"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Quinta-feira, 30 de Junho de 2022
Novo(s) Aeroporto(s) em Lisboa

img_800x533$2021_03_03_21_39_06_1017451.jpg

O Governo já decidiu qual é a estratégia para alargar a capacidade aeroportuária da capital. Alcochete é a grande aposta de longo prazo. Segundo fonte do Ministério das Infraestruturas, a decisão consiste em três passos. O primeiro é fazer algumas obras no imediato no Humberto Delgado, no sentido de aumentar o conforto e fluidez com o intuito de reduzir os atrasos, que não se devem só ao SEF. A intervenção implicará a relocalização da torre de controlo. Em segundo lugar, o Montijo já deverá ter aviões a aterrar em 2026. Serão necessários 12 a 18 meses para fazer uma Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) e mais três anos para obras. Neste caso, será preciso adaptar o projeto de execução a uma já existente Declaração de Impacto Ambiental (DIA). A tarefa será entregue ao LNEC, substituindo-se ao consórcio luso-espanhol composto pela Ineco e pela empresa portuguesa Coba - Consultores de Engenharia e Ambiente, facto que pode dar origem a um pedido de indemnização. Em terceiro lugar, o Governo avança, também, com a colaboração técnica do LNEC com o cenário de Alcochete, infraestrutura que poderá estar pronta em 2035. Nessa altura, Humberto Delgado e Montijo deverão fechar em definitivo, ficando Lisboa com apenas um aeroporto de grande capacidade (pode ir até quatro pistas, tal como sucede atualmente em Barajas, Madrid). Ou seja, Alcochete é a grande aposta de longo prazo. O problema começou a ser estudado há 50 anos. Portugal já discutiu 17 localizações possíveis para o novo aeroporto de Lisboa. No tempo de José Sócrates, estudou-se a opção Ota, depois surgiu Alcochete, entre vários outros cenários.

 

  Marcelo é sempre o último a saber
290031045_10221595371541492_4121606933734871834_n.
  O ministro das infraestruturas, Pedro Nuno Santos, disse, em entrevista à RTP, que “foi sempre havendo conversas“ com o Presidente da República, mas que não informa Marcelo Rebelo de Sousa de todas as decisões que toma no seu gabinete.

 

  9h44 de 30jun2022
Captura de ecrã 2022-06-30 095848.jpgO primeiro-ministro determinou a revogação do despacho de Pedro Nuno Santos sobre aeroporto de Lisboa. Em comunicado, o primeiro-ministro "determinou ao Ministro das Infraestruturas e da Habitação a revogação do Despacho ontem publicado sobre o Plano de Ampliação da Capacidade Aeroportuária da Região de Lisboa". António Costa diz ainda que "a solução tem de ser negociada e consensualizada com a oposição, em particular  com o principal partido da oposição e, em circunstância alguma, sem a devida informação prévia ao senhor Presidente da República", acrescentando que "compete ao primeiro-ministro garantir a unidade, credibilidade e colegialidade da ação governativa". Na mesma nota, o primeiro-ministro acrescenta que irá ouvir, "assim que seja possível", o líder do PSD "para definir o procedimento adequado a uma decisão nacional, política, técnica, ambiental e economicamente sustentada".
  
David Ribeiro - Um a zero no dérbi de Marcelo contra Pedro Nuno dos Santos.
Raul Vaz Osorio - Não é hipótese, o Costa já disse com todas as letras que ou se demite ou é demitido. O que esta historia faz, é transformar o governo num circo, só que os palhaços somos nós 
David Ribeiro - Segundo se consta [à hora do almoço de hoje, 30jun2022] o ministro das Infra-estruturas e da Habitação não tenciona apresentar um pedido de demissão e que já comunicou essa decisão ao primeiro-ministro. Pois assim seja... Costa não deverá ter receio algum deste "fazer peito" de Pedro Nuno Santos. 
Paulo Teixeira - David Ribeiro e se tiver já sabemos como vão ser os próximos tempos 
Carlos Wehdorn - David Ribeiro categoria!  



Publicado por Tovi às 09:02
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Sexta-feira, 16 de Outubro de 2020
As quatro rotas da TAP no aeroporto do Porto

Anotação 2020-10-16 091905.jpg
Se as quatro rotas criadas recentemente no aeroporto do Porto (para Amesterdão, Milão, Zurique e Ponta Delgada) são "neste momento um prejuízo para a TAP", então ‘bora lá, senhor ministro Pedro Nuno Santos, acabar com elas… mas depois não nos venha dizer que é preciso mais dinheiro para a transportadora aérea.

 

   Comentários no Facebook

Rui Moreira - As boas notícias da TAP. Pelos vistos, são as quatro rotas do Porto que dão prejuízo à TAP. As rotas de Lisboa darão lucro. A nova rota Lisboa/Bilbau deve ser um “must” em termos de rentabilidade e importantíssima para uma estratégia nacional. Promover visitas ao Gugenheim basco é “top”. Mas, senhor Ministro, são boas notícias. Se são as quatro rotas do Porto que dão prejuízo, pare com elas. Mas, por favor, incorpore a TAP na Carris ou na muito rentável Soflusa. Nós não nos importamos, havemos de encontrar uma solução. Para Lisboa é óptimo: fica com a TAP que, sem o prejuízo do Porto, deixa de ser um perdócio. Para o resto do país - para a província em que alegremente nos incluímos - é uma maravilha, porque a TAP deixa de nos custar dinheiro.
 
 
   Afinal...

Anotação 2020-10-17 184648.jpg



Publicado por Tovi às 09:19
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 31 de Julho de 2020
Acidente grave com um Alfa Pendular

mw-860.jpg

Às 15h30 de hoje o descarrilamento de um comboio Alfa Pendular, que seguia no sentido Sul-Norte com 212 passageiros, na região de Soure, em Coimbra, provocou pelo menos dois mortos, segundo informou aos jornalistas no local o presidente da Junta de Freguesia de Soure, Santos Mota. As vítimas mortais são os trabalhadores de uma máquina de manutenção da linha em que o comboio embateu e que foi arrastada ao longo de cerca de 300 metros. Fonte da Proteção Civil indicou que há seis feridos "de média gravidade" - um deles, o maquinista, "a inspirar mais cuidados" - e cerca de três dezenas ligeiros. Estão no terreno 175 operacionais, apoiados por 68 veículos e dois meios aéreos. Foi criado um hospital de campanha no local para dar assistência aos feridos.

 

  Ministro das Infraestruturas lamenta acidente ferroviário ocorrido na Linha do Norte
O Ministro das Infraestruturas e da Habitação lamenta o acidente ferroviário que ocorreu esta tarde na Linha do Norte, do qual resultaram duas vítimas mortais, trabalhadores da Infraestruturas de Portugal, sete feridos graves e cerca de três dezenas de feridos ligeiros, e apresenta as suas mais sinceras condolências aos familiares, amigos e colegas das vítimas e votos de rápidas melhoras aos passageiros do Alfa Pendular que ficaram feridos no acidente. O Ministro Pedro Nuno Santos realça a pronta e eficaz capacidade de resposta dos meios de socorro no local, nomeadamente da Proteção Civil, INEM, bombeiros, GNR e da Câmara Municipal de Soure, na figura do seu Presidente. O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF) vai iniciar imediatamente o trabalho de investigação para apurar as causas do acidente e daí retirar todas as ilações. O comboio é um dos meios de transporte mais seguros, não estando em causa a segurança ferroviária. O Alfa Pendular, bem como a infraestrutura e sinalização da Linha do Norte, são sistemas tecnologicamente avançados, dotados de mecanismos modernos de segurança, o que infelizmente não impediu a ocorrência deste acidente, que carece agora de esclarecimentos sobre as suas causas.

   Especialista diz que o que se passou foi "criminosamente grave"
Luís Cabral da Silva, especialista em Transportes e Vias de Comunicação, considerou que o acidente com o comboio Alfa Pendular, em Soure, que vitimou duas pessoas, foi "criminosamente grave" e "inexplicável”. "Não se percebe como é que um comboio Alfa Pendular vá bater numa dresina (máquina) que está a fazer a manutenção da linha onde o comboio vai passar. Isto é um exemplo da irresponsabilidade completa", afirmou o especialista à agência Lusa. No entender de Luís Cabral da Silva existem "várias questões técnicas que falharam e que motivaram este acidente. Em rigor, o comboio não deveria lá chegar por causa do controle de velocidade. Pelos vistos chegou e bateu. Não se programa a viagem de um comboio pendular por uma linha que tem lá trabalhos de manutenção. Isto não entra na cabeça de ninguém", criticou. O especialista questionou ainda o facto de o sinal da linha não estar fechado e de não ter existido "qualquer comunicação" sobre a presença da máquina no local. "Quem é que a mandou para lá? Acho que isto não se deve fazer durante o dia. Tudo isto aponta para uma grande incompetência criminosa da Infraestruturas de Portugal", sublinhou.

 Carlos Cipriano, do jornal Público, 1 de Agosto de 2020, 0h59
Máquina de serviço passou sinal vermelho e embateu num Alfa. Gabinete de investigação já recomendara em 2018 a instalação nestes veículos de sistema de que os trava quando passam sinal vermelho. Infraestruturas de Portugal alegou falta de “cabimentação financeira”. As máquinas de inspecção da catenária, como aquela que esta sexta-feira se envolveu num grave acidente com um Alfa pendular à saída de estação de Soure, em Coimbra - do qual resultaram dois mortos, seis feridos de média gravidade, um grave e 36 ligeiros - não têm um sistema de controlo de velocidade (Convel). Este equipamento trava automaticamente o veículo quando passa um sinal vermelho. Existem em todos os comboios menos nestas máquinas de serviço.

 

  GPIAAF – Breve descrição do acidente com o Alfa Pendular
Acidente Alfa 31jul2020.jpg



Publicado por Tovi às 17:46
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Domingo, 27 de Maio de 2018
O que me ficou do Congresso do PS

22 congresso ac.jpg

Acabado o XXII Congresso do Partido Socialista, que acompanhei com interesse e cuidado, ficaram-me algumas coisas, umas mais importantes que outras, mas todas dignas de registo.

 

“Não vale a pena varrer para debaixo do tapete o que nos envergonha” – Ana Gomes.

 

Mais uma vez, e unicamente no que concerne à Geringonça e à liderança de António Costa, estou em muito de acordo com o que Francisco Assis tornou a dizer hoje numa reunião magna do PS. E ouvi por lá umas palmitas, não muitas, é certo, mas ouvi algumas.

 

Pedro Nuno Santos, um socialista de esquerda, mais à esquerda que a própria esquerda. Guardem para memória futura o que ele ontem disse no XXII Congresso do PS: De Marx a Costa – as nove frases-chave de Pedro Nuno Santos.

Augusto Santos Silva e Pedro Nuno Santos não partilham da mesma opinião sobre a Geringonça e isso é bom para a Democracia.

 

Não houve cromos tipo Tino de Rãs neste Congresso. A tradição já não é o que era.

 

Centeno ainda não apareceu no Congresso do PS. Estará ainda a preparar uma qualquer folha de excel?
Afinal apareceu... mas só para o discurso do chefe.



Publicado por Tovi às 14:54
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Junho 2022
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Posts recentes

Novo(s) Aeroporto(s) em L...

As quatro rotas da TAP no...

Acidente grave com um Alf...

O que me ficou do Congres...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus