"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Quinta-feira, 5 de Janeiro de 2017
António Domingues deixa definitivamente a CGD

António Domingues CGD.jpg

Estive ontem a ver e a ouvir com a maior atenção na televisão a audição de António Domingues na Comissão Parlamente de Orçamento e Finanças da AR e cada vez mais estou convencido que perdemos uma rara oportunidade de ter à frente do banco do Estado um profissional competente, além de que o Ministro das Finanças deste Governo dá mais uma vez a ideia que não sabe negociar e “esconde” de todos os seus colaboradores as suas intenções.

 

  O que disse António Domingues na AR

- O que fez com que me tivesse demitido? Muito simples, eu ia ficar sem equipa. Dos onze membros do Conselho de Administração demitiram-se sete, e se considerar o Conselho Fiscal em quinze demitiram-se nove. Eu sem equipa teria dificuldade em gerir a Caixa.

- Uma das primeiras responsabilidades do gestor de uma empresa é saber se tem condições para a gerir e eu, no meu melhor juízo, entendi que não tinha condições para o fazer.

- Quando me perguntaram se eu estava zangado eu disse, como se recorda, ‘pelo amor de deus’, porque o acionista tem direito de tomar decisões e de mudar de opinião. Respeito isso, mas eu tenho direito de me bater pela minha opinião, os meus objetivos e as minhas responsabilidades.

- Quando se trabalha num banco, seja ele qual for, são publicados todos os anos nos relatórios os rendimentos e os meus, quem quiser vê-los, estão no BPI. O que faço com os meus rendimentos e o meu património já é da minha esfera pessoal, não vejo que haja ou houvesse necessidade de regras específicas para a Caixa para controlar a minha vida pessoal.

- Estimamos que a Caixa precisa de reduzir 2.200 pessoas.

- Gerir não é gerir para os dias de sol, mas para os riscos que existem.

 

  Comentários no Facebook

«José Camilo» - Também fiquei com essa impressão.

«Jota Caeiro» - os técnicos, os bons técnicos, foram uma vez mais trucidados pelos experientes e experimentadíssimos políticos de merda (veja-se quem acabou por ficar na presidência da CGD!). este, como o próprio ministro que tem desempenhado de forma quase irrepreensível a sua técnica tarefa, foram surpreendidos pelos golpes dos políticos mais sinistros habituadíssimos aos enchumaços da Portuguêza. não tenho duvida quase nenhuma de que este Domingues, vindo de uma das esquerdas 'mais profundas', desempenharia o seu papel social à frente do maior banco português: e isso a ladroagem do regime não permite...

«José Camilo» - E, sinceramente, estou-me perfeitamente a marimbar para o que o homem possui ou não. Divulgar isso para além a quem de direito é colocar, provavelmente, a sua vida em risco. Ontem, alguém viu a sua casa assaltada e ficar sem 10 milhões de euros (dinheiro ou valores). Quem é? Sinceramente não me interessa e apenas o aconselho a ter mais cuidado aonda coloca os seus haveres (compreendendo que uma boa pintura terá de estar numa parede).

«Duarte Leal» - Também vi e fiquei com a mesma impressão. O BPI é um banco com futuro. Boa escola. Tudo o resto é política.

«Ricardo Nuno» - este é o mesmo q foi responsavel por afundar o BPI com a aposta desmesurada no C habt . Obviamente sem perfil para a CGD . Responsavel de cargo publico q tenha problemas em expor o seu patrimonio e rendimento nao o pode ser , parece me basico qd se trata de gerir algo que pertence a uma comunidade . Na Suecia é assim desde o sec 18 e nao me parece que por lá seja um problema ...

«Paulo Santos da Cunha» - Falando claro e para que a culpa não morra solteira e os bois sejam chamados pelo seu nome: O PSD e o CDS e a seu reboque um excitado e folclórico BE, depois de Marques Mendes ter levantado a “lebre” na SIC, iniciaram uma autêntica chicana contra o governo e António Domingues pelo facto de a nova lei ter isentado os gestores de apresentarem a citada declaração. A partir daí, esses três partidos, aprovaram legislação que repõe essa obrigação aos gestores da Caixa. E sendo assim, essa alteração mudou o contexto em que Domingues aceitara dirigir a CGD. É bom que se refira que, o governo nada pode fazer contra uma lei aprovada pela Assembleia da República. Leia-se o texto da Lei fundamental. Ponto!

«João Simões» - Foi uma boa escolha destruída por quem quer descredibilizar a cgd com outros objetivos.

«David Ribeiro» - Também tenho a impressão que o que acaba de dizer tem razão de ser, João Simões ...mas o Ministro das Finanças devia ter desmascarado a marosca em devido tempo.

«João Simões» - Perdeu se uma oportunidade de dar uma gestão totalmente independente e profissional à cgd.

«David Ribeiro» - O tempo vai acabar por dar razão a António Domingues… mas depois é capaz de já ser tarde e ir-nos custar muito dinheirinho.



Publicado por Tovi às 09:11
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 1 de Julho de 2013
Bye bye Vítor Gaspar

{#emotions_dlg.meeting} Veraquia carta de demissão de Vítor Gaspar.

{#emotions_dlg.meeting} Veraquiquem é Maria Luís Albuquerque.


«David Ribeiro» no Facebook >> {#emotions_dlg.sidemouth} Demissão de Vítor Gaspar e nomeação de Maria Luís Albuquerque para o Ministério das Finanças é demais num dia só. Até tenho medo que me dê uma coisinha má.

«Jose Antonio Salcedo» no Facebook >> Vêm aí tempos muito conturbados.

«Joaquim Leal» no Facebook >> Ainda tive esperança na substituição por Paulo de Macedo, ministro da saúde. Seria sempre uma mais valia. Agora esta senhora cujo envolvimento nos "swaps" (em tradução livre: negócios ruínosos para o Estado, vulgo todos nós) deixa uma penumbra preocupante.

«Isabel Taborda Oliveira» no Facebook >> É como as moscas....

«Ana Alyia» no Facebook >> a ti e a mim David Ribeiro acho que nem com valha-nos Deus lá vamos

«Fatima Sousa» no Facebook > mas os jonalistas vão estar todos os dias ( menos 5 ) em on ou off ...isto é de bradar aos céus...

«David Ribeiro» no Facebook >> {#emotions_dlg.sidemouth} A demissão de Vítor Gaspar fez-me lembrar um outro ministro das finanças que em finais dos anos vinte do século passado, também durante uma crise económica e alguma agitação social, apresentou a sua demissão por não lhe terem satisfeito as condições que achava indispensáveis ao exercício daquela pasta ministerial. E esse tal professor catedrático da Faculdade de Coimbra acabou por voltar mais tarde aos destinos da Nação e por cá ficou durante quase cinquenta anos. Que os santinhos todos nos livrem da história se repetir.

 Imagem “roubada” a «ferroadas2.blogspot.pt»

«Victor Meirinho» no Facebook >> Não sei... de tão longe a que levaram a "mediocracia", estão criadas as condições para o "universo invertido" da democracia! Vale-nos o facto de termos umas forças armadas desarmadas e  desmoralizadas, agastadas e de cócoras! E alguém pensou já numa ditadura do poder judicial??? Não estamos longe... prevalecem os interesses de quem paga advogados-deputados! E estes fazem leis! E os magistrados aplicam! Falta saber: - COMO AS APLICAM ?

«Luis Paiva» no Facebook >> David, costuma dizer-se que a história nunca se repete. No entanto, Karl Marx admitiu que sim, a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa...

«Victor Meirinho» no Facebook >> Nós estamos em fase de ópera-bufa... género menor do bel-canto!

«Maria Helena Costa Ferreira» no Facebook >> "vamos rezar...."

«José Camilo» no Facebook >> Regionalizemos...



Publicado por Tovi às 18:42
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


24
25
26

27
28
29
30
31


Posts recentes

António Domingues deixa d...

Bye bye Vítor Gaspar

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus