"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019
"A greve que definiu o regime", por Raul Almeida

Realmente parece que estamos num processo de venezuelização em curso.

Captura de Ecrã (208).png

Notícia completa aqui.

   

Comentários no Facebook

Manuel Matos - Dá gosto ver a Direita, que nas últimas eleições queria baixar salários, defender tão bem os trabalhadores agora...

Adao Fernando Batista Bastos - Ó Deus, frustados porque a greve não provocou o caos que muitos na oposição pretendiam? E toca a bater no Governo e no PS que agora são autoritários, quase ditadores, defendem os patrões! Certamente que solidários com os grevistas nem atestaram combustivel durante agreve ( atestaram uns dias. antes. ). Venezualização do regime! Valha- nos Pedro. ,Paulo e todos os Santos Apóstolos, esta gente ( que nunca fez greve e estão contra os Sindicatos das centrais sindicais, preferem os recêm- nascidos ditos independentes...) está louca, so pode.

Joaquim Figueiredo - Adao Fernando Batista Bastos como tens razão amigo... quando não reagiu de imediato, devia ter reagido com veemência, quando reagiu com antecipação não devia ter reagido... não há critérios e a direita anda desesperada, sem rumo, sem orientação, porque o diabo não chegou, apesar do chamamento uníssono da comunicação social....e dos grevistas

Duarte Nuno Correia - O que eu me divirto a ler alguns comentários. Quem "acusa" o David Ribeiro de ser de direita não tem a mínima noção do que escreve.

Jose Bandeira - Desculpem meter-me na conversa, mas o mal de que o David Ribeiro sofre é comum em quem já viveu uns anitos e tem a cavidade craneana bem preenchida. O problema mais candente de momento não são os partidos mas sim as lideranças dos mesmos e a forma como essas lideranças asseguram o poder.

As pessoas de bom senso e forte empatia social sempre se identificaram com o PS e a afinidade foi-se mantendo e quiçá consolidando desde que Cavaco Silva inquinou o PSD com todo o seu séquito de bandidos que hoje estão a gozar os rendimentos do seu saque. Foi esse cancro cavaquista que possibilitou a Sócrates a maioria absoluta e, tal como aconteceu com Cavaco, substituir os bandidos doutorados do cavaquismo por estagiários sem formação nem limites para a ganância pois, como todos sabemos, a esquerda tem terreno muito mais favorável junto dos media para tolerar todo o tipo de atentados.

Com o caos pós Socrático gerido pelos boys do PSD, emerge a eminência parda, o bicho político que há muito aguardava o seu momento: António Costa! Só que, muito parco em idéias e grande em ambição, Costa rodeia-se de uma enorme clientela que tem que satisfazer para assegurar o próprio poder. E aí recomeça o nosso calvário: uma nação pobre e sobreendividada tem pouco para dar sem atingir fortemente os do costume, classe média em impostos, classe mais desfavorecida em direitos.

Sofremos de uma enorme crise de liderança e de uma Administração Pública pejada de incompetentes ambiciosos. O único líder que ousa apontar a causa de todos os males, Rui Rio, está a fazer a travessia do deserto e ainda não conseguiu convencer que tem massa crítica no PSD para fazer diferente.

Portanto e à laia de conclusão todos sabemos que NÃO EXISTE SOLUÇÃO PARA PORTUGAL NO ESPECTRO POLÍTICO PARTIDÁRIO. A única solução é a da união de todos os portugueses em torno de um projecto nacional, mas todos sabemos que nenhum partido vai propor tal heresia pois a probabilidade dos seus dirigentes e matilha irem parar à cadeia é muito grande.

Daí, tanto o David como eu buscar-mos gente de bem para criar massa crítica que permita lançar um projecto para Portugal.

Se não interpretei bem o teu pensamento por favor corrige-me caro David.



Publicado por Tovi às 14:37
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 14 de Setembro de 2017
Visão de futuro… para o Porto

Publicado no Facebook, na página do grupo “Um novo norte para o Norte”, pelo meu amigo José Bandeira:

José Bandeira aa.jpg

1. Um Porto sem carros na baixa. Só faixas BUS e uma frota de táxis eléctricos autónomos. Uma cidade pedonal!

1.1. Parques de estacionamento na periferia com Shuttles permanentes para a baixa.

2. Uma cidade para jovens e sexalescentes. Hosteis-residência para criativos e casas para moradores séniores.

3. Baixa povoada de open-spaces para aluguer temporário.

4. Turismo de saúde sénior.

5. Uma cidade de cultura onde qualquer artista gostaria de viver.

6. Criação de uma empresa "municipal" de crowdfunding (sem impacto no orçamento municipal).



Publicado por Tovi às 23:56
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Posts recentes

"A greve que definiu o re...

Visão de futuro… para o P...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus