"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Quinta-feira, 29 de Dezembro de 2022
O dia seguinte ao "terramoto" na TAP

Captura de ecrã 2022-12-29 114555.jpg

Já passava da meia-noite de ontem [quarta-feira 28dez2022] quando António Costa aceitou a demissão de Pedro Nuno Santos.

 

  As primeiras reações
PSD exige presença do primeiro-ministro em debate de urgência no Parlamento, na próxima semana: “Nunca nos habituaremos a esta partidarização do Governo e da Administração Pública” e “a esta apagada e vil desistência do país”, sublinha o “vice” Paulo Rangel.
Iniciativa Liberal anuncia moção de censura ao Governo e fala de uma “arrogância crescente”.
André Ventura defende que o executivo “começa a ficar numa situação insustentável”.
Catarina Sarmento e Castro, Ministra da Justiça, garante que Governo continua "coeso e dinâmico", mas lembra: "Há um antes e um depois de Pedro Nuno Santos".

 

  Carta de demissão de Pedro Nuno Santos
Perante todas as questões que têm sido levantadas e suscitadas ao Ministério das Infraestruturas e da Habitação importa esclarecer o seguinte:
1. No seguimento da alteração acionista da TAP S.A. e da TAP SGPS que resultou na saída do acionista privado Humberto Pedrosa, a CEO da TAP solicitou a autorização do Ministério das Infraestruturas e da Habitação para proceder à substituição da administradora indicada pelo acionista privado por manifesta incompatibilização, irreconciliável, entre a CEO e a vogal do Conselho de Administração;
2. Para preservar o bom funcionamento da Comissão Executiva e, portanto, o sucesso da implementação do Plano de Reestruturação, foi dada autorização para se proceder à rescisão contratual com a Engª Alexandra Reis;
3. Neste contexto, a TAP iniciou, em janeiro de 2022, um processo tendo em vista a rescisão contratual com a Eng.ª Alexandra Reis;
4. Como resultado desse processo, a TAP informou o Secretário de Estado das Infraestruturas de que os advogados tinham chegado a um acordo que acautelava os interesses da TAP. O Secretário de Estado das Infraestruturas, dentro da respetiva delegação de competências, não viu incompatibilidades entre o mandato inicial dado ao Conselho de Administração da TAP e a solução encontrada;
5. Todo o processo foi acompanhado pelos serviços jurídicos da TAP e por uma sociedade de advogados externa à empresa, contratada para prestar assessoria nestes processos, não tendo sido remetida qualquer informação sobre a existência de dúvidas jurídicas em torno do acordo que estava a ser celebrado, nem de outras alternativas possíveis ao pagamento da indemnização que estava em causa;
6. No entanto, tendo o Ministro tido agora conhecimento dos termos do acordo e perante as dúvidas, entretanto suscitadas, solicitou à TAP explicações em torno deste processo;
7. No seguimento das explicações dadas pela TAP, que levaram o Ministro das Infraestruturas e da Habitação e o Ministro das Finanças a enviar o processo à consideração da CMVM e da IGF, o Secretário de Estado das Infraestruturas entendeu, face às circunstâncias, apresentar a sua demissão;
8. Face à perceção pública e ao sentimento coletivo gerados em torno deste caso, o Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, entende, neste contexto, assumir a responsabilidade política e apresentou a sua demissão ao primeiro-ministro.

 

  E agora?... Vai a atual administração da TAP resistir?

Paulo Santos
Vai, não há dinheiro para pagar a saída.
Rui PaivaJá devia ter caído..👎😡😡😡

 

  Para conclusão do dia seguinte ao "terramoto" na TAP
(Roubado à Ana Cristina Pereira Leonardo... sim, foi roubado porque não lhe pedi autorização para o partilhar)
Captura de ecrã 2022-12-29 205312.jpg



Publicado por Tovi às 08:13
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 28 de Dezembro de 2022
A ética... e os invejosos

320889300_708713630867071_4438232845729983991_n.jp 


Joaquim FigueiredoA senhora saiu da TAP em fevereiro... não era governante. A má informação gera confusão. Foi demitida e, segundo consta, negociou a saída por um valor inferior àquele a que tinha direito. Entendo é que os salários são demasiados altos...
David Ribeiro - Claro que não houve nenhuma ilegalidade, Joaquim Figueiredo... mas houve muita falta de ética.
Joaquim FigueiredoDavid Ribeiro em quê? Essa da falta de ética não percebo
David RibeiroJoaquim Figueiredo... A ética está relacionada com a moralidade e aos bons e maus valores no relacionamento com os bens públicos... e à mulher de César não basta ser séria.
Joaquim FigueiredoDavid Ribeiro discordo... uma coisa é a ética que não vejo ter sido desrespeitada pela senhora, já a moralidade...??? Acho que o Costa esteve mal em nomear a senhora sem esclarecer o assunto. David Ribeiro é falta de ética um treinador ser despedido, a chamada chicotada psicológica, receber uma indemnização choruda e no dia a seguir estar a treinar um clube que 2 dias antes era adversário? Abraço
David Ribeiro - Joaquim Figueiredo... não é seguramente ilegal, mas pode ser falta de ética do treinador ou até do clube, depende do contexto.
Julio NogueiraJoaquim Figueiredo Concordo, falta de ética, mas mais falta de bom senso ,que quem autorizou salários tal altos. Existe um contrato o mesmo deve de ser cumprido.

 

  Contextualizando...
alexandra reis bru.jpgAlexandra Reis ingressou na TAP em setembro de 2017, foi nomeada administradora três anos depois e, com um salário de 17.500 euros por mês, recebeu, em fevereiro passado, ao fim de dois dos quatro anos de mandato, uma indemnização de 500 mil euros, por cessação antecipada do cargo de administradora executiva.

 

  As últimas do imbróglio TAP vs Alexandra Reis
Costa desconhecia antecedentes de Alexandra Reis e aguarda "esclarecimento cabal".
Alexandra Reis começou por pedir indemnização de 1,47 milhões para sair da TAP.
Respostas da TAP sobre Alexandra Reis não tranquilizam Governo. 
Comunicado conjunto de Pedro Nuno e Medina remete respostas da transportadora aérea sobre a indemnização paga a Alexandra Reis para orgãos de fiscalização, 
Inspeção Geral das Finanças e CMVM.
Primeiro-ministro diz que IGF e CMVM vão avaliar legalidade da indemnização da atual secretária de Estado, mas também o cumprimento de todos os deveres de transparência pela TAP.

 

  Ao fim do dia de ontem...
Captura de ecrã 2022-12-28 104353.jpg

  David RibeiroUt sementem feceris, ita metes (Tradução: Cada um colhe o que planta). Esta frase bastante antiga foi usada pelo filósofo e orador Cícero (106-43 a.C.) em seu discurso sobre retórica intitulado Do Orador, escrito no ano 46 a.C. “Plantar” é metáfora das nossas ações, sejam elas quais forem. A ideia por trás da frase é que a vida é guiada por uma lei de causa e efeito, semelhante ao carma de algumas religiões. Se a “colheita” é boa ou má, isso não se deu de forma gratuita: é tão somente fruto das nossas ações.

 


Captura de ecrã 2022-12-28 120202.jpg
  Jose Pinto PaisRonaldo? Ahhh agora percebi o Rolls de Natal do Ronaldo .... 500 mil, está esclarecido

 


Captura de ecrã 2022-12-29 002823.jpg
Pedro Nuno Santos explicou, em comunicado, que "face à perceção pública e ao sentimento coletivo gerados em torno" do caso da TAP, decidiu "assumir a responsabilidade política e apresentar a sua demissão". Pedido aceite, pouco tempo depois, por António Costa.



Publicado por Tovi às 07:41
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 29 de Setembro de 2022
Alta velocidade Porto-Lisboa e as pontes sobre o Douro

Captura de ecrã 2022-09-28 165457.jpg

  Expresso de 28set2022
“Revolução” foi a palavra escolhida pelo ministro das Infraestruturas para classificar o que se passa na ferrovia neste momento – “não consigo utilizar outra palavra”, disse Pedro Nuno Santos na apresentação do projeto da alta velocidade esta quarta-feira [28set2022] no Porto. A nova linha, que se espera que esteja concluída em 2030, reduzirá o tempo de ligação entre Lisboa e Porto das atuais 2h49 para 1h15 mas um dos elementos mais destacados na apresentação foi o facto de servir todo o país, dada a ligação que terá às linhas ferroviárias já existentes.

 

  JN de 28set2022
A Infraestruturas de Portugal (IP) revelou, esta quarta-feira [28set2022], que a construção de uma única nova ponte, com um tabuleiro inferior que absorve a ponte D. António Francisco dos Santos e outro para a linha do TGV, sobre o rio Douro, está "totalmente viabilizada" do ponto de vista técnico. A decisão, que implica a anulação do concurso público que decorre para o projeto da ponte rodoviária, será tomada "nas próximas semanas", entre os autarcas e a tutela. 
"Do ponto de vista financeiro, é muito mais barato fazer uma ponte do que duas [sobre o rio Douro, ligando o Porto e Gaia]. A viabilidade técnica da fusão das duas pontes está comprovada. Esta é uma solução totalmente viabilizada. Será uma decisão dos senhores autarcas [do Porto e de Vila Nova de Gaia] e do senhor ministro [das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos]", disse Carlos Fernandes, do conselho de administração da IP. No Porto, no terminal ferroviário de Campanhã onde ontem de manhã foi apresentado o projeto de alta velocidade para ligação de Lisboa ao Porto e do Porto a Vigo, em Espanha, Carlos Fernandes avançou que a decisão "será tomada nas próximas semanas".

 


David Ribeiro - Não me parece mal... e esperemos que não haja mais "contratempos".
Bernardo Sá Nogueira Mergulhão
Anúncios do PS tem pouca validade, só vendo, no terreno ..Mas em teoria boa solução
David Almeida
🙈🙈🙈 soluções a pedido nunca chegam a lado nenhum!!! 🤔🤔🤔
João Pedro Maia
Vai demorar anos e anos... e Campanhã e o Areinho a definhar tal como a ponte Luís I....
Antonio BarretoAndam a distrair a malta !
Diogo CouceiroContinuo a achar que é mais fácil e barato fazer umas pontes. E muito mais seguro
Gonçalo G. MouraNão vai acontecer, mas e como de costume, vamos pagar o dobro do que seria gasto se efectivamente acontecesse... 🙄
Anselmo Nascimento
Será a notícia publicada já em 1998?
Pode ser uma imagem de 3 pessoas
Paulo SantosJá vimos o TGV ser apresentado umas 5 vezes ao longo de 20 anos, vamos lá ver se agora é que é



Publicado por Tovi às 07:45
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 1 de Julho de 2022
Abriu oficialmente a «silly season» em Portugal

  Capas dos jornais de hoje

j.jpg

 

  O que se ouve por aí
ANA está disponível para construção do Montijo já e melhorar Portela de forma mais modesta. Alcochete logo se vê.
Líder do CDS considera que Primeiro-ministro destruiu “a sua credibilidade e a do ministro em direto perante um país inteiro“.
Costa fica com gestão política do aeroporto e dá tempo a Montenegro para negociar.
Desautorização de Costa está longe de ser a primeira polémica de mandato marcado por tensões com TAP e Ryanair e até colegas de Governo.
No terramoto político de ontem em Portugal, Pedro Nuno Santos marcou-se como seguro. Só uma visão muito ingénua da política pode admitir que o processo de decisão sobre a construção de um novo aeroporto (ou de dois, no caso em concreto), já amplamente debatida com autarquias, com a ANA e outras entidades, anunciada pelo próprio ministro em "prime time" televisivo, possa ter sido omitido a António Costa e a outros membros do Governo. É muito difícil acreditar no acto de contrição do ministro das Infraestruturas quando tudo soa a tacticismo e sobrevivência. O desconforto é evidente. (Miguel Guedes no JN)
Da noite para o dia, passamos de ter tudo para voltar a ter tudo na mesma. (...) Se o país já tem problemas suficientes para perder tempo com a realpolitik, guerrilhas pelo poder e calculismos, menos tempo tem ainda para estas trapalhadas que fariam qualquer um corar de vergonha. (Manuel Molinos no JN)

 


1024.jpgNinguém terá dúvidas das ambições políticas de Pedro Nuno Santos no Partido Socialista, mas António Costa é “puta velha” (pardon my french) e não esquece alguns episódios recentes. Nos congressos dos PS não faltam também histórias que evidenciam um certo mal-estar entre ambos. Em 2018, quando Pedro Nuno Santos apresentou uma moção própria na reunião magna do partido, Costa sentiu necessidade de deixar um aviso aos potenciais sucessores: “Não meti os papéis para a reforma”. Postura diferente teve no último congresso, em agosto do ano passado, onde o tema da sucessão marcava as conversas de bastidores. Pedro Nuno Santos chegou atrasado e não falou – algo que foi interpretado como um novo sinal de desconforto. Já na última campanha eleitoral, no seu discurso em Aveiro, Pedro Nuno Santos não fez qualquer referência ao secretário-geral do PS.

 

  Pois!...
290645366_1072031600076744_8808076294219879780_n.p
290167333_10224816248565873_9166639169635573617_n.



Publicado por Tovi às 09:29
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 30 de Junho de 2022
Novo(s) Aeroporto(s) em Lisboa

img_800x533$2021_03_03_21_39_06_1017451.jpg

O Governo já decidiu qual é a estratégia para alargar a capacidade aeroportuária da capital. Alcochete é a grande aposta de longo prazo. Segundo fonte do Ministério das Infraestruturas, a decisão consiste em três passos. O primeiro é fazer algumas obras no imediato no Humberto Delgado, no sentido de aumentar o conforto e fluidez com o intuito de reduzir os atrasos, que não se devem só ao SEF. A intervenção implicará a relocalização da torre de controlo. Em segundo lugar, o Montijo já deverá ter aviões a aterrar em 2026. Serão necessários 12 a 18 meses para fazer uma Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) e mais três anos para obras. Neste caso, será preciso adaptar o projeto de execução a uma já existente Declaração de Impacto Ambiental (DIA). A tarefa será entregue ao LNEC, substituindo-se ao consórcio luso-espanhol composto pela Ineco e pela empresa portuguesa Coba - Consultores de Engenharia e Ambiente, facto que pode dar origem a um pedido de indemnização. Em terceiro lugar, o Governo avança, também, com a colaboração técnica do LNEC com o cenário de Alcochete, infraestrutura que poderá estar pronta em 2035. Nessa altura, Humberto Delgado e Montijo deverão fechar em definitivo, ficando Lisboa com apenas um aeroporto de grande capacidade (pode ir até quatro pistas, tal como sucede atualmente em Barajas, Madrid). Ou seja, Alcochete é a grande aposta de longo prazo. O problema começou a ser estudado há 50 anos. Portugal já discutiu 17 localizações possíveis para o novo aeroporto de Lisboa. No tempo de José Sócrates, estudou-se a opção Ota, depois surgiu Alcochete, entre vários outros cenários.

 

  Marcelo é sempre o último a saber
290031045_10221595371541492_4121606933734871834_n.
  O ministro das infraestruturas, Pedro Nuno Santos, disse, em entrevista à RTP, que “foi sempre havendo conversas“ com o Presidente da República, mas que não informa Marcelo Rebelo de Sousa de todas as decisões que toma no seu gabinete.

 

  9h44 de 30jun2022
Captura de ecrã 2022-06-30 095848.jpgO primeiro-ministro determinou a revogação do despacho de Pedro Nuno Santos sobre aeroporto de Lisboa. Em comunicado, o primeiro-ministro "determinou ao Ministro das Infraestruturas e da Habitação a revogação do Despacho ontem publicado sobre o Plano de Ampliação da Capacidade Aeroportuária da Região de Lisboa". António Costa diz ainda que "a solução tem de ser negociada e consensualizada com a oposição, em particular  com o principal partido da oposição e, em circunstância alguma, sem a devida informação prévia ao senhor Presidente da República", acrescentando que "compete ao primeiro-ministro garantir a unidade, credibilidade e colegialidade da ação governativa". Na mesma nota, o primeiro-ministro acrescenta que irá ouvir, "assim que seja possível", o líder do PSD "para definir o procedimento adequado a uma decisão nacional, política, técnica, ambiental e economicamente sustentada".
  
David Ribeiro - Um a zero no dérbi de Marcelo contra Pedro Nuno Santos.
Raul Vaz Osorio - Não é hipótese, o Costa já disse com todas as letras que ou se demite ou é demitido. O que esta historia faz, é transformar o governo num circo, só que os palhaços somos nós 
David Ribeiro - Segundo se consta [à hora do almoço de hoje, 30jun2022] o ministro das Infra-estruturas e da Habitação não tenciona apresentar um pedido de demissão e que já comunicou essa decisão ao primeiro-ministro. Pois assim seja... Costa não deverá ter receio algum deste "fazer peito" de Pedro Nuno Santos. 
Paulo Teixeira - David Ribeiro e se tiver já sabemos como vão ser os próximos tempos 
Carlos Wehdorn - David Ribeiro categoria!  

 


Captura de ecrã 2022-06-30 212756.jpgPrimeiro-ministro, que respondeu a várias perguntas dos jornalistas, diz que mantém a confiança no seu ministro e que agora está tudo bem. Pedro Nuno Santos, que respondeu só a uma pergunta dos jornalistas, acha que não manchou nada e que também está tudo bem. Marcelo, que não respondeu a qualquer pergunta dos jornalistas, pede um aeroporto rápido para que fique tudo bem.
  
A polémica em torno do despacho de Pedro Nuno Santos apanhou o próprio PS de surpresa. Na quarta-feira à noite, um deputado socialista defendia a solução anunciada pelo ministro das Infraestruturas.Já esta quinta-feira, depois do polémico comunicado do gabinete de António Costa a desautorizar o ministro, Mariana Vieira da Silva mostrou dificuldades em esconder o mau estar dentro do Governo.
  O comentador da CNN Portugal Sérgio Sousa Pinto analisou esta quinta-feira o desfecho da polémica entre o primeiro-ministro e o ministro das Infraestruturas e da Habitação, considerando que o Governo não sai bem deste incidente e que com este desfecho da polémica entre o primeiro-ministro e o ministro das Infraestruturas e da Habitação, poderão vir a estar criadas as circunstâncias que levem o Presidente da República a interromper o ciclo político. 
  Ministro das Infraestruturas e Habitação assume "inteira responsabilidade" pela "falha relevante" relativamente à decisão tomada sobre o novo aeroporto, que atribui a um "erro de comunicação" com o primeiro-ministro.
  Como a esperança é a última coisa a morrer, eu ainda tenho uma vaga esperança que António Costa não tenha demitido Pedro Nuno Santos por ainda não ter substituto à altura deste ministério. 
  Marcelo colocou três condições ao Executivo: Primeira, que haja sobre a matéria em causa "uma solução relativamente rápida"; Segunda, que seja uma solução "consensual" como "o primeiro-ministro prometeu"; Terceira, que seja uma solução "consistente do ponto de vista político, técnico e legal". Ou seja, uma solução "fazível". E por fim, o mais relevante do ponto de vista político: "para que isto seja possível", afirmou o Presidente, é preciso acertar na "escolha" do ministro.



Publicado por Tovi às 09:02
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Sexta-feira, 16 de Outubro de 2020
As quatro rotas da TAP no aeroporto do Porto

Anotação 2020-10-16 091905.jpg
Se as quatro rotas criadas recentemente no aeroporto do Porto (para Amesterdão, Milão, Zurique e Ponta Delgada) são "neste momento um prejuízo para a TAP", então ‘bora lá, senhor ministro Pedro Nuno Santos, acabar com elas… mas depois não nos venha dizer que é preciso mais dinheiro para a transportadora aérea.

 

   Comentários no Facebook

Rui Moreira - As boas notícias da TAP. Pelos vistos, são as quatro rotas do Porto que dão prejuízo à TAP. As rotas de Lisboa darão lucro. A nova rota Lisboa/Bilbau deve ser um “must” em termos de rentabilidade e importantíssima para uma estratégia nacional. Promover visitas ao Gugenheim basco é “top”. Mas, senhor Ministro, são boas notícias. Se são as quatro rotas do Porto que dão prejuízo, pare com elas. Mas, por favor, incorpore a TAP na Carris ou na muito rentável Soflusa. Nós não nos importamos, havemos de encontrar uma solução. Para Lisboa é óptimo: fica com a TAP que, sem o prejuízo do Porto, deixa de ser um perdócio. Para o resto do país - para a província em que alegremente nos incluímos - é uma maravilha, porque a TAP deixa de nos custar dinheiro.
 
 
   Afinal...

Anotação 2020-10-17 184648.jpg



Publicado por Tovi às 09:19
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 31 de Julho de 2020
Acidente grave com um Alfa Pendular

mw-860.jpg

Às 15h30 de hoje o descarrilamento de um comboio Alfa Pendular, que seguia no sentido Sul-Norte com 212 passageiros, na região de Soure, em Coimbra, provocou pelo menos dois mortos, segundo informou aos jornalistas no local o presidente da Junta de Freguesia de Soure, Santos Mota. As vítimas mortais são os trabalhadores de uma máquina de manutenção da linha em que o comboio embateu e que foi arrastada ao longo de cerca de 300 metros. Fonte da Proteção Civil indicou que há seis feridos "de média gravidade" - um deles, o maquinista, "a inspirar mais cuidados" - e cerca de três dezenas ligeiros. Estão no terreno 175 operacionais, apoiados por 68 veículos e dois meios aéreos. Foi criado um hospital de campanha no local para dar assistência aos feridos.

 

  Ministro das Infraestruturas lamenta acidente ferroviário ocorrido na Linha do Norte
O Ministro das Infraestruturas e da Habitação lamenta o acidente ferroviário que ocorreu esta tarde na Linha do Norte, do qual resultaram duas vítimas mortais, trabalhadores da Infraestruturas de Portugal, sete feridos graves e cerca de três dezenas de feridos ligeiros, e apresenta as suas mais sinceras condolências aos familiares, amigos e colegas das vítimas e votos de rápidas melhoras aos passageiros do Alfa Pendular que ficaram feridos no acidente. O Ministro Pedro Nuno Santos realça a pronta e eficaz capacidade de resposta dos meios de socorro no local, nomeadamente da Proteção Civil, INEM, bombeiros, GNR e da Câmara Municipal de Soure, na figura do seu Presidente. O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF) vai iniciar imediatamente o trabalho de investigação para apurar as causas do acidente e daí retirar todas as ilações. O comboio é um dos meios de transporte mais seguros, não estando em causa a segurança ferroviária. O Alfa Pendular, bem como a infraestrutura e sinalização da Linha do Norte, são sistemas tecnologicamente avançados, dotados de mecanismos modernos de segurança, o que infelizmente não impediu a ocorrência deste acidente, que carece agora de esclarecimentos sobre as suas causas.

   Especialista diz que o que se passou foi "criminosamente grave"
Luís Cabral da Silva, especialista em Transportes e Vias de Comunicação, considerou que o acidente com o comboio Alfa Pendular, em Soure, que vitimou duas pessoas, foi "criminosamente grave" e "inexplicável”. "Não se percebe como é que um comboio Alfa Pendular vá bater numa dresina (máquina) que está a fazer a manutenção da linha onde o comboio vai passar. Isto é um exemplo da irresponsabilidade completa", afirmou o especialista à agência Lusa. No entender de Luís Cabral da Silva existem "várias questões técnicas que falharam e que motivaram este acidente. Em rigor, o comboio não deveria lá chegar por causa do controle de velocidade. Pelos vistos chegou e bateu. Não se programa a viagem de um comboio pendular por uma linha que tem lá trabalhos de manutenção. Isto não entra na cabeça de ninguém", criticou. O especialista questionou ainda o facto de o sinal da linha não estar fechado e de não ter existido "qualquer comunicação" sobre a presença da máquina no local. "Quem é que a mandou para lá? Acho que isto não se deve fazer durante o dia. Tudo isto aponta para uma grande incompetência criminosa da Infraestruturas de Portugal", sublinhou.

 Carlos Cipriano, do jornal Público, 1 de Agosto de 2020, 0h59
Máquina de serviço passou sinal vermelho e embateu num Alfa. Gabinete de investigação já recomendara em 2018 a instalação nestes veículos de sistema de que os trava quando passam sinal vermelho. Infraestruturas de Portugal alegou falta de “cabimentação financeira”. As máquinas de inspecção da catenária, como aquela que esta sexta-feira se envolveu num grave acidente com um Alfa pendular à saída de estação de Soure, em Coimbra - do qual resultaram dois mortos, seis feridos de média gravidade, um grave e 36 ligeiros - não têm um sistema de controlo de velocidade (Convel). Este equipamento trava automaticamente o veículo quando passa um sinal vermelho. Existem em todos os comboios menos nestas máquinas de serviço.

 

  GPIAAF – Breve descrição do acidente com o Alfa Pendular
Acidente Alfa 31jul2020.jpg



Publicado por Tovi às 17:46
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)

Domingo, 27 de Maio de 2018
O que me ficou do Congresso do PS

22 congresso ac.jpg

Acabado o XXII Congresso do Partido Socialista, que acompanhei com interesse e cuidado, ficaram-me algumas coisas, umas mais importantes que outras, mas todas dignas de registo.

 

“Não vale a pena varrer para debaixo do tapete o que nos envergonha” – Ana Gomes.

 

Mais uma vez, e unicamente no que concerne à Geringonça e à liderança de António Costa, estou em muito de acordo com o que Francisco Assis tornou a dizer hoje numa reunião magna do PS. E ouvi por lá umas palmitas, não muitas, é certo, mas ouvi algumas.

 

Pedro Nuno Santos, um socialista de esquerda, mais à esquerda que a própria esquerda. Guardem para memória futura o que ele ontem disse no XXII Congresso do PS: De Marx a Costa – as nove frases-chave de Pedro Nuno Santos.

Augusto Santos Silva e Pedro Nuno Santos não partilham da mesma opinião sobre a Geringonça e isso é bom para a Democracia.

 

Não houve cromos tipo Tino de Rãs neste Congresso. A tradição já não é o que era.

 

Centeno ainda não apareceu no Congresso do PS. Estará ainda a preparar uma qualquer folha de excel?
Afinal apareceu... mas só para o discurso do chefe.



Publicado por Tovi às 14:54
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Janeiro 2023
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9



31


Posts recentes

O dia seguinte ao "terram...

A ética... e os invejosos

Alta velocidade Porto-Lis...

Abriu oficialmente a «sil...

Novo(s) Aeroporto(s) em L...

As quatro rotas da TAP no...

Acidente grave com um Alf...

O que me ficou do Congres...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus