"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."

Quarta-feira, 28 de Outubro de 2020
Assim vai a pandemia em alguns países da EUROPA

europa .jpg

  • As hospitalizações na BÉLGICA estão a subir a um ritmo semanal de 88%, com 502 internamentos diários em média, enquanto as mortes associadas ao Sars-CoV-2 se situaram na média diária de 48,3 óbitos, uma alta semanal de 50%.
  • Em ESPANHA estão hospitalizados em todo o país 16.008 pessoas infetadas com o novo coronavírus, das quais 2.183 estão em UCI.
  • No REINO UNIDO 1.142 pessoas foram hospitalizadas por causa do novo coronavírus, que já provocou a morte a 44.998 infetados e mais de 890.000 contágios.
  • Os infetados com covid-19 nas UCI da ITÁLIA são já 1.284 e crescem a uma média diária de 90 pessoas, o que faz temer que, em poucas semanas, os hospitais possam entrar em colapso, tal como ocorreu em março.
  • Nos últimos sete dias, os hospitais da FRANÇA registaram 13.066 internamentos devido ao novo coronavírus. Segunda-feira, segundo os dados avançados pela Agência de Saúde Pública (ASP) francesa, estavam hospitalizados 17.784 pacientes, 2.770 nas UCI.
  • Na HOLANDA estão hospitalizados devido ao novo coronavírus 2.249 pacientes, com 506 deles nas UCI.
  • A ROMÉNIA registou nas últimas 24 horas 104 mortes associadas à covid-19.
  • PORTUGAL contabilizou hoje mais 28 mortos relacionados com a covid-19 e 3.299 novos casos confirmados de infeção.
  • REPÚBLICA CHECA acumulou cerca de 163 mil infeções desde o início da pandemia, com 5.613 pacientes hospitalizados, 800 deles em estado grave.
  • O sistema de saúde na RÚSSIA está a trabalhar hoje em toda a sua capacidade.
  • A falta de pessoal nos hospitais está a converter-se num dos principais problemas para assistir os doentes com coronavírus na ALEMANHA, onde o número de pacientes nas UCI duplicou em duas semanas.


Publicado por Tovi às 07:02
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 5 de Setembro de 2020
A vacina russa para combater o vírus SARS-CoV-2

118849714_10218155296821774_9106359342169505022_o.

The Lancet, uma das mais prestigiadas revistas científicas do mundo acaba de publicar os dados dos testes da primeira vacina russa contra a COVID-19. Menos de um mês após o registo da vacina, The Lancet publicou ontem os resultados das primeiras duas fases de testes clínicos do medicamento, algo que era muito aguardado pela comunidade científica mundial. O material publicado responde às críticas de especialistas estrangeiros e traz a tão esperada clareza sobre o desenvolvimento do medicamento pelos cientistas russos. Fica assim aceite que a Sputnik V, sendo a primeira vacina contra a COVID-19 registada na Rússia e no mundo, não só é eficaz no combate ao coronavírus SARS-CoV-2 como a sua aplicação é segura.

 

   Comentários no Facebook

Raul Vaz OsórioNão é verdade. Em primeiro lugar, o Lancet fez uma publicação de tipo informal, não é uma publicação com "chancela" após peer review. A confusão é natural, muita gente desconhece a existência deste tipo de publicações que são mais "jornalísticas" do que científicas, mas é um facto. Depois os testes das fases divulgadas não garantem em termos médicos a eficácia e muito menos a segurança da vacina. É bom que se faça esta publicação, não me interprete mal, mas ainda estamos a anos luz das conclusões que tirou. Há uma campanha de marketing politico desenvolvida por Putin sobre este assunto, tal como há por outros lideres populistas deste mundo, parecem traças á volta do candeeiro. Aconselho o meu amigo David a ler todas as notìcias deste cariz com um grão de sal. Um abraço

David RibeiroCaríssimo Raul Vaz Osorio… Como é óbvio tenho muito pouco saber para falar deste assunto e o que escrevi foi o que li. Dizia também o artigo, referindo-se às conclusões da The Lancet: “Um dos maiores receios da comunidade científica em relação ao uso de vacinas na base de vetores de adenovírus do ser humano – é este precisamente o método usado pela vacina Sputnik V – seria a existência anterior em algumas pessoas de imunidade em relação aos adenovírus. Em outras palavras, havia o receio de que esta imunidade não deixasse entrar no organismo a quantidade necessária de adenovírus humano, que na vacina exerce a função de "táxi", levando às células o material genético da membrana externa do coronavírus (é bom lembrar que a vacina Sputnik V não contém o próprio coronavírus, o que excluiu completamente a possibilidade de infecção). Considerando que as pessoas habitualmente adoecem por adenovírus (um exemplo é o simples resfriado), nelas pode-se formar imunidade, a qual teoricamente poderia reduzir a eficiência da vacina, que usa adenovírus como vetor. Os resultados dos testes acabaram mostrando o oposto: a imunidade pré-existente não influencia a eficiência da vacinação.”

Raul Vaz Osório - Sim, eu apenas quis esclarecer. Quanto ao esquema dos 2 vectores diferentes para cada dose é interessante embora não seja assim tão inovador como sugerido. Não é por aí, esse destaque faz parte da tal campanha de marketing.

 

   Dados atualizados ao dia de hoje
COVID-19 Mundo 05set.jpg



Publicado por Tovi às 07:49
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 29 de Julho de 2020
COVID-19 em Portugal... durante 4 meses e meio

COVID-19 Norte e Lisboa V Tejo 29jul.jpg
COVID-19 Caracterização clínica 29jul.jpg

COVID-19 Mundo 28jul.jpg



Publicado por Tovi às 14:12
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 25 de Maio de 2020
A pandemia terminará em Portugal em 18 de julho?

Captura de Ecrã (242).png
   Notícia completa aqui

 

Segundo o britânico Daily Mail, pesquisadores da Universidade de Tecnologia de Singapura desenvolveram um complexo modelo matemático denominado “modelo SIR” (suscetíveis — infetados — recuperados), que com base na atual tendência dos casos de Covid-19, prevê a data exata em que a pandemia terminará em vários países por este mundo fora. Assim, por exemplo, para Portugal os cientistas estimam o fim da pandemia para 18 de julho, para Singapura em 19 de julho, Reino Unido em 30 de setembro, Itália em 24 de outubro e EUA em 11 de novembro.

 


A diretora do departamento de Saúde Pública da Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou hoje que é "cada vez mais" improvável uma segunda grande vaga do novo coronavírus, mas aconselhou muita prudência. Maria Neira considerou que se "baixou tanto a taxa de transmissão que o vírus terá dificuldade em sobreviver". "Devemos ter muita prudência em afirmar se este é o fim da vaga, mas, pelo menos, os dados mostram que se evitou a transmissão e explosão das primeiras semanas", declarou.



Publicado por Tovi às 07:58
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 15 de Maio de 2020
A segunda fase do desconfinamento

norte 14mai.jpg
mundo 14mai.jpg

O Norte continua a ser em Portugal a região mais flagelada pelo COVID-19, embora o número de mortes apresente já uma evolução menos agressiva do que a que se verificou nas primeiras cinco semanas da pandemia. E por tudo isto é importante saber quais as decisões que o Governo irá tomar sobre a segunda fase do desconfinamento, após a reunião que teve lugar ontem no Infarmed com a presença do Presidente da República, do primeiro-ministro, de representantes de partidos e dos parceiros sociais, mais diversos especialistas, onde se analisou a situação epidemiológica.

À saída desta reunião Jerónimo de Sousa falou de um “misto de incerteza e confiança …/… Tendo em conta os internamentos e os recuperados, nota-se uma tendência positiva por parte da ciência que demonstra que é possível aplicar medidas de confinamento como aquelas que recentemente aconteceram …/… temos um longo caminho a percorrer”. E pediu um “reforço do Sistema Nacional de Saúde que deu resposta e continua a dar resposta, seja no plano orçamental, seja no plano de conseguir mais profissionais”. No plano da indústria, solicitou um “reforço das medidas de higiene e segurança dos locais de trabalho …/… É preciso retomar a atividade com a normalidade, mas acompanhada de proteção especial a quem trabalha e a quem se desloca para o trabalho”.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, declarou após a reunião no Infarmed que "O desconfinamento em Portugal, começado a partir do dia 03 de maio, foi um desconfinamento muito contido. Os portugueses foram sensíveis àquilo que lhes foi pedido de fazerem a abertura por pequenos passos, portanto, a grande maioria continuou a ser muito contida. O que quer dizer que não temos muitos dados que permitam retirar conclusões firmes".



Publicado por Tovi às 07:59
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 5 de Maio de 2020
Donald Trump e a origem do surto do novo coronavírus

95613708_3205861619447069_688192264924561408_n.jpg

O presidente dos Estados Unidos da Amérca afirmou recentemente que viu provas que lhe dão "um alto grau de confiança" de que o covid-19 foi produzido num instituto de virologia em Wuhan, na China, mas recusou-se a entrar em pormenores. No entanto esta declaração contradiz aquilo que terá sido apurado pelos serviços secretos americanos, cujo diretor, algumas horas antes desta declaração de Trump, anunciou esta a ser feito um "exame rigoroso" sobre o que esteve na origem do surto de coronavírus, acrescentando que ainda não existem conclusões. Outras fontes, citadas pela estação de televisão CNN, garantem não haver qualquer teoria comprovada sobre o facto de a pandemia ter tido origem num acidente de laboratório ou através de animais. Ainda assim, questionado sobre se tem informações se o surto é de origem laboratorial, Donald Trump disse: "Sim, eu tenho." Mas sobre o grau de fiabilidade dessa informação, respondeu: "Não lhe posso dizer isso. Não tenho permissão para lhe dizer isso."

 

   COVID-19 - Dados da WHO ao dia de ontem
mundo 4mai.jpg

  COVID-19 - Situação em Portugal e na Região Norte em 5mai2020

25702 casos confirmados (15199 na Região Norte)
1074 mortos (613 na Região Norte)

De acordo com a Direção-Geral da Saúde (DGS), registaram-se na Região Norte nas últimas 24 horas mais 4 mortes, o número mais baixo das últimas semanas, sendo preciso recuar a 21 de março para encontrar um valor inferior. Mas a má notícia é que o boletim epidemiológico da DGS indica que houve, pela primeira vez, um óbito abaixo dos 30 anos. Até agora, todas as vítimas mortais da pandemia no país tinham mais de 40, sendo que a esmagadora maioria (87%) tinha mais de 70.
norte 5mai.jpg



Publicado por Tovi às 10:32
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 3 de Maio de 2020
COVID-19 - a doença que nunca mais nos larga

A doença COVID-19 é causada pelo vírus SARS-CoV-2 (em Inglês: Severe acute respiratory syndrome coronavirus 2), altamente contagioso entre seres humanos e cujas primeiras infeções conhecidas foram na cidade chinesa de Wuhan, na província de Hubei, no mês de dezembro de 2019.

   Mortes por milhão de habitantes (em países com grande incidência)
mundo 2mai.jpg

  Situação na Região Norte de Portugal
norte 2mai.jpg

 

   Sondagem da Pitagórica

Após ser conhecida hoje uma sondagem da Pitagórica (para JN e TSF) a evolução das intenções de voto fica assim:
Captura de Ecrã (180).png



Publicado por Tovi às 07:13
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 14 de Abril de 2020
Mais um disparate da TVI

93839061_2883342271754135_8916048761545818112_n.jp
Foi esta a conclusão a que chegaram uns "intelectuais", daqueles que mandam bitaites nas tv's nacionais, sobre os motivos porque o Norte foi mais castigado pelo COVID-19. Já não há paciência para tanta estupidez.

   Comentários no Facebook

David Ribeiro - Segundo os “intelectuais” que mandam bitaites na TVI sobre este assunto, seguramente que Espanhóis, Italianos, Belgas, Franceses, Holandeses, Britânicos, Suíços e Suecos têm uma “população menos educada, mais pobre, envelhecida e concentrada em lares” do que na Região Norte de Portugal (onde as mortes por milhão de habitantes são de 82,1).
mundo morte p m 13abr.png

Raul Almeida - Isto é a população do Norte. Agora imaginem como será quem escreve e quem permite que se publique uma coisa destas. Há alturas em que percebemos que o país tem problemas infinitamente maiores do que o COVID-19. Para o Covid é previsível que venha a haver cura ou vacina.

António Alves - Há quem ache que o Norte é uma realidade homogénea. Que o interior transmontano ou o Tãmega é igual ao Grande Porto e ao Litoral. Na Itália é precisamente a região mais rica e industrializada, a de Milão, a que tem mais casos. Em Portugal são igualmente os concelhos mais industrializados da Área Metropolitana do Porto e Norte Litoral os mais afectados. E também dos mais ricos do país, em poder de compra per capita - Porto, Matosinhos, Maia, Braga, Gaia -, depois de Lisboa e Oeiras. Como diz o meu amigo Pedro Sousa Chichorro, a falta que o futebol faz a muita gentinha.

Carlos Amadis - Porque é que a televisão está em decadência? Por isto. Para a TVI, a população do Norte é menos educada. No Sul as pessoas são mais educadas e formadas. Os lobbys não querem a Regionalização para poderem continuar a manter o status quo do País. Manter o "stablishment" nas pessoas de forma a intocar a Narrativa de um País a duas velocidades e a dois níveis civilizacionais. O problema não é Lisboa. Lisboa é linda. O problema são os saloios de Lisboa. Eu tenho nojo da Comunicação Social Portuguesa.

Rui Moreira - (...) O “Norte”, esse ponto cardeal que a TVI confunde com o Porto e vice-versa, e que imagina Viana do Castelo como uma freguesia da cidade Invicta e Braga como a sua periferia, não está provado que tenha gente mais mal-educada ou mais bem-educada do que Lisboa, da mesma forma que não se provou ainda que Lisboa tenha mais ou menos estúpidos que a Amadora, como na mesma lógica da TVI, seria apropriado dizer-se. (...)

Ana Alyia - Pela mesma lógica eu não apanho covid sendo que sou educada, não sou tão pobre ainda não sou velha e não vivo em lar. Já estou a imaginar o vírus a fazer uma seleção criteriosa "és educado? Ah ok então vou procurar outro para atacar". Valhamedeus nunca ouvi afirmação tão descabida.

Nuno Botelho - Há uma legitima indignação a respeito da peça de ontem da TVI sobre as razões da incidência do Covid19 no Norte. A própria TVI já veio apressar-se a pedir desculpas, reconhecendo a gravidade do disparate. A grande verdade é que o Norte é a região mais exportadora do país, com forte espírito empreendedor que a leva a sair de portas para fazer negócios e a procurar novos mercados, com um peso relevante da indústria (e não há indústria em tele-trabalho...). Como em Itália, também em Portugal houve um maior número de casos na região mais dinâmica e mais aberta ao mundo. Ao contrário de Lisboa, que centraliza Estado, despesa e funcionários, além de concentrar a quase totalidade das compras e dos fornecimentos públicos, como explica oestudo da Associação Comercial do Porto sobre o tema. O Norte pode não ser a Lombardia, mas Lisboa cai demasiadas vezes na tentação de um certo imperialismo romano.

   Comunicado do Diretor de Informação da TVI, Sérgio Figueiredo

O Jornal das 8 de ontem emitiu uma peça que pretendia explicar os motivos que levam a Região Norte a constituir-se como a parte do território nacional onde a Covid-19 regista um número bastante superior de casos positivos e de óbitos devido à pandemia, face às outras regiões.
Desde o primeiro momento em que o assunto foi internamente discutido, logo na reunião da manhã de preparação do jornal – onde participou o editor habitual do Jornal das segundas-feiras, Miguel Sousa Tavares, o pivot José Alberto Carvalho, eu próprio e outros editores da TVI – a preocupação era legítima e construtiva: porquê e como responder àquelas populações particularmente afetadas?
Do ponto de vista jornalístico é normal que se questionem as razões que, numa só região, e segundo os dados oficiais, se registem 60% de todas as pessoas infetadas e 57% dos óbitos do país devido à doença. E do ponto de vista social consideramos que questionar é o primeiro passo para encontrar as respostas necessárias na resolução do flagelo.
Os nossos procedimentos foram os de sempre: à nossa jornalista destacada para a conferência de imprensa diária da DGS foi pedido que procurasse junto das Autoridades de Saúde uma explicação; o José Alberto Carvalho perguntaria sobre isso ao epidemiologista entrevistado em direto no Jornal (o que aconteceu) e a autora da reportagem recolheu a análise de vários especialistas, dois aceitaram ser entrevistados e entraram na peça.
Apesar de todas as redações que produzem jornalismo estarem a trabalhar em condições terríveis, em que nenhum de nós até hoje tinha vivido, a TVI fez o que estava certo: questionou algo relevante, falou com quem sabe e produziu uma reportagem com uma intenção genuinamente construtiva e socialmente relevante.
Isto não justifica, porém, a construção de uma frase infeliz no ecrã, nem a parte do texto que a suportava. Nomeadamente aquela que, entre as razões demográficas e sociológicas indagadas, sugeria níveis de educação abaixo da media nacional. Essa frase foi por muitos interpretada como uma ofensa às gentes do Norte – o que não era evidentemente o nosso propósito.
Nem é essa a tradição da TVI, que historicamente mantém uma relação de grande proximidade com as populações e de ligação à Região. No caso concreto da Informação, concentramos boa parte dos nossos recursos na redação do Porto e em duas delegações regionais que cobrem acontecimentos diários do litoral ao Interior.
Com a mesma humildade que a todos pedimos desculpas por um erro que somos os primeiros a lamentar, temos a convicção que a TVI não deve a ninguém, em esforço, em tempo de antena, em grandes eventos desportivos e culturais que promovemos ou patrocinamos, a relevância que o Norte merece e justifica na mancha de cobertura informativa que diariamente, semana após semana, anos a fio, aqui lhe temos dedicado e que continuaremos a fazê-lo.
Da mesma forma que um erro grosseiro – que não foi previamente detetado nestas difíceis condições em que a pandemia também coloca ao trabalho dos jornalistas e de uma televisão – não caracteriza todo um Jornal e, menos ainda, uma estação televisiva que todos os dias acorda guiada pela sua mais nobre missão que é servir os portugueses. Sem exceções e sem discriminações de natureza alguma.

 

   Situação em Portugal e Região Norte

17448 casos confirmados (10302 na Região Norte)
567 mortos (321 na Região Norte)
COVID19 PortNorte 14abr.jpg



Publicado por Tovi às 09:33
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 11 de Abril de 2020
Situação do COVID-19... em Portugal e no Mundo

sisyphus_2_saeed_sadeghi.jpg
Não podemos baixar os braços... o "bicho" ainda está muito ativo.

 

    Situação atual em Portugal e Região Norte

15987 casos confirmados (9264 na Região Norte)
470 mortos (258 na Região Norte)

COVID19 11abr.png

 

   Situação em vários países do mundo (dados da WHO em 10abr)
COVID19 mortes x pop 10abr.png



Publicado por Tovi às 13:42
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Sábado, 4 de Abril de 2020
Um por todos e todos por um

grupo-cheering-de-três-figuras-felizes-da-vara-co

Nesta hora de luta contra o COVID-19 qualquer tentativa de fragilizar o Governo é, no meu entender, enfraquecer o combate à pandemia que estamos a enfrentar. Estes tempos não são fáceis para ninguém, nem mesmo para aqueles que têm de tomar medidas “a quente” e sem saberem se têm recursos para tudo. Avizinha-se a mais que provável falência do sistema bancário privado e de muitos dos pequenos e médios empresários, pelo que é tempo de se começar desde já a atuar, evitando assim o aparecimento de “chicos espertos”, uma raça que continuamos a ter em demasia neste nosso jardim à beira mar plantado. Haverá seguramente tempo para se “fazerem as contas” e eventualmente encontrar erros e “puxar as orelhas” aos culpados, mas agora temos que ser UM POR TODOS E TODOS POR UM.

 

  Dados da World Health Organization atualizados a 3abr
Captura de Ecrã (83).png

 

   Situação em Portugal e Região Norte

10524 casos confirmados (6280 na Região Norte)
266 mortos (141 na Região Norte)
COVID19 4abr.png



Publicado por Tovi às 07:44
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Domingo, 29 de Março de 2020
Dá que pensar... Suiça vs Portugal

covid19 europa 27mar.png

A Suíça tem menos 14% de habitantes que Portugal e segundo os dados da World Health Organization em 27mar2020 tinha mais duas vezes e meia de casos confirmados de COVID-19 e o dobro dos mortos, comparando com o nosso País.

Nota: A Suíça teve início da doença mais cedo do que Portugal e portanto está situada numa fase mas evoluída na curva epidémica ou pandémica, mas foram unicamente estes os dados a que tive acesso na World Health Organization.

 

   Situação em Portugal e Região Norte

5962 casos confirmados (3550 na Região Norte)
119 mortos (61 na Região Norte)
covid19 29mar.png



Publicado por Tovi às 11:04
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim
Descrição
Neste meu blog fica registado “para memória futura” tudo aquilo que escrevo por essa WEB fora.
Links
Pesquisar neste blog
 
Outubro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9



29
30
31


Posts recentes

Assim vai a pandemia em a...

A vacina russa para comba...

COVID-19 em Portugal... d...

A pandemia terminará em P...

A segunda fase do desconf...

Donald Trump e a origem d...

COVID-19 - a doença que n...

Mais um disparate da TVI

Situação do COVID-19... e...

Um por todos e todos por ...

Dá que pensar... Suiça vs...

Arquivos
Tags

todas as tags

Os meus troféus