o advogado, que, no entanto, a 22 de novembro pediu “uma procuração com poderes especiais”, uma vez que na audiência prévia, agendada para janeiro de 2014, existiria “a tentativa de uma conciliação”, concluindo que nestes casos é necessário um novo documento que transmita poderes especiais. Na sequência dessa audiência prévia, o advogado revela que o município do Porto continuava “exatamente no mesmo ponto”, ou seja, a colocar a hipótese de na revisão do PDM que incluíam as pretensões da Selminho de dar capacidade construtiva ao terreno na escarpa da Arrábida. “Quem elabora a primeira versão do acordo foi o mandatário da Selminho, é ele que me envia as primeiras minutas, que analisei e alterei, em conjugação de esforços com os dirigentes do município do Porto”. Nessa primeira versão do acordo, elaborada em abril de 2014, era incluído o cenário de revisão do PDM dando, assim, capacidade construtiva aos terrenos da Selminho. “A decisão passou sobretudo pela posição do urbanismo”, revelou o advogado, acrescentando que nessa altura “já estavam a decorrer os trabalhos preparatórios para a revisão do PDM por parte do urbanismo”. “Os serviços [urbanísticos] apontavam que a pretensão da Selminho podia ser acolhida. Se se concretizar essa ideia do urbanismo, muito bem, caso contrário nunca esteve adjacente o pagamento de uma indemnização. No caso ser alterado o PDM, o assunto estava fechado, caso contrário, teríamos de discutir se haveria ou não direito a indemnização. Esta foi a grande guerra.” Pedro Neves de Sousa sublinha que no acordo em causa a câmara “não se comprometeu com a alteração do PDM, diz apenas que é expectável que isso venha a acontecer”.



Publicado por Tovi às 08:29
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 24 de Outubro de 2021
Dar corpo à Regionalização

Captura de ecrã 2021-10-24 111025.jpg

As CCDR têm que forçosamente evoluir para darem corpo a um ambicionado e necessário processo de desconcentração, descentralização e idealmente, no futuro, de regionalização. Temos que evoluir para uma normal e esperada eleição universal dos órgãos das estruturas regionais.

  JN de 24out2021 – Entrevista a António Cunha da CCDR-N

 


Jorge De Freitas Monteiro - O modelo tem sido criticado por quem não o percebe ou por quem não o quer perceber mas essas críticas são a meu ver levianas. Perante as poderosas resistências à regionalização optou-se por fazer as coisas ao contrário: em vez de criar as regiões para depois transferir as competências, como com os Açores e a Madeira, transferem-se as competências para as CC para depois criar as regiões. Desta forma as transferências não desencadeiam uma histeria anti regionalista, vão-se fazendo. Quando chegar o momento de formalizar a criação das regiões grande parte dos argumentos habitualmente evocados contra a sua criação não farão qualquer sentido visto que substancialmente a coisa já estará feita.
David Ribeiro - Jorge De Freitas Monteiro... Mas o preocupante é que o processo está atrasado, sendo que o próprio Governo o assume, mas nada faz para inverter a solução, quando o consenso nacional parece já ter chegado aos partidos da oposição.
Jorge De Freitas Monteiro - David Ribeiro, prudência com os consensos em relação à regionalização. Antes do referendo aparentemente também havia consenso, a concretização da regionalização fazia parte das plataformas eleitorais do PS e do PSD. Depois inventaram o referendo por sugestão do MRS. Depois nem a direção do PS nem a do PSD mexeram um dedo a favor do sim e ganhou o não. Qui va piano va sano.
David Ribeiro - Jorge...  No que toca à Regionalização parece-me que as direções partidárias do PS e PSD sofrem de Cainofobia [medo de novidades] ou então têm Decidofobia [aversão de tomar decisões]. 😉
Jose Ramalho - David Ribeiro… Talvez as cúpulas sofram de Lisbonofobia...
Fernando Peres - Jorge De Freitas Monteiro… então o PS que sempre defendeu a regionalização e que sempre que os seus mais variados líderes vem ao Porto e ao Norte em campanha e falam da regionalização não “mexeram um dedo a favor do sim”. Andam então a enganar nos?
Jorge De Freitas Monteiro - Fernando Peres, o PS na altura era liderado pelo António Guterres. A atitude dele em relação à regionalização não foi um momento alto de coerência política. Pior só Cavaco Silva quando foi PM: elaborou e fez aprovar a lei da regionalização para depois, numa memorável conferência de imprensa em que até a luz faltou, vir anunciar que afinal não havia regionalização. Isto dispondo de uma maioria no parlamento e não havendo ainda a exigência constitucional de dupla maioria em referendo.



Publicado por Tovi às 13:28
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 21 de Outubro de 2021
Instalação dos Órgãos do Município do Porto

Tomada de posse dos Orgãos do Municipio do Porto
Porto_tomada_de_posse_20out2021.jpg
Teve lugar ontem ao fim da tarde a Sessão Solene de Instalação dos Órgãos do Município do Porto.

 

  JN, 20out2021 às 20h31
Rui Moreira tomou posse esta quarta-feira, no Pavilhão Rosa Mota, para o seu terceiro e último mandato como presidente da Câmara do Porto e prometeu transferir mais competências para as juntas de freguesia.
Do agradecimento inicial à promessa de que tentará ser "positivo e agregador", Rui Moreira, elogiando os presidentes de junta e uniões de freguesia eleitos, deixou um compromisso: "Assumo perante vós que haverá um reforço das competências para estes órgãos autárquicos, acompanhado dos recursos indispensáveis, e comprometo-me a ajudar no trabalho de proximidade e de rede que tão bem sabem empreender junto dos nossos munícipes".
O presidente da Câmara do Porto reforçou ainda, no seu discurso de tomada de posse, que quer "concluir os projetos que a pandemia atrasou", tais como o Mercado do Bolhão, o Terminal Intermodal de Campanhã, a recuperação do Cinema Batalha, a extensão da Biblioteca Municipal e o projeto do antigo Matadouro. Tudo porque, esclareceu, tem a certeza de que Campanhã "tem condições únicas para ser uma alavanca de desenvolvimento para toda a cidade".
Sobre o acordo de governação com o PSD, afirmou que o entendimento permite "criar a estabilidade que o Porto merece e precisa". "Uma estabilidade, nunca é demais reforçar, que é fiel à vontade expressa pelo povo do Porto e que em muito se deve ao sentido de responsabilidade do Presidente da Concelhia do PSD/Porto, Miguel Seabra, e ao cabeça de lista do PSD, o vereador Vladimiro Feliz", esclareceu Rui Moreira.
Na reta final do discurso, que se prolongou por cerca de trinta minutos, o presidente da Câmara do Porto manifestou total disponibilidade para promover "a federação dos milhares de cidadãos que continuam a acreditar nos candidatos independentes" e apoiar "esta ideia, que tem as suas fundações na Associação Nacional dos Movimentos Autárquicos Independentes (AMAI), embora recusando "qualquer cenário de liderança".
Para Rui Moreira, "o Porto pode, uma vez mais, ser a base histórica de um movimento político mais próximo dos cidadãos".

 

 

   O que mais me tocou no discurso de Rui Moreira:

☑ “…um projeto independente, deu um sinal claro que acreditou sem hesitações, em mim, não se deixou perturbar por névoas falaciosas”.
☑ “…iremos respeitar cada compromisso assumido na campanha eleitoral, mas também saberemos, como sempre, ouvir e ponderar as posições dos vereadores da oposição”.
☑ …as “amigas do Bolhão” que corporizam o “Porto real e maravilhoso que nasce de uma sombra de trabalho…”.
☑ …no Porto, tudo está “sempre em permanente discussão pública: tudo se discute e critica”.
☑ ...a Invicta “continuará sempre a ser uma voz de independência e liberdade face aos poderes instalados e centralismo que tanto prejudicam o país”.
 
 
 
  Comentário à margem da cerimónia pública da tomada de posse do presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, e dos demais órgãos autárquicos, que teve lugar ontem ao fim da tarde no Super Bock Arena - Pavilhão Rosa Mota:
Eu e um grande amigo que estava ao meu lado numa das primeiras filas, fartamo-nos de rir ao ver uma boa meia-dúzia de “caramelos” que nunca ninguém viu em qualquer ação de campanha de Rui Moreira, mas que se pavoneavam entre as individualidades convidadas nos momentos anteriores ao início da sessão.
(A imagem refere-se ao momento e não ao facto relatado)
247181870_10220433346251586_339347066717228293_n.j
  
Paulo Barros Vale - Não entendi. O Protocolo da Câmara não fez convites? E os convites têm alguma relação com a participação dos convidados nas campanhas eleitorais?
David Ribeiro - Paulo Barros Vale... Eu também recebi convite e não me andei a pavonear pela primeira fila. A verdade é que há quem só apareça e queira ser visto após as vitórias e eu conheço-os a todos.
José Luís Kendall - Caramelos a pavonearem se…bajuladores candidatos a tachos, avenças, encomendas, croquetes e afins… é que por aí há mais. São poucos, muito poucos aqueles que vão para a rua e apoiam activamente sem esperar nenhuma contrapartida.
David Almeida - Na minha terra, mais conhecidos por 'chega-rachas', que é como quem diz... 'caramelos' à espera de uma qualquer 'migalha' que lhes possa cair no regaço!!! Basicamente, uns tristes trastes!!!
Paulo Barros Vale - Pelo que vi por aqui foi uma cerimónia digna e prestigiante da cidade. Tiveram a amabilidade de me convidar, mas compromissos profissionais impediram-me. Agora vejo que se tivesse ido, corria o risco de alguns acharem que seria mais um a pavonear-me… 😅
António Maria - Caro amigo, não me diga uma coisa dessas, são os caramelos normais, eu até era capaz de adivinhar e não estive lá 🤣🤣😃
Albertino Amaral - Amigo David Ribeiro, "caramelos a pavonearem-se", é o que mais existe nestas fases de candidaturas, e não é só nas tomadas de posse, pode crer...


Publicado por Tovi às 07:39
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 9 de Outubro de 2021
Há independentes e independentes

Sim, é verdade… há independentes e independentes, sendo que eu sinto-me do lado de um verdadeiro independente, Rui Moreira.

  Paulo Ferreira, no JN de 08out2021

Captura de ecrã 2021-10-08 093736.jpg

O discurso de vitória de Rui Moreira ia a meio, quando o autarca reeleito para um último mandato à frente da Câmara do Porto disse, mais ou menos, isto: é preciso federar o movimento de candidatos independentes que tem vindo a ganhar expressão pelo país fora. A declaração, que passou despercebida, merece um comentário.
É certo que os ares do Mundo, hoje tributários de um crescente esmagamento das tradicionais ideologias e do desaparecimento daquilo a que os sociólogos gostam de chamar "as grandes narrativas", abrem espaço ao aparecimento de alternativas que fujam do espectro partidário. É bom que assim seja. Será ótimo que assim continue a ser. Ocorre que o otimismo esbarra, pelo menos para já, nos números, essa coisa chata, mas inescapável. Dos 19 presidentes de Câmara eleitos por movimentos independentes, apenas dois não têm no currículo anteriores ligações partidárias. O facto não diminui nenhuma conquista, mas é revelador.
Sabe-se que, em muitos casos, as candidaturas independentes resultam, para dizer o mínimo, de anteriores aborrecimentos com as estruturas partidárias. Outra vez os números: 19 dos 17 eleitos vieram das fileiras do PSD, sete do PS e um da CDU. Sobram dois. É poucochinho para, como deseja Rui Moreira, federar o que quer que seja.
Verdade que os engulhos são ainda muitos, a começar pelas verbas necessárias para montar uma campanha meritória e a acabar nos riscos acrescidos que uma candidatura independente representa, pessoal e profissionalmente. Sobre tudo isso, contudo, permanece um traço, digamos assim, pós-moderno: o vaivém constante e fluido entre a massa partidária e a tribo independente. Vale o mesmo dizer: estamos bastante longe de podermos assumir as candidaturas independentes como facto consumado, logo suscetível de ser federado, com isso ganhando expressão e poder.
Há caminho para fazer? Certamente. Haja esperança.

 

   Comentários no Facebook
José Carlos Ferraz AlvesNão me passou nada despercebida essa parte da declaração. Até porque já andei, andamos, no terreno e fora do espectro partidário então existente, penso que se terá de refletir muito bem sobre o que aglutinará os vários movimentos surgidos, que não seja o descontentamento e desilusão pessoal com este ou aquele partido, sendo que a imagem dos líderes é decisiva numa sociedade como a nossa. O Porto aglutina e muito. Como o Norte o poderá (ainda há um caminho a fazer) ou as regiões e o reforço do Municipalismo. Por ter conhecido outras realidades, confirmo e concordo que temos na Câmara um dependente pelo Porto, e isso é muito para mim, também.
Antero Braga
Eu também gosto muito do trabalho que o nosso Presidente Rui Moreira tem realizado pela cidade e pelo país. Estou convicto que ficará no livro de honra do Porto.
Jorge De Freitas MonteiroA ideia de criar um partido dos independentes é perfeitamente incongruente. Para além das razões óbvias apontadas pelo autor do texto partilhado há uma insanável contradição lógica: os independentes agrupados num partido passam a ser independentes em relação a quê? Quando muito serão independentes dos outros partidos. Mas independentes dos outros partidos que não o deles já o são os membros de todos os partidos. Mais seriamente a verdadeira razão deste absurdo prende-se com algo que é específico aos movimentos formados à volta de uma pessoa, intuitu personæ, como são sempre os movimentos de apoio a um independente: quando o independente sai de cena (por limite de mandatos, por decisão judicial, por questões de saúde ou por qualquer outra razão) o movimento deixa de ter razão de existir enquanto movimento independente. O que em si até poderia ser indiferente para o independente e para todos os que o apoiam desinteressadamente (que também os há, conheço alguns) já não o é para muitos outros dos que o rodeiam. No caso de um autarca ainda menos do que no caso de um presidente da República ou de um deputado (nos sistemas que os admitem). Uma autarquia gera inevitavelmente clientelas. Uma grande autarquia gera clientelas enormes. Para alem dos casos óbvios dos que se fizeram legitimamente eleger à sombra do independente, sem o qual perderiam os mandatos, as funções e as remunerações, há um enorme exército de dependentes do independente cujo futuro se tornaria problemático se o movimento se extinguisse com a saída de cena do independente. Sem querer ser exaustivo podemos pensar em empregos na câmara e nas juntas freguesia, empregos nas empresas municipais, beneficiários de ajustes directos, dirigentes e membros de ONG’s e associações beneficiárias de subsídios municipais… a lista seria se não interminável pelo menos muito longa. Se a cada um destes clientes adicionarmos os respectivos agregados familiares é fácil concluir que há uma enorme quantidade de gente que não pode, até por razões alimentares, aceitar de bom grado que um movimento criado para apoiar um independente se extinga com a saída de cena do dito. Daí ideia peregrina de criar um partido de independentes: a necessidade e a ambição têm razões que a lógica e o bom senso desconhecem.
David Ribeiro - Não deixas de ter razão no que dizes, Jorge... mas tens que colocar a hipótese de outro ou outros independentes continuarem as linhas programáticas de um VERDADEIRO independente numa qualquer autarquia.
Jorge De Freitas Monteiro -  David, sim, claro. Com todas as reservas que eu tenho, e que tu conheces, relativamente ao fenómeno dos independentes, principalmente quando acompanhado de um discurso anti partidos, posso admitir que outra personalidade possa federar ulteriormente os que se tinham antes agrupado em volta de um independente. Mas isso é diferente de criar um partido federando todo o cão e gato que se diz independente por esse país fora.



Publicado por Tovi às 07:33
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 18 de Setembro de 2021
E assim vai o Afeganistão com os Talibã

  A Ministra das Relações Exteriores holandesa, Sigrid Kaag, acaba de se demitir do cargo na última quinta-feira (16set), após ter recebido fortes críticas do parlamento sobre a forma como tratou a crise afegã, agindo demasiado tarde relativamente à evacuação dos funcionários da embaixada dos Países Baixos em Cabul, deixando-os em "grave perigo" quando os militantes Talibã tomaram o controle do Afeganistão.
242249932_10220291190257775_1900910335632278941_n.

  Um dia após a saída da ministra das Relações Exteriores da Holanda a Ministra da Defesa holandesa também renunciou, devido à forma como o governo lidou com as evacuações do Afeganistão.
242210380_10220294332216322_8177283294507193084_n.

  A comunidade internacional não deve legitimar o governo dos Talibã antes que este demonstre que respeitará os direitos humanos de todos os afegãos.
242149948_10220291295540407_8074727351707885751_n.

  Não há dúvida que o controle dos Talibã sobre todo o Afeganistão vai remodelar o Oriente Médio por muitos anos e já podemos considerar que foi uma vitória do Paquistão e um novo âmbito de oportunidades para a China, enquanto o papel dos EUA passará a ser mínimo. Se houver uma luta geopolítica pelo Afeganistão, vamos ver o Paquistão e a China de um lado e a Índia, o Irão e a Rússia do outro.
242177581_10220293303710610_5512881792301358885_n.

  Desde que os Talibã reivindicaram "controle total" sobre o Vale Panjshir no nordeste do Afeganistão no início deste mês, o grupo tem vindo a ser acusado de "atrocidades generalizadas", forçando muitos afegãos a fugir da província, o último enclave remanescente de resistência contra o governo instalado em Cabul.
242233749_10220294347376701_7018476134888420414_n.

  Contado ninguém acredita… mas é verdade: Os governantes Talibã do Afeganistão criaram um ministério para a "Propagação da Virtude e a Prevenção do Vício" no prédio que antes abrigava o Ministério dos Assuntos da Mulher.
Captura de ecrã 2021-09-18 163217.jpg

 Segundo meios de comunicação social iranianos duas explosões atingiram hoje (18set2021) a capital do Afeganistão, uma das quais deixou várias pessoas feridas. A primeira explosão ocorreu em Dasht-e-Barchi, um distrito de Cabul, provocando vários feridos. A segunda explosão registrou-se num outro bairro do mesmo distrito e, por enquanto, não há informações sobre feridos.
Captura de ecrã 2021-09-18 164507.jpg

  Os afegãos que fugiram para o Paquistão enfrentam futuro incerto. O Paquistão já disse que não pode receber mais refugiados e começou a deportar os recém-chegados de volta ao Afeganistão.
Captura de ecrã 2021-09-20 140321.jpg

   JN, 20set2021 às 11h42
Captura de ecrã 2021-09-20 141216.jpg




Segunda-feira, 13 de Setembro de 2021
Campanha eleitoral no Porto ao nível da pasmaceira

JN Paulo Ferreira 10set2021.jpg

"O PSD abdicou da luta, quando escolheu Vladimiro Feliz para fazer apenas figura de corpo presente. O PS andou aos tiros dentro de casa: ente 'mortos' e feridos, emergiu Tiago Barbosa Ribeiro, jovem nascido e crescido no aparelho socialista obrigado a dar o peito às balas. A coragem valer-lhe-á de pouco: escolhas de terceira linha são, normalmente, receita para o desastre. A CDU, o BE e quejandos limitam-se a picar o ponto. E é isto. Simplesmente isto."

  Artigo completo aqui

 

   Foi conhecida ontem (12set2021) uma sondagem da Pitagórica, para a TVI, com o segunite resultado:
Aqui Há Porto / Rui Moreira - 52,8%
PS / Tiago Barbosa Ribeiro - 15,7%
PSD / Vladimiro Feliz - 14,0%
CDU / Ilda Figueiredo - 5,8%
BE / Sérgio Aires - 3,5%
PAN / Bebiana Cunha - 2,2%
Chega / António Fonseca - 1,8%
Volt / André Eira - 0,2%
E o gráfico da evolução das sondagens para as Autárquicas no Porto, comparando com as últimas duas eleições, ficou assim...
Sondagem Porto 12set2021.jpg



Publicado por Tovi às 07:20
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 28 de Julho de 2021
Falcões que nasceram no edifício do JN

15h35 de 27jul.jpg
(Imagem do ninho dos falcões às 15h35 de 27jul2021)

Uma família de falcões peneireiros aproveitou uma janela partida no 13.º andar do edifício do "Jornal de Notícias", no Porto, para construir um ninho, que agora alberga quatro crias. Três dos quatros ovos eclodiram no dia 1 de julho e na madrugada do dia seguinte. A família alargou durante a manhã de dia 3 de julho, um sábado, com o nascimento da quarta cria. Os falcões foram descobertos quando os serviços de manutenção se preparavam para arranjar a janela partida.

A espécie Falco tinnunculus, também conhecida como Peneireiro-vulgar ou Peneireiro-de-dorso-malhado, é bastante abundante em ambientes urbanos e zonas agrícolas. O nome remete para a capacidade de pairar enquanto procura as suas presas. Ao contrário da fêmea, que tem uma dimensão maior e uma plumagem menos colorida, o macho apresenta um dorso mais malhado e as costas avermelhadas.



Publicado por Tovi às 07:27
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 19 de Julho de 2021
PS a descer... Bloco e Chega quase empatados
Sondagem da Aximage (para JN, TSF e DN) conhecida hoje:
PS – 37,6%
PSD – 25,2%
BE – 7,8%
Chega – 7,7%
I. Liberal – 5,5%
CDU – 4,8%
PAN – 4,6%
CDS – 0,9%
 
   Evolução dos estudos de opinião nos últimos três meses

Sondagem 19jul2021.jpg

  O que ressalta da leitura da evolução dos estudos de opinião dos últimos três meses, comparando com o resultado das Legislativas2019, é o seguinte: PS e PAN com uma tendência de subida; PSD, BE e CDU em ligeira queda; Chega e Iniciativa Liberal em grande ascensão; CDS em grande queda.



Publicado por Tovi às 08:41
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 11 de Junho de 2021
António Fonseca e as próximas Autárquicas

CHEGA-ANTONIO-FONSECA-REUNIAO-810x1080.jpg
(Reunião de António Fonseca com dirigentes do Chega em maio, a pedido destes. Oficialmente, foi só para apresentar cumprimentos)

Desde o início da semana que se dizia que António Fonseca, Presidente da União de Freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória, iria encabeçar a lista do partido de direita radical e populista na corrida à autarquia da Invicta. Falei com ele e confirmou-me ter havido convite do Chega para encabeçar uma candidatura à Câmara Municipal do Porto, mas que ainda não tinha tomado uma decisão. Fiquei a aguardar... mas apreensivo.

 

   JN de 12jun2021
JN 12jun2021 António Fonseca candidato do Chega .

    Comentários no Facebook

Fernando Duarte - Qual é o erro na tua opinião (ele tem a dele), ser candidato à Câmara do Porto ou ser do CHEGA ?

David Ribeiro - O erro, meu amigo Fernando Duarte, é o Fonseca ter sido em dois mandatos eleito nas listas de "Rui Moreira, Porto o nosso Partido" e até hoje ainda não ter dado notícia porque é que abandonou o projeto.

Manuel Alexandre Solla - David Ribeiro - Por outras palavras - AF esteve alguma vez no projecto... Não esquecer a retirada de confiança politica na parte final do 1o mandato. Rui Moreira apostou no " cavalo errado ". AF correu em pista própria. Como sempre fez. Destruiu a rede social do Centro Histórico. O comportamento dele é de um protofascista.

Rodrigues Pereira - Como dizia um velho Amigo, auto-suicidou-se 😂

Alfredo Fontinha - Meu amigo David Ribeiro, no movimento a que pertence cabe lá de tudo, até isto! Admira-me o facto de ainda não ter havido da parte do seu inspirador uma posição a contrariar este oportunismo mais desleal do que bacoco. Mas cada um é como é!

Manuel Alexandre Solla - Alfredo Fontinha - Não é de admirar. Os comentários dizem tudo. Conheço, é meu amigo, tem experiência suficiente, etc. Rui Moreira cometeu um erro inaceitável ao indicar AF para um segundo mandato depois de lhe ter tirado a confiança politica. AF promoveu o desgoverno do Centro Histórico. É um zero como autarca.

Eduardo Vasques de Carvalho - Discordo das análises que estão a ser feitas. Parece evidente que Rui Moreira vai continuar a ser o presidente CMP. Mas na disputa dos lugares seguintes o PSD vai ser muito infeliz, o PS, se encontrar alguém para ser candidato, não vai ter um resultado expressivo; dado existir cada vez mais eleitores insatisfeitos com o governo PS que vão aproveitar as autárquicas para um voto de protesto; penso que Antonio Fonseca vai ser eleito e continuar a ter o seu lugar na política do Porto. (consequências? O tempo dirá)

Manuel Alexandre Solla - Eduardo Vasques de Carvalho - AF passou a linha Vermelha. Tem comportamento e atitudes próximas do protofascismo. Isso não é tolerável. Não vale tudo...

David Almeida - Se, um dia, houver alguma justificação, não será, com toda a certeza, a seu favor!



Publicado por Tovi às 09:00
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 18 de Maio de 2021
Rui Moreira vai a julgamento

Captura de ecrã 2021-05-18 162239.jpg
Há mais de três anos o Tribunal Administrativo e Fiscal [TAF] mandou arquivar o processo “Selminho”… mas agora o Ministério Público “voltou à carga” e o Tribunal de Instrução decidiu que Rui Moreira vai a julgamento.

Em 29 de maio de 2017 o Presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, informou a Assembleia Municipal que “o terreno que a minha família adquiriu há dezasseis anos não tinha, em Outubro de 2013, e continua a não ter, em 2017, capacidade construtiva. Não foi, entretanto, prometida, acordada ou paga qualquer indemnização. Ao contrário, a pretensão da Selminho em garantir ou capacidade construtiva, uma indemnização, ou até ambas, foi recusada pela Câmara no meu mandato. E só no meu mandato. Só no meu mandato. A propriedade do terreno, nunca antes disputada pela CMP ao longo de decénios e em múltiplos processos, é agora questionada pelo Município. Essa questão que agora a Câmara levanta prejudica claramente os interesses da Selminho. Mas iniciou-se no meu mandato. Repito, prejudica objectivamente os interesses da Selminho. Nunca tinha sido levantada. Foi-o no meu mandato. Eu e a minha família em nada fomos beneficiados.”

 
Rui Moreira convocou os jornalistas para uma declaração, às 17 horas de hoje… aguardemos.
 
    Comentários no Facebook
Rodrigues Pereira - Muito conveniente para alguns ! Esta situação do "era e não era" do Ministério Público seria risível, se não fosse trágica ! Mas uma enorme maioria sabe que nem Rui Moreira nem a sua Família beneficiaram com isto, muito pelo contrário ! Trata-se de um vil e mesquinho ataque de baixa política !!!
Celio Alves - Ataque sabujo e cirúrgico a "dias" das eleições....
Nuno Matos PereiraSempre disse que esse terreno não tinha capacidade construtiva, mas o ataque a meses das eleições, é mesmo cirúrgico, porco e difamatório. Podemos aceitar ou não politicamente, a forma de gestão de Rui Moreira, mas jogar tão baixo, leva-nos a pensar que todos nós estamos a ser escrutinados por uma PIDE reles. Pelo menos antes do 25 de abril o povo sabia com quem podia contar, hoje o sítio onde tenho mais dúvidas é se a justiça funciona.
 
 
   17h10 de hoje - JN

Rui Moreira: ida a julgamento "não me tira razão". O presidente da Câmara do Porto disse, numa declaração emocionada, que a ida a julgamento por prevaricação e abuso de poder no caso Selminho "não tem qualquer fundamento". Moreira lamenta ainda que a decisão instrutória tenha sido conhecida tão perto das eleições autárquicas.

   17h11 de hoje - Porto Canal
Rui Moreira, autarca do Porto, afirma, esta terça-feira, em reação à notícia de que será levado a julgamento no Caso Selminho, que "aguentará inabalável como o granito pois acredita que a verdade prevalecerá". O autarca garante ainda que "não tomou decisões que prejudicassem o município".

 

   Declaração pública de Rui Moreira
Caras e Caros Portuenses,
Como sabem, a Senhora juíza de instrução decidiu hoje que o processo em que fui acusado deve ser submetido a julgamento. Fê-lo, entendendo que essa seria a sede processual adequada para se apurar o que consta da acusação, e que eu sempre refutei.
Nada de novo, portanto, resulta desta decisão. Esta decisão não me deu, nem tirou, razão.
Pura e simplesmente remeteu a discussão para outro momento, e para outros juízes.
É uma decisão que lamento, pois sei que a acusação não tem qualquer fundamento e, por isso, procurei evitar o prolongamento do processo, sem recorrer a qualquer expediente dilatório, entendendo que o mesmo tinha custos desnecessários já que, tal como há 4 anos, estamos perante um processo que surge em vésperas de eleições.
Não foi esse o entendimento da Senhora Juíza.
No entanto, esta decisão não muda absolutamente nada, nem na minha maneira de ver o processo, que continuo a entender ser completamente destituído de fundamento, nem na minha posição sobre o assunto em questão: é absolutamente inequívoco que não tive qualquer participação em qualquer processo em que estivesse envolvida a minha família e não tomei direta ou indiretamente, ou por qualquer interposta pessoa, qualquer decisão que alterasse a posição do Município em qualquer processo judicial.
Tudo o que respeita à relação do Município com a sociedade Selminho teve início em 2006 e o processo judicial entre o Município e a Selminho teve o seu início em Dezembro de 2010, muito antes de eu ser presidente da Câmara e numa altura em que nem sequer equacionava tal hipótese.
A posição do Município foi definida nessa altura e nunca foi por mim alterada. Não mudei o advogado da câmara, nem mudei qualquer Diretor ou Técnico Municipal que lidou com o assunto. Até a Vereadora que interveio já ocupara esse cargo executivo no mandato anterior ao meu.
Considero, por isso, um insulto e uma infâmia que se possa, sequer, por a hipótese de eu poder ter beneficiado a minha família; para mais num assunto em que, como toda a gente sabe, a minha família acabou por perder os seus terrenos a favor da Câmara, e isso sucedeu exatamente neste meu mandato.
Enfim... como também anteriormente já tinha dito, são tempos perigosos aqueles em que vivemos! Em que os adversários se comportam como inimigos e aceitam usar todas as armas ao seu alcance, por mais ignóbeis que sejam.
Naturalmente, não ignoro a existência do processo; nunca me refugiei e não me refugiarei em nenhum argumento processual para não falar sobre ele. E é no meu compromisso com o Porto que encontrarei forças para explicar aos portuenses que este processo não tem qualquer fundamento ou sentido.
Posto isto, quero dizer-vos e deixar bem claro, em particular àqueles que há muito me tentam afastar dos portuenses, que este processo não interferirá na avaliação política sobre a minha recandidatura a Presidente da Câmara Municipal do Porto.
Isso seria uma traição a tudo aquilo em que acredito, bem como àqueles que sempre me apoiaram e que têm estado ao meu lado, falo dos membros do “Porto, o Nosso Movimento”, mas também de milhares e milhares de portuenses anónimos que sempre confiaram e acreditaram nesta minha forma de Estar e Sentir o Porto!
Desiludam-se, portanto, os que pensam que este processo me afasta de continuar a lutar pela cidade que tanto amo, sempre na defesa dos altos valores que nos caracterizam.
Tal como qualquer portuense, sou muito cioso da minha integridade e do bom nome que tentam vilipendiar. Permitam-me que recorde o exemplo do meu Pai, hoje, no preciso dia de seu nonagésimo adversário. Sofreu na pele uma perseguição terrível. Venceu, sem nunca se ter vitimizado, sem nunca ter perdido o amor pela cidade e pela cidadania activa. É a memória dele e da sua coragem que me inspira nestas provações.
Posso assegurar-vos que aguentarei inabalável como o granito, pois acredito que a verdade prevalecerá e a Justiça, estou certo, chegará.
Muito obrigado.

 

    O l h a - m' e s t e ! . . . 
187774994_4040318809350455_2954928458940208825_n.j



Publicado por Tovi às 16:31
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 13 de Maio de 2021
Israel e Palestina novamente a ferro e fogo

gaza hoje.jpg

Nova escalada já com 83 mortes, incluindo 17 crianças, e mais de 400 pessoas feridas nos últimos dias, segundo o balanço de hoje do ministro da Saúde da Faixa de Gaza... e está para durar.

 

    Comentários no Facebook

Raul Almeida - A paz é a tranquilidade na ordem justa. São Tomás de Aquino definiu o mais profundo sentido da paz, o único possível e viável. Não haverá paz possível em Israel e na Palestina, enquanto um povo quiser despojar o outro de qualquer tipo de direito sobre a terra em que nasceu, por via da opressão, da perseguição, do estigma, do enxovalho permanente. A violação permanente dos Direitos Humanos, do direito internacional, de todas as convenções, só incita a guerra. Enquanto Jerusalém for alvo de ocupação agressiva e não tiver um estatuto internacional neutro, respeitado pelas três grandes religiões que ali convivem, não haverá paz. Israel deseja ardentemente estes ataques do Hamas e a revolta por desespero do Povo Palestino; é mais uma desculpa para mais ocupação, humilhação e opressão. Os Judeus têm direito à sua pátria, Israel tem direito a existir em paz. Os Palestinos têm exactamente o mesmo direito. Enquanto isto não for tratado com decência e seriedade, teremos ali uma interminável chaga, não havendo agora aliados que intervenham, que se interessem pelo extermínio frio e metódico de um Povo e de uma nação.

António Alves (citando Renato Teixeira) - Israel perdeu o controlo de Lod (Lida), uma cidade de 65 mil habitantes, que alberga o aeroporto Ben Gurion, a principal infra-estrurura de transporte internacional israelita. Não se sabe quanto tempo vai demorar Israel a retomar o controlo desta cidade mista, que além do aeroporto fica apenas a 15 km de Telavive. É a grande novidade da revolta palestiniana, que em nenhum outro momento, em nenhuma das duas primeiras intifadas, obteve tal conquista. De resto, desde 1966 que Israel não declarava nenhum Estado de Emergência nas cidades mistas, sendo que a estupefacção e o dramatismo do campo sionista foi ilustrado pelo próprio Yair Ravivo, presidente da Câmara da cidade: "Perdemos o controle da cidade de Lod". O ministro da guerra, o fanático e carniceiro Benny Gantz, chamou parte do exército que estava nas fronteiras com a Cisjordânia quer para Lod quer para as outras cidades mistas que estão no limiar de replicar a situação, como são os casos Haifa, Akka, Ramlat, Oum al-Faham, Chafa Amro, Kafar Mandat e Arabat Der al-Assad, esta na região de Jalil, na Galileia. Estamos a falar de vilas ocupadas na primeira fase da Nakba, ainda em 1948, cuja população árabe pela primeira vez está a aderir em massa à revolta palestiniana. Em várias destas cidades a resistência palestiniana removeu a bandeira israelita dos edifícios públicos, levaram à debandada dos colonos que se viram sem apoio das forças policiais e do exército israelita que não está a ser capaz de restabelecer o domínio colonial. “O meu carro pegou fogo. Para mim, isso é tudo que sei. A polícia não apareceu. Vimo-nos a lutar sozinhos”, disse um dos colonos. O aeroporto foi encerrado, o tráfego ferroviário entre Lod e Telavive interrompido e há informações que dão conta que Israel está a evacuar de algumas destas cidades os seus colonos. Netanyahu já assumiu a gravidade da situação, afirmando que "os batalhões da guarda de fronteira virão da Judeia e Samaria (Cisjordânia) para cidades mistas esta noite. (...) Ordenei agir com firmeza contra os violadores da lei e da ordem e fortalecer as forças no terreno para restaurar a calma e a ordem em Lod e em todas as regiões de Israel o mais rápido possível”.

Nuno Matos Pereira - Ocupação atroz, onde a ONU nada faz e a comunidade internacional fecha os olhos. Judeus governados por gente bárbara. Vítimas de genocídio na segunda guerra e praticantes do mesmo na atualidade.

Gonçalo Graça Moura - Isso de opinar sem conhecer a história da região ou achar que só começou em 1946, normalmente dá asneira...
Roubado de um mural aqui ao lado:
URGENTE‼EXPLICANDO O CONFLITO ‼
1. Todo ano, durante os 40 dias de Ramadan vários muçulmanos em Israel saem das rezas incitados por discursos religiosos feitos por líderes irresponsáveis, atirando pedras e fazendo protestos violentíssimos.
2 - Esse ano eles perderam de fato a mão e vários 'fiéis' começaram a linchar judeus no meio de Jerusalém e jogar pedra nos policiais do Monte do Templo. A polícia revidou e aí eles começaram a vender a ideia de que os judeus estavam invadido a mesquita. O curioso é que os judeus é que são proibidos pela própria polícia de pisar lá, o lugar mais importante do judaísmo no mundo.
2. Há algumas semanas está acontecendo um processo Civil de uma disputa de propriedades, casas, no bairro de Shimon Hazadik (conhecido por árabes como sheikh jarakh). As casas foram compradas por imigrantes judeus nos anos de 1800. Após a ocupação jordaniana de Jerusalém em 1948, árabes começaram a morar nessas casas. Quando Jerusalém foi reunificada em 1967 e judeus puderam voltar pra suas casas começou a disputa legal de propriedade. As lideranças árabes transformaram a ordem de despejo em um assunto nacionalista e começaram a vender a ideia de que os judeus estavam fazendo uma limpeza étnica em Jerusalém expulsando árabes de suas casas.
3. Hamas tentando ganhar o apoio dos árabes israelenses e dos árabes da Cisjordânia assumiu o papel de "defensor de Jerusalém" contra "limpeza étnica" e "invasão" de Al Aksa lançando mísseis sobre civis de Jerusalém.
4. Israel disse que os genocidas do Hamas cruzaram uma linha vermelha ao atirar mísseis contra civis na capital de Israel, como qualquer país do mundo reagiria, e iniciou bombardeios contra terroristas e instalações de terroristas em Gaza.
5. Hamas disse que se Israel continuasse atacando seus membros iria lançar mísseis sobre civis de Tel Aviv. Em resposta Israel destrói o centro de comando de inteligência do Hamas - um prédio de 13 andares - Usando a tática de "bater no teto" na qual mísseis sem explosivos atingem o alvo para que qualquer inocente no local posso fugir antes do ataque real.
6. Hamas lança centenas de mísseis deliberadamente sobre civis das maiores cidades israelenses, como Tel Aviv. 4 pessoas morrem (poderiam ser centenas, mas as pessoas vão dormir em bunkers e o domo de ferro abate 85% dos mísseis)
7. Israel responde ao ataque horrendo, intencional contra civis inocentes, destruindo mais um prédio de 13 andares do Hamas e atacando membros do grupo genocida incluindo oficiais de alto escalão.
8. Hamas lança um Míssil antitanque contra um carro de civis matando 1 e ferindo 3 gravemente.
9. Israel responde eliminando um membro do mais alto escalão do grupo terrorista Hamas, membros do Hamas lançando mísseis e mais instalações da organização .

 

   07h31 de 14mai2021 - JN
A maior operação israelita em Gaza, desde o início da escalada da guerra, consistiu em 50 rondas de bombardeamentos por terra e ar em 40 minutos, disse o exército de Israel. Um porta-voz militar disse que Israel utilizou esta manhã 160 aviões, artilharia e infantaria durante o ataque ao território palestiniano. Ao mesmo tempo, as milícias palestinianas dispararam 50 foguetes contra Israel durante a madrugada.

   09h57 de 14mai2021 - BBC News / Facebook
Os militares israelitas intensificaram o seu ataque a Gaza, enquanto militantes palestinianos continuam a disparar foguetes contra Israel no quinto dia das hostilidades.

   10h35 de 14mai2021 - Al Jazeera English / Facebook
Médicos no hospital Al-Shifa de Gaza estão a lutar contra a escassez de medicamentos, equipamentos e cortes de energia para salvar pacientes gravemente feridos nos ataques aéreos israelitas.

   23h03 de 14mai2021 - José Maltez / Facebook
O que mais me incomoda nestas imagens de guerra não é apenas a banalidade do mal. É o comentário a torcer por uma das partes em conflito e a desejar que os seus favoritos matem ainda mais. Até alguns pretensos cristãos, assim de fora, desejam a morte dos primitivos cristãos, nestas voltas de uma história que, com este jogo, nunca se resolverá. E tudo provocado por Dreyfus, pelo sionismo e pelo protetorado colonial britânico, como se os visigodos pudessem voltar à Lusitânia, em oposição aos Viriatos que a consideravam sua pátria.



Publicado por Tovi às 10:26
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 7 de Abril de 2021
Morreu Jorge Coelho

Requiescat in Pace

image.jpg

Homem de relações cordiais, sempre frontal, o histórico socialista não se escusava ao debate político com os seus adversários, mas sempre o fez no campo da elevação, reservado aos nobres de caráter.

 

    Expresso às 19h00 de 07abr2021
O antigo ministro Adjunto, da Administração Interna e também do Equipamento Social Jorge Coelho morreu esta quarta-feira aos 66 anos. Sofreu um ataque cardíaco quando estava numa casa que tinha na Figueira da Foz. A notícia foi avançada inicialmente pela SIC Notícias, onde foi um dos comentadores da “Quadratura do Círculo”.

    JN às 19h54 de 07abr2021
O ex-ministro socialista Jorge Coelho morreu esta quarta-feira, vítima de um AVC. Tinha 66 anos. De acordo com a PSP de Coimbra, Jorge Coelho teve um AVC quando visitava uma residência na zona turística da Figueira da Foz. De acordo com Jody Rato, comandante dos Bombeiros Voluntários da Figueira da Foz, "a senhora que estava com ele ligou para o 112 e quando a nossa equipa chegou ao local ele estava em paragem cardiorrespiratória. Foram feitas manobras de reanimação mas não foi possível reverter a situação", adiantou o comandante à Lusa. 

 

    Há quem tenha memória curta...
Quando Jorge Coelho disse “quem se mete com o PS, leva!” referia-se a uma crítica do Bastonário da Ordem dos Advogados da época, António Pires de Lima, que acusou o governo socialista de interferir nos tribunais e na justiça.



Publicado por Tovi às 20:58
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 23 de Março de 2021
Vladimiro Feliz na corrida das Autárquicas... no Porto
vf.jpg

Pronto!... PSD já tem candidato às Autárquicas no Porto. Vladimiro Feliz é uma segunda escolha, já que Paulo Rangel acabou por recusar o convite, apesar da forte insistência das estruturas locais do partido.

Só para recordar... nas Autárquicas de 2013 o PSD teve na Cidade Invicta 21,06% e em 2017 não foi além de 10,39%.

 
   Carla Soares, jornalista do JN - 22mar às 22h30

O combate na Invicta contra o independente Rui Moreira é encarado como o maior desafio eleitoral para Rui Rio, quer em termos políticos quer estratégicos, também pelas contas que tem a ajustar com o seu sucessor no Porto. Comparativamente ao antigo comissário europeu Carlos Moedas, candidato a Lisboa contra o socialista Fernando Medina, tem sido apontada internamente a Vladimiro Feliz a falta de dimensão nacional e de peso político dentro do partido, mas a sua forte ligação à cidade e perfil mais conciliador surgem como trunfos.

 

    "Cidade Mais" - Jul2016

Vladimiro Feliz nasceu no Porto e é licenciado em Engenharia Mecânica, opção de Gestão da Produção, pela Universidade do Porto.
Iniciou a sua carreira profissional no Instituto Electrotécnico Português, foi Engenheiro de Programa na OGMA – Industria Aeronáutica de Portugal, SA e Presidente Executivo da Fundação para a Divulgação das Tecnologias de Informação. Já no universo CMP foi Administrador Delegado da Fundação Porto Social e Director Municipal de Sistemas de Informação e Vereador do Turismo, Inovação e Lazer da CMP, Presidente do Conselho de Administração da Associação Porto Digital, Presidente do Conselho de Administração da Porto Lazer e Vice-Presidente da Associação de Turismo do Porto.
Actualmente esta na direcção do CEIIA, onde lidera o programa Smart Cities.

 

    Comentários no Facebook
Celio Alves - Rangel declina porque sabe, tal como o PSD, que nunca ganharia a autarquia. Assim, nomeia-se um voluntário para a carreira de tiro.
David Ribeiro - Não estou nem nunca estive na área política do PSD, o que não invalida que o considere um partido importante, não só para a democracia portuguesa mas também para a vida da Cidade Invicta. E por isso entendo que todos os partidos, mesmo que admitam não conseguirem a liderança autárquica, deverão candidatar os melhores, tendo em vista conseguirem vereadores que sejam importantes para a Cidadania.



Publicado por Tovi às 09:35
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 15 de Março de 2021
O papel do Presidente da República

pr.jpgÉ público que não morro de amores por Marcelo Rebelo de Sousa, mas estou plenamente de acordo com o que disse Rui Moreira, na sua entrevista ao JN (publicada na edição em papel de 14mar), sobre o papel do Presidente da República: "...não é fazer oposição, é tentar juntar os portugueses e mobilizá-los, motivá-los..."



Publicado por Tovi às 07:27
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Novembro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Posts recentes

Um presente envenenado

Começou ontem o julgament...

Dar corpo à Regionalizaçã...

Instalação dos Órgãos do ...

Há independentes e indepe...

E assim vai o Afeganistão...

Campanha eleitoral no Por...

Falcões que nasceram no e...

PS a descer... Bloco e Ch...

António Fonseca e as próx...

Rui Moreira vai a julgame...

Israel e Palestina novame...

Morreu Jorge Coelho

Vladimiro Feliz na corrid...

O papel do Presidente da ...

Direita ultrapassa PS gra...

Reunião no sábado dos aut...

O namoro

Porto 2 - 2 Boavista

Sondagens para as Preside...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus