"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Quinta-feira, 22 de Dezembro de 2022
Zelensky foi aos Estados Unidos

Captura de ecrã 2022-12-21 100903.jpg
Na manhã de ontem já havia quem dissesse que esta visita do presidente Volodymyr Zelensky aos EUA é "extremamente significativa"... mas não será mais um sinal de subserviência ao Tio Sam?

 

  O ministro dos Negócios Estrangeiros português, João Cravinho, considerou na manhã de ontem [21set2022] que a visita de Zelensky aos EUA tem um “elevado valor simbólico e político". Mas sublinhou também que a visita “não vai mudar o curso da guerra”.

 

 O presidente da Rússia, Vladimir Putin, fez ontem [21dez2022] um discurso abrangente em Moscovo para autoridades de defesa, enquanto o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, viajava para os Estados Unidos. Disse Putin que o exército da Rússia está aprendendo com seus contratempos no campo de batalha e prometeu modernizar e fortalecer as forças armadas da Rússia, já que o conflito marca seu 300º dia. Também pediu às autoridades de defesa que respondam melhor às críticas do público.

 


Captura de ecrã 2022-12-21 144728.jpgNão será ainda uma "teoria da conspiração", mas perante o facto de Volodymyr Zelensky estar num viagem inédita para os EUA, já há quem ponha a hipótese de na sua ausência de Kiev se verificar uma tomada do poder ucraniano pelos seus opositores, que os há, não tenham dúvidas.


Albertino Amaral
E nesse sentido, acha o meu amigo que os opsitores de Zelensky, entregam certamente tudo " aquilo " de mão beijada???
David RibeiroAlbertino Amaral , até há opositores a Zelensky que defendem a integração na Federação Russa.
Albertino Amaral
David Ribeiro Sim, mas não me parece que tal aconteça na ausência do rapaz.......
Francisco Rocha AntunesSempre militante a desfazer no Zelensky
David RibeiroE algo do que eu disse é mentira, Francisco Rocha Antunes ?
Francisco Rocha AntunesDavid Ribeiro não, apenas está sempre a torcer para que corra mal aos ucranianos, o que não deixa de me espantar
David RibeiroProvavelmente o defeito será meu, Francisco Rocha Antunes, em não fazer passar corretamente o meu pensamento. Estou sem qualquer dúvida contra a forma ditatorial como Putin governa a Rússia, indignado pela forma como as suas tropas invadiram o país vizinho, perfeitamente solidário com o pobre povo ucraniano, mas nada tolerante com os senhores do atual poder em Kiev. É que eu já os conheço do antes de fevereiro deste ano.

 

  Agência Lusa 21h15 de 21dez2022
900.jpg
O Presidente norte-americano, Joe Biden, garantiu hoje na Casa Branca ao homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, que os Estados Unidos defendem uma “paz justa” para a Ucrânia e manterão o apoio militar, em concreto para defesa aérea. "Apoiamos a Ucrânia na procura de uma paz justa", destacou Biden no início da sua reunião com Zelensky, na Sala Oval da Casa Branca. Em breves declarações aos jornalistas, o chefe de Estado norte-americano destacou ser "uma honra" estar ao lado de Zelensky por este "ser um grande líder”. Biden prometeu ainda que manterá a ajuda financeira, militar e humanitária à Ucrânia, em particular no apoio à defesa aérea, referindo-se à entrega de mísseis Patriot por parte dos norte-americanos, pela primeira vez desde o início do conflito, anunciada pouco antes do líder ucraniano aterrar em Washington. O líder do governo norte-americano alertou ainda que a Rússia está a “tentar usar o inverno como uma arma” na guerra. Zelensky agradeceu a Joe Biden, aos congressistas norte-americanos e às “pessoas comuns” dos EUA pelo seu apoio durante os mais de 300 dias de invasão russa. O governante ucraniano explicou que pretendia ter visitado os Estados Unidos mais cedo, mas que tal não foi possível pela “situação difícil” vivida no seu país, lembrando que a “guerra não acabou” e que o seu país enfrenta muitos desafios na batalha contra as forças russas. Zelensky ofereceu ainda ao homólogo norte-americano uma medalha de mérito militar que, na terça-feira durante a sua visita à cidade de Bakhmut, na linha da frente em Donetsk (leste), um capitão do Exército ucraniano que está a operar o sistema de ‘rockets’ Himars oferecido pelos norte-americanos, pediu que entregasse a Biden. A este oficial, que o Presidente ucraniano descreveu como “verdadeiro herói, Biden prometeu oferecer uma medalha dos EUA, considerando uma "grande honra" a oferta chegada da linha da frente do conflito. À entrada da Casa Branca, Zelensky foi recebido, com guarda de honra, pelo próprio chefe de Estado norte-americano e pela primeira-dama Jill Biden, tendo tirado uma fotografia protocolar com o casal presidencial. O avião que transportou o Presidente ucraniano para os Estados Unidos, na primeira saída do país desde o início do conflito com a Rússia, aterrou hoje numa base aérea perto de Washington, capital norte-americana, onde irá mais tarde proferir um discurso no Congresso.

 

  
Captura de ecrã 2022-12-22 114514.jpg
“Precisamos de paz, sim”, disse Zelensky no Congresso dos Estados Unidos. E adiantou que “a Ucrânia já apresentou propostas” de paz, que Zelensky disse ter discutido com Biden. Chamou-lhe “a nossa fórmula de paz em dez pontos” - o mesmo plano que apresentou em novembro na cimeira do G20, na qual participou como convidado, por videochamada. Um plano que exige a retirada total da Rússia, ao que tudo indica, não apenas dos territórios que invadiu agora, mas também da Crimeia, invadida em 2014. Moscovo já disse que considera inaceitável este “plano de paz”. Zelensky, por seu lado, repetiu ontem que considera inaceitável qualquer acordo que implique a cedência de território ilegalmente ocupado - “Para mim, como presidente, ‘apenas paz’ significa não fazer cedências”. O presidente ucraniano disse que era difícil ver um fim fácil para o conflito e que "não pode haver qualquer ideia de ‘apenas paz’ numa guerra que nos foi imposta". “Cada um de vocês pode ajudar à implementação [do plano de paz]”, disse Zelensky aos congressistas, dizendo que com isso também seria assegurado “que a liderança americana continua sólida, bicamarária e bipartidária". “Temos artilharia, sim. Obrigado. Mas chega? Na verdade, não.” A frase de Zelensky fez sorrir muitos congressistas, e quase todos se levantaram a aplaudi-lo quando voltou a insistir na necessidade de receber mais armamento dos EUA para poder fazer frente ao poderio russo, agora ajudado pelos drones iranianos. “Para as tropas russas saírem completamente precisamos de mais armas”, disse Zelensky, que agradeceu a Biden o envio de uma bateria de mísseis Patriot, mas disse de imediato que a Ucrânia precisa de mais. “Gostávamos de receber mais Patriots,” disse a rir a Biden, que se riu também. Lamento, mas estamos em guerra”, acrescentou. Entretanto, os congressistas estarão prestes a aprovar uma ajuda militar e económica adicional à Ucrânia, no valor de 45 mil milhões de dólares, que faz parte de uma lei de despesas globais de 1,7 triliões de dólares. Com mais este pacote financeiro, a assistência total dos EUA à Ucrânia vai para mais de 100 mil milhões de dólares.


Francisco Bismarck
Quantas mãos essa obscena quantidade de dinheiro irá untar?
David RibeiroFrancisco Bismarck ... só quem não conhece o passado dos senhores no poder em Kiev é que poderá ter dúvidas sobre a corrupção que estas "ajudas" provocarão.



Publicado por Tovi às 07:33
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 16 de Novembro de 2022
Queda de míssil na Polónia

Captura de ecrã 2022-11-16 154756.jpg

As investigações preliminares indicam que o projétil que atingiu a Polónia esta terça-feira terá sido disparado pelas forças de defesa ucranianas contra um míssil russo. A informação foi avançada pela agência de notícias Associated Press, citando responsáveis norte-americanos. O presidente norte-americano, Joe Biden, foi o primeiro líder a admitir que a trajetória feita pelo míssil tornava "improvável" que o seu lançamento tivesse acontecido a partir da Rússia. Entretanto, também uma fonte da presidência francesa recomendou "máxima cautela" na avaliação da origem do projétil, que caiu em território polaco e provocou dois mortos. O governo polaco revelou que o míssil era "fabricado na Rússia", mas alertou desde o início que isso não indicava de onde teria sido lançado. As informações divulgadas entretanto apontam para um míssil terra-ar S-300, como os que a Ucrânia tem usado para abater os mísseis russos.


Renato Ferreira
Esta é a melhor explicação para todos… foi um ato não deliberado. De qualquer modo, é tudo muito frágil.
Fernando DuarteUm país da UE e da OTAN é atacado, mas como lhes faltam 🍅 🍅 para responderem, inventam uma desculpa destas. Ficam em aberto as apostas sobre qual será a desculpa para o próximo ataque !
João P. AfonsoHá situações pendentes para se tomar uma decisão clara sobre este evento: colocar cada líder G20 de Bali no seu território e claro, temos um Mundial de Futebol a iniciar. Haverá ou não, uma deslocação de jogadores de milhões e comitivas ao Médio Oriente? Em que situação ficam estes cidadãos se voltar acontecer uma situação semelhante e com consequências maiores? O momento escolhido foi com os "coelhos fora da toca" e obviamente, expostos numa parte do Globo onde a autonomia para decisões deste calibre, devem estar a ser "supervisionadas" na zona de influência da RPC. Inteligência política e posteriormente, inteligência militar são nesta fase dois momentos que recomendam algumas cautelas.
Jorge De Freitas MonteiroPortanto afinal foi a Ucrânia que “atacou” o território da NATO. Será que os excitados que ontem consideravam a destruição do tractor um casus belli que deveria provocar uma resposta da NATO contra o agressor hoje defendem que a NATO deveria atacar a Ucrânia? Mais seriamente, as declarações de ontem dos polacos, dos balticos e do artista de Kiev mostram que essa gente é perigosa.
David Ribeiro
O presidente da Polónia afirmou, esta quarta-feira, que nada prova que a explosão de um míssil junto da fronteira com a Ucrânia tenha sido um ataque intencional, avança a Reuters. De acordo com a agência, Andrzej Duda diz ainda que o míssil era russo, mas que "ainda não há provas de que foi lançado pela Rússia" e que "é altamente provável que tenha sido utilizado pela defesa aérea ucraniana". A investigação está a ser conduzida pela Polónia e pela NATO.  Duda diz ainda que "não há sinais de um ataque intencional contra a Polónia". "Foi, provavelmente, um incidente infeliz".

 

  Reunião da NATO com os embaixadores da Aliança Atlântica

Depois dos EUA e da Polónia, também o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) admitiu que a explosão que matou duas pessoas na Polónia na terça-feira “foi provavelmente causada” por um míssil ucraniano. No entanto, Jens Stoltenberg ressalva que “não é culpa da Ucrânia” e atribui a “responsabilidade final” a Moscovo, uma vez que continua a sua guerra “ilegal” contra a Ucrânia. “A nossa análise preliminar sugere que o incidente foi provavelmente causado por um míssil de defesa antiaérea ucraniano disparado para defender o território ucraniano contra ataques de mísseis de cruzeiro russos. Mas deixem-me ser claro: isto não é culpa da Ucrânia”, afirmou esta quarta-feira o responsável da NATO, que falava em conferência de imprensa em Bruxelas após uma reunião do Conselho do Atlântico Norte para discutir a explosão na localidade polaca de Przewodów. Segundo Jens Stoltenberg, está em curso uma investigação sobre o incidente, porém, até ao momento, não há “qualquer evidência de que este tenha resultado de um ataque deliberado”, nem há “qualquer indicação de que a Rússia esteja a preparar ações militares ofensivas contra a NATO”. Ainda assim, “a Rússia tem a responsabilidade final ao continuar a sua guerra ilegal contra a Ucrânia”, vincou o secretário-geral da organização. Só na terça-feira, dia do incidente na Polónia, as forças de Moscovo lançaram mais de 100 mísseis em todo o território ucraniano, 81 dos quais foram intercetados pela defesa antiaérea ucraniana, acrescentou. Em resposta a uma questão sobre a NATO vir a estender o seu sistema de defesa aérea até às zonas fronteiriças da Ucrânia, onde a segurança dos países aliados possa ser posta em causa, Stoltenberg pôs de lado essa hipótese, reiterando que a aliança atlântica “não faz parte desta guerra”Após ter convocado uma reunião de emergência com os seus aliados da NATO, o Presidente polaco, Andrzej Duda, admitiu esta quarta-feira que o míssil que matou duas pessoas na Polónia, na terça-feira, “tenha sido lançado pela Ucrânia”, mas, tal como Stoltenberg, disse que nada indica que tenha sido um “ataque intencional”. Duda declarou que a Polónia não vai invocar o artigo 4.º da NATO, que prevê consultas entre aliados sempre que esteja ameaçada a “integridade territorial, a independência política ou a segurança” de qualquer dos Estados-membros da aliança atlântica. 



Publicado por Tovi às 08:39
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Sábado, 8 de Outubro de 2022
Os cinco erros fatais de Putin... e a hipocrisia de Biden

Captura de ecrã 2022-10-07 100608.jpg

As justificações da Rússia para a invasão da Ucrânia, como as desculpas dos Estados Unidos para a invasão do Iraque duas décadas antes, provam que as potências mundiais falharam em aprender as lições da arrogância imperial – a deles e de outros. Desde os antigos gregos e romanos até as mais recentes potências francesas, alemãs e britânicas, a arrogância geopolítica é notória por gerar estupidez política fatal. (...) Putin, o espião da Guerra Fria, pode ter-se tornado paranoico, mas os EUA não foram um espectador inocente. Washington condenou o sabre de Putin na Eurásia enquanto apoiava entusiasticamente as Revoluções Coloridas por lá, notoriamente a Revolução Laranja de 2004 na Ucrânia – tudo isso sem apoiar as revoluções da Primavera Árabe há uma década. Ele exigiu que Putin pare de interferir nos assuntos de seus vizinhos enquanto continua a campanha destrutiva de décadas para refazer o Oriente Médio, uma região distante que nunca realmente entendeu.
  Marwan Bishara senior political analyst na Al Jazeera - 6out2022

 

  No dia de ontem [7out2022] Vladimir Putin completou 70 anos... e numa altura em que tanta gente, e bem, o condena pela invasão da Ucrânia, lembro-me de em 2007 ter sido a "Person of the Year" pela Time, porque "he had returned his country from chaos to 'the table of world power' though at a cost to democratic principles".
Captura de ecrã 2022-10-07 132405.jpg

 

  Notícia desta manhã no The Guardian
Captura de ecrã 2022-10-08 083825.jpg

Jose Antonio M MacedoBoas notícias.
Diogo QuentalUm golpe duríssimo para o Putin, no seu dia de anos. Está a ficar completamente sem saída. A situação torna-se mais perigosa tanto para o regime de Putin, como para toda a Europa. Tanto num caso, como no outro, foi dado um passo enorme para o fim do conflito.
Mirian Sotto Voce Ribao
Captura de ecrã 2022-10-08 092523.jpg
David RibeiroO tráfego foi suspenso na ponte de Kerch, que liga a península da Crimeia à Rússia continental. “Um tanque de combustível está pegando fogo numa das seções da ponte da Crimeia”, disse hoje a agência de notícias estatal russa RIA Novosti, citando uma autoridade regional, mas sem informar a causa. A explosão aconteceu por volta das 6h (03h00 GMT).
Fernando Duarte
David Ribeiro Vi as imagens de uma câmara de vigilância, um carro explodiu no momento em que estava a passar um comboio com 7 cisternas de combustível!
Francisco Rocha Antunes
Captura de ecrã 2022-10-08 093536.jpg
David RibeiroO comitê de investigação da Rússia disse que "iniciou um processo criminal em conexão com o incidente na ponte da Crimeia". “De acordo com informações preliminares, esta manhã, na parte automobilística da ponte da Crimeia do lado da Península de Taman, um camião explodiu, o que provocou a ignição de sete tanques de combustível num comboio em direção à península da Crimeia”, disse o comitê. “Como resultado, duas pistas desabaram parcialmente.”
Diogo Quental
David Ribeiro ainda pensei tivesse sido o fumador que afundou o Moskva.
Nuno Matos Pereira
Cuidado com os passos muito importantes! Depois de estourarem com os gasodutos, de destruírem a ponte da Crimeia, eu acho que a linha vermelha é esta, e não adianta ir comprar chiclete de iodo. Parece que não vamos de precisar de gás para o inverno, vamos torrar mais cedo do que pensamos. Não passa nas TVs, mas é importante saber de tudo. Gostava de saber para que serve a ONU na mediação ou se só media os interesses ocidentais ou se media os interesses do mundo. Bruno Amaral de Carvalho repórter independente neste momento em Donetsk: "Zelensky pediu à NATO um ataque preventivo contra a Rússia para evitar que Moscovo use armas nucleares. O presidente ucraniano sugeriu que a aliança atlântica usasse armas nucleares contra Moscovo. O Ministério russo dos Negócios Estrangeiros, através de Maria Zakharova, afirmou que o Ocidente "está a provocar uma guerra nuclear" e que o "fantoche" Zelensky se transformou num "monstro cujas mãos podem destruir o planeta". [Depois de contactar tradutores, as opiniões dividem-se entre os que acham que Zelensky pede no início que a NATO impeça a Rússia de usar armas nucleares e os que acham que diz que deve usar armas nucleares nesse ataque. Absolutamente certo é que Zelensky pede um ataque preventivo contra a Rússia.]"
David Ribeiro
Chris Bellamy, professor emérito de segurança marítima da Universidade de Greenwich, diz que a recente explosão numa ponte importante na Crimeia é um grande revés para a Rússia. O incidente é “um revés incrivelmente importante tanto do ponto de vista logístico quanto de prestígio”. Afirmou também que a ponte transportava uma enorme quantidade de tráfego rodoviário e ferroviário, crucial para o exército russo se abastecer na Crimeia. “A ponte foi fortemente protegida não apenas pelo exército e pela marinha russos, mas também pela guarda presidencial pessoal do presidente Vladimir Putin”, acrescentou. "Então pode ser apenas um pouco de sorte, mas é um ataque incrivelmente bem-sucedido... assumindo que foi realizado por ucranianos", disse Chris Bellamy. (Na imagem helicóptero lança água para extinguir tanques de combustível em chamas ao lado de seções danificadas da ponte Kerch, na Crimeia.)
Captura de ecrã 2022-10-08 122513.jpg
Segundo a agência russa RIA Novosti como resultado do incidente desta manhã na ponte de Kerch, duas secções do tabuleiro rodoviário desabaram parcialmente, mas os suportes do arco para a passagem de navios não foram danificados.
Captura de ecrã 2022-10-08 141100.jpg
Francisco Rocha AntunesNão é de excluir que tenha sido uma operação naval.
David RibeiroE se... ainda há muitos "ses" no que aconteceu na ponte Kerch. Alexandre Vautravers, editor-chefe da Swiss Military Review, diz que a explosão da ponte da Crimeia pode ter sido causada por algo diferente da explosão do camião. “A possibilidade de um camião transportar explosivos, e estamos falando de várias centenas de quilos de explosivos, provavelmente não produzirá tanto dano”, disse Vautravers à Al Jazeera. “Certamente, vai estragar o asfalto, a parte visível da ponte, a parte funcional da ponte, mas definitivamente a estrutura não será necessariamente impactada”, acrescentou. “Precisamos levar com um grão de sal a história para nós sobre [We need to take with a grain of salt the story to us about] como esse camião chegou lá e, de repente, produziu todo esse dano”, disse ele.



Publicado por Tovi às 08:06
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Quinta-feira, 6 de Outubro de 2022
Crise energética da Europa neste inverno

Captura de ecrã 2022-10-04 152654.jpg 
(Na imagem o presidente russo Vladimir Putin, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, o primeiro-ministro búlgaro Boyko Borissov, o presidente sérvio Aleksandar Vucic e várias autoridades participam de uma cerimónia que marca o lançamento formal do gasoduto TurkStream em Istambul em 2020)

O continente europeu está a lutar com os preços recordes de energia à medida que se aproxima do inverno. Uma das principais causas está relacionada com a guerra na Ucrânia. A Rússia suspendeu o fornecimento de gás natural que o continente usava há anos para operar fábricas, gerar eletricidade e aquecer residências. A Rússia forneceu cerca de 40% do consumo de gás da União Europeia por gasoduto, e essas exportações foram reduzidas em 75%. O país ainda envia gás pela Ucrânia e também pela Turquia e pelo Mar Negro através do gasoduto TurkStream, mas a perspectiva de uma paralisação completa chegou mais cedo do que muitos esperavam. A Rússia disse que esta é a consequência natural das sanções económicas impostas a Moscovo pelo Ocidente. "... As mesmas sanções que impedem a manutenção das unidades, que as impedem de se mover sem as devidas garantias legais", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, em setembro. Como resultado, os governos europeus tentaram diversificar a oferta comprando mais gás natural liquefeito, além de introduzir medidas para reduzir a demanda e economizar energia. “A Europa não tem nenhum suprimento de recursos naturais”, disse Adam Pankratz, professor da Sauder School of Business da Universidade da Colúmbia Britânica. “Eles decidiram que vão se afastar dos combustíveis fósseis e não explorar seus próprios recursos naturais. Na verdade, a Europa tem muito gás, mas eles decidiram que não vão fazer isso e se tornaram dependentes de gás e petróleo russos importados, e agora que isso foi cortado, eles não têm um plano de backup”, disse. A UE importa cerca de 80% de suas necessidades totais de gás, com a produção doméstica caindo pela metade nos últimos 10 anos. A Alemanha, que tem seus próprios depósitos de gás, proibiu o fracking (um método que possibilita a extração de combustíveis líquidos e gasosos do subsolo), assim como a França e outros países. (in Al Jazeera - 4out2022)

 

  Foi Putin que sabotou os gasodutos!... Esperem lá, não terá sido o Biden?
Captura de ecrã 2022-10-05 090546.jpg

  JN 01out2022 às 13h45
Captura de ecrã 2022-10-05 103248.jpg
A empresa russa Gazprom suspendeu as suas entregas de gás à Eni previstas para este sábado, alegando a impossibilidade de o transportar através da Áustria, anunciou a empresa italiana.

  JN 05out2022 às 00h51
Captura de ecrã 2022-10-05 091758.jpg
A polícia dinamarquesa recebeu relatos de voos não autorizados de drones perto de campos de gás no mar do Norte, após incidentes semelhantes registados no lado norueguês e a alegada sabotagem dos gasodutos Nord Stream.




Segunda-feira, 30 de Maio de 2022
Não se entendem... mas não é culpa da língua que falam

5d1df52715e9f91d910b2283.jpg

Tinha uma dúvida... e como quando não sei vou perguntar a quem sabe, lá fui “incomodar” um jovem meu Amigo:
  Pergunta: Olá João Pedro... Ajuda-me numa coisa que tenho a certeza saberás muito mais do que eu. A língua ucraniana e a russa poderão considerar-se "línguas irmãs", assim como o português está para o espanhol?
  Resposta: Olá, David. Ajudo com muito gosto! Sim, certamente, o russo e o ucraniano são línguas extremamente próximas. Ambas fazem parte do subgrupo de línguas eslavas orientais. Ambas são, além disso, línguas indo-europeias tal como a nossa, o que faz delas línguas com mais afinidades com as línguas ibéricas (espanhol, português, etc.) que com as línguas fino-úgricas (finlandês, estónio e húngaro). Podemos acrescentar que em geral é mais fácil para os ucranianos entenderem russo sem tradução do que o contrário.
 
 

Captura de ecrã 2022-05-30 160314.jpg
O presidente Joe Biden informou hoje [30mai2022] que os Estados Unidos não fornecerão à Ucrânia sistemas de mísseis de longo alcance capazes de atingir alvos na Rússia. Este anúncio vem no seguimento de Moscovo ter alertado que qualquer fornecimento de armamento de longo alcance marcaria uma "escalada inaceitável".
 
 

ue.jpg
Na tarde de hoje [30mai2022] a União Europeia vai tentar chegar a um acordo sobre um novo pacote de sanções contra a Rússia, incluindo a imposição de restrições às importações de petróleo russo. "Precisamos de decidir por unanimidade. Houve negociações duras ontem à tarde, assim como esta manhã. Acho que esta tarde poderemos oferecer aos chefes dos Estados membros um acordo", disse Josep Borell, o principal diplomata da UE. A proposta em discussão entre os países da UE na noite de domingo proibiria o petróleo russo entregue à UE por mar até o final do ano, mas isentaria o petróleo entregue pelo oleoduto russo Druzhba, que abastece a Hungria, a Eslováquia e a República Tcheca.
  15h06 TMG - 30mai2022 - O primeiro-ministro da Hungria garante que, neste momento, “não há nenhum acordo” para o sexto pacote de sanções à Rússia, incluindo para o embargo ao petróleo russo. “Acabei de receber o texto agora e não há acordo. O problema é que estamos numa situação difícil”, afirmou Viktor Orbán, que reiterou, à chegada da cimeira dos líderes em Bruxelas, que não existem condições para um acordo. A Hungria tem sido a principal resistente à implementação de um embargo à energia da Rússia.
  23h41 TMG - 30mai2022União Europeia chega a acordo para cortar quase 90% da importação de petróleo russo até ao final do ano. Trata-se de um embargo parcial uma vez que só é aplicado ao petróleo fornecido por via marítima. Acordo foi alcançado durante a cimeira extraordinária da União Europeia em Bruxelas.


Publicado por Tovi às 07:27
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Sexta-feira, 29 de Abril de 2022
A "crise" das Sanções à Rússia

catar-diz-que-substituir-gas-russo-e-impossivel-b4

Avançou o Financial Times na manhã de ontem [28abr2022]: "Distribuidores de gás na Alemanha, Áustria, Hungria e Eslováquia planeiam abrir contas em rublos no Gazprombank, na Suíça, para satisfazer a exigência russa de pagamentos na própria moeda".
Então?... Onde está a solidariedade com a Polónia e Bulgária?... E as sanções da União Europeia à Rússia não são para cumprir por todos?
 

Jorge De Freitas Monteiro - Depois de num primeiro tempo ter afirmado que o pagamento em rublos violaria as sanções a Comissão veio desdizer-se e admitiu que era possível pagar em rublos. Não há portanto qualquer ilegalidade por parte dos Estados membros que aceitam fazê-lo. Se a Polónia e a Bulgária se recusam a pagar em rublos são eles que estão a criar um problema a eles próprios. Aliás da parte da Polónia há uma incoerência enorme uma vez que andam já há mais de um mês a pedir o embargo das importações de hidrocarbonetos russos mostrando-se indiferentes aos problemas que tal embargo criaria a outros Estados membros. Afinal querem ou não querem gás russo?
David Ribeiro - Ou seja, Jorge De Freitas Monteiro, a sanção "não pagar em rublos" foi só para se ficar bem na fotografia.
Jorge De Freitas Monteiro - David Ribeiro, terá sido? Ou terá sido um sintoma da cada vez maior divisão no seio da UE?
David Ribeiro - Jorge De Freitas Monteiro... ou isso.
Serafim Nunes - Ainda não percebi bem a vantagem para os russos, e a desvantagem para o ocidente, deste tipo de pagamento e tenho alguma experiência em matéria cambial. Segundo li há tempos no Economist, creio, os pagamentos pelos compradores ocidentais continuam a ser feitos na moeda dos contratos (sobretudo dólares e euros), pelos preços previstos nesses contratos nessas mesmas moedas. Ou seja, pagarão o mesmo. De seguida são creditados noutra conta em rublos ao câmbio do fecho desses dias e entregues aos fornecedores. Não vejo, pois, qualquer vantagem de preço na operação em relação ao que vinha acontecendo, salvo o facto de, eventualmente, se pretender “prestigiar” o rublo como moeda.
David Ribeiro - Serafim Nunes... Mas numa altura em que o rublo está nos mercados cambiais em profunda queda, avultadas compras da moeda russa dá-lhe uma grande ajuda.
Serafim Nunes - David Ribeiro quando a Rússia tomou esta decisão o rublo já tinha recuperado. O que li então é que o próprio Ocidente tinha ficado baralhado e desconfiado com a proposta e daí a sua reacção. Obviamente que, neste caso, a Rússia sai (para já) pro cima. Mais por causa do desfecho do circo que se montou do que propriamente por razões económicas.
Carlos Miguel Sousa - Business as usual. As boas intenções dos politicos nada podem contra o poder do dinheiro. É por isto que a base de todos os problemas de um país, é sempre FINANCEIRA.
David Ribeiro - Mas a um político, caro Carlos Miguel Sousa, exige-se leituras políticas com base no social, económico e financeiro, seja qual for o assunto e os "donos do dinheiro".
Carlos Miguel Sousa - David Ribeiro Os Politicos eleitos democráticamente não passam de «assalariados» do grande capital internacional. Antes, alguns durante, e quase todos depois de exercerem cargos politicos. Hoje, em democracia, ninguém ascende a qualquer cargo politico sem antes ter estabelecido a rede de sustentação, cuja base é saberem os podres uns dos outros. Quem não tem, ou pode viver sem os ter, não vai para a politica.
David Ribeiro - Carlos Miguel Sousa... Há, infelizmente, muitos políticos dependentes dos "donos disto tudo", mas somos nós, os eleitores, que poderemos fazer a diferença no hora do voto, pois nem todos são como descreveu.
Carlos Miguel Sousa - David Ribeiro É verdade. Note porem que o VOTO, é algo sem grande valor. Se a ideia fosse dar-lhe valor, certamente já haveria estudos nesse sentido. Estudos que permitissem criar formas justas de aferir o VALOR DO VOTO de cada um. Até que assim seja - se alguma vez for - o resultado da democracia na segunda metade do século XIX, é o mesmo da democracia nas primeiras décadas do século XXI. Passaram mais de 100 anos, mas não aprendemos nada. Pensámos que ao alargar a base de voto, as coisas iríam ser diferentes. Não são. E não são porque se calhar o caminho não é esse.
 
 
  Da série "Sanções à Rússia"

279369675_10221299566546552_3448206872756992673_n.

 

  Se Von der Leyen me explicasse...
...é que eu, se me explicarem, percebo tudo.
Captura de ecrã 2022-04-28 135609.jpg

 

  Após a Rússia ter bloqueado esta semana a venda de gás à Bulgária e à Polónia e ameaçado outros países que não aceitem pagar as faturas de energias em rublos, o Presidente dos EUA, Joe Biden, disse que não deixará que a Rússia “intimide” os países europeus com ameaças de bloqueio de recursos energéticos. “Não permitiremos que usem as suas reservas de petróleo ou de gás para evitar as consequências da sua agressão. Estamos a trabalhar com outros países, como Japão, Coreia do Sul ou Qatar para ajudar os nossos aliados europeus, ameaçados por essas chantagens”, prometeu Biden.

 

  Bruxelas promete avançar com ações legais se os Estados-membros contornarem as sanções contra a Rússia. Moscovo exige que os países considerados "hostis" façam pagamentos em rublos à empresa estatal Gazprom. Ao abrigo de um novo sistema de pagamentos, instituído por decreto, estes só são considerados saldados se os euros ou os dólares pagos forem, depois, convertidos para divisa local através de uma segunda conta criada no Gazprombank e o depósito chegar à empresa fornecedora. Valdis Dombrovskis, vice-presidente executivo da Comissão Europeia, afirmou ontem: "Estamos a monitorizar se os Estados-membros estão realmente a aplicar as sanções da União Europeia. E se percebermos que não é esse o caso, existe a possibilidade de a Comissão Europeia abrir procedimentos de infração a esse respeito".

 

  Gás russo - Quem importa e quanto
279205829_10221300526330546_4484370972192279479_n.

  Jorge De Freitas Monteiro - David Ribeiro, melhor depender a 9% do que a 90%, claro. Mas isso não muda grande coisa a médio prazo caso não haja um, cada vez mais improvável, acordo de paz. Todos, os que dependem a 90% ou os que dependem a 10%, se se virem privados do gás russo vão comprar gás de outras proveniências. Gás que não chegará para todos e que por isso será cada vez mais caro. Os que dependem a 9%, como nós, serão tão atingidos como os outros, só que um pouco mais tarde.

 

  Pois é... agora, além da invasão da Ucrânia pelas tropas russas, também temos a guerra de Putin com os importadores de gás russo.
Captura de ecrã 2022-04-29 084043.jpg
O chanceler federal alemão, Olaf Scholz, afirmou durante uma visita ao Japão nesta quinta-feira [28abr2022] que a Alemanha deve estar preparada para a suspensão do abastecimento de gás natural russo. "Se haverá e qual vai ser a decisão do governo russo nesse sentido é especulação, mas… É preciso estar preparado para isso", disse o chefe de governo, que acrescentou que o governo alemão já havia começado a refletir sobre essa possibilidade antes do início da invasão russa da Ucrânia, no dia 24 de fevereiro.
  Renato Ferreira
Resumo da ópera: A Polónia não compra mais gás à Rússia; A Alemanha está a vender gás (russo) à Polónia; A “UE” proíbe que sejam pagos bens em rublos; Apenas o gazprombank não foi excluído do Swift; A Alemanha paga à Rússia em euros via Gasprombank; O Gasprombank autonomamente converte os euros para rublos; Estão todos felizes e coerentes a brincarem às sanções económicas, até o dia em que começar a “pancadaria”. 😵‍💫

 

  No jornal Público de hoje
279383778_10223938284599483_4454428633098344109_n.
A União Europeia anunciou três pacotes de ajuda militar à Ucrânia no valor total de 1,5 mil milhões de euros, ou o equivalente ao que pagamos a Putin em apenas dois dias pela energia.

 

  Sanções contra a Rússia
Putin neck grabbed.jpgCaptura de ecrã 2022-04-29 155531.jpg



GettyImages-1239410934-768x511.jpgA Noruega vai proibir o transporte rodoviário aos operadores russos, a partir de 7 de maio, e fechar os seus portos aos navios com bandeira daquele país, anunciou o Governo de Oslo. A Noruega, que faz fronteira com a Rússia, cumpre assim o quinto pacote de sanções a Moscovo por causa da guerra na Ucrânia adotado há algumas semanas pela União Europeia (UE), da qual não faz parte, embora integre o Espaço Económico Europeu (EEE). O encerramento dos portos afeta navios comerciais com mais de 500 toneladas brutas, iates e alguns barcos de recreio que navegam em águas internacionais, com exceção para a pesca.



Publicado por Tovi às 07:23
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 25 de Março de 2022
NATO, União Europeia e G7 reuniram-se em Bruxelas

Captura de ecrã 2022-03-24 214538.jpg

  Diplomacia em acção no dia de ontem

  • NATO emitiu um comunicado em que assumiu estar“preocupada” com a entrada da China no conflito que opõe a Rússia à Ucrânia. “Pedimos a todos os Estados, incluindo a China, para seguir a ordem internacional incluindo os princípios de soberania e integridade territorial”. Os 30 países da NATO apelaram mesmo a Pequim que se “abstenha” de apoiar “o esforço de guerra da Rússia”. E deixaram um recado à Rússia: “Qualquer uso de arma biológica ou química seria inaceitável e teria consequências severas”.
  • A declaração conjunta do Grupo dos Sete, que reúne os sete países mais industrializados do mundo, foi no mesmo sentido da NATO. Os líderes da Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido dizem mesmo que “não vão poupar esforços” para responsabilizar o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e seus apoiantes – incluindo o presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko. O seu apelo vai para as forças russas que abram “caminhos seguros” na Ucrânia para permitir ajuda humanitária a Mariupol e a outras cidades cercadas. E pedem às autoridades bielorrussas para que “evitem uma nova escalada e se abstenham de usar as suas forças militares contra a Ucrânia”.
  • No final das reuniões, o presidente norte americano Joe Biden disse apoiar a saída da Rússia do grupo das maiores economias mundiais (G20). E quer pelo menos que a Ucrânia possa assistir às reuniões. O presidente deu mais detalhes sobre a conversa com Xi Jinping, homólogo chinês, na passada sexta-feira. “Tive uma conversa muito honesta com ele. Disse-lhe claramente que apoiar a Rússia teria consequências”. Joe Biden chamou “bruto” a Vladimir Putin. “A coisa mais importante [das sanções] é mantermo-nos unidos”, tendo como objetivo que o “mundo se continue a focar” no seguinte: “Que tipo bruto é este” e por que motivo é que “todas as vidas inocentes se perderam” e “o que está a passar” na Ucrânia.
  • Também o primeiro ministro britânico, Boris Johnson aproveitou a sua intervenção pública para alertar para consequências “muito, muito severas”, caso o Presidente russo usasse armas químicas ou nucleares contra a Ucrânia. “Se Putin se fosse envolver com alguma coisa desse género, as consequências seriam muito, muito severas. Vou ter de ter alguma ambiguidade na resposta, mas acho que seria catastrófico para ele. Acho q ele compreende isso. Seria um profundo e desastroso erro para Putin”, disse. Apesar da insistência dos jornalistas Johnson não indicou se, nesse cenário, haveria intervenção da NATO.
  • O líder francês, Emmanuel Macron, na sua vez, disse que a NATO procura não dar à Rússia um “pretexto” para atacar o Ocidente. “Não queremos fazer nada que possa provocar a escalada da tensão”, justificou o Presidente. “Não vamos lutar contra a Rússia”, assegurou o líder que tem mantido várias conversas telefónicas com o seu homólogo russo, embora sem grande sucesso para a paz.
  • O chanceler alemão Olaf Scholz, por seu turno, afirmou que “as tropas russas têm de sair da Ucrânia”. “Isto é necessário para atingir uma solução sustentável para o conflito entre a Rússia e a Ucrânia”, disse. Scholz apelou também ao Presidente Vladimir Putin que “aceite um cessar-fogo e permita corredores humanitários, para proteger os civis”. A Alemanha doou mais 370 milhões de euros em humanitária à Ucrânia.
  • Em Portugal, a partir do Porto, Marcelo Rebelo de Sousa não deixou de dar a sua opinião numa visita oficial. Aos jornalistas, o Presidente português disse considerar que o presidente russo, Vladimir Putin, cometeu um erro ao pensar que perante a sua decisão de tomar o território ucraniano iria conseguir dividir a União Europeia e a própria NATO. “É evidente que falharam. “A NATO e a UE continuam unidas”, referiu, independentemente da ideologia de cada país e apenas pela “paz e pelo respeito do direito internacional, da soberania dos estados, dos direitos das pessoas”, acrescentou.
  • Já da Rússia a informação que chegou foi que o Kremlin considera que “exatamente um mês depois do início da operação militar especial na Ucrânia” a vida “está a voltar ao normal” nos territórios “já libertos dos nacionalistas” ucranianos. “Está a correr como planeado e os objetivos delineados serão alcançados”, declarou a porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros russos, Maria Zakharova, que espera que Kiev “reconheça a necessidade de uma solução pacífica”.
  • Um total de 140 países da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) votou a favor de uma resolução que pede ajuda humanitária imediata para a Ucrânia, ajudando a proteger os civis. A resolução também critica a Rússia por ter criado uma situação “dramática” humanitária. Apenas cinco países votaram contra: Bielorrússia, Coreia do Norte, Eritreia, Rússia e Síria, enquanto 38 abstiveram-se, incluindo a China, Cuba e a Índia.

 

  
onu.jpgÉ já a segunda vez que em sessões da Assembleia-Geral da ONU uma esmagadora maioria de membros isolam e condenam a “operação militar especial”, como Putin chama à invasão da Ucrânia pelas suas tropas. Mas continua a preocupar-me a posição neutra da China (abstenção) em tudo o que se refere a criticar a Rússia.
  Agência Lusa - O Presidente chinês, Xi Jinping, disse hoje [6.ª feira, 25mar2022], numa conversa por telefone com o homólogo britânico, Boris Johnson, que a comunidade internacional deve “criar as condições certas” para resolver o conflito na Ucrânia e “promover negociações de paz com sinceridade”. “A comunidade internacional deve promover as negociações de paz com sinceridade. Devem ser criadas as condições necessárias para resolver este assunto. Devemos fazer tudo o possível para que a paz retorne à Ucrânia”, disse Xi, segundo a imprensa local. O Presidente chinês afirmou que o seu país já está a desempenhar “um papel construtivo” nesse sentido. Xi disse ainda que a China está "pronta para o diálogo" com o Reino Unido, desde que este seja "franco, aberto e inclusivo", afirmando esperar que Londres seja "justa e objetiva" ao lidar com Pequim. A conversa ocorre uma semana depois de Xi ter falado, por videoconferência, com o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Xi instou então Washington a trabalhar em conjunto para "equilibrar as tensões" e "alcançar a paz global". 

 

  Reunião de ontem do Conselho da Europa
1024.jpgVolodymyr Zelensky diz que Portugal é dos países que têm mostrado mais reservas em apoiar a Ucrânia. Num discurso feito por videoconferência durante a reunião do Conselho Europeu, o presidente ucraniano comentou a postura dos 27 estados-membros perante o conflito e mencionou que Portugal tem algumas dúvidas em apoiar decisões a favor da Ucrânia. "A Bulgária está connosco, e acredito que a Grécia estará. A Alemanha está um pouco atrasada. Portugal? Bem... está quase. A Croácia está connosco; Suécia - o azul e o amarelo - estão sempre juntos", afirmou o presidente ucraniano.

 


Erdogan.jpgA emissora turca NTV, citando o presidente Erdogan, disse ter havido progresso em vários pontos-chave nas negociações entra a Ucrânia e a Rússia. Ancara, que goza de boas relações com Moscovo e Kiev, vem tentando posicionar-se como mediadora entre os dois lados. Mas por outro lado o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, disse hoje que as negociações com a Rússia para acabar com o conflito são "muito difíceis" e prometeu que Kiev não recuará em suas exigências. “A delegação ucraniana assumiu uma posição forte e não abre mão de suas demandas. Insistimos, em primeiro lugar, num cessar-fogo, garantias de segurança e integridade territorial da Ucrânia”, disse Kuleba. Enquanto isso, a agência de notícias russa Interfax citou o negociador russo Vladimir Medinsky dizendo que os dois lados estavam a fazer pouco progresso em questões importantes. Medinsky também disse que Moscovo acredita que Kiev está a tentar estender as negociações.

 

  Publicado pela Embaixada da Rússia na França (@AmbRusFrance)… mas posteriormente eliminado.
FOoIDZ-XsAABPsO.jpg

 

  Reforço da presença militar da NATO no leste europeu
NATO 25mar2022.jpg



Publicado por Tovi às 07:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 21 de Março de 2022
Polónia quer "missão de paz" em Kiev


20161207_Cooperação-União-Europeia-e-NATO.jpgDisse o vice-primeiro-ministro polaco, Jaroslaw Kaczynski, durante uma recente visita a Kiev: “A NATO deve enviar uma missão de paz para a Ucrânia, protegida pelas Forças Armadas, para prestar ajuda humanitária e pacificadora. Esta missão não pode ser uma missão desarmada. Ela deve procurar fornecer ajuda humanitária e pacificadora à Ucrânia”. Uma missão de paz para a Ucrânia não deixa de ter razão de ser, mas o que Jaroslaw Kaczynski defendeu parece não estar a equacionar devidamente a mais que previsível resposta das forças militares de Putin. Na próxima quinta-feira (24mar2022) terá lugar em Bruxelas uma cimeira extraordinária da NATO sobre a guerra na Ucrânia, onde estarão presentes os chefes de Estado e de Governo da União Europeia (UE) e também o presidente norte-americano, Joe Biden. Neste mesmo dia e também em Bruxelas, reúne-se não só a NATO, mas também o grupo de países mais industrializados do mundo (G7 - Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido) e ainda os chefes de Estado e de Governo da União Europeia, todos com a situação na Ucrânia como tema principal. Iremos ver o que destas três reuniões sairá.

 


20mar2022.jpg
O que Putin está a fazer à Ucrânia é uma monstruosidade altamente condenável e fora de tudo que o Mundo democrático e civilizado pode aceitar… mas Zelensky não fica muito bem nesta “fotografia”, até porque o maior dos partidos suspensos é a Plataforma de Oposição, que tem 43 das 450 cadeiras no parlamento do país.
  
Jorge De Freitas Monteiro - Na realidade não proibiu partidos “pro russos“ como é afirmado. Os partidos “pro russos“ já tinham sido ilegalizados há muito. Proibiu a oposição. O que provavelmente diz mais sobre a crescente oposição interna a Zelensky do que sobre a qualidade da democracia ucraniana, que já não era exemplar nos rankings internacionais.
  David RibeiroContextualizando... era esta a composição do Parlamento da Ucrânia depois das eleições de 2019.
Ucrânia parlamento desde 2019.jpg
  Jorge Veiga - sendo pró Rússia, porque cargas de água devem continuar a actividade numa situação de guerra? A democracia tem de ser suspensa...
  
Jorge De Freitas Monteiro - Jorge Veiga, democracia é uma maneira de dizer. O insuspeito The Economist classifica a Ucrânia como um regime híbrido, uma coisa a meio caminho entre a democracia e um regime autoritário.
democracias.jpg

 

  Sete preocupações da China com a guerra de Putin
(Filipe Santos Costa na CNNPortugal - 21mar2021)
A China continua a fazer um exercício de contorcionismo entre o apoio estratégico à Rússia, sem condenar a guerra de Putin, e a defesa dos princípios da ONU sobre soberania e integridade territorial. Sob pressão do Ocidente, onde estão os principais parceiros comerciais da China, há muitos cálculos por detrás da cautela de Xi Jinping. Pressionado pelos EUA e pela União Europeia, os principais parceiros comerciais da China, e com pedidos de ajuda da Rússia, o aliado estratégico, eis as principais questões que Xi terá de colocar na balança: 1. Situação militar; 2. Geopolítica; 3. Sanções económicas; 4. Instabilidade na Rússia; 5. 
Soberania e integridade: a questão de Taiwan; 6. Relacionamento bilateral; 7. Dano reputacional.

 

  O ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano, Dmytro Kuleba, apela à China “para desempenhar um papel importante” na guerra.
Captura de ecrã 2022-03-21 190318.jpg

 

  O número de cidadãos ucranianos que fugiram do país devido à invasão russa já deverá andar perto dos 3 milhões e quatrocentos mil.
Dia 26 21mar2022 ref.jpg

 




Publicado por Tovi às 07:58
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 18 de Março de 2022
Cerco a Kiev... o avanço russo vai lento

Cerco a Kiev 17mar2022.jpg

Estamos a entrar na quarta semana de guerra e o avanço russo vai lento. A noroeste de Kiev, uma coluna russa com quilómetros aproxima-se. Em Irpin (a 5 kms de Bucha na direção do centro da capital) trava-se uma batalha feroz, onde os ucranianos têm sido bem-sucedidos na missão de travar o inimigo. Do outro lado, a coluna que deverá cercar a cidade pelo leste tem feito avanços pouco significativos.

 

  Quem controla o quê na Ucrânia (de 6mar para 18mar2022)
De dia 06 para dia 18mar2022.jpg



Dia 23 18mar2022 ref.jpg
O Mundo, mais dia menos dia, vai ter que "fazer contas" com a Polónia... é que o seu esforço em receber tantos refugiados tem custos, que deverão ser distribuídos por todos aqueles que condenam a invasão da Ucrânia pelas tropas de Putin.
  Não sei se estas "sanções" à Polónia chegaram a ser aplicadas [a notícia é de janeiro deste ano], mas é capaz de ser a altura da União Europeia "esquecer" estas coisas.
Captura de ecrã 2022-03-18 104008.jpg
  ...e já agora: Eu não morro de amores pelos senhores do atual poder polaco.

 


Captura de ecrã 2022-03-18 162048.jpg
Milhares de pessoas nas ruas de Moscovo, estádios cheios e bandeiras ao alto. No 23.º dia de guerra na Ucrânia, com bombardeamentos em Kiev, a Rússia festeja o oitavo ano da assinatura do Tratado sobre a Anexação da República da Crimeia à Rússia.

 


Captura de ecrã 2022-03-18 085853.jpgEm conversa telefónica de quase duas horas no dia de hoje, Xi Jinping disse a Joe Biden que os Estados Unidos devem "assumir responsabilidades internacionais" no conflito na Ucrânia. "Como membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU e duas das maiores economias mundiais, devemos, não apenas liderar as relações entre China e Estados Unidos pelo caminho correto, mas também assumir responsabilidades internacionais e fazer esforços pela paz e tranquilidade", disse o presidente chinês na videochamada. De acordo com a agência estatal chinesa CCTV, citada pela agência Reuters, o presidente chinês referiu ao homólogo norte-americano que são os Estados Unidos quem deve guiar as relações bilaterais no rumo certo.

 

  Sondagem da Aximage para o JN, DN e TSF
Sondagem JN Guerra Rússia Ucrânia 1.png
Sondagem JN Guerra Rússia Ucrânia 2.png
Sondagem JN Guerra Rússia Ucrânia 3.png



Publicado por Tovi às 07:56
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 2 de Março de 2022
Ao sétimo dia continua a ofensiva russa na Ucrânia

274665801_10217047196850677_8138173251786505536_n.

Seguramente e sem qualquer dúvida a PAZ é desejada e terá que ser rapidamente alcançada… mas o facto de as tropas russas terem encontrado uma heroica resistência ucraniana, leva-me a crer que acabarão por avançar em força e sem qualquer respeito pela população civil. Até a China já iniciou a retirada dos seus cidadãos do território ucraniano e Xi Jinping não se costuma enganar nas suas análises políticas. Esperemos que todas as sanções impostas pelo Ocidente venham a provocar um afundamento rápido da economia russa e fazer “tremer” o Governo de Putin.

 

  O dia de ontem
09h36 de 01mar2022 - O presidente ucraniano vai participar na sessão desta terça-feira do Parlamento Europeu, por videoconferência, que tem como um dos pontos de debate a assistência macroeconómica à Ucrânia. A sessão tem início previsto para as 12 horas de Bruxelas, menos uma hora em Lisboa. Em Bruxelas, em frente ao Parlamento Europeu, está prevista para a tarde (15h30 locais) uma concentração de apoio à Ucrânia, que terá a participação da presidente do Parlamento Europeu, Roberta Metsola, e dos eurodeputados.
09h43 de 01mar2022 - O ministro russo da Defesa, Sergey Shoygu, garantiu hoje que a Rússia vai continuar as suas operações na Ucrânia "até atingir os seus objetivos", avança a agência de notícias russa Interfax.
10h38 de 01mar2022A invasão da Ucrânia pela Rússia já causou uma vaga de mais de 660 mil refugiados, indicou esta terça-feira o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), alertando que os números estão a aumentar de forma “exponencial”.
13h21 de 01mar2022
Kiev continua a resistir aos ataques da Rússia, mas uma coluna de carros militares (centenas de veículos blindados, tanques, artilharia rebocada e veículos de apoio logístico) aproxima-se da capital ucraniana. Os veículos já ocupam cerca de 65 quilómetros de estrada. Ainda assim, ao sexto dia de guerra, os russos ainda não controlam a cidade.
15h23 de 01mar2022Uma torre de televisão com 300 metros em Kiev acaba de ser atingida pelas tropas russas. Segundo uma jornalista ucraniana, não há sinal de televisão neste momento na capital ucraniana. Meia hora mais tarde o 
governador de Kiev veio dizer que esta torre de televisão foi atingida "por dois mísseis". Além de danos na torre, o governador da capital ucraniana diz que também a "subestação transformadora, que fornece eletricidade à torre, bem como o hardware da própria torre estão danificados".
18h07 de 01mar2022O ministro do interior da Ucrânia disse que as tropas russas já entraram em Kherson, a norte da Crimeia, mas que a cidade continua sob controlo ucraniano.

 


Captura de ecrã 2022-03-02 093649.jpgForam lançados mais rockets sobre a economia russa: MasterCard e Visa bloqueiam várias operações financeiras na Rússia; Jaguar Land Rover suspende vendas na Rússia; Ford também suspende operações na Rússia; BMW trava produção e exportação de viaturas para a Rússia; Empresa Suíça que administra Nord Stream 2 pede falência; Apple suspende vendas na Rússia.

 


1024 (1).jpgJoe Biden anunciou esta noite, no discurso do Estado da União, perante as duas câmaras do Congresso dos EUA, o encerramento do espaço aéreo norte-americano a todos aviões russos, e prometeu continuar a liderar uma ampla coligação internacional em resposta à invasão da Ucrânia pela Rússia, num confronto apresentado como de democracias contra tirania. O alvo de Biden foi Putin, a quem se referiu como o “ditador russo”, mas também toda a elite russa que sustentou e apoiou Putin ao longo dos anos. “Vamos atrás de vocês”, prometeu o presidente norte-americano. “Esta noite, digo aos oligarcas russos e líderes corruptos, que sacaram biliões de dólares graças a este regime violento: acabou!"

 

  09h16 de 02mar2022O grupo siderúrgico russo Severstal anunciou a suspensão das entregas na Europa após as sanções impostas pela União Europeia (UE) contra o seu principal acionista russo Alexei Mordashov, em retaliação à invasão da Ucrânia pela Rússia. "Suspendemos as entregas na UE no quadro das sanções impostas a um acionista [da companhia]. Estamos a direcionar os fluxos de matérias-primas para mercados globais alternativos", afirmou a Severstal num comunicado citado pelas agências de notícias russas. Segundo o Grupo, as entregas para a Europa são de cerca de 2,5 milhões de toneladas de aço por ano e representam cerca de um terço do faturamento total da empresa.
  09h50 de 02mar2022O governador de Kiev, Vitaliy Klychko, diz que as forças russas estão "cada vez mais perto" do centro da capital
"Estamos a preparar-nos e vamos defender Kiev. Kiev está de pé e não cairá", afirmou.
  11h12 de 02mar2022O gigante alemão da logística, a DHL, anunciou hoje que deixou de fazer entregas para a Rússia e Bielorrússia, juntando-se a uma lista cada vez maior de empresas que estão a cessar operações nos dois países.
  11h22 de 02mar2022 - Imagens aéreas de Energodar [cidade com 63,5 km2 de área e uma população estimada em cerca de 153 mil habitantes, onde está localizada a Central Nuclear de Zaporizhzhia, a maior da Europa] mostram dezenas de civis a ocupar as estradas da cidade para impedir a entrada das tropas russas. Além da população, foram também colocados camiões do lixo e formadas trincheiras para impedir o avanço dos tanques.
  12h41 de 02mar2022 - A União Europeia excluiu sete bancos russos do SWIFT, sistema bancário internacional, anunciou esta quarta-feira a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, após publicação no Jornal Oficial da UE. 
Estes bancos, entre os quais se encontra o segundo maior da Rússia (VTB), têm agora dez dias para liquidar as suas operações no SWIFT. Os restantes são: Bank Otrkitie, Novikombank, Promsvyazbank, Bank Rossiya, Sovcombank e VEB. Segundo apurou a Reuters junto de fonte da UE, estes bancos foram escolhidos pelas suas ligações ao Estado russo. "À velocidade da luz, a UE adotou pesadas sanções contra o sistema financeiro da Rússia, as suas indústrias de alta tecnologia e a elite corrupta. A decisão de hoje de desconectar os principais bancos russos da rede SWIFT enviará mais um sinal muito claro a Putin e ao Kremlin", justificou Von der Leyen.
  17h00 de 02mar2022
A Assembleia-geral das Nações Unidas votou esta quarta-feira contra a invasão russa na Ucrânia. Ao todo 141 países votaram a favor, 35 abstiveram-se e apenas cinco votaram contra. Os votos contra pertencem à Federação Russa, Eritreia, Coreia do Norte, Bielorrússia e Síria. Entre as abstenções destaca-se a presença da China, Índia, Angola, Moçambique, Vietnam, Iraque e África do Sul.
  19h02 de 02mar2022
As Forças Armadas suecas anunciaram que quatro caças russos violaram o espaço aéreo do país esta quarta-feira. A Suécia tem sido um dos alvos da Rússia durante toda esta crise que, juntamente com a Finlândia, recebeu ameaças por parte do Kremlin caso decida juntar-se à NATO.
  19h03 de 02mar2022A Rússia informou que aguarda uma delegação ucraniana na quinta-feira de manhã, na Bielorrússia, para nova ronda de negociações com vista a um cessar-fogo, e Kiev anunciou que os negociadores vão a caminho. A Presidência ucraniana confirmou que uma delegação estava a caminho do local escolhido para esta nova ronda de conversações, a segunda desde o início da crise. "Esperamos que eles estejam aqui amanhã (quinta-feira) de manhã", disse o negociador russo, Vladimir Medinsky, numa comunicação transmitida pela televisão pública russa. O local escolhido para as negociações situa-se na região de Bialowieza, localidade polaca próxima da fronteira com a Bielorrússia e que dá nome a uma floresta que abrange os dois países e que foi escolhida por ambas as partes.Na agenda de trabalhos para este segundo encontro de negociações russo-ucranianas está a possibilidade de um cessar-fogo, pedido pela Ucrânia, enquanto continuam os bombardeamentos das forças russas em várias cidades.



Publicado por Tovi às 07:21
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Segunda-feira, 21 de Fevereiro de 2022
O que dizem os dois lados da barricada

  Isto é o que se lê numa página do Facebook controlada pelo estado de Rússia

Captura de ecrã 2022-02-21 154640.jpg

Desde o início a Rússia fez tudo para resolver as divergências em Donbass pacificamente, disse o presidente russo, Vladimir Putin, durante a reunião do Conselho de Segurança Nacional, hoje, segunda-feira [21fev2022]. Se a Ucrânia for aceita na NATO, as ameaças para o Estado russo aumentarão em múltiplas vezes, segundo o presidente russo. Por sua vez, o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, disse nesta sessão que as palavras do presidente ucraniano, Vladimir Zelensky, sobre a intenção de devolver à Ucrânia o status de Estado nuclear, é uma declaração "excecionalmente perigosa".

 

  Do “outro lado da barricada” [Bruxelas 21fev2022 – REUTERS]

1440x810_cmsv2_1ba513a4-6f99-53ab-8232-f5f1211b113

Josep Borrell, chefe da política externa da União Europeia (UE), disse no dia de hoje que a União Europeia não vai ainda impor sanções à Rússia, rejeitando assim um pedido de Kiev para tomar tais medidas agora para evitar uma guerra, em vez de esperar até uma possível invasão.

 

 Notícia do fim da tarde de hoje, 21fev2022
Captura de ecrã 2022-02-21 204810.jpg
"De facto” as províncias separatistas da Ucrânia - autodeclaradas Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk - já eram independentes… só falta(va) o “de jure”.
  Comunicado da ONU
Captura de ecrã 2022-02-22 084539.jpg
  Reunião de emergência do Conselho de Segurança sobre a Ucrânia
A China, único aliado potencial da Rússia com assento permanente no Conselho de Segurança, apelou a que se encontre “uma solução pacífica”. Pela voz do seu representante permanente nas Nações Unidas, Zhang Jun, a China pediu “contenção” a todas as partes. Numa curta declaração, o embaixador resumiu a situação atualmente vivida na Ucrânia como resultante de “várias questões complexas”.
Captura de ecrã 2022-02-22 085445.jpg
  O presidente norte-americano vai assinar uma ordem executiva impondo sanções às regiões de Donetsk e Lugansk, na Ucrânia, anunciou esta segunda-feira ao início da noite a Casa Branca.
img_900x560$2022_02_18_22_12_47_422400.jpg



Publicado por Tovi às 16:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 19 de Fevereiro de 2022
O "Proteger a Ucrânia" e a "Crise dos Mísseis de Cuba"

Captura de ecrã 2022-02-18 160849.jpg

Numa altura em que Putin se irrita por os EUA se preparam para “Proteger a Ucrânia” com o fornecimento de armamento a um país vizinho da Rússia, recordo-me da Crise dos Mísseis de Cuba, um episódio que durou de 16 a 28 outubro de 1962 entre os Estados Unidos e a União Soviética, relacionado com a implantação de mísseis balísticos soviéticos na ilha de Fidel. Foi o mais próximo que se chegou ao início de uma guerra nuclear em grande escala durante a Guerra Fria. Depois de um longo período de tensas negociações, foi alcançado um acordo entre Kennedy e Kruschev. Os soviéticos desmantelaram as suas armas em Cuba e levaram-nas para a União Soviética.

 

  Ponto da situação na Crise da Ucrânia

Putin e Ucrânia.jpeg

Os líderes das regiões separatistas do leste da Ucrânia de Donetsk e Lugansk declararam uma mobilização militar total, medidas que ocorrem numa altura em que se verifica um aumento de violência na região devastada pela guerra e que o Ocidente teme que possa ser usado como pretexto para uma invasão da Rússia.
O presidente da Rússia, Vladimir Putin, irá supervisionar os grandes exercícios militares ao longo das fronteiras da Ucrânia no dia de hoje [sábado, 19fev2022] enquanto o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, está viajando pela Europa para angariar apoios.
O chanceler alemão Olaf Scholz afirmou na Conferência de Segurança de Munique que um ataque russo à Ucrânia seria um "erro grave" com altos "custos políticos, económicos e geoestratégicos". Na mesma conferência o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que Moscovo estava a apresentar questões de segurança que o Kremlin sabia nunca poderem ser atendidas pela NATO. Também foi afirmado pela chefe do executivo da União Europeia, Ursula von der Leyen, que as ameaças de Moscovo à Ucrânia podem remodelar todo o sistema internacional, alertando Moscovo que o seu pensamento de “um passado sombrio” pode custar à Rússia um futuro próspero.
Rostov, uma região russa na fronteira com a Ucrânia, declarou estado de emergência, citando um número crescente de pessoas que chegam de áreas controladas por separatistas na Ucrânia depois de receberem ordens de evacuação.
O presidente dos EUA, Joe Biden, continua a alertar para o facto de haver indicações que a Rússia está a planejar invadir a Ucrânia, até porque existem sinais de Moscovo estar a realizar uma operação de “bandeira falsa” para justificá-la, depois de forças ucranianas e rebeldes pró-Moscovo trocaram tiros.

 

  Esquema da ofensiva ucraniana, a partir dos dados obtidos pela inteligência da República Popular de Donetsk.
Captura de ecrã 2022-02-19 122658.jpg

 

  O seguro morreu de velho
Além de Portugal (existem 240 portugueses residentes naquele país), outros países pediram aos seus cidadãos na Ucrânia para que deixem o país. A lista inclui Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Noruega, Dinamarca, Bélgica, Países Baixos, Alemanha, Espanha, Israel, Austrália, Nova Zelândia, Japão, Iraque, Kuwait e Itália.
Captura de ecrã 2022-02-20 100443.jpg

 

  João Cravinho na Conferência de Segurança de Munique 

32528560.jpgNo dia em que as tensões entre a Rússia e a Ucrânia atingiram um ponto máximo, o ministro português da Defesa, João Gomes Cravinho, presente na Conferência de Segurança de Munique (CSM), explicou de que modo Portugal poderá ser chamado a envolver-se nos conflitos: “Portugal faz parte da NATO, portanto a nossa primeira preocupação será a solidariedade em relação aos nossos aliados na NATO. Neste caso, muito em particular aqueles que fazem fronteira com a Ucrânia. .../... Existe uma força chamada VJTF (Very High Joint Readiness Task Force) que é a força de mais elevada prontidão da NATO, em que os países membros da NATO participam de forma rotativa. Portugal neste momento participa na VJTF, em 2022 estamos na VJTF. Se a VJTF for mobilizada para efeitos de defesa da NATO, naturalmente que Portugal participará”. O ministro da Defesa português disse também que a possibilidade de adesão da Ucrânia à NATO não está atualmente em cima da mesa. Gomes Cravinho salientou que “a adesão da Ucrânia à NATO foi discutida em 2008”. “Nessa altura, decidiu-se que não havia condições para a NATO aceitar a Ucrânia e desde então o assunto tem ficado exatamente nesse ponto. .../... É absolutamente falso que esta crise seja sobre a adesão da Ucrânia à NATO. Essa matéria não está em cima da mesa. Nem aqui em Munique, nem ao longo dos últimos 13, 14 anos se discutiu essa possibilidade.”

 

  O gás da Gazprom

I060104.jpg

Um fator importantíssimo a considerar no conflito que se está a viver no Leste da Europa tem a ver com as reservas de gás nas instalações de armazenamento subterrâneo na Ucrânia, que se encontram no mínimo, tendo caído, de acordo com a Gazprom, para 10,6 mil milhões de metros cúbicos, o que é 45% menos que no ano passado. Além disso, no início desta semana, as autoridades da Alemanha, que possui uma das maiores capacidades de armazenamento subterrâneo da Europa, relataram uma queda nos volumes de armazenamento para níveis historicamente baixos em comparação com os anos anteriores.
E se Putin interromper o seu fluxo de gás para a Europa?... Hoje em dia a “guerra” já não se faz só em combates militares.



Publicado por Tovi às 10:57
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2022
Fome e insegurança alimentar no Afeganistão

afeganistão.jpg

O Afeganistão está entre os níveis mais altos de insegurança alimentar em todo o mundo. Pelo menos 37,7 milhões de sua população de 40 milhões de pessoas – 93% – não tem comida suficiente. Um recorde de 23 milhões de afegãos enfrenta fome aguda, com quase 9 milhões a um passo da fome, de acordo com o Programa Alimentar Mundial (PAM). Duas em cada cinco crianças (38%) com menos de cinco anos de idade enfrentam desnutrição crónica – ou seja, nutrição inadequada por um longo período de tempo – o que levou a um crescimento atrofiado. Até 1 milhão de crianças menores de cinco anos correm o risco de morrer de desnutrição. Desde a tomada de Cabul pelos Talibã em 15 de agosto, uma economia já devastada pela guerra, antes sustentada apenas por doações internacionais, está agora à beira do colapso. Em janeiro, a ONU pediu aos doadores 4,4 mil milhões de US$ em ajuda humanitária para 2022, o maior apelo já feito para um único país. O Programa de Desenvolvimento da ONU alertou que 97% da população pode cair abaixo da linha da pobreza até meados de 2022.

 

  E para ajudar à desgraça, o presidente norte-americano vai apreender reservas do banco central afegão e doar metade às vítimas do 11 de setembro.

afeganistão 16fev2022.jpg

 

  Al Jazeera, 17fev2022
Equipas de resgate no Afeganistão estão a lutar para alcançar um menino de nove anos preso há dois dias num poço no sul da província de Zabul. Autoridades locais disseram que o menino apareceu preso cerca de 10 metros abaixo do poço de 25 metros. “Uma equipa está lá com uma ambulância, oxigénio e outras coisas necessárias”, escreveu no Twitter Abdullah Azzam, secretário do vice-primeiro-ministro, mulá Abdul Ghani Baradar, no governo Talibã.
Captura de ecrã 2022-02-17 141031.jpg
  As autoridades Talibã comunicaram, esta sexta-feira [18fev2022], que morreu o rapaz de nove anos que estava preso desde terça-feira num poço seco com 25 metros de profundidade, numa vila na província de Zabul, no Afeganistão.



Publicado por Tovi às 07:47
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 17 de Agosto de 2021
O primeiro rescaldo da vitória Talibã no Afeganistão

300px-AFG-IRAN_border_map.jpg

A fronteira entre o Irão e o Afeganistão é uma linha de 936 km de extensão, sentido norte-sul, e não me devo enganar muito ao afirmar que é aqui que se irá disputar a próxima “guerra” entre xiitas e sunitas. Durante este mês de agosto e com a evidência dos Talibã chegarem rapidamente ao poder no Afeganistão, o Irão já tinha encerrado as suas fronteiras no sudoeste do país.

 
Vicente Ferreira da Silva - David Ribeiro 
é perfeitamente plausível.
Nikdel Farhad - David Ribeiro… Não é uma guerra xiita-sunita! É uma guerra étnica, os pashtuns contra o resto (falantes de persa), infelizmente o governo revolucionário do Irã está mais interessado em manter inimizade com os Estados Unidos do que em apoiar seus compatriotas!
David Ribeiro - Meu caro Nikdel Farhad... não será AINDA uma guerra xiita-sunita, mas esperemos para conhecer quem apoia quem e depois veremos.
Nikdel Farhad - David Ribeiro… Você é sábio. 1. Acabei de ler que o filho de Ahmad Shah Massoud veio a Panjshir e começou a criar milícias de resistência contra o Talibã com o apoio do Irão. 2. O Irão chama Fatemion de volta da Síria (milícia xiita Afgan na Síria). 3. Irão acredita que o Talibã e todos os grupos terroristas são apoiados com dinheiro saudita ... vamos ver.

 

  10h04 de 16ago2021 - Aeroporto de Cabul
16ago 10h00.jpg

 

   12h30 de 16ago2021 - SIC Notícias
Doze portugueses abandonaram o Afeganistão nos últimos dias, mas quatro ainda estão no país. Todos trabalhavam no aeroporto de Cabul, na segurança e na delegação da União Europeia. A Secretaria de Estado das Comunidades está a acompanhar a retiradas dos portugueses pelas Forças Internacionais. A informação obtida até ao momento por parte da embaixada em Islamabad é que estão bem.
Captura de ecrã 2021-08-16 133051.jpg

 

   13h02 de 16ago2021 - Al Jazeera
Acaba de se saber que um jato militar afegão cai no Uzbequistão.
Relatório: Um jato militar afegão caiu após cruzar a fronteira com o Uzbequistão e seu piloto foi ejetado e sobreviveu, disse o Ministério da Defesa do Uzbequistão. O jato caiu na noite de domingo na província de Surxondaryo, no extremo sul do Uzbequistão, adjacente ao Afeganistão. A agência de notícias russa RIA cita o ministério da defesa do Uzbequistão dizendo que o piloto foi ejetado e ficou ferido. Mais tarde, o ministério disse que as defesas aéreas do Uzbequistão derrubaram o jato enquanto ele tentava violar a fronteira.
uzbquistao.jpg

 

   17h10 de 16ago2921 - AFP
Sim, a Rússia já não é um inimigo... mas o Irão, ali mesmo ao lado, já se está a posicionar e dizem que já criou milícias para combaterem os Talibã - ou seja, a eterna "guerra" entre xiitas e sunitas.
Captura de ecrã 2021-08-17 110902.jpg

 

   00h00 de 17ago2921 - Expresso 
Captura de ecrã 2021-08-17 012007.jpg

 

   00h17 de 17ago2021 - Obervador
"O fim da Pax Americana?” – Artigo de Vicente Ferreira da Silva
Captura de ecrã 2021-08-17 112439.jpg

 

   16h30 de 17ago2021 - TVI 24

Captura de ecrã 2021-08-17 170411.jpg

O que os Talibã afirmaram hoje, na primeira conferência de imprensa:
- Não vamos permitir que ninguém seja magoado no nosso território.
- Queremos garantir a segurança das embaixadas e organizações internacionais em Cabul. O nosso plano era parar às portas de Cabul depois de capturar o resto das áreas para que a transição fosse pacífica, mas, infelizmente, o Governo anterior foi incompetente. Não conseguiram fornecer segurança. Forneceremos segurança a todas as organizações estrangeiras agora. Não procuramos nenhum inimigo, seja dentro ou fora do Afeganistão. Perdoamos todos aqueles que lutaram contra nós. As animosidades chegaram ao fim.
- As nossas mulheres têm direitos e poderão beneficiar desses direitos. Têm o direito de participar na educação, na saúde e em outras áreas (...) Serão muito ativas na sociedade, mas dentro da estrutura do islamismo.

  Transcript of Taliban’s first news conference in Kabul



Publicado por Tovi às 07:35
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 13 de Agosto de 2021
A origem e passado recente dos Talibã
   Texto com base em informação recolhida na Wikipédia
Talibã - nas línguas faladas no Afeganistão (o persa moderno e o afegão), talib significa "estudante" - é um movimento fundamentalista islâmico que se difundiu no Paquistão e, sobretudo, no Afeganistão, a partir de 1994 e que governou efetivamente cerca de três quartos do Afeganistão entre 1996 e 2001, apesar de seu governo ter sido reconhecido por apenas três países: Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita e Paquistão.
No Outono de 1994, 40 a 50 estudantes muçulmanos, insatisfeitos com o caos do país, reuniram-se em Sansigar, a cerca de 40 quilómetros de Khandahar, com as duas principais figuras, o Mulá Abdul Salam Zaeef e Mohammed Omar, com a ideia de desarmar os bandos, acabar com os crimes e estabelecer a Xaria (o corpo da lei religiosa islâmica). Nomearam Mohammed Omar como seu comandante. Assim foi o começo modesto dos Talibã, mas a verdade é que na noite seguinte, surpreendentemente, já a BBC (em pachtun) anunciava o encontro. Seus membros mais influentes eram ulemás (isto é, teólogos) nas suas vilas natais e o grupo tinha apenas algumas armas, velhas motocicletas russas e quase nenhum dinheiro. O movimento poderia ter morrido no berço, não fosse o grande apoio da população local. Dentro de poucos dias já eram mais de 400 combatentes. Em 12 de Outubro de 1994, um grupo de 200 Talibã assumiu, em cerca de quinze minutos, o controle de Spin Boldak, na fronteira entre o Afeganistão e o Paquistão, um importante posto alfandegário no lucrativo comercio de camiões. Após essa vitória, o Paquistão intensificou a ajuda ao movimento, principalmente por meio de Nasrullah Babar, um integrante da etnia pachtun que era Ministro do Interior. Nos motivos deste apoio aos Talibã, estava a crença na sua capacidade de restaurar a ordem nas estradas afegãs e de estabelecer um governo estável, que viabilizaria a construção de um possível gasoduto, podendo ser seu aliado nas suas disputas contra a Índia. Subiram ao poder depois de derrotar o presidente Burhanuddin Rabbani e seu chefe militar, Ahmad Shah Massoud, tendo ocupado a capital, Cabul, em 27 de setembro de 1996, após meses de bombardeamentos desde o inverno de 1995.
Logo após tomar Cabul, os Talibã impuseram a sua versão do sistema islâmico. Todas as mulheres foram proibidas de trabalhar, as escolas femininas foram fechadas e as mulheres foram obrigadas a tapar-se da cabeça aos pés. Foi nesta altura que os Talibã destruíram inúmeros monumentos, incluindo os famosos Budas de Bamiyan, com 1.500 anos de idade.
Após o ataque terrorista às Torres Gêmeas em Nova York constava-se que os Talibã tinham dado refúgio a Osama bin Laden e por isso as forças dos Estados Unidos atacaram o país, derrubaram o regime talibã e favoreceram, com o apoio de outros países, a instalação do governo liderado por Hamid Karzai. No entanto os Talibã foram recuperando forças, obtiveram um certo nível de controle político e aceitação na região de fronteira com o Paquistão e iniciaram uma insurgência contra os Estados Unidos e contra o governo afegão constituído após as eleições gerais.
Desde 14 de Abril de 2021, quando o Presidente dos EUA Joe Biden anunciou a retirada de todas as tropas americanas do Afeganistão, os Talibã têm vindo a assumir o controlo de mais de 50 distritos.

Captura de ecrã 2021-08-13 192533.jpg

 

   Reuters, 03h36 de 13ago2021
EUA e Reino Unido vão deslocar a partir do Kuwait uma força de 3.500 a 4.000 soldados para apoiar a retirada dos funcionários da embaixada americana em Cabul e ajudar a retirar do país cidadãos afegãos que trabalhavam para as forças americanas e britânicas, numa altura em que os Talibã continuam a avançar e a capturar cidades importantes do país. 
Captura de ecrã 2021-08-13 115032.jpg

 

   Press TV, 22h59 de 13ago2021
Não há dúvida que o Irão vai ter uma importante palavra a dizer na atual crise no Afeganistão, pelo que não é de estranhar que o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (IRGC, na sigla em inglês) já tenha declarado no dia de hoje que a fronteira iraniana com o Afeganistão está segura e com a polícia e o Exército em prontidão total na região. O major-general Hossein Salami Salami, comandante do IRGC, afirmou que "as pessoas não se devem preocupar, pois o alcance das nossas observações vai além das fronteiras e estamos monitorizando e controlando todos os desenvolvimentos no país vizinho".
Captura de ecrã 2021-08-14 153700.jpg

 

   Al Jazeera, 23h00 de 13ago2021
Guterres exortou todas as partes a fazerem mais para proteger os civis... mas este apelo é capaz de já vir tarde.
Captura de ecrã 2021-08-14 101836.jpg



Publicado por Tovi às 10:09
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Janeiro 2023
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9



31


Posts recentes

Zelensky foi aos Estados ...

Queda de míssil na Polóni...

Os cinco erros fatais de...

Crise energética da Europ...

Não se entendem... mas nã...

A "crise" das Sanções à R...

NATO, União Europeia e G7...

Polónia quer "missão de p...

Cerco a Kiev... o avanço ...

Ao sétimo dia continua a ...

O que dizem os dois lados...

O "Proteger a Ucrânia" e ...

Fome e insegurança alimen...

O primeiro rescaldo da vi...

A origem e passado recent...

Situação dramática no Afe...

Tomada de posse de Joe Bi...

A vitória de Joe Biden

Eleições nos EUA

Debate presidencial nos E...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus