"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Domingo, 6 de Novembro de 2016
Castanhas Assadas no Forno

castanhas.jpg

Hoje deliciei-me com umas castanhas assadas (assadas no fogão cá de casa), devidamente acompanhadas por uma Jeropiga. É muito simples… e ficaram uma “marabilha”. É assim:

Golpear as castanhas; Cobrir um tabuleiro de ir ao forno com sal grosso, espalhando sobre este as castanhas, sem as sobrepor; Polvilham-se as castanhas com mais sal grosso; Dependendo do tamanho das castanhas deverão assar no forno a 200ºC entre 35 a 45 minutos; Deixar tostar a gosto.
Há quem as polvilhe com alecrim… eu cá não gosto.

A jeropiga era (era, porque já foi toda) um vinho licoroso com o pomposo nome de «Chanceleiros» (15,5% de álcool) feito pela “Companhia das Quintas – Vinhos, SA” de Sangalhos, que estava perfeito para o efeito.

  Comentários no Facebook

«Maria Vilar de Almeida» >> QUE BELAS?! Assadas em casa... ou no jardim?! Se for dentro de casa quero saber como é... para também poder fazer. BOM PROVEITO!

«José Camilo» >> Muito bom aspecto. Bela foto.

«David Ribeiro» >> A foto não é minha... Roubei-a na NET [Emoji wink;-)]

«José Camilo» >> Também quem andou a arruma-las muito bem arrumadinhas deve-se ter queimado uma série de vezes.... [Emoji smile:)]

«José Luis» >> Moreira Que benhamanhadas!...

«Zé Carlos» >> Isso é uma delicía e viciante... come-se uma e mais uma e mais uma e mais uma

«Maria Teresa de Villas-Boas» >> Bom apetite. As castanhas tem um aspecto delicioso

«Jorge Veiga» >> Para assar, golpear como estão as do David Ribeiro (pelo dorso). Para cozer, golpeá-las longitudinalmente... Quando ficam mais baratas ou quando mas dão, golpeio-as e congelo-as. Tenho castanhas até ao ano seguinte. A utilizar sem descongelar, para cozer ou assar.

«David Ribeiro» >> Muitas vezes ao longo do ano compro das congeladas para utilizar como acompanhamento nos assados.

«Jorge Veiga» >> David Ribeiro também saõ boas para isso, mas se conservares com a casca e cortadas, tens castanhas todo o ano.

«Rafael Maciel Oliveira» >> Estao devidamente apresentadas e douradinhas

«Maria Helena Costa Ferreira» >> que maravilha!!!!!

«Elisabete Loureiro» >> Com um jeitinho, ainda vou ver o David Ribeiro e o Jorge Veiga, de boné e um carrinho à porta de São Bento a apregoar "quentes e boas"! 😂 Percebem da poda!!!

«Maria Vilar de Almeida» >> Vou tentar fazê-las este Fim de Semana, Davidzinho... obrigada pela receita! [Emoji heart<3]... a Alicinha gosta?!

«David Ribeiro» >> A Alice adora.

«Maria Vilar de Almeida» >> É cá das nossas!! [Emoji wink]

«Jose Ventura Alves Vieira» >> Manda Algumas abraço

«Ana Alyia» >> David, permita-me dizer que o sr é um grandessíssimo sovina, egoísta e demais adjetivos semelhantes!!!!!!!!!!!!! Custava muito ter convidado??? Custava?????? bbbhhhhaaaaa para castigo vai ficar gordo que nem um barril com pernas!! Estou mesmo zangada, não se faz [Emoji frown:(] eu adoro castanhas assadas e não provei nem umazinha [Emoji frown:(]

«David Ribeiro» >> Sou sovina, egoísta e vou ficar (já estou) gordo... mas partilhei a receita, que eu não sou invejoso [Emoji wink]



Publicado por Tovi às 15:59
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 2 de Agosto de 2010
Príncipe Real Bruto Natural

Bebi no passado fim-de-semana um Príncipe Real Bruto Natural, um espumante branco feito pelas Caves do Freixo SA com uvas das castas Maria-Gomes (Fernão Pires) e Bical, um vinho austero mas agradável, ideal para acompanhar refeições. Estava em promoção no hipermercado Continente de Matosinhos (desconto em cartão: 50% para compras em Agosto e 25% para compras em Setembro) o que fez o preço de 7,59€ (garrafa de 75cl) passar para uns muito agradáveis 1,87€, um preço fabuloso e mesmo a calhar nestes tempos de crise.

 

As CAVES DO FREIXO foram fundadas em 2001 por um grupo de apreciadores de vinho. É uma média empresa com instalações na Vila de Sangalhos (área geográfica da Denominação de Origem da Bairrada) onde numa área coberta de 9.000 m2 estão instaladas as linhas de engarrafamento e a zona de armazenamento de 3.000.000 litros em depósitos, além da linha de produção de espumantes naturais, vinificados por produtores da região pelo processo de bica-aberta (esmagamento de uvas suavemente) e fermentados em pequenas vasilhas. Nas suas caves estão em estágio 2.000.000 de garrafas, sob a responsabilidade do enólogo Rui Moura Alves, designado pela “Revista de Vinhos” o enólogo do ano em 2001.


«Eduarda Fernandes» in Facebook >> Por acaso na 6ª feira comprei uma garrafa desse, também para aproveitar o preço. Não sou apreciadora de vinhos... sou mais de doces :D

«João Garcês» in Facebook >> @David - já experimentou um Murganheira Bruto Rosé, ou um Murganheira tinto? São de uma Adega em Lamego e eram propriedade do BCP. Salvo erro a adega está à venda. Já não se encontram muitos em circulação. Se encontrar algum agarre-o. O preço varia entre os 4 a 5 euros. vale a pena.

«Eduarda Fernandes» in Facebook >> Murganheira a 4 ou 5 euros????? Mas onde é isso? :O

«David Ribeiro» in Facebook >> Também não estou a ver onde é que há Murganheira a esse preço... Eu conheço muito bem a MURGANHEIRA e toda a sua gama de espumantes e de vinhos tranquilos. E também não acredito que esteja à venda... antes pelo contrário, é ela que muito provavelmente estará compradora de outras casas, como já aconteceu com a Raposeira.

«João Garcês» in Facebook >> @ David - a notícia veio no DN, aquando do escândalo no BCP. A partir daí nunca mais ouvi nada e de facto também nunca mais encontrei o Murganheira. @Eduarda - a última garrafa que comprei foi um tinto, numa adega particular em Tavira e custou-me 4.6 euros

«David Ribeiro» in Facebook >> Meu caro João Garcês... as CAVES DA MURGANHEIRA (Sociedade Agrícola e Comercial do Varosa, em Tarouca) é um império na produção e comercialização de espumantes e vinhos de qualidade, tendo comprado em 1998 a Tapada do Chaves (Portalegre) e em 2002 a Raposeira (Lamego). Quem estava ligada ao BPN (e não ao BCP) era a Partinvest SGPS (holding dedicada ao sector agro-industrial) e que tinha na altura da "bronca do BPN" uma participação nas Caves da Murganheira.

«João Garcês» in Facebook >> @ David - obrigado pelas explicações. Sim, era o BPN, mas de facto nunca mais vi nenhuma Murganheira? sabe onde estão?

«David Ribeiro» in Facebook >> Há vinhos das Caves da Murganheira nos hipermercados Continente e em todos as boas garrafeiras... os seus preços é que são um bocadto puxados para as bolsas de quem está na crise.

«João Garcês» in Facebook >> @david - há mt tempo que não vejo nenhum. Vou estar mais atento.

«João Barbosa» in facebook >> espumante! agora ia bem um... com marisco :-P

«David Ribeiro» in Facebook >> Espumante vai bem com tudo... tudo não, com pão com manteiga é capaz de não ir muito bem. ;-)

«Pão de Ló De Margaride» in Facebook >> A sociedade lusa de negócios, antiga proprietária do banco português de negócios, é a proprietária da Varosa. Possivelmente deve estar à venda tal como foi vendida a Real Seguros e outras empresas do grupo.

«David Ribeiro» in Facebook >> A informação que eu tenho, e que até pode não ser correcta, diz que a Sociedade Lusa de Negócios (SLN) vendeu as empresas Raposeira, Tapada do Chaves e Murganheira aos restantes administradores destas sociedades, sendo neste momento o "homem forte" da Murganheira o empresário lamecense prof. Orlando Lourenço.




Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9

20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Posts recentes

Castanhas Assadas no Forn...

Príncipe Real Bruto Natur...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus